ANALISTA DE INFRAESTRUTURA JÚNIOR1LEIA ATENTAMENTE AS INSTRUÇÕES ABAIXO.01 - Você recebeu do fiscal o seguinte material:a)...
ANALISTA DE INFRAESTRUTURA JÚNIOR 2LÍNGUA PORTUGUESA IIA doidaA doida habitava um chalé no centro do jardimmaltratado. [.....
ANALISTA DE INFRAESTRUTURA JÚNIOR33A seguinte frase extraída do Texto I serve de argumento,na concepção dos meninos, para ...
ANALISTA DE INFRAESTRUTURA JÚNIOR 412Para qualquer número real x, tal que 0 < x < 1, ao se con-siderar , tem-se(A)(B) 1 < ...
ANALISTA DE INFRAESTRUTURA JÚNIOR518A figura apresenta duas retas do plano cartesiano, cujasequações são dadas por y = mx ...
ANALISTA DE INFRAESTRUTURA JÚNIOR 624Dada uma proposição lógica p, é uma contradição aexpressão lógica dada por(A) (~ p) p...
ANALISTA DE INFRAESTRUTURA JÚNIOR7Regulations define workplace violence and requirethe development of a policy to prevent ...
ANALISTA DE INFRAESTRUTURA JÚNIOR 8CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS31Seja uma lista encadeada cujos nós são representadosna lingu...
ANALISTA DE INFRAESTRUTURA JÚNIOR938O Linux fornece suporte a vários tipos de sistemas dearquivos.As partições do tipo swa...
ANALISTA DE INFRAESTRUTURA JÚNIOR 1047Seja uma lista encadeada, cujos nós são representados, na linguagem C, pela estrutur...
ANALISTA DE INFRAESTRUTURA JÚNIOR11(C) No* insere(No *header,int info){No *novo;novo=(No*) malloc(sizeof(No));novo->x=info...
ANALISTA DE INFRAESTRUTURA JÚNIOR 1250Um programador resolveu criar um novo método paraarmazenar cadeias de caracteres na ...
ANALISTA DE INFRAESTRUTURA JÚNIOR1354Um programa escrito na linguagem C irá manipular uma lista encadeada composta por nós...
ANALISTA DE INFRAESTRUTURA JÚNIOR 1455Seja o programa abaixo, escrito na linguagem C.#include<stdio.h>int func(int i){int ...
ANALISTA DE INFRAESTRUTURA JÚNIOR1556O Dynamic Host Configuration Protocol (DHCP) permiteque um computador, operando como ...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Prova 8 analista de infraestrutura júnior.indd

352 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
352
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
21
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Prova 8 analista de infraestrutura júnior.indd

  1. 1. ANALISTA DE INFRAESTRUTURA JÚNIOR1LEIA ATENTAMENTE AS INSTRUÇÕES ABAIXO.01 - Você recebeu do fiscal o seguinte material:a) este caderno, com o enunciado das 60 (sessenta) questões objetivas, sem repetição ou falha, com a seguinte distribuição:b) CARTÃO-RESPOSTA destinado às marcações das respostas das questões objetivas formuladas nas provas.02 - Verifique se este material está em ordem e se o seu nome e número de inscrição conferem com os que aparecem noCARTÃO-RESPOSTA. Caso contrário, notifique o fato IMEDIATAMENTE ao fiscal.03 - Após a conferência, o candidato deverá assinar, no espaço próprio do CARTÃO-RESPOSTA, a caneta esferográficatransparente de tinta na cor preta.04 - No CARTÃO-RESPOSTA, a marcação das letras correspondentes às respostas certas deve ser feita cobrindo a letra epreenchendo todo o espaço compreendido pelos círculos, a caneta esferográfica transparente de tinta na cor preta,de forma contínua e densa. A LEITORA ÓTICA é sensível a marcas escuras, portanto, preencha os campos de marcaçãocompletamente, sem deixar claros.Exemplo:05 - Tenha muito cuidado com o CARTÃO-RESPOSTA, para não o DOBRAR, AMASSAR ou MANCHAR. O CARTÃO--RESPOSTA SOMENTE poderá ser substituído se, no ato da entrega ao candidato, já estiver danificado.06 - Para cada uma das questões objetivas, são apresentadas 5 alternativas classificadas com as letras (A), (B), (C), (D) e (E);só uma responde adequadamente ao quesito proposto. Você só deve assinalar UMA RESPOSTA: a marcação em mais deuma alternativa anula a questão, MESMO QUE UMA DAS RESPOSTAS ESTEJA CORRETA.07 - As questões objetivas são identificadas pelo número que se situa acima de seu enunciado.08 - SERÁ ELIMINADO do Processo Seletivo Público o candidato que:a) se utilizar, durante a realização das provas, de máquinas e/ou relógios de calcular, bem como de rádios gravadores,headphones, telefones celulares ou fontes de consulta de qualquer espécie;b) se ausentar da sala em que se realizam as provas levando consigo o CADERNO DE QUESTÕES