SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 48
Patrocínio:
Apoio:
Promoção:
Instrutor: Fernando Santesso
MARKETING &
ADMINISTRAÇÃO
Módulo 2
SEQUÊNCIA TRATADA NO MÓDULO
ANTERIOR:
• EMPREENDEDORISMO
• VISÕES DE NEGÓCIO
• OPORTUNIDADES
• TIPOS DE CONSUMIDORES
• PRODUTOS E SERVIÇOS INOVADORES
PRINCIPAIS “LINKS” DO MÓDULO
ANTERIOR:
• MUDANÇAS
• VELOCIDADE
•ADAPTAÇÃO
•OPORTUNIDADES
MUDANÇAS / VELOCIDADE
Tempo decorrido para que 25% da população tenha tido
acesso a estes bens / serviços:
AUTOMÓVEL – 55 anos
TELEFONE – 35 anos
TELEVISÃO – 26 anos
MICROCOMPUTADOR – 16 anos
TELEFONE CELULAR – 13 anos
(............)
ADAPTAÇÃO / OPORTUNIDADES
Empresas bem sucedidas realizam um bom
“encaixe” entre aquilo que vendem hoje e aquilo que os
mercados-alvo desejam comprar.
À medida que os mercados mudam, assim devem mudar
as empresas.
Na verdade, as melhores empresas lideram a mudança
de mercado.
ADAPTAÇÃO / OPORTUNIDADES
O foco estratégico não é inimigo da inovação e sim seu
aliado
Uma missão estimulante:
• oferece direcionamento
• canaliza recursos
• inspira esforço
• repõe energia
> em busca da excelência
ADAPTAÇÃO / OPORTUNIDADES
As empresas devem ser simultaneamente focadas e
empreendedoras.
Compartilham a competência essencial de saber o que
preservar e o que mudar.
Devem ser inovadoras tanto no nível estratégico quanto
no nível da execução.
TEMAS DESTE MÓDULO
• CARACTERÍSTICAS DO MERCADO
• ESTRATÉGIAS DE MARKETING
• TÉCNICAS DE VENDAS
• TENDÊNCIAS DA DISTRIBUIÇÃO E DO VAREJO
CARACTERÍSTICAS DO MERCADO
Adaptabilidade a mudanças deve ser um fator crítico. As
organizações para serem competitivas devem construir redes de
negócios permeáveis com seus fornecedores, distribuidores,
empregados e até com seus concorrentes.
Portanto, qualquer que seja a intenção que motive a formação de um
novo negócio deve-se dotá-lo de muita flexibilidade. Estruturas rígidas
e engessadas pertencem ao passado.
CARACTERÍSTICAS DO MERCADO
Conseguir atender a uma oportunidade aparentemente passageira
pode ser a porta de entrada para um negócio ainda mais lucrativo
que o inicialmente planejado.
Num mercado tão diversificado como o que estamos tratando o
conhecimento específico e aprofundado de certas tecnologias não é
disseminado e nem pode ser obtido da noite para o dia.
Por isso, compor Parcerias para atender certas necessidades pode
ser um fator determinante para ser bem sucedido em um projeto.
CARACTERÍSTICAS DO MERCADO
Muitas vezes pode ser economicamente inviável investir tempo e
capital para adquirir certo know how que será utilizado uma única
vez e cuja essência pode estar desatualizada no momento seguinte.
Nesta tendência, de vendedores podemos passar a compradores.
CARACTERÍSTICAS DO MERCADO
Ou seja, adquirir um serviço de terceiros para atender plenamente a
venda feita a um cliente.
Ou conceder a este terceiro a participação nos resultados deste
projeto e , desta maneira, obter a contrapartida numa próxima
ocasião.
Este tipo de composição permite manter a flexibilidade do negócio ,
sem prejudicar o atendimento do cliente.
CARACTERÍSTICAS DO MERCADO
EVOLUÇÃO DA PERCEPÇÃO DO CONSUMIDOR EM
RELAÇÃO AOS BENS E SERVIÇOS DE BASE
TECNOLÓGICA
FASE 1
STATUS E MODERNIDADE
FASE 2
CONVENIÊNCIA E CONFORTO
FASE 3
NECESSIDADE BÁSICA
RELACIONAMENTO COM OS CLIENTES
70% DOS CLIENTES PERDIDOS NÃO FORAM DEVIDO A QUESTÕES
DE PREÇO OU QUALIDADE
MAS
PORQUE NÃO GOSTARAM DO LADO HUMANO DE FAZER NEGÓCIOS
COM O FORNECEDOR ANTERIOR DE PRODUTOS OU SERVIÇOS
(“Em busca do UAU” – Tom Peters)
RELACIONAMENTO COM OS CLIENTES
Antigamente bastava ter um produto razoavelmente
decente e comercializá-lo. Hoje em dia a história é
outra...
O consumidor desejará saber quem você é antes de
comprar o que você vende. E quem é você nem sempre
é uma pergunta fácil de responder...
(“O Relatório Popcorn” – Faith Popcorn)
RELACIONAMENTO COM OS CLIENTES
• O mito do preço: as pessoas valorizam preços honestos, não
necessariamente baixos
• Serviços: cumpra suas promessas – o consumidor quer ser
reconhecido como individuo e saber que está negociando com
alguém de boa vontade que vai personalizar sua oferta e atender
suas necessidades individuais
• Acesso às suas ofertas: chegar à empresa (física ou virtualmente) é
muito menos importante do que conseguir o que querem uma vez
que tenham chegado
(“O Mito da Excelência” – F.Crawford e R.Mathews)
INTERNET E REDES SOCIAIS
• Tenha uma Home Page de sua empresa na Internet e faça uma
boa divulgação dela.
• Além disso, ofereça informações e serviços através dela.
• Mantenha-a atualizada de forma a intensificar a visitação. Utilize
recursos simples como blogs, publicação de imagens e vídeos
(Youtube)
Como você está vendendo tecnologia
não pode ficar longe da Web!
ESTRATÉGIAS DE MARKETING
INTERNET E REDES SOCIAIS
Responda prontamente aos e-mails que lhe são encaminhados com
dúvidas e consultas.
Só envie malas diretas (e-mail marketing) a destinatários conhecidos
ou àqueles que solicitaram explicitamente.
Utilize serviços específicos de e-mail marketing para avaliar os
resultados das diversas possibilidades de comunicação.
ESTRATÉGIAS DE MARKETING
INTERNET E REDES SOCIAIS
Esteja preparado para responder e atender os questionamentos
recebidos a partir de suas campanhas – não desperdice tempo e
dinheiro !
ESTRATÉGIAS DE MARKETING
INTERNET E REDES SOCIAIS
Twitter
A capacidade de propagação desta rede social é
abrangente, rápida mas também efêmera.
Crie um ou mais perfis no Twitter, conforme o objetivo da
divulgação que pretende:
- tratar sobre aspectos técnicos de sua atividade
- fazer a divulgação de seus “cases” de sucesso
- manifestar sua atuação pessoal em grupos de influência
(propagadores)
ESTRATÉGIAS DE MARKETING
INTERNET E REDES SOCIAIS
Utilize o Twitter:
• para mensagens simples e direcionadas às
novidades de seu site ou blog.
• para divulgar e acompanhar eventos com sua
participação.
• para repassar noticias importantes sobre o seu
mercado de atuação – seja seletivo !
ESTRATÉGIAS DE MARKETING
RELAÇÕES PÚBLICAS E MIDIA
Crie uma newsletter para promover seus serviços. Elas ajudam a
construir reconhecimento e estabelecer credibilidade entre uma
audiência selecionada durante um longo período de tempo.
Sempre que possível leve seus CASES de sucesso para a mídia e
aproveite estas publicações em seu portfolio (web site, blogs, twitter,
facebook ou material impresso).
ESTRATÉGIAS DE MARKETING
RELAÇÕES PÚBLICAS E MIDIA
Participe de Feiras, Congressos e Apresentações de Produtos.
Escreva artigos quando solicitado e dissemine-os entre clientes,
parceiros e redes sociais.
Participe de ações junto a grupos de influencia (associações de
classe, universidades, escolas técnicas).
ESTRATÉGIAS DE MARKETING
BRANDING
•Em nossa atividade muitas vezes o conceito de “marca” está mais
associado à nossa imagem pessoal e de nossos colaboradores.
•Portanto, é importante cuidar destes aspectos diariamente !
•Uniformes do pessoal de instalação, papeis de carta e cartões de
visita devem ser de boa qualidade. A percepção sobre este material
pode conduzir a uma imagem de classe e sucesso.
ESTRATÉGIAS DE MARKETING
VENCENDO OBJEÇÕES
Seja assertivo
significa não aceitar o “não” como uma primeira resposta.
Comece a praticar uma postura onde você vai expressar
seus sentimentos sem ansiedade ou raiva.
Mostre para as pessoas o que você deseja de uma
maneira amigável, sem ameaças.
Veja que existe uma grande diferença entre ser assertivo
e agressivo.
Você é assertivo quando cuida de seus próprios
interesses e diz o que pensa com educação.
TÉCNICAS DE VENDAS
VENCENDO OBJEÇÕES
Planeje
Nunca vá para uma negociação sem fazer sua lição de casa. Existem
varias informações que você precisa descobrir antes do inicio de uma
negociação.
Por exemplo: quais opções que ele tem ? Quais as pressões que está
sofrendo ? Ele tem uma data limite para resolver o problema ? Qual
seu orçamento ?
Quando você planeja, a tensão e o stress diminuem. O cenário se
torna mais familiar, e várias opções vão surgindo à sua frente. Você
fica mais tranqüilo e confiante para qualquer negociação.
TÉCNICAS DE VENDAS
VENCENDO OBJEÇÕES
Nunca dê nada de graça
Tudo que é dado de graça não tem valor. Faça o outro lado valorizar
cada concessão sua. Não dê nada, troque tudo.
Por exemplo, se ele pedir um desconto adicional no preço, solicite
uma condição de pagamento mais favorável. Se ele pedir mais prazo,
peça algo em troca.
A palavra mais importante no vocabulário de um negociador é a
palavra “se”. Tudo o que começa com “se” está na condicional e
implica numa troca – se você fizer isso, eu posso fazer aquilo...
TÉCNICAS DE VENDAS
VENCENDO OBJEÇÕES
Guarde uma concessão para o final
É importante que o outro lado saia com uma sensação de vitória, de
