Red eye

2.342 visualizações

Publicada em

red eye, basic

Publicada em: Educação
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
2.342
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
4
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
55
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Red eye

  1. 1. Centro de Saúde de Condeixa Olho Vermelho no Adulto Quando referenciar? F. Mira, C. Paiva Serviço de Oftalmologia do C.H.C. Director:Roque Loureiro
  2. 2. Olho Vermelho no Adulto • Sinal cardinal de inflamação ocular; • Múltiplas etiologias; • Maioria são benignas; • Fundamental saber quando referenciar;
  3. 3. Olho Vermelho no Adulto • Hiperémia: - Inflamação aguda/crónica; - Dilatação dos vasos conjuntiva, esclera ou episclera; - Resposta inespecífica a várias agressões: - tóxicos; - alérgica; - infecção; - mecânica;
  4. 4. Olho Vermelho no Adulto • Quemose: - Edema da conjuntiva: Associado a várias etiologias: infecciosa, inflamatória(episclerite, esclerite;) • Secreções: - Muco/Purulenta: Geralmente etiologia bacteriana, situações inflamatórias intensas; - Serosa: típica de quadros virusais; aglutinação das pestanas ao acordar; - Aquosa: etiologia viral ou alérgica;
  5. 5. Olho Vermelho no Adulto •Papilas: - podem-se formar na conjuntiva papebral ou junto ao limbo; - Etiologia: -Conjuntivite alérgica; -Blefarite crónica; -Portadores de lentes de contacto; • Folículos: - múltiplas e discretas, os vasos passam por cima; - Etiologia: -Conjuntivite viral; -Conjuntivite Clamídia; -Hipersensibilidade a medicação tópica;
  6. 6. Olho Vermelho no Adulto • Alteração da PIO: • Detectado por pressão digital no globo ocular • PIO aumentada – Iridociclite, glaucoma agudo • PIO diminuída – Traumatismos oculares , irites
  7. 7. Olho Vermelho no Adulto • História clínica minuciosa: -Início -Lateralidade -Dor -Trauma -Alterações visuais -Lentes contacto -Secreções -Co-morbilidades -Episódios anteriores -Outros sintomas
  8. 8. Olho Vermelho no Adulto • Exame oftalmológico completo: - Eversão palpebral; - Acuidade visual; - Movimentos; - Reactividade pupilar; - Lâmpada de fenda;
  9. 9. Olho Vermelho no Adulto Disrupção do epitélio corneano • Detectado pela coloração do olho com fluoresceína • Observação com luz de cobalto azul • A disrupção aparece corada a verde • Significa uma discontinuidade do epitélio corneano • Causas – inflamação da córnea , traumatismo
  10. 10. Olho vermelho no Adulto Anomalias pupilares • Alteração das dimensões da pupila podem estar associados a patologia grave • Irritação do constrictor da pupila associado a iridociclite – Miose • Espasmo reflexo do esfíncter da pupila associado a um glaucoma agudo – Midríase média e pupila ovalada
  11. 11. Olho Vermelho no Adulto Fotofobia • “Medo da luz” • Indicador de • Lesão com envolvimento corneano • Iridociclite • Halos coloridos – • Associado a edema corneano • Sinal de alarme – despiste de glaucoma agudo
  12. 12. Olho Vermelho no Adulto Dor severa • Sintoma alarmante • Conjuntivite pode estar associada a irritação discreta ocular • Dor severa é indicador de • • • • queratite úlcera da córnea iridociclite glaucoma agudo
  13. 13. Olho Vermelho no Adulto Etiologia: - Conjuntivite Queratite Episclerite Esclerite Uveíte Hemorragia subconjuntival Glaucoma agudo de ângulo fechado - Corpo estranho - Queratoconjuntivite sicca Blefarite Dacriocistite Canaliculite Pinguécula Pterigión Ectrópion Celulite orbitária Traumatismo
