INFORMAÇÕES GERAIS 
Disciplina: Química do Petróleo 
Carga horária da disciplina: 48 horas 
Professor: Filipe Moreira
EMENTA: 
INFORMAÇÕES GERAIS 
1. Química Geral; 
2. Compostos de carbonos e ligações químicas; 
3. Compostos de carbono rep...
COMPOSIÇÃO DA NOTA FINAL 
INFORMAÇÕES GERAIS 
5 Exercícios (Individuais) aplicados em sala de Aula, com peso 0,3. 
1 Prova...
CONTEÚDO PROGRAMÁTICO 
1º Exercício 
1. Química Geral. 
2º Exercício 
INFORMAÇÕES GERAIS 
2. Compostos de carbono e ligaçõ...
CONTEÚDO PROGRAMÁTICO 
4º Exercício 
10. Compostos aromáticos. 
11. Reações dos Compostos aromáticos; 
12. Fenóis. 
5º Exe...
1. QUÍMICA GERAL 
MODELOS ATÔMICOS 
INTRODUÇÃO À QUIMICA 
Idade da 
Pedra 
(6000 a.C.) 
Idade do Bronze 
e do Ferro 
(3300...
1. QUÍMICA GERAL 
MODELOS ATÔMICOS 
MODELO DE DALTON 
John Dalton 
(1766 – 1844) 
Os principais postulados da teoria de Da...
1. QUÍMICA GERAL 
MODELOS ATÔMICOS 
MODELO DE DALTON 
John Dalton 
(1766 – 1844) 
4. “Átomos são permanentes e indivisívei...
1. QUÍMICA GERAL 
MODELOS ATÔMICOS 
MODELO DE DALTON 
John Dalton 
(1766 – 1844)
1. QUÍMICA GERAL 
MODELOS ATÔMICOS 
MODELO DE THOMSON 
Joseph John Thomson 
(1856 - 1940) 
Em 1897, J.J. Thomson, baseando...
1. QUÍMICA GERAL 
MODELOS ATÔMICOS 
MODELO DE RUTHERFORD 
Em 1911, Ernest Rutherford, estudando a trajetória das 
partícul...
1. QUÍMICA GERAL 
MODELOS ATÔMICOS 
MODELO DE RUTHERFORD 
Conclui então que o átomo não é maciço nem indivisível e que ser...
1. QUÍMICA GERAL 
MODELOS ATÔMICOS 
MODELO DE RUTHERFORD 
Conclui então que o átomo não é maciço nem indivisível e que ser...
1. QUÍMICA GERAL 
MODELOS ATÔMICOS 
MODELO DE BOHR 
MODELO DE RUTHERFORD-BOHR 
Este modelo atômico complementa o de Ruther...
1. QUÍMICA GERAL 
MODELOS ATÔMICOS 
MODELO DE BOHR 
MODELO DE RUTHERFORD-BOHR 
Niels Bohr 
(1885-1962) 
4. Os elétrons pod...
1. QUÍMICA GERAL 
MODELOS ATÔMICOS 
MODELO DA MECÂNICA QUÂNTICA 
PRINCÍPIO DA INCERTEZA DE HEISENBERG 
O “Princípio da Inc...
1. QUÍMICA GERAL 
CONCEITOS FUNDAMENTAIS 
EXERCÍCIO DE FIXAÇÃO
1. QUÍMICA GERAL 
CONCEITOS FUNDAMENTAIS 
Por meio do modelo atômico de Rutherford, algumas características dos átomos pas...
1. QUÍMICA GERAL 
CONCEITOS FUNDAMENTAIS 
Representado por (Z), é usado para indicar o número de prótons contidos dentro d...
1. QUÍMICA GERAL 
CONCEITOS FUNDAMENTAIS 
NÚMERO DE MASSA 
Para descobrir o número de massa (A) de um átomo, é necessário ...
1. QUÍMICA GERAL 
CONCEITOS FUNDAMENTAIS 
EXERCÍCIO DE FIXAÇÃO 
A soma dos prótons, elétrons e nêutrons do átomo 2x – 2Q4x...
1. QUÍMICA GERAL 
CONCEITOS FUNDAMENTAIS 
ELEMENTO QUÍMICO 
Elemento químico é o conjunto de átomos com o mesmo número atô...
1. QUÍMICA GERAL 
CONCEITOS FUNDAMENTAIS 
TABELA PERIÓDICA
1. QUÍMICA GERAL 
CONCEITOS FUNDAMENTAIS 
TABELA PERIÓDICA 
F 
A 
M 
Í 
L 
I 
A 
S 
PERÍODOS
1. QUÍMICA GERAL 
CONCEITOS FUNDAMENTAIS 
TABELA PERIÓDICA
1. QUÍMICA GERAL 
LIGAÇÕES QUÍMICAS 
CONCEITOS FUNDAMENTAIS 
São as ligações existentes entre os átomos para que seja form...
