SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 20
Baixar para ler offline
Leis
abolicionistas
Ana Julia Martins
Annie C. Nunes
Giovanna Lisboa
Luiza C. C. Coelho
Letícia Cristina
Pedro Henrique Barros
BRASIL IMPERIAL
INTRODUÇÃO
A abolição da escravatura no Brasil foi um
processo que estipulou o fim do uso da mão
de obra escrava no país, marcado pela data 13
de maio de 1888, o dia em que a Lei Áurea
foi sancionada.
ESCRAVIDÃO
NO BRASIL
BREVE HISTÓRICO
1530-Início da colonização
Escravidão indígena
Pau- Brasil
Escravidão Africana
Economia Açucareira
Estrutura
da
escravidão
Funções:
O mercado de escravos
funcionava em sistema de leilão;
- Doméstica: normalmente escravos
nascidos no Brasil , que tinham por função,
realizar a arrumação da casa, cuidar das
crianças, etc
- Eito: trabalho predominantemente braçal
-Escravos de ganho: prestação de serviços diversos
sendo pagos pelo trabalho. Contudo, a maior parte
do ganho ia para seus proprietários;
PRIMEIROS PASSOS
SEC. XVII- Jesuítas;
1757- Fim da Escravidão Indígena;
1761- Fim da Escravidão Negra em
Portugal, Índia e na Ilha da Madeira;
Brasil- Resistência devido à questões
econômicas.
ABOLIÇÃO DA ESCRVATURA:
Marquês de Pombal
1822- Brasil poderia ter se tornado o
primeiro país da América do Sul sem
escravidão. Contudo , conflito de interesses
políticos-eonômicos no Brasil barraram esse
acontecimento.
(1864 e 1870), Guerra do Paraguaí-
1888- Lei Áurea
Encaminhou o Brasil para o fim da escravidão,
mas os interesses das principais Oligarquias e
seu poder político, tornaram o processo mais
devagar, isso porque D. Pedro II não queria
causar conflitos com essa parcela.
1822- Independência do
Brasil
LEIS ABOLICIONISTAS
LEI DE EUSÉBIO
DE QUEIRÓS
Repressão ao tráfico
LEI RIO
BRANCO OU DO
VENTRE LIVRE
Liberdade aos filhos de
escravas
LEI SARAIVA-
COTEGIPE OU
DOS
SEXAGENÁRIOS
Libertação aos 60 anos
de idade
LEI JOÃO
ALFREDO OU
ÁUREA
Em 13 de maio a
Princesa Isabel assina a
abolição da escravatura
em todo Brasil
1850


1871


1885


1888


PRINCIPAIS
O que
sustentou a
escravidão por
tanto tempo
(no Brasil)?
TRÁFICO NEGREIRO;
MÃO DE OBRA ESCRAVA;
LUCRO:
APOIO DA MORAL;
APOIO DE FILÓSOFOS;
DARWINISMO SOCIAL;
JUSTIFICATIVAS RACIAIS:
DARWINISMO
SOCIAL
Século XIX
Hierarquia Social;
Superioridade da raça
branca;