e/ou o CARTÃO--RESPOSTA.Obs.: O candidato só poderá se ausentar do recinto das provas após 1 (uma) hora contada a partir do efetivo início dasmesmas. Por motivos de segurança, o candidato NÃO PODERÁ LEVAR O CADERNO DE QUESTÕES, a qualquermomento.09 - Reserve os 30 (trinta) minutos finais para marcar seu CARTÃO-RESPOSTA. Os rascunhos e as marcações assinaladas noCADERNO DE QUESTÕES NÃO SERÃO LEVADOS EM CONTA.10 - Quando terminar, entregue ao fiscal o CADERNO DE QUESTÕES, o CARTÃO-RESPOSTA e ASSINE a LISTA DEPRESENÇA.11 - O TEMPO DISPONÍVEL PARA ESTAS PROVAS DE QUESTÕES OBJETIVAS É DE 3 (TRÊS) HORAS E 30 (TRINTA) MINUTOS,incluído o tempo para a marcação do seu CARTÃO-RESPOSTA.12 - As questões e os gabaritos das Provas Objetivas serão divulgados no primeiro dia útil após a realização das mesmas, noendereço eletrônico da FUNDAÇÃO CESGRANRIO (http://www.cesgranrio.org.br).PSPNo1/2012ANALISTA DE INFRAESTRUTURA JÚNIOR08Conhecimentos Básicos ConhecimentosEspecíficosLíngua Portuguesa II Matemática II Raciocínio Lógico II Língua InglesaQuestões Pontuação Questões Pontuação Questões Pontuação Questões Pontuação Questões Pontuação1 a 10 1,5 cada 11 a 20 1,5 cada 21 a 25 1,0 cada 26 a 30 1,0 cada 31 a 60 2,0 cadaTotal: 40, 0 pontos Total: 60, 0 pontosTotal: 100, 0 pontos
  2. 2. ANALISTA DE INFRAESTRUTURA JÚNIOR 2LÍNGUA PORTUGUESA IIA doidaA doida habitava um chalé no centro do jardimmaltratado. [...] Os três garotos desceram manhãcedo, para o banho e a pega de passarinho. Só comessa intenção. Mas era bom passar pela casa da doi-da e provocá-la. As mães diziam o contrário: que erahorroroso, poucos pecados seriam maiores. [...] Nãoexplicavam bem quais fossem esses benefícios, ouexplicavam demais, e restava a impressão de queeram todos privilégios de gente adulta, como fazervisitas, receber cartas, entrar para irmandades. Eisso não comovia ninguém. A loucura parecia anteserro do que miséria. E os três sentiam-se inclinadosa lapidar a doida, isolada e agreste no seu jardim. [...]E assim, gerações sucessivas de moleques pas-savam pela porta, fixavam cuidadosamente a vidraçae lascavam uma pedra. A princípio, como justa pe-nalidade. Depois, por prazer. Finalmente, e já haviamuito tempo, por hábito. [...]Os três verificaram que quase não dava maisgosto apedrejar a casa. As vidraças partidas nãose recompunham mais. [...] Ainda haveria louçapor destruir, espelho, vaso intato? Em todo caso, omais velho comandou, e os outros obedeceram [...].Pegaram calhaus lisos, de ferro, tomaram posição.[...] O chefe reservou-se um objetivo ambicioso:a chaminé. O projétil bateu no canudo de folhade flandres – blem – e veio espatifar uma telha,com estrondo. [...] A doida, porém, parecia não terpercebido a agressão, a casa não reagia. [...]Aí o terceiro do grupo, em seus onze anos, sen-tiu-se cheio de coragem e resolveu invadir o jardim.[...] O garoto empurrou o portão: abriu-se. [...] Tinhaa pedra na mão, mas já não era necessária; jogou--a fora. [...] O menino foi abrindo caminho entre aspernas e braços de móveis, contorna aqui, esbarramais adiante. Atrás da massa do piano, encurraladaa um canto, estava a cama. E nela, busto soerguido,a doida esticava o rosto para a frente, na investigaçãodo rumor insólito. [...] Ele encarava-a, com interesse.Era simplesmente uma velha, [...] atrás de uma barri-cada de móveis. E que pequenininha! O corpo sob acoberta formava uma elevação minúscula. [...] O me-nino aproximou-se, e o mesmo jeito da boca insistiaem soltar a mesma palavra curta, que entretanto nãotomava forma. [...] Talvez pedisse água. A moringaestava no criado-mudo, entre vidros e papéis. Ele en-cheu o copo pela metade, estendeu-o. [...] Fazia tudonaturalmente, nem se lembrava mais por que entra-ra ali, nem conservava qualquer espécie de aversãopela doida. A própria ideia de doida desaparecera.Havia no quarto uma velha com sede, e que talvezestivesse morrendo. Nunca vira ninguém morrer, ospais o afastavam se havia em casa um agonizante.Mas deve ser assim que as pessoas morrem. Umsentimento de responsabilidade apoderou-se dele.Desajeitadamente, procurou fazer com que a cabeçarepousasse sobre o travesseiro. Os músculos rígidosda mulher não o ajudavam. Teve que abraçar-lhe osombros – com repugnância – e conseguiu, afinal,deitá-la