Santander2

2.678 visualizações

Publicada em

Publicada em: Tecnologia, Negócios
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
2.678
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
11
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
37
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Santander2

  1. 1. Sustentabilidade no serviçoSustentabilidade no serviço radiológicoradiológico Fabiane Farias Flávia Kaster Jairo Kaster
  2. 2. Radiologia em OdontologiaRadiologia em Odontologia  O radiodiagnóstico é a especialidade que tem como objetivo a aplicação dos métodos exploratórios por imagem com a finalidade de diagnóstico, documentação e acompanhamento de lesões.  Utiliza-se emissões de Raio-X para se obter chapas radiográficas, as quais são reveladas em câmara escura.  O processo de revelação das radiografias envolve quatro etapas: Revelação, Fixação, Enxágüe e Secagem
  3. 3. Radiologia em Odontologia • A etapa de revelação torna visível a prata sensibilizada pelos Raios-X. • A etapa de fixação remove a prata não sensibilizada. • A etapa de enxágüe é necessária para a retirada de excessos de revelador e fixador, pois, estes podem prejudicar a qualidade da radiografia
  4. 4. Um levantamento realizado entre 1991 e 1996 estimou a existência de 75 mil aparelhos de raios-X odontológicos em utilização no país, correspondendo a 30% do número de radiografias anuais realizadas. Soma-se a isto dados do Conselho Federal de Odontologia que apontam 224.130 cirurgiões-dentistas exercendo a profissão e 188 faculdades que prestam assistência odontológica no país. Grande quantidade de resíduos produzidos
  5. 5. Resíduos sólidos
  6. 6. Componentes da película radiográfica • Embalagem de vinil • Lâmina de chumbo • Papel preto • Filme radiográfico
  7. 7. Embalagem de vinil • Plástico • Reciclável quando não contaminado por saliva (invólucro mais superficial, entra em contato com a boca do paciente) • Colocação de barreira: PVC
  8. 8. Lâmina de chumbo • Classificação (CONAMA): Grupo B6: resíduos que contêm substâncias químicas que apresentam risco à saúde pública ou ao meio ambiente, independentemente de suas características de inflamabilidade, corrosividade, reatividade, toxicidade e por apresentarem resíduos contendo metais pesados.
  9. 9. Lâmina de chumbo • Geralmente os dentistas se desfazem da lâmina de chumbo e outros componentes do filme dental intraoral, juntamente com o lixo normal, que é tipicamente depositado em aterros (Guedes et al., 2009). • Problemas ambientais • Problemas de saúde humana • Devem ser encaminhados ao Aterro Sanitário Industrial para Resíduos Perigosos ou ser submetidos a tratamento de acordo com as orientações do órgão local do meio ambiente, em instalações licenciadas para esse fim.
  10. 10. Papel preto • Antes de ser exposto ao Rx, é composto por: alumino, carbono, prata e silício. Após a exposição radiográfica detectou-se também o chumbo. • Estudos mostraram que a concentração de chumbo encontrada no papel preto foi 10 vezes maior que o valor permitido pela lei 357 05 do CONAMA. • Recomendação dos fabricantes: descarte em lixo comum Chumbo pode ser lixiviado e contaminar solo e as águas subterrâneas
  11. 11. Filme radiográfico • Procedimentos para a recuperação de prata em rejeitos de laboratório e em chapas radiográficas, filmes e papéis fotográficos, são apresentados na literatura. Nesses procedimentos, os materiais (filmes, chapas ou papéis) são imersos em solução ácida contendo tiouréia, à temperatura ambiente. A prata e seus sais são solubilizados formando o complexo [Ag(tu)]+. Em seguida, eleva-se o pH do meio com NaOH (7,0-8,0), formando-se precipitado de Ag2S. Essa solução é filtrada e o precipitado calcinado para obtenção da prata metálica (Bendassoli et al., 2003).
  12. 12. Soluções processadoras
