SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 34
Baixar para ler offline
MONARQUIA DE ISRAEL – Características de liderança
15ª aula -O retorno do cativeiro babilônico
1
EBD - ESCOLA BÍBLICA DISCIPULADORA – 2021 – 2º SEMESTRE
Facilitadores: Dr. Eliel Cardoso e Eng. Francisco Tudela
Daniel, Ester, Esdras e Neemias
Ed 2.1 “Esta é a lista dos homens da província que Nabucodonosor, rei da Babilônia,
tinha levado prisioneiros para a Babilônia. Eles voltaram para Jerusalém e
Judá, CADA UM PARA A SUA PRÓPRIA CIDADE.”
Ed 3.1 “Quando chegou o sétimo mês e OS ISRAELITAS JÁ ESTAVAM EM SUAS
CIDADES, o povo SE REUNIU como um só homem EM JERUSALÉM.”
Período: Velho Testamento
*Datas aproximadas
434 a.C.
CONTEXTO SOCIAL
Jr 29.4-7 “Assim diz o Senhor...a todos os exilados,
que deportei...para a Babilônia: "Construam
casas ...plantem...Casem-se e tenham filhos...
escolham mulheres para casar-se com seus filhos
e deem as suas filhas em casamento, para que
também tenham filhos e filhas. Multipliquem-se e
não diminuam. Busquem a prosperidade..”
Livros da Bíblia:
1 e 2 Reis, 1 e 2 Crônicas, Ester,
Ageu, Esdras, Neemias
589 a.C.
Fim de Judá,
Cativeiro e
Restauração
Profetas contemporâneos
Obadias, Jeremias, Naum, Sofonias,
Daniel, Ezequiel, Habacuque
Gregoriano Evento Ref.
546 aC Ciro, rei da Pérsia, toma a Babilônia
543 aC Ciro liberta do cativeiro Ed 1.1-3
543 aC 1º retorno com Zorobabel Ed 2.64,65
542 aC Início da reconstrução do Templo Ed 3.8
541 aC a 528 aC Reconstrução do Templo interrompida 13 anos Ed 4.24
537 aC Morre Ciro e assume Cambises (Artaxerxes I)
529 aC Morre Cambises e Dario é o novo rei da Pérsia
529 aC As obras do Templo são retomadas Ed 5.1
529 aC Dario é questionado sobre as obras Ed 5.6-17
DARIO O MEDO, construiu Pasárgada, uma capital persa, hoje sul do Irã.
Vou-me embora pra Pasárgada / Lá sou amigo do
rei.../ Em Pasárgada tem tudo / É outra civilização /
Tem telefone automático ... [Manuel Bandeira -1930]
Gregoriano Evento Ref.
528 aC Dario autoriza a continuidade das obras Ed 4.24
528 aC Zorobabel governador de Judá Ag 1.1
524 aC Termina a reconstrução do Templo Ed 6.15
493 aC Morre Dario e assume Assuero (Xerxes I)
493 aC Assuero (Xerxes I), Imperador da Pérsia. O Livro de Ester
491 aC Início dos acontecimentos do livro de Ester Et 1.3
488 aC Batalha em que Assuero é derrotado pelos gregos
487 aC Ester é levada à presença de Assuero Et 2.16
482 aC Hamã pede o extermínio dos judeus Et 3.7-9
482 aC Decreto de Assuero para extermínio dos judeus Et 3.13
482 aC Hamã e os inimigos dos judeus enforcados Et 7.10; 9.16
482 aC Instituição da celebração do Purim Et 9.21-26
Gregoriano Evento Ref.
473 aC Morte de Xerxes I
473 aC Artaxerxes I rei da Pérsia
467 aC 2º retorno com Esdras 76 anos após Zorobabel Ed 8.31
467 aC Os judeus despedem suas mulheres estrangeiras Ed 10
454 aC Ordem para a reconstrução de Jerusalém Ne 2.1-6
454 aC 3º retorno com Neemias, 13 anos após Esdras Ne 2.1-6
453 aC Neemias inicia reconstrução dos muros de Jerusalém Ne 2.18
441 aC Neemias termina a reconstrução dos muros Ne 5.14-6:15
441 aC Neemias retorna à Babilônia por breve tempo
434 aC Morre Artaxerxes I
LINHA DO TEMPO DE DANIEL, ESDRAS, NEEMIAS E ESTER
550 AC 525 AC 500 AC 475 AC 450 AC 425 AC
ACONTECIMENTOS REGISTRADOS
EM ESDRAS (537 A 458 AC)
ACONTECIMENTOS REGISTRADOS
EM NEEMIAS (444 A 425 AC)
ACONTECIMENTOS REGISTRADOS
EM ESTER (483 A 471 AC)
537 AC – ZOROBABEL LIDERA O 1º REGRESSO DE EXILADOS (ED 1-6)
458 AC – ESDRAS LIDERA O 2º REGRESSO DE EXILADOS (ED 7-10)
Tratam da restauração política, geográfica, patrimonial, econômica, conjugal, moral,
nacional e espiritual, de um povo que por mais de sete décadas perdera de vista as
suas origens e valores, perdera sua identidade como nação.
Jr 39.10 “Somente alguns dos mais pobres do povo, que nada tinham, Nebuzaradã...
deixou para trás em Judá. E, naquela ocasião, ele lhes deu vinhas e campos.".
ACONTECIMENTOS REGISTRADOS
EM DANIEL (548 A 456 AC)
Da 1ª deportação (612 aC) até o retorno à Jerusalém (543 aC e estima-se que na
Babilônia, após 70 anos, os judeus já eram 1milhão de pessoas.
Dominavam o comércio e as atividades bancárias, como o "Murashu & Filhos“ um
banco fundado em 587 aC, com sede em Nippur, com uma taxa de juros de 20%.
O Murashu & Filhos pode ser considerado o modelo de atividade disponibilizada aos
exilados judeus, sua profissão por excelência, e assim continuará até hoje.
(pg. 335 - https://portalconservador.com/livros/Werner-Keller-E-a-Biblia-tinha-razao.pdf)
Na Europa medieval, dominada pelos católicos, uma das poucas ocupações que os
judeus podiam exercer era a de agiota, já que aos cristãos era proibido a usura.
Hitler culpa os judeus pela miséria econômica Alemã na depressão de 1920: "Vive
entre nós uma raça estrangeira, que não pretende nem consegue
sacrificar seu caráter racial ou negar suas ambições. O judeu é uma
tuberculose racial para as nações“ Adolf Hitler, ex-soldado em 1920
Shakespeare, em O mercador de Veneza, mostra como
o judeu se tornou uma figura odiada. (ler o adendo)
Tábua de negócios de Murashu&Filhos Fonte MetropolitanMuseum of Art - NY
Neste período viveram muitos pensadores, como:
 Na Índia, Gautama Buddha (563-486)
 Na China, Confúcio (551-479)
 Na Grécia, Sócrates (469), Platão (427), Aristóteles (384), Zaratustra (628-551)
A Palestina pertencia à Satrápia Transeufrates (Síria, Fenícia, Canaã e Chipre).
Após a destruição de Jerusalém, em 587 aC pelos babilônios, três reis emitiram
decretos autorizando o retorno dos judeus de todo o império persa.
Ciro em 538 aC, Dario em 519 aC e Artaxerxes em 457 aC.
546 aC - Dn 5.1,5,8,13,25,29-31 “...o rei Belsazar deu um grande banquete...
apareceram dedos de mão humana...a escrever no reboco da parede... os sábios...
não conseguiram ler...Daniel foi levado à presença do rei... "Esta é a inscrição que foi
feita: MENE, MENE, TEQUEL, PARSIM.... por ordem de Belsazar, vestiram Daniel ... o
proclamaram o terceiro em importância no governo do reino. Naquela mesma noite
Belsazar, rei dos babilônios, foi morto...”
Dn 6.28 “Assim Daniel prosperou durante os reinados
de Dario e de Ciro, o persa.”
180 anos antes, em 722 aC, Isaias profetiza sobre Ciro e seu decreto
Is 44.28 “(Eu sou o Senhor)...que diz acerca de Ciro: ‘Ele é meu pastor, e realizará
tudo o que me agrada; ele dirá acerca de Jerusalém: "Seja reconstruída", e
do templo: "Sejam lançados os seus alicerces”
Jr 29.10 “Assim diz o Senhor: "Quando se completarem os setenta anos da Babilônia,
eu cumprirei a minha promessa ...de trazê-los de volta ...“
543 aC – 1º ano de Ciro autoriza o 1º grupo a retornar para Jerusalém com Zorobabel
Ed 1.1,2 “ No 1º ano do reinado de Ciro, rei da Pérsia, a fim de que se cumprisse a
palavra do Senhor falada por Jeremias..."Assim diz Ciro, rei da Pérsia: "O
Senhor, o Deus dos céus, deu-me todos os reinos da terra e designou-me
para construir um templo para ele em Jerusalém de Judá.”
Ne 12.1 “Estes foram os sacerdotes e os levitas que voltaram com Zorobabel, filho
de Sealtiel, e com Jesua: Seraías, Jeremias, Esdras,”
542 aC - Início da reconstrução do Templo
Ed 3.8 “No segundo mês do segundo ano depois de chegarem ao templo de Deus
em Jerusalém, Zorobabel... Começaram...a construção do templo do Senhor.”
De 541 aC a 528 aC - A construção do templo é interrompida (13 anos)
Ed 4.24 “...a obra do templo de Deus em Jerusalém foi interrompida, e ficou parada
até o segundo ano do reinado de Dario...”
537 aC - Morre Ciro
O túmulo de Ciro nas ruínas
da antiga Pasárgada, hoje Irã.
O cilindro de Ciro Trechos traduzidos do cilindro
“Devolvi a estas cidades sagradas... Cujos
santuários estão em ruínas há muito tempo,
as imagens que viviam neles e estabeleci
para elas santuários permanentes. Reuni
(também) todos os seus habitantes
(anteriores) e lhes devolvi suas habitações...
Que todos os deuses que restabeleci nas suas
cidades santas peçam diariamente a Bel e a
Nebo que eu tenha uma vida longa...”
Os direitos humanos estabelecidos por Ciro
foram mantidos pelos reis que o sucederam.
De argila com escrita cuneiforme
em acadiano, foi achado em 1879;
tido como a 1ª carta dos direitos
humanos; está no British Museum
Em 1971 foi traduzido nas seis línguas oficiais das Nações Unidas, seus princípios
são análogos aos primeiros artigos da Declaração Universal dos Direitos Humanos.
Ciro libertou os escravos, deu liberdade religiosa à todos e haveria igualdade racial.
537 aC a 529 aC - Cambises (Artaxerxes l), governará a Pérsia por 9 anos
Foi a ele que os inimigos de Israel endereçaram a carta citada em Ed 4.11-24
recomendando que fizesse parar as obras de reconstrução do Templo de Jerusalém.
Diferentemente do pai, historiadores o descrevem como alguém de má índole, que
matou o irmão e a irmã grávida, Roxana, com quem era casado.
Heródoto sugere que Cambises feriu-se com sua espada ao montar seu cavalo.
Dario, o grande, foi um de seus generais, e assumiu o poder após sua morte.
529 aC a 493 aC – Morre Cambises e Dario, o Grande governará a Pérsia por 36 anos
Flávio Josefo (História dos Hebreus, Vol. 3, pg 313) diz que Dario, antes de se tornar
rei, já era amigo de Zorobabel e lhe prometera retomar as obras de reconstrução do
Templo que estavam paradas há 13 anos.
529 aC - Ed 5.2 “Zorobabel... começaram a reconstruir o templo... em Jerusalém”
529 aC – 1º ano de Dario, o grande - Daniel é colocado na cova dos leões
Dn 6.1,2,7,10,13,16 “Dario achou por bem nomear cento e vinte sátrapas para
governarem todo o reino; e colocou três supervisores sobre eles, um dos quais
era Daniel... o rei deve emitir um decreto ordenando que todo aquele que orar
a qualquer deus ou a qualquer homem nos próximos trinta dias, exceto a ti, ó
rei, seja atirado na cova dos leões,... Quando Daniel soube que o decreto tinha
sido publicado, foi para casa, para o seu quarto, no andar de cima, onde as
janelas davam para Jerusalém. Três vezes por dia ele se ajoelhava e orava*,
agradecendo ao seu Deus, como costumava fazer. Então disseram ao rei:
"Daniel, um dos exilados de Judá, não te dá ouvidos, ó rei, nem ao decreto que
assinaste. Ele continua orando três vezes por dia”... Então o rei deu ordens, e
eles trouxeram Daniel e o jogaram na cova dos leões”
* Orientação desde Salomão 964 aC - 1Rs 8.30,42 “... quando orarem
voltados para este lugar...quando ele vier e orar voltado para este templo,”
Sl 55.16,17 “... clamo a Deus... À tarde, pela manhã e ao meio-dia” – Salmo de Davi
No Islamismo ora-se 5 vezes ao dia voltado para Meca.
528 aC -Zorobabel governador de Judá
Ag 1.1 “...ao governador de Judá, Zorobabel ...”
524 aC – Após 18 anos finda a reforma do templo.
Ed 6.15 “O templo foi concluído...no sexto ano do
reinado do rei Dario.”
Herodes, o Grande, remodela o templo
com o propósito de agradar a Júlio César, e
na muralha constrói a Torre Antónia para
uma guarnição romana ter acesso ao
interior do pátio do Templo.
Começou no ano 20 aC e acabou no ano
27dC, um ano antes de Jesus ser batizado.
Esta reforma era considerada por muitos
judeus como uma profanação.