1. QUÍMICA GERAL 
LIGAÇÕES QUÍMICAS 
CONCEITOS FUNDAMENTAIS 
Mas como acontece esta estabilidade e porquê?! 
Regra do Octe...
1. QUÍMICA GERAL 
LIGAÇÕES QUÍMICAS 
CONCEITOS FUNDAMENTAIS 
Diagrama de Linus Pauling ou Diagrama de Pauling, foi criado ...
1. QUÍMICA GERAL 
LIGAÇÕES QUÍMICAS 
DISTRIBUIÇÃO ELETRÔNICA 
CONCEITOS FUNDAMENTAIS
1. QUÍMICA GERAL 
LIGAÇÕES QUÍMICAS 
DISTRIBUIÇÃO ELETRÔNICA 
CONCEITOS FUNDAMENTAIS
1. QUÍMICA GERAL 
CONCEITOS FUNDAMENTAIS 
EXERCÍCIO DE FIXAÇÃO 
Esquematizar a configuração eletrônica dos seguintes eleme...
1. QUÍMICA GERAL 
LIGAÇÕES QUÍMICAS 
CONCEITOS FUNDAMENTAIS 
1. Iônica ou Eletrovalente: Metais + Não-metais 
2. Covalente...
1. QUÍMICA GERAL 
LIGAÇÕES QUÍMICAS 
LIGAÇÕES IÔNICAS 
CONCEITOS FUNDAMENTAIS 
METAL + NÃO-METAL LIGAÇÃO IÔNICA 
METAL + S...
1. QUÍMICA GERAL 
LIGAÇÕES QUÍMICAS 
LIGAÇÕES IÔNICAS 
CONCEITOS FUNDAMENTAIS 
e-atração 
A B 
Tendência Ceder elétrons Re...
1. QUÍMICA GERAL 
LIGAÇÕES QUÍMICAS 
LIGAÇÕES IÔNICAS 
CONCEITOS FUNDAMENTAIS 
11Na 
p= 11+ 
n = 12 
e = 11 (-) 
11Na + 
1...
1. QUÍMICA GERAL 
LIGAÇÕES QUÍMICAS 
LIGAÇÕES IÔNICAS 
CONCEITOS FUNDAMENTAIS 
METAL 
NÃO-METAL
1. QUÍMICA GERAL 
CONCEITOS FUNDAMENTAIS 
EXERCÍCIO DE FIXAÇÃO 
Como ficaria a ligação iônica existente entre os átomos de...
1. QUÍMICA GERAL 
LIGAÇÕES QUÍMICAS 
LIGAÇÕES COVALENTES 
CONCEITOS FUNDAMENTAIS 
NÃO-METAL + NÃO-METAL LIGAÇÃO COVALENTE ...
1. QUÍMICA GERAL 
LIGAÇÕES QUÍMICAS 
LIGAÇÕES COVALENTES 
CONCEITOS FUNDAMENTAIS 
A B 
Tendência Receber elétrons Receber ...
1. QUÍMICA GERAL 
LIGAÇÕES QUÍMICAS 
LIGAÇÕES COVALENTES 
CONCEITOS FUNDAMENTAIS
1. QUÍMICA GERAL 
CONCEITOS FUNDAMENTAIS 
EXERCÍCIO DE FIXAÇÃO 
Como ficaria a ligação covalente existente entre os átomos...
1. QUÍMICA GERAL 
LIGAÇÕES QUÍMICAS 
LIGAÇÕES METÁLICAS 
CONCEITOS FUNDAMENTAIS 
METAL + METAL LIGAÇÃO IÔNICA 
Na ligação ...
1. QUÍMICA GERAL 
FUNÇÕES INORGÂNICAS 
CONCEITOS FUNDAMENTAIS 
Com a descoberta de milhares de substâncias inorgânicas, os...
1. QUÍMICA GERAL 
FUNÇÕES INORGÂNICAS 
ÁCIDOS 
CONCEITOS FUNDAMENTAIS 
Ácidos: São compostos covalentes que reagem com águ...
1. QUÍMICA GERAL 
FUNÇÕES INORGÂNICAS 
BASES 
CONCEITOS FUNDAMENTAIS 
Bases: São compostos capazes de se dissociar na água...
1. QUÍMICA GERAL 
FUNÇÕES INORGÂNICAS 
SAIS 
CONCEITOS FUNDAMENTAIS 
Sais: São compostos capazes de se dissociar na água l...
1. QUÍMICA GERAL 
FUNÇÕES INORGÂNICAS 
ÓXIDOS 
CONCEITOS FUNDAMENTAIS 
Óxidos: São compostos binários (formados por apenas...
2. COMPOSTOS DE CARBONOS E LIGAÇÕES QUÍMICAS 
CARBONO 
Diante do que já foi visto, o que podemos inferir a respeito desta ...
