Bacias hidrográficas

593 visualizações

Publicada em

0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
593
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
9
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
13
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Bacias hidrográficas

  1. 1. Oficina elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
  2. 2. Oficina elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia É como o piso que recolhe toda a água que cai em um determinado local e a encaminha para uma parte mais baixa (ralo) Nas bacias hidrográficas existem entradas e saídas de água. A precipitação (chuva) e o fluxo de águas subterrâneas são as entradas. As saídas ocorrem pela evaporação, pela transpiração das plantas e animais e pelo escoamento das águas superficiais (rios e córregos) e subterrâneas.
  3. 3. Oficina elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia Bacia hidrográfica é uma área da superfície terrestre delimitada pelos pontos mais altos do relevo. A água proveniente das chuvas escorre para os pontos mais baixos do relevo formando cursos de água (rio, riacho, córrego, arroio, igarapé) ou lago (lagoa, laguna).
  4. 4. Oficina elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
  5. 5. Oficina elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
  6. 6. Oficina elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia A maior parte dos rios do território brasileiro apresenta regime pluvial, ou seja, eles são alimentados pelas águas das chuvas. A exceção é o rio Amazonas, que apresenta regime misto, ou seja, é alimentado tanto pelas águas das chuvas (regime pluvial) quanto pelo degelo da neve (regime nival) da cordilheira dos Andes, no Peru, onde está sua nascente. O Amazonas também é o único dos grandes rios que cortam o Brasil cuja nascente localiza-se em outro país.
  7. 7. Oficina elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
  8. 8. Oficina elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia O repórter está a 250 quilômetros do continente, da costa do Pará, de onde saíram. E, do lugar onde está, ele relata que dá para se ter uma ideia da força do Amazonas. Toda a água barrenta vem de lá, é o rio que manda. É a prova de que o Amazonas vai empurrando o mar bem mais para frente. O repórter José Raimundo experimenta um pouco para ver que gosto tem. Não é nem salobra, nem sinal de sal. É água doce no meio do Atlântico. GLOBO REPÓRTER -Ediçãodo dia05/08/2011 -Rios volumosos(Em razão das características climáticas, com chuvas relativamente regulares na maior parte do território)
  9. 9. Oficina elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia -Rios volumosos(Em razão das características climáticas, com chuvas relativamente regulares na maior parte do território) -Em sua maioria, são PERENES (nunca secam)
  10. 10. Oficina elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia -Rios volumosos(Em razão das características climáticas, com chuvas relativamente regulares na maior parte do território) -Em sua maioria, são PERENES (nunca secam) -São classificados em rios de PLANALTOS e rios de PLANÍCIE:
  11. 11. Oficina elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia -Rios volumosos(Em razão das características climáticas, com chuvas relativamente regulares na maior parte do território) -Em sua maioria, são PERENES (nunca secam) -São classificados em rios de PLANALTOS e rios de PLANÍCIE: Rios de Planaltos: -presença de quedas d´água(dificultando a navegação e favorecendo a produção de energia) -navegação com eclusas
  12. 12. Oficina elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia -Rios volumosos(Em razão das características climáticas, com chuvas relativamente regulares na maior parte do território) -Em sua maioria, são PERENES (nunca secam) -São classificados em rios de PLANALTOS e rios de PLANÍCIE: Rios de Planaltos: -presença de quedas d´água(dificultando a navegação e favorecendo a produção de energia) -navegação com eclusas Rios de Planícies: -facilidade para navegação(dificultando a produção de energia)
  13. 13. Oficina elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia -Rios volumosos(Em razão das características climáticas, com chuvas relativamente regulares na maior parte do território) -Em sua maioria, são PERENES (nunca secam) -São classificados em rios de PLANALTOS e rios de PLANÍCIE: Rios de Planaltos: -presença de quedas d´água(dificultando a navegação e favorecendo a produção de energia) -navegação com eclusas Rios de Planícies: -facilidade para navegação(dificultando a produção de energia) -Rios exorreicos(correm em direção ao oceano. Não existem aqui os chamados rios endorreicos, que terminam no interior do continente, em um lago ou no deserto).