  13. 13. Soluções processadoras Revelador • Fixador • Água de Enxágue Classificação (CONAMA): • Grupo B5
  14. 14. Soluções processadoras Esses efluentes são constituídos de químicos altamente tóxicos, não podendo ser descartados no meio ambiente, pois se encontram fora dos padrões estabelecidos pelos órgãos públicos ambientais reguladores. Constituem-se em soluções com altas concentrações de prata (Ag), hidroquinona, quinona, metol, tiossulfato de sódio, sulfito de sódio e ácido bórico, além de outros químicos altamente tóxicos à saúde ambiental e humana, como cianeto, cloreto, ferro, fósforo total, nitrogênio total e sulfito (Grigoletto, Takayanagui, 2008).
  15. 15. Soluções processadoras Efluentes típicos de processos de revelação de Raio-X são caracterizados por elevados valores de DQO (em torno de 200 g/l). Estes efluentes não contêm somente os componentes iniciais do revelador fotográfico, mas também uma variedade de substâncias resultantes de reações químicas dos agentes reveladores com a prata, oxigênio e outros componentes presentes (Bortoletto et al., 2005).
  16. 16. Revelador As soluções reveladoras usadas, a RDC 33/2003 indica sua neutralização (pH 7-9) e seu descarte com grande quantidade de água no sistema de esgoto sanitário com sistema de tratamento. Para a neutralização pode-se utilizar a soda cáustica em solução ou o ácido muriático para aumentar ou diminuir o pH, respectivamente.
  17. 17. Fixador Segundo a Kodak (Eastman Kodak,1990), para o processamento automático de 450 radiografias utilizando filmes tamanho 2 (periapical padrão), renderão 850mL de solução fixadora usada, com concentração de prata de 10,90g/L. Assim, a concentração de prata em soluções fixadoras já utilizadas geralmente é de 8 a 12g/L (Manzi et al., 2005).
  18. 18. Fixador Carvalho et al (2006) recomendam que as soluções processadoras sejam coletadas por empresas especializadas licenciadas para resíduos perigosos, pois a solução fixadora exaurida possui a prata dissolvida, que pode ser recuperada pelo método eletrolítico, e, a seguir, comercializada para recuperação ou refinamento.
  19. 19. Água de Enxágue Bortoletto et al (2005), concluíram que elevados volumes de água de processamento são lançados diariamente na rede coletora de esgoto, com concentração de prata muito acima do valor estabelecido pela Resolução n° 358/05 do CONAMA para lançamento de efluente (0,1 mg/L). Deve-se buscar a recuperação da prata da água de enxágüe, reduzindo custos do processo e permitindo a reutilização desta água no processo.
  20. 20. Situação atual dos rejeitos radiológicos... Algumas instituições lançam tanto as soluções processadoras, quanto os resíduos (filmes radiográficos), no meio ambiente, sem nenhum tratamento adequado; outros estabelecimentos vendem a solução de fixador e filmes radiográficos a terceiros e lançam as soluções de revelador e de água de lavagem na rede de esgotos, sem nenhum tratamento; um terceiro grupo estabelece contratos com empresas fornecedoras de separadores eletrolíticos para recuperar a prata a partir da solução do fixador usado; porém, os demais efluentes são descartados na rede de esgotos, sem nenhum tratamento (Fernandes et al., 2005).
  21. 21. Situação atual dos rejeitos radiológicos... De 800 profissionais divididos aleatoriamente nos estados de MG, RJ, SP: 94% dos profissionais descartam o revelador e fixador em esgoto comum 5% enviam para empresas especializadas 6% enviam o fixador para empresas especializadas 1% diluem o revelador em água antes de descartá-lo em esgoto comum Quanto às radiografias insatisfatórias: 53% dos profissionais desprezam-na em lixo comum 30% em lixo hospitalar 15% armazenam 2% vendem para empresas especializadas Quanto às lâminas de chumbo: 47% desprezam as lâminas de chumbo em lixo comum 23% em lixo hospitalar, sendo que apenas 5%têm lâminas recolhidas por empresas especializadas 25% armazenam-nas para outras utilidades, como registros de mordida, porém são descartadas em lixo comum após seu uso. (Manzi et al., 2005 )
