A monoparentalidade masculina

2.822 visualizações

Publicada em

Trabalho académico que aborda a questão das novas famílias, neste caso as famílias monoparentais no masculino, em que um Pai cria seus filhos e tem no entanto que conciliar a vida profissional com a familiar.

  • Seja o primeiro a comentar

A monoparentalidade masculina

  1. 1. A Conciliação Entre Trabalho e Família Na Monoparentalidade Masculina Trabalho da Cadeira de Políticas da Família Serviço Social 3º ano (Pós Laboral) ISCSP/UTL• Filipe de Freitas Leal
  2. 2. Família Tradicional1 - Funções determinadas no grau.2 - Culturalmente definido pelo meio social.3 - Papeis definidos por grau e género.4 - Preconceitos de género.
  3. 3. Família TradicionalAo longo de milénios a família sofreu alterações profundas, como advento da Revolução Industrial e o fim da Sociedade Agrícola,passa do padrão de família alargada, com funções e papeisdefinidos e determinadas por grau de parentesco e género, comum número de membros, extenso formado por pai, mãe, váriosfilhos, parentes com consanguinidade e até empregados,passando a ser uma família nuclear com número reduzido defilhos em convivência com pai e mãe (Hintz H. C. 2001).
  4. 4. O Casamento e os Estereótipos 1 - Funções especificas a cada. 2 - O Homem como o “Provedor”. 3 - O Papel de cuidadora da Mulher.
  5. 5. O Casamento e os Estereótipos Não obstante o que dominava ainda, do ponto de vista sócio cultural era uma hierarquização vertical da família, e no que toca ao poder dentro da família, havia o predomínio da liderança masculina, algo que nos dias atuais está a desaparecer lentamente, deixando de ser uma família hierarquicamente vertical para uma relação horizontal e de partilha de liderança com a mulher (Hintz H. C. 2001)
  6. 6. Os filhos na vida do casal1 – O Estereótipo do pai.2 – O Estereótipo da mãe.3 – A nova realidade do Lar.4 – A vida profissional altera-se ou não.5 – Avós cuidadores
  7. 7. Os filhos na vida do casalNo modelo anterior, havia um distanciamento entre pais efilhos com um grau de hierarquia elevado, modelo esse que serefletiu por muito tempo nas relações conjugais entre o maridocomo sendo o chefe de família e a mulher como a mãeeducadora e cuidadora do Lar, ou por outras palavras háclaramente um modelo de estereótipo (Hintz H. C. 2001), noqual as diferenças de género são mantidas com atribuições efunções específicas.
  8. 8. A Família x O Trabalho1 – O dilema de conciliar Família eTrabalho.2 – A difícil conciliação das tarefasdomésticas no casal.
  9. 9. A Família x O TrabalhoA sociedade da Informação, trouxe significativas mudanças nomodos vivendi das famílias e consequências no relacionamentoentre os cônjuges, e pais e filhos, é a necessidade de homens emulheres repartirem as tarefas referentes às rotinas diárias do dia adia da família, havendo a necessidade de ambos conciliarem a vidafamiliar e a vida profissional, um maior risco de divórcio devido ànão conciliação dos fatores, trabalho, família e Tarefas do Lar.
  10. 10. A ruptura e o divórcio1 – Crescimento do índice de divórcios.2 – Emergem novos tipos de famílias.3 – O peso da alienação parental.4 – O recomeçar a vida.
  11. 11. A ruptura e o divórcioMas o que importa salientar é que com os divórcios têm vindotambém a aumentar, é nota-se o aparecimento cada vez maiscomum de famílias monoparentais, onde um dos cônjuges ficaa viver com os seus filhos, havendo também o aumentosimultâneo de famílias reconstruídas, e dos famosos filhos “osmeus, os teus e os nossos”.
  12. 12. Famílias Monoparentais1 – Um novo tipo de família.2 – Causas como viuvez e divórcio.3 – Pais que cuidam dos filhos.
  13. 13. Famílias MonoparentaisUm número cada vez maior de homens tem vindo a assumir oencargo de criar seus filhos sozinhos, anteriormente no passadotambém existiam tais famílias monoparentais masculinas, masmais por motivos de viuvez, atualmente os motivos prendem-semais com o divórcio crescente na sociedade atual.
  14. 14. Pai Sozinhos, Pais Cuidadores1 – A necessidade de educar para a vida semestereótipos.2 – Tarefas domésticas não têm género.3 – Homens que aprenderam a ser mais quepais.
  15. 15. Pai Sozinhos, Pais CuidadoresEsta tendência tem também um fator importante, no sentido deagora serem também os homens a ter de conciliar trabalho efamília nas suas prioridades, e tido como uma novidadecontemporânea os pais assumirem e quererem de facto assumira responsabilidade de criar os seus filhos, claro está que amaioria das famílias monoparentais é feminina, ou em que amulher é que fica com a guarda dos filhos.
  16. 16. Conciliação – Há escolha?1 – Não há escolhas.2 – Gerir para não prejudicar.3 – O património humano da Família.4 – Ser pai como missão.
  17. 17. Conciliação e Organização1 – Estar presente para os filhos2 – Vencer preconceitos.3 – Criar uma nova cultura de género.4 – A prioridade da organização no Lar.5 – Gerir tarefas no trabalho e no Lar
  18. 18. Conciliação e OrganizaçãoOs pais nas famílias monoparentais tem ainda muitasbarreiras para vencer, nomeadamente o preconceito que ésentido, e por uma mentalidade ainda machista, que resisteem alguns setores da sociedade, no entanto, há algo depositivo, que é uma nova cultura de género, criada por esteshomens e seus filhos, baseada numa filosofiafundamentalmente humanista e de cidadania, através de umaeducação inclusiva no seio da família.
  19. 19. Maior Destaque na Imprensa • As famílias monoparentais têm vindo a ser objeto de estudo e tem tido maior destaque por parte da imprensa escrita.
  20. 20. Dados• Apresentam-se aqui dados da PORDATA com os números de diferentes tipos de família na sociedade portuguesa.
  21. 21. Dados - divórcios• O crescimento de divórcios têm vindo a aumentar a necessidades dos pais e mães sozinhos conciliarem a sua vida familiar e profissional.• Há um maior número percentual, de Pais sozinhos hoje do que no passado.
  22. 22. Agregados Monoparentais• Dados recentes da PORDATA e do INE apontam que em Portugal, há cerca de 53 mil homens que criam sozinhos os seus filhos.
  23. 23. Agregados Monoparentais• Dados recentes do IBGE mostram que de todos os tipos de famílias a monoparentalidad e masculina atinge os 3,3% do total, a feminina os 52,9%.
  24. 24. A Conciliação Entre Trabalho e Família Na Monoparentalidade Masculina• Este trabalho é parte do seguinte trabalho académico:• “Conciliação Entre Trabalho e Família• Em que também participaram Andreia Fernandes Nicolau e Joana Soares• Esta presentação é por respeito aos direitos de autor, exclusivamente referente à parte de Filipe de Freitas Leal.• Foram consultados os seguintes recursos:• Hintz, Ana Bela (2001) “Novos tempos, novas famílias?” Porto Alegre, Brasil• Diário de Notícias• PORDATA• IBGE• Filipe de Freitas Leal

×