Transtorno Obsessivo Compulsivo - TOC - Psicologia Cognitiva

1.660 visualizações

Publicada em

Aula do Curso Psicologia Cognitiva dos Transtornos de Ansiedade sobre o TOC, Transtorno Obsessivo Compulsivo. Por Felipe de Souza.

Site www.psicologiamsn.com

Publicada em: Saúde e medicina
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.660
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
129
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
50
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Transtorno Obsessivo Compulsivo - TOC - Psicologia Cognitiva

  1. 1. Curso Online em Vídeo do site www.psicologiamsn.com
  2. 2. O TOC é um transtorno de ansiedade no qual os aspectos principais são a ocorrência repetida de obsessões e/ou compulsões de gravidade suficiente a ponto de consumir tempo (mais de 1 hora por dia) e/ou causar sofrimento acentuado ou prejuízo funcional. Obsessões: São pensamentos, imagens ou impulsos indesejados que estão associados a resistência subjetiva, são difíceis de controlar e geralmente produzem sofrimento, ainda que o indivíduo possa reconhecer que o pensamento pode ser altamente exagerado, irracional ou mesmo sem sentido em vários graus
  3. 3. O TOC é um transtorno de ansiedade no qual os aspectos principais são a ocorrência repetida de obsessões e/ou compulsões de gravidade suficiente a ponto de consumir tempo (mais de 1 hora por dia) e/ou causar sofrimento acentuado ou prejuízo funcional. Compulsões: São comportamentos ou repostas mentais repetitivas, intencionais, mas estereotipadas, que envolvem um forte impulso subjetivo e um senso diminuído de controle voluntário que visa neutralizar o sofrimento ou o resultado temido que caracteriza uma preocupação obsessiva.
  4. 4. Temais mais comuns das obsessões: 1) Uma preocupação com sujeira e contaminação – 50% 2) Doença e enfermidade 3) Dúvidas sobre segurança – 42% 4) Violência e ferimento – 31% 5) Atos sexuais pessoalmente repulsivos – 24% 6) Imoralidade e Religião – 10% 7) Temas diversos (simetria, ordem, exatidão, rotina, números) – 32%
  5. 5. Característica das obsessões: -Vivência como intrusões mentais indesejadas e recorrentes - Fortes tentativas de suprimir, controlar ou neutralizar o pensamento - Reconhecimento de que o pensamento é produto da própria mente do indivíduo - Percepção exagerada de responsabilidade pessoal - Envolve conteúdo egodistônico, altamente improvável (isto é, o pensamento tende a se focalizar em material que não é característico do indivíduo) -Tende a estar associada com tentativas de neutralização
  6. 6. O DSM IV estabelece os seguintes critérios para diagnóstico do TOC: a) Presença de compulsões ou obsessões: Obsessões definidas conforme 1,2,3 e 4. 1) Pensamentos, impulsos ou imagens persistentes e recorrentes que são experimentados em algum momento durante o transtorno como intrusivos e impróprios e que causam acentuada ansiedade ou desconforto; 2) Os pensamentos, impulsos ou imagens não simplesmente preocupações excessivas sobre problemas de vida reais; 3) A pessoa tenta ignorar ou suprimir tais pensamentos, impulsos ou imagens ou neutralizá-los com outros pensamentos ou ações; 4) A pessoa reconhece, no entanto, que os pensamentos obsessivos impulsos ou imagens são produtos de sua mente e não como originados de fora.
  7. 7. O DSM IV estabelece os seguintes critérios para diagnóstico do TOC: Compulsões definidas por: 1 e 2 1) Comportamentos repetitivos (p.ex.lavar as mãos, organizar, verificar), ou atos mentais (rezar, contar, repetir palavras em silêncio) que a pessoa é levada a executar em resposta a uma obsessão ou em virtude de regras que devem ser seguidas rigidamente. 2) Os comportamentos ou atos mentais são destinados a prevenir ou reduzir o desconforto, prevenir algum evento ou situação temidos; entretanto não possuem uma conexão realística ou direta com o que pretendem neutralizar ou prevenir ou são claramente excessivos .
  8. 8. O DSM IV estabelece os seguintes critérios para diagnóstico do TOC: d. Se no eixo 1 houver um outro transtorno as obsessões ou compulsões não devem ser restritas a ele (Por exemplo preocupação com comida em Transtornos Alimentares; arrancar cabelos na Tricotilomania; preocupação com aparência no Transtorno do Corpo Dismórfico; preocupação com uma droga no Transtorno de Uso de Substâncias, ou em ter uma doença como na Hipocondria; com impulsos ou fantasias sexuais na presença de Parafilias ou ruminações de culpa na presença de Depressão Maior); e. O transtorno não pode ser devido ao efeito direto de uma substância (por exemplo uma droga de abuso, uma medicação) ou uma condição médica geral. Especificar: Com insight pobre ou não.
  9. 9. Epidemiologia Ao longo da vida: 1 a 2 % na população em geral No último ano: de 0,7 a 2,1% -Mais mulheres que homens (ligeiramente maior) - Início: metade da adolescência até o final da segunda década de vida
  10. 10. Curso e Prognóstico Tende a ter um Curso Crônico, com aumentos e diminuições dos sintomas ao longo da vida. Em um estudo de sueco de 50 anos, apenas 20% conseguiram se livrar totalmente dos sintomas. De fato, o TOC pode ter a taxa de remissão mais baixa dos Transtornos de Ansiedade
  11. 11. Modelo Cognitivo do TOC Hipótese 1: Os pensamentos, imagens ou impulsos intrusivos indesejados relacionados às preocupações obsessivas de indivíduos com TOC serão mais frequentes e intensos ou proeminentes do que os pensamentos intrusivos indesejados com conteúdo obsessivo semelhante que ocorrem em indivíduos sem TOC
  12. 12. Modelo Cognitivo do TOC Hipótese 2: Indivíduos com TOC terão incidência significativamente mais alta de crenças maladaptativas em responsabilidade pessoal, importância exagerada dos pensamentos, ameaça superestimada, necessidade de controlar pensamentos, intolerância à incerteza e perfeccionismo do que indivíduos sem TOC
  13. 13. Modelo Cognitivo do TOC Hipótese 3: Indivíduos com TOC têm significativamente maior probabilidade de fazer avaliações exageradas de que intrusões mentais relacionadas a obsessões representam ameaças pessoais altamente significativas, enquanto indivíduos sem TOC tem maior probabilidade de interpretar suas intrusões como conteúdo do tipo obsessivo como insignificantes ou benignas.
  14. 14. Modelo Cognitivo do TOC Hipótese 4: Indivíduos com TOC tem significativamente maior probabilidade de empregar neutralização e outras estratégias de controle mental em resposta a intrusões mentais relacionadas à obsessão e isso aumentará a frequência e sofrimento causado pela obsessão.
  15. 15. Modelo Cognitivo do TOC Hipótese 5: Indivíduos com TOC tem significativamente maior probabilidade de interpretar erroneamente seu fracasso em controlar intrusões obsessivas como uma ameaça altamente significativa, enquanto indivíduos sem TOC aceitam mais a falha no controle mental.
  16. 16. Terapia Cognitiva do TOC 1) Educar o paciente 2) Diferenciar estimativas e obsessões 3) Reestruturação cognitiva 4) Explicação alternativa 5) Prevenção de resposta 6) Experimentação comportamental 7) Modificar crenças centrais 8) Prevenção de recaída

×