SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 16
Baixar para ler offline
Alunos: Fillipe Bezerra;
Jailton Filho;
Netlly Marques;
Ranielly Cardoso;
Rayanne Souza.

Comunicação Visual – B
Antes

Fora do Brasil

 primeira vez na história,
 Em meados do século XVIII, pela

filósofos iluministas criticavam de forma absolutistas, a
ideia de escravidão. Consideravam a ideia de liberdade
como algo natural que nascia com a pessoa.
 Em 1863, o decreto do presidente dos Estados Unidos
Abraham Lincoln em acabar com a escravidão nos
Estados Unidos deu margem para que movimentos
abolicionistas brasileiros fortalecessem sua campanha
contra o regime escravocrata.
Antes

No Brasil

 depende da escravidão.
 Quase toda economia do Brasil

Acabando a ser uma prática natural. Mas como se formou
a Independência do brasil, falar em liberdade e cidadania
e, ainda assim, continuar com o cativeiro?
 Simples, naqueles tempos as ideia de liberdade e
cidadania estavam na Constituição Imperial, porém uma
outra ideia estava lá, era a ideia de Direito de
Propriedade, daí fica fácil a ideia de Escravidão depois da
Independência.
Observação
 A carta constitucional foi encomendada
pelo imperador Dom Pedro I (até
então príncipe real do Reino Unido de
Portugal, Brasil e Algarves).
Antes

Fim do tráfico Negreiro



 Justificar o tráfico negreiro era bem
mais difícil. Só em 1850, depois de
muita pressão internacional, foi
feita uma nova lei, já que ninguém
cumpria a lei que proibia o tráfico
negreiro, acabando definitivamente
com o mesmo.
 Os fazendeiros de café protestaram
mesmo com a liberdade lenta e
gradual.
Antes
Consequências do fim do tráfico Negreiro



 Diminuição da oferta de Escravos;
 Aumento no preço, ou seja,
comprar escravos se tornou caro;
 Tráfico interprovincial.
Campanha Abolicionista
Século XTX


 A resistência negra sempre adicionou-se ao crescimento

no pais, depois da Guerra do Paraguai, surge a campanha
absolutista (1870 - 1888), objetivo principal era a libertação
dos escravos. Eles conquistaram a os apoios de vários
setores da sociedade brasileira: Parlamentares, imprensa,
militares, artistas e intelectuais como Joaquim Nabuco,
José do Patrocínio, Raul Pompéia e Castro Alves.
Campanha Abolicionista
Século XIX



 Alguns ativistas chegavam a organizar secretamente fugas de
escravos em quilombos do Rio de Janeiro. Luís Gama, um
advogado ex-escravo, foi responsável pela libertação de mais de
1.000 deles em São Paulo. Nesta época, cerca de 750.000 negros
ainda eram mantidos como escravos.
O governo brasileiro promulgou, no
período da campanha abolicionista, duas
Leis de Emancipação



Vejamos...
Campanha Abolicionista

Leis Emancipatórias



 Lei do Ventre Livre: Criado pelo
Visconde de Rio Branco. Essa Lei
declarava livres todos os nascidos
de mãe escrava a partir da data de
promulgação. Essa lei teve efeitos
perversos, pois os donos de
escravos também se sentiam
libertados da obrigação de
alimentar os filhos de escravas que
seriam “livres”, ampliando o
descaso com as crianças dando um
aumento na mortalidade infantil.
Campanha Abolicionista

Leis Emancipatórias
 Lei do Sexagenários:


Declarava

livres os escravos com mais de
65 anos. Essa lei teve pouco
alcance, devido ao pequeno
número de escravos que
conseguiram chegar a essa
idade, essa lei beneficiou mais
os donos de escravos, que se
viram libertados da obrigação
de libertá-los.
Campanha Abolicionista

Leis Emancipatórias


não puseram

 Essas leis, que
fim à escravidão,
permitiram aos senhores de escravos ganhar tempo e
adiar ao máximo a abolição definitiva.