em posição suave. [...] Seria caso talvez dechamar alguém, avisar o farmacêutico mais próximo,ou ir à procura do médico, que morava longe. Mashesitava em deixar a mulher sozinha na casa aberta eexposta a pedradas. E tinha medo de que ela morres-se em completo abandono, como ninguém no mun-do deve morrer, e isso ele sabia não apenas porquesua mãe o repetisse sempre, senão também porquemuitas vezes, acordando no escuro, ficara gelado pornão sentir o calor do corpo do irmão e seu bafo pro-tetor. [...]Não deixaria a mulher para chamar ninguém. Sa-bia que não poderia fazer nada para ajudá-la, a nãoser sentar-se à beira da cama, pegar-lhe nas mãos eesperar o que ia acontecer.Vocabulário:• Agreste: rústico, áspero, indelicado.• Busto: parte superior do corpo humano.• Calhau: pedregulho.• Folha-de-flandres: material laminado composto de ferroe aço.• Insólito: incomum, diferente.• Lapidar: matar a pedrada, talhar.• Soerguer: levantar.ANDRADE, Carlos Drummond de. A doida. Contos de aprendiz.16. ed. Rio de Janeiro: José Olympio, 1977, p. 32-40. Adaptado.1Considerando-se o desenvolvimento da narrativa e seudesfecho, compreende-se que o Texto I valoriza a(o)(A) loucura(B) solidariedade(C) educação(D) preconceito(E) prazer2Leia as frases abaixo, dando especial atenção aos adje-tivos empregados para caracterizar a doida e o espaçoonde ela morava.“A doida habitava um chalé no centro do jardim maltrata-do.” (l. 1-2)“E os três sentiam-se inclinados a lapidar a doida, isoladae agreste no seu jardim.” (l. 12-13)Esses adjetivos indicam que a personagem era(A) doida(B) triste(C) incompreendida(D) destemida(E) abandonada510152025303540455055606570
  3. 3. ANALISTA DE INFRAESTRUTURA JÚNIOR33A seguinte frase extraída do Texto I serve de argumento,na concepção dos meninos, para que eles apedrejassema casa da doida sem culpa:(A) “Os três garotos desceram manhã cedo, para o banhoe a pega de passarinho.” (l. 2-3)(B) “Mas era bom passar pela casa da doida e provocá--la.” (l. 4-5)(C) “Não explicavam [as mães] bem quais fossem essesbenefícios, ou explicavam demais,” (l. 6-8)(D) “[...] fazer visitas, receber cartas, entrar para irmanda-des.” (l. 9-10)(E) “A loucura parecia antes erro do que miséria.” (l. 11-12)4“Aí o terceiro do grupo, em seus onze anos, sentiu-secheio de coragem e resolveu invadir o jardim. [...] O garo-to empurrou o portão: abriu-se. [...] Tinha a pedra na mão,mas já não era necessária; jogou-a fora. [...]” (l. 30-34)A compreensão global do texto permite afirmar que o fatode o menino jogar a pedra fora simboliza, no contexto, a(o)(A) tentativa de recuar(B) perda do preconceito(C) busca por outro objeto(D) medo da velha(E) destemor do local5Na frase “O garoto empurrou o portão: abriu-se.” (l. 32), osdois-pontos estabelecem o sentido de(A) proporção(B) consequência(C) contradição(D) alternância(E) explicação6Ao referir-se à doida, o narrador afirma: “[...] parecia nãoter percebido a agressão, a casa não reagia.” (l. 28-29)Que conjunção poderia ser utilizada após a vírgula, semprejuízo ao sentido original do período?(A) pois(B) mas(C) todavia(D) portanto(E) à medida que7Os verbos destacados a seguir estão no presente do indi-cativo: “O menino foi abrindo caminho entre as pernas ebraços de móveis, contorna aqui, esbarra mais adiante.”(l. 34-36)Nos verbos destacados, o uso do presente do indicativo(A) agiliza as ações da personagem.(B) torna o texto mais fluente para o leitor.(C) demonstra a dificuldade de locomoção do menino.(D) aproxima o leitor do tempo em que se dão as ações.(E) caracteriza a personagem como alguém medroso.8No trecho “E que pequenininha!” (l. 41), o uso do diminu-tivo demonstra não apenas o tamanho do corpo da doida,mas também um compadecimento do menino por ela.O período do texto que melhor justifica este último sentidoé o seguinte:(A) “E nela, busto soerguido, a doida esticava o rosto paraa frente,” (l. 37-38)(B) “Ele encarava-a, com interesse.” (l. 39)(C) “O corpo sob a coberta formava uma elevação minús-cula.” (l. 41-42)(D) “[...] e o mesmo jeito da boca insistia em soltar a mes-ma palavra curta, que entretanto não tomava forma.”