Aptidão;
" Sobrevivem os mais
aptos"
"Eu suspeito que os negros, como em geral todas as outras espécies de seres
humanos, sejam naturalmente inferiores aos brancos. Nunca houve entre
eles nação alguma tão civilizada quanto entre os brancos. Nenhum grande
inventor entre eles, nenhuma arte, nenhuma ciência [...]. Uma diferença
tão constante e uniforme não poderia se repetir em tantos lugares e épocas
tão distintas se a natureza não tivesse também uma distinção original
entre essas espécies de seres humanos”.
David Hume,1748
Darwinismo Social;
A HISTÓRIA PELOS EXCLUÍDOS
André Rebouças José do Patrocínio Luís Gama Zumbi do Palmares
A HISTÓRIA PELOS EXCLUÍDOS
Princesa
Aqualtune
Maria Tomásia
Figueira Lima
Anastácia
A falta de políticas públicas para essa população
PROBLEMATIZAÇÕES
DA ABOLIÇÃO DA
ESCRAVATURA
Mão de Obra Imigrante
Substituição da mão de obra
escrava;
Trabalho assalariado
Branqueamento populacional
2° Revolução Industrial
Energia Elétrica;
Produção em Série;
Complexos Industriais;
BRANQUEAMENTO
( A PARTIR DE 1870)
Modernização do Brasil referenciada
pela civilização Europeia e a raça branca;
Influência do Darwinismo Social;
Medidas:
- Abertura dos portos para imigrantes;
- Miscigenação;
Modesto Brocos y Gómez intitulado “A
Redenção de Cam”, 1895
RACISMO
ESTRUTURAL
Discriminação racial enraizada na nossa
sociedade, em outras palavras, não diz
respeito ao ato discriminatório isolado, o
racismo estrutural representa um
processo histórico em que condições de
desvantagens e privilégios a determinados
grupos étnico-raciais são reproduzidos
nos âmbitos políticos, econômicos,
culturais e até mesmo nas relações
cotidianas.
Atualidade
20 de novembro
Zumbi dos Palmares
Ações de combate ao racismo
Racismo estrutural da nossa sociedade
CONSCIÊNCIA
NEGRA
MEDIDAS LEGAIS:
Lei n° 7.716/89- Injúra Racial e Racismo;
Cotas Raciais;
A função da História é lembrar a
sociedade daquilo que ela quer
esquecer
Obrigado pela atenção!

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados (20)

1° ano - Mesopotâmia
1° ano - Mesopotâmia1° ano - Mesopotâmia
1° ano - Mesopotâmia
 
Colonizacao espanhola-america
Colonizacao espanhola-americaColonizacao espanhola-america
Colonizacao espanhola-america
 
República velha
República velhaRepública velha
República velha
 
2° ano - Brasil Império: Segundo Reinado
2° ano  - Brasil Império: Segundo Reinado2° ano  - Brasil Império: Segundo Reinado
2° ano - Brasil Império: Segundo Reinado
 
Período regencial
Período regencialPeríodo regencial
Período regencial
 
ESCRAVIDÃO
ESCRAVIDÃOESCRAVIDÃO
ESCRAVIDÃO
 
renascimento cultural 7º ano
  renascimento cultural 7º ano  renascimento cultural 7º ano
renascimento cultural 7º ano
 
Segundo Reinado
Segundo ReinadoSegundo Reinado
Segundo Reinado
 
A Formação dos Estados Nacionais
A Formação dos Estados NacionaisA Formação dos Estados Nacionais
A Formação dos Estados Nacionais
 
Brasil pré colonial (1500-1530).ppt
Brasil pré colonial (1500-1530).pptBrasil pré colonial (1500-1530).ppt
Brasil pré colonial (1500-1530).ppt
 
Brasil colônia4 revoltas nativistas
Brasil colônia4 revoltas nativistasBrasil colônia4 revoltas nativistas
Brasil colônia4 revoltas nativistas
 
Colonização da América Espanhola
Colonização da América EspanholaColonização da América Espanhola
Colonização da América Espanhola
 
República Velha (1889-1930) - Primeira Parte
República Velha (1889-1930) - Primeira ParteRepública Velha (1889-1930) - Primeira Parte
República Velha (1889-1930) - Primeira Parte
 
Primeira República
Primeira RepúblicaPrimeira República
Primeira República
 
Segundo reinado (1840 1889)
Segundo reinado (1840 1889)Segundo reinado (1840 1889)
Segundo reinado (1840 1889)
 
A Escravidão no Brasil colonial
A Escravidão no Brasil colonialA Escravidão no Brasil colonial
A Escravidão no Brasil colonial
 
Ciclo do ouro
Ciclo do ouroCiclo do ouro
Ciclo do ouro
 
REINOS AFRICANOS
REINOS AFRICANOSREINOS AFRICANOS
REINOS AFRICANOS
 
a guerra do paraguai
a guerra do paraguaia guerra do paraguai
a guerra do paraguai
 