  14. 14. Olho Vermelho no Adulto Conjuntivite: • Bacteriana: aguda/hiperaguda/crónica - etiologia: S. aureus, S. pneumoniae, Haemophilus influenzae e Moraxella; - unilateral, edema da pálpebra, secreções mucopurulentas, eventualmente queratite com ulceração; - 2º olho envolvido em 1-2 dias; - vias de infecção: fomites, contacto, endógena; - diagnóstico: clínico;
  15. 15. Olho Vermelho no Adulto • Tratamento: Antibióticos tópicos: - colírio de gentamicina ou tobramicina -colírio de cloranfenicol ou ácido fusídico -colírio de ciprofloxacina ou ofloxacina 0,3% -colírio de azitromicina (1gt 2id 3dias) Não tapar o olho Cuidados de higiene para evitar contágio; Cuidado com as conjuntivites graves por Neisseria Gonorreia e Clamydia Trachomatis Enviar Oftalmologista 6 id durante 5 a 7 dias e pomada à noite
  16. 16. Olho Vermelho no Adulto • Vírica: aguda/subaguda - Etiologia: Adenovírus; - Uma das causas mais frequente de vinda ao SU; - Diagnóstico clínico; - Início agudo/subagudo unilateral com envolvimento do outro olho em 10 dias; - Secreções aquosas, hiperémia conjuntival associada a quemose e folículos; - Adenopatia pré-auricular; - Maioria resolve espontâneamente ao fim 2 semanas;
  17. 17. Olho Vermelho no Adulto Febre faringo conjuntival • Mais comum (crianças) • Serótipos 3,4 e 7; •Secreções serosas abundantes • Desconforto ocular e fotofobia • Bilateral em 60 % casos • Conjuntiva – quemose e folículos
  18. 18. Olho Vermelho Queratoconjuntivite epidémica: - Adenovírus serótipo 8,19 e 37; - Período de incubação-5 dias; - Pode haver envolvimento da córnea; - Transmissão em consultórios ou urgências; • Tratamento: •Prevenção dos contágios, regras de higíene; • Fase aguda: compressas frias, lágrima artificial, corticóide tópico (se opacidades subepiteliais ou sintomatologia incapacitante) • Resolução espontânea em 2 semanas
  19. 19. Olho Vermelho Conjuntivite vírica- HSV • Clínica • Geralmente unilateral • Pode associar-se a faringite ou rinite • Vesículas na pálpebra • Secreção conjuntival serosa • Queratite epitelial dendrítica • Tratamento • Aciclovir pomada 4 id • Atropina tópico 2 id • Aciclovir oral se dermatoblefarite grave com conjuntivite
  20. 20. Olho Vermelho no Adulto Conjuntivite alérgica: aguda/crónica • Aguda: alergenos circulantes hiperémia, prurido, secreção mucosa e edema conjuntiva; presença de papilas; • Crónica: similar à aguda, associado a edema pálido; Tratamento: anti-histamínicos tópicos/orais, estabilizadores mastócitos, associações, AINE´s tópicos, vasoconstritores, corticóide tópico;
  21. 21. Olho Vermelho no Adulto • Hemorragia subconjuntival • Assintomático; • Hemorragia-sectorial; • Etiologia: Manobra de Valsalva, associado a traumatismo, HTA ou idiopático; • História: discrasias sanguíneas, medicação, excluir traumatismo;
  22. 22. Olho Vermelho no Adulto •Corpo estranho - - História clínica minuciosa(rebarbar/cavar); Eversão palpebral, verificar se porta de entrada; Observação na lâmpada de fenda; Excluir penetração ocular; Tratamento: Extracção do corpo estranho AB´s tópicos
  23. 23. Olho Vermelho no Adulto - Problemas associados às lentes contacto: • Queratite punctiforme; • Reacção tóxica aos conservantes; • Depósitos nas lentes; • Síndrome da lente apertada; • Neovascularização corneana; • Conjuntivite papilar gigante;