(l. 43-45)(E) “Mas deve ser assim que as pessoas morrem.” (l. 54)9O narrador, referindo-se ao menino, diz: “Fazia tudo natu-ralmente” (l. 47-48).O uso do advérbio em destaque expressa, por parte domenino, uma atitude(A) agressiva contra a doida(B) desvinculada de compaixão(C) isenta de preconceitos sociais(D) despreocupada com a situação da doida(E) distanciada de seus próprios sentimentos10No trecho “A princípio, como justa penalidade. Depois,por prazer. Finalmente, e já havia muito tempo, por há-bito” (l. 16-18), verifica-se que as palavras em destaque(A) visam unicamente a tornar o texto conciso.(B) apresentam relação semântica indireta entre si.(C) estabelecem uma relação de causa e consequência.(D) apontam uma relação de contradição entre o passadoe o presente.(E) marcam a transformação das explicações para asatitudes dos meninos.MATEMÁTICA II11Em uma loja, o preço de um produto sofreu três aumentosem três meses, um em cada mês e, cada um, semprerelativo ao preço do produto no mês anterior: no mês demarço, o preço do produto sofreu um aumento de 10%, nomês de abril, um aumento de 20% e, finalmente, no mêsde maio, um aumento de 10%.Relativamente ao preço antes do primeiro aumento, o au-mento total do preço do produto foi de(A) 13%(B) 13,2%(C) 36,3%(D) 40%(E) 45,2%
  4. 4. ANALISTA DE INFRAESTRUTURA JÚNIOR 412Para qualquer número real x, tal que 0 < x < 1, ao se con-siderar , tem-se(A)(B) 1 < y < 2x2(C)(D)(E)13Quantos números naturais formados por três algarismos,diferentes de 5, existem?(A) 26(B) 648(C) 729(D) 897(E) 90014Em uma urna, há seis bolas com formas idênticas, nume-radas de 1 até 6. Durante um sorteio, Jorge terá de retirar,ao acaso, duas bolas da urna, de uma só vez, e será pre-miado se os números presentes nas mesmas somarem7 ou 8.Se quaisquer duas bolas têm a mesma probabilidade deserem sorteadas, qual é a probabilidade de Jorge ser pre-miado?(A)(B)(C)(D)(E)15O valor mínimo assumido pela função f: [1,4] →IR, defini-da por f(x) = −x2+ 4x + 5, é igual a(A) 9(B) 8(C) 5(D) 4(E) 216Um número crítico de uma função real diferenciávelf: Dom(f) → IR é um número real c, pertencente ao domí-nio Dom (f) , no qual se tem f′(c) = 0.Um número crítico da função f:[0, +∞) → IR, definida porf(x) = (x2− x) . ex, é(A)(B)(C)(D)(E)17Se f:(0, +∞) → IR é uma função diferenciável tal quef′(x) = e f(1) = 0, então f(4) é igual a(A)(B)(C)(D)(E)
  5. 5. ANALISTA DE INFRAESTRUTURA JÚNIOR518A figura apresenta duas retas do plano cartesiano, cujasequações são dadas por y = mx + n e y = px + q.Os valores de m, n, p e q são tais que(A) 0 < m < n e p < q < 0(B) 0 < m < p e n < q < 0(C) 0 < m < p e q < n < 0(D) p < m < 0 e n = q(E) m = p e q < n < 019A figura mostra um sólido definido pela disposição lado alado e pelo empilhamento de seis cubos idênticos, face aface, sem espaços, folgas ou desalinhamentos entre osmesmos.Se as arestas de cada cubo medem 3 cm, então a áreatotal do sólido, em cm2, é igual a(A) 117(B) 162(C) 198(D) 234(E) 32420Para que os vetores do IR3dados por = (a, b, a2+ b2- 1)e = (b, a, 1) sejam perpendiculares, é necessário quea + b seja igual a(A) 0(B) 1 ou − 1(C) ab ou − ab(D) 2a2ou 2b2(E) ouRACIOCÍNIO LÓGICO II21Em um congresso organizado por uma empresa, há10.000 participantes que, em algum momento, trabalha-ram em filiais sediadas nos estados de Pernambuco ou deAlagoas. Sabe-se que, desses 10.000, pelo menos, 8.000trabalharam em Pernambuco, e que, pelo menos, 6.000trabalharam em Alagoas.O número de participantes que trabalharam em filiaissediadas nos dois estados, é, no(A) máximo, igual a 8.000(B) máximo, igual a 4.000(C) máximo, igual a 2.000(D) mínimo, igual a 4.000(E) mínimo, igual a 2.00022Se p e q são proposições lógicas, então uma expressãológica que é equivalente à expressão p (~ q) é aexpressão(A) q (~ p)(B) (~ p) q(C) q p(D) p (~ q)(E) p q23Num grupo de amigos, todos aqueles que gostam de fute-bol ou de vôlei acompanham o campeonato de Fórmula 1.Assim, uma pessoa desse grupo que(A) acompanha o campeonato de Fórmula 1 deve gostarde vôlei ou de futebol.(B) acompanha o campeonato de Fórmula 1 deve gostarde futebol e também gostar de vôlei.(C) não acompanha o campeonato de Fórmula 1, tambémnão gosta de futebol, nem de vôlei.(D) não gosta de vôlei, deve gostar de futebol para acom-panhar o campeonato de Fórmula 1.(E) não gosta de vôlei, nem de futebol, também nãoacompanha o campeonato de Fórmula 1.