  14. 14. Oficina elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia -Rios volumosos(Em razão das características climáticas, com chuvas relativamente regulares na maior parte do território) -Em sua maioria, são PERENES (nunca secam) -São classificados em rios de PLANALTOS e rios de PLANÍCIE: Rios de Planaltos: -presença de quedas d´água(dificultando a navegação e favorecendo a produção de energia) -navegação com eclusas Rios de Planícies: -facilidade para navegação(dificultando a produção de energia) -Rios exorreicos(correm em direção ao oceano. Não existem aqui os chamados rios endorreicos, que terminam no interior do continente, em um lago ou no deserto). -Predomínio da foz em ESTUÁRIO (tipo de desembocadura que se forma quando não há obstáculos para a correnteza despejar suas águas no oceano. Um exemplo de rio cuja foz é em estuário é o São Francisco. A foz em delta é mais rara. Esse tipo de desembocadura se forma quando os sedimentos ou detritos transportados pelo rio encontram obstáculos e se acumulam, dando origem a ilhas de aluvião e a diversos canais até o mar).
  15. 15. Oficina elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia Existem quatro padrões de canais de rio: retilíneo, anastomosado, meandrante ou entrelaçado. Esses diferentes padrões ocorrem de acordo com as características geológicas, de relevo, solo e de clima encontradas pelos rios ao longo dos seus percursos.
  16. 16. Oficina elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia Rio Madeira (RO)
  17. 17. Oficina elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
  18. 18. Oficina elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia Rio Amazonas (AM)
  19. 19. Oficina elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia Rio Negro (AM)
  20. 20. Oficina elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia BACIAS HIDROGRÁFICAS BRASILEIRAS
  21. 21. Oficina elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
  22. 22. Oficina elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia -10 Bacias brasileiras -4 PRINCIPAIS
  23. 23. Oficina elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia -10 Bacias brasileiras -4 PRINCIPAIS 1-AMAZÔNICA
  24. 24. Oficina elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia -10 Bacias brasileiras -4 PRINCIPAIS 1-AMAZÔNICA 2-PLATINA PARAGUAI PARANÁ URUGUAI
  25. 25. Oficina elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia -10 Bacias brasileiras -4 PRINCIPAIS 1-AMAZÔNICA 2-PLATINA 3-TOCANTINS-ARAGUAIA PARAGUAI PARANÁ URUGUAI
  26. 26. Oficina elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia -10 Bacias brasileiras -4 PRINCIPAIS 1-AMAZÔNICA 2-PLATINA 3-TOCANTINS-ARAGUAIA 4-SÃO FRANCISCO PARAGUAI PARANÁ URUGUAI
  27. 27. Oficina elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia -10 Bacias brasileiras -4 PRINCIPAIS 1-AMAZÔNICA 2-PLATINA 3-TOCANTINS-ARAGUAIA 4-SÃO FRANCISCO PARAGUAI PARANÁ URUGUAI A divisão em regiões hidrográficas foi estabelecida para, entre outras coisas, facilitar a criação de políticas públicas de aproveitamento dos recursos hídricos.
  28. 28. Oficina elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
  29. 29. Oficina elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia BACIA PLATINA
  30. 30. Oficina elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia BACIA PLATINA -Constituída de 3 outras bacias importantes (SUB) Paraguai Paraná Uruguai
  31. 31. Oficina elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia BACIA PLATINA -Constituída de 3 outras bacias importantes (SUB) #BACIA DO PARANÁ Paraguai Paraná Uruguai
  32. 32. Oficina elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia BACIA PLATINA -Constituída de 3 outras bacias importantes (SUB) #BACIA DO PARANÁ Bacia de Maior aproveitamento hidrelétrico Paraguai Paraná Uruguai
  33. 33. Oficina elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia BACIA PLATINA -Constituída de 3 outras bacias importantes (SUB) #BACIA DO PARANÁ Bacia de Maior aproveitamento hidrelétrico Ilha Solteira, São Simão, Porto Primavera, Furnas e ITAIPU Paraguai Paraná Uruguai
  34. 34. Oficina elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia BACIA PLATINA 1. Rio Uruguai 2. Rio Paraguai 3. Rio Iguaçu 4. Rio Paraná 5. Rio Tietê 6. Rio Paranapanema 7. Rio Grande 8. Rio Parnaíba 9. Rio Taquari 10. Rio Sepotuba -Constituída de 3 outras bacias importantes (SUB) #BACIA DO PARANÁ Bacia de Maior aproveitamento hidrelétrico Ilha Solteira, São Simão, Porto Primavera, Furnas e ITAIPU -Hidrovia Tietê-Paraná (integrar 5 estados  PR,SP,MG, GO e MS) Paraguai Paraná Uruguai
  35. 35. Oficina elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia BACIA DO PARANÁITAIPU
  36. 36. Oficina elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia -25.242954, -54.353970
  37. 37. Oficina elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
  38. 38. Oficina elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia 30.493050, 111.004654
  39. 39. Oficina elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia BACIA PLATINA #BACIA DO PARAGUAI Bacia que caracteriza as cheias do Pantanal Paraguai Paraná Uruguai -A expansão da pecuária e do cultivo de soja na região faz crescer o desmatamento, a erosão e até mesmo o assoreamento de alguns rios da região, como o Taquari e o São Lourenço. -A pecuária – principal atividade econômica – utiliza cerca de 40% do total de água da região. Em seguida, vem o uso para a irrigação, com uma demanda de 32% do total. O restante é usado para o abastecimento urbano, rural e industrial.
