Red eye

2.618 visualizações

Publicada em

red eye, basic

Publicada em: Educação
  • Seja o primeiro a comentar

Red eye

  1. 1. Centro de Saúde de Condeixa Olho Vermelho no Adulto Quando referenciar? F. Mira, C. Paiva Serviço de Oftalmologia do C.H.C. Director:Roque Loureiro
  2. 2. Olho Vermelho no Adulto • Sinal cardinal de inflamação ocular; • Múltiplas etiologias; • Maioria são benignas; • Fundamental saber quando referenciar;
  3. 3. Olho Vermelho no Adulto • Hiperémia: - Inflamação aguda/crónica; - Dilatação dos vasos conjuntiva, esclera ou episclera; - Resposta inespecífica a várias agressões: - tóxicos; - alérgica; - infecção; - mecânica;
  4. 4. Olho Vermelho no Adulto • Quemose: - Edema da conjuntiva: Associado a várias etiologias: infecciosa, inflamatória(episclerite, esclerite;) • Secreções: - Muco/Purulenta: Geralmente etiologia bacteriana, situações inflamatórias intensas; - Serosa: típica de quadros virusais; aglutinação das pestanas ao acordar; - Aquosa: etiologia viral ou alérgica;
  5. 5. Olho Vermelho no Adulto •Papilas: - podem-se formar na conjuntiva papebral ou junto ao limbo; - Etiologia: -Conjuntivite alérgica; -Blefarite crónica; -Portadores de lentes de contacto; • Folículos: - múltiplas e discretas, os vasos passam por cima; - Etiologia: -Conjuntivite viral; -Conjuntivite Clamídia; -Hipersensibilidade a medicação tópica;
  6. 6. Olho Vermelho no Adulto • Alteração da PIO: • Detectado por pressão digital no globo ocular • PIO aumentada – Iridociclite, glaucoma agudo • PIO diminuída – Traumatismos oculares , irites
  7. 7. Olho Vermelho no Adulto • História clínica minuciosa: -Início -Lateralidade -Dor -Trauma -Alterações visuais -Lentes contacto -Secreções -Co-morbilidades -Episódios anteriores -Outros sintomas
  8. 8. Olho Vermelho no Adulto • Exame oftalmológico completo: - Eversão palpebral; - Acuidade visual; - Movimentos; - Reactividade pupilar; - Lâmpada de fenda;
  9. 9. Olho Vermelho no Adulto Disrupção do epitélio corneano • Detectado pela coloração do olho com fluoresceína • Observação com luz de cobalto azul • A disrupção aparece corada a verde • Significa uma discontinuidade do epitélio corneano • Causas – inflamação da córnea , traumatismo
  10. 10. Olho vermelho no Adulto Anomalias pupilares • Alteração das dimensões da pupila podem estar associados a patologia grave • Irritação do constrictor da pupila associado a iridociclite – Miose • Espasmo reflexo do esfíncter da pupila associado a um glaucoma agudo – Midríase média e pupila ovalada
  11. 11. Olho Vermelho no Adulto Fotofobia • “Medo da luz” • Indicador de • Lesão com envolvimento corneano • Iridociclite • Halos coloridos – • Associado a edema corneano • Sinal de alarme – despiste de glaucoma agudo
  12. 12. Olho Vermelho no Adulto Dor severa • Sintoma alarmante • Conjuntivite pode estar associada a irritação discreta ocular • Dor severa é indicador de • • • • queratite úlcera da córnea iridociclite glaucoma agudo
  13. 13. Olho Vermelho no Adulto Etiologia: - Conjuntivite Queratite Episclerite Esclerite Uveíte Hemorragia subconjuntival Glaucoma agudo de ângulo fechado - Corpo estranho - Queratoconjuntivite sicca Blefarite Dacriocistite Canaliculite Pinguécula Pterigión Ectrópion Celulite orbitária Traumatismo