  6. 6. ANALISTA DE INFRAESTRUTURA JÚNIOR 624Dada uma proposição lógica p, é uma contradição aexpressão lógica dada por(A) (~ p) p(B) p (~ p)(C) (~ p) (~ p)(D) p (~ p)(E) p (~ p)25Uma empresa realizou uma pesquisa em cinco de suasfiliais, a fim de melhor conhecer as atividades realizadaspor seus funcionários fora do horário de trabalho. Cadauma das filiais possui 20 funcionários. As figuras mostramo questionário preenchido pelos funcionários, durante apesquisa, e os dados obtidos, já tabulados.Diante das informações disponibilizadas, a filial na qualé possível se garantir que, pelo menos, um dos seusfuncionários pratica algum esporte e faz um curso delíngua estrangeira é a(A) 1(B) 2(C) 3(D) 4(E) 5LÍNGUA INGLESALabourwww.labour.gc.caWorkplace Safety - An OverviewEnsuring Respect for Workplace SafetyWe all spend a considerable portion of our day inthe workplace. Ensuring that workplaces are safe isimportant to the well-being of everyone and to theperformance of the country’s economy.Human Resources and Skills Development Canada’sLabour Program is committed to workplace safety inthe federal public service and in the private sectorunder federal jurisdiction. […]Occupational Health and SafetyCanadians have the right to work in a safe andhealthy environment. The Government of Canadaprotects this right through legislation, programs andservices designed to prevent accidents and injurieson the job. The Labour Program works proactivelywith employers to reduce occupational injuriesand illnesses in federally regulated workplaces byproviding information on improving health and safetyin their organizations, such as:• the role of policy, workplace health and safetycommittees and health and safety representatives;• workplace inspections and safety audits;• the right to refuse dangerous work;• worker complaints procedures; and• accident investigations procedures.A Few HighlightsIn recent years, the Labour Program has focusedon a number of special activities. An example is newregulatory requirements for employers to develop andimplementahazardpreventionprograminconsultationwith their policy and workplace committee or healthand safety representative, including the identificationand assessment of ergonomics-related hazards.Workplace ViolenceDiscrimination, harassment or physical violence:workplace violence in its many forms affects thelives of many Canadians. Curbing violence in theworkplace is everyone’s responsibility – employers,unions and government. In 2008, the Governmentof Canada introduced new regulations under theCanada Labour Code to prevent violence in theworkplace. The Violence Prevention in the Workplace510152025303540
  7. 7. ANALISTA DE INFRAESTRUTURA JÚNIOR7Regulations define workplace violence and requirethe development of a policy to prevent it.Sexual Harassment in the WorkplaceThe Labour Program is committed to eliminatingsexual harassment from our workplaces. The CanadaLabour Code confirms a worker’s right to a workplacefree of sexual harassment and requires that employersmake every reasonable effort to ensure that no workeris subjected to sexual harassment.[…]Available in: <http://www.hrsdc.gc.ca/eng/labour/overviews/workplace_safety/overview.shtml>. Access on: Sept. 10,2011. Adapted.455026Why is the Canadian Government so concerned withoccupational health and safety?(A) Because people spend a great deal of time in theworkplace.(B) Because workplaces are very dangerous to workers.(C) Because workplaces are safe and economically viable.(D) Because no one is interested in safety and health.(E) Because the country’s economy is dependent on jobs.27The text introduces the Government of Canada’s LabourProgram.In order to achieve its purposes, this Program(A) defines the concept of workplace safety and apply it tobusinesses in the country.(B) suggests practices and means of minimising thegrowing trend of labour accidents.(C) identifies workplace dangers in organizations andstudy procedures to prevent them.(D) describes the principles adopted by companies as faras safety control is concerned.(E) provides information on occupational safety and healthto help businesses to improve them.28The Labour Program has recently developed newrequirements which, among other things, aim at(A) implementing hazard assessment programs all overCanada.(B) identifying and minimising ergonomics-relatedproblems.(C) giving employers the power to establish their ownbusinesses’ policies.(D) punishing companies which do not follow the Program’sorientations.(E) establishing workplace committees to monitorprevention programs.29The word “policy” (line 45), considered in its context, canbe translated by(A) polícia; punição(B) policiamento; controle(C) regulamentação; norma(D) programa de ação; política(E) apólice; documento30The Labour Program as well as The Canada Labour Code(A) have managed to eliminate sexual harassment fromworkplaces altogether.(B) blame employers for the growth of cases of sexualharassment in the workplace.(C) have made efforts to eliminate the notification of casesof sexual harassment in the office.(D) demand special attention to measures that eliminatesexual harassment in workplaces.(E) ensure the absence of reasonable efforts to eliminatesexual harassment in workplaces.RASCUNHO
