Como produzir material 
informativo em MGF? 
Partilha e leitura do documento Clear and Simple, do National Cancer Institut...
Introdução 
● Analfabetismo funcional: incapacidade de compreender 
e servir-se da informação escrita, mesmo conseguindo 
...
Superior 
Pós-secundário 
Secundário 
EB - 3º ciclo 
EB - 2º ciclo 
EB - 1º ciclo 
Nenhum 
Escolaridade no Barlavento Alga...
5 Passos 
1. Definir a População-Alvo 
2. Investigar a População-Alvo 
3. Conceber o Produto 
4. Desenvolver os seus Conte...
1. Definir a População-Alvo 
● Atitudes e comportamentos 
● Portadores de patologias, etc. 
● Lista de utentes / CS / Regi...
2. Investigar a População-Alvo 
● Fontes: 
– Bases de dados 
bibliográficas 
– Estatísticas de saúde 
nacionais, regionais...
2. Investigar a População-Alvo 
● Novos estudos, locais: 
– Questionários / sondagens / 
inquéritos 
– Grupos de foco 
– E...
3. Conceito do Produto 
● Objectivo do material a desenvolver 
– Mais COMPORTAMENTAL do que INFORMATIVO 
● Pontos-chave a ...
3. Conceito do Produto 
● Nível linguístico do material a desenvolver 
– 2 a 5 anos de escolaridade abaixo da média da pop...
4. Desenho do Produto 
● Conteúdo 
– Interactivo, p.ex. contacto telefónico 
– “Como fazer”: não pôr sal na comida, pedir ...
4. Desenho do Produto 
● Formatação 
– Texto destaca o importante: negrito, sublinhado, MAIÚSCULAS 
– Setas, e círculos de...
4. Desenho do Produto 
● Grafismo 
– Ilustrações relacionadas com o texto, com 
significado para a audiência, bem localiza...
5. Pré-teste e Revisão 
● Mostrar o Rascunho a alguns dos 
destinatários, e pedir a sua opinião 
– Compreensão: qual a pri...
5. Pré-teste e Revisão 
● Organizar o Pré-teste 
– Quando: em qualquer fase da concepção, escolha de figuras, paginação, 
...
5. Pré-teste e Revisão 
● Revisão 
– De acordo com o pré-teste 
– Não há soluções que agradem a toda a gente 
– Ligeira se...
Muito obrigado! 
O senhor 
tem uma 
doença nos 
vasos...
Resumo 
A produção de material informativo destinado aos 
utentes dos cuidados de saúde é complexa e 
necessita de planeam...
Como produzir material informativo em MGF?
Como produzir material informativo em MGF?
Como produzir material informativo em MGF?
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Como produzir material informativo em MGF?

366 visualizações

Publicada em

Para citar: Francisco Vilaça Lopes. Como produzir material informativo em Medicina Geral e Familiar? Leitura partilhada do documento Partilha e leitura do documento "Clear and Simple: Developing Effective Print Materials for Low-Literate Readers", do National Cancer Institute (E.U.A.) [palestra]. Encontro de Internos e Orientadores de Medicina Geral e Familiar do Agrupamento de Centros de Saúde do Barlavento Algarvio: Lagos, Sala de Reuniões do Centro de Saúde de Lagos, 26-9-2014. Diaporama em http://goo.gl/qI1LuL

Publicada em: Saúde e medicina
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
366
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
7
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Como produzir material informativo em MGF?