ter feito um ótimo negócio. Para que isto aconteça é preciso guardar
algumas pequenas concessões para o final da negociação.
Tenha sempre uma alternativa
Nunca negocie sem ter outras alternativas. Quando não temos
opção, ficamos inteiramente nas mãos do oponente. Se ele
conseguir descobrir isto, certamente vai conseguir desequilibrar a
negociação .
TÉCNICAS DE VENDAS
VENCENDO OBJEÇÕES
Razão #1 : Não há necessidade
Razão #2 : Não há dinheiro
Razão # 3 : Não há pressa
Razão # 4: Não há credibilidade
TÉCNICAS DE VENDAS
VENCENDO OBJEÇÕES
Razão #1 : Não há necessidade
Na sociedade moderna, raramente as pessoas compram coisas porque realmente
as necessitam. As pessoas compram alguma coisa porque a desejam.
Por isso, quando um provável consumidor lhe disser "eu não preciso de seu
produto", na verdade ele quer dizer "eu não o desejo". Neste caso, como fazer
para não perder vendas ?
Direcione seu esforço de marketing. Promova seu negócio apenas entre o grupo
de pessoas que revela um alto grau de desejo pelo seu produto ou serviço.
Exemplo: direcione promoções aos compradores de imóveis novos, numa faixa
etária até 40 anos e com maior poder aquisitivo. É óbvio que existem outros
consumidores fora desta especificação, mas a probabilidade de desejarem seu
produto é bem menor.
TÉCNICAS DE VENDAS
VENCENDO OBJEÇÕES
Razão #2 : Não há dinheiro
Raramente a razão efetiva para não concretizar uma venda é a falta
de dinheiro (ou a falta de condições de obtê-lo) . O que acontece é
que o consumidor define uma prioridade maior para outro bem e
acaba relegando o seu.
Para obter esta venda, portanto, você deve fazer com que o
consumidor priorize o seu produto. Qual é o problema que mais
aflige no momento o seu cliente potencial ? Dramatize esta situação
e faça ver ao seu cliente como ele se sentiria bem assim que o seu
produto eliminar este problema. Faça isso tão importante a ponto de
fazê-lo mover sua oferta ao topo de suas prioridades.
TÉCNICAS DE VENDAS
VENCENDO OBJEÇÕES
Razão # 3 : Não há pressa
Muitas pessoas têm a mania de adiar o ato da compra, mesmo já
tendo tomado a decisão de fazê-la. E, com o passar do tempo,
acabam se esquecendo quais seriam os benefícios esperados de
seu produto. Ficarão distraídos por outras ofertas e prioridades e
você vai perder sua venda.
É preciso sempre estar em contato com o cliente e mostrar-lhe as
penalizações a que estará sujeito pela sua falta de pressa. Além
disso, é sempre eficiente estabelecer um desconto limitado a certo
prazo ou oferecer condições mais vantajosas para atrair a venda
imediatamente.
TÉCNICAS DE VENDAS
VENCENDO OBJEÇÕES
Razão # 3 : Não há pressa
Exemplo: no caso de um imóvel em construção ou reforma, quanto
mais tempo passar, maior será o risco de se incorrer em custos de
intervenções ou pequenas reformas se o seu projeto de infra-
estrutura não for implantado a seu devido tempo.
TÉCNICAS DE VENDAS
VENCENDO OBJEÇÕES
Razão # 4: Não há credibilidade
Muitos consumidores têm mais receio de perder algo que já têm do
que predisposição a ganhar algo que advenha de uma nova
aquisição. Este receio muitas vezes os fazem rejeitar a compra de
bens que realmente desejam. Eles ficam relutantes em comprar
porque podem não obter exatamente o que desejam de seu
produto ou serviço e ainda ficarão sem o dinheiro. Como afastar
esta objeção ?
Providencie depoimentos de clientes satisfeitos. Assegure seus
serviços por escrito. Crie um elo de ligação rápido, como um
telefone pessoal direto onde você possa ser achado com facilidade.
Ilustre com situações já vividas anteriormente e bem resolvidas.
Sempre demonstre engajamento pessoal na situação.
TÉCNICAS DE VENDAS
APRESENTANDO PROPOSTAS
• focalize os objetivos e necessidades de seu cliente. Se você fez um
bom levantamento nas entrevistas iniciais, vai saber como incluir isto
na sua proposta. Faça então com que a proposta não se pareça com
uma solução "enlatada“.
• não inclua longos históricos da empresa e currículos de seus
profissionais. Mesmo que pareça difícil de acreditar, quase ninguém
presta atenção nisso.
TÉCNICAS DE VENDAS
APRESENTANDO PROPOSTAS
• seja conciso. Se estiver numa situação competitiva e a sua proposta
for bem sintetizada, provavelmente será a primeira a ser lida e as
demais serão comparadas à sua.
• faça a sua proposta ser lida com facilidade. Utilize marcadores,
cores, flechas e outros elementos gráficos para prender a atenção do
cliente nos pontos mais importantes de sua argumentação.
TÉCNICAS DE VENDAS
APRESENTANDO PROPOSTAS
• Se necessário, apresente a proposta em diferentes enfoques. Pode
ser importante para o engenheiro da obra ter informações técnicas
de projetos e produtos; neste caso inclua catálogos, por exemplo, e
lembre-se que não é ele quem vai liberar o dinheiro, portanto não é
sequer necessário mencionar valores.
Já o proprietário do imóvel não precisa de todos estes dados
técnicos, mas enfim é quem vai gastar. Portanto faça para ele uma
apresentação com outra ênfase.
TÉCNICAS DE VENDAS
APRESENTANDO PROPOSTAS
• enfatize suas vantagens competitivas únicas.
•por último, solicite enfaticamente uma resposta. Faça isso numa
carta de acompanhamento, durante a apresentação e também na
entrega da proposta. Ser passivo nunca funciona. Você deve insistir
numa resposta.
TÉCNICAS DE VENDAS
UM SHOWROOM É NECESSÁRIO ?
Não existe, logicamente uma resposta única e
plenamente convincente a esta questão.
No entanto, vamos listar algumas situações para refletir
sobre o tema e deixar a decisão para cada um ao
analisar o ser negócio (atual e futuro).
TÉCNICAS DE VENDAS
UM SHOWROOM É NECESSÁRIO ?
Fatores favoráveis
1. Muitos produtos e serviços que tratamos são ainda pouco
conhecidos . Neste caso um showroom pode ser um forte
apoio às vendas.
2. Além disto, o mesmo espaço físico também seria utilizado
para atendimento dos clientes e para abrigar os
colaboradores internos da empresa.
3. O espaço também serve para experimentar novas
tecnologias e produtos em lançamento.
TÉCNICAS DE VENDAS
UM SHOWROOM É NECESSÁRIO ?
Fatores desfavoráveis
1. Custo de manutenção do espaço elevado.
2. Necessidade de manter o showroom sempre atualizado e
equipado com os últimos lançamentos.
3. O showroom passa a ser também um “cliente”, ocupando
tempo de atendimento da equipe.
Argumento: os valores gastos poderiam ser utilizados no
treinamento de pessoal, na melhoria do web site e outros
investimentos diretos na atividade principal da empresa.
TÉCNICAS DE VENDAS
UM SHOWROOM É NECESSÁRIO ?
Alternativas ao showroom próprio
1. Criar uma sala de atendimento com alguns recursos
tecnológicos, como projetor e tela, cortinas e iluminação
automatizadas, som ambiente, imagens de instalações. Não
seriam necessária uma decoração sofisticada, as apenas
funcional.
2. Criar um “book” fotográfico e de vídeos para fazer exibições
aos seus clientes, inclusive em seus domicílios.
3. Participar de “apartamentos decorados” em
empreendimentos imobiliários que funcionam como
showroom temporários mas cujo custo de manutenção não
é de sua responsabilidade.
TÉCNICAS DE VENDAS
UM SHOWROOM É NECESSÁRIO ?
Alternativas ao showroom próprio
4. Trabalhar em parceria com lojas já estabelecidas em áreas
correlatas, como iluminação, decoração ou ateliers em geral.
5. Participar de mostras temporárias, desde que lhe seja
garantido destaque na exposição de seus produtos e
serviços em troca desta participação.
6. Ter parceria com fabricantes e entidades de ensino com
laboratórios de testes para poder avaliar novos produtos e
simular situações reais antes de ir ao mercado.
TÉCNICAS DE VENDAS
TENDÊNCIAS DA DISTRIBUIÇÃO E DO VAREJO
Vamos lembrar algumas situações de determinados mercados
nas últimas décadas:
• Sistemas eletrônicos de segurança
• Home Theater (Áudio e Vídeo)
• Redes de informática
TENDÊNCIAS DA DISTRIBUIÇÃO E DO VAREJO
Equipamento x serviço
Podemos demonstrar que os produtos não existiriam sem os
serviços que lhes complementam.
Principalmente no estágio atual que vivemos no mercado não faz
sentido pensar em vender simplesmente produtos.
Em primeiro lugar alguém deve especificar este produto para que um
usuário decida comprá-lo; em seguida alguém deve instalar e
talvez programar o produto. No futuro, alguém irá fazer sua
manutenção ou assistência técnica. Assim, o pacote de serviços
que cerca o produto é tão ou mais importante que o produto em
si mesmo.
TENDÊNCIAS DA DISTRIBUIÇÃO E DO VAREJO
Vamos simular algumas situações futuras:
• Tecnologias residenciais em geral
O que esperar ?
Posicionamento dos fabricantes , dos atacadistas e dos varejistas
Mudança nos canais ?
Personalização x atacado
E os serviços: projeto e especificação, instalação, programação, pós-
venda ?
Patrocínio:
Apoio:
Promoção:
Instrutor: Fernando Santesso
OBRIGADO!
marketing@homexpert.com.br

