atencaobasica.org.br
Aprendizagem Social e Aprendizagem
Colaborativa
através de comunidades de práticas
Você já pensou como
acontece um processo
processo de
aprendizagem?
Quando nos propomos a realizar ações de educação, é importante
refletirmos sobre qual é o nosso entendimento sobre o proce...
O processo ensino e aprendizagem baseia-se em metodologias desenvolvidas em
diversas concepções epistemológicas, orientand...
Como as tecnologias
podem ser usadas
na concepção ensino e
aprendizagem?
O computador pode ser usado de diferentes formas, refletindo as diversas teorias que
embasam a proposta educativa. Pode se...
Por quê?
Vamos falar da perspetiva interacionista.
Ela é a que mais tem contribuído para
desenvolver processos de aprendiz...
● Nessa concepção, busca-se romper a hierarquia das relações professor-aluno
e superar a ideia de que o professor só ensin...
Vamos relembrar ?
● Comunidades de práticas são grupos de pessoas que compartilham um interesse
comum sobre um assunto ou problema e aprende...
Teoria da Aprendizagem Social:
compreensões que podem nos ajudar a refletir sobre como se dá a
aprendizagem nas comunidade...
Teoria da Aprendizagem Social
● A aprendizagem social é a aprendizagem colaborativa que se dá por meio do contato e
de ass...
É possível ensinar e aprender ao
mesmo tempo?
Aprendizagem colaborativa:
quando ensinar e aprender é um
processo coletivo!
Aprendizagem colaborativa
● A aprendizagem colaborativa ocorre a partir de um trabalho conjunto
entre dois ou mais indivíd...
Como a interação
por meio do uso de
tecnologias contribui
na construção
de processos de
aprendizagem?
● As comunidades dão suporte à aprendizagem colaborativa, permitindo aos alunos a
formação de redes, o ensino entre os par...
● Essas tecnologias proporcionam o suporte necessário para que ocorra a interação do
aprendiz com o tutor e com outros apr...
A aprendizagem social em comunidades
Wenger, um importante pensador sobre comunidades de prática, destaca
algumas das pers...
Referências
● BANDURA, A. (1977) Social Learning Theory. New York: General Learning Press
● KIRKWOOD, K. 2006. If they bui...
Dúvidas? Envie e-mail para:
contato@atencaobasica.org.br
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

3.2.2.

153 visualizações

Publicada em

TesteTesteTesteTeste Teste TesteTesteTesteTesteTeste Teste TesteTesteTesteTesteTeste Teste TesteTesteTesteTesteTeste Teste Teste

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
153
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
11
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
1
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

3.2.2.