  14. 14. Olho Vermelho no Adulto Conjuntivite: • Bacteriana: aguda/hiperaguda/crónica - etiologia: S. aureus, S. pneumoniae, Haemophilus influenzae e Moraxella; - unilateral, edema da pálpebra, secreções mucopurulentas, eventualmente queratite com ulceração; - 2º olho envolvido em 1-2 dias; - vias de infecção: fomites, contacto, endógena; - diagnóstico: clínico;
  15. 15. Olho Vermelho no Adulto • Tratamento: Antibióticos tópicos: - colírio de gentamicina ou tobramicina -colírio de cloranfenicol ou ácido fusídico -colírio de ciprofloxacina ou ofloxacina 0,3% -colírio de azitromicina (1gt 2id 3dias) Não tapar o olho Cuidados de higiene para evitar contágio; Cuidado com as conjuntivites graves por Neisseria Gonorreia e Clamydia Trachomatis Enviar Oftalmologista 6 id durante 5 a 7 dias e pomada à noite
  16. 16. Olho Vermelho no Adulto • Vírica: aguda/subaguda - Etiologia: Adenovírus; - Uma das causas mais frequente de vinda ao SU; - Diagnóstico clínico; - Início agudo/subagudo unilateral com envolvimento do outro olho em 10 dias; - Secreções aquosas, hiperémia conjuntival associada a quemose e folículos; - Adenopatia pré-auricular; - Maioria resolve espontâneamente ao fim 2 semanas;
  17. 17. Olho Vermelho no Adulto Febre faringo conjuntival • Mais comum (crianças) • Serótipos 3,4 e 7; •Secreções serosas abundantes • Desconforto ocular e fotofobia • Bilateral em 60 % casos • Conjuntiva – quemose e folículos
  18. 18. Olho Vermelho Queratoconjuntivite epidémica: - Adenovírus serótipo 8,19 e 37; - Período de incubação-5 dias; - Pode haver envolvimento da córnea; - Transmissão em consultórios ou urgências; • Tratamento: •Prevenção dos contágios, regras de higíene; • Fase aguda: compressas frias, lágrima artificial, corticóide tópico (se opacidades subepiteliais ou sintomatologia incapacitante) • Resolução espontânea em 2 semanas
  19. 19. Olho Vermelho Conjuntivite vírica- HSV • Clínica • Geralmente unilateral • Pode associar-se a faringite ou rinite • Vesículas na pálpebra • Secreção conjuntival serosa • Queratite epitelial dendrítica • Tratamento • Aciclovir pomada 4 id • Atropina tópico 2 id • Aciclovir oral se dermatoblefarite grave com conjuntivite
  20. 20. Olho Vermelho no Adulto Conjuntivite alérgica: aguda/crónica • Aguda: alergenos circulantes hiperémia, prurido, secreção mucosa e edema conjuntiva; presença de papilas; • Crónica: similar à aguda, associado a edema pálido; Tratamento: anti-histamínicos tópicos/orais, estabilizadores mastócitos, associações, AINE´s tópicos, vasoconstritores, corticóide tópico;
  21. 21. Olho Vermelho no Adulto • Hemorragia subconjuntival • Assintomático; • Hemorragia-sectorial; • Etiologia: Manobra de Valsalva, associado a traumatismo, HTA ou idiopático; • História: discrasias sanguíneas, medicação, excluir traumatismo;
  22. 22. Olho Vermelho no Adulto •Corpo estranho - - História clínica minuciosa(rebarbar/cavar); Eversão palpebral, verificar se porta de entrada; Observação na lâmpada de fenda; Excluir penetração ocular; Tratamento: Extracção do corpo estranho AB´s tópicos
  23. 23. Olho Vermelho no Adulto - Problemas associados às lentes contacto: • Queratite punctiforme; • Reacção tóxica aos conservantes; • Depósitos nas lentes; • Síndrome da lente apertada; • Neovascularização corneana; • Conjuntivite papilar gigante;