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Treinamento Google Marketing - 17out09
Treinamento Google Marketing - 17out09Treinamento Google Marketing - 17out09
Treinamento Google Marketing - 17out09Conrado Adolpho
 
Módulo 1- PEV- Programa de Excelência de Vendas
Módulo 1- PEV- Programa de Excelência de Vendas Módulo 1- PEV- Programa de Excelência de Vendas
Módulo 1- PEV- Programa de Excelência de Vendas Claudia Dias Coach
 
AÇÕES PROMOCIONAIS: SE O ‘VENDEDOR’ SOUBESSE, TUDO SERIA DIFERENTE.
AÇÕES PROMOCIONAIS: SE O ‘VENDEDOR’ SOUBESSE, TUDO SERIA DIFERENTE. AÇÕES PROMOCIONAIS: SE O ‘VENDEDOR’ SOUBESSE, TUDO SERIA DIFERENTE.
AÇÕES PROMOCIONAIS: SE O ‘VENDEDOR’ SOUBESSE, TUDO SERIA DIFERENTE. Zé do Marketing
 
Elementos essenciais para criar a Jornada do Cliente
Elementos essenciais para criar a Jornada do ClienteElementos essenciais para criar a Jornada do Cliente
Elementos essenciais para criar a Jornada do ClienteFlavia de Araujo Vieira
 
Funil do marketing alinhado à jornada do cliente
Funil do marketing alinhado à jornada do clienteFunil do marketing alinhado à jornada do cliente
Funil do marketing alinhado à jornada do clienteCarolina Egger Catucci
 
Administração de vendas apostila
Administração de vendas   apostilaAdministração de vendas   apostila
Administração de vendas apostilaRenan Miranda
 
Gestao De Vendas Aula 1
Gestao De Vendas Aula 1Gestao De Vendas Aula 1
Gestao De Vendas Aula 1edeciofilho
 
8 PS do Marketing Digital
8 PS do Marketing Digital8 PS do Marketing Digital
8 PS do Marketing DigitalFabiano Morais
 
Comunicação por Conteúdo. Conceitos e cases.
Comunicação por Conteúdo. Conceitos e cases.Comunicação por Conteúdo. Conceitos e cases.
Comunicação por Conteúdo. Conceitos e cases.Isis Noguti
 
Administração de vendas 2017
Administração de vendas 2017Administração de vendas 2017
Administração de vendas 2017Sergio Grunbaum
 
Gestão de Clientes no Universo Digital
Gestão de Clientes no Universo DigitalGestão de Clientes no Universo Digital
Gestão de Clientes no Universo DigitalPaulo Oliveira
 
Módulo 2 - PEV- Programa de Excelência de Vendas -Captação de Clientes
Módulo 2 - PEV- Programa de Excelência de Vendas -Captação de ClientesMódulo 2 - PEV- Programa de Excelência de Vendas -Captação de Clientes
Módulo 2 - PEV- Programa de Excelência de Vendas -Captação de ClientesClaudia Dias Coach
 
Livro Smarketing - Os dois lados da mesma moeda, Renato Gosling e Zé Luiz Tav...
Livro Smarketing - Os dois lados da mesma moeda, Renato Gosling e Zé Luiz Tav...Livro Smarketing - Os dois lados da mesma moeda, Renato Gosling e Zé Luiz Tav...
Livro Smarketing - Os dois lados da mesma moeda, Renato Gosling e Zé Luiz Tav...Renato Gosling
 
Introdução ao Marketing Digital - Welliton Oliveira
Introdução ao Marketing Digital - Welliton OliveiraIntrodução ao Marketing Digital - Welliton Oliveira
Introdução ao Marketing Digital - Welliton OliveiraWelliton Oliveira
 
Marketing Digital para pequenas e médias empresas
Marketing Digital para pequenas e médias empresasMarketing Digital para pequenas e médias empresas
Marketing Digital para pequenas e médias empresasJosé Paulo Silva
 
Gestão de vendas primeiros conceitos
Gestão de vendas   primeiros conceitosGestão de vendas   primeiros conceitos
Gestão de vendas primeiros conceitosLucinea Lima Lacerda
 
Pronatec Curso de vendedor - tecnicas de vendas#1
Pronatec   Curso de vendedor - tecnicas de vendas#1Pronatec   Curso de vendedor - tecnicas de vendas#1
Pronatec Curso de vendedor - tecnicas de vendas#1Andrea Fiuza
 

Mais procurados (20)

Treinamento Google Marketing - 17out09
Treinamento Google Marketing - 17out09Treinamento Google Marketing - 17out09
Treinamento Google Marketing - 17out09
 
Módulo 1- PEV- Programa de Excelência de Vendas
Módulo 1- PEV- Programa de Excelência de Vendas Módulo 1- PEV- Programa de Excelência de Vendas
Módulo 1- PEV- Programa de Excelência de Vendas
 
AÇÕES PROMOCIONAIS: SE O ‘VENDEDOR’ SOUBESSE, TUDO SERIA DIFERENTE.
AÇÕES PROMOCIONAIS: SE O ‘VENDEDOR’ SOUBESSE, TUDO SERIA DIFERENTE. AÇÕES PROMOCIONAIS: SE O ‘VENDEDOR’ SOUBESSE, TUDO SERIA DIFERENTE.
AÇÕES PROMOCIONAIS: SE O ‘VENDEDOR’ SOUBESSE, TUDO SERIA DIFERENTE.
 
