TRABALHO DE
ARTES
ESTE TRABALHO ESTÁ DIVIDIDO EM 3 PARTES SENDO ELAS:
CULTO A DIONISIO
NASCIMENTO DO TEATRO OCIDENTAL
OS E...
CULTO A DIONISIO
Deus grego, Dionísio, identificado a Baco, divindade romana, era filho de Zeus e da princesa tebana
Semel...
Possuía vários atributos e funções, tais como:
- Amansar e domesticar animais selvagens e ferozes;
- Realizar o plantio e ...
NASCIMENTO DO
TEATRO OCIDENTAL
Desde o início dos tempos que temos conhecimento já existem
manifestações artísticas. Com a...
Para um rápido entendimento separo a tragédia e a comédia
principalmente pelo CONFLITO CÊNICO. Esse conflito é uma (Ou
vár...
A função do personagem do coro no teatro grego era de
representar o povo, que tudo vê, não saindo de cena quase
nunca, com...
ESPECIFICIDADES DO
TEATRO GREGO
O teatro grego surgiu a partir da evolução das artes e
cerimônias gregas como, por exemplo...
BIBLIOGRAFIA
Todas as pesquisas foram feitas no site Brasil escola e Info escola
- http://www.brasilescola.com/historiag/t...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Trabalho de artes

273 visualizações

Publicada em

teatro

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
273
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Trabalho de artes