Templo de Salomão
O Templo reformado
por Zorobabel ficou
1/3 maior, porém
era mais simples.
493 aC - Morre Dario, o grande, e assume Assuero (Xerxes I)
491 aC - início dos acontecimentos do livro de Ester
Et 1.1-17,18,22 “...Xerxes...deu um banquete a todos os seus
nobres e seus oficiais.... O rei Xerxes ordenou que a rainha Vasti
fosse à sua presença, mas ela não foi...Hoje mesmo as mulheres
persas e medas da nobreza que ficarem sabendo do comportamento da rainha
agirão da mesma maneira... Isso provocará desrespeito e discórdia... enviou cartas...
Em sua própria língua, proclamando que cada homem deveria mandar em sua
própria casa.”
488 aC – Xerxes l é derrotado pelos gregos na batalha de Termópilas e em Salamina.”
No ano 493 aC Daniel, no 1º ano de Dario, profetizara esta derrota. (Dn 11)
487 aC – Ester levada à presença de Xerxes l Et 2.16
Et 2.16,17 “Ela foi levada ao rei Xerxes ...no 7º ano do seu reinado.
Ora, o rei gostou mais de Ester...e tornou-a rainha no lugar de Vasti.”
482 aC - Et 6.1-3 “Naquela noite o rei não conseguiu dormir; por isso ordenou
que..lessem para ele...E foi lido o registro de que Mardoqueu tinha denunciado Bigtã
e Teres, dois dos oficiais do rei que guardavam a entrada do Palácio, que haviam
conspirado para assassinar o rei Xerxes. "Que honra e reconhecimento Mardoqueu
recebeu por isso? ", perguntou o rei. Seus oficiais responderam: "Nada lhe foi feito".
Et 3.7-12 “...lançaram o pur, isto é a sorte, na presença de Hamã para escolher um
dia e um mês para executar o plano, e foi sorteado o décimo segundo mês, o mês de
adar. Então Hamã disse ao rei Xerxes: "Existe certo povo disperso e espalhado entre
os povos de todas as províncias de teu império, cujos costumes são diferentes dos de
todos os outros povos e que não obedecem às leis do rei; não convém ao rei tolerá-
los...decrete a destruição deles...o rei tirou seu anel-selo do dedo, deu-o a Hamã...e
lhe disse...faça com o povo o que você achar melhor"...Hamã ordenou que
escrevessem cartas na língua e na escrita de cada povo aos sátrapas do rei, aos
governadores das várias províncias e aos chefes de cada povo. Tudo foi escrito em
nome do rei Xerxes e selado com o seu anel.”
Et 7.1-9 “Então o rei e Hamã foram ao banquete com a rainha Ester, e, enquanto
estavam bebendo vinho no segundo dia, o rei perguntou de novo: "Rainha Ester,
qual é o seu pedido?...a rainha Ester respondeu...poupe a minha vida e a vida do
meu povo...fomos vendidos para destruição, morte e aniquilação...Xerxes perguntou
...Quem se atreveu a uma coisa dessas? Onde está ele?“ Respondeu Ester: "O
adversário e inimigo é Hamã, esse perverso".
Diante disso, Hamã ficou apavorado na presença do rei e da rainha. Furioso, o rei
levantou-se, deixou o vinho...” alguns oficiais cobriram o rosto de Hamã.E um deles
..disse: "Há uma forca de mais de vinte metros de altura junto à casa de Hamã, que
ele fez para Mardoqueu, que intercedeu pela vida do rei". Então o rei ordenou:
"Enforquem-no nela"
Et 8.7-9 “O rei Xerxes respondeu à rainha Ester e ao judeu Mardoqueu: "Mandei
enforcar Hamã e dei os seus bens a Ester porque ele atentou contra os judeus.
Escrevam agora outro decreto em nome do rei, em favor dos judeus...”
Et 9.5-14 “Os judeus feriram todos os seus inimigos à espada, matando-os e
destruindo-os, e fizeram o que quiseram com os seus inimigos... os dez filhos
de Hamã...e os corpos dos dez filhos de Hamã foram pendurados na forca.”
Os judeus fazem um paralelo com relação aos nazistas executados após o
julgamento de Nuremberg, os chamados 10 filhos de Hitler, todos foram enforcados
Três cadafalsos foram instalados no
presídio de Nuremberg para a execução
de dez penas de morte contra
representantes do regime nazista.
https://www.dw.com/pt-br/1946-executados-os-nazistas-
condenados-pelo-tribunal-de-nurembergue/a-313801
Et 9.20-22 “Mardoqueu...enviou cartas a todos os judeus...determinando que
anualmente se comemorassem...pois, nesse mês a sua tristeza tornou-
se em alegria, e o seu pranto, num dia de festa...e de alegria, de troca
de presentes e de ofertas aos pobres.”
No mês de Adar (Fevereiro/Março) há a festa judaica do Purim (sorte).
A leitura pública do Livro de Ester é feita duas vezes e se comem biscoitos de
formato triangular chamados de oznei Hamã, “orelhas de Hamã”, da-se dinheiro
aos pobres, trocam-se presentes e bebe-se vinho; as crianças recebem uma matraca
e toda vez que o nome de Hamã é mencionado na leitura, são giradas, vaiam e
batem os pés no chão.
473 aC – Morre Xerxes I e Artaxerxes II assume o reinado da Pérsia por 39 anos
Cognominado “mão longa”, pois tinha a mão direita mais comprida que a esquerda
467 aC - Esdras retorna a Jerusalém com 1754 pessoas, 76 anos depois de Zorobabel
Ed 7.12 “Artaxerxes, rei dos reis, "Ao sacerdote Esdras, escriba da Lei do Deus dos
céus: "Paz e prosperidade! "Estou decretando que qualquer israelita em meu reino,
inclusive sacerdotes e levitas, que desejar ir a Jerusalém com você, poderá fazê-lo.
Você está sendo enviado ... para fazer uma investigação* em Judá e em Jerusalém
com respeito à Lei do seu Deus, que está nas suas mãos.” * “olheiro do rei”
467 aC– Os judeus despedem as mulheres estrangeiras.
Ed 10.3 “Façamos agora um acordo diante do nosso Deus, e mandemos de volta
todas essas mulheres e seus filhos”
446 aC - Ne 1.11 “Senhor, que os teus ouvidos estejam atentos à oração deste teu
servo e à oração dos teus servos que têm prazer em temer o teu nome.
Faze que hoje este teu servo seja bem sucedido, concedendo-lhe a
benevolência deste homem. Nessa época, eu era o copeiro do rei.”
Neemias, nasceu na Babilônia*, era copeiro, bebia e comia antes do rei, não tinha
nenhuma autoridade, mas tinha influência e a confiança da casa real.
*Da última deportação (593) ao retorno de Neemias à Babilônia (441), são 152 anos
Quando Neemias chega em Jerusalém Esdras era o sacerdote que ensinava a lei e
neste momento havia a oposição das autoridades na reconstrução do templo.
Ne 2.4-6 “O rei me disse: "O que você gostaria de pedir? " Então orei ao Deus dos
céus, e respondi ao rei: "Se for do agrado do rei ...me deixe ir à cidade de Judá onde
meus pais estão enterrados, para que eu possa reconstruí-la. Então o rei, com a
rainha sentada ao seu lado, perguntou-me: "Quanto tempo levará a viagem?
Quando você voltará? " Marquei um prazo com o rei, e ele concordou que eu fosse.".
“O trabalho do líder é levar os outros a fazerem o que não querem, e ainda
gostarem de fazê-lo.” Harry Truman
Ne 2.7,8 “...Se for do agrado do rei, que me dê cartas aos governadores do Trans-
Eufrates para que me deixem passar...uma carta para Asafe, guarda da floresta do
rei, para que ele me forneça madeira para ...portas da cidadela...muro da cidade e
da residência que irei ocupar....o rei atendeu os meus pedidos.”
Característica: um servo de Deus que busca a liderança com um propósito, se
prepara para a empreitada.
454 aC – Neemias retorna para Jerusalém e inicia a reconstrução dos muros e portas.
Ne 2.1,17;6.15 “No...vigésimo ano do rei Artaxerxes... vamos reconstruir o muro de
Jerusalém, para que não fiquemos mais nesta situação humilhante... O
muro ficou pronto no dia vinte e cinco de elul, em cinqüenta e dois dias.”
441 aC - Neemias retorna para Babilônia por breve tempo
Ne 13.6 "Mas, enquanto tudo isso estava acontecendo, eu não estava em Jerusalém,
pois no 32º ano do reinado de Artaxerxes, rei da Babilônia, voltei ao rei.
Algum tempo depois pedi sua permissão e voltei para Jerusalém.”
434 aC– Morre Artaxerxes II
Os livros de Esdras, Neemias e Ester encerram o
RELATO DA HISTÓRIA DO POVO DE DEUS NO AT.
O A.T. terminará 100 anos após a volta do cativeiro
INÍCIO DO PERÍODO INTERTESTAMENTÁRIO
Esdras e Neemias
https://www.youtube.com/watch?v=
TTVEz3s22yE&list=PLsDpUPJTUcXEh
w6rCZF7EZDapThr6o0KP&index=15
CONCLUINDO: Israel voltou para Jerusalém em 543 aC, mas nunca teve paz:
- Primeiro vieram os gregos em 333 aC,
- Depois, em 63 aC, os romanos dominam Judá, e Jerusalém cai no ano 70 dC,
- Em 638 dC os muçulmanos tomam Jerusalém por 500 anos,
- Em 1095 dC os cruzados iniciaram uma fase de guerras e destruições, que durou
até o império Otomano tomar Jerusalém em 1517 dC e manter o controle da
cidade até 1917 dC,quando os ingleses conquistam a cidade,
- Em 1947 dC, a ONU divide o território palestino em dois estados: judeu e árabe,
- Em maio de 1948 dC, a ONU cria o Estado de Israel,
- ... e hoje, ... continua a falta de paz.
Jo 5.42,43 “mas CONHEÇO VOCÊS. Sei que VOCÊS NÃO TÊM O AMOR DE
DEUS. Eu vim em nome de meu Pai, e VOCÊS NÃO ME ACEITARAM;”
LIÇÃO DE CASA
Ester: https://www.youtube.com/watch?v=0ZLyAPhbORU
Daniel: https://www.youtube.com/watch?v=pfsmbv0L0bo
AVALIAÇÃO DA DISCIPLINA:
https://forms.gle/pBx8Ay5BBugqis657
28
29
O que é o facilitador e o aluno na EBD
Eu li os comentaristas
e informo este
conhecimento de modo
organizado.
Eu estou
interessado nas
informações que
o facilitador tem a
apresentar.
1. Bíblia NVI – Editora Vida – 2000
2. Bíblia de Estudo Arqueológica NVI – Kunz André Claiton e outros – Ed. Vida – 2013
3. Comentário Bíblico do professor – Lawrence Richards – 3ª Ed. Vida - SP
4. Revista Compromisso - impressa pela Convicção Editora
5. A Bíblia da Liderança Cristã - John C. Maxwell –Ed. SBB – 2ª Ed
6. A monarquia em Israel – João S. da Fonseca – 2ª Ed. JUERP – RJ
7. E a Bíblia Tinha Razão – Werner Keller-Ed Melhoramentos – 3ª Ed. - 2012
8. Reflexões extraídas da World Wide Web
Esta apresentação está disponível no site: www.escolabiblicavirtual.com.br
31
32
33
No ano de 1596, William Shakespeare escreveu o livro O Mercador de Veneza.
O nobre Bassânio está falido e precisa de dinheiro para cortejar uma rica e bela
herdeira.
Um amigo se dispõe a ajudar, o mercador Antônio que pede empréstimo por três
meses a um agiota judeu.
O judeu vê nessa negociação a oportunidade de se vingar
de Antônio, um cristão, que várias vezes o ofendera por
sua origem judaica, e oferece a quantia solicitada sem
cobrar juros, mas estabelece uma cláusula de multa: se
não pagasse na data estipulada seriam retiradas 500gr de
carne do peito de Antônio.
34
Uma tempestade em alto mar levou o navio de Antônio a naufragar e o mercador
falido não cumpre sua obrigação por um fato que fugiu de seu controle, apesar de
saber dos riscos de navegar naquelas águas, pois outros navios já tinham
naufragado, mas negligenciou esse fato.
O judeu acionou a justiça para cobrar o seu direito e, para defender Antônio, Pórcia
se disfarça de advogado e propõe uma solução: 500gr de carne, mas nenhuma gota
de sangue, já que o contrato não detalhava como seria feita a cobrança.
O juiz deu a sentença desfavorável ao credor.
O Mercador de Veneza propõe algumas reflexões sobre:
a) A vingança, amizade, interesse, intolerância religiosa, negligência e o valor de um
contrato bem feito.
b) O desprezo de Antônio pelo judeu é compreensível?
c) O desejo de vingança do judeu é justificável?
d) O objetivo de Bassânio em se casar com uma mulher rica, é digno?
e) A mulher para trabalhar precisa se passar por homem?