Elementos essenciais para criar a Jornada do Cliente
Elementos essenciais para criar a Jornada do ClienteElementos essenciais para criar a Jornada do Cliente
Elementos essenciais para criar a Jornada do Cliente
 
Funil do marketing alinhado à jornada do cliente
Funil do marketing alinhado à jornada do clienteFunil do marketing alinhado à jornada do cliente
Funil do marketing alinhado à jornada do cliente
 
Administração de vendas apostila
Administração de vendas   apostilaAdministração de vendas   apostila
Administração de vendas apostila
 
Gestao De Vendas Aula 1
Gestao De Vendas Aula 1Gestao De Vendas Aula 1
Gestao De Vendas Aula 1
 
Marketing - Marketing de conteúdo para startups
Marketing - Marketing de conteúdo para startupsMarketing - Marketing de conteúdo para startups
Marketing - Marketing de conteúdo para startups
 
8 PS do Marketing Digital
8 PS do Marketing Digital8 PS do Marketing Digital
8 PS do Marketing Digital
 
Comunicação por Conteúdo. Conceitos e cases.
Comunicação por Conteúdo. Conceitos e cases.Comunicação por Conteúdo. Conceitos e cases.
Comunicação por Conteúdo. Conceitos e cases.
 
Administração de vendas 2017
Administração de vendas 2017Administração de vendas 2017
Administração de vendas 2017
 
Gestão de Clientes no Universo Digital
Gestão de Clientes no Universo DigitalGestão de Clientes no Universo Digital
Gestão de Clientes no Universo Digital
 
Módulo 2 - PEV- Programa de Excelência de Vendas -Captação de Clientes
Módulo 2 - PEV- Programa de Excelência de Vendas -Captação de ClientesMódulo 2 - PEV- Programa de Excelência de Vendas -Captação de Clientes
Módulo 2 - PEV- Programa de Excelência de Vendas -Captação de Clientes
 
Livro Smarketing - Os dois lados da mesma moeda, Renato Gosling e Zé Luiz Tav...
Livro Smarketing - Os dois lados da mesma moeda, Renato Gosling e Zé Luiz Tav...Livro Smarketing - Os dois lados da mesma moeda, Renato Gosling e Zé Luiz Tav...
Livro Smarketing - Os dois lados da mesma moeda, Renato Gosling e Zé Luiz Tav...
 
Meios de Comunicaçao
Meios de ComunicaçaoMeios de Comunicaçao
Meios de Comunicaçao
 
Introdução ao Marketing Digital - Welliton Oliveira
Introdução ao Marketing Digital - Welliton OliveiraIntrodução ao Marketing Digital - Welliton Oliveira
Introdução ao Marketing Digital - Welliton Oliveira
 
Jornada do Cliente: 9 exemplos de jornadas e o que elas nos ensinam
Jornada do Cliente: 9 exemplos de jornadas e o que elas nos ensinamJornada do Cliente: 9 exemplos de jornadas e o que elas nos ensinam
Jornada do Cliente: 9 exemplos de jornadas e o que elas nos ensinam
 
Marketing Digital para pequenas e médias empresas
Marketing Digital para pequenas e médias empresasMarketing Digital para pequenas e médias empresas
Marketing Digital para pequenas e médias empresas
 
Gestão de vendas primeiros conceitos
Gestão de vendas   primeiros conceitosGestão de vendas   primeiros conceitos
Gestão de vendas primeiros conceitos
 
Pronatec Curso de vendedor - tecnicas de vendas#1
Pronatec   Curso de vendedor - tecnicas de vendas#1Pronatec   Curso de vendedor - tecnicas de vendas#1
Pronatec Curso de vendedor - tecnicas de vendas#1
 

Destaque

Destaque (20)

He 2015-áudio-03
He 2015-áudio-03He 2015-áudio-03
He 2015-áudio-03
 
He 2015-04-áudio
He 2015-04-áudioHe 2015-04-áudio
He 2015-04-áudio
 
He 2015-03 - mkt adm
He 2015-03 - mkt  admHe 2015-03 - mkt  adm
He 2015-03 - mkt adm
 
He 2015-04 - vídeo
He 2015-04 - vídeoHe 2015-04 - vídeo
He 2015-04 - vídeo
 
He 2015-03 - vídeo
He 2015-03 - vídeoHe 2015-03 - vídeo
He 2015-03 - vídeo
 
He 2015-04-automação
He 2015-04-automaçãoHe 2015-04-automação
He 2015-04-automação
 
He 2015-04 l - elétrica
He 2015-04 l - elétricaHe 2015-04 l - elétrica
He 2015-04 l - elétrica
 
He 2015-04-mkt adm
He 2015-04-mkt admHe 2015-04-mkt adm
He 2015-04-mkt adm
 
He 2015-03 - acústica
He 2015-03 - acústicaHe 2015-03 - acústica
He 2015-03 - acústica
 
He 2015-automação-03
He 2015-automação-03He 2015-automação-03
He 2015-automação-03
 
He 2015-04 - acústica
He 2015-04 - acústicaHe 2015-04 - acústica
He 2015-04 - acústica
 
He 2015-02 -elétrica1
He 2015-02 -elétrica1He 2015-02 -elétrica1
He 2015-02 -elétrica1
 
h
hh
h
 
cabea
cabeacabea
cabea
 
He cabeamento
He cabeamentoHe cabeamento
He cabeamento
 
redes-2
redes-2redes-2
redes-2
 
Heelet
HeeletHeelet
Heelet
 
he15re01
he15re01he15re01
he15re01
 
acust-02
acust-02acust-02
acust-02
 
cabeamento3
cabeamento3cabeamento3
cabeamento3
 

Semelhante a He marketing

TIPOS DE TÉCNICAS DE MARKETING VOLTADAS AO CLIENTES DE IMOVEIS
TIPOS DE TÉCNICAS DE MARKETING VOLTADAS AO CLIENTES DE IMOVEISTIPOS DE TÉCNICAS DE MARKETING VOLTADAS AO CLIENTES DE IMOVEIS
TIPOS DE TÉCNICAS DE MARKETING VOLTADAS AO CLIENTES DE IMOVEISRobson Ribeiro
 
Aula 03 - Marketing Digital Aplicado ao E-commerce
Aula 03 - Marketing Digital Aplicado ao E-commerceAula 03 - Marketing Digital Aplicado ao E-commerce
Aula 03 - Marketing Digital Aplicado ao E-commerceAlexandre Figueirôa
 
Vendas e Marketing na 4a (quarta) Revolucao Industrial - A Transformação Digi...
Vendas e Marketing na 4a (quarta) Revolucao Industrial - A Transformação Digi...Vendas e Marketing na 4a (quarta) Revolucao Industrial - A Transformação Digi...
Vendas e Marketing na 4a (quarta) Revolucao Industrial - A Transformação Digi...Valêncio Garcia
 
Marketing Para Redes Sociais
Marketing Para Redes SociaisMarketing Para Redes Sociais
Marketing Para Redes SociaisDaniel Miura
 
Up Digital Marketing_Aula 1_Nectus.pptx
Up Digital Marketing_Aula 1_Nectus.pptxUp Digital Marketing_Aula 1_Nectus.pptx
Up Digital Marketing_Aula 1_Nectus.pptxATRONTECNOLOGIA
 
Empreendendo com mídias sociais
Empreendendo com mídias sociaisEmpreendendo com mídias sociais
Empreendendo com mídias sociaisRafael Galdino
 
Guia prático do Marketing Imobiliário Digital
Guia prático do Marketing Imobiliário DigitalGuia prático do Marketing Imobiliário Digital
Guia prático do Marketing Imobiliário DigitalFábio Assis
 
Funil de Vendas na Prática
Funil de Vendas na PráticaFunil de Vendas na Prática
Funil de Vendas na PráticaAdeildo Caboclo
 
Curso gestão de marketing e vendas (24hs)
Curso   gestão de marketing e vendas (24hs)Curso   gestão de marketing e vendas (24hs)
Curso gestão de marketing e vendas (24hs)Summo_Consultoria
 