2. COMPOSTOS DE CARBONOS E LIGAÇÕES QUÍMICAS 
CARBONO 
A Química Orgânica é o ramo da química que se ocupa exclusivamente ...
2. COMPOSTOS DE CARBONOS E LIGAÇÕES QUÍMICAS 
CONCEITOS FUNDAMENTAIS 
EXERCÍCIO DE FIXAÇÃO 
Quais das moléculas abaixo são...
3. COMPOSTOS DE CARBONO REPRESENTATIVOS 
HIDROCARBONETOS 
Hidrocarbonetos são compostos orgânicos formados exclusivamente ...
3. COMPOSTOS DE CARBONO REPRESENTATIVOS 
HIDROCARBONETOS 
ALCANOS ou PARAFINAS 
Alcanos são hidrocarbonetos alifáticos (ca...
3. COMPOSTOS DE CARBONO REPRESENTATIVOS 
HIDROCARBONETOS 
ALCENOS ou OLEFINAS 
Alcenos são os hidrocarbonetos alifáticos i...
3. COMPOSTOS DE CARBONO REPRESENTATIVOS 
HIDROCARBONETOS 
ALCINOS ou ACETILENOS 
Alcinos são os hidrocarbonetos alifáticos...
3. COMPOSTOS DE CARBONO REPRESENTATIVOS 
HIDROCARBONETOS 
CICLOALCANOS ou NAFTÊNICOS 
Cicloalcanos, também denominados cic...
3. COMPOSTOS DE CARBONO REPRESENTATIVOS 
HIDROCARBONETOS 
CICLOALCENOS 
Cicloalcenos, também denominados ciclenos, são hid...
3. COMPOSTOS DE CARBONO REPRESENTATIVOS 
HIDROCARBONETOS 
CICLOALCINOS 
Cicloalcinos, também denominados ciclinos, são hid...
4. INTRODUÇÃO ÀS REAÇÕES ORGÂNICAS: ÁCIDOS E BASES 
REAÇÕES ORGÂNICAS 
ÁCIDOS E BASES 
Go prepare!
5. ESTEREOQUÍMICA DESCRITIVA 
ESTEREOQUÍMICA DESCRITIVA 
MOLÉCULAS QUIRAIS
Aula química do petróleo
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Aula química do petróleo

733 visualizações

Publicada em

Química Geral

Publicada em: Ciências
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
733
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
11
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Aula química do petróleo

  1. 1. INFORMAÇÕES GERAIS Disciplina: Química do Petróleo Carga horária da disciplina: 48 horas Professor: Filipe Moreira
  2. 2. EMENTA: INFORMAÇÕES GERAIS 1. Química Geral; 2. Compostos de carbonos e ligações químicas; 3. Compostos de carbono representativos; 4. Introdução às reações orgânicas: ácidos e bases; 5. Alcanos, Cicloalcanos: conformações das moléculas; 6. Estereoquímica descritiva: moléculas quirais. 7. Alquenos e alquinos: I. Propriedades e síntese. II. Reações de adição; 8. Reações de radicais; 9. Haletos de alquila; 10. Álcoois, éteres e epóxidos; 11. Compostos organometálicos; 12. Compostos aromáticos; 13. Reações dos Compostos aromáticos; 14. Fenóis; 15. Aldeídos e Cetonas; 16. Ácidos carboxílicos e seus derivados; 17. Noções de Destilação, Extração.