  1. 1. atencaobasica.org.br Aprendizagem Social e Aprendizagem Colaborativa através de comunidades de práticas
  2. 2. Você já pensou como acontece um processo processo de aprendizagem?
  3. 3. Quando nos propomos a realizar ações de educação, é importante refletirmos sobre qual é o nosso entendimento sobre o processo ensino e aprendizagem. ● Esse processo diz respeito à forma como as pessoas constroem conhecimentos, competências e comportamentos; ● para isso, muitas metodologias podem ser empregadas, baseadas em concepções epistemológicas distintas, ou seja, há uma diversidade de teorias que procuram explicar como as pessoas constroem seus conhecimentos, e as práticas utilizadas no processo de aprender e ensinar estão intimamente relacionadas a elas; ● dessas concepções teóricas e metodológicas resultam diferentes práticas pedagógicas. Você já pensou sobre qual é a sua?
  4. 4. O processo ensino e aprendizagem baseia-se em metodologias desenvolvidas em diversas concepções epistemológicas, orientando diferentes modelos educacionais e práticas pedagógicas. As três principais concepções epistemológicas são: ● concepção apriorista: nessa concepção, acredita-se que o conhecimento está no sujeito e precisa ser despertado; ● concepção empirista: nessa concepção, o professor detém o conhecimento e o transmite ao aluno. O aluno é visto como uma “tábula rasa”, e de forma passiva recebe o conhecimento pronto; e ● concepção interacionista: nessa concepção, o conhecimento é resultado das interações. (Mussoi, Flores e Behar, 2007)
  5. 5. Como as tecnologias podem ser usadas na concepção ensino e aprendizagem?
  6. 6. O computador pode ser usado de diferentes formas, refletindo as diversas teorias que embasam a proposta educativa. Pode ser usado como “máquina de ensinar”, refletindo um modelo empirista, e pode ser usado em Comunidades Virtuais de Aprendizagem, refletindo um modelo interacionista. (Mussoi, Flores e Behar, 2007)
  7. 7. Por quê? Vamos falar da perspetiva interacionista. Ela é a que mais tem contribuído para desenvolver processos de aprendizagem nas Comunidades de Práticas.
  8. 8. ● Nessa concepção, busca-se romper a hierarquia das relações professor-aluno e superar a ideia de que o professor só ensina, e o estudante só aprende. ● O professor oportuniza relações com as informações, favorece processos de mediação e promove problematizações. ● Mais do que o próprio sujeito ou o objeto de aprendizagem, são as ações do sujeito que realmente importam no processo de aprendizagem interacionista. E, coletivamente, são as interações que promovem o processo de aprender e ensinar.
  9. 9. Vamos relembrar ?
  10. 10. ● Comunidades de práticas são grupos de pessoas que compartilham um interesse comum sobre um assunto ou problema e aprendem com interações regulares. (WENGER, 2008). ● Mais do que comunidades de aprendizes, as comunidades podem ser “comunidades que aprendem”, pois são compostas por pessoas que têm o compromisso de agregar as melhores práticas. (WENGER, 2008). ● O contato e a interação entre os membros deve possibilitar a troca de informações e conhecimentos, que, ao serem postos em prática pelos outros membros, auxiliam na busca de soluções.
  11. 11. Teoria da Aprendizagem Social: compreensões que podem nos ajudar a refletir sobre como se dá a aprendizagem nas comunidades de prática
  12. 12. Teoria da Aprendizagem Social ● A aprendizagem social é a aprendizagem colaborativa que se dá por meio do contato e de associações regulares com outros indivíduos. (BANDURA, 1977). ● Princípios básicos: ○ as pessoas aprendem observando o que as outras fazem; ○ o mesmo conjunto de estímulos pode provocar respostas diferentes de pessoas diferentes ou das mesmas pessoas em momentos diferentes; ○ o mundo e o comportamento de uma pessoa estão conectados; ○ a personalidade é uma interação entre três fatores: o meio ambiente, o comportamento e os processos psicológicos de uma pessoa.
  13. 13. É possível ensinar e aprender ao mesmo tempo? Aprendizagem colaborativa: quando ensinar e aprender é um processo coletivo!
  14. 14. Aprendizagem colaborativa ● A aprendizagem colaborativa ocorre a partir de um trabalho conjunto entre dois ou mais indivíduos, que, através da troca de ideias e conhecimentos, geram novas ideias e conhecimentos de forma coletiva. (DILLENBOURG, 1995). ● Componentes básicos: o critérios: para definir uma situação, simetria, divisão de tarefas, gerando padrões de interação; o interações: disparam mecanismos cognitivos que geram efeitos cognitivos (troca, negociação, etc.); o processos: background, modelagem mútua, indução, carga cognitiva; e o efeitos: resultado dos processos sobre o objeto de aprendizagem (ideia, produto, conhecimento, interação).
  15. 15. Como a interação por meio do uso de tecnologias contribui na construção de processos de aprendizagem?
  16. 16. ● As comunidades dão suporte à aprendizagem colaborativa, permitindo aos alunos a formação de redes, o ensino entre os pares e a construção de projetos conjuntamente. As ferramentas disponíveis permitem que o foco pedagógico seja a interação. (KIRKWOOD, 2006). ● Um dos grandes avanços dos modelos de formação que utilizam ambientes virtuais, deve-se à incorporação das Tecnologias da Informação e de elementos pedagógicos provenientes de teorias de aprendizagem social.
  17. 17. ● Essas tecnologias proporcionam o suporte necessário para que ocorra a interação do aprendiz com o tutor e com outros aprendizes. ● Dessa forma, os alunos tornam-se agentes ativos do próprio processo de ensino e aprendizagem, e os professores, facilitadores da construção e da apropriação do conhecimento pelos alunos. (Quiroz, 2010)
  18. 18. A aprendizagem social em comunidades Wenger, um importante pensador sobre comunidades de prática, destaca algumas das perspectivas da aprendizagem social: ● é inerente à natureza humana; o homem é um ser social por natureza; ● está centrada na habilidade de negociar novos significados, através da comunicação e da ressignificação das nossas experiências; ● é fundamentalmente social e baseada em experiências individuais (observação) e coletivas (interação); ● transforma a nossa identidade pela reflexão da percepção em grupo; ● é uma questão de energia social e força; é preciso um envolvimento cognitivo no processo colaborativo, ou seja, todos devem querer participar e ter um objetivo em comum; e ● envolve a interação entre o local (experiências e habilidades individuais) e o global (construção coletiva e conhecimento do grupo).
  19. 19. Referências ● BANDURA, A. (1977) Social Learning Theory. New York: General Learning Press ● KIRKWOOD, K. 2006. If they build it, they will come: creating opportunities for E-learning communities of practice. Universitas 21 Conference on E-learning and pedagogy. ● MUSSOI, E., FLORES, M., BEHAR, P. 2007. Comunidades virtuais: um novo espaço de aprendizagem. ● QUIROZ, J. El rol del tutor en los entornos virtuales de aprendizaje. Innovación Educativa, v. 10(52), jul- set, pp. 13-23. 2010. ● RIBEIRO, A. M., SILVA, J. L. T, BOFF, E., VICARI, R. 2011. Dos ambientes de aprendizagem às comunidades de práticas. Anais do XXII SBIE-WIE. ● WENGER, E. (2008) Communities of practice: a brief introduction. Disponível em: www.ewenger.com/theory/index.htm. Acesso: jun/2010. ● WENGER, E. (2000) Communities of Practice and Social Learning Systems. Wenger Organization. ● WOOLF, B.P. (org). (2010) A Roadmap for Education Technology. Global Resources for Online Education (GROE).
  20. 20. Dúvidas? Envie e-mail para: contato@atencaobasica.org.br

×