  1. 1. Como produzir material informativo em MGF? Partilha e leitura do documento Clear and Simple, do National Cancer Institute (E.U.A.) http://www.cancer.gov/cancertopics/cancerlibrary/clear-and-simple/page1/AllPages/Print Francisco Vilaça Lopes vilaca.lopes@gmail.com Médico Interno do 2º ano de Medicina Geral e Familiar, Portimão. Encontro de Internos e Orientadores de MGF do Barlavento Algarvio, Centro de Saúde de Lagos, 26-IX-2014
  2. 2. Introdução ● Analfabetismo funcional: incapacidade de compreender e servir-se da informação escrita, mesmo conseguindo soletrar ou ler as palavras. ● Correlacionado com baixos nível de instrução e rendimento económico. ● Materiais impressos com linguagem demasiado complexa.
  3. 3. Superior Pós-secundário Secundário EB - 3º ciclo EB - 2º ciclo EB - 1º ciclo Nenhum Escolaridade no Barlavento Algarvio: Concelhos de Aljezur, Vila do Bispo, Lagos, Monchique, Portimão, Silves e Lagoa 0 5000 10000 15000 20000 25000 30000 35000 40000 45000 População residente com 15 e mais anos de idade Nível de escolaridade Portugal, Instituto Nacional de Estatística, Divisão de Recenseamento da População e Habitação. Censos 2011, Base de Dados de Indicadores: População residente com 15 e mais anos de idade (N.º) por Local de residência (à data dos Censos 2011), Sexo, Grupo etário, Condição perante o trabalho e Nível de escolaridade; Decenal. Acedido a 3-9-2014 em: http://www.ine.pt/xportal/xmain?xpid=INE&xpgid=ine_indicadores&indOcorrCod=0006378&contexto=bd&selTab=tab2
  4. 4. 5 Passos 1. Definir a População-Alvo 2. Investigar a População-Alvo 3. Conceber o Produto 4. Desenvolver os seus Conteúdo e Forma 5. Pré-Teste e Revisão dos Rascunhos
  5. 5. 1. Definir a População-Alvo ● Atitudes e comportamentos ● Portadores de patologias, etc. ● Lista de utentes / CS / Região ● Sexo e idade ● Estado civil ● Nível de escolaridade ● Profissão ● Nível de rendimento ● Religião ● Raça, etnia, e língua ● Localização geográfica ● Estilo de vida
  6. 6. 2. Investigar a População-Alvo ● Fontes: – Bases de dados bibliográficas – Estatísticas de saúde nacionais, regionais e locais, governamentais e não-gov. – Experiência de voluntários/ONGs – Empresas de sondagens ● Informação relevante: – Comportamentos causativos ou preventivos relacionados com o tópico em questão – Conhecimentos, crenças, atitudes e hábitos culturais da pop.alvo em relação ao tema – Padrões de uso de serviços (saúde etc.) – Barreiras a mudança de comportamento – Motivadores eficazes: benefícios da mudança, medo de consequências, incentivos, apoio social
  7. 7. 2. Investigar a População-Alvo ● Novos estudos, locais: – Questionários / sondagens / inquéritos – Grupos de foco – Entrevistas individuais ● Se não, obter a colaboração: – de 1 indivíduo do grupo-alvo – de 1 especialista sobre o assunto ● Obtenção faseada da informação
  8. 8. 3. Conceito do Produto ● Objectivo do material a desenvolver – Mais COMPORTAMENTAL do que INFORMATIVO ● Pontos-chave a serem retidos pelo destinatário para alcançar o objectivo – Úteis e relevantes para o destinatário – Os que mais influenciarem a acção ● Veículo mais apropriado – Folheto, livrete, desdobrável, cartaz, entrevista em rádio ou anúncio em TV, artigo de jornal, redes sociais na internet, ida a um local público, mercado, praia, centro comercial, etc. – 1 destinatário de cada vez? Muitos? – Material de uso único? Durável? Inserido numa campanha maior?
  9. 9. 3. Conceito do Produto ● Nível linguístico do material a desenvolver – 2 a 5 anos de escolaridade abaixo da média da população-alvo ● Organizar tópicos de modo a serem lógicos e prácticos para a pessoa compreender – O mais importante em 1º e último lugar – Lista com pontos, poucos de cada vez, em subgrupos – Ordem cronológica, p.ex. tarefas ao longo do dia – Sequência lógica, segundo a audiência – Convite a uma acção imediata, p.ex. ligar para um número de telefone
  10. 10. 4. Desenho do Produto ● Conteúdo – Interactivo, p.ex. contacto telefónico – “Como fazer”: não pôr sal na comida, pedir a cozinha para não adicionar sal a minha dose, etc. – Linguagem falada pelos pares, popular e não técnica, p.ex. “mudança de idade” – Novas palavras definidas claramente – Frases simples, na voz activa – Poucas ideias novas de cada vez – Exemplos concretos e não abstractos: p.ex. actriz que deixou de fumar e sente-se muito bem
  11. 11. 4. Desenho do Produto ● Formatação – Texto destaca o importante: negrito, sublinhado, MAIÚSCULAS – Setas, e círculos destacam o mais importante – Cores apelativas, de acordo com o pré-teste – Conteúdo organizado por subtítulos ou cabeçalhos – Títulos simples e próximos do texto – Equilíbrio entre espaço branco, palavras e gravuras – Texto Com Maiúsculas E Minúsculas – Tamanho legível ● Legibilidade – Escalas próprias
  12. 12. 4. Desenho do Produto ● Grafismo – Ilustrações relacionadas com o texto, com significado para a audiência, bem localizadas – Simples e sem elementos distractivos – Adequado à idade e contexto familiar e cultural dos destinatários – Figuras legendadas. Só uma mensagem possível !
  13. 13. 5. Pré-teste e Revisão ● Mostrar o Rascunho a alguns dos destinatários, e pedir a sua opinião – Compreensão: qual a principal mensagem, significado das palavras-chave, abreviaturas, imagens. Explica por palavras próprias – Atracção: reacção ao material: entusiasmo, aborrecimento, nojo, curiosidade – Aceitação: imagens chocantes, conotadas com sexo ou pobreza, ofensivas cultural ou etnicamente? Sente-se convencido?
  14. 14. 5. Pré-teste e Revisão ● Organizar o Pré-teste – Quando: em qualquer fase da concepção, escolha de figuras, paginação, tamanho, tipo de papel, etc. – Onde: salas de espera, gabinete, domicílio, igreja, mercado, aulas nocturnas, centros de emprego, etc. – Ambiente: com barulho e distracções reais – Método: entrevistas individuais ou de grupo – Entre 25 a 50 participantes, tanto mais quanto mais complexo for o material e heterogénea a pop.-alvo – Participantes representativos da pop.-alvo – Um produto de cada vez – Os participantes devem sentir-se úteis – Não influenciar respostas – Receber todas as críticas e sugestões
  15. 15. 5. Pré-teste e Revisão ● Revisão – De acordo com o pré-teste – Não há soluções que agradem a toda a gente – Ligeira se problemas menores – Radical se muitos problemas e graves – Mais vale a opinião do destinatário do que do profissional
  16. 16. Muito obrigado! O senhor tem uma doença nos vasos...
  17. 17. Resumo A produção de material informativo destinado aos utentes dos cuidados de saúde é complexa e necessita de planeamento adequado. Propõem-se 5 passos essenciais: 1) definir qual a população-alvo; 2) investigar as suas crenças e atitudes relativas à saúde e doença; 3) conceber o material a divulgar; 4) desenhá-lo; 5) pré-testá-lo e revê-lo.

×