  8. 8. ANALISTA DE INFRAESTRUTURA JÚNIOR 8CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS31Seja uma lista encadeada cujos nós são representadosna linguagem C pela estrutura abaixo.typedef struct no{int x;struct no *prox;} No;A função recursiva a seguir foi construída com o objetivode listar alguns dos valores armazenados nos nós dessalista. O seu único parâmetro (p) recebe inicialmente oendereço do primeiro nó da lista.void lista(No *p){if(p==NULL)return;lista(p->prox);if(p->x>0)printf(“%d “,p->x);}Suponha que essa função seja aplicada sobre a listaencadeada a seguir.O que será exibido no console quando da sua execução?(A) 15 -3 20 -4 25 -6(B) 25 20 15(C) -3 -4 -6(D) -6 -4 -3(E) 15 20 2532Dentre as técnicas de E/S (entrada e saída) abaixo, qual éa mais eficiente para a transferência de grandes volumesde dados?(A) Programada(B) Controlada pelo processador(C) Por acesso direto à memória (DMA)(D) Por interrupção(E) Sem interrupção33São protocolos envolvidos apenas no envio ou recepçãode e-mails:(A) SMTP e ICMP(B) POP3 e FTP(C) SMTP e FTP(D) IMAP e ICMP(E) SMTP e IMAP34O conjunto de instruções de um processador utiliza 4 bitspara representar os endereços dos registradores internosda CPU.Se considerarmos que os endereços 0000 e 1111 indicamque nenhum registrador está sendo usado, qual é o nú-mero máximo de registradores que tal UCP pode possuirde modo que todos possam ser referenciados pelas ins-truções em questão?(A) 4(B) 13(C) 14(D) 15(E) 1635O esquema original de endereçamento do protocolo IPprevê várias categorias de endereçamento chamadasclasses.Quantas classes de endereçamento existem nesseesquema?(A) 2(B) 3(C) 4(D) 5(E) 6Considere os computadores pessoais (PC - PersonalComputer) para responder às questões de nos36 e 37.36Entre os controladores de discos rígidos utilizados noscomputadores, inclui-se o(A) AGP(B) TCP(C) HTML(D) SCSI(E) DIMM37Algumas das características de um determinado compo-nente de hardware de um PC são:• armazenar informações durante o processamento.• permitir a leitura, gravação e regravação de dados emseu interior.• ser dependente de contínuo carregamento de energiaelétrica.• ter frequência medida em Hz (Hertz) ou MHz (MegaHertz).Qual componente possui tais características?(A) Porta USB(B) Memória RAM(C) Controladora SATA(D) Monitor(E) Fonte
  9. 9. ANALISTA DE INFRAESTRUTURA JÚNIOR938O Linux fornece suporte a vários tipos de sistemas dearquivos.As partições do tipo swap servem para(A) acessar as partições formatadas com o sistema FATdo Microsoft Windows.(B) armazenar temporariamente páginas trazidas damemória principal (RAM).(C) compartilhar arquivos entre clientes Linux, Windows eMacintosh em um ambiente distribuído.(D) conter arquivos usados pelo sistema operacionalBeOS.(E) montar sistemas de arquivos de outras máquinasLinux ou Unix em um ambiente distribuído.39Existem vários tipos de interpretadores de comandos(shell) que estão disponíveis para uso com o Linux,EXCETO o interpretador(A) csh – C shell (BSD)(B) ksh – Korn shell (Bell Labs)(C) zsh – extensão da Korn shell(D) tcsh – extensão da C shell(E) winsh – extensão para uso do Linux no ambienteWindows40Qual parâmetro do comando useradd é usado para definira password de uma conta a ser criada?(A) -e(B) -p(C) -d(D) -psw(E) -pwd41Todo sistema Linux possui pelo menos uma conta deusuário após o processo de instalação ter sido concluído.Qual é o nome dessa conta?(A) administrator(B) default(C) master(D) root(E) supervisor42Que comando do Microsoft Windows 7 permite converterpartições FAT32 para o sistema NTFS?(A) change(B) convert(C) copy(D) format(E) mkdir43No Microsoft Windows 7, qual é o tamanho máximo deuma partição NTFS que usa clusters de 4 KB?(A) 512 MB(B) 32 GB(C) 2 TB(D) 16 TB(E) 256 TB44São ações executadas no processo de logon no MicrosoftWindows 7, EXCETO:(A) as tarefas de impressão que estejam suspensas sãoreiniciadas.(B) o sistema lê a parte do Registry que contém as infor-mações de configuração do usuário.(C) o perfil do usuário é carregado.(D) scripts de logon que foram atribuídos ao usuário sãoexecutados.(E) conexões persistentes de rede e impressora são res-tauradas.45O Microsoft Windows 7 possui várias contas default, istoé, contas que são criadas automaticamente durante o seuprocesso de instalação.Qual delas permite a um usuário acessar o computador,mesmo sem ter nome de usuário e senha exclusivos?(A) Administrator(B) HomeGroup(C) Everyone(D) Initial(E) Guest46Seja o número 50 na base hexadecimal.Qual será o somatório dos dígitos desse número quandopassado para a base decimal?(A) 2(B) 5(C) 8(D) 9(E) 12RASCUNHO