  40. 40. Oficina elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia HIDROVIA PARAGUAI - PARANÁ
  41. 41. Oficina elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
  42. 42. Oficina elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
  43. 43. Oficina elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia BACIA PLATINA #BACIA DO URUGUAI Menor Bacia das formadoras da Platina Abrange RS e SC Paraguai Paraná Uruguai
  44. 44. Oficina elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia AQUÍFERO GUARANI
  45. 45. Oficina elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia AQUÍFERO GUARANI
  46. 46. Oficina elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia Aqüífero é uma formação geológica do subsolo, constituída por rochas permeáveis, que armazena água em seus poros ou fraturas. Um aqüífero pode ter extensão de poucos quilômetros quadrados a milhares de quilômetros quadrados, ou pode, também, apresentar espessuras de poucos metros a centenas de metros
  47. 47. Oficina elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia Os aqüíferos mais importantes do mundo, seja por extensão ou pela transnacionalidade, são: -o Guarani - Argentina, Brasil, Paraguai, Uruguai (1,2 milhões de km2); -o Arenito Núbia Líbia, Egito, Chade, Sudão (2 milhões de km2); -o KalaharijKaroo -Namíbia, Bostwana, África do Sul (135 mil km2); -o Digitalwaterway vechte - Alemanha, Holanda (7,5 mil km2); -o SlovakKarst-Aggtelek -República Eslováquia e Hungria); -o Praded - República Checa e Polônia (3,3 mil km2) (UNESCO, 2001); -a Grande Bacia Artesiana (1,7 milhões km2) e -a Bacia Murray (297 mil km2), ambos na Austrália. Em um recente levantamento, a UNECE da Europa constatou que existem mais de 100 aqüíferos transnacionais naquele continente (ALMASSY e BUZAS, 1999 citado em UNESCO, 2001).
  48. 48. Oficina elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia AQUÍFERO ALTER DO CHÃ0 -MAIOR reservatório de água subterrânea do planeta. A reserva subterrânea está localizada sob os estados do Amazonas, Pará e Amapá e tem volume de 86 mil km³ de água doce, o que seria suficiente para abastecer a população mundial em cerca de 100 vezes, ainda de acordo com a pesquisa
  49. 49. Oficina elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia AQUÍFERO ALTER DO CHÃ0 -MAIOR reservatório de água subterrânea do planeta.
  50. 50. Oficina elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
  51. 51. Oficina elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia BACIA AMAZÔNICA 1. Rio Amazonas 2. Rio Solimões 3.Rio Negro 4. Rio Xingu 5. Rio Tapajós 6. Rio Jurema 7. Rio Madeira 8. Rio Purus 9. Rio Branco 10. Rio Juruá 11. Rio Trombetas 12. Rio Uatumã 13. Rio Mamoré -MAIOR Bacia Hidrográfica brasileira -MAIOR potencial hidrelétrico que é pouco aproveitado FATORES: -Baixa densidade demográfica -Poucas indústrias -Relevo Plano -Densidade demográfica Norte 2,9 hab/km² -Densidade demográfica Nordeste28 hab/km² -Densidade demográfica Sul 43,5 hab/km² -Densidade demográfica Sudeste 78,1 hab/km² -Densidade demográfica Centro-Oeste6,5 hab/km²
  52. 52. Oficina elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia RIO AMAZONAS
  53. 53. Oficina elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
  54. 54. Oficina elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
  55. 55. Oficina elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia RIO SOLIMÕES RIO MADEIRA
  56. 56. Oficina elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
  57. 57. Oficina elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
  58. 58. Oficina elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia BACIA DO SÃO FRANCISCO Divide-se em quatro regiões: Alto São Francisco, das nascentes até Pirapora-MG (2); Médio São Francisco, entre Pirapora e Remanso – BA(3); Submédio São Francisco, de Remanso até a Cachoeira de Paulo Afonso(4), e, Baixo São Francisco, de Paulo Afonso até a foz no oceano Atlântico(1) -Rio mais extenso inteiramente dentro de áreas brasileiras -Nasce em MG (Serra da Canastra) -Desemboca no Atlântico
