Vogue – Coleções Outono/Inverno 2015

1.311 visualizações

Publicada em

Revista suplemento da edição Nº 155 Setembro 2015

Publicada em: Estilo de vida
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.311
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
5
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
2
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Vogue – Coleções Outono/Inverno 2015

  1. 1. VOGUE.PTMODAl INVERNO2015 MODA Estarevistaéoferecida comaediçãon.º155 SABER USAR AS NOVIDADES DA ESTAÇÃO E DESCOBRIR OS MELHORES ACHADOS COLEÇÕES OUTONO-INVERNO 2015/2016 MINIMALISMO MASCULINO VINTAGE BOÉMIO GÓTICO GLAM BRANCO TONS PASTEL PUNKS, MODS & ROCKERS SHOP AT TRUSSARDI.COM
  2. 2. 76 DESIGNERS PORTUGUESES. O que vimos desfilar pelas passerelles nacionais. 80 DESIGNERS. As novas apostas de estilo made in Portugal. 82 PORTUGAL FASHION. Celebramos o 20.º aniversário do evento de Moda português. TENDÊNCIAS 86 ACESSÓRIOS. Os sapatos, as carteiras e demais complementos que animam a estação fria. 94 BELEZA. A teoria que vamos pôr em prática este inverno. 100 ON THE ROAD. A pele serve de camada de proteção mas também de estilo aos motards. Fotografia de Josh Olins. Realização de Clare Richardson. 114 ALTA-COSTURA. Os criadores voltam a apresentar as suas propostas mais extraordinárias. 122 SONHO DE UMA NOITE EM PORTOFINO. Paula Mateus assistiu à coleção Alta Moda da Dolce & Gabbana na primeira fila. 130 ÚLTIMO OLHAR. 6 PONTO DE VISTA. 126 EXPRESSO. 128 MORADAS. IN VOGUE 8 RADAR. As últimas novidades do mundo da Moda. 10 PORTOBELLO ROAD. As referências mais antigas invadem as passerelles do presente. 14 PUNK. O movimento musical e cultural dos anos 70 serve de molde às peças invernosas. 18 LATINOS. A América do Sul a marcar as coordenadas geográficas das coleções. 20 GLAM. Coleções de 2015/16 que revivem a exuberância dos anos 80. 24 BOÉMIO. O guarda-roupa ideal para um lifestyle à Kate Moss. 28 TONS ETÉREOS. O branco lidera a estação e usa-se da cabeça aos pés. 32 GÓTICO. O lado mais negro da Moda volta a fazer das suas. 36 WALL STREET. As mulheres ganham um armário à medida do seu corpo e dos seus feitos. 40 SOFT POP. Os tons pastel vão adocicar os dias mais frios. 44 NOVOS ROMÂNTICOS. Deixe-se apaixonar por uma nova vaga de influências londrinas. 48 ROCKABILLY. Elvis, Cry-Baby e lenços na cabeça: as referências dos anos 50 em looks do agora. 50 MINIMALISMO. Keep it simple é o lema desta temporada de outono/inverno. 54 MOD’S. O modernismo dos anos 60 transposto para o século XXI. SHOPPING 58 CLASSE ECONÓMICA. As peças-