As contribuições do PRORROGAÇÃO na formação continuada dos
professores da Rede Municipal de Educação de Goiânia. 
FURBINO...
tornar o ensino da Educação Física maçante, tornando essa disciplina monótona e
previsível.
Na esteira dessas preocupações...
estratégias didáticas inovadoras, mas sim priorizar um processo permanente de
reflexão a respeito do trabalho na escola.
O...
caracterizavam por expositivas dialogadas, sendo estas ministradas pelos
professores mediadores do curso: Jonatas Maia da ...
questões socioculturais que consideravam de difícil discussão nas aulas de
Educação Física.

CONSIDERAÇÕES FINAIS
A partir...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

As contribui+º+áes do prorroga+ç+âo na forma+º+úo continuada dos professores da rede municipal de educa+º+úo de goi+ónia.

177 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

As contribui+º+áes do prorroga+ç+âo na forma+º+úo continuada dos professores da rede municipal de educa+º+úo de goi+ónia.

  1. 1. As contribuições do PRORROGAÇÃO na formação continuada dos professores da Rede Municipal de Educação de Goiânia.  FURBINO, Ana Paula Amaral1; ARRUDA, Gyzely Santana de2; AIRES, Vinicius3; COSTA, Jonatas Maia da4; FAGANELLO GEMENTE, Flórence Rosana5. Palavras-chave: Educação Física; esporte; formação continuada de professores e escola. JUSTIFICATIVA Este trabalho trata de uma avaliação do projeto de extensão da Faculdade de Educação Física da UFG: “PRORROGAÇÃO” - Formação continuada de professores no campo do esporte. Esse projeto foi cadastrado na PROEC, teve inicialmente como coordenador o Profº Ms. Jonatas Maia da Costa e posteriormente a Profª Ms. Florence Rosana Faganello Gemente. O projeto possui uma proposta de formação continuada de professores no campo do esporte e, busca articular os conhecimentos produzidos na universidade, aos conhecimentos didático-metodológicos direcionados à prática pedagógica dos professores da rede municipal de Goiânia. Visa a aproximação dos acadêmicos do curso de Educação Física às experiências docentes no espaço público e possibilidades metodológicas atreladas ao ensino das modalidades de atletismo e basquetebol nas aulas de Educação Física. Tenciona elaborar uma proposta de construção coletiva de formação continuada em torno do conhecimento no basquetebol e atletismo, de forma a propiciar uma nova concepção de esporte às crianças e jovens. Observando especificamente o trabalho do professor de Educação Física no contexto da escola, a falta de preparo na formação inicial, pode conduzi-los às diversas dificuldades com relação à tematização dos conteúdos da cultura corporal. A sensação de incapacidade ou a falta de afinidade da parte dos professores podem  Resumo revisado pela coordenadora da ação de extensão: PRORROGAÇÃO: Formação continuada de professores no campo do esporte - FEF-123. Profª Ms. Flórence Rosana Faganello Gemente 1 FEF/UFG - e-mail: anapaulafurbino@gmail.com 2 FEF/UFG - e-mail: gyza_gyzely@hotmail.com 3 FEF/UFG - e-mail: viniciusred@hotmail.com 4 FEF/UNB - e-mail: jonatascosta01@gmail.com 5 FEF/UFG - e-mail: florencefaganello@yahoo.com.br
  2. 2. tornar o ensino da Educação Física maçante, tornando essa disciplina monótona e previsível. Na esteira dessas preocupações segue uma demanda apontada pela Secretaria Municipal de Educação de Goiânia (SME). A instituição realiza anualmente os Jogos Educacionais da SME. As últimas edições deste evento têm tentando superar a lógica excludente do esporte escolar historicamente construído no Brasil. Percebe-se um esforço de intensificar ações que possibilitem a participação de estudantes nos Jogos e que este tenha de fato, um caráter educativo/formativo. Nesse sentido, percebeu-se que houve interesse da parte da SME em criar um espaço formativo que vise qualificar os professores com vistas ao aperfeiçoamento de sua prática pedagógica bem como o fomento à participação nos Jogos Educacionais. Para além dessas questões pontuais sobre a ausência do trabalho qualificado do esporte nas escolas, o projeto tenciona problematizar