Aula: Mastologia mama patologia molecular

1.742 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.742
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
271
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
47
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Aula: Mastologia mama patologia molecular

  1. 1. Patologiamolecular nocâncer de mamaDra. Andréa Rodrigues Cordovil PiresProf. Faculdade de Medicina da UFFDiretora Fonte Medicina Diagnóstica
  2. 2. Patologia mamáriaMétodosPatologia molecular no câncer de mamaAndréa Rodrigues Cordovil PiresAnatomia Patológicawww.inca.gov.br/publicacoes/Consensointegra.pdf2012
  3. 3. Patologia mamáriaMétodosPatologia molecular no câncer de mamaAndréa Rodrigues Cordovil PiresImuno-histoquímicaHibridização “in situ”Fluorescente - FISHCromogênica – CISH e SISHReação em cadeia da polimerase – PCRSequenciamento gênico / DNA microarray
  4. 4. Patologia molecular no câncer de mamaPatologia cirúrgicaPatologia molecular no câncer de mamaAndréa Rodrigues Cordovil PiresExameanatomo-patológico éATO MÉDICO!macroscopia clivagem processamento inclusão - parafinacoloração desparafinização microtomia blocolâminas microscopia laudo histopatológicoExame Histopatológico
  5. 5. Patologia molecularMétodosPatologia molecular no câncer de mamaAndréa Rodrigues Cordovil PiresFormaldeído (formol, formalina)• Fixador coagulativo utilizado rotineiramente - altera aestrutura terciária das proteínas por causar ligaçõescruzadas estáveis entre proteínas, que podem serrevertidas. A fixação ideal é obtida com solução deformol tamponado a 10% por 24-48 horas. Umafixação mais prolongada ou com pH muito ácido podediminuir a imuno-reatividade do material e até causarresultado falso-negativo. A demora em colocar otecido no formol ou a fixação de fragmentos muitograndes também pode ter o mesmo efeito, além deprejudicar a histopatologia devido à autólise.• Se não for possível o preparo de formol tamponado,utilize pelo menos a solução de formol-salina a 10%:100 ml formaldeído p.a. (37-40%)900 ml de solução fisiológica 0,9%
  6. 6. Patologia molecularMétodosPatologia molecular no câncer de mamaAndréa Rodrigues Cordovil PiresImuno-histoquímicaAntígeno celular pesquisado= proteínaAnticorpo primárioComplexo anticorpo secundário + polímeroCromógeno + substratoCarcinoma de mama - IHQ HER2 3+
  7. 7. Patologia molecularMétodosPatologia molecular no câncer de mamaAndréa Rodrigues Cordovil PiresHibridização “in situ”Fluorescente - FISHCromogênica – CISH e SISHhttp://mydbio.comhttp://histotox.fr/mediaFISHHER2exibindoamplificaçãogênica–relaçãoHER2:CEN17>2.2cópiasporcélula.ExamesrealizadosnolaboratórioFonteMD.Marcador fluorescente Sonda marcadaAnticorpo secundárioAnticorpo primárioMarcador cromogênicoSonda marcada
  8. 8. Patologia molecularMétodosPatologia molecular no câncer de mamaAndréa Rodrigues Cordovil PiresReação em cadeia da polimerase – PCRhttp://www.genome.gov/dmd/http://www.mun.ca/biology/http://corporatelaw.jdsupra.com/
  9. 9. Patologia molecularMétodosPatologia molecular no câncer de mamaAndréa Rodrigues Cordovil PiresSequenciamento gênico e microarray de DNAhttp://www.genome.gov/dmd/
  10. 10. Patologia molecular no câncer de mamaClassificação molecular por Imuno-histoquímicaPatologia molecular no câncer de mamaAndréa Rodrigues Cordovil PiresReceptores hormonais, HER2/c-erbB-2 e Ki-67 –permitem a CLASSIFICAÇÃO MOLECULAR
  11. 11. Patologia molecular no câncer de mamaClassificação molecular por Imuno-histoquímicaPatologia molecular no câncer de mamaAndréa Rodrigues Cordovil Pires
  12. 12. Patologia molecular no câncer de mamaClassificação molecular por Imuno-histoquímicaPatologia molecular no câncer de mamaAndréa Rodrigues Cordovil PiresBoa resposta com hormonioterapiaPior resposta com hormonioterapia,relacionado a recidiva tumoralBoa resposta com imunoterapiaPior prognóstico, sem alvo terapêuticoespecíficoLUMINAL ARE e/ou RP positivo HER2 negativo Ki-67 menor que 14%LUMINAL BRE e/ou RP positivo HER2 positivo Ki-67 maior que 14%HER2RE negativo HER2 positivo Ki-67 variávelBASALRE e RP negativos HER2 negativo CK basal positivaOU