Soldado negro de volta da Guerra do Paraguai
depara-se com a cena que um negro escravo açoita
sob o olhar de um feitor branco.
Abolição

 de 1888 que a escravidão
 Foi somente em 13 de Maio
foi extinta no Brasil, com promulgação da Lei Áurea
pela princesa Isabel, na época regente do reino de
seu pai, D. Pedro II.
 A grande consequência da abolição é a queda da
monarquia, em seguida.
Depois da Abolição

 a situação social dos
 Apesar da grande conquista
negros continuou bastante difícil. Poucos possuíam
Bens. Assim, sem receber qualquer ajuda do
governo, boa parte dos negros continuaram nas
fazendas onde haviam trabalhado até então.
De olho no Vestibular





(ENEM 2013) “A escravidão não há de ser suprimida no Brasil por uma guerra servil muito menos
por insurreições ou atentados locais. Não deve sê-lo tampouco, por uma guerra civil, como o foi
nos Estados Unidos. Ela poderia desaparecer, talvez, depois de uma revolução, como aconteceu
na França, sendo essa revolução obra exclusiva da população livre. É no Parlamento e não em
fazendas ou quilombos do interior, nem nas ruas e praças das cidades, que se há de ganhar, ou
perder, a causa da liberdade.”



No texto, Joaquim Nabuco defende um projeto político sobre como deveria ocorrer o fim da
escravidão no Brasil, no qual:
A) copiava o modelo haitiano de emancipação negra.
B) incentivava a conquista de alforrias por meio de ações judiciais.
C) optava pela via legalista de libertação.
D) priorizava a negociação em torno das indenizações aos senhores.
E) antecipava a libertação paternalista dos cativos.
Resposta: Letra C

O autor defende que o fim da escravidão seja decorrência de uma via legal, legislativa
(uma concessão das elites), e não fruto da participação popular.
Hoje


recentes mostram

 Estatísticas
que apesar das
conquistas, são eles os mais atingidos pelo problema
da miséria, da fome, da falta de moradia,
dificuldades de acesso a educação e saúde. Também
recebem em média, salários mias baixos. Além de
todos esses obstáculos, ainda tem de enfrentar a
discriminação e o preconceito racial.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Redemocratização brasil
Redemocratização brasilRedemocratização brasil
Redemocratização brasilFabiana Tonsis
 
Período regencial (1831 1840)
Período regencial (1831  1840)Período regencial (1831  1840)
Período regencial (1831 1840)Marilia Pimentel
 
A Era Vargas (1930 1945)-aulão
A Era Vargas (1930 1945)-aulãoA Era Vargas (1930 1945)-aulão
A Era Vargas (1930 1945)-aulãoRodrigo Luiz
 
Proclamação da república
Proclamação da repúblicaProclamação da república
Proclamação da repúblicaFabiana Tonsis
 
Inconfidência Mineira
Inconfidência MineiraInconfidência Mineira
Inconfidência MineiraMarina Wekid
 
Período Entre Guerras e Segunda Guerra
Período Entre Guerras e Segunda GuerraPeríodo Entre Guerras e Segunda Guerra
Período Entre Guerras e Segunda GuerraDouglas Barraqui
 
Primeiro Reinado (1822-1831)
Primeiro Reinado (1822-1831)Primeiro Reinado (1822-1831)
Primeiro Reinado (1822-1831)Edenilson Morais
 
Colonizacao espanhola-america
Colonizacao espanhola-americaColonizacao espanhola-america
Colonizacao espanhola-americaMarcos Oliveira
 
Segundo Reinado (1840 – 1889)
Segundo Reinado (1840 – 1889)Segundo Reinado (1840 – 1889)
Segundo Reinado (1840 – 1889)Marilia Pimentel
 
Escravidão / Resistência
Escravidão / ResistênciaEscravidão / Resistência
Escravidão / ResistênciaJoemille Leal
 
A ditadura militar no brasil
A ditadura militar no brasilA ditadura militar no brasil
A ditadura militar no brasilFatima Freitas
 
