A era vargas

347 visualizações

Publicada em

Publicada em: Tecnologia
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
347
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
6
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

A era vargas

  1. 1. A Era Vargas<br />Alana M, Fernanda M, Maria S, <br />Melissa A, Thaissa A, Rayssa C.<br />2M3 <br />
  2. 2. A revolução de 30<br />
  3. 3. Quebra da bolsa de NY<br />
  4. 4. A situação do Brasil<br />        O principal produto da pauta de exportações brasileiras era o café. Produto de sobremesa. <br />As exportações brasileiras sofrem vertiginoso decréscimo. <br />
  5. 5. Justamente os criadores de gado do Rio Grande do Sul e Minas Gerais e os produtores de cana-de-açúcar da Paraíba que são aqueles que “põem o dinheiro na casa chamada Brasil”, estão sendo enganados pelos coronéis paulistas.<br />Os coronéis se organizam em torno do paulista Júlio Prestes para a sucessão de Washington Luís, ao invés de respeitar a “política do café-com-leite” que rezava ser agora vez de um político apoiado pelos mineiros. O rompimento é inevitável.<br />
  6. 6. Formalizam aliança contra os propósitos de Washington Luís.<br />
  7. 7. 1º de março<br />A Aliança Liberal recusou-se a aceitar a validade das eleições, afirmando que a vitória de Prestes deu-se apenas por meio da fraude. Além do mais os deputados eleitos em estados onde a Aliança conseguiu a vitória, não obtiveram o reconhecimento dos seus mandatos. A partir daí iniciou-se uma conspiração com base no Rio Grande do Sul.<br />
  8. 8.
  9. 9. A revolução de 1932<br />
  10. 10.
  11. 11.
  12. 12. O partido Democrático rompe com o Governo Vargas<br />O Partido Republicano Paulista recompunham às suas forças. <br />Juntos, os partidos formaram a Frente Única Paulista<br />Exigiram um interventor civil e paulista e a imediata reconstitucionalização. <br />
  13. 13. O governo provisório estava se tornando longo demais, e as propostas de Vargas de uma Assembléia Contistuinte eram vagas e pouco consideradas. A partir daí, entende-se o caráter revolucionário de 1932. Por outro lado, o movimento ganhava um aspecto modernizador e liberalizante. <br />
  14. 14. Esperava-se apoio do Rio Grande do Sul. <br />A mobilização foi bem grande nos estados de São Paulo, mas <br />significativa foi a não-adesão do operariado ao movimento. <br />No entanto, o exército constitucionalista tinha inúmeras fraquezas, faltavam munições e armas e a marinha era fiel à Vargas, bloqueou os portos paulistas. <br />As indústrias paulistas foram forçadas a fazer produtos bélicos, só que era um tempo muito curto para tanta produção. <br />Após três meses de confronto, as tropas leais ao governo federal acabaram forçado a rendição dos paulistas. <br />
  15. 15. O integralismo <br />
  16. 16. O combate ao Comunismo<br />
  17. 17. A Revolução foi planejada para ser iniciada de dentro dos quartéis. A falta de coordenação, fez com que ela fosse iniciada em dias diferentes.<br />
  18. 18. A cartada decisiva foi na capital federal, com a sublevação da Escola de Aviação no Campo dos Afonsos e da Escala de Regimento de Infantaria na Praia Vermelha. Depois dos combates, os rebeldes acabaram se rendendo, o que foi o fim da Intentona Comunista. <br />
  19. 19.
  20. 20.
  21. 21. O Brasil de Vargas na 2ª Guerra<br />
  22. 22. O populismo de Vargas<br />

×