Aulão ENEM história
Aulão ENEM históriaAulão ENEM história
Aulão ENEM história
 

Semelhante a Leis abolicionistas e escravidão no Brasil

PROCLAMAÇÃO DA REPÚBLICA PARA VOCÊ ESTUDAR (1).pptx
PROCLAMAÇÃO DA REPÚBLICA PARA VOCÊ ESTUDAR (1).pptxPROCLAMAÇÃO DA REPÚBLICA PARA VOCÊ ESTUDAR (1).pptx
PROCLAMAÇÃO DA REPÚBLICA PARA VOCÊ ESTUDAR (1).pptxCaunBatista
 
EscravidãO Av 70 Maio 2009
EscravidãO Av 70 Maio 2009EscravidãO Av 70 Maio 2009
EscravidãO Av 70 Maio 2009Nelson Silva
 
Escravidão no Brasil do século XIX
Escravidão no Brasil do século XIXEscravidão no Brasil do século XIX
Escravidão no Brasil do século XIXAnderson Torres
 
Aulão HISTÓRIA.ppt
Aulão HISTÓRIA.pptAulão HISTÓRIA.ppt
Aulão HISTÓRIA.pptDeisy Bezerra
 
Por uma escravidão consciente - Gabarito Aulas Particulares
Por uma escravidão consciente - Gabarito Aulas ParticularesPor uma escravidão consciente - Gabarito Aulas Particulares
Por uma escravidão consciente - Gabarito Aulas ParticularesGabaritoAulasParticulares
 
A escravidão e formas de resistência indígena e africana na América.pdf
A escravidão e formas de resistência indígena e africana na América.pdfA escravidão e formas de resistência indígena e africana na América.pdf
A escravidão e formas de resistência indígena e africana na América.pdfGabrielaDuarte699486
 
Quilombos um legado da escravidão
Quilombos um legado da escravidãoQuilombos um legado da escravidão
Quilombos um legado da escravidãoSilvânio Barcelos
 
Revisão Ciências Humanas Professora Juliana
Revisão Ciências Humanas Professora JulianaRevisão Ciências Humanas Professora Juliana
Revisão Ciências Humanas Professora JulianaProfessoraJu
 
Brasil ColôNia
Brasil ColôNiaBrasil ColôNia
Brasil ColôNiaecsette
 
Trabalho Escravo Vs Direitos Humanos
Trabalho Escravo Vs Direitos HumanosTrabalho Escravo Vs Direitos Humanos
Trabalho Escravo Vs Direitos Humanosjoana
 
Segundo Reinando: Escravidão e Imigração
Segundo Reinando: Escravidão e ImigraçãoSegundo Reinando: Escravidão e Imigração
Segundo Reinando: Escravidão e ImigraçãoValéria Shoujofan
 
Cultura brasileira lúcio
Cultura brasileira lúcioCultura brasileira lúcio
Cultura brasileira lúcioDaniele Lino
 
Herança escravista
Herança escravistaHerança escravista
Herança escravistalevel2012
 
História do brasil ppt aula colonia
História do brasil ppt   aula coloniaHistória do brasil ppt   aula colonia
História do brasil ppt aula coloniaCicero Julio
 
05 as novas representações da humanidade
05 as novas representações da humanidade05 as novas representações da humanidade
05 as novas representações da humanidadeVítor Santos
 
A escravidão é um tipo de relação de trabalho que existiu durante muito t...
A escravidão é um tipo de relação de trabalho que existiu durante muito t...A escravidão é um tipo de relação de trabalho que existiu durante muito t...
A escravidão é um tipo de relação de trabalho que existiu durante muito t...manuelacarvalho
 

Semelhante a Leis abolicionistas e escravidão no Brasil (20)

PROCLAMAÇÃO DA REPÚBLICA PARA VOCÊ ESTUDAR (1).pptx
PROCLAMAÇÃO DA REPÚBLICA PARA VOCÊ ESTUDAR (1).pptxPROCLAMAÇÃO DA REPÚBLICA PARA VOCÊ ESTUDAR (1).pptx
PROCLAMAÇÃO DA REPÚBLICA PARA VOCÊ ESTUDAR (1).pptx
 
EscravidãO Av 70 Maio 2009
EscravidãO Av 70 Maio 2009EscravidãO Av 70 Maio 2009
EscravidãO Av 70 Maio 2009
 