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

O livro de josué
O livro de josuéO livro de josué
O livro de josuémbrandao7
 
Reis e Profetas - Aula 3
Reis e Profetas - Aula 3Reis e Profetas - Aula 3
Reis e Profetas - Aula 3Moisés Sampaio
 
86 estudo panorâmico da bíblia (o livro de obadias)
86   estudo panorâmico da bíblia (o livro de obadias)86   estudo panorâmico da bíblia (o livro de obadias)
86 estudo panorâmico da bíblia (o livro de obadias)Robson Tavares Fernandes
 
10 - panorama do AT - daniel, esdras, ester e neemias.pptx
10 - panorama do AT - daniel, esdras, ester e neemias.pptx10 - panorama do AT - daniel, esdras, ester e neemias.pptx
10 - panorama do AT - daniel, esdras, ester e neemias.pptxPIB Penha
 
Daniel 2 estatua -como vc nunca viu
Daniel 2   estatua -como vc nunca viuDaniel 2   estatua -como vc nunca viu
Daniel 2 estatua -como vc nunca viuEfraim Ben Tzion
 
5. levítico
5. levítico5. levítico
5. levíticombrandao7
 
Apostasia do reino de Israel
Apostasia do reino de IsraelApostasia do reino de Israel
Apostasia do reino de IsraelMárcio Pereira
 
Lição 1 - Daniel nosso contemporâneo - 4ºTri.2014
Lição 1 - Daniel nosso contemporâneo - 4ºTri.2014Lição 1 - Daniel nosso contemporâneo - 4ºTri.2014
Lição 1 - Daniel nosso contemporâneo - 4ºTri.2014Pr. Andre Luiz
 
IBADEP BÁSICO PROFETAS MENORES AULA 1 - OSÉIAS, JOÉL E AMÓS
IBADEP BÁSICO PROFETAS MENORES AULA 1 - OSÉIAS, JOÉL E AMÓSIBADEP BÁSICO PROFETAS MENORES AULA 1 - OSÉIAS, JOÉL E AMÓS
IBADEP BÁSICO PROFETAS MENORES AULA 1 - OSÉIAS, JOÉL E AMÓSRubens Sohn
 

Mais procurados (20)

LIVROS HISTÓRICOS (AULA 02 - BÁSICO - IBADEP)
LIVROS HISTÓRICOS (AULA 02 - BÁSICO - IBADEP)LIVROS HISTÓRICOS (AULA 02 - BÁSICO - IBADEP)
LIVROS HISTÓRICOS (AULA 02 - BÁSICO - IBADEP)
 
O livro de josué
O livro de josuéO livro de josué
O livro de josué
 
Reis e Profetas - Aula 3
Reis e Profetas - Aula 3Reis e Profetas - Aula 3
Reis e Profetas - Aula 3
 
30. O Livro do profeta Jeremias
30. O Livro do  profeta Jeremias30. O Livro do  profeta Jeremias
30. O Livro do profeta Jeremias
 