Treinamento negociação
Treinamento negociaçãoTreinamento negociação
Treinamento negociaçãoJhelena Maria
 
Guia de marketing digital para pequenas empresas
Guia de marketing digital para pequenas empresasGuia de marketing digital para pequenas empresas
Guia de marketing digital para pequenas empresasContaAzul
 
guia-funil-de-vendas.pdf
guia-funil-de-vendas.pdfguia-funil-de-vendas.pdf
guia-funil-de-vendas.pdfzarinha
 
Trabalho Marketing.pptx
Trabalho Marketing.pptxTrabalho Marketing.pptx
Trabalho Marketing.pptxGustavo382920
 

Semelhante a He marketing (20)

TIPOS DE TÉCNICAS DE MARKETING VOLTADAS AO CLIENTES DE IMOVEIS
TIPOS DE TÉCNICAS DE MARKETING VOLTADAS AO CLIENTES DE IMOVEISTIPOS DE TÉCNICAS DE MARKETING VOLTADAS AO CLIENTES DE IMOVEIS
TIPOS DE TÉCNICAS DE MARKETING VOLTADAS AO CLIENTES DE IMOVEIS
 
Aula 03 - Marketing Digital Aplicado ao E-commerce
Aula 03 - Marketing Digital Aplicado ao E-commerceAula 03 - Marketing Digital Aplicado ao E-commerce
Aula 03 - Marketing Digital Aplicado ao E-commerce
 
Ebook
EbookEbook
Ebook
 
Vendas e Marketing na 4a (quarta) Revolucao Industrial - A Transformação Digi...
Vendas e Marketing na 4a (quarta) Revolucao Industrial - A Transformação Digi...Vendas e Marketing na 4a (quarta) Revolucao Industrial - A Transformação Digi...
Vendas e Marketing na 4a (quarta) Revolucao Industrial - A Transformação Digi...
 
Marketing Para Redes Sociais
Marketing Para Redes SociaisMarketing Para Redes Sociais
Marketing Para Redes Sociais
 
Manual de Vendas para o Mercado de EPIs
Manual de Vendas para o Mercado de EPIsManual de Vendas para o Mercado de EPIs
Manual de Vendas para o Mercado de EPIs
 
Motivação & vendas
Motivação & vendasMotivação & vendas
Motivação & vendas
 
Up Digital Marketing_Aula 1_Nectus.pptx
Up Digital Marketing_Aula 1_Nectus.pptxUp Digital Marketing_Aula 1_Nectus.pptx
Up Digital Marketing_Aula 1_Nectus.pptx
 
Empreendendo com mídias sociais
Empreendendo com mídias sociaisEmpreendendo com mídias sociais
Empreendendo com mídias sociais
 
Negociação
NegociaçãoNegociação
Negociação
 
Guia prático do Marketing Imobiliário Digital
Guia prático do Marketing Imobiliário DigitalGuia prático do Marketing Imobiliário Digital
Guia prático do Marketing Imobiliário Digital
 
Funil de Vendas na Prática
Funil de Vendas na PráticaFunil de Vendas na Prática
Funil de Vendas na Prática
 
Guia de vendas
Guia de vendasGuia de vendas
Guia de vendas
 
CRM para imobiliárias
CRM para imobiliáriasCRM para imobiliárias
CRM para imobiliárias
 
Curso gestão de marketing e vendas (24hs)
Curso   gestão de marketing e vendas (24hs)Curso   gestão de marketing e vendas (24hs)
Curso gestão de marketing e vendas (24hs)
 
Treinamento negociação
Treinamento negociaçãoTreinamento negociação
Treinamento negociação
 
Guia de marketing digital para pequenas empresas
Guia de marketing digital para pequenas empresasGuia de marketing digital para pequenas empresas
Guia de marketing digital para pequenas empresas
 
Tecnicas de Vendas
Tecnicas de VendasTecnicas de Vendas
Tecnicas de Vendas
 
guia-funil-de-vendas.pdf
guia-funil-de-vendas.pdfguia-funil-de-vendas.pdf
guia-funil-de-vendas.pdf
 
Trabalho Marketing.pptx
Trabalho Marketing.pptxTrabalho Marketing.pptx
Trabalho Marketing.pptx
 

Mais de FlavioCLima

He 2015-04-redes
He 2015-04-redesHe 2015-04-redes
He 2015-04-redesFlavioCLima
 
He 2015-04-cabeamento
He 2015-04-cabeamentoHe 2015-04-cabeamento
He 2015-04-cabeamentoFlavioCLima
 
Redes modulo 3 - 2015
Redes   modulo 3 - 2015Redes   modulo 3 - 2015
Redes modulo 3 - 2015FlavioCLima
 
He 2015-03 - elétrica
He 2015-03 - elétricaHe 2015-03 - elétrica
He 2015-03 - elétricaFlavioCLima
 
He 2015-cabeamento-03
He 2015-cabeamento-03He 2015-cabeamento-03
He 2015-cabeamento-03FlavioCLima
 
Noções básicas de endereçamento de redes tcp ip
Noções básicas de endereçamento de redes tcp ipNoções básicas de endereçamento de redes tcp ip
Noções básicas de endereçamento de redes tcp ipFlavioCLima
 
He 2015-áudio-02
He 2015-áudio-02He 2015-áudio-02
He 2015-áudio-02FlavioCLima
 
He 2015-01-automação
He 2015-01-automaçãoHe 2015-01-automação
He 2015-01-automaçãoFlavioCLima
 

Mais de FlavioCLima (12)

cabeamento4
cabeamento4cabeamento4
cabeamento4
 
He 2015-04-redes
He 2015-04-redesHe 2015-04-redes
He 2015-04-redes
 
He 2015-04-cabeamento
He 2015-04-cabeamentoHe 2015-04-cabeamento
He 2015-04-cabeamento
 
Redes modulo 3 - 2015
Redes   modulo 3 - 2015Redes   modulo 3 - 2015
Redes modulo 3 - 2015
 
He 2015-03 - elétrica
He 2015-03 - elétricaHe 2015-03 - elétrica
He 2015-03 - elétrica
 
He 2015-cabeamento-03
He 2015-cabeamento-03He 2015-cabeamento-03
He 2015-cabeamento-03
 
Noções básicas de endereçamento de redes tcp ip
Noções básicas de endereçamento de redes tcp ipNoções básicas de endereçamento de redes tcp ip
Noções básicas de endereçamento de redes tcp ip
 
He video
He videoHe video
He video
 
He 2015-áudio-02
He 2015-áudio-02He 2015-áudio-02
He 2015-áudio-02
 
02-automa
02-automa02-automa
02-automa
 
he15mk01
he15mk01he15mk01
he15mk01
 
He 2015-01-automação
He 2015-01-automaçãoHe 2015-01-automação
He 2015-01-automação
 

Último

ufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdf
ufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdfufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdf
ufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdfManuais Formação
 
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º ano
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º anoNós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º ano
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º anoIlda Bicacro
 
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdfaulasgege
 
Livro infantil: A onda da raiva. pdf-crianças
Livro infantil: A onda da raiva. pdf-criançasLivro infantil: A onda da raiva. pdf-crianças
Livro infantil: A onda da raiva. pdf-criançasMonizeEvellin2
 
Sequência didática Carona 1º Encontro.pptx
Sequência didática Carona 1º Encontro.pptxSequência didática Carona 1º Encontro.pptx
Sequência didática Carona 1º Encontro.pptxCarolineWaitman
 
5. EJEMPLOS DE ESTRUCTURASQUINTO GRADO.pptx
5. EJEMPLOS DE ESTRUCTURASQUINTO GRADO.pptx5. EJEMPLOS DE ESTRUCTURASQUINTO GRADO.pptx
5. EJEMPLOS DE ESTRUCTURASQUINTO GRADO.pptxnelsontobontrujillo
 
UFCD_8291_Preparação e confeção de peixes e mariscos_índice.pdf
UFCD_8291_Preparação e confeção de peixes e mariscos_índice.pdfUFCD_8291_Preparação e confeção de peixes e mariscos_índice.pdf
UFCD_8291_Preparação e confeção de peixes e mariscos_índice.pdfManuais Formação
 
transcrição fonética para aulas de língua
transcrição fonética para aulas de línguatranscrição fonética para aulas de língua
transcrição fonética para aulas de línguaKelly Mendes
 
QUESTÃO 4 Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
QUESTÃO 4   Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...QUESTÃO 4   Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
QUESTÃO 4 Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...azulassessoria9
 
"Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã"
"Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã""Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã"
"Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã"Ilda Bicacro
 
Gramática - Texto - análise e construção de sentido - Moderna.pdf
Gramática - Texto - análise e construção de sentido - Moderna.pdfGramática - Texto - análise e construção de sentido - Moderna.pdf
Gramática - Texto - análise e construção de sentido - Moderna.pdfKelly Mendes
 
Santa Gemma Galgani, Flor de Lucca, mística italiana 1887-1903 (Portugués).pptx
Santa Gemma Galgani, Flor de Lucca, mística italiana 1887-1903 (Portugués).pptxSanta Gemma Galgani, Flor de Lucca, mística italiana 1887-1903 (Portugués).pptx
Santa Gemma Galgani, Flor de Lucca, mística italiana 1887-1903 (Portugués).pptxMartin M Flynn
 
Peça de teatro infantil: A cigarra e as formigas
Peça de teatro infantil: A cigarra e as formigasPeça de teatro infantil: A cigarra e as formigas
Peça de teatro infantil: A cigarra e as formigasBibliotecaViatodos
 
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamente
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamenteDescrever e planear atividades imersivas estruturadamente
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamenteLeonel Morgado
 
As teorias de Lamarck e Darwin para alunos de 8ano.ppt
As teorias de Lamarck e Darwin para alunos de 8ano.pptAs teorias de Lamarck e Darwin para alunos de 8ano.ppt
As teorias de Lamarck e Darwin para alunos de 8ano.pptorlando dias da silva
 
Alemanha vs União Soviética - Livro de Adolf Hitler
Alemanha vs União Soviética - Livro de Adolf HitlerAlemanha vs União Soviética - Livro de Adolf Hitler
Alemanha vs União Soviética - Livro de Adolf Hitlerhabiwo1978
 
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.HandersonFabio
 
Aspectos históricos da educação dos surdos.pptx
Aspectos históricos da educação dos surdos.pptxAspectos históricos da educação dos surdos.pptx
Aspectos históricos da educação dos surdos.pptxprofbrunogeo95
 
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos AnimaisNós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos AnimaisIlda Bicacro
 
Power Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantil
Power Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantilPower Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantil
Power Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantilMariaHelena293800
 

Último (20)

ufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdf
ufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdfufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdf
ufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdf
 
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º ano
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º anoNós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º ano
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º ano
 
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
 
Livro infantil: A onda da raiva. pdf-crianças
Livro infantil: A onda da raiva. pdf-criançasLivro infantil: A onda da raiva. pdf-crianças
Livro infantil: A onda da raiva. pdf-crianças
 
Sequência didática Carona 1º Encontro.pptx
Sequência didática Carona 1º Encontro.pptxSequência didática Carona 1º Encontro.pptx
Sequência didática Carona 1º Encontro.pptx
 
5. EJEMPLOS DE ESTRUCTURASQUINTO GRADO.pptx
5. EJEMPLOS DE ESTRUCTURASQUINTO GRADO.pptx5. EJEMPLOS DE ESTRUCTURASQUINTO GRADO.pptx
5. EJEMPLOS DE ESTRUCTURASQUINTO GRADO.pptx
 
UFCD_8291_Preparação e confeção de peixes e mariscos_índice.pdf
UFCD_8291_Preparação e confeção de peixes e mariscos_índice.pdfUFCD_8291_Preparação e confeção de peixes e mariscos_índice.pdf
UFCD_8291_Preparação e confeção de peixes e mariscos_índice.pdf
 
transcrição fonética para aulas de língua
transcrição fonética para aulas de línguatranscrição fonética para aulas de língua
transcrição fonética para aulas de língua
 
QUESTÃO 4 Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
QUESTÃO 4   Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...QUESTÃO 4   Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
QUESTÃO 4 Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
 
"Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã"
"Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã""Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã"
"Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã"
 
Gramática - Texto - análise e construção de sentido - Moderna.pdf
Gramática - Texto - análise e construção de sentido - Moderna.pdfGramática - Texto - análise e construção de sentido - Moderna.pdf
Gramática - Texto - análise e construção de sentido - Moderna.pdf
 
Santa Gemma Galgani, Flor de Lucca, mística italiana 1887-1903 (Portugués).pptx
Santa Gemma Galgani, Flor de Lucca, mística italiana 1887-1903 (Portugués).pptxSanta Gemma Galgani, Flor de Lucca, mística italiana 1887-1903 (Portugués).pptx
Santa Gemma Galgani, Flor de Lucca, mística italiana 1887-1903 (Portugués).pptx
 
Peça de teatro infantil: A cigarra e as formigas
Peça de teatro infantil: A cigarra e as formigasPeça de teatro infantil: A cigarra e as formigas
Peça de teatro infantil: A cigarra e as formigas
 
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamente
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamenteDescrever e planear atividades imersivas estruturadamente
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamente
 
As teorias de Lamarck e Darwin para alunos de 8ano.ppt
As teorias de Lamarck e Darwin para alunos de 8ano.pptAs teorias de Lamarck e Darwin para alunos de 8ano.ppt
As teorias de Lamarck e Darwin para alunos de 8ano.ppt
 
Alemanha vs União Soviética - Livro de Adolf Hitler
Alemanha vs União Soviética - Livro de Adolf HitlerAlemanha vs União Soviética - Livro de Adolf Hitler
Alemanha vs União Soviética - Livro de Adolf Hitler
 
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
 
Aspectos históricos da educação dos surdos.pptx
Aspectos históricos da educação dos surdos.pptxAspectos históricos da educação dos surdos.pptx
Aspectos históricos da educação dos surdos.pptx
 
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos AnimaisNós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
 
Power Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantil
Power Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantilPower Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantil
Power Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantil
 

