1
Ambientes Virtuais e Mídias de Comunicação: Tarefa da Semana 2
Aluno: Fernanda Lúcia Paulino
http://www.atividadeseducat...
2
manter a atenção do leitor, estabelecendo credibilidade em relação ao
sucesso no uso do material”.
 Imagens em moviment...
3
.>Acesso em 02 Jun.2014
PEDROSA. I; (1977) “Da Cor a Cor Inexistente”, Rio De Janeiro: Léo Christiano
Editorial Ltda.
WE...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Tarefa semana 2 Ambientes Virtuais e Mídias de Comunicação

1.190 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.190
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
46
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
32
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Tarefa semana 2 Ambientes Virtuais e Mídias de Comunicação

  1. 1. 1 Ambientes Virtuais e Mídias de Comunicação: Tarefa da Semana 2 Aluno: Fernanda Lúcia Paulino http://www.atividadeseducativas.com.br/index.php?procurar_por=queb ra-cabe%E7a. Acesso em 02 Jun.14 Imagem do site: Críticas/Observações: Com base nos artigos de Costa e Marins e nas discussões feitas no nosso fórum temático, pude fazer algumas observações positivas e outras com críticas construtivas sobre a interface do site “Atividades Educativas.com. br”. Pontos fortes:  Organização da informação: equilíbrio simétrico e assimétrico: Os itens que possuem conteúdos relacionados estão próximos, e dentro de cada pasta contém vários arquivos para serem explorados.  Eficiência: Em apenas dois cliques o site possibilita que o usuário entre em contato com o documento que deseja(vídeo, apostilas, jogos e inúmeras atividades).  Legibilidade: Os textos e apostilas disponibilizados no ambiente garantem uma leitura saudável e prazerosa, levando o leitor ao entendimento. Keller e Burkman (1999) destacam que “Um bom design ajuda a obter e a Para ver muita coisa é preciso despregar os olhos de si mesmo. Nietzsche
  2. 2. 2 manter a atenção do leitor, estabelecendo credibilidade em relação ao sucesso no uso do material”.  Imagens em movimento e vídeos: O site disponibiliza vídeos para o complemento dos conteúdos, levando o usuário a entender a explicação através de outro recurso. Pontos fracos:  Organização da informação: contraste: O site pecou em deixar o seu layout apenas com um tipo de letra, que além de ser pequena não instiga o leitor pouco autônomo a querer navegar pelo ambiente.  Uso de Padrões: redução do custo cognitivo: Ao entrar em uma página, o usuário necessitará ter um domínio básico de informática, pois a cada página visitada, sem um aprendizado básico, ele pode ser distraído facilmente com o excesso de propagandas.  Layout: espaços em branco: A página não oferece nenhum espaço em branco, deixando assim o leitor que não está adaptado a uma leitura virtual cansado e perdido na quantidade de informações.  Consistência: identidade visual do ambiente: O site necessita de uma barra de pesquisa mais destacada para nortear o leitor em suas buscas. Ao querer achar a barra de pesquisa, se torna mais difícil por ela não estar em evidência. Seria menos cansativo se o usuário pudesse encontrá-la com mais facilidade, pois ela está muito pequena no alto da página.  Cor e Contexto: O site em geral possui uma cor pouco expressiva. O azul claro como fundo na página e as letras em azul mais escuro deixaram-na sem vida. Pedrosa(1977) nos orienta que “As cores estão carregadas de uma expressividade que se baseia em associações”, por isso, em se tratando de um site educativo, carregados de informações relevantes faz- se necessário um ambiente com cores mais instigantes que favoreça o usuário. Segundo os apontamentos feitos acima, me recorro a Wertsch(1993) quando o mesmo tece que “o foco do design didático não deve estar nem na ferramenta, nem na concepção de aprendizagem isoladamente, mas na sua integração”. Por isso que, um site com conteúdos magníficos de nada valerá com a presença de uma interface pobre. Ambos precisam caminhar juntos para o sucesso do projeto. Caro leitor, você deve estar se perguntando: É possível unir informações e interfaces adequadas? Sim, é possível! É preciso ter sensibilidade no olhar, ousadia no pensar e criatividade ao executar. O ambiente necessita deixar o usuário satisfeito ao fim de sua navegação. Não precisa ser sofisticado, nem tão simples para se tornar pouco envolvente, basta ser inovador em suas informações, ou seja, objetivo para uma boa usabilidade. Referências: KELLER.J; BURKMAN.E. (1999)Chapter1: Motivation Principles In: FLEMING, M.; and LEVIE, W.H. Instructional Message Design – Principles from the Behavioral and Cognitive Scienses, New Jersey: Educational Technology Publications EnglewoodCliffs, p.3-49 MARINS.V; COSTA, R.M.E.M. Ambientes Virtuais de Aprendizagem. Disponível em:<http://pigead.lanteuff.org/pluginfile.php/4254/mod_resource/content/6/Inte rfacesN.pdf> Acesso em 02 Jun.2014 MARINS.V; COSTA. R.M.E.M.Interfaces.Disponível em <http://pigead.lanteuff.org/pluginfile.php/4256/mod_resource/content/4/AVA.pdf
  3. 3. 3 .>Acesso em 02 Jun.2014 PEDROSA. I; (1977) “Da Cor a Cor Inexistente”, Rio De Janeiro: Léo Christiano Editorial Ltda. WERTSCH. J. V. Voces de la mente, un enfoque sociocultural para el estudio de La acción mediada, Madrid: Visor, 1993.

×