  3. 3. COMPOSIÇÃO DA NOTA FINAL INFORMAÇÕES GERAIS 5 Exercícios (Individuais) aplicados em sala de Aula, com peso 0,3. 1 Prova (Individual) aplicada no final da disciplina, com peso 0,7. Cálculo para a Nota Final: 1º Exercício (Valor: 10 pontos)x0,3 = Nota 1 2º Exercício (Valor: 10 pontos)x0,3 = Nota 2 3º Exercício (Valor: 10 pontos)x0,3 = Nota 3 4º Exercício (Valor: 10 pontos)x0,3 = Nota 4 5º Exercício (Valor: 10 pontos)x0,3 = Nota 5 Prova (Valor: 10 pontos)x0,7 = Nota 6 Nota Exercícios = (Nota 1 + Nota 2 + Nota 3 + Nota 4 + Nota 5 +Nota 6)
  4. 4. CONTEÚDO PROGRAMÁTICO 1º Exercício 1. Química Geral. 2º Exercício INFORMAÇÕES GERAIS 2. Compostos de carbono e ligações químicas; 3. Compostos de carbono representativos; I. Alcanos, Alcenos e Alcinos: conformações das moléculas; II. Cicloalcanos, Cicloalcenos e Cicloalcinos; 4. Introdução às reações orgânicas: ácidos e bases I. Propriedades e síntese. II. Reações de adição. 3º Exercício 5. Estereoquímica descritiva: moléculas quirais; 6. Reações de radicais; 7. Haletos de alquila; 8. Álcoois, éteres e epóxidos; 9. Compostos organometálicos;
  5. 5. CONTEÚDO PROGRAMÁTICO 4º Exercício 10. Compostos aromáticos. 11. Reações dos Compostos aromáticos; 12. Fenóis. 5º Exercício 13. Aldeídos e Cetonas; 14. Ácidos carboxílicos e seus derivados; 15. Noções de Destilação, Extração. PROVA RECUPERAÇÃO INFORMAÇÕES GERAIS
  6. 6. 1. QUÍMICA GERAL MODELOS ATÔMICOS INTRODUÇÃO À QUIMICA Idade da Pedra (6000 a.C.) Idade do Bronze e do Ferro (3300 a.C) Leucipo de Mileto & Demócrito (400 a.C.) John Dalton (1766 – 1844) > > > Niels Bohr (1885-1962) Rutherford (1871 -1937 ) Joseph John Thomson (1856 - 1940) < < < V V Werner Heisenberg (1901-1976)
  7. 7. 1. QUÍMICA GERAL MODELOS ATÔMICOS MODELO DE DALTON John Dalton (1766 – 1844) Os principais postulados da teoria de Dalton são: 1. “Toda matéria é composta por minúsculas partículas chamadas átomos”. Ou seja, átomos são partículas muito pequenas, maciças e indivisíveis. 2. “Os átomos de um determinado elemento são idênticos em massa e apresentam as mesmas propriedades químicas” 3. “Átomos de elementos diferentes apresentam massa e propriedades diferentes”. Ou seja, diferentes elementos são constituídos por diferentes tipos de átomos.
  8. 8. 1. QUÍMICA GERAL MODELOS ATÔMICOS MODELO DE DALTON John Dalton (1766 – 1844) 4. “Átomos são permanentes e indivisíveis e não podem ser criados, nem destruídos”. 5. “As reações químicas comuns não passam de uma reorganização dos átomos”. Ou seja, átomos são indestrutíveis e as reações químicas não passam de reorganizações desses átomos. 6. “Os compostos são formados pela combinação de átomos de elementos diferentes em proporções fixas”. Ou seja, em uma combinação química, os átomos unem-se entre si em proporções variáveis, mas conservam suas respectivas massas.
  9. 9. 1. QUÍMICA GERAL MODELOS ATÔMICOS MODELO DE DALTON John Dalton (1766 – 1844)
  10. 10. 1. QUÍMICA GERAL MODELOS ATÔMICOS MODELO DE THOMSON Joseph John Thomson (1856 - 1940) Em 1897, J.J. Thomson, baseando-se em alguns experimentos, propôs um novo modelo atômico.Segundo Thomson, o átomo seria um aglomerado composto de uma parte de partículas positivas pesadas (prótons) e de partículas negativas (elétrons), mais leves. Este modelo ficou conhecido como “pudim de passas".
  11. 11. 1. QUÍMICA GERAL MODELOS ATÔMICOS MODELO DE RUTHERFORD Em 1911, Ernest Rutherford, estudando a trajetória das partículas alfa (positivas) emitidas pelo elemento radioativo polônio, bombardeou uma lâmina fina de ouro. Ele observou que a maioria das partículas (alfa) atravessavam a lâmina de ouro sem sofrer desvio em sua trajetória; porém, algumas destas partículas sofriam desvio em sua trajetória; outras, em número muito pequeno, batiam na lâmina e voltavam. Rutherford concluiu que a lâmina de ouro não era constituída de átomos maciços e propôs que um átomo seria constituído de um núcleo muito pequeno carregado positivamente (no centro do átomo) e muito denso, rodeado por uma região comparativamente grande onde estariam os elétrons em movimentos orbitais. Essa região foi chamada de eletrosfera. Segundo o modelo de Rutherford, o tamanho do átomo seria de 10 000 e 100 000 vezes maior que seu núcleo. Rutherford (1871 -1937 )
  12. 12. 1. QUÍMICA GERAL MODELOS ATÔMICOS MODELO DE RUTHERFORD Conclui então que o átomo não é maciço nem indivisível e que seria formado por um núcleo muito pequeno, com carga positiva, onde estaria concentrada praticamente toda a sua massa. E ao redor do núcleo ficariam os elétrons, neutralizando sua carga. Este é o modelo do átomo nucleado, um modelo que foi comparado ao sistema planetário, onde o Sol seria o núcleo e os planetas seriam os elétrons. Rutherford (1871 -1937 )