He marketing

  • 1.
  • 3. SEQUÊNCIA TRATADA NO MÓDULO ANTERIOR: • EMPREENDEDORISMO • VISÕES DE NEGÓCIO • OPORTUNIDADES • TIPOS DE CONSUMIDORES • PRODUTOS E SERVIÇOS INOVADORES
  • 4. PRINCIPAIS “LINKS” DO MÓDULO ANTERIOR: • MUDANÇAS • VELOCIDADE •ADAPTAÇÃO •OPORTUNIDADES
  • 5. MUDANÇAS / VELOCIDADE Tempo decorrido para que 25% da população tenha tido acesso a estes bens / serviços: AUTOMÓVEL – 55 anos TELEFONE – 35 anos TELEVISÃO – 26 anos MICROCOMPUTADOR – 16 anos TELEFONE CELULAR – 13 anos (............)
  • 6. ADAPTAÇÃO / OPORTUNIDADES Empresas bem sucedidas realizam um bom “encaixe” entre aquilo que vendem hoje e aquilo que os mercados-alvo desejam comprar. À medida que os mercados mudam, assim devem mudar as empresas. Na verdade, as melhores empresas lideram a mudança de mercado.
  • 7. ADAPTAÇÃO / OPORTUNIDADES O foco estratégico não é inimigo da inovação e sim seu aliado Uma missão estimulante: • oferece direcionamento • canaliza recursos • inspira esforço • repõe energia > em busca da excelência
  • 8. ADAPTAÇÃO / OPORTUNIDADES As empresas devem ser simultaneamente focadas e empreendedoras. Compartilham a competência essencial de saber o que preservar e o que mudar. Devem ser inovadoras tanto no nível estratégico quanto no nível da execução.
  • 9. TEMAS DESTE MÓDULO • CARACTERÍSTICAS DO MERCADO • ESTRATÉGIAS DE MARKETING • TÉCNICAS DE VENDAS • TENDÊNCIAS DA DISTRIBUIÇÃO E DO VAREJO
  • 10. CARACTERÍSTICAS DO MERCADO Adaptabilidade a mudanças deve ser um fator crítico. As organizações para serem competitivas devem construir redes de negócios permeáveis com seus fornecedores, distribuidores, empregados e até com seus concorrentes. Portanto, qualquer que seja a intenção que motive a formação de um novo negócio deve-se dotá-lo de muita flexibilidade. Estruturas rígidas e engessadas pertencem ao passado.
  • 11. CARACTERÍSTICAS DO MERCADO Conseguir atender a uma oportunidade aparentemente passageira pode ser a porta de entrada para um negócio ainda mais lucrativo que o inicialmente planejado. Num mercado tão diversificado como o que estamos tratando o conhecimento específico e aprofundado de certas tecnologias não é disseminado e nem pode ser obtido da noite para o dia. Por isso, compor Parcerias para atender certas necessidades pode ser um fator determinante para ser bem sucedido em um projeto.
  • 12. CARACTERÍSTICAS DO MERCADO Muitas vezes pode ser economicamente inviável investir tempo e capital para adquirir certo know how que será utilizado uma única vez e cuja essência pode estar desatualizada no momento seguinte. Nesta tendência, de vendedores podemos passar a compradores.
  • 13. CARACTERÍSTICAS DO MERCADO Ou seja, adquirir um serviço de terceiros para atender plenamente a venda feita a um cliente. Ou conceder a este terceiro a participação nos resultados deste projeto e , desta maneira, obter a contrapartida numa próxima ocasião. Este tipo de composição permite manter a flexibilidade do negócio , sem prejudicar o atendimento do cliente.
  • 14. CARACTERÍSTICAS DO MERCADO EVOLUÇÃO DA PERCEPÇÃO DO CONSUMIDOR EM RELAÇÃO AOS BENS E SERVIÇOS DE BASE TECNOLÓGICA FASE 1 STATUS E MODERNIDADE FASE 2 CONVENIÊNCIA E CONFORTO FASE 3 NECESSIDADE BÁSICA
  • 15. RELACIONAMENTO COM OS CLIENTES 70% DOS CLIENTES PERDIDOS NÃO FORAM DEVIDO A QUESTÕES DE PREÇO OU QUALIDADE MAS PORQUE NÃO GOSTARAM DO LADO HUMANO DE FAZER NEGÓCIOS COM O FORNECEDOR ANTERIOR DE PRODUTOS OU SERVIÇOS (“Em busca do UAU” – Tom Peters)
  • 16. RELACIONAMENTO COM OS CLIENTES Antigamente bastava ter um produto razoavelmente decente e comercializá-lo. Hoje em dia a história é outra... O consumidor desejará saber quem você é antes de comprar o que você vende. E quem é você nem sempre é uma pergunta fácil de responder... (“O Relatório Popcorn” – Faith Popcorn)
  • 17. RELACIONAMENTO COM OS CLIENTES • O mito do preço: as pessoas valorizam preços honestos, não necessariamente baixos • Serviços: cumpra suas promessas – o consumidor quer ser reconhecido como individuo e saber que está negociando com alguém de boa vontade que vai personalizar sua oferta e atender suas necessidades individuais • Acesso às suas ofertas: chegar à empresa (física ou virtualmente) é muito menos importante do que conseguir o que querem uma vez que tenham chegado (“O Mito da Excelência” – F.Crawford e R.Mathews)
  • 18. INTERNET E REDES SOCIAIS • Tenha uma Home Page de sua empresa na Internet e faça uma boa divulgação dela. • Além disso, ofereça informações e serviços através dela. • Mantenha-a atualizada de forma a intensificar a visitação. Utilize recursos simples como blogs, publicação de imagens e vídeos (Youtube) Como você está vendendo tecnologia não pode ficar longe da Web! ESTRATÉGIAS DE MARKETING
  • 19. INTERNET E REDES SOCIAIS Responda prontamente aos e-mails que lhe são encaminhados com dúvidas e consultas. Só envie malas diretas (e-mail marketing) a destinatários conhecidos ou àqueles que solicitaram explicitamente. Utilize serviços específicos de e-mail marketing para avaliar os resultados das diversas possibilidades de comunicação. ESTRATÉGIAS DE MARKETING
  • 20. INTERNET E REDES SOCIAIS Esteja preparado para responder e atender os questionamentos recebidos a partir de suas campanhas – não desperdice tempo e dinheiro ! ESTRATÉGIAS DE MARKETING
  • 21. INTERNET E REDES SOCIAIS Twitter A capacidade de propagação desta rede social é abrangente, rápida mas também efêmera. Crie um ou mais perfis no Twitter, conforme o objetivo da divulgação que pretende: - tratar sobre aspectos técnicos de sua atividade - fazer a divulgação de seus “cases” de sucesso - manifestar sua atuação pessoal em grupos de influência (propagadores) ESTRATÉGIAS DE MARKETING
  • 22. INTERNET E REDES SOCIAIS Utilize o Twitter: • para mensagens simples e direcionadas às novidades de seu site ou blog. • para divulgar e acompanhar eventos com sua participação. • para repassar noticias importantes sobre o seu mercado de atuação – seja seletivo ! ESTRATÉGIAS DE MARKETING
  • 23. RELAÇÕES PÚBLICAS E MIDIA Crie uma newsletter para promover seus serviços. Elas ajudam a construir reconhecimento e estabelecer credibilidade entre uma audiência selecionada durante um longo período de tempo. Sempre que possível leve seus CASES de sucesso para a mídia e aproveite estas publicações em seu portfolio (web site, blogs, twitter, facebook ou material impresso). ESTRATÉGIAS DE MARKETING
  • 24. RELAÇÕES PÚBLICAS E MIDIA Participe de Feiras, Congressos e Apresentações de Produtos. Escreva artigos quando solicitado e dissemine-os entre clientes, parceiros e redes sociais. Participe de ações junto a grupos de influencia (associações de classe, universidades, escolas técnicas). ESTRATÉGIAS DE MARKETING
  • 25. BRANDING •Em nossa atividade muitas vezes o conceito de “marca” está mais associado à nossa imagem pessoal e de nossos colaboradores. •Portanto, é importante cuidar destes aspectos diariamente ! •Uniformes do pessoal de instalação, papeis de carta e cartões de visita devem ser de boa qualidade. A percepção sobre este material pode conduzir a uma imagem de classe e sucesso. ESTRATÉGIAS DE MARKETING
  • 26. VENCENDO OBJEÇÕES Seja assertivo significa não aceitar o “não” como uma primeira resposta. Comece a praticar uma postura onde você vai expressar seus sentimentos sem ansiedade ou raiva. Mostre para as pessoas o que você deseja de uma maneira amigável, sem ameaças. Veja que existe uma grande diferença entre ser assertivo e agressivo. Você é assertivo quando cuida de seus próprios interesses e diz o que pensa com educação. TÉCNICAS DE VENDAS
  • 27. VENCENDO OBJEÇÕES Planeje Nunca vá para uma negociação sem fazer sua lição de casa. Existem varias informações que você precisa descobrir antes do inicio de uma negociação. Por exemplo: quais opções que ele tem ? Quais as pressões que está sofrendo ? Ele tem uma data limite para resolver o problema ? Qual seu orçamento ? Quando você planeja, a tensão e o stress diminuem. O cenário se torna mais familiar, e várias opções vão surgindo à sua frente. Você fica mais tranqüilo e confiante para qualquer negociação. TÉCNICAS DE VENDAS
  • 28. VENCENDO OBJEÇÕES Nunca dê nada de graça Tudo que é dado de graça não tem valor. Faça o outro lado valorizar cada concessão sua. Não dê nada, troque tudo. Por exemplo, se ele pedir um desconto adicional no preço, solicite uma condição de pagamento mais favorável. Se ele pedir mais prazo, peça algo em troca. A palavra mais importante no vocabulário de um negociador é a palavra “se”. Tudo o que começa com “se” está na condicional e implica numa troca – se você fizer isso, eu posso fazer aquilo... TÉCNICAS DE VENDAS
