O Poder da PromessaFelipe R.            Projeto Leitura Concreta
O Poder da Promessa         Autor e Editor (e-book gratuito)         Felipe R.  Dedico este texto digital a todos aqueles ...
O Poder da Promessa                   O Poder da PromessaTive o impulso de escrever algo que estava a muito martelandominh...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

O poder da promessa

237 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
237
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
1
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

O poder da promessa

  1. 1. O Poder da PromessaFelipe R. Projeto Leitura Concreta
  2. 2. O Poder da Promessa Autor e Editor (e-book gratuito) Felipe R. Dedico este texto digital a todos aqueles que doam seutempo e trabalho para levar a literatura à todos os que não têm condições de comprar livros. - Felipe R. O texto pode e deve ser distribuído em qualquer tipo de mídia (digital ou impressa) gratuitamente. Desde que sejam respeitados os direitos dos autores e editores, os quais devem ter seus nomes vinculados à obra. Página 2
  3. 3. O Poder da Promessa O Poder da PromessaTive o impulso de escrever algo que estava a muito martelandominha mente. Resolvi que este impulso deveria ser levado asério, e aqui está o resultado um pouco menos complexo do queimaginei.Muitas pessoas têm sérios problemas de autocontrole. Procuram –e inventam – novas maneiras de se manter num limite, formas quemuitas vezes são absurdas.Sou a favor da simplicidade, nada de tentar estratégiasengenhosas para no final acabar como comecei, por isso dou meupróprio jeito de manter as coisas equilibradas. Uma estratégiasimples é a promessa.Você já descumpriu um acordo, apenas porque estava distante dapresença da pessoa a quem prometera? Já ignorou o conselhomédico por achar que tomar “só mais um copo de cerveja” nãomataria? Essas e inúmeras outras questões certamente serãorespondidas afirmativamente.Porque temos esse costume de burlar as regras, sabendo que seriamais ético – e saudável - cumpri-las? Eis o ponto a levarmos emconta: nosso inconsciente, quando não controlado, tende a mudarnossas intenções, fazendo-nos optar pelo risco.Tomando como exemplo uma das questões acima: quando estamosdistantes de alguém a quem prometemos algo e a situação exigeuma escolha entre fazer o que é “certo” ou o que não o é,sentimos um impulso de aceitar a segunda alternativa. Essesentimento é apenas reflexo de uma das partes do nossoinconsciente, chamado, pelo psicanalista Sigmund Freud, “Id”.Esse Id é que controla os nossos desejos extremos e por issodeve ser o objeto de atenção.Quando alguém faz um intermédio entre a nossa promessa e nossoinconsciente, torna-se mais difícil lidar com a tentação deromper esse acordo. Porém, se fizermos a promessa diretamentepara nós mesmos, as chances de conseguirmos cumpri-la aumentamsignificativamente.Vamos lá: tente pensar em algo que você faz diariamente e quenão traria problemas se fosse deixado de lado, agora prometaque não o fará por uma semana. Concentre-se em não esquecer queNÃO deve fazê-lo. Não prometa isso a mim, faça-o para o seuinconsciente.Cumprir essa tarefa será mais fácil, já que – diferentemente deuma pessoa de fora – a outra parte do teu inconsciente (o Superego ) estará atenta ao prometido, fazendo com que você se lembredo que não deve fazer. Página 3

×