  13. 13. 1. QUÍMICA GERAL MODELOS ATÔMICOS MODELO DE RUTHERFORD Conclui então que o átomo não é maciço nem indivisível e que seria formado por um núcleo muito pequeno, com carga positiva, onde estaria concentrada praticamente toda a sua massa. E ao redor do núcleo ficariam os elétrons, neutralizando sua carga. Este é o modelo do átomo nucleado, um modelo que foi comparado ao sistema planetário, onde o Sol seria o núcleo e os planetas seriam os elétrons. Rutherford (1871 -1937 )
  14. 14. 1. QUÍMICA GERAL MODELOS ATÔMICOS MODELO DE BOHR MODELO DE RUTHERFORD-BOHR Este modelo atômico complementa o de Rutherford e constitui o modelo atualmente aceito. Nele são propostas maneiras dos elétrons se movimentarem em torno do núcleo e a energia associada a esse movimento. Bohr, baseando-se nos estudos feitos em relação ao espectro do átomo de hidrogênio e na teoria proposta em 1900 por Planck (Teoria Quântica), segundo a qual a energia não é emitida em forma contínua, mas em ”blocos”, denominados quanta de energia. Baseado nestas ideias, Bohr propôs os seguintes postulados: 1. Os elétrons, nos átomos, descrevem sempre órbitas circulares ao redor do núcleo, chamadas de camadas ou níveis de energia. 2. Cada um desses níveis possui um valor determinado de energia (estados estacionários). 3. Os elétrons só podem ocupar os níveis que tenham uma determinada quantidade de energia. Niels Bohr (1885-1962)
  15. 15. 1. QUÍMICA GERAL MODELOS ATÔMICOS MODELO DE BOHR MODELO DE RUTHERFORD-BOHR Niels Bohr (1885-1962) 4. Os elétrons podem saltar de um nível para outro mais externo, desde que absorvam uma quantidade bem definida de energia (quantum de energia).
  16. 16. 1. QUÍMICA GERAL MODELOS ATÔMICOS MODELO DA MECÂNICA QUÂNTICA PRINCÍPIO DA INCERTEZA DE HEISENBERG O “Princípio da Incerteza” é o termo utilizado para designar o estado de um elétron. O nome é adequado, uma vez que é impossível saber a posição exata que um elétron ocupa na eletrosfera de um átomo. Este princípio foi criado por Werner Heisenberg em 1927 e transformou-se num enunciado da mecânica quântica. A mecânica quântica surgiu da necessidade de explicar melhor a estrutura atômica (por volta de 1900), já que as teorias existentes tornavam-se um tanto quanto ultrapassadas. A nova teoria baseava-se em um modelo de átomo mais complexo e matemático, e declarava que a matéria possuía propriedades associadas com ondas. De acordo com o antigo modelo atômico proposto por Bohr, seria possível saber a posição exata de um elétron. O modelo de mecânica quântica trabalha com a probabilidade de onde se encontra este átomo, e, para isso, usa os orbitais (ou nuvens de elétrons). Os orbitais são volumes do espaço onde provavelmente haja um elétron, daí o termo “Princípio da Incerteza de Heisenberg”. Werner Heisenberg (1901-1976)
  17. 17. 1. QUÍMICA GERAL CONCEITOS FUNDAMENTAIS EXERCÍCIO DE FIXAÇÃO
  18. 18. 1. QUÍMICA GERAL CONCEITOS FUNDAMENTAIS Por meio do modelo atômico de Rutherford, algumas características dos átomos passaram a relacionar as cargas elétricas com suas partículas constituintes; sendo que os prótons são positivos; os elétrons, negativos; e os nêutrons não apresentam carga. Com base nessas informações, foram definidos alguns conceitos diretamente relacionados a essas partículas, suas cargas e seus números, que servem para identificar os átomos, como o número de massa (A) e o número atômico (Z).
  19. 19. 1. QUÍMICA GERAL CONCEITOS FUNDAMENTAIS Representado por (Z), é usado para indicar o número de prótons contidos dentro do núcleo, esse número atômico caracteriza o átomo, ou seja, não é possível a existência de dois átomos diferentes com o mesmo número atômico. Por exemplo: 11Na; 17Cl ; 12Mg ATENÇÃO! Um átomo neutro apresenta número de prótons igual ao número de elétrons. 11Na 17Cl NÚMERO ATÔMICO 11 elétrons 11 prótons 17 elétrons 17 prótons
  20. 20. 1. QUÍMICA GERAL CONCEITOS FUNDAMENTAIS NÚMERO DE MASSA Para descobrir o número de massa (A) de um átomo, é necessário somar o número de prótons e nêutrons. A = N(nêutrons) + Z(prótons) Por exemplo: 16O ; 40Ca; 127I ATENÇÃO! Um átomo não apresenta, necessariamente, número de prótons igual ao número de nêutrons. 8 prótons 8 nêutrons 53 prótons 74 nêutrons 16O 127I
  21. 21. 1. QUÍMICA GERAL CONCEITOS FUNDAMENTAIS EXERCÍCIO DE FIXAÇÃO A soma dos prótons, elétrons e nêutrons do átomo 2x – 2Q4x , que possui 22 nêutrons, é igual a: a) 62 b) 58 c) 74 d) 42 e) 92
  22. 22. 1. QUÍMICA GERAL CONCEITOS FUNDAMENTAIS ELEMENTO QUÍMICO Elemento químico é o conjunto de átomos com o mesmo número atômico.