  22. 22. Situação atual dos rejeitos radiológicos Efluentes gerados pelos serviços de radiologia, quando existem, se resume à utilização de máquinas separadoras de prata, na maioria das vezes, mal projetadas e operadas sem nenhum controle ou compromisso para com o meio ambiente. Os efluentes são lançados in natura na rede de esgotos, independentemente de possuírem altíssima DQO e pH fora do intervalo permissível pela legislação. (Grigoletto, Takayanagui, 2008).
  23. 23. Situação atual dos rejeitos radiológicos • Fernandes et al (2006) encontraram em sua pesquisa, que o pH do fixador e do revelador estavam fora dos limites permissíveis para o lançamento, sendo que o fixador apresentava pH ácido (4,93) e o revelador pH alcalino (10, 98), em desacordo com a RDC 306/04 da Anvisa (Brasil, 2004). Além disso, a cor e as concentrações de sólidos totais dissolvidos, cloreto, turbidez, sulfato e prata, estavam bem acima do limite preconizado pela resolução. A DQO encontrada também foi altíssima, indicando grande concentração de matéria orgânica e baixo teor de oxigênio. Esses valores, estando fora da neutralidade, podem afetar a vida aquática do ambiente ao qual for lançado, causando a morte da fauna e flora local.
  24. 24. Situação da FOP- UFPel... • Falta de conscientização dos alunos • Armazenamento incorreto das radiografias o que origina a perda e consequente repetição • Fixação insuficiente o que resulta em futura repetição • Desperdício e acúmulo de resíduos gerados!
  25. 25. Referências bibliográficas Guedes DFC, Silva RS, Veiga MAMS, Souza-Neto MD, Pécora JD. O papel preto da película radiográfica é um alto risco para o meio ambiente. Rev Assoc Paul Cir Dent. 62(5): 394-8; 2008. Bortoletto EC, Tavares CRG, Barros MASD, Carli CM. Caracterização da geração e da qualidade do efluente líquido gerado no laboratório de raio-x da Clínica Odontológica do Hospital Universitário de Maringá (HUM). In: VI Congresso Brasileiro de Engenharia Química em Iniciação Científica. Campinas, 2005. Guedes DFC, Silva RS, Veiga MAMS, Pecora JD. First detection of lead in black paper from intraoral film An environmental concern. Journal of Hazardous Materials 170(2009) 855-860. Carvalho PL, Antoniazzi MCC, Medeiros JMF, Zölner NA. Situação dos resíduos gerados em radiologia odontológica. Rev Biocien, v.12, n 3-4, p.131-136, Taubaté, JUL/DEZ, 2006 Bendassolli JA, Tavares GA, Ignoto RF, Rosseti ALRM. Procedimentos para recuperação de Ag de resíduos líquidos e sólidos. Química Nova, vol.26, n 4, São Paulo, JUL/AGO, 2003. BRASIL. CONAMA. Conselho Nacional do Meio Ambiente. Resolução nº 358 de 29 de abril de 2005. Dispõe sobre o tratamento e a disposição final dos resíduos dos serviços de saúde e dá outras providências. DOU de 04 de maio de 2005. Manzi FR, Guedes FR, Ambrosano GMB, Almeida SM. Estudo do destino dado aos resíduos dos materiais radiográficos pelo cirurgião-dentista. Rev Assoc Paul Cir Dent, 59(3): 213-6; 2005. Grigoletto JC, Takayanagui AMM. Efluentes de processadores de imagem radiográfica: impactos na saúde pública e ambiental. In: III Congresso Interamericano de Salud Ambiental: Salud Ambiental em América, Pasado, Presente, Futuro. AIDIS/AEISA, Quito-Equador, maio de 2008. Fernandes GS, Azevedo ACP, Carvalho ACP, Pinto MLC. Análise e gerenciamento de efluentes de serviços de radiologia. Radiol Bras, 38 (5), São Paulo, 2005. Brasil. Ministério da Saúde – ANVISA. Resolução RDC nº33, de 25 de fevereiro de 2003. Diário Oficial da União, Brasília, 5 de março de 2003. Dispõe sobre o regulamento técnico para o gerenciamento de resíduos de serviços de saúde.

×