Regimes totalitários
Regimes totalitáriosRegimes totalitários
Regimes totalitáriosIsaquel Silva
 
Chegada da família real ao brasil
Chegada da família real ao brasilChegada da família real ao brasil
Chegada da família real ao brasilGeová da Silva
 
A República Velha (1889-1930)
A República Velha (1889-1930)A República Velha (1889-1930)
A República Velha (1889-1930)Isaquel Silva
 

Mais procurados (20)

Redemocratização brasil
Redemocratização brasilRedemocratização brasil
Redemocratização brasil
 
Período regencial (1831 1840)
Período regencial (1831  1840)Período regencial (1831  1840)
Período regencial (1831 1840)
 
A Era Vargas (1930 1945)-aulão
A Era Vargas (1930 1945)-aulãoA Era Vargas (1930 1945)-aulão
A Era Vargas (1930 1945)-aulão
 
Mercantilismo
MercantilismoMercantilismo
Mercantilismo
 
Proclamação da república
Proclamação da repúblicaProclamação da república
Proclamação da república
 
Inconfidência Mineira
Inconfidência MineiraInconfidência Mineira
Inconfidência Mineira
 
Período Entre Guerras e Segunda Guerra
Período Entre Guerras e Segunda GuerraPeríodo Entre Guerras e Segunda Guerra
Período Entre Guerras e Segunda Guerra
 
Independência do Brasil
Independência do BrasilIndependência do Brasil
Independência do Brasil
 
Primeiro Reinado (1822-1831)
Primeiro Reinado (1822-1831)Primeiro Reinado (1822-1831)
Primeiro Reinado (1822-1831)
 
Colonizacao espanhola-america
Colonizacao espanhola-americaColonizacao espanhola-america
Colonizacao espanhola-america
 
A Revolução Russa
A Revolução RussaA Revolução Russa
A Revolução Russa
 
Segundo Reinado (1840 – 1889)
Segundo Reinado (1840 – 1889)Segundo Reinado (1840 – 1889)
Segundo Reinado (1840 – 1889)
 
Escravidão / Resistência
Escravidão / ResistênciaEscravidão / Resistência
Escravidão / Resistência
 
8 2º reinado
8  2º reinado8  2º reinado
8 2º reinado
 
A ditadura militar no brasil
A ditadura militar no brasilA ditadura militar no brasil
A ditadura militar no brasil
 
Regimes totalitários
Regimes totalitáriosRegimes totalitários
Regimes totalitários
 
Chegada da família real ao brasil
Chegada da família real ao brasilChegada da família real ao brasil
Chegada da família real ao brasil
 
Iluminismo
IluminismoIluminismo
Iluminismo
 
Imperialismo
ImperialismoImperialismo
Imperialismo
 
A República Velha (1889-1930)
A República Velha (1889-1930)A República Velha (1889-1930)
A República Velha (1889-1930)
 

Semelhante a Movimento abolicionista

A revolta dos búzios ou revolta dos alfaiates ou conjuração baiana de 1798
A revolta dos búzios ou revolta dos alfaiates ou conjuração baiana de 1798A revolta dos búzios ou revolta dos alfaiates ou conjuração baiana de 1798
A revolta dos búzios ou revolta dos alfaiates ou conjuração baiana de 1798Claudia Martins
 
Desigualdade racial no Brasil.ppsx
Desigualdade racial no Brasil.ppsxDesigualdade racial no Brasil.ppsx
Desigualdade racial no Brasil.ppsxGabriel Maia
 
Desigualdade racial no Brasil
Desigualdade racial no BrasilDesigualdade racial no Brasil
Desigualdade racial no BrasilGABRIELMAIA99
 
Pesquisa sobre negros no Brasil
Pesquisa sobre negros no BrasilPesquisa sobre negros no Brasil
Pesquisa sobre negros no Brasildante500anos
 