10. O Livro de Josué
10. O Livro de Josué10. O Livro de Josué
10. O Livro de Josué
 
86 estudo panorâmico da bíblia (o livro de obadias)
86   estudo panorâmico da bíblia (o livro de obadias)86   estudo panorâmico da bíblia (o livro de obadias)
86 estudo panorâmico da bíblia (o livro de obadias)
 
Panorama do novo testamento
Panorama do novo testamentoPanorama do novo testamento
Panorama do novo testamento
 
7. O Livro de Levítico
7. O Livro de Levítico7. O Livro de Levítico
7. O Livro de Levítico
 
54 Estudo Panorâmico da Bíblia (Esdras)
54   Estudo Panorâmico da Bíblia (Esdras)54   Estudo Panorâmico da Bíblia (Esdras)
54 Estudo Panorâmico da Bíblia (Esdras)
 
10 - panorama do AT - daniel, esdras, ester e neemias.pptx
10 - panorama do AT - daniel, esdras, ester e neemias.pptx10 - panorama do AT - daniel, esdras, ester e neemias.pptx
10 - panorama do AT - daniel, esdras, ester e neemias.pptx
 
Daniel 2 estatua -como vc nunca viu
Daniel 2   estatua -como vc nunca viuDaniel 2   estatua -como vc nunca viu
Daniel 2 estatua -como vc nunca viu
 
29. O profeta Isaías
29. O profeta Isaías29. O profeta Isaías
29. O profeta Isaías
 
PENTATEUCO - Aula 05
PENTATEUCO - Aula 05PENTATEUCO - Aula 05
PENTATEUCO - Aula 05
 
O Livro de Esdras
O Livro de EsdrasO Livro de Esdras
O Livro de Esdras
 
32. O Profeta Ezequiel
32. O Profeta Ezequiel32. O Profeta Ezequiel
32. O Profeta Ezequiel
 
5. levítico
5. levítico5. levítico
5. levítico
 
Apostasia do reino de Israel
Apostasia do reino de IsraelApostasia do reino de Israel
Apostasia do reino de Israel
 
39. O Profeta Miquéias
39. O Profeta Miquéias39. O Profeta Miquéias
39. O Profeta Miquéias
 
Lição 1 - Daniel nosso contemporâneo - 4ºTri.2014
Lição 1 - Daniel nosso contemporâneo - 4ºTri.2014Lição 1 - Daniel nosso contemporâneo - 4ºTri.2014
Lição 1 - Daniel nosso contemporâneo - 4ºTri.2014
 
IBADEP BÁSICO PROFETAS MENORES AULA 1 - OSÉIAS, JOÉL E AMÓS
IBADEP BÁSICO PROFETAS MENORES AULA 1 - OSÉIAS, JOÉL E AMÓSIBADEP BÁSICO PROFETAS MENORES AULA 1 - OSÉIAS, JOÉL E AMÓS
IBADEP BÁSICO PROFETAS MENORES AULA 1 - OSÉIAS, JOÉL E AMÓS
 

Semelhante a 15 o retorno do cativeiro babilonico.ppt

14 periodo do cativeiro e a restauracao de juda
14  periodo do cativeiro e a restauracao de juda14  periodo do cativeiro e a restauracao de juda
14 periodo do cativeiro e a restauracao de judaPIB Penha
 
A Restauração De Israel
A Restauração De IsraelA Restauração De Israel
A Restauração De IsraelJUERP
 
10 periodo do cativeiro de israel, da queda de juda e seu retorno
10  periodo do cativeiro de israel, da queda de juda e seu retorno10  periodo do cativeiro de israel, da queda de juda e seu retorno
10 periodo do cativeiro de israel, da queda de juda e seu retornoPIB Penha
 
12 esdras e neemias
12  esdras e neemias12  esdras e neemias
12 esdras e neemiasPIB Penha
 
7 periodo da instalacao de israel em canaa e juizes
7  periodo da instalacao de israel em canaa e juizes7  periodo da instalacao de israel em canaa e juizes
7 periodo da instalacao de israel em canaa e juizesPIB Penha
 
13 periodo do reino dividido ate a queda de juda
13  periodo do reino dividido ate a queda de juda13  periodo do reino dividido ate a queda de juda
13 periodo do reino dividido ate a queda de judaPIB Penha
 
Daniel e Apocalipse - Disponível em www.portadesiao.blogspot.com
Daniel e Apocalipse - Disponível em www.portadesiao.blogspot.comDaniel e Apocalipse - Disponível em www.portadesiao.blogspot.com
Daniel e Apocalipse - Disponível em www.portadesiao.blogspot.comleitemel
 
Os livros de Esdras e Neemias
Os livros de Esdras e NeemiasOs livros de Esdras e Neemias
Os livros de Esdras e Neemiasmbrandao7
 
9 - panorama do AT - 1 e 2 cronicas e Rute.ppt
9 - panorama do AT - 1 e 2 cronicas e Rute.ppt9 - panorama do AT - 1 e 2 cronicas e Rute.ppt
9 - panorama do AT - 1 e 2 cronicas e Rute.pptPIB Penha
 
10 periodo de israel em canaa e juizes
10  periodo de israel em canaa e juizes10  periodo de israel em canaa e juizes
10 periodo de israel em canaa e juizesPIB Penha
 
Livro de Daniel cap 1
Livro de Daniel cap 1Livro de Daniel cap 1
Livro de Daniel cap 1sousajoca
 
11 1 e 2 crônicas
11   1 e 2 crônicas11   1 e 2 crônicas
11 1 e 2 crônicasPIB Penha
 
Babil+önia ber+ºo da civiliza+º+úo
Babil+önia     ber+ºo da civiliza+º+úoBabil+önia     ber+ºo da civiliza+º+úo
Babil+önia ber+ºo da civiliza+º+úoPrLinaldo Junior
 
15 - panorama do AT - Isaias.pptx
15 - panorama do AT - Isaias.pptx15 - panorama do AT - Isaias.pptx
15 - panorama do AT - Isaias.pptxPIB Penha
 
Geografia bíblica conflitos no oriente médio
Geografia bíblica   conflitos no oriente médioGeografia bíblica   conflitos no oriente médio
Geografia bíblica conflitos no oriente médioFabrício Almeida
 
Geografia bíblica conflitos no oriente médio
Geografia bíblica   conflitos no oriente médioGeografia bíblica   conflitos no oriente médio
Geografia bíblica conflitos no oriente médioFabrício Almeida
 

Semelhante a 15 o retorno do cativeiro babilonico.ppt (20)

14 periodo do cativeiro e a restauracao de juda
14  periodo do cativeiro e a restauracao de juda14  periodo do cativeiro e a restauracao de juda
14 periodo do cativeiro e a restauracao de juda
 
Esdras (moody)
Esdras (moody)Esdras (moody)
Esdras (moody)
 
A Restauração De Israel
A Restauração De IsraelA Restauração De Israel
A Restauração De Israel
 
LIVROS HISTÓRICOS (AULA 05 - BÁSICO - IBADEP)
LIVROS HISTÓRICOS (AULA 05 - BÁSICO - IBADEP)LIVROS HISTÓRICOS (AULA 05 - BÁSICO - IBADEP)
LIVROS HISTÓRICOS (AULA 05 - BÁSICO - IBADEP)
 
10 periodo do cativeiro de israel, da queda de juda e seu retorno
10  periodo do cativeiro de israel, da queda de juda e seu retorno10  periodo do cativeiro de israel, da queda de juda e seu retorno
10 periodo do cativeiro de israel, da queda de juda e seu retorno
 
12 esdras e neemias
12  esdras e neemias12  esdras e neemias
12 esdras e neemias
 
7 periodo da instalacao de israel em canaa e juizes
7  periodo da instalacao de israel em canaa e juizes7  periodo da instalacao de israel em canaa e juizes
7 periodo da instalacao de israel em canaa e juizes
 
13 periodo do reino dividido ate a queda de juda
13  periodo do reino dividido ate a queda de juda13  periodo do reino dividido ate a queda de juda
13 periodo do reino dividido ate a queda de juda
 
Daniel e Apocalipse - Disponível em www.portadesiao.blogspot.com
Daniel e Apocalipse - Disponível em www.portadesiao.blogspot.comDaniel e Apocalipse - Disponível em www.portadesiao.blogspot.com
Daniel e Apocalipse - Disponível em www.portadesiao.blogspot.com
 
Os livros de Esdras e Neemias
Os livros de Esdras e NeemiasOs livros de Esdras e Neemias
Os livros de Esdras e Neemias
 
9 - panorama do AT - 1 e 2 cronicas e Rute.ppt
9 - panorama do AT - 1 e 2 cronicas e Rute.ppt9 - panorama do AT - 1 e 2 cronicas e Rute.ppt
9 - panorama do AT - 1 e 2 cronicas e Rute.ppt
 
10 periodo de israel em canaa e juizes
10  periodo de israel em canaa e juizes10  periodo de israel em canaa e juizes
10 periodo de israel em canaa e juizes
 
Livro de Daniel cap 1
Livro de Daniel cap 1Livro de Daniel cap 1
Livro de Daniel cap 1
 
11 1 e 2 crônicas
11   1 e 2 crônicas11   1 e 2 crônicas
11 1 e 2 crônicas
 
Babil+önia ber+ºo da civiliza+º+úo
Babil+önia     ber+ºo da civiliza+º+úoBabil+önia     ber+ºo da civiliza+º+úo
Babil+önia ber+ºo da civiliza+º+úo
 
15 - panorama do AT - Isaias.pptx
15 - panorama do AT - Isaias.pptx15 - panorama do AT - Isaias.pptx
15 - panorama do AT - Isaias.pptx
 
Geografia bíblica conflitos no oriente médio
Geografia bíblica   conflitos no oriente médioGeografia bíblica   conflitos no oriente médio
Geografia bíblica conflitos no oriente médio
 
Geografia bíblica conflitos no oriente médio
Geografia bíblica   conflitos no oriente médioGeografia bíblica   conflitos no oriente médio
Geografia bíblica conflitos no oriente médio
 