  23. 23. 1. QUÍMICA GERAL CONCEITOS FUNDAMENTAIS TABELA PERIÓDICA
  24. 24. 1. QUÍMICA GERAL CONCEITOS FUNDAMENTAIS TABELA PERIÓDICA F A M Í L I A S PERÍODOS
  25. 25. 1. QUÍMICA GERAL CONCEITOS FUNDAMENTAIS TABELA PERIÓDICA
  26. 26. 1. QUÍMICA GERAL LIGAÇÕES QUÍMICAS CONCEITOS FUNDAMENTAIS São as ligações existentes entre os átomos para que seja formada a matéria (substância), isto porque os átomos não existem isolados na natureza. Os átomos são estruturas instáveis e para se tornarem estáveis eles se ligam um ao outro em busca de uma maior estabilidade, espontaneamente.
  27. 27. 1. QUÍMICA GERAL LIGAÇÕES QUÍMICAS CONCEITOS FUNDAMENTAIS Mas como acontece esta estabilidade e porquê?! Regra do Octeto: completar 8 elétrons na Camada de Valência Regra do Dueto: completar 2 elétrons na Camada de Valência
  28. 28. 1. QUÍMICA GERAL LIGAÇÕES QUÍMICAS CONCEITOS FUNDAMENTAIS Diagrama de Linus Pauling ou Diagrama de Pauling, foi criado por um Químico norte americano, Linus Pauling, inicialmente serve para auxiliar na distribuição dos elétrons pelos subníveis da eletrosfera.
  29. 29. 1. QUÍMICA GERAL LIGAÇÕES QUÍMICAS DISTRIBUIÇÃO ELETRÔNICA CONCEITOS FUNDAMENTAIS
  30. 30. 1. QUÍMICA GERAL LIGAÇÕES QUÍMICAS DISTRIBUIÇÃO ELETRÔNICA CONCEITOS FUNDAMENTAIS
  31. 31. 1. QUÍMICA GERAL CONCEITOS FUNDAMENTAIS EXERCÍCIO DE FIXAÇÃO Esquematizar a configuração eletrônica dos seguintes elementos: 8O 11Na 19K 25Mn 32Ge
  32. 32. 1. QUÍMICA GERAL LIGAÇÕES QUÍMICAS CONCEITOS FUNDAMENTAIS 1. Iônica ou Eletrovalente: Metais + Não-metais 2. Covalente ou Molecular: Hidrogênio, Não-metais e Semimetais 3. Metálica: Metal + Metal
  33. 33. 1. QUÍMICA GERAL LIGAÇÕES QUÍMICAS LIGAÇÕES IÔNICAS CONCEITOS FUNDAMENTAIS METAL + NÃO-METAL LIGAÇÃO IÔNICA METAL + SEMIMETAL LIGAÇÃO IÔNICA METAL + HIDROGÊNIO LIGAÇÃO IÔNICA
  34. 34. 1. QUÍMICA GERAL LIGAÇÕES QUÍMICAS LIGAÇÕES IÔNICAS CONCEITOS FUNDAMENTAIS e-atração A B Tendência Ceder elétrons Receber elétrons Classificação Metais Não-metal Semimetal Hidrogênio Interação Cátions eletrostática Ânions 11Na p= 11+ n = 12 e = 11 (-) 11Na + 1s2 ) 2s2 2p6 ) 3s1 1s2 ) 2s2 2p6 p= 11+ n = 12 e = 10 (-) 17Cl p= 17+ n = 18 e = 17 (-) 17Cl - 1s2 ) 2s2 2p6 ) 3s2 3p5 1s2 ) 2s2 2p6 ) 3s2 3p6 p= 17+ n = 18 e = 18 (-) Obedecendo a REGRA DO OCTETO, após o estabelecimento da ligação química, as últimas camadas passam a “abrigar” 8 elétrons.