História 9°ano - imperialismo - escravidão no brasil imperial
História   9°ano - imperialismo - escravidão no brasil imperialHistória   9°ano - imperialismo - escravidão no brasil imperial
História 9°ano - imperialismo - escravidão no brasil imperialProfessor de História
 
Abolição e Proclamação da República no Brasil - Ensino Fundamental
Abolição e Proclamação da República no Brasil - Ensino FundamentalAbolição e Proclamação da República no Brasil - Ensino Fundamental
Abolição e Proclamação da República no Brasil - Ensino FundamentalAlinnie Moreira
 
Aula 11 [1-2022] - Abolir o apagamento
Aula 11 [1-2022] - Abolir o apagamentoAula 11 [1-2022] - Abolir o apagamento
Aula 11 [1-2022] - Abolir o apagamentoGerson Coppes
 
O outro lado da Abolição: o envolvimento dos maçons e dos negros no processo ...
O outro lado da Abolição: o envolvimento dos maçons e dos negros no processo ...O outro lado da Abolição: o envolvimento dos maçons e dos negros no processo ...
O outro lado da Abolição: o envolvimento dos maçons e dos negros no processo ...Vanessa Faria
 
Abolição e cidadania uma trajetória de lutas
Abolição e cidadania   uma trajetória de lutasAbolição e cidadania   uma trajetória de lutas
Abolição e cidadania uma trajetória de lutasKleyton Skankara
 
Aula 3- 9º HIS - A questão da inserção dos negros no período republicano do p...
Aula 3- 9º HIS - A questão da inserção dos negros no período republicano do p...Aula 3- 9º HIS - A questão da inserção dos negros no período republicano do p...
Aula 3- 9º HIS - A questão da inserção dos negros no período republicano do p...Lídia Pereira Silva Souza
 
Brasil colonial conjuração baiana
Brasil colonial  conjuração baianaBrasil colonial  conjuração baiana
Brasil colonial conjuração baianaandrecarlosocosta
 
Puc mg 2010 objetiva
Puc  mg 2010 objetivaPuc  mg 2010 objetiva
Puc mg 2010 objetivacursohistoria
 
Os Movimentos Sociais no Brasil
Os Movimentos Sociais no BrasilOs Movimentos Sociais no Brasil
Os Movimentos Sociais no BrasilEstude Mais
 

Semelhante a Movimento abolicionista (20)

A revolta dos búzios ou revolta dos alfaiates ou conjuração baiana de 1798
A revolta dos búzios ou revolta dos alfaiates ou conjuração baiana de 1798A revolta dos búzios ou revolta dos alfaiates ou conjuração baiana de 1798
A revolta dos búzios ou revolta dos alfaiates ou conjuração baiana de 1798
 
Abolicionismo
Abolicionismo Abolicionismo
Abolicionismo
 
Desigualdade racial no Brasil.ppsx
Desigualdade racial no Brasil.ppsxDesigualdade racial no Brasil.ppsx
Desigualdade racial no Brasil.ppsx
 
Movimento abolicionista
Movimento abolicionistaMovimento abolicionista
Movimento abolicionista
 
Desigualdade racial no Brasil
Desigualdade racial no BrasilDesigualdade racial no Brasil
Desigualdade racial no Brasil
 
Pesquisa sobre negros no Brasil
Pesquisa sobre negros no BrasilPesquisa sobre negros no Brasil
Pesquisa sobre negros no Brasil
 
História 9°ano - imperialismo - escravidão no brasil imperial
História   9°ano - imperialismo - escravidão no brasil imperialHistória   9°ano - imperialismo - escravidão no brasil imperial
História 9°ano - imperialismo - escravidão no brasil imperial
 
Abolição e Proclamação da República no Brasil - Ensino Fundamental
Abolição e Proclamação da República no Brasil - Ensino FundamentalAbolição e Proclamação da República no Brasil - Ensino Fundamental
Abolição e Proclamação da República no Brasil - Ensino Fundamental
 
sobre a lei 10.639
sobre a lei 10.639sobre a lei 10.639
sobre a lei 10.639
 
Aula 11 [1-2022] - Abolir o apagamento
Aula 11 [1-2022] - Abolir o apagamentoAula 11 [1-2022] - Abolir o apagamento
Aula 11 [1-2022] - Abolir o apagamento
 