Primeiras Civilizações - Os Hebreu
Primeiras Civilizações - Os HebreuPrimeiras Civilizações - Os Hebreu
Primeiras Civilizações - Os Hebreu
 
Aula IWE - NT.pptx
Aula IWE - NT.pptxAula IWE - NT.pptx
Aula IWE - NT.pptx
 

Mais de PIB Penha - SP

Início das missões mundiais Cap 11 ao 13.pptx
Início das missões mundiais Cap 11 ao 13.pptxInício das missões mundiais Cap 11 ao 13.pptx
Início das missões mundiais Cap 11 ao 13.pptxPIB Penha - SP
 
A conversão mais importante da história e A perseguição e a dispersão da igreja
A conversão mais importante da história e A perseguição e a dispersão da igrejaA conversão mais importante da história e A perseguição e a dispersão da igreja
A conversão mais importante da história e A perseguição e a dispersão da igrejaPIB Penha - SP
 
A escolha dos sete diáconos e a prisão e morte de Estêvão
A escolha dos sete diáconos e a prisão e morte de EstêvãoA escolha dos sete diáconos e a prisão e morte de Estêvão
A escolha dos sete diáconos e a prisão e morte de EstêvãoPIB Penha - SP
 
3- Cap 3 e 5.10 - Um milagre e um sermão/ primeira oposição dos líderes relig...
3- Cap 3 e 5.10 - Um milagre e um sermão/ primeira oposição dos líderes relig...3- Cap 3 e 5.10 - Um milagre e um sermão/ primeira oposição dos líderes relig...
3- Cap 3 e 5.10 - Um milagre e um sermão/ primeira oposição dos líderes relig...PIB Penha - SP
 
4- Cap 5.11 a 8.1 a ESCOLHA DOS SETE DIÁCONOS / PRISÃO E MORTE DE ESTEVÃO
4- Cap 5.11 a 8.1 a ESCOLHA DOS SETE DIÁCONOS / PRISÃO E MORTE DE ESTEVÃO4- Cap 5.11 a 8.1 a ESCOLHA DOS SETE DIÁCONOS / PRISÃO E MORTE DE ESTEVÃO
4- Cap 5.11 a 8.1 a ESCOLHA DOS SETE DIÁCONOS / PRISÃO E MORTE DE ESTEVÃOPIB Penha - SP
 
Livro de Atos dos Apóstolos capítulos 1 e 2
Livro de Atos dos Apóstolos capítulos 1 e 2Livro de Atos dos Apóstolos capítulos 1 e 2
Livro de Atos dos Apóstolos capítulos 1 e 2PIB Penha - SP
 
18 Deuteronômio 27 - 34.pptx
18 Deuteronômio 27 - 34.pptx18 Deuteronômio 27 - 34.pptx
18 Deuteronômio 27 - 34.pptxPIB Penha - SP
 
17 Deuteronomio 5 - 26.pptx
17 Deuteronomio 5 - 26.pptx17 Deuteronomio 5 - 26.pptx
17 Deuteronomio 5 - 26.pptxPIB Penha - SP
 
16 Deuteronomio 1 - 4.pptx
16 Deuteronomio 1 - 4.pptx16 Deuteronomio 1 - 4.pptx
16 Deuteronomio 1 - 4.pptxPIB Penha - SP
 
15 Numeros 23 - 36.ppt
15 Numeros 23 - 36.ppt15 Numeros 23 - 36.ppt
15 Numeros 23 - 36.pptPIB Penha - SP
 
14 Numeros 12 - 22.ppt
14 Numeros 12 - 22.ppt14 Numeros 12 - 22.ppt
14 Numeros 12 - 22.pptPIB Penha - SP
 
14 Numeros 1 - 14.pptx
14 Numeros 1 - 14.pptx14 Numeros 1 - 14.pptx
14 Numeros 1 - 14.pptxPIB Penha - SP
 
12 Levitico 17 - 27.ppt
12 Levitico 17 - 27.ppt12 Levitico 17 - 27.ppt
12 Levitico 17 - 27.pptPIB Penha - SP
 
11 levitico 1 - 16.pptx
11 levitico 1 - 16.pptx11 levitico 1 - 16.pptx
11 levitico 1 - 16.pptxPIB Penha - SP
 
7 Exodo 1-12 PUBLICAR.pptx
7 Exodo 1-12 PUBLICAR.pptx7 Exodo 1-12 PUBLICAR.pptx
7 Exodo 1-12 PUBLICAR.pptxPIB Penha - SP
 

Mais de PIB Penha - SP (20)

Início das missões mundiais Cap 11 ao 13.pptx
Início das missões mundiais Cap 11 ao 13.pptxInício das missões mundiais Cap 11 ao 13.pptx
Início das missões mundiais Cap 11 ao 13.pptx
 
A conversão mais importante da história e A perseguição e a dispersão da igreja
A conversão mais importante da história e A perseguição e a dispersão da igrejaA conversão mais importante da história e A perseguição e a dispersão da igreja
A conversão mais importante da história e A perseguição e a dispersão da igreja
 
A escolha dos sete diáconos e a prisão e morte de Estêvão
A escolha dos sete diáconos e a prisão e morte de EstêvãoA escolha dos sete diáconos e a prisão e morte de Estêvão
A escolha dos sete diáconos e a prisão e morte de Estêvão
 
3- Cap 3 e 5.10 - Um milagre e um sermão/ primeira oposição dos líderes relig...
3- Cap 3 e 5.10 - Um milagre e um sermão/ primeira oposição dos líderes relig...3- Cap 3 e 5.10 - Um milagre e um sermão/ primeira oposição dos líderes relig...
3- Cap 3 e 5.10 - Um milagre e um sermão/ primeira oposição dos líderes relig...
 
4- Cap 5.11 a 8.1 a ESCOLHA DOS SETE DIÁCONOS / PRISÃO E MORTE DE ESTEVÃO
4- Cap 5.11 a 8.1 a ESCOLHA DOS SETE DIÁCONOS / PRISÃO E MORTE DE ESTEVÃO4- Cap 5.11 a 8.1 a ESCOLHA DOS SETE DIÁCONOS / PRISÃO E MORTE DE ESTEVÃO
4- Cap 5.11 a 8.1 a ESCOLHA DOS SETE DIÁCONOS / PRISÃO E MORTE DE ESTEVÃO
 
Livro de Atos dos Apóstolos capítulos 1 e 2
Livro de Atos dos Apóstolos capítulos 1 e 2Livro de Atos dos Apóstolos capítulos 1 e 2
Livro de Atos dos Apóstolos capítulos 1 e 2
 
18 Deuteronômio 27 - 34.pptx
18 Deuteronômio 27 - 34.pptx18 Deuteronômio 27 - 34.pptx
18 Deuteronômio 27 - 34.pptx
 
17 Deuteronomio 5 - 26.pptx
17 Deuteronomio 5 - 26.pptx17 Deuteronomio 5 - 26.pptx
17 Deuteronomio 5 - 26.pptx
 
16 Deuteronomio 1 - 4.pptx
16 Deuteronomio 1 - 4.pptx16 Deuteronomio 1 - 4.pptx
16 Deuteronomio 1 - 4.pptx
 
15 Numeros 23 - 36.ppt
15 Numeros 23 - 36.ppt15 Numeros 23 - 36.ppt
15 Numeros 23 - 36.ppt
 
14 Numeros 12 - 22.ppt
14 Numeros 12 - 22.ppt14 Numeros 12 - 22.ppt
14 Numeros 12 - 22.ppt
 
14 Numeros 1 - 14.pptx
14 Numeros 1 - 14.pptx14 Numeros 1 - 14.pptx
14 Numeros 1 - 14.pptx
 
12 Levitico 17 - 27.ppt
12 Levitico 17 - 27.ppt12 Levitico 17 - 27.ppt
12 Levitico 17 - 27.ppt
 
11 levitico 1 - 16.pptx
11 levitico 1 - 16.pptx11 levitico 1 - 16.pptx
11 levitico 1 - 16.pptx
 
10 Exodo 31 -40.pptx
10 Exodo 31 -40.pptx10 Exodo 31 -40.pptx
10 Exodo 31 -40.pptx
 
9 Exodo 21 -30.pptx
9 Exodo 21 -30.pptx9 Exodo 21 -30.pptx
9 Exodo 21 -30.pptx
 
8 Exodo 13 - 20.pptx
8 Exodo 13 - 20.pptx8 Exodo 13 - 20.pptx
8 Exodo 13 - 20.pptx
 
10 Exodo 31 -40.pdf
10 Exodo 31 -40.pdf10 Exodo 31 -40.pdf
10 Exodo 31 -40.pdf
 
9 Exodo 21 -30.pdf
9 Exodo 21 -30.pdf9 Exodo 21 -30.pdf
9 Exodo 21 -30.pdf
 
7 Exodo 1-12 PUBLICAR.pptx
7 Exodo 1-12 PUBLICAR.pptx7 Exodo 1-12 PUBLICAR.pptx
7 Exodo 1-12 PUBLICAR.pptx
 

Último

AUXADO_1TRIM_2024.pdf ESCOLA SABATINA 2024
AUXADO_1TRIM_2024.pdf ESCOLA SABATINA 2024AUXADO_1TRIM_2024.pdf ESCOLA SABATINA 2024
AUXADO_1TRIM_2024.pdf ESCOLA SABATINA 2024RaniereSilva14
 
Roteiro-para-Preparação-das-Visitas-Missionárias-3.pdf
Roteiro-para-Preparação-das-Visitas-Missionárias-3.pdfRoteiro-para-Preparação-das-Visitas-Missionárias-3.pdf
Roteiro-para-Preparação-das-Visitas-Missionárias-3.pdfLehonanSouza
 
Lição 1 - O início da caminhada - CPAD.pptx
Lição 1 - O início da caminhada - CPAD.pptxLição 1 - O início da caminhada - CPAD.pptx
Lição 1 - O início da caminhada - CPAD.pptxCelso Napoleon
 