  13. 13. Patologia molecular no câncer de mamaClassificação molecular por Imuno-histoquímica: HER2 duvidoso= 2+Andréa Rodrigues Cordovil PiresPatologia molecular no câncer de mamaHER2 negativo= 1+ HER2 duvidoso= 2+ HER2 positivo= 3+Amostra da paciente (histo ou cito)imuno-terapiaFISH HER2 negativo FISH HER2 positivo
  14. 14. Patologia molecular no câncer de mamaHibridização “in situ” fluorescente – FISH para HER2Patologia molecular no câncer de mamaAndréa Rodrigues Cordovil PiresPadrão-ouro: o SISH e o CISH, quando comparados ao FISH possuempossibilidade de resultados falso-negativos em 2 a 5% dos casosDetermina número de cópias do gene HER2 e docromossomo 17• relação HER2:CEN17 maior que 2.2= amplificação• relação HER2:CEN17 menor ou igual a 2= sem amplificação• relação HER2:CEN17 entre 2 e 2.2= duvidosoAmplificação indica imunoterapiaExame de alto custo: necessidade de microscópio com lâmpadas,filtros, câmera e software específicos; equipamentos e reagentes de altocusto; controle de qualidade internacional
  15. 15. Patologia molecular no câncer de mamaReceptor do Fator de crescimento epidérmico humano - HER2 / c-erbB-2 / Her2-neuPatologia molecular no câncer de mamaAndréa Rodrigues Cordovil PiresTumor: associa-se aproliferação celular,apoptose, adesão,migração ediferenciaçãoCarcinomas HER2+:pior prognóstico edoença maisagressivaMama: 15-25%amplificação ousuperexpressão HER2
  16. 16. Patologia molecular no câncer de mamaReceptor do Fator de crescimento epidérmico humano - HER2 / c-erbB-2 / Her2-neuPatologia molecular no câncer de mamaAndréa Rodrigues Cordovil PiresTumor: associa-se aproliferação celular,apoptose, adesão,migração ediferenciaçãoCarcinomas HER2+:pior prognóstico edoença maisagressivaMama: 15-25%amplificação ousuperexpressão HER2
  17. 17. FISH – Hibridização “in situ” fluorescenteTécnica• XXXFISH - Hibridização "in situ" fluorescenteAndréa Rodrigues Cordovil Pireshttp://www.dako.com/br/index/knowledgecenter/kc_publications/kc_publications_connection/kc_publications_connection13-2.htm/28828_2009_conn13_dual_color_cish_and_fish_to_cish_conversion_henriksen_muller_and_schonau.pdf
  18. 18. Patologia molecular no câncer de mamaHibridização “in situ” fluorescente - FISH para HER2Patologia molecular no câncer de mamaAndréa Rodrigues Cordovil PiresFISH HER2 exibindo amplificação gênica – relação HER2:CEN17 > 2.2 cópias por célula. Exames realizados no laboratório Fonte MD.
  19. 19. Patologia molecular no câncer de mamaHibridização “in situ” fluorescente - FISH para HER2Patologia molecular no câncer de mamaAndréa Rodrigues Cordovil PiresFISH HER2 sem amplificação gênica – relação HER2:CEN17 < 2.2 cópias por célula. Exames realizados no laboratório Fonte MD.
  20. 20. Patologia molecular no câncer de mamaHibridização “in situ” cromogênica - CISH para HER2Patologia molecular no câncer de mamaAndréa Rodrigues Cordovil Pireshttp://www.nanoprobes.com/
  21. 21. Patologia molecular no câncer de mamaPCR, DNA microarray e sequenciamento gênicoPatologia molecular no câncer de mamaAndréa Rodrigues Cordovil PiresVárias metodologias disponíveis: PCR, RT-PCR, qPCROncotype Dx, Mamaprint...
  22. 22. Patologia molecular no câncer de mamaPCR, DNA microarray e sequenciamento gênicoPatologia molecular no câncer de mamaAndréa Rodrigues Cordovil Pires
  23. 23. Patologia molecular no câncer de mamaProdução científica Fonte MDPatologia molecular no câncer de mamaAndréa Rodrigues Cordovil PiresPrêmio Osvaldo Giannotti
  24. 24. Inovação, controle de qualidade e apoio institucionalTMA “for all”- TMA para todos / FISH / PCRAndréa Rodrigues Cordovil PiresPatologia molecular no câncer de mama
  25. 25. Inovação, controle de qualidade e apoio institucionalVII Fórum da Câmara Técnica de Anatomia Patológica do CREMERJAndréa Rodrigues Cordovil PiresPatologia molecular no câncer de mama
  26. 26. Obrigada!Andréa R. C. Piresandreapires@fontemd.com.br

×