  35. 35. 1. QUÍMICA GERAL LIGAÇÕES QUÍMICAS LIGAÇÕES IÔNICAS CONCEITOS FUNDAMENTAIS 11Na p= 11+ n = 12 e = 11 (-) 11Na + 1s2 ) 2s2 2p6 ) 3s1 1s2 ) 2s2 2p6 p= 11+ n = 12 e = 10 (-) 17Cl p= 17+ n = 18 e = 17 (-) 17Cl - 1s2 ) 2s2 2p6 ) 3s2 3p5 1s2 ) 2s2 2p6 ) 3s2 3p6 p= 17+ n = 18 e = 18 (-) Na+ + Cl- NaCl cátion ânion
  36. 36. 1. QUÍMICA GERAL LIGAÇÕES QUÍMICAS LIGAÇÕES IÔNICAS CONCEITOS FUNDAMENTAIS METAL NÃO-METAL
  37. 37. 1. QUÍMICA GERAL CONCEITOS FUNDAMENTAIS EXERCÍCIO DE FIXAÇÃO Como ficaria a ligação iônica existente entre os átomos de: a. Potássio e Cloro b. Cálcio e Cloro c. Magnésio e Cloro
  38. 38. 1. QUÍMICA GERAL LIGAÇÕES QUÍMICAS LIGAÇÕES COVALENTES CONCEITOS FUNDAMENTAIS NÃO-METAL + NÃO-METAL LIGAÇÃO COVALENTE NÃO-METAL + HIDROGÊNIO LIGAÇÃO COVALENTE HIDROGÊNIO + HIDROGÊNIO LIGAÇÃO COVALENTE Na ligação covalente é ocorre um compartilhamento de elétrons, e não uma troca definitiva.
  39. 39. 1. QUÍMICA GERAL LIGAÇÕES QUÍMICAS LIGAÇÕES COVALENTES CONCEITOS FUNDAMENTAIS A B Tendência Receber elétrons Receber elétrons Classificação Não-metal Semimetal Hidrogênio Não-metal Semimetal Hidrogênio Par de elétrons
  40. 40. 1. QUÍMICA GERAL LIGAÇÕES QUÍMICAS LIGAÇÕES COVALENTES CONCEITOS FUNDAMENTAIS
  41. 41. 1. QUÍMICA GERAL CONCEITOS FUNDAMENTAIS EXERCÍCIO DE FIXAÇÃO Como ficaria a ligação covalente existente entre os átomos de: a. Bromo e Bromo b. Carbono e Hidrogênio c. Carbono e Oxigênio d. Nitrogênio e Hidrogênio
  42. 42. 1. QUÍMICA GERAL LIGAÇÕES QUÍMICAS LIGAÇÕES METÁLICAS CONCEITOS FUNDAMENTAIS METAL + METAL LIGAÇÃO IÔNICA Na ligação metálica não ocorre nem compartilhamento, nem troca definitiva de elétrons. Ocorre a formação de uma “nuvem eletrônica”.
  43. 43. 1. QUÍMICA GERAL FUNÇÕES INORGÂNICAS CONCEITOS FUNDAMENTAIS Com a descoberta de milhares de substâncias inorgânicas, os cientistas começaram a observar que alguns desses compostos podiam ser agrupados em famílias com propriedades semelhantes. Esses grupos são chamados de FUNÇÕES. ÁCIDOS BASES SAIS ÓXIDOS
  44. 44. 1. QUÍMICA GERAL FUNÇÕES INORGÂNICAS ÁCIDOS CONCEITOS FUNDAMENTAIS Ácidos: São compostos covalentes que reagem com água (sofrem ionização), formando soluções que apresentam como único cátion o H+). Exemplos: H2SO4 2H+ + SO4 - H3PO4 3H+ + PO4 - HCl H+ + Cl- Oxiácidos Oxiácidos Hidrácidos
  45. 45. 1. QUÍMICA GERAL FUNÇÕES INORGÂNICAS BASES CONCEITOS FUNDAMENTAIS Bases: São compostos capazes de se dissociar na água liberando íons, mesmo em pequena porcentagem, dos quais o único ânion é a hidroxila, OH-. Exemplos: NaOH Na+ + OH-Ca( OH)2 Ca+ + 2(OH-) AlOH3 Al3+ + 3(OH-)
  46. 46. 1. QUÍMICA GERAL FUNÇÕES INORGÂNICAS SAIS CONCEITOS FUNDAMENTAIS Sais: São compostos capazes de se dissociar na água liberando íons, mesmo em pequena porcentagem, dos quais pelo menos um cátion é diferente de H+ e pelo menos um ânion é diferente de OH-. Exemplos: NaCl Na+ + Cl- Ca(NO3)2 Ca2+ + 2(NO3)- (NH4)3PO4 3(NH4)+ + (PO4) 3-
  47. 47. 1. QUÍMICA GERAL FUNÇÕES INORGÂNICAS ÓXIDOS CONCEITOS FUNDAMENTAIS Óxidos: São compostos binários (formados por apenas dois elementos químicos), dos quais o oxigênio é o elemento mais eletronegativo. Exemplos: CO2, SO2, SO3, P2O5, Cl2O6, NO2, N2O4, Na2O, etc. Principais óxidos: Óxidos básicos:Óxido de cálcio (CaO) e Óxido de magnésio (MgO). Óxidos ácidos:Dióxido de carbono (CO2); Peróxido:Peróxido de Hidrogênio(H2O2).