O concílio de Jerusalém Cap 14 e 15.pptx
O concílio de Jerusalém  Cap 14 e 15.pptxO concílio de Jerusalém  Cap 14 e 15.pptx
O concílio de Jerusalém Cap 14 e 15.pptxPIB Penha
 
LIÇÃO 02 - JOVENS - Escola Bíblica Dominical
LIÇÃO 02 - JOVENS - Escola Bíblica DominicalLIÇÃO 02 - JOVENS - Escola Bíblica Dominical
LIÇÃO 02 - JOVENS - Escola Bíblica DominicalAmaroJunior21
 
slide da missa com leituras e oração eucarística
slide da missa com leituras e oração eucarísticaslide da missa com leituras e oração eucarística
slide da missa com leituras e oração eucarísticaFranklinOliveira30
 
Lição 2 - A Escolha entre a Porta Estreita e a Porta Larga.pptx
Lição 2 - A Escolha entre a Porta Estreita e a Porta Larga.pptxLição 2 - A Escolha entre a Porta Estreita e a Porta Larga.pptx
Lição 2 - A Escolha entre a Porta Estreita e a Porta Larga.pptxCelso Napoleon
 

Último (8)

AUXADO_1TRIM_2024.pdf ESCOLA SABATINA 2024
AUXADO_1TRIM_2024.pdf ESCOLA SABATINA 2024AUXADO_1TRIM_2024.pdf ESCOLA SABATINA 2024
AUXADO_1TRIM_2024.pdf ESCOLA SABATINA 2024
 
Roteiro-para-Preparação-das-Visitas-Missionárias-3.pdf
Roteiro-para-Preparação-das-Visitas-Missionárias-3.pdfRoteiro-para-Preparação-das-Visitas-Missionárias-3.pdf
Roteiro-para-Preparação-das-Visitas-Missionárias-3.pdf
 
Lição 1 - O início da caminhada - CPAD.pptx
Lição 1 - O início da caminhada - CPAD.pptxLição 1 - O início da caminhada - CPAD.pptx
Lição 1 - O início da caminhada - CPAD.pptx
 
O concílio de Jerusalém Cap 14 e 15.pptx
O concílio de Jerusalém  Cap 14 e 15.pptxO concílio de Jerusalém  Cap 14 e 15.pptx
O concílio de Jerusalém Cap 14 e 15.pptx
 
LIÇÃO 02 - JOVENS - Escola Bíblica Dominical
LIÇÃO 02 - JOVENS - Escola Bíblica DominicalLIÇÃO 02 - JOVENS - Escola Bíblica Dominical
LIÇÃO 02 - JOVENS - Escola Bíblica Dominical
 
slide da missa com leituras e oração eucarística
slide da missa com leituras e oração eucarísticaslide da missa com leituras e oração eucarística
slide da missa com leituras e oração eucarística
 
O Livro dos Espiritos - Allan Kardec.pdf
O Livro dos Espiritos - Allan Kardec.pdfO Livro dos Espiritos - Allan Kardec.pdf
O Livro dos Espiritos - Allan Kardec.pdf
 
Lição 2 - A Escolha entre a Porta Estreita e a Porta Larga.pptx
Lição 2 - A Escolha entre a Porta Estreita e a Porta Larga.pptxLição 2 - A Escolha entre a Porta Estreita e a Porta Larga.pptx
Lição 2 - A Escolha entre a Porta Estreita e a Porta Larga.pptx
 