  24. 24. Olho Vermelho no Adulto • Síndrome do Olho Seco( Queratoconjuntivite sicca) • Produção lacrimal ou evaporação queratopatia não infecciosa • Etiologia: -idiopática; -associada a doenças tecido conjuntivo; • Normal/ bilateral com sensação de queimadura e olho seco, prurido, fotofobia, lacrimejo(reflexo),diplopia; • Diagnóstico Menisco lacrimal <1mm BUT (Break Up Time)< 10s Teste Schirmer • Tratamento: causal quando identificada; suporte: lágrimas/lubrificantes, oclusão punctal, ciclosporina;
  25. 25. Olho Vermelho no Adulto • Episclerite Doenças Tec . Conjuntivo Atopia Rosácea • Situação frequentemente benigna mas em 1/3 casos • Acomete sobretudo adultos jovens; • Assintomático mas pode apresentar-se com desconforto ou irritação; • Autolimitada mas recorrência é comum; •Tratamento: Casos severos- lágrimas artificiais, AINE´s orais ou corticóides tópicos
  26. 26. Olho Vermelho no Adulto • Esclerite • Classificação: anterior/posterior, difusa/nodular, necrotizante/não necrotizante; • Doença rara, doentes idosos, mais frequente no sexo feminino; • Associada em 50% casos a doenças sistémicas [ dças autoimunes ou infecciosas]; • Unilateral, dor ocular forte com irradiação frontal e AV , episódios recorrentes; • Esclerite posterior: difícil diagnóstico, pior prognóstico; • Tratamento: corticóides tópicos/sistémicos/perioculares,citotóxicos…
  27. 27. Olho Vermelho no Adulto • Glaucoma agudo de ângulo fechado • Emergência ocular; • Apresentação: quadro de instalação rápida com perda unilateral da AV associado a dor, hiperémia ciliar, náuseas e vómitos; • Lâmpada de fenda: PIO, edema da córnea, pupila em midríase média fixa - gonioscopia: ângulo fechado em toda a circunferência; • Tratamento: - Médico: tópico: corticóide, timolol,brimonidina; sistémico: acetazolamida , manitol, analgesia; - Laser-iridectomia; - Cirurgia- trabeculectomia;
  28. 28. Olho Vermelho no Adulto • Uveíte Uveíte anterior/iridiciclite: •Dor, fotofobia e AV •Hiperémia ciliar, precipitados queráticos, miose e Tyndall(proteínas na CA) Uveíte posterior/coroidite: •Hiperémia, AV , miodesópsias, metamorfópsias; Achados sistémicos frequentes: cefaleias, úlceras orais/genitais,adenopatias,diarreia,nódulos,artralgias,febre. •Tratamento: Corticóides tópicos/sistémicos/implantes Imunossupressores Terapêutica biológica Ciclopégicos Cirurgia
  29. 29. Olho Vermelho no Adulto • Sinais de alarme • Diminuição da AV • Hiperémia ciliar • Tamanho anómalo da pupila • Úlcera da córnea • Aumento da PIO
  30. 30. Olho Vermelho no Adulto Conclusão: • Etiologias diversificadas; • Parte podem ser tratadas em ambiente de cuidados primários; • Alterações recentes de visão referenciar; • Situações traumáticas referenciar; • Episódios frequentes referenciar; • Anisocória referenciar; • Não prescrever corticóides e anestésicos;
  31. 31. Olho Vermelho no Adulto Bibliografia Albert and Jakobiec, Principles and Practice of Ophthalmology 2nd edition, W.B. Saunders Company,2000; American Academy of Ophthalmology, Fundamentals and Principles of Ophthalmology, 2007-2008; Gerhard K.Lang Ophthalmology, A Pocket Textebook Atlas, 2nd edition, Thieme,2006; Jack J. Kanski, Clinical Ophthalmology, a Systematic Approach, Elsevier Limited, 2007; Myron Yanoff , Jay S. Duker , James J. Augsburger Ophthalmology 2nd edition, Mosby; 2003;

×