  10. 10. ANALISTA DE INFRAESTRUTURA JÚNIOR 1047Seja uma lista encadeada, cujos nós são representados, na linguagem C, pela estrutura a seguir.typedef struct no{int x;struct no *prox;} No;Suponha que essa lista se comporte como uma estrutura FIFO (first-in-first-out). Para inserir um novo elemento nessaestrutura, é necessário implementar uma função chamada insere(), que deve receber um ponteiro para o início da lista eum valor inteiro, que deverá ser inserido na lista em questão. A função deve retornar um ponteiro para o início da nova lista,resultado da inclusão do novo elemento na lista original.O cabeçalho dessa função deve ser o seguinte:No *insere(No *header,int info);Qual implementação da função insere() atende aos requisitos descritos acima?(A) No* insere(No *header,int info){No *novo;novo=(No*) malloc(sizeof(No));novo->x=info;novo->prox=header;return header;}(B) No* insere(No *header,int info){No *p=header,*ant=NULL,*novo;for(;p!=NULL;p=p->prox)ant=p;novo=(No*) malloc(sizeof(No));novo->x=info;novo->prox=NULL;if(header==NULL)return novo;else{ant->prox=novo;return novo;}}
  11. 11. ANALISTA DE INFRAESTRUTURA JÚNIOR11(C) No* insere(No *header,int info){No *novo;novo=(No*) malloc(sizeof(No));novo->x=info;novo->prox=NULL;return novo;}(D) No* insere(No *header,int info){No *novo;novo=(No*) malloc(sizeof(No));novo->x=info;novo->prox=header;return novo;}(E) No* insere(No *header,int info){No *p=header,*ant=NULL,*novo;for(;p!=NULL;p=p->prox)ant=p;novo=(No*) malloc(sizeof(No));novo->x=info;novo->prox=NULL;if(header==NULL)return novo;else{ant->prox=novo;return header;}}48Um programador constatou que seu programa levou2,0 segundos para ordenar um vetor com 20.000 númerosinteiros (distribuídos aleatoriamente) utilizando o algoritmode ordenação da bolha (Bubble Sort).Quanto tempo esse programa levará para ordenar umvetor com 80.000 inteiros, considerando-se apenas acomplexidade do algoritmo de ordenação usado (BubbleSort)?(A) 8,0 segundos(B) 16,0 segundos(C) 24,0 segundos(D) 32,0 segundos(E) 64,0 segundos49Um determinado processador organiza os processos emníveis. Isso tem por objetivo fornecer um mecanismo deproteção para a correta implementação do esquema dememória virtual. Nesse processador, qualquer processoem execução pertence a uma das seguintes categorias:• Kernel;• Chamada ao sistema;• Biblioteca compartilhada;• Programa do usuário.Essa informação é normalmente armazenada na(o)(A) palavra de estado de programa(B) registrador de instrução(C) registrador de segmento(D) registrador de endereço da memória(E) contador de programaRASCUNHORASCUNHO
  12. 12. ANALISTA DE INFRAESTRUTURA JÚNIOR 1250Um programador resolveu criar um novo método paraarmazenar cadeias de caracteres na linguagem C.As características dessa nova estrutura são as seguintes:• para armazenar uma cadeia com N caracteres, énecessário alocar um vetor com N+1 elementos (charvet[N+1]);• a primeira posição do vetor deve ser utilizada paraarmazenar a quantidade de caracteres existentes nacadeia;• apenas cadeias com 255 caracteres ou menos podemser armazenadas nessa estrutura;• uma cadeia vazia é representada por um vetor cujaprimeira posição contém o valor zero;• os caracteres pertencentes à cadeia são armazenadosa partir da 2aposição do vetor.Qual trecho de código permite exibir no console todos oscaracteres de uma cadeia armazenada em um vetor comas características acima?(A) int i;unsigned char p;p=vet[0];for(i=1;i<=p;i++)printf( %c ,vet[i]);(B) int i;char p;p=vet[0];for(i=1;i<=p;i++)printf( %c ,vet[i]);(C) int i;int p;p=vet[0];for(i=1;i<=p;i++)printf( %c ,vet[i]);(D) int i;int p;p=vet[0];for(i=0;i<=p;i++)printf( %c ,vet[i]);(E) int i;unsigned char p;p=vet[0];for(i=0;i<p;i++)printf( %c ,vet[i]);51Os computadores são empregados para guardar váriostipos de informações sensíveis, pessoais e corporativas.Em geral, as informações são armazenadas em arquivos.O recurso do Windows Server 2008, usado para criptogra-far arquivos e pastas individuais e que pode ser utilizadopara criptografar esses itens para diferentes usuários, é o(A) BitLocker(B) Encrypting File System (EFS)(C) Cipher File System (CFS)(D) Protected File System (PFS)(E) Private File System (PrivFS)52Com o objetivo de evitar cópias desnecessárias dosblocos de dados de arquivos, os sistemas de arquivosEXT2 e EXT3 do Linux permitem a criação de referênciaspara arquivos através de hard links e symbolic links.A diferença entre esses links é que o(A) hard link utiliza o superbloco do arquivo para fazer areferência, enquanto o symbolic link aloca um novosuperbloco para fazer a referência.(B) hard link utiliza o i-node do arquivo para fazera referência, enquanto o symbolic link utiliza osuperbloco do arquivo para fazer a referência.(C) hard link utiliza o i-node do arquivo para fazer a refe-rência, enquanto o symbolic link aloca um novo i-nodepara fazer a referência.(D) symbolic link utiliza o i-node do arquivo para fazer areferência, enquanto o hard link aloca um novo i-nodepara fazer a referência.(E) symbolic link utiliza o superbloco do arquivo parafazer a referência, enquanto o hard link aloca um novosuperbloco para fazer a referência.53O Domain Name System (DNS) é o sistema que fornecemapeamento de nome para endereçamento na Internet.O sistema acomoda uma série de mapeamentos emregistros de recursos.Qual é o tipo de registro de recurso que indica a preferên-cia e o nome de um host que atua como central de correiopara o domínio?(A) MX (Mail Exchanger)(B) MS (Mail Server)(C) MR (Mail Record)(D) IMS (Internet Mail Server)(E) EMS (Exchange Mail Server)