15 o retorno do cativeiro babilonico.ppt

  • 1. MONARQUIA DE ISRAEL – Características de liderança 15ª aula -O retorno do cativeiro babilônico 1 EBD - ESCOLA BÍBLICA DISCIPULADORA – 2021 – 2º SEMESTRE Facilitadores: Dr. Eliel Cardoso e Eng. Francisco Tudela Daniel, Ester, Esdras e Neemias Ed 2.1 “Esta é a lista dos homens da província que Nabucodonosor, rei da Babilônia, tinha levado prisioneiros para a Babilônia. Eles voltaram para Jerusalém e Judá, CADA UM PARA A SUA PRÓPRIA CIDADE.” Ed 3.1 “Quando chegou o sétimo mês e OS ISRAELITAS JÁ ESTAVAM EM SUAS CIDADES, o povo SE REUNIU como um só homem EM JERUSALÉM.”
  • 2. Período: Velho Testamento *Datas aproximadas 434 a.C. CONTEXTO SOCIAL Jr 29.4-7 “Assim diz o Senhor...a todos os exilados, que deportei...para a Babilônia: "Construam casas ...plantem...Casem-se e tenham filhos... escolham mulheres para casar-se com seus filhos e deem as suas filhas em casamento, para que também tenham filhos e filhas. Multipliquem-se e não diminuam. Busquem a prosperidade..” Livros da Bíblia: 1 e 2 Reis, 1 e 2 Crônicas, Ester, Ageu, Esdras, Neemias 589 a.C. Fim de Judá, Cativeiro e Restauração Profetas contemporâneos Obadias, Jeremias, Naum, Sofonias, Daniel, Ezequiel, Habacuque
  • 3. Gregoriano Evento Ref. 546 aC Ciro, rei da Pérsia, toma a Babilônia 543 aC Ciro liberta do cativeiro Ed 1.1-3 543 aC 1º retorno com Zorobabel Ed 2.64,65 542 aC Início da reconstrução do Templo Ed 3.8 541 aC a 528 aC Reconstrução do Templo interrompida 13 anos Ed 4.24 537 aC Morre Ciro e assume Cambises (Artaxerxes I) 529 aC Morre Cambises e Dario é o novo rei da Pérsia 529 aC As obras do Templo são retomadas Ed 5.1 529 aC Dario é questionado sobre as obras Ed 5.6-17 DARIO O MEDO, construiu Pasárgada, uma capital persa, hoje sul do Irã. Vou-me embora pra Pasárgada / Lá sou amigo do rei.../ Em Pasárgada tem tudo / É outra civilização / Tem telefone automático ... [Manuel Bandeira -1930]
  • 4. Gregoriano Evento Ref. 528 aC Dario autoriza a continuidade das obras Ed 4.24 528 aC Zorobabel governador de Judá Ag 1.1 524 aC Termina a reconstrução do Templo Ed 6.15 493 aC Morre Dario e assume Assuero (Xerxes I) 493 aC Assuero (Xerxes I), Imperador da Pérsia. O Livro de Ester 491 aC Início dos acontecimentos do livro de Ester Et 1.3 488 aC Batalha em que Assuero é derrotado pelos gregos 487 aC Ester é levada à presença de Assuero Et 2.16 482 aC Hamã pede o extermínio dos judeus Et 3.7-9 482 aC Decreto de Assuero para extermínio dos judeus Et 3.13 482 aC Hamã e os inimigos dos judeus enforcados Et 7.10; 9.16 482 aC Instituição da celebração do Purim Et 9.21-26
  • 5. Gregoriano Evento Ref. 473 aC Morte de Xerxes I 473 aC Artaxerxes I rei da Pérsia 467 aC 2º retorno com Esdras 76 anos após Zorobabel Ed 8.31 467 aC Os judeus despedem suas mulheres estrangeiras Ed 10 454 aC Ordem para a reconstrução de Jerusalém Ne 2.1-6 454 aC 3º retorno com Neemias, 13 anos após Esdras Ne 2.1-6 453 aC Neemias inicia reconstrução dos muros de Jerusalém Ne 2.18 441 aC Neemias termina a reconstrução dos muros Ne 5.14-6:15 441 aC Neemias retorna à Babilônia por breve tempo 434 aC Morre Artaxerxes I
  • 6. LINHA DO TEMPO DE DANIEL, ESDRAS, NEEMIAS E ESTER 550 AC 525 AC 500 AC 475 AC 450 AC 425 AC ACONTECIMENTOS REGISTRADOS EM ESDRAS (537 A 458 AC) ACONTECIMENTOS REGISTRADOS EM NEEMIAS (444 A 425 AC) ACONTECIMENTOS REGISTRADOS EM ESTER (483 A 471 AC) 537 AC – ZOROBABEL LIDERA O 1º REGRESSO DE EXILADOS (ED 1-6) 458 AC – ESDRAS LIDERA O 2º REGRESSO DE EXILADOS (ED 7-10) Tratam da restauração política, geográfica, patrimonial, econômica, conjugal, moral, nacional e espiritual, de um povo que por mais de sete décadas perdera de vista as suas origens e valores, perdera sua identidade como nação. Jr 39.10 “Somente alguns dos mais pobres do povo, que nada tinham, Nebuzaradã... deixou para trás em Judá. E, naquela ocasião, ele lhes deu vinhas e campos.". ACONTECIMENTOS REGISTRADOS EM DANIEL (548 A 456 AC)
  • 7. Da 1ª deportação (612 aC) até o retorno à Jerusalém (543 aC e estima-se que na Babilônia, após 70 anos, os judeus já eram 1milhão de pessoas. Dominavam o comércio e as atividades bancárias, como o "Murashu & Filhos“ um banco fundado em 587 aC, com sede em Nippur, com uma taxa de juros de 20%. O Murashu & Filhos pode ser considerado o modelo de atividade disponibilizada aos exilados judeus, sua profissão por excelência, e assim continuará até hoje. (pg. 335 - https://portalconservador.com/livros/Werner-Keller-E-a-Biblia-tinha-razao.pdf) Na Europa medieval, dominada pelos católicos, uma das poucas ocupações que os judeus podiam exercer era a de agiota, já que aos cristãos era proibido a usura. Hitler culpa os judeus pela miséria econômica Alemã na depressão de 1920: "Vive entre nós uma raça estrangeira, que não pretende nem consegue sacrificar seu caráter racial ou negar suas ambições. O judeu é uma tuberculose racial para as nações“ Adolf Hitler, ex-soldado em 1920 Shakespeare, em O mercador de Veneza, mostra como o judeu se tornou uma figura odiada. (ler o adendo) Tábua de negócios de Murashu&Filhos Fonte MetropolitanMuseum of Art - NY
  • 8. Neste período viveram muitos pensadores, como:  Na Índia, Gautama Buddha (563-486)  Na China, Confúcio (551-479)  Na Grécia, Sócrates (469), Platão (427), Aristóteles (384), Zaratustra (628-551)
  • 9.
  • 10. A Palestina pertencia à Satrápia Transeufrates (Síria, Fenícia, Canaã e Chipre). Após a destruição de Jerusalém, em 587 aC pelos babilônios, três reis emitiram decretos autorizando o retorno dos judeus de todo o império persa. Ciro em 538 aC, Dario em 519 aC e Artaxerxes em 457 aC. 546 aC - Dn 5.1,5,8,13,25,29-31 “...o rei Belsazar deu um grande banquete... apareceram dedos de mão humana...a escrever no reboco da parede... os sábios... não conseguiram ler...Daniel foi levado à presença do rei... "Esta é a inscrição que foi feita: MENE, MENE, TEQUEL, PARSIM.... por ordem de Belsazar, vestiram Daniel ... o proclamaram o terceiro em importância no governo do reino. Naquela mesma noite Belsazar, rei dos babilônios, foi morto...” Dn 6.28 “Assim Daniel prosperou durante os reinados de Dario e de Ciro, o persa.”
  • 11. 180 anos antes, em 722 aC, Isaias profetiza sobre Ciro e seu decreto Is 44.28 “(Eu sou o Senhor)...que diz acerca de Ciro: ‘Ele é meu pastor, e realizará tudo o que me agrada; ele dirá acerca de Jerusalém: "Seja reconstruída", e do templo: "Sejam lançados os seus alicerces” Jr 29.10 “Assim diz o Senhor: "Quando se completarem os setenta anos da Babilônia, eu cumprirei a minha promessa ...de trazê-los de volta ...“ 543 aC – 1º ano de Ciro autoriza o 1º grupo a retornar para Jerusalém com Zorobabel Ed 1.1,2 “ No 1º ano do reinado de Ciro, rei da Pérsia, a fim de que se cumprisse a palavra do Senhor falada por Jeremias..."Assim diz Ciro, rei da Pérsia: "O Senhor, o Deus dos céus, deu-me todos os reinos da terra e designou-me para construir um templo para ele em Jerusalém de Judá.” Ne 12.1 “Estes foram os sacerdotes e os levitas que voltaram com Zorobabel, filho de Sealtiel, e com Jesua: Seraías, Jeremias, Esdras,”
  • 12. 542 aC - Início da reconstrução do Templo Ed 3.8 “No segundo mês do segundo ano depois de chegarem ao templo de Deus em Jerusalém, Zorobabel... Começaram...a construção do templo do Senhor.” De 541 aC a 528 aC - A construção do templo é interrompida (13 anos) Ed 4.24 “...a obra do templo de Deus em Jerusalém foi interrompida, e ficou parada até o segundo ano do reinado de Dario...” 537 aC - Morre Ciro O túmulo de Ciro nas ruínas da antiga Pasárgada, hoje Irã.
  • 13. O cilindro de Ciro Trechos traduzidos do cilindro “Devolvi a estas cidades sagradas... Cujos santuários estão em ruínas há muito tempo, as imagens que viviam neles e estabeleci para elas santuários permanentes. Reuni (também) todos os seus habitantes (anteriores) e lhes devolvi suas habitações... Que todos os deuses que restabeleci nas suas cidades santas peçam diariamente a Bel e a Nebo que eu tenha uma vida longa...” Os direitos humanos estabelecidos por Ciro foram mantidos pelos reis que o sucederam. De argila com escrita cuneiforme em acadiano, foi achado em 1879; tido como a 1ª carta dos direitos humanos; está no British Museum Em 1971 foi traduzido nas seis línguas oficiais das Nações Unidas, seus princípios são análogos aos primeiros artigos da Declaração Universal dos Direitos Humanos. Ciro libertou os escravos, deu liberdade religiosa à todos e haveria igualdade racial.
  • 14. 537 aC a 529 aC - Cambises (Artaxerxes l), governará a Pérsia por 9 anos Foi a ele que os inimigos de Israel endereçaram a carta citada em Ed 4.11-24 recomendando que fizesse parar as obras de reconstrução do Templo de Jerusalém. Diferentemente do pai, historiadores o descrevem como alguém de má índole, que matou o irmão e a irmã grávida, Roxana, com quem era casado. Heródoto sugere que Cambises feriu-se com sua espada ao montar seu cavalo. Dario, o grande, foi um de seus generais, e assumiu o poder após sua morte. 529 aC a 493 aC – Morre Cambises e Dario, o Grande governará a Pérsia por 36 anos Flávio Josefo (História dos Hebreus, Vol. 3, pg 313) diz que Dario, antes de se tornar rei, já era amigo de Zorobabel e lhe prometera retomar as obras de reconstrução do Templo que estavam paradas há 13 anos. 529 aC - Ed 5.2 “Zorobabel... começaram a reconstruir o templo... em Jerusalém”
  • 15. 529 aC – 1º ano de Dario, o grande - Daniel é colocado na cova dos leões Dn 6.1,2,7,10,13,16 “Dario achou por bem nomear cento e vinte sátrapas para governarem todo o reino; e colocou três supervisores sobre eles, um dos quais era Daniel... o rei deve emitir um decreto ordenando que todo aquele que orar a qualquer deus ou a qualquer homem nos próximos trinta dias, exceto a ti, ó rei, seja atirado na cova dos leões,... Quando Daniel soube que o decreto tinha sido publicado, foi para casa, para o seu quarto, no andar de cima, onde as janelas davam para Jerusalém. Três vezes por dia ele se ajoelhava e orava*, agradecendo ao seu Deus, como costumava fazer. Então disseram ao rei: "Daniel, um dos exilados de Judá, não te dá ouvidos, ó rei, nem ao decreto que assinaste. Ele continua orando três vezes por dia”... Então o rei deu ordens, e eles trouxeram Daniel e o jogaram na cova dos leões” * Orientação desde Salomão 964 aC - 1Rs 8.30,42 “... quando orarem voltados para este lugar...quando ele vier e orar voltado para este templo,” Sl 55.16,17 “... clamo a Deus... À tarde, pela manhã e ao meio-dia” – Salmo de Davi No Islamismo ora-se 5 vezes ao dia voltado para Meca.
  • 16. 528 aC -Zorobabel governador de Judá Ag 1.1 “...ao governador de Judá, Zorobabel ...” 524 aC – Após 18 anos finda a reforma do templo. Ed 6.15 “O templo foi concluído...no sexto ano do reinado do rei Dario.” Herodes, o Grande, remodela o templo com o propósito de agradar a Júlio César, e na muralha constrói a Torre Antónia para uma guarnição romana ter acesso ao interior do pátio do Templo. Começou no ano 20 aC e acabou no ano 27dC, um ano antes de Jesus ser batizado. Esta reforma era considerada por muitos judeus como uma profanação. Templo de Salomão O Templo reformado por Zorobabel ficou 1/3 maior, porém era mais simples.