Escravidão no Brasil do século XIX
Escravidão no Brasil do século XIXEscravidão no Brasil do século XIX
Escravidão no Brasil do século XIX
 
A escravidao
A escravidaoA escravidao
A escravidao
 
Eugenio racismo
Eugenio racismoEugenio racismo
Eugenio racismo
 
Aulão HISTÓRIA.ppt
Aulão HISTÓRIA.pptAulão HISTÓRIA.ppt
Aulão HISTÓRIA.ppt
 
Por uma escravidão consciente - Gabarito Aulas Particulares
Por uma escravidão consciente - Gabarito Aulas ParticularesPor uma escravidão consciente - Gabarito Aulas Particulares
Por uma escravidão consciente - Gabarito Aulas Particulares
 
A escravidão e formas de resistência indígena e africana na América.pdf
A escravidão e formas de resistência indígena e africana na América.pdfA escravidão e formas de resistência indígena e africana na América.pdf
A escravidão e formas de resistência indígena e africana na América.pdf
 
Quilombos um legado da escravidão
Quilombos um legado da escravidãoQuilombos um legado da escravidão
Quilombos um legado da escravidão
 
Revisão Ciências Humanas Professora Juliana
Revisão Ciências Humanas Professora JulianaRevisão Ciências Humanas Professora Juliana
Revisão Ciências Humanas Professora Juliana
 
Brasil ColôNia
Brasil ColôNiaBrasil ColôNia
Brasil ColôNia
 
Escravatura
EscravaturaEscravatura
Escravatura
 
Trabalho Escravo Vs Direitos Humanos
Trabalho Escravo Vs Direitos HumanosTrabalho Escravo Vs Direitos Humanos
Trabalho Escravo Vs Direitos Humanos
 
Brasil Colônia
Brasil ColôniaBrasil Colônia
Brasil Colônia
 
Segundo Reinando: Escravidão e Imigração
Segundo Reinando: Escravidão e ImigraçãoSegundo Reinando: Escravidão e Imigração
Segundo Reinando: Escravidão e Imigração
 
Cultura brasileira lúcio
Cultura brasileira lúcioCultura brasileira lúcio
Cultura brasileira lúcio
 
Herança escravista
Herança escravistaHerança escravista
Herança escravista
 
História do brasil ppt aula colonia
História do brasil ppt   aula coloniaHistória do brasil ppt   aula colonia
História do brasil ppt aula colonia
 
05 as novas representações da humanidade
05 as novas representações da humanidade05 as novas representações da humanidade
05 as novas representações da humanidade
 
A escravidão é um tipo de relação de trabalho que existiu durante muito t...
A escravidão é um tipo de relação de trabalho que existiu durante muito t...A escravidão é um tipo de relação de trabalho que existiu durante muito t...
A escravidão é um tipo de relação de trabalho que existiu durante muito t...
 