  13. 13. ANALISTA DE INFRAESTRUTURA JÚNIOR1354Um programa escrito na linguagem C irá manipular uma lista encadeada composta por nós que armazenam informaçõessobre alunos de uma turma. Essa lista deve atender aos seguintes requisitos:• implementar as regras previstas para uma estrutura que se comporte como uma fila;• os nós devem ser alocados dinamicamente;• permitir a inserção de novos nós em tempo constante, independente do tamanho da fila.Qual trecho de código atende devidamente aos requisitos acima, além de obedecer às regras sintáticas da linguagem C?(A) typedef struct aluno{int matricula;float media;} Aluno;typedef struct no{Aluno inf;struct no *prox;struct no *ant;} No;No *primeiro=NULL;(B) typedef struct aluno{int matricula;float media;} Aluno;typedef struct no{Aluno inf;int prox;} No;No fila[100];int primeiro,ultimo;(C) typedef struct aluno{int matricula;float media;} Aluno;typedef struct no{Aluno inf;struct no *prox;} No;No *primeiro=NULL;No *ultimo=NULL;(E) typedef struct aluno{int matricula;float media;} Aluno;typedef struct no{Aluno inf;} No;No *primeiro=NULL;No *ultimo=NULL;(D) typedef struct aluno{int matricula;float media;} Aluno;typedef struct no{Aluno inf;struct no *prox;} No;No *primeiro=NULL;
  14. 14. ANALISTA DE INFRAESTRUTURA JÚNIOR 1455Seja o programa abaixo, escrito na linguagem C.#include<stdio.h>int func(int i){int vet[9]={3,1,9,8,12,1,11,10,17};int j;for(j=0;j<9;j++)vet[j]+=1;return vet[i];}int main(void){int mat[3][3]={{0,0,0},{0,0,0},{0,0,0}};int i,j,x,y;int fator=2;for(i=0;i<3;i++)for(j=0;j<3;j++){if(fator/3==0){x=func(i+j)%3;y=func(i*j)%3;mat[x][y]=1;}elseif(fator/3==1)mat[i][j]=1;elsemat[i][j]=0;}for(i=0;i<3;i++){printf( n );for(j=0;j<3;j++)printf( %d ,mat[i][j]);}return 0;}O que será exibido no console quando da sua execução?(A) 0 0 11 0 11 0 1(B) 1 1 11 1 11 1 1(C) 1 1 01 0 01 0 0(D) 0 0 00 0 00 0 0(E) 0 1 00 1 10 1 0
  15. 15. ANALISTA DE INFRAESTRUTURA JÚNIOR1556O Dynamic Host Configuration Protocol (DHCP) permiteque um computador, operando como cliente do serviçoDHCP, obtenha informações para operar em uma rede,tais como seu endereço IP, o endereço de um roteador pa-drão e o endereço de um servidor de nomes de domínio.Com relação à utilização do DHCP, considere as afirma-ções a seguir.I – O cliente DHCP deve enviar sua requisição aosservidores DHCP através de broadcast direcionado.II – O cliente DHCP deve responder à oferta recebidade um servidor DHCP para confirmar a aceitação doendereço IP oferecido.III – Um agente relay pode encaminhar requisiçõesDHCP em nome do cliente DHCP, o que significa queum site pode ter um único servidor DHCP tratandoatribuição de endereço para clientes DHCP de váriassubredes.IV – Depois de algum tempo, o cliente DHCP deve tentarrenovar o aluguel do seu endereço IP junto ao ser-vidor DHCP, pois, em caso de falha, o cliente DHCPpode permanecer com seu endereço IP no máximopor 1 hora.É correto APENAS o que se afirma em(A) I e II(B) II e III(C) I, II e III(D) I, III e IV(E) II, III e IV57O Modelo de Referência OSI (Open SystemsInterconnection) se baseia em uma proposta desenvolvi-da pela ISO (International Standards Organization) comoum primeiro passo em direção à padronização internacio-nal dos protocolos empregados nas diversas camadas.As sete camadas definidas nesse modelo são:(A) Transmissão, Enlace de Dados, Rede, Transporte,Associação, Sessão e Aplicação(B) Transmissão, Enlace de Dados, Rede, Transporte,Sessão, Apresentação e Aplicação(C) Física, Enlace de Dados, Rede, Transporte, Associa-ção, Apresentação e Aplicação(D) Física, Enlace de Dados, Rede, Transporte, Sessão,Apresentação e Associação(E) Física, Enlace de Dados, Rede, Transporte, Sessão,Apresentação e Aplicação58Nos sistemas operacionais Linux, o ambiente gráfico,também conhecido como X Windows System, tem comouma de suas características ser(A) executado de forma remota ou local.(B) instalado apenas em ambientes desktop.(C) instalado apenas a partir de mídia removível.(D) integrado à internet sem uso de meios físicos ou lógicos.(E) compatível com todos os aplicativos desenvolvidospara Windows.Considere o ambiente operacional Microsoft Windows XPpara responder às questões de nos59 e 60.59O programa padrão do Windows no qual é possível captu-rar e editar mídia digital no computador e compartilhar osfilmes criados, enviando-os por e-mail ou postando-os emum site da Web, é o Windows(A) Explorer(B) Messenger(C) Movie Maker(D) Media Player(E) Digital Access60A pasta Painel de controle é constituída por diversas fer-ramentas que são usadas para alterar a aparência e ocomportamento do Windows.Dentre essas ferramentas, inclui-se a Opções de acessibi-lidade, cuja finalidade é(A) ajustar as configurações do computador para visão,audição e mobilidade.(B) alterar as configurações de contas de usuários e se-nhas do computador.(C) configurar as regras de discagem do telefone e as pro-priedades do modem.(D) definir configurações administrativas para ajuste docomputador.(E) definir as configurações de acesso e de exibição dainternet.

×