O slideshow foi denunciado.
A rubéola, também conhecida como sarampo alemão, é uma
doença viral causada pelo togavírus e transmitida por via respirató...
Exantema da rubéola na
pele das costas de uma
criança.
Manchas vermelhas vista
no corpo de um adulto
que a rubéola pode
causar.
Leptospirose é uma infecção aguda, potencialmente grave,
causada por uma bactéria do gênero Leptospira, que é
transmitida ...
Bactéria de Leptospirose
vista sobre microscópio.
Rubéola E Leptospirose
Rubéola E Leptospirose
Rubéola E Leptospirose
Rubéola E Leptospirose
Rubéola E Leptospirose
Rubéola E Leptospirose
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Rubéola E Leptospirose

603 visualizações

Publicada em

Rubéola E Leptospirose

Publicada em: Ciências
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Rubéola E Leptospirose

  1. 1. A rubéola, também conhecida como sarampo alemão, é uma doença viral causada pelo togavírus e transmitida por via respiratória. Seus principais sintomas são muito parecidos com outras doenças virais comuns na infância, como sarampo e caxumba (papeira), geralmente envolvendo febre, manchas avermelhadas pelo corpo, dor nos olhos, dor pelo corpo, dificuldade ao engolir, nariz entupido e inchamento dos pés. Geralmente cura-se sozinha, mesmo sem tratamento, mas, em infecções de mulheres grávidas, o embrião pode sofrer malformações. Mesmo que não apresente sintomas perceptíveis, o doente de rubéola pode contaminar as pessoas com quem convive, e em todos os casos é extremamente desagradável. Em 29 de abril de 2015, o escritório da Organização Mundial da Saúde em Washington, DC, declarou a América oficialmente uma região livre de transmissão endêmica de rubéola.
  2. 2. Exantema da rubéola na pele das costas de uma criança.
  3. 3. Manchas vermelhas vista no corpo de um adulto que a rubéola pode causar.
  4. 4. Leptospirose é uma infecção aguda, potencialmente grave, causada por uma bactéria do gênero Leptospira, que é transmitida por animais de diferentes espécies (roedores, suínos, caninos, bovinos) para os seres humanos. Esse micro-organismo pode sobreviver indefinidamente nos rins dos animais infectados sem provocar nenhum sintoma e, no meio ambiente, por até seis meses depois de ter sido excretado pela urina. O contágio se dá pelo contato direto com a urina dos animais infectados ou pela exposição à água contaminada pela Leptospira, que penetra no organismo através das mucosas e da pele íntegra ou com pequenos ferimentos, e dissemina-se na corrente sanguínea.
  5. 5. Bactéria de Leptospirose vista sobre microscópio.

×