  • 17. 493 aC - Morre Dario, o grande, e assume Assuero (Xerxes I) 491 aC - início dos acontecimentos do livro de Ester Et 1.1-17,18,22 “...Xerxes...deu um banquete a todos os seus nobres e seus oficiais.... O rei Xerxes ordenou que a rainha Vasti fosse à sua presença, mas ela não foi...Hoje mesmo as mulheres persas e medas da nobreza que ficarem sabendo do comportamento da rainha agirão da mesma maneira... Isso provocará desrespeito e discórdia... enviou cartas... Em sua própria língua, proclamando que cada homem deveria mandar em sua própria casa.” 488 aC – Xerxes l é derrotado pelos gregos na batalha de Termópilas e em Salamina.” No ano 493 aC Daniel, no 1º ano de Dario, profetizara esta derrota. (Dn 11) 487 aC – Ester levada à presença de Xerxes l Et 2.16 Et 2.16,17 “Ela foi levada ao rei Xerxes ...no 7º ano do seu reinado. Ora, o rei gostou mais de Ester...e tornou-a rainha no lugar de Vasti.”
  • 18. 482 aC - Et 6.1-3 “Naquela noite o rei não conseguiu dormir; por isso ordenou que..lessem para ele...E foi lido o registro de que Mardoqueu tinha denunciado Bigtã e Teres, dois dos oficiais do rei que guardavam a entrada do Palácio, que haviam conspirado para assassinar o rei Xerxes. "Que honra e reconhecimento Mardoqueu recebeu por isso? ", perguntou o rei. Seus oficiais responderam: "Nada lhe foi feito". Et 3.7-12 “...lançaram o pur, isto é a sorte, na presença de Hamã para escolher um dia e um mês para executar o plano, e foi sorteado o décimo segundo mês, o mês de adar. Então Hamã disse ao rei Xerxes: "Existe certo povo disperso e espalhado entre os povos de todas as províncias de teu império, cujos costumes são diferentes dos de todos os outros povos e que não obedecem às leis do rei; não convém ao rei tolerá- los...decrete a destruição deles...o rei tirou seu anel-selo do dedo, deu-o a Hamã...e lhe disse...faça com o povo o que você achar melhor"...Hamã ordenou que escrevessem cartas na língua e na escrita de cada povo aos sátrapas do rei, aos governadores das várias províncias e aos chefes de cada povo. Tudo foi escrito em nome do rei Xerxes e selado com o seu anel.”
  • 19. Et 7.1-9 “Então o rei e Hamã foram ao banquete com a rainha Ester, e, enquanto estavam bebendo vinho no segundo dia, o rei perguntou de novo: "Rainha Ester, qual é o seu pedido?...a rainha Ester respondeu...poupe a minha vida e a vida do meu povo...fomos vendidos para destruição, morte e aniquilação...Xerxes perguntou ...Quem se atreveu a uma coisa dessas? Onde está ele?“ Respondeu Ester: "O adversário e inimigo é Hamã, esse perverso". Diante disso, Hamã ficou apavorado na presença do rei e da rainha. Furioso, o rei levantou-se, deixou o vinho...” alguns oficiais cobriram o rosto de Hamã.E um deles ..disse: "Há uma forca de mais de vinte metros de altura junto à casa de Hamã, que ele fez para Mardoqueu, que intercedeu pela vida do rei". Então o rei ordenou: "Enforquem-no nela"
  • 20. Et 8.7-9 “O rei Xerxes respondeu à rainha Ester e ao judeu Mardoqueu: "Mandei enforcar Hamã e dei os seus bens a Ester porque ele atentou contra os judeus. Escrevam agora outro decreto em nome do rei, em favor dos judeus...” Et 9.5-14 “Os judeus feriram todos os seus inimigos à espada, matando-os e destruindo-os, e fizeram o que quiseram com os seus inimigos... os dez filhos de Hamã...e os corpos dos dez filhos de Hamã foram pendurados na forca.” Os judeus fazem um paralelo com relação aos nazistas executados após o julgamento de Nuremberg, os chamados 10 filhos de Hitler, todos foram enforcados Três cadafalsos foram instalados no presídio de Nuremberg para a execução de dez penas de morte contra representantes do regime nazista. https://www.dw.com/pt-br/1946-executados-os-nazistas- condenados-pelo-tribunal-de-nurembergue/a-313801
  • 21. Et 9.20-22 “Mardoqueu...enviou cartas a todos os judeus...determinando que anualmente se comemorassem...pois, nesse mês a sua tristeza tornou- se em alegria, e o seu pranto, num dia de festa...e de alegria, de troca de presentes e de ofertas aos pobres.” No mês de Adar (Fevereiro/Março) há a festa judaica do Purim (sorte). A leitura pública do Livro de Ester é feita duas vezes e se comem biscoitos de formato triangular chamados de oznei Hamã, “orelhas de Hamã”, da-se dinheiro aos pobres, trocam-se presentes e bebe-se vinho; as crianças recebem uma matraca e toda vez que o nome de Hamã é mencionado na leitura, são giradas, vaiam e batem os pés no chão. 473 aC – Morre Xerxes I e Artaxerxes II assume o reinado da Pérsia por 39 anos Cognominado “mão longa”, pois tinha a mão direita mais comprida que a esquerda
  • 22. 467 aC - Esdras retorna a Jerusalém com 1754 pessoas, 76 anos depois de Zorobabel Ed 7.12 “Artaxerxes, rei dos reis, "Ao sacerdote Esdras, escriba da Lei do Deus dos céus: "Paz e prosperidade! "Estou decretando que qualquer israelita em meu reino, inclusive sacerdotes e levitas, que desejar ir a Jerusalém com você, poderá fazê-lo. Você está sendo enviado ... para fazer uma investigação* em Judá e em Jerusalém com respeito à Lei do seu Deus, que está nas suas mãos.” * “olheiro do rei” 467 aC– Os judeus despedem as mulheres estrangeiras. Ed 10.3 “Façamos agora um acordo diante do nosso Deus, e mandemos de volta todas essas mulheres e seus filhos”
  • 23. 446 aC - Ne 1.11 “Senhor, que os teus ouvidos estejam atentos à oração deste teu servo e à oração dos teus servos que têm prazer em temer o teu nome. Faze que hoje este teu servo seja bem sucedido, concedendo-lhe a benevolência deste homem. Nessa época, eu era o copeiro do rei.” Neemias, nasceu na Babilônia*, era copeiro, bebia e comia antes do rei, não tinha nenhuma autoridade, mas tinha influência e a confiança da casa real. *Da última deportação (593) ao retorno de Neemias à Babilônia (441), são 152 anos Quando Neemias chega em Jerusalém Esdras era o sacerdote que ensinava a lei e neste momento havia a oposição das autoridades na reconstrução do templo.
  • 24. Ne 2.4-6 “O rei me disse: "O que você gostaria de pedir? " Então orei ao Deus dos céus, e respondi ao rei: "Se for do agrado do rei ...me deixe ir à cidade de Judá onde meus pais estão enterrados, para que eu possa reconstruí-la. Então o rei, com a rainha sentada ao seu lado, perguntou-me: "Quanto tempo levará a viagem? Quando você voltará? " Marquei um prazo com o rei, e ele concordou que eu fosse.". “O trabalho do líder é levar os outros a fazerem o que não querem, e ainda gostarem de fazê-lo.” Harry Truman Ne 2.7,8 “...Se for do agrado do rei, que me dê cartas aos governadores do Trans- Eufrates para que me deixem passar...uma carta para Asafe, guarda da floresta do rei, para que ele me forneça madeira para ...portas da cidadela...muro da cidade e da residência que irei ocupar....o rei atendeu os meus pedidos.” Característica: um servo de Deus que busca a liderança com um propósito, se prepara para a empreitada.
  • 25. 454 aC – Neemias retorna para Jerusalém e inicia a reconstrução dos muros e portas. Ne 2.1,17;6.15 “No...vigésimo ano do rei Artaxerxes... vamos reconstruir o muro de Jerusalém, para que não fiquemos mais nesta situação humilhante... O muro ficou pronto no dia vinte e cinco de elul, em cinqüenta e dois dias.” 441 aC - Neemias retorna para Babilônia por breve tempo Ne 13.6 "Mas, enquanto tudo isso estava acontecendo, eu não estava em Jerusalém, pois no 32º ano do reinado de Artaxerxes, rei da Babilônia, voltei ao rei. Algum tempo depois pedi sua permissão e voltei para Jerusalém.” 434 aC– Morre Artaxerxes II Os livros de Esdras, Neemias e Ester encerram o RELATO DA HISTÓRIA DO POVO DE DEUS NO AT. O A.T. terminará 100 anos após a volta do cativeiro INÍCIO DO PERÍODO INTERTESTAMENTÁRIO
  • 27. CONCLUINDO: Israel voltou para Jerusalém em 543 aC, mas nunca teve paz: - Primeiro vieram os gregos em 333 aC, - Depois, em 63 aC, os romanos dominam Judá, e Jerusalém cai no ano 70 dC, - Em 638 dC os muçulmanos tomam Jerusalém por 500 anos, - Em 1095 dC os cruzados iniciaram uma fase de guerras e destruições, que durou até o império Otomano tomar Jerusalém em 1517 dC e manter o controle da cidade até 1917 dC,quando os ingleses conquistam a cidade, - Em 1947 dC, a ONU divide o território palestino em dois estados: judeu e árabe, - Em maio de 1948 dC, a ONU cria o Estado de Israel, - ... e hoje, ... continua a falta de paz. Jo 5.42,43 “mas CONHEÇO VOCÊS. Sei que VOCÊS NÃO TÊM O AMOR DE DEUS. Eu vim em nome de meu Pai, e VOCÊS NÃO ME ACEITARAM;”
  • 28. LIÇÃO DE CASA Ester: https://www.youtube.com/watch?v=0ZLyAPhbORU Daniel: https://www.youtube.com/watch?v=pfsmbv0L0bo AVALIAÇÃO DA DISCIPLINA: https://forms.gle/pBx8Ay5BBugqis657 28
  • 29. 29 O que é o facilitador e o aluno na EBD Eu li os comentaristas e informo este conhecimento de modo organizado. Eu estou interessado nas informações que o facilitador tem a apresentar.
  • 30.
  • 31. 1. Bíblia NVI – Editora Vida – 2000 2. Bíblia de Estudo Arqueológica NVI – Kunz André Claiton e outros – Ed. Vida – 2013 3. Comentário Bíblico do professor – Lawrence Richards – 3ª Ed. Vida - SP 4. Revista Compromisso - impressa pela Convicção Editora 5. A Bíblia da Liderança Cristã - John C. Maxwell –Ed. SBB – 2ª Ed 6. A monarquia em Israel – João S. da Fonseca – 2ª Ed. JUERP – RJ 7. E a Bíblia Tinha Razão – Werner Keller-Ed Melhoramentos – 3ª Ed. - 2012 8. Reflexões extraídas da World Wide Web Esta apresentação está disponível no site: www.escolabiblicavirtual.com.br 31
  • 32. 32
  • 33. 33 No ano de 1596, William Shakespeare escreveu o livro O Mercador de Veneza. O nobre Bassânio está falido e precisa de dinheiro para cortejar uma rica e bela herdeira. Um amigo se dispõe a ajudar, o mercador Antônio que pede empréstimo por três meses a um agiota judeu. O judeu vê nessa negociação a oportunidade de se vingar de Antônio, um cristão, que várias vezes o ofendera por sua origem judaica, e oferece a quantia solicitada sem cobrar juros, mas estabelece uma cláusula de multa: se não pagasse na data estipulada seriam retiradas 500gr de carne do peito de Antônio.
  • 34. 34 Uma tempestade em alto mar levou o navio de Antônio a naufragar e o mercador falido não cumpre sua obrigação por um fato que fugiu de seu controle, apesar de saber dos riscos de navegar naquelas águas, pois outros navios já tinham naufragado, mas negligenciou esse fato. O judeu acionou a justiça para cobrar o seu direito e, para defender Antônio, Pórcia se disfarça de advogado e propõe uma solução: 500gr de carne, mas nenhuma gota de sangue, já que o contrato não detalhava como seria feita a cobrança. O juiz deu a sentença desfavorável ao credor. O Mercador de Veneza propõe algumas reflexões sobre: a) A vingança, amizade, interesse, intolerância religiosa, negligência e o valor de um contrato bem feito. b) O desprezo de Antônio pelo judeu é compreensível? c) O desejo de vingança do judeu é justificável? d) O objetivo de Bassânio em se casar com uma mulher rica, é digno? e) A mulher para trabalhar precisa se passar por homem?