Hist doc 9.4
Hist doc 9.4Hist doc 9.4
Hist doc 9.4
 
O outro lado da Abolição: o envolvimento dos maçons e dos negros no processo ...
O outro lado da Abolição: o envolvimento dos maçons e dos negros no processo ...O outro lado da Abolição: o envolvimento dos maçons e dos negros no processo ...
O outro lado da Abolição: o envolvimento dos maçons e dos negros no processo ...
 
Crtl V Crtl C
Crtl V Crtl CCrtl V Crtl C
Crtl V Crtl C
 
Abolição e cidadania uma trajetória de lutas
Abolição e cidadania   uma trajetória de lutasAbolição e cidadania   uma trajetória de lutas
Abolição e cidadania uma trajetória de lutas
 
Aula 3- 9º HIS - A questão da inserção dos negros no período republicano do p...
Aula 3- 9º HIS - A questão da inserção dos negros no período republicano do p...Aula 3- 9º HIS - A questão da inserção dos negros no período republicano do p...
Aula 3- 9º HIS - A questão da inserção dos negros no período republicano do p...
 
Tópico 24 cidadania no mundo atual
Tópico 24 cidadania no mundo atualTópico 24 cidadania no mundo atual
Tópico 24 cidadania no mundo atual
 
Brasil colonial conjuração baiana
Brasil colonial  conjuração baianaBrasil colonial  conjuração baiana
Brasil colonial conjuração baiana
 
Puc mg 2010 objetiva
Puc  mg 2010 objetivaPuc  mg 2010 objetiva
Puc mg 2010 objetiva
 
Brasil republica
Brasil republicaBrasil republica
Brasil republica
 
Os Movimentos Sociais no Brasil
Os Movimentos Sociais no BrasilOs Movimentos Sociais no Brasil
Os Movimentos Sociais no Brasil
 

Mais de Filllipe

Formas geométricas planas regulares e irregulares
Formas geométricas planas regulares e irregularesFormas geométricas planas regulares e irregulares
Formas geométricas planas regulares e irregularesFilllipe
 
Guerra e propaganda: De 1914 à década de 20
Guerra e propaganda: De 1914 à década de 20Guerra e propaganda: De 1914 à década de 20
Guerra e propaganda: De 1914 à década de 20Filllipe
 
Efeito Doppler - Física
Efeito Doppler - FísicaEfeito Doppler - Física
Efeito Doppler - FísicaFilllipe
 
Arte islâmica
Arte islâmicaArte islâmica
Arte islâmicaFilllipe
 
Arte grega escultura
Arte grega   esculturaArte grega   escultura
Arte grega esculturaFilllipe
 
Plano de comunicação e Plano de marketing
Plano de comunicação e Plano de marketingPlano de comunicação e Plano de marketing
Plano de comunicação e Plano de marketingFilllipe
 
Tipos de Papel
Tipos de PapelTipos de Papel
Tipos de PapelFilllipe
 
Sociologia - Pensamentos sobre o estado
Sociologia - Pensamentos sobre o estadoSociologia - Pensamentos sobre o estado
Sociologia - Pensamentos sobre o estadoFilllipe
 

Mais de Filllipe (9)

Formas geométricas planas regulares e irregulares
Formas geométricas planas regulares e irregularesFormas geométricas planas regulares e irregulares
Formas geométricas planas regulares e irregulares
 
Guerra e propaganda: De 1914 à década de 20
Guerra e propaganda: De 1914 à década de 20Guerra e propaganda: De 1914 à década de 20
Guerra e propaganda: De 1914 à década de 20
 
Efeito Doppler - Física
Efeito Doppler - FísicaEfeito Doppler - Física
Efeito Doppler - Física
 