  24. 24. Olho Vermelho no Adulto • Síndrome do Olho Seco( Queratoconjuntivite sicca) • Produção lacrimal ou evaporação queratopatia não infecciosa • Etiologia: -idiopática; -associada a doenças tecido conjuntivo; • Normal/ bilateral com sensação de queimadura e olho seco, prurido, fotofobia, lacrimejo(reflexo),diplopia; • Diagnóstico Menisco lacrimal <1mm BUT (Break Up Time)< 10s Teste Schirmer • Tratamento: causal quando identificada; suporte: lágrimas/lubrificantes, oclusão punctal, ciclosporina;
  25. 25. Olho Vermelho no Adulto • Episclerite Doenças Tec . Conjuntivo Atopia Rosácea • Situação frequentemente benigna mas em 1/3 casos • Acomete sobretudo adultos jovens; • Assintomático mas pode apresentar-se com desconforto ou irritação; • Autolimitada mas recorrência é comum; •Tratamento: Casos severos- lágrimas artificiais, AINE´s orais ou corticóides tópicos
  26. 26. Olho Vermelho no Adulto • Esclerite • Classificação: anterior/posterior, difusa/nodular, necrotizante/não necrotizante; • Doença rara, doentes idosos, mais frequente no sexo feminino; • Associada em 50% casos a doenças sistémicas [ dças autoimunes ou infecciosas]; • Unilateral, dor ocular forte com irradiação frontal e AV , episódios recorrentes; • Esclerite posterior: difícil diagnóstico, pior prognóstico; • Tratamento: corticóides tópicos/sistémicos/perioculares,citotóxicos…
  27. 27. Olho Vermelho no Adulto • Glaucoma agudo de ângulo fechado • Emergência ocular; • Apresentação: quadro de instalação rápida com perda unilateral da AV associado a dor, hiperémia ciliar, náuseas e vómitos; • Lâmpada de fenda: PIO, edema da córnea, pupila em midríase média fixa - gonioscopia: ângulo fechado em toda a circunferência; • Tratamento: - Médico: tópico: corticóide, timolol,brimonidina; sistémico: acetazolamida , manitol, analgesia; - Laser-iridectomia; - Cirurgia- trabeculectomia;
  28. 28. Olho Vermelho no Adulto • Uveíte Uveíte anterior/iridiciclite: •Dor, fotofobia e AV •Hiperémia ciliar, precipitados queráticos, miose e Tyndall(proteínas na CA) Uveíte posterior/coroidite: •Hiperémia, AV , miodesópsias, metamorfópsias; Achados sistémicos frequentes: cefaleias, úlceras orais/genitais,adenopatias,diarreia,nódulos,artralgias,febre. •Tratamento: Corticóides tópicos/sistémicos/implantes Imunossupressores Terapêutica biológica Ciclopégicos Cirurgia
  29. 29. Olho Vermelho no Adulto • Sinais de alarme • Diminuição da AV • Hiperémia ciliar • Tamanho anómalo da pupila • Úlcera da córnea • Aumento da PIO
  30. 30. Olho Vermelho no Adulto Conclusão: • Etiologias diversificadas; • Parte podem ser tratadas em ambiente de cuidados primários; • Alterações recentes de visão referenciar; • Situações traumáticas referenciar; • Episódios frequentes referenciar; • Anisocória referenciar; • Não prescrever corticóides e anestésicos;
  31. 31. Olho Vermelho no Adulto Bibliografia Albert and Jakobiec, Principles and Practice of Ophthalmology 2nd edition, W.B. Saunders Company,2000; American Academy of Ophthalmology, Fundamentals and Principles of Ophthalmology, 2007-2008; Gerhard K.Lang Ophthalmology, A Pocket Textebook Atlas, 2nd edition, Thieme,2006; Jack J. Kanski, Clinical Ophthalmology, a Systematic Approach, Elsevier Limited, 2007; Myron Yanoff , Jay S. Duker , James J. Augsburger Ophthalmology 2nd edition, Mosby; 2003;

×