Leis abolicionistas e escravidão no Brasil

  • 1. Leis abolicionistas Ana Julia Martins Annie C. Nunes Giovanna Lisboa Luiza C. C. Coelho Letícia Cristina Pedro Henrique Barros BRASIL IMPERIAL
  • 2. INTRODUÇÃO A abolição da escravatura no Brasil foi um processo que estipulou o fim do uso da mão de obra escrava no país, marcado pela data 13 de maio de 1888, o dia em que a Lei Áurea foi sancionada.
  • 3. ESCRAVIDÃO NO BRASIL BREVE HISTÓRICO 1530-Início da colonização Escravidão indígena Pau- Brasil Escravidão Africana Economia Açucareira
  • 4.
  • 5. Estrutura da escravidão Funções: O mercado de escravos funcionava em sistema de leilão; - Doméstica: normalmente escravos nascidos no Brasil , que tinham por função, realizar a arrumação da casa, cuidar das crianças, etc - Eito: trabalho predominantemente braçal -Escravos de ganho: prestação de serviços diversos sendo pagos pelo trabalho. Contudo, a maior parte do ganho ia para seus proprietários;
  • 6. PRIMEIROS PASSOS SEC. XVII- Jesuítas; 1757- Fim da Escravidão Indígena; 1761- Fim da Escravidão Negra em Portugal, Índia e na Ilha da Madeira; Brasil- Resistência devido à questões econômicas. ABOLIÇÃO DA ESCRVATURA: Marquês de Pombal
  • 7. 1822- Brasil poderia ter se tornado o primeiro país da América do Sul sem escravidão. Contudo , conflito de interesses políticos-eonômicos no Brasil barraram esse acontecimento. (1864 e 1870), Guerra do Paraguaí- 1888- Lei Áurea Encaminhou o Brasil para o fim da escravidão, mas os interesses das principais Oligarquias e seu poder político, tornaram o processo mais devagar, isso porque D. Pedro II não queria causar conflitos com essa parcela. 1822- Independência do Brasil
  • 8. LEIS ABOLICIONISTAS LEI DE EUSÉBIO DE QUEIRÓS Repressão ao tráfico LEI RIO BRANCO OU DO VENTRE LIVRE Liberdade aos filhos de escravas LEI SARAIVA- COTEGIPE OU DOS SEXAGENÁRIOS Libertação aos 60 anos de idade LEI JOÃO ALFREDO OU ÁUREA Em 13 de maio a Princesa Isabel assina a abolição da escravatura em todo Brasil 1850 1871 1885 1888 PRINCIPAIS
  • 9. O que sustentou a escravidão por tanto tempo (no Brasil)? TRÁFICO NEGREIRO; MÃO DE OBRA ESCRAVA; LUCRO: APOIO DA MORAL; APOIO DE FILÓSOFOS; DARWINISMO SOCIAL; JUSTIFICATIVAS RACIAIS:
  • 10. DARWINISMO SOCIAL Século XIX Hierarquia Social; Superioridade da raça branca; Aptidão; " Sobrevivem os mais aptos"
  • 11. "Eu suspeito que os negros, como em geral todas as outras espécies de seres humanos, sejam naturalmente inferiores aos brancos. Nunca houve entre eles nação alguma tão civilizada quanto entre os brancos. Nenhum grande inventor entre eles, nenhuma arte, nenhuma ciência [...]. Uma diferença tão constante e uniforme não poderia se repetir em tantos lugares e épocas tão distintas se a natureza não tivesse também uma distinção original entre essas espécies de seres humanos”. David Hume,1748 Darwinismo Social;
  • 12. A HISTÓRIA PELOS EXCLUÍDOS André Rebouças José do Patrocínio Luís Gama Zumbi do Palmares
  • 13. A HISTÓRIA PELOS EXCLUÍDOS Princesa Aqualtune Maria Tomásia Figueira Lima Anastácia
  • 14. A falta de políticas públicas para essa população PROBLEMATIZAÇÕES DA ABOLIÇÃO DA ESCRAVATURA
  • 15. Mão de Obra Imigrante Substituição da mão de obra escrava; Trabalho assalariado Branqueamento populacional 2° Revolução Industrial Energia Elétrica; Produção em Série; Complexos Industriais;
  • 16. BRANQUEAMENTO ( A PARTIR DE 1870) Modernização do Brasil referenciada pela civilização Europeia e a raça branca; Influência do Darwinismo Social; Medidas: - Abertura dos portos para imigrantes; - Miscigenação; Modesto Brocos y Gómez intitulado “A Redenção de Cam”, 1895
  • 17. RACISMO ESTRUTURAL Discriminação racial enraizada na nossa sociedade, em outras palavras, não diz respeito ao ato discriminatório isolado, o racismo estrutural representa um processo histórico em que condições de desvantagens e privilégios a determinados grupos étnico-raciais são reproduzidos nos âmbitos políticos, econômicos, culturais e até mesmo nas relações cotidianas. Atualidade
  • 18. 20 de novembro Zumbi dos Palmares Ações de combate ao racismo Racismo estrutural da nossa sociedade CONSCIÊNCIA NEGRA
  • 19. MEDIDAS LEGAIS: Lei n° 7.716/89- Injúra Racial e Racismo; Cotas Raciais;
  • 20. A função da História é lembrar a sociedade daquilo que ela quer esquecer Obrigado pela atenção!