Arte islâmica
Arte islâmicaArte islâmica
Arte islâmica
 
Arte grega escultura
Arte grega   esculturaArte grega   escultura
Arte grega escultura
 
Plano de comunicação e Plano de marketing
Plano de comunicação e Plano de marketingPlano de comunicação e Plano de marketing
Plano de comunicação e Plano de marketing
 
Tipos de Papel
Tipos de PapelTipos de Papel
Tipos de Papel
 
Sociologia - Pensamentos sobre o estado
Sociologia - Pensamentos sobre o estadoSociologia - Pensamentos sobre o estado
Sociologia - Pensamentos sobre o estado
 
Laser
LaserLaser
Laser
 

Último

Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chaveAula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chaveaulasgege
 
Linguagem verbal , não verbal e mista.pdf
Linguagem verbal , não verbal e mista.pdfLinguagem verbal , não verbal e mista.pdf
Linguagem verbal , não verbal e mista.pdfLaseVasconcelos1
 
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autores
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autoresSociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autores
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autoresaulasgege
 
TIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdf
TIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdfTIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdf
TIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdfmarialuciadasilva17
 
TREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.ppt
TREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.pptTREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.ppt
TREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.pptAlineSilvaPotuk
 
Mini livro sanfona - Povos Indigenas Brasileiros
Mini livro sanfona  - Povos Indigenas BrasileirosMini livro sanfona  - Povos Indigenas Brasileiros
Mini livro sanfona - Povos Indigenas BrasileirosMary Alvarenga
 
PLANEJAMENTO anual do 3ANO fundamental 1 MG.pdf
PLANEJAMENTO anual do  3ANO fundamental 1 MG.pdfPLANEJAMENTO anual do  3ANO fundamental 1 MG.pdf
PLANEJAMENTO anual do 3ANO fundamental 1 MG.pdfProfGleide
 
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptx
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptxAULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptx
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptxGislaineDuresCruz
 
Free-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptx
Free-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptxFree-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptx
Free-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptxkarinasantiago54
 
Dança Contemporânea na arte da dança primeira parte
Dança Contemporânea na arte da dança primeira parteDança Contemporânea na arte da dança primeira parte
Dança Contemporânea na arte da dança primeira partecoletivoddois
 
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptxÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptxDeyvidBriel
 
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptx
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptxSlide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptx
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptxconcelhovdragons
 
As Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptx
As Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptxAs Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptx
As Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptxAlexandreFrana33
 
Bingo da potenciação e radiciação de números inteiros
Bingo da potenciação e radiciação de números inteirosBingo da potenciação e radiciação de números inteiros
Bingo da potenciação e radiciação de números inteirosAntnyoAllysson
 
Currículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdf
Currículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdfCurrículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdf
Currículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdfIedaGoethe
 
organizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdf
organizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdforganizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdf
organizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdfCarlosRodrigues832670
 
PLANO ANUAL 1ª SÉRIE - Língua portuguesa 2024
PLANO ANUAL 1ª SÉRIE - Língua portuguesa 2024PLANO ANUAL 1ª SÉRIE - Língua portuguesa 2024
PLANO ANUAL 1ª SÉRIE - Língua portuguesa 2024SamiraMiresVieiradeM
 
Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024
Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024
Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024GleyceMoreiraXWeslle
 
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024Sandra Pratas
 

Último (20)

treinamento brigada incendio 2024 no.ppt
treinamento brigada incendio 2024 no.ppttreinamento brigada incendio 2024 no.ppt
treinamento brigada incendio 2024 no.ppt
 
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chaveAula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
 
Linguagem verbal , não verbal e mista.pdf
Linguagem verbal , não verbal e mista.pdfLinguagem verbal , não verbal e mista.pdf
Linguagem verbal , não verbal e mista.pdf
 
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autores
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autoresSociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autores
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autores
 
TIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdf
TIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdfTIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdf
TIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdf
 
TREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.ppt
TREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.pptTREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.ppt
TREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.ppt
 
Mini livro sanfona - Povos Indigenas Brasileiros
Mini livro sanfona  - Povos Indigenas BrasileirosMini livro sanfona  - Povos Indigenas Brasileiros
Mini livro sanfona - Povos Indigenas Brasileiros
 
PLANEJAMENTO anual do 3ANO fundamental 1 MG.pdf
PLANEJAMENTO anual do  3ANO fundamental 1 MG.pdfPLANEJAMENTO anual do  3ANO fundamental 1 MG.pdf
PLANEJAMENTO anual do 3ANO fundamental 1 MG.pdf
 
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptx
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptxAULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptx
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptx
 
Free-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptx
Free-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptxFree-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptx
Free-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptx
 
Dança Contemporânea na arte da dança primeira parte
Dança Contemporânea na arte da dança primeira parteDança Contemporânea na arte da dança primeira parte
Dança Contemporânea na arte da dança primeira parte
 
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptxÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
 
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptx
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptxSlide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptx
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptx
 
As Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptx
As Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptxAs Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptx
As Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptx
 
Bingo da potenciação e radiciação de números inteiros
Bingo da potenciação e radiciação de números inteirosBingo da potenciação e radiciação de números inteiros
Bingo da potenciação e radiciação de números inteiros
 
Currículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdf
Currículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdfCurrículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdf
Currículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdf
 
organizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdf
organizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdforganizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdf
organizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdf
 
PLANO ANUAL 1ª SÉRIE - Língua portuguesa 2024
PLANO ANUAL 1ª SÉRIE - Língua portuguesa 2024PLANO ANUAL 1ª SÉRIE - Língua portuguesa 2024
PLANO ANUAL 1ª SÉRIE - Língua portuguesa 2024
 
Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024
Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024
Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024
 
