Derivações intestinais sem video

1.593 visualizações

Publicada em

Publicada em: Saúde e medicina
0 comentários
2 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.593
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
5
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
67
Comentários
0
Gostaram
2
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide
  • Trabalhosas – muitas fistulas
  • Descrever as incisoes
  • Agora Jejunostomias
  • Derivações intestinais sem video

    1. 1. Derivações intestinais Gastrostomia e Jejunostomia Fernando de Oliveira Dutra Cirurgia Aparelho Digestivo
    2. 2. Conceito É a colocação de um cateter comunicando a luz de uma porção do trato digestório (gástrico ou jejunal) ao meio externo, com a finalidade descompressiva ou, mais frequentemente, para alimentação.
    3. 3. Conceito Gastrostomia cirúrgica foi inicialmente descrita por Egeberg em 1837. 1849 – Sedillot, fracassou na realização de gastrostomia para alimentação. 1879 – Verneuil, conseguiu com sucesso. 1891 e 1894 – Witzel e Stamm respectivamente, utilizaram um cateter no procedimento e este é muito utilizado até os dias de hoje. Gastrostomia endoscópica percutânea (GEP) foi realizada pela primeira vez em 1979 por Gauderer e Ponsky.
    4. 4. Anatomia O aparelho digestivo começa pela boca, depois continua com o esôfago e estômago, O intestino delgado é um tubo com 6 a 8 metros, que se divide em três partes: duodeno, jejuno e ileo, O intestino grosso ou cólon, que mede mais ou menos 1,5m de comprimento, se divide em Ceco, Cólon ascendente, Cólon Transverso, Cólon descendente, Sigmóide e Reto.
    5. 5. Gastrostomia A gastrostomia é um procedimento cirúrgico que estabelece o acesso à luz do estômago através da parede abdominal. Pode ser realizada por via Laparotômica, Laparoscópica ou Endoscópica. Indicação: Descompressão gástrica, alimentação ou ambos.
    6. 6. Indicações Descompressão • DPOC, psicóticos, agitados, idosos, retardo esvaziamento gástrico em PO de cirurgias de grande porte Alimentação • Temporária – Estenose cáustica , câncer esôfago e megaesôfago e, nos casos de coma prolongado. • Definitiva – Neoplasia maligna irressecável da faringe e do esôfago, doenças neurológicas como demência, ELA, sequelas de AVC, Parkinson. Descompressão e alimentação • Cirurgia obesidade
    7. 7. Técnicas
    8. 8. Técnicas Gastrostomia á Beck - Jianu
    9. 9. Técnicas Gastrostomia á Janeway
    10. 10. Técnicas Gastrostomia á Witzel
    11. 11. Técnicas Gastrostomia á Stamm
    12. 12. Técnicas Gastrostomia á Stamm
    13. 13. Sondas Gastrostomia
    14. 14. Sondas Gastrostomia
    15. 15. Sondas Gastrostomia
    16. 16. Sondas Gastrostomia
    17. 17. Sondas Gastrostomia
    18. 18. Sondas Gastrostomia
    19. 19. Técnicas Gastrostomia Endoscópica Percutânea GEP
    20. 20. Técnicas Gastrostomia Endoscópica Percutânea GEP
    21. 21. Técnicas Gastrostomia Endoscópica Percutânea GEP
    22. 22. GEP
    23. 23. Contra-indicações GEP Pacientes com coagulopatias não corrigidas, instabilidade hemodinâmica, Sepse grave, Abdome agudo perfurativo, Outras condições que contraindiquem o exame endoscópico.
    24. 24. Gastrostomia Laparoscópica
    25. 25. Jejunostomia A jejunostomia é um procedimento cirúrgico que estabelece o acesso à luz do jejuno proximal através da parede abdominal. Pode ser realizada por via Laparotômica, Laparoscópica ou Endoscópica. Indicação: Descompressão trato grastrointestinal, alimentação ou ambos.
    26. 26. Indicações Descompressão digestiva • Complemento de operações abdominais de grande porte (Gastrectomias total) Alimentação • Temporária – estenose caustica esofago e estomago • Definitiva – neoplasia maligna irressecável de estômago, impossibilidade de acesso ao estomago (gastrectomizados) Descompressao e alimentação • Gastrectomia total, anastomoses de esofago com jejuno com risco de deiscencia
    27. 27. Técnicas Jejunostomia á Witzel
    28. 28. Técnica Laparotômica
    29. 29. Técnicas Jejunostomia Endoscópica Percutânea. Jejunostomia Laparoscópica.
    30. 30. Conclusões Há estudos demonstrando vantagens da gastrostomia endoscópica percutânea em relação à gastrostomia por laparotomia, com redução de internação, custos e complicações. A incidência de complicações variou de 6 a 56% para a gastrostomia por laparotomia e de 2 a 15% para gastrostomia percutânea.
    31. 31. Conclusões A gastrostomia temporária deve ser mantida por pelo menos 3 a 4 dias. Não deve ser tirada até que seja reestabelecido a função alimentar completamente. Alimentar o paciente após 12-24h da realização da derivação intestinal. Um preparo pré operatório adequado e uso de antibioticoprofilaxia reduz os riscos de complicações.
    32. 32. Palavras de Sir William Osler (1849- 1919) "A medicina é aprendida à beira do leito e não nos anfiteatros"
    33. 33. Fim

    ×