  59. 59. Oficina elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia BACIA DO SÃO FRANCISCO Divide-se em quatro regiões: Alto São Francisco, das nascentes até Pirapora-MG (2); Médio São Francisco, entre Pirapora e Remanso – BA(3); Submédio São Francisco, de Remanso até a Cachoeira de Paulo Afonso(4), e, Baixo São Francisco, de Paulo Afonso até a foz no oceano Atlântico(1) -Rio mais extenso inteiramente dentro de áreas brasileiras -Nasce em MG (Serra da Canastra) -Desemboca no Atlântico
  60. 60. Oficina elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia TRANSPOSIÇÃO DO SÃO FRANCISCO -Construção de canais para levar águas do Rio São Francisco (Perene) aos principais vales do NE. -Mais ou menos 600 km de canais
  61. 61. Oficina elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia TRANSPOSIÇÃO DO SÃO FRANCISCO -Construção de canais para levar águas do Rio São Francisco (Perene) aos principais vales do NE. -Mais ou menos 600 km de canais
  62. 62. Oficina elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia -O Eixo Leste vai colher as águas em um ponto mais abaixo, em Petrolândia (PE), beneficiando o sertão e o agreste de Pernambuco e da Paraíba. O plano é concluir toda a obra até 2017 A transposição prevê dois eixos principais. -O Eixo Norte, palco inicial das obras, captará água em Cabrobó (PE) para levá-la ao sertão de Pernambuco, Ceará, Paraíba e Rio Grande do Norte.
  63. 63. Oficina elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia TRANSPOSIÇÃO DO SÃO FRANCISCO IMPACTOS AMBIENTAIS: -Diminuição da Vazão do Rio e do Volume das águas; -Desmatamento nas obras do canal; -Diminuição do Potencial Hidrelétrico das Usinas de: -Sobradinho -Paulo Afonso (BA); -Benefício excludente.
  64. 64. Oficina elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia Cânions do Rio São Francisco localizados no município de Delmiro Gouveia, Alagoas.
  65. 65. Oficina elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
  66. 66. Oficina elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia A forma como a água doce é utilizada, particularmente na agricultura, deixa muito a desejar. Em alguns lugares, os recursos hídricos são usados em excesso, não dando tempo para que eles se renovem.
  67. 67. Oficina elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia Em outro lugares, o desperdício em uma área priva o seu uso em outros lugares, levando a diminuição da produção agrícola e a perda de empregos e trabalho.
  68. 68. Oficina elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia O uso inadequado se dá quando ela é retirada e retorna para o sistema hídrico de forma imprópria, em que não pode ser reutilizada.
  69. 69. Oficina elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia BACIA TOCANTINS ARAGUAIA 1. Rio Araguaia 2. Rio Tocantins -MAIOR Bacia INTEIRAMENTE brasileira
  70. 70. Oficina elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia BACIA TOCANTINS ARAGUAIA 1. Rio Araguaia 2. Rio Tocantins -MAIOR Bacia INTEIRAMENTE brasileira USINA DE TUCURUÍ
  71. 71. Oficina elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
  72. 72. Oficina elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia BACIA DO ATLÂNTICO SUL O Brasil possui ao longo de seu litoral três conjuntos de bacias secundárias denominadas bacias do Atlântico Sul, divididas em três trechos: Norte-Nordeste, Leste e Sudeste. Estes trechos não possuem ligação entre si, foram agrupados por possuírem rios que correm próximo ao litoral e deságuam no Oceano Atlântico. Seus principais rios são: 1. Oiapoque 2. Gurupi 3. Parnaíba 4. Jequitinhonha 5. Doce
  73. 73. Oficina elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia Belo Monte é uma usina hidrelétrica projetada a ser construída no Rio Xingu, no estado brasileiro do Pará. Sua potência instalada será de 11,233 GW, o que fará com que seja a maior usina hidrelétrica inteiramente brasileira, visto que a Usina Hidrelétrica de Itaipu está localizada na fronteira entre Brasil e Paraguai.