  48. 48. 2. COMPOSTOS DE CARBONOS E LIGAÇÕES QUÍMICAS CARBONO Diante do que já foi visto, o que podemos inferir a respeito desta imagem?
  49. 49. 2. COMPOSTOS DE CARBONOS E LIGAÇÕES QUÍMICAS CARBONO A Química Orgânica é o ramo da química que se ocupa exclusivamente do estudo do carbono e de seus compostos, isto não quer dizer que não existam compostos carbônicos inorgânicos. Como identificar se uma molécula que contém o átomo de Carbono, trata-se de um composto orgânico ou inorgânico?
  50. 50. 2. COMPOSTOS DE CARBONOS E LIGAÇÕES QUÍMICAS CONCEITOS FUNDAMENTAIS EXERCÍCIO DE FIXAÇÃO Quais das moléculas abaixo são orgânicas? A B C D E F
  51. 51. 3. COMPOSTOS DE CARBONO REPRESENTATIVOS HIDROCARBONETOS Hidrocarbonetos são compostos orgânicos formados exclusivamente por carbono e hidrogênio. Hidrocarbonetos Alifáticos/Acíclicos/ Cadeia aberta Cíclicos/ Cadeia fechada Alcanos; Alcenos; Alcinos. Cicloalcanos ou Ciclanos; Cicloalcenos ou Ciclenos; Cicloalcinos ou Ciclinos; Aromáticos.
  52. 52. 3. COMPOSTOS DE CARBONO REPRESENTATIVOS HIDROCARBONETOS ALCANOS ou PARAFINAS Alcanos são hidrocarbonetos alifáticos (cadeia aberta), saturados, isto é, apenas com ligações covalentes simples (C─C) entre seus átomos de carbono. Fórmula geral: CnH2n+2 onde n é o número de átomos de carbono na molécula. Exemplo: Butano (C4H10) H3C─CH2─CH2─CH3
  53. 53. 3. COMPOSTOS DE CARBONO REPRESENTATIVOS HIDROCARBONETOS ALCENOS ou OLEFINAS Alcenos são os hidrocarbonetos alifáticos insaturados, isto é, que apresentam uma ligação covalente dupla (C═C) entre seus átomos de carbono. Fórmula geral: CnH2n onde n é o número de átomos de carbono na molécula. Exemplo: 1-buteno (C4H8) H2C═CH─CH2─CH3
  54. 54. 3. COMPOSTOS DE CARBONO REPRESENTATIVOS HIDROCARBONETOS ALCINOS ou ACETILENOS Alcinos são os hidrocarbonetos alifáticos insaturados, isto é, que apresentam uma ligação covalente tripla entre átomos de carbono sem que a sequência de carbonos forme um ciclo. Fórmula geral: CnH2n-2 onde n é o número de átomos de carbono na molécula. Exemplo: Propino (C3H4)
  55. 55. 3. COMPOSTOS DE CARBONO REPRESENTATIVOS HIDROCARBONETOS CICLOALCANOS ou NAFTÊNICOS Cicloalcanos, também denominados ciclanos, cicloparafinas ou, ainda, hidrocarbonetos naftênicos, são hidrocarbonetos cíclicos, isto é, de cadeia fechada, que possuem apenas ligações simples entre seus carbonos. Sua nomenclatura é similar à dos alcanos, porém, com a adição da palavra “ciclo” no início. Exemplos: Ciclopropano Ciclobutano Ciclopentano Cicloexano
  56. 56. 3. COMPOSTOS DE CARBONO REPRESENTATIVOS HIDROCARBONETOS CICLOALCENOS Cicloalcenos, também denominados ciclenos, são hidrocarbonetos cíclicos, isto é, de cadeia fechada, que possuem ligações duplas entre seus carbonos. Sua nomenclatura é similar à dos alcenos, porém, com a adição da palavra “ciclo” no início. Exemplos:
  57. 57. 3. COMPOSTOS DE CARBONO REPRESENTATIVOS HIDROCARBONETOS CICLOALCINOS Cicloalcinos, também denominados ciclinos, são hidrocarbonetos cíclicos, isto é, de cadeia fechada, que possuem apenas uma ligação tripla entre seus carbonos. Sua nomenclatura é similar à dos alcinos, porém, com a adição da palavra “ciclo” no início. Exemplos:
  58. 58. 4. INTRODUÇÃO ÀS REAÇÕES ORGÂNICAS: ÁCIDOS E BASES REAÇÕES ORGÂNICAS ÁCIDOS E BASES Go prepare!
  59. 59. 5. ESTEREOQUÍMICA DESCRITIVA ESTEREOQUÍMICA DESCRITIVA MOLÉCULAS QUIRAIS

×