O slideshow foi denunciado.
Utilizamos seu perfil e dados de atividades no LinkedIn para personalizar e exibir anúncios mais relevantes. Altere suas preferências de anúncios quando desejar.

Córnea anatomofisiologia

3.511 visualizações

Publicada em

Cornea physiology

  • Seja o primeiro a comentar

Córnea anatomofisiologia

  1. 1. CórneaAnatomofisiologia Filipe Mira Ferreira Reunião de Serviço de Oftalmologia dos C.H.C. Director: Dr. Roque Loureiro Orientadora: Dr.ª Catarina Paiva 2 de Março de 2009
  2. 2. Córnea- Anatomia • Tecido altamente especializado que refracta e transmite a luz; • Transparente e estruturalmente complexa; • Convexa anteriormente e côncava posteriormente; • Espessura periférica-1.2mm e central 0,5mm; • Face anterior ligeiramente elíptica com 11.7mm horizontal/ e 10.6 mm verticalmente;
  3. 3. Córnea- Anatomia • Avascular; • Sem drenagem linfática; • Inervação pelo nv oftálmico (ramos ciliares longos) Plexo anular Plexo intra-epitelial
  4. 4. Córnea- Anatomia • face posterior é circular e mais curvada; • existe um achatamento assimétrico na periferia; • poder refractivo de 43D; • índice de refracção de 1.376; • separada da esclera pelo limbus; • raio de curvatura ant7.8mm e post-6.6mm;
  5. 5. Córnea- Anatomia 5 camadas:
  6. 6. Córnea- Anatomia Epitélio: • escamoso estratificado não queratinizado; • elevada concentração de hemidesmossomas ( complexo de ancoragem); • micropapilas e microvilosidades cobertas pelo filme lacrimal; • células basais com capacidade de migração;
  7. 7. Córnea- Anatomia Epitélio: • apresenta funções únicas: refracta e transmite a luz ; • alta densidade de terminações nervosas; • tem espessura média de 50µm; • elevada capacidade de regeneração(5-7 dias); • fica + espesso no limbo e continua-se com túnica conjuntiva;
  8. 8. Córnea-alterações epiteliais ─ Depósitos : amiodarona, cloroquina, Dça de Fabry(córnea verticillata) ─ Distrofia da membrana basal epitelial; • Distrofia microquística de Cogan • Distrofia “map-dot-fingerprint” ─ Distrofia de Meesmann; ─ Distrofia de Lisch
  9. 9. Córnea- Anatomia Membrana de Bowman • interface entre m. basal epitelial e o estroma; • função estabilizadora e manutenção da curvatura; • composto por fibrilhas de colagénio; • sem capacidade de regeneração;
  10. 10. Córnea-alterações M. Bowman ─ Distrofia Corneana de Bowman1 (CDB1)/Dist. Reis-Bückler ─ Distrofia Corneana de Bowman 2 (CDB2)/Dist. Thiel-Behnke
  11. 11. Córnea-alterações M. Bowman • Queratopatia de calcificação em banda:
  12. 12. Córnea- Anatomia Estroma • corresponde a 90% da espessura da córnea; • função: - manutenção da curvatura; - resistência mecânica à PIO; - transmitir a luz ao olho; • transparência da córnea implica manutenção da hidratação e do arranjamento das fibrilhas de colagénio; • avascular regeneração lenta; local de rejeição imunológica;
  13. 13. Córnea- alterações do estroma ─ Arcus Senilis
  14. 14. Córnea- alterações do estroma ─ Queratopatia lipídica; ─ Córnea farinata; ─ Distrofia de Latice tipo 1, 2, 3 e 3A; ─ Distrofia Granular Tipo 1 e 2; ─ Distrofia Macular; ─ Distrofia Gelatinosa; ─ Distrofia Central de François;
  15. 15. Córnea- Anatomia Membrana de Descemet´s • lâmina basal do endotélio, sendo sintetizada e secretada por este; • PAS +; • correlação positiva entre a idade e a espessura; • apresenta 2 camadas; • espessamentos localizados Henle(periferia) Cornea guttatae(centrais) corpos Hassall-
  16. 16. Córnea- alterações da M. Descemet ´s • Doença de Wilson: - Anéis de Kayser-Fleischer; Alteração da cor com a iluminação
  17. 17. Córnea- Anatomia Endotélio: • reflectido sobre a frente da irís e reveste o ângulo iridocorneal • densidade celular nascimento 3500-4000,adulto 14002500cel/mm2; • local + importante para a manutenção da transparência; • Efeito barreira: elevada [ ] de thigh junctions; • Efeito “bomba”:acção de bombas iónicas(Na+ ,K+ ATPase);
  18. 18. Córnea- Anatomia Endotélio: idade, trauma, distrofia ou doença poliformismo, polimegatismo descompensação
  19. 19. Córnea- alterações endoteliais • Queratopatia Bolhosa; • Distrofia Endotelial de Fuchs; • Distrofia Polimorfa Posterior; • Distrofia Endotelial hereditária Congénita;
  20. 20. Córnea- Anatomia Limbo: • zona de transição entre a córnea, esclera e conjuntiva;; • cerca de 1-1.5mm; • importante devido à sua relação com o ângulo câmara anterior e como referência cirúrgica; • células basais do epitélio parecem imp para a renovação do epitélio corneano ( migração centrípeta);
  21. 21. Córnea- Anatomia • cirúrgico: 1 zona azulada que cobre a córnea extendendo desde a camada de Bowman até linha de Schwalbe´s; 2 zona esbranquiçada cobrindo malha trabecular extendendo-se desde linha de Schwalbe´s até esporão escleral; • anatómico: anteriormente- plano que conecta a M. Bowman e a M. Descemet´s e posterior/- plano no esporão escleral; • zona de tumores primários
  22. 22. Córnea- Anatomia • tecido conectivo: + células, presença de linfáticos, vasos e nervos não mielinizados, paliçadas de Vogt (local onde estão as stem cels); Migração de células límbicas para o epitélio corneano
  23. 23. Córnea- Anatomia Paliçada de Vogt
  24. 24. Córnea : E.A.D. • Exame na lâmpada de fenda; (usando fluoresceína ou solução Rosa Bengala) • Topografia corneana: - Queratoscópio (Disco Placido´s) - Videoqueratoscopia; • Sensibilidade corneana: - Cotonete - Estesiómetro Automático de Dräger
  25. 25. • Microscopia especular (determinação da densidade de células endoteliais); • Paquimetria (espessura da córnea); • Microscopia confocal corneana; • Pentacam;
  26. 26. Albert and Jakobiec, Principles and Practice of Ophthalmology 2nd edition, W.B. Saunders Company,2000; American Academy of Ophthalmology, Fundamentals and Principles of Ophthalmology, 2007-2008; Gerhard K.Lang Ophthalmology, A Pocket Textebook Atlas, 2nd edition, Thieme,2006; Gray`s Anatomy, 37ª edition, Churchill Livingstone,1995; Jack J. Kanski, Clinical Ophthalmology, a Systematic Approach, Elsevier Limited, 2007; Myron Yanoff , Jay S. Duker , James J. Augsburger Ophthalmology 2nd edition, Mosby; 2003;

×