  1. 1. TRABALHO DE ARTES ESTE TRABALHO ESTÁ DIVIDIDO EM 3 PARTES SENDO ELAS: CULTO A DIONISIO NASCIMENTO DO TEATRO OCIDENTAL OS ESPECIFICIDADES DO TEATRO GREGO
  2. 2. CULTO A DIONISIO Deus grego, Dionísio, identificado a Baco, divindade romana, era filho de Zeus e da princesa tebana Semele, filha de Cadmo. Ele foi o único ser divino gerado por uma mortal. Ela foi seduzida por Zeus, que se disfarçou de homem. Hera, irmã e esposa do Deus de todos os deuses, possuída pelo ciúme, armou uma cilada para a mãe de Dionísio. Fazendo-se passar pela ama de leite da princesa, ela a convenceu a pedir uma prova a Zeus de quem ele realmente era, ou, segundo outra versão, requerer-lhe que se apresentasse diante dela com suas vestes mais brilhantes. Zeus foi obrigado a cumprir a promessa feita à amada, mesmo consciente do que aconteceria, porque havia jurado pelo Estige, o rio da imortalidade, voto este que nem mesmo uma divindade poderia romper. Como ele esperava, Semele transformou-se em pó, pois não suportou seu brilho. Tudo que ele pode fazer foi salvar seu filho, retirando-o do ventre materno e gerando-o em sua própria coxa, até seu nascimento. Após a concepção, a criança foi entregue à tia, que o educou com o auxílio das dríades, das horas e das ninfas. Algumas lendas também mencionam a possibilidade de Dionísio ser filho de Perséfone, a soberana dos Infernos. Ao crescer, o deus foi enlouquecido por Hera, inconformada com a traição de seu marido. Ele passou então a circular por todos os recantos do Planeta. Ao encontrar a deusa Cibele, na Frígia, ela lhe concedeu a cura e o formou dentro das cerimônias religiosas que ela cultivava. Foi então que ele se tornou o deus do vinho e da vegetação, quando Sileno lhe transmitiu a arte de produzir o vinho, de semear a vinha, cortar os galhos e colher as uvas. Desta forma, ele assumiu o papel de revelar aos mortais os segredos do cultivo da videira. Assim, é sempre concebido como um jovem sem barba, alegre, embriagado pelo vinho que transborda do copo que ele segura, loiro, com os cabelos se derramando pelos ombros, nas mãos um cacho de uvas ou uma taça, na outra uma pequena lança adornada com folhas e fitas. Seu corpo é geralmente coberto por um tecido de pele leonina, pois nos mitos romanos ele se transforma em Baco, que se metamorfoseia em um leão, com a missão de derrotar e se alimentar dos gigantes que tentavam atingir o céu. Também é possível encontrar a imagem de Dionísio assentado sobre uma vasilha, com um copo na mão, o qual verte vinho embriagante, o que justifica seu andar vacilante. Os gregos ofereciam a ele bodes, coelhos e pássaros corvídeos. Este deus era também considerado um guerreiro, sempre vencendo os adversários, principalmente se livrando das armadilhas de sua rival maior, Hera. Sua fama como deus do vinho e do prazer rendeu-lhe vários festivais teatrais em sua honra. Ele é sempre conectado também com atividades prazerosas, como o erotismo e as orgias. Segundo as lendas, ele era muito simpático com quem lhe rendia culto, mas podia proporcionar loucura e ruína para os que menosprezavam os festins devassos a ele ofertados, conhecidos como bacanais. Consta igualmente que ele sempre se recolhia na morte durante o inverno e voltava a nascer na primavera.
  3. 3. Possuía vários atributos e funções, tais como: - Amansar e domesticar animais selvagens e ferozes; - Realizar o plantio e colheita da uva, assim como a produção do vinho. Representação É representado nas pinturas e esculturas como um jovem belo, de cabelos longos, quase sempre alegre, efeito da embriaguez por vinho. Em muitas representações, aparece segurando um cacho de uva ou uma taça de vinho. Quando não aparece nu, está coberto por um manto feito de pele de leopardo ou leão. Cultos O culto a Dionísio ocorreu em várias regiões da Grécia Antiga, chegando até Creta. Eram grandes festas ou encenações teatrais. A alegria, os prazeres da vida e os efeitos do vinho eram temas recorrentes nas festividades dionisíacas. Era comum também a oferenda de animais como coelhos e pássaros. Curiosidades: - Dionísio era conhecido como Baco na mitologia romana. - De acordo com a mitologia grega, foi casado com Ariadne (filha do rei Minos de Creta). - Dionísio era o deus patrono do teatro e da agricultura.
  4. 4. NASCIMENTO DO TEATRO OCIDENTAL Desde o início dos tempos que temos conhecimento já existem manifestações artísticas. Com as Artes Cênicas não poderia ser diferente. No período Pré-Histórico provavelmente já existiam rituais onde homens representavam divindades. No Egito Antigo também foram encontrados hieróglifos narrando cenas que possívelmente foram teatrais. Mas é na Grécia Antiga que temos documentos comprovando o origem do teatro ocidental. Os cultos em homenagem ao deus Dioníso (Ou Dionísio) eram bastante frequentes para os gregos. Cultos esses regados a muito vinho, danças, cantos e "namoricos" sem nenhum pudor ou culpa posterior. Em um desses rituais um sujeito chamado Téspis decide se separar do coro, vestido de um pele animal ele se destaca da multidão e grita: EU SOU O DEUS DIONÍSO!!! Está feito! Temos um importante registro de um homem se fazendo passar por outro ser, ou seja, INTERPRETANDO. Avançando na história teremos o desenvolvimento de gêneros teatrais e seus grandes nomes na história do teatro grego: A tragédia e a comédia.