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
 

Movimento abolicionista

  • 1. Alunos: Fillipe Bezerra; Jailton Filho; Netlly Marques; Ranielly Cardoso; Rayanne Souza. Comunicação Visual – B
  • 2. Antes Fora do Brasil  primeira vez na história,  Em meados do século XVIII, pela filósofos iluministas criticavam de forma absolutistas, a ideia de escravidão. Consideravam a ideia de liberdade como algo natural que nascia com a pessoa.  Em 1863, o decreto do presidente dos Estados Unidos Abraham Lincoln em acabar com a escravidão nos Estados Unidos deu margem para que movimentos abolicionistas brasileiros fortalecessem sua campanha contra o regime escravocrata.
  • 3. Antes No Brasil  depende da escravidão.  Quase toda economia do Brasil Acabando a ser uma prática natural. Mas como se formou a Independência do brasil, falar em liberdade e cidadania e, ainda assim, continuar com o cativeiro?  Simples, naqueles tempos as ideia de liberdade e cidadania estavam na Constituição Imperial, porém uma outra ideia estava lá, era a ideia de Direito de Propriedade, daí fica fácil a ideia de Escravidão depois da Independência.
  • 4. Observação  A carta constitucional foi encomendada pelo imperador Dom Pedro I (até então príncipe real do Reino Unido de Portugal, Brasil e Algarves).
  • 5. Antes Fim do tráfico Negreiro   Justificar o tráfico negreiro era bem mais difícil. Só em 1850, depois de muita pressão internacional, foi feita uma nova lei, já que ninguém cumpria a lei que proibia o tráfico negreiro, acabando definitivamente com o mesmo.  Os fazendeiros de café protestaram mesmo com a liberdade lenta e gradual.
  • 6. Antes Consequências do fim do tráfico Negreiro   Diminuição da oferta de Escravos;  Aumento no preço, ou seja, comprar escravos se tornou caro;  Tráfico interprovincial.
  • 7. Campanha Abolicionista Século XTX   A resistência negra sempre adicionou-se ao crescimento no pais, depois da Guerra do Paraguai, surge a campanha absolutista (1870 - 1888), objetivo principal era a libertação dos escravos. Eles conquistaram a os apoios de vários setores da sociedade brasileira: Parlamentares, imprensa, militares, artistas e intelectuais como Joaquim Nabuco, José do Patrocínio, Raul Pompéia e Castro Alves.
  • 8. Campanha Abolicionista Século XIX   Alguns ativistas chegavam a organizar secretamente fugas de escravos em quilombos do Rio de Janeiro. Luís Gama, um advogado ex-escravo, foi responsável pela libertação de mais de 1.000 deles em São Paulo. Nesta época, cerca de 750.000 negros ainda eram mantidos como escravos.
  • 9. O governo brasileiro promulgou, no período da campanha abolicionista, duas Leis de Emancipação  Vejamos...
  • 10. Campanha Abolicionista Leis Emancipatórias   Lei do Ventre Livre: Criado pelo Visconde de Rio Branco. Essa Lei declarava livres todos os nascidos de mãe escrava a partir da data de promulgação. Essa lei teve efeitos perversos, pois os donos de escravos também se sentiam libertados da obrigação de alimentar os filhos de escravas que seriam “livres”, ampliando o descaso com as crianças dando um aumento na mortalidade infantil.
  • 11. Campanha Abolicionista Leis Emancipatórias  Lei do Sexagenários:  Declarava livres os escravos com mais de 65 anos. Essa lei teve pouco alcance, devido ao pequeno número de escravos que conseguiram chegar a essa idade, essa lei beneficiou mais os donos de escravos, que se viram libertados da obrigação de libertá-los.
  • 12. Campanha Abolicionista Leis Emancipatórias  não puseram  Essas leis, que fim à escravidão, permitiram aos senhores de escravos ganhar tempo e adiar ao máximo a abolição definitiva. Soldado negro de volta da Guerra do Paraguai depara-se com a cena que um negro escravo açoita sob o olhar de um feitor branco.
  • 13. Abolição  de 1888 que a escravidão  Foi somente em 13 de Maio foi extinta no Brasil, com promulgação da Lei Áurea pela princesa Isabel, na época regente do reino de seu pai, D. Pedro II.  A grande consequência da abolição é a queda da monarquia, em seguida.
  • 14. Depois da Abolição  a situação social dos  Apesar da grande conquista negros continuou bastante difícil. Poucos possuíam Bens. Assim, sem receber qualquer ajuda do governo, boa parte dos negros continuaram nas fazendas onde haviam trabalhado até então.
  • 15. De olho no Vestibular   (ENEM 2013) “A escravidão não há de ser suprimida no Brasil por uma guerra servil muito menos por insurreições ou atentados locais. Não deve sê-lo tampouco, por uma guerra civil, como o foi nos Estados Unidos. Ela poderia desaparecer, talvez, depois de uma revolução, como aconteceu na França, sendo essa revolução obra exclusiva da população livre. É no Parlamento e não em fazendas ou quilombos do interior, nem nas ruas e praças das cidades, que se há de ganhar, ou perder, a causa da liberdade.”  No texto, Joaquim Nabuco defende um projeto político sobre como deveria ocorrer o fim da escravidão no Brasil, no qual: A) copiava o modelo haitiano de emancipação negra. B) incentivava a conquista de alforrias por meio de ações judiciais. C) optava pela via legalista de libertação. D) priorizava a negociação em torno das indenizações aos senhores. E) antecipava a libertação paternalista dos cativos. Resposta: Letra C O autor defende que o fim da escravidão seja decorrência de uma via legal, legislativa (uma concessão das elites), e não fruto da participação popular.
  • 16. Hoje  recentes mostram  Estatísticas que apesar das conquistas, são eles os mais atingidos pelo problema da miséria, da fome, da falta de moradia, dificuldades de acesso a educação e saúde. Também recebem em média, salários mias baixos. Além de todos esses obstáculos, ainda tem de enfrentar a discriminação e o preconceito racial.