  • 29. VENCENDO OBJEÇÕES Guarde uma concessão para o final É importante que o outro lado saia com uma sensação de vitória, de ter feito um ótimo negócio. Para que isto aconteça é preciso guardar algumas pequenas concessões para o final da negociação. Tenha sempre uma alternativa Nunca negocie sem ter outras alternativas. Quando não temos opção, ficamos inteiramente nas mãos do oponente. Se ele conseguir descobrir isto, certamente vai conseguir desequilibrar a negociação . TÉCNICAS DE VENDAS
  • 30. VENCENDO OBJEÇÕES Razão #1 : Não há necessidade Razão #2 : Não há dinheiro Razão # 3 : Não há pressa Razão # 4: Não há credibilidade TÉCNICAS DE VENDAS
  • 31. VENCENDO OBJEÇÕES Razão #1 : Não há necessidade Na sociedade moderna, raramente as pessoas compram coisas porque realmente as necessitam. As pessoas compram alguma coisa porque a desejam. Por isso, quando um provável consumidor lhe disser "eu não preciso de seu produto", na verdade ele quer dizer "eu não o desejo". Neste caso, como fazer para não perder vendas ? Direcione seu esforço de marketing. Promova seu negócio apenas entre o grupo de pessoas que revela um alto grau de desejo pelo seu produto ou serviço. Exemplo: direcione promoções aos compradores de imóveis novos, numa faixa etária até 40 anos e com maior poder aquisitivo. É óbvio que existem outros consumidores fora desta especificação, mas a probabilidade de desejarem seu produto é bem menor. TÉCNICAS DE VENDAS
  • 32. VENCENDO OBJEÇÕES Razão #2 : Não há dinheiro Raramente a razão efetiva para não concretizar uma venda é a falta de dinheiro (ou a falta de condições de obtê-lo) . O que acontece é que o consumidor define uma prioridade maior para outro bem e acaba relegando o seu. Para obter esta venda, portanto, você deve fazer com que o consumidor priorize o seu produto. Qual é o problema que mais aflige no momento o seu cliente potencial ? Dramatize esta situação e faça ver ao seu cliente como ele se sentiria bem assim que o seu produto eliminar este problema. Faça isso tão importante a ponto de fazê-lo mover sua oferta ao topo de suas prioridades. TÉCNICAS DE VENDAS
  • 33. VENCENDO OBJEÇÕES Razão # 3 : Não há pressa Muitas pessoas têm a mania de adiar o ato da compra, mesmo já tendo tomado a decisão de fazê-la. E, com o passar do tempo, acabam se esquecendo quais seriam os benefícios esperados de seu produto. Ficarão distraídos por outras ofertas e prioridades e você vai perder sua venda. É preciso sempre estar em contato com o cliente e mostrar-lhe as penalizações a que estará sujeito pela sua falta de pressa. Além disso, é sempre eficiente estabelecer um desconto limitado a certo prazo ou oferecer condições mais vantajosas para atrair a venda imediatamente. TÉCNICAS DE VENDAS
  • 34. VENCENDO OBJEÇÕES Razão # 3 : Não há pressa Exemplo: no caso de um imóvel em construção ou reforma, quanto mais tempo passar, maior será o risco de se incorrer em custos de intervenções ou pequenas reformas se o seu projeto de infra- estrutura não for implantado a seu devido tempo. TÉCNICAS DE VENDAS
  • 35. VENCENDO OBJEÇÕES Razão # 4: Não há credibilidade Muitos consumidores têm mais receio de perder algo que já têm do que predisposição a ganhar algo que advenha de uma nova aquisição. Este receio muitas vezes os fazem rejeitar a compra de bens que realmente desejam. Eles ficam relutantes em comprar porque podem não obter exatamente o que desejam de seu produto ou serviço e ainda ficarão sem o dinheiro. Como afastar esta objeção ? Providencie depoimentos de clientes satisfeitos. Assegure seus serviços por escrito. Crie um elo de ligação rápido, como um telefone pessoal direto onde você possa ser achado com facilidade. Ilustre com situações já vividas anteriormente e bem resolvidas. Sempre demonstre engajamento pessoal na situação. TÉCNICAS DE VENDAS
  • 36. APRESENTANDO PROPOSTAS • focalize os objetivos e necessidades de seu cliente. Se você fez um bom levantamento nas entrevistas iniciais, vai saber como incluir isto na sua proposta. Faça então com que a proposta não se pareça com uma solução "enlatada“. • não inclua longos históricos da empresa e currículos de seus profissionais. Mesmo que pareça difícil de acreditar, quase ninguém presta atenção nisso. TÉCNICAS DE VENDAS
  • 37. APRESENTANDO PROPOSTAS • seja conciso. Se estiver numa situação competitiva e a sua proposta for bem sintetizada, provavelmente será a primeira a ser lida e as demais serão comparadas à sua. • faça a sua proposta ser lida com facilidade. Utilize marcadores, cores, flechas e outros elementos gráficos para prender a atenção do cliente nos pontos mais importantes de sua argumentação. TÉCNICAS DE VENDAS
  • 38. APRESENTANDO PROPOSTAS • Se necessário, apresente a proposta em diferentes enfoques. Pode ser importante para o engenheiro da obra ter informações técnicas de projetos e produtos; neste caso inclua catálogos, por exemplo, e lembre-se que não é ele quem vai liberar o dinheiro, portanto não é sequer necessário mencionar valores. Já o proprietário do imóvel não precisa de todos estes dados técnicos, mas enfim é quem vai gastar. Portanto faça para ele uma apresentação com outra ênfase. TÉCNICAS DE VENDAS
  • 39. APRESENTANDO PROPOSTAS • enfatize suas vantagens competitivas únicas. •por último, solicite enfaticamente uma resposta. Faça isso numa carta de acompanhamento, durante a apresentação e também na entrega da proposta. Ser passivo nunca funciona. Você deve insistir numa resposta. TÉCNICAS DE VENDAS
  • 40. UM SHOWROOM É NECESSÁRIO ? Não existe, logicamente uma resposta única e plenamente convincente a esta questão. No entanto, vamos listar algumas situações para refletir sobre o tema e deixar a decisão para cada um ao analisar o ser negócio (atual e futuro). TÉCNICAS DE VENDAS
  • 41. UM SHOWROOM É NECESSÁRIO ? Fatores favoráveis 1. Muitos produtos e serviços que tratamos são ainda pouco conhecidos . Neste caso um showroom pode ser um forte apoio às vendas. 2. Além disto, o mesmo espaço físico também seria utilizado para atendimento dos clientes e para abrigar os colaboradores internos da empresa. 3. O espaço também serve para experimentar novas tecnologias e produtos em lançamento. TÉCNICAS DE VENDAS
  • 42. UM SHOWROOM É NECESSÁRIO ? Fatores desfavoráveis 1. Custo de manutenção do espaço elevado. 2. Necessidade de manter o showroom sempre atualizado e equipado com os últimos lançamentos. 3. O showroom passa a ser também um “cliente”, ocupando tempo de atendimento da equipe. Argumento: os valores gastos poderiam ser utilizados no treinamento de pessoal, na melhoria do web site e outros investimentos diretos na atividade principal da empresa. TÉCNICAS DE VENDAS
  • 43. UM SHOWROOM É NECESSÁRIO ? Alternativas ao showroom próprio 1. Criar uma sala de atendimento com alguns recursos tecnológicos, como projetor e tela, cortinas e iluminação automatizadas, som ambiente, imagens de instalações. Não seriam necessária uma decoração sofisticada, as apenas funcional. 2. Criar um “book” fotográfico e de vídeos para fazer exibições aos seus clientes, inclusive em seus domicílios. 3. Participar de “apartamentos decorados” em empreendimentos imobiliários que funcionam como showroom temporários mas cujo custo de manutenção não é de sua responsabilidade. TÉCNICAS DE VENDAS
  • 44. UM SHOWROOM É NECESSÁRIO ? Alternativas ao showroom próprio 4. Trabalhar em parceria com lojas já estabelecidas em áreas correlatas, como iluminação, decoração ou ateliers em geral. 5. Participar de mostras temporárias, desde que lhe seja garantido destaque na exposição de seus produtos e serviços em troca desta participação. 6. Ter parceria com fabricantes e entidades de ensino com laboratórios de testes para poder avaliar novos produtos e simular situações reais antes de ir ao mercado. TÉCNICAS DE VENDAS
  • 45. TENDÊNCIAS DA DISTRIBUIÇÃO E DO VAREJO Vamos lembrar algumas situações de determinados mercados nas últimas décadas: • Sistemas eletrônicos de segurança • Home Theater (Áudio e Vídeo) • Redes de informática
  • 46. TENDÊNCIAS DA DISTRIBUIÇÃO E DO VAREJO Equipamento x serviço Podemos demonstrar que os produtos não existiriam sem os serviços que lhes complementam. Principalmente no estágio atual que vivemos no mercado não faz sentido pensar em vender simplesmente produtos. Em primeiro lugar alguém deve especificar este produto para que um usuário decida comprá-lo; em seguida alguém deve instalar e talvez programar o produto. No futuro, alguém irá fazer sua manutenção ou assistência técnica. Assim, o pacote de serviços que cerca o produto é tão ou mais importante que o produto em si mesmo.
  • 47. TENDÊNCIAS DA DISTRIBUIÇÃO E DO VAREJO Vamos simular algumas situações futuras: • Tecnologias residenciais em geral O que esperar ? Posicionamento dos fabricantes , dos atacadistas e dos varejistas Mudança nos canais ? Personalização x atacado E os serviços: projeto e especificação, instalação, programação, pós- venda ?