  74. 74. Oficina elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
  75. 75. Oficina elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
  76. 76. Oficina elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
  77. 77. Oficina elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
  78. 78. Oficina elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
  79. 79. Oficina elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
  80. 80. Oficina elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia RIOS NO MATO GROSSO
  81. 81. Oficina elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
  82. 82. Oficina elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
  83. 83. Oficina elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
  84. 84. Oficina elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
  85. 85. Oficina elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia BACIA AMAZÔNICA 1. Rio Amazonas 2. Rio Solimões 3.Rio Negro 4. Rio Xingu 5. Rio Tapajós 6. Rio Jurema 7. Rio Madeira 8. Rio Purus 9. Rio Branco 10. Rio Juruá 11. Rio Trombetas 12. Rio Uatumã 13. Rio Mamoré -MAIOR Bacia Hidrográfica brasileira -MAIOR potencial hidrelétrico que é pouco aproveitado FATORES: -Baixa densidade demográfica -Poucas indústrias -Relevo Plano -Densidade demográfica Norte 2,9 hab/km² -Densidade demográfica Nordeste28 hab/km² -Densidade demográfica Sul 43,5 hab/km² -Densidade demográfica Sudeste 78,1 hab/km² -Densidade demográfica Centro-Oeste6,5 hab/km²
  86. 86. Oficina elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia RIO AMAZONAS
  87. 87. Oficina elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
  88. 88. Oficina elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia RIO SOLIMÕES RIO MADEIRA
  89. 89. Oficina elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
  90. 90. Oficina elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia BACIA DO SÃO FRANCISCO Divide-se em quatro regiões: Alto São Francisco, das nascentes até Pirapora-MG (2); Médio São Francisco, entre Pirapora e Remanso – BA(3); Submédio São Francisco, de Remanso até a Cachoeira de Paulo Afonso(4), e, Baixo São Francisco, de Paulo Afonso até a foz no oceano Atlântico(1) -Rio mais extenso inteiramente dentro de áreas brasileiras -Nasce em MG (Serra da Canastra) -Desemboca no Atlântico
  91. 91. Oficina elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia TRANSPOSIÇÃO DO SÃO FRANCISCO -Construção de canais para levar águas do Rio São Francisco (Perene) aos principais vales do NE. -Mais ou menos 600 km de canais
  92. 92. Oficina elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia TRANSPOSIÇÃO DO SÃO FRANCISCO IMPACTOS AMBIENTAIS: -Diminuição da Vazão do Rio e do Volume das águas; -Desmatamento nas obras do canal; -Diminuição do Potencial Hidrelétrico das Usinas de: -Sobradinho -Paulo Afonso (BA); -Benefício excludente.
  93. 93. Oficina elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia BACIA TOCANTINS ARAGUAIA 1. Rio Araguaia 2. Rio Tocantins -MAIOR Bacia INTEIRAMENTE brasileira USINA DE TUCURUÍ
  94. 94. Oficina elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
  95. 95. Oficina elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia BACIA DO ATLÂNTICO SUL O Brasil possui ao longo de seu litoral três conjuntos de bacias secundárias denominadas bacias do Atlântico Sul, divididas em três trechos: Norte-Nordeste, Leste e Sudeste. Estes trechos não possuem ligação entre si, foram agrupados por possuírem rios que correm próximo ao litoral e deságuam no Oceano Atlântico. Seus principais rios são: 1. Oiapoque 2. Gurupi 3. Parnaíba 4. Jequitinhonha 5. Doce
  96. 96. Oficina elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia RIOS NO MATO GROSSO
  97. 97. Oficina elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
  98. 98. Oficina elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
  99. 99. Oficina elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
  100. 100. Oficina elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
  101. 101. Oficina elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
  102. 102. Oficina elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia http://ead.pti.org.br/ntm/file.php/8/Imagens/como_nasce_rio_pop.jpg https://megaarquivo.files.wordpress.com/2011/12/foz-amazonas.jpg http://pt.wikipedia.org/wiki/Estu%C3%A1rio http://geoconceicao.blogspot.com.br/2012/09/tipos-de-foz.html http://penedo.arteblog.com.br/60229/Vista-aerea-da-Foz-do-Rio-Sao-Francisco/ http://aquafluxus.com.br/?p=4899 http://revistapescaecompanhia.com.br/fique-por-dentro/noticias/hidrovia-pode-comprometer-pesca-em-corrientes-arg http://www.geosur.info/geosur/iirsa/pdf/po/g1_hpp_po.jpg .

×