  5. 5. Para um rápido entendimento separo a tragédia e a comédia principalmente pelo CONFLITO CÊNICO. Esse conflito é uma (Ou várias) situação que vai contra os interesses e objetivos dos protagonistas da cena (Pode ser apenas um), que pode ou não ser resolvido. Quando não resolvido temos inicialmente um tragédia, se resolvido podemos ter um comédia. Tentem não ficar presos ao choro e ao riso. hehehehehe. Dentre os tragediógrafos se destacam Ésquilo (525 a.C. - 456 a.C.) com obra como Prometeu Acorrentado; Os Persas; Sete Contra Tebas; entre outras. Sófocles (496 a.C. - 406 a.C.) com obras como Antígona; Ajax; Édipo Rei; dentre outras e Eurípedes (480 a.C. - 406 a.C.) que escreveu As Bacantes; Hipólito; As Troianas; dentre várias. Entre o comediógrafos se destacam Aristófanes (445 a.C. - 385 a.C.) escrevendo Os Babilônios; As Rãs; As Nuvens; entre outras e Menandro (342 a.C. - 291 a.C.) com sua comédia de costumes com peças como Os Arbítros; Moça de Cabelos Dourados; O Herói; entre outras Mulheres não podiam atuar no teatro grego, afinal elas tinham menos direitos que os escravos, sendo assim os homens realizavam os papéis femininos usando máscaras específicas. Essas máscaras tinham basicamente duas funções: Amplificar a voz e ser vista por um público que podia chegar a 50.000 pessoas. Deviam ser grandes né? Os espaço teatral grego dentre vários nomes complexos era dividido em uma grande arquibancada (Theatron), um palco circular (Orchestra) e um palco retangular (Skene) que posteriormente serviria de camarim. Respectivamente ocupavam esses espaços o público, o coro e os personagens individuais.
  6. 6. A função do personagem do coro no teatro grego era de representar o povo, que tudo vê, não saindo de cena quase nunca, com excessão da comédia nova de Menandro. Nesta época clássica foram construídos diversos teatros ao ar livre. Eram aproveitadas montanhas e colinas de pedra para servirem de suporte para as arquibancadas. A acústica (propagação do som) era perfeita, de tal forma que a pessoa sentada na última fileira (parte superior) podia ouvir tão bem a voz dos atores, quanto quem estivesse sentado na primeira fileira. Os atores representavam usando máscaras e túnicas de acordo com o personagem. Muitas vezes, eram montados cenários bem decorados para dar maior realismo à encenação. Os temas mais representados nas peças teatrais gregas eram: tragédias relacionadas a fatos cotidianos, problemas emocionais e psicológicos, lendas e mitos, homenagem aosdeuses gregos, fatos heróicos e críticas humorísticas aos políticos. Os atores, além das máscaras, utilizam muito os recursos da mímica. Muitas vezes a peça era acompanhada por músicas reproduzidas por um coral. Em termos de linguagem cênica não temos registros significantes de cenários, ou figurinos, ou mesmo uma sonoplastia técnica nesse período. Porém já temos o texto teatral, a máscara e os gêneros que irão influênciar todo o futuro das Artes Cênicas.
  7. 7. ESPECIFICIDADES DO TEATRO GREGO O teatro grego surgiu a partir da evolução das artes e cerimônias gregas como, por exemplo, a festa em homenagem ao deus Dionísio (deus do vinho e das festas). Nesta festa, os jovens dançavam e cantavam dentro do templo deste deus, oferecendo-lhe vinho. Com o tempo, esta festa começou a ganhar uma certa organização, sendo representada para diversas pessoas. Aspectos do teatro grego antigo Durante o período clássico da história da Grécia (século V a.C.) foram estabelecidos os estilos mais conhecidos de teatro: a tragédia e a comédia. Ésquilo e Sófocles são os dramaturgos de maior importância desta época. A ação, diversos personagens e temas cotidianos foram representados nos teatros gregos desta época. Nesta época clássica foram construídos diversos teatros ao ar livre. Eram aproveitadas montanhas e colinas de pedra para servirem de suporte para as arquibancadas. A acústica (propagação do som) era perfeita, de tal forma que a pessoa sentada na última fileira (parte superior) podia ouvir tão bem a voz dos atores, quanto quem estivesse sentado na primeira fileira. Os atores representavam usando máscaras e túnicas de acordo com o personagem. Muitas vezes, eram montados cenários bem decorados para dar maior realismo à encenação. Os temas mais representados nas peças teatrais gregas eram: tragédias relacionadas a fatos cotidianos, problemas emocionais e psicológicos, lendas e mitos, homenagem aos deuses gregos, fatos heróicos e críticas humorísticas aos políticos. Os atores, além das máscaras, utilizam muito os recursos da mímica. Muitas vezes a peça era acompanhada por músicas reproduzidas por um coral. teatro grego, assim como nas cerimônias, as mulheres não podiam participar, os papéis femininos eram interpretados por homens vestidos de mulheres, e essa prática continuou até o teatro Shakespeareano.
  8. 8. BIBLIOGRAFIA Todas as pesquisas foram feitas no site Brasil escola e Info escola - http://www.brasilescola.com/historiag/teatro-grego.htm - http://www.infoescola.com/mitologia-grega/dionisio FELIPE TRISTAO HUGGLER NUMERO: 12 SERIE: 2 A

×