Sustentabilidade no Ecoturismo

915 visualizações

Publicada em

Seminário apresentado pelo aluno de mestrado na ENBT/JBRJ Felipe Pinheiro, durante a disciplina de Biologia da Convervação, ministrada pelo prof. Dr. Fernando Fernandez, sobre um artigo que aborda a sustentabilidade no ecoturismo.

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
915
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
3
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Sustentabilidade no Ecoturismo

  1. 1. SEMINÁRIOS DA DISCIPLINA EB104 – BIOLOGIA DA CONSERVAÇÃO APLICADA A UNIDADES DE CONSERVAÇÃO – Prof. Dr. Fernando Fernandez Aluno Felipe Machado Pinheiro
  2. 2. IntroduçãoEcoturismo... turismo baseado no ambiente natural – contribuição paraconservação biológica e desenvolvimento econômico de uma região.Uma das palavras mais associadas a conservação atualmente - ligada a palavrasustentabilidade;Porém para alguns Panaceia, para outros Caixa de Pandora;Debate por falta de definição do termo, assim como o de sustentabilidadeEx: Ecoturismo para alguns
  3. 3. Introdução• Ecoturismo Sustentável (Aylward et al. 1996):1) Visitação,2) Financiamento da conservação,3) Ecologia,4) Economia.(Em contraste a práticas não sustentável, esta coloca o ecológico acima de todas)• Potencial enorme de geração de receitas para a conservação• Nos anos 90, crescimento de 10% a 30% (turismo normal 6%)• Geração de renda local e consciência através da educação
  4. 4. ObjetivoPonto X: extensa literatura sobre ecoturismo (inclusive manuais para desenvolvimentoda atividade) porém nenhum estudo comparando influencias positivas ou negativas nasáreas ou espécies..• Pontos considerados para o sucesso do ecoturismo :1) Atingir objetivos conservacionistas,2) Compensação econômica,3) Aumento da renda local,
  5. 5. Perguntas(1) Como estão os estudos de caso de ecoturismo distribuidos pelo tempo, continentes,habitats e tipos de espécies bandeiras? Essa distribuição reflete a riqueza de espécies eendemismo?(2)Quais variáveis estão correlacionadas com estudos de casos de ecoturismo classificadoscomo ecologicamte sustentáveis e não sustentáveis pelos autores? Qual a importânciarelativa das variáveis em uma análise multi fatorial de sustentabilidade?(3) Qual é o pricipal efeito positivo e negativo nos estudos de caso? Podem esses efeitosserem relacionados ao principal motivo relacionado pelos autores para a sustentabilidadede um projeto de ecoturismo, ou não?
  6. 6. Método• Web of Knowledge (http:==wok.mimas.ac.uk) palavras chaves: ecotourism, nature- based tourism and sustainable tourism. ( em áreas de ciências naturais ou sociais);• Trabalhos de 1981 a setembro de 2001;• Relatórios de projetos, teses e similares trabalho inacessíveis não utilizados.
  7. 7. MétodoEstudos de caso divididos em:• Proposta – estudos que visem preservar uma certa área ou espécie com o ecoturismo;• Consequência – estudo em uma área em que já há o ecoturismo, analisando o impácto sobre as espécies, a área e a comundade local - apenas com critérios severos de avaliação.(Considerados estudos apenas com o foco na sustentabilidade ecológica.)
  8. 8. MétodoVariáveis utilizadas
  9. 9. Resultados• 251 estudos,• Estudos de propostas :– 63 ou 25.1%• Estudos de consequência:– 188 ou 74.9%
  10. 10. Resultados• Maioria dos estudos na África e em florestas tropicais.
  11. 11. Resultados• Baixa relação do ecoturismo com alto grau de endemismo
  12. 12. Resultados • Não correlacionados: - estudos de caso; - área total; - áreas protegidas; - endemismo de vertebrados.
  13. 13. Resultados• Alta proporção de estudos relacionados a espécies bandeiras, consequente de muitos estudos na África, aonde são comuns.
  14. 14. Resultados • 188 EC de consequência, - 118 ou 62.8% sustentáveis; • Varia significativamente entre continentes e regiões, • América do Norte maior proproção de sustentabilidade (78.6%) • Baixa na Ásia (40.6%) e América do Sul (42.1%). • Variação significativa em diferentes habitats; • Sustentável especialmente em florestas temperadas (90%) • Pouco sustentável em ilhas (38.5% sustentável) e montanhas (28.6% sustentável).
  15. 15. Resultados• Baixa proporção de sustentabilidade em:- Ausência de espécies bandeiras (34.6%) ou mamíferos (50%)• Alta sustentabilidade em projetos com pássaros carismáticos (80%), mamíferos carismáticos (81.3%) ou espécies bandeiras mundiais (72.2%).
  16. 16. ResultadosEstudos de casos positivos geralmente são mais frequentes em relatos por pesquisadores sociais.
  17. 17. Resultados
  18. 18. Discussão• Alguns dos 25 hotspots (Myers et al. 2000), (6 já dentro dos 10 mais visitados), podem aproveitar o ecoturismo como contribuição substancial para a conservação.• Falta de sustentabilidade na América do Sul e Ásia pode ser por falta de reversão monetária para a conservação dos locais. Exemplo, Komodo National Park na Indonésia , custo de 300 US $ para chegar ao parque mas apenas 1 U$, retorna ao manejo dele.• Alta fragilidade de ambientes como montanhas e ilhas podem estar relacionados a sua baixa sustentabilidade, provável pela baixa capacidade de receber muitos turistas, e a diferença entre sustentável e não, pode ser pequena nesses locais.• Baixa sustentabilidade em muitos projetos ausentes de espécies bandeiras, como ex. mamíferos, que pode estar relacionada com a dificuldade destes serem vistos, assim como projetos com poucos atrativos também.
  19. 19. Conclusão• Necesisdade de controle e manejo do número de turistas em casos ecologicamente insustentáveis.• Necesaário tomar cuidado no planejamento e manejo, antes e durante o desenvolvimento, assim como avaliações durante o projeto;• Apoio da comunidade local é importânte para o sucesso do projeto de ecoturismo.

×