a importância da formação continuada junto aos acadêmicos do curso de Educação Física. Desta forma, justifica-se a necessidade que, desde a graduação, é preciso levantar questões sobre os desafios da formação docente, numa perspectiva de demonstrar que a continuidade da formação se dá numa espécie de “tensão permanente” entre as demandas dos professores e as oportunidades que o Estado oferece aos trabalhadores da educação. A formação continuada para os professores da rede é importante pelo fato dela poder contribuir para a superação da ideia de uma formação que somente atenda às exigências do mercado, atrelada à lógica da nossa sociedade neoliberal. Segundo Patriarca, Silva e Mascarenhas (2008, p.1): As políticas de formação devem apontar para um novo perfil de professor, dotado de habilidades e competências para melhorar a qualidade de sua intervenção educativa e do ensino escolar, buscando com isso condições necessárias para que possa alterar o quadro de ineficiência e ineficácia por que passa a educação. Diante das demandas do mercado, aos professores são necessárias a atualização, a renovação, a ampliação e a continuidade de sua formação para melhor se enquadrar nesta nova perspectiva. Segundo Loureiro e Caparróz, 2010, o distanciamento entre o âmbito acadêmico-universitário e o âmbito escolar é também um fator preponderante no que tange a formação continuada. Os professores que atuam na escola percebem que a produção teórica não condiz e não considera a complexidade da realidade escolar. Portanto, não deve-se priorizar na formação continuada somente
  3. 3. estratégias didáticas inovadoras, mas sim priorizar um processo permanente de reflexão a respeito do trabalho na escola. Outro fator importante da formação continuada é trabalhar com os professores a importância e função do planejamento de ensino no contexto da pedagogia crítica. Essa importância deriva da necessidade dialética de concretizar o trabalho pedagógico por meio de uma atividade mediadora entre os indivíduos/alunos e a cultura social historicamente acumulada, cuja função é facilitar, por meio de “complexos temáticos” de conteúdos, os conceitos, as atividades, os métodos e as estratégias de ensino, a socialização do conhecimento associado à luta pela democratização da escola e da sociedade. (PALAFOX, 2004, p.4) Partindo dessas necessidades, o objetivo geral desse trabalho foi avaliar se as expectativas dos professores, referente ao curso de formação continuada “PRORROGAÇÃO”, foram alcançadas. Para se tornar possível essa avaliação, os objetivos específicos foram: verificar se os professores consideraram relevantes os conhecimentos teóricos e práticos das modalidades basquete e atletismo; e identificar se o curso possibilitou aos professores mais segurança em desenvolver os conteúdos de atletismo e basquete nas suas aulas de Educação Física escolar. METODOLOGIA Para que o projeto pudesse atender as necessidades dos professores, foi aplicado, antes do início do curso, um “questionário misto”, Gil (2002). Esse questionário viabilizou a verificação das expectativas dos professores referentes ao “PRORROGAÇÃO”. As expectativas almejadas por eles foram: adquirir mais conhecimento teórico sobre as modalidades (basquete e atletismo); que o curso proporcionasse dinâmicas e vivencias sobre o ensino das modalidades; que fossem trabalhados os aspectos técnicos e táticos das modalidades e que o curso contemplasse reflexões e discussões sobre o contexto das aulas de EF e o ensino do esporte. As aulas do curso “PRORROGAÇÃO” aconteciam quinzenalmente. Sendo estes encontros realizados no período vespertino, na faculdade de Educação Física da UFG. No primeiro momento era ofertado o conteúdo basquetebol e em um segundo momento o conteúdo atletismo. As aulas aconteciam frequentemente em seus respectivos locais (quadra de basquete e pista de atletismo), sendo também utilizadas as salas de aula da faculdade de educação física. As aulas se
  4. 4. caracterizavam por expositivas dialogadas, sendo estas ministradas pelos professores mediadores do curso: Jonatas Maia da Costa (basquetebol) e Flórence Rosana Faganello Gemente (atletismo). Durante as aulas os professores mediadores buscavam a participação e reflexão dos professores cursistas sobre as temáticas abordadas e a pratica pedagógica realizada por eles na escola. Como recurso pedagógico eram desenvolvidos jogos e brincadeiras para desenvolver os conteúdos específicos do atletismo e basquete. Os cursistas vivenciavam as atividades propostas e posteriormente as discutiam para apontarem as contribuições e experiências na prática pedagógica na escola. Como também refletiram sobre possíveis variações das atividades. Como forma de avaliação final do curso foi realizado um “grupo focal”, Minayo (2007), com os 12 professores que concluíram o curso até o final. Buscando investigar a avaliação dos cursistas referente ao “PRORROGAÇÃO”; e quais contribuições o mesmo trouxe para sua formação. RESULTADOS E CONCLUSÕES No que diz respeito aos objetivos dos professores cursistas, observamos por meio do grupo focal, que os professores ficaram satisfeitos com os cursos. As expectativas para o curso foram alcançadas. Os professores reconheceram que essa foi uma oportunidade impar para qualificar suas formações, e para buscar novos referenciais teóricos para ampliar seus conhecimentos. Essa satisfação pode ser observada na fala de um dos professores cursistas: “Essa experiência foi riquíssima para minhas aulas, eu encontrei mais motivação para que eu pudesse estar transformando meus alunos, levando mais conhecimento a eles, eu creio que de uma maneira geral atenderam as expectativas.” Para eles essa formação contribuiu para a superação de dificuldades para em planejar e ministrar os conteúdos de basquete e atletismo. Reconheceram que através das aulas aprenderam adaptar e confeccionar materiais, e a elaborar atividades que viabilizam o ensino do atletismo e basquete nas aulas de Educação Física. A respeito das experiências e possibilidades práticas do ensino do basquetebol e do atletismo e, sua interface com as abordagens pedagógicas críticas da educação física. Os professores ressaltaram que a discussão e a elaboração de planos de ensino a partir dessas abordagens, deram suporte para reflexão de
  5. 5. questões socioculturais que consideravam de difícil discussão nas aulas de Educação Física. CONSIDERAÇÕES FINAIS A partir das discussões levantadas no grupo focal verificamos que os objetivos do projeto de extensão foram atendidos, entretanto os professores expuseram o desejo de participarem de um grupo de estudos direcionado à pedagogia do esporte, e ansiaram a oferta de novos cursos de formação continuada. Enfim, por meio da avaliação do curso realizada pelos professores cursistas, verificamos que o “PRORROGAÇÃO” proporcionou uma formação continuada que oportunizou, além de novos conhecimentos teóricos e práticos dos conteúdos trabalhados, uma reflexão sobre sua prática pedagógica que favorece segundo Souza, (2003) o desenvolvimento de uma proposta crítica de intervenção educativa. REFERÊNCIAS GIL, A. C. Como elaborar projetos de pesquisa. 4ªed. São Paulo, 2002. LOUREIRO, M. W.; CAPARRÓZ, F. E. O imaginário social de professores de Educação Física da Rede Municipal de Vitória a respeito de sua formação MINAYO, M. C. S. O desafio do conhecimento: pesquisa qualitativa em saúde. São Paulo: Hucitec, 2007. PALAFOX, G. H. M. Planejamento coletivo do trabalho pedagógico da Educação Física – PCTP/EF como sistemática de formação continuada de professores: a experiência de Uberlândia. In: Movimento, Porto Alegre, v. 10, n. 1, p. 113-131, janeiro/abril de 2004. PATRIARCA, A. C.; SILVA, T. O.; MASCARENHAS, F. “Especialização em escolar”, formação continuada de professores de Educação Física na Universidade Federal de Goiás: um estudo de caso. In: Pensar a Prática 11/3: 225-237, set./dez. 2003. SOUZA, N. P. A Educação Física escolar no estado de Goiás e a formação continuada de professores – realidade e perspectivas. Dissertação (mestrado) – Faculdade de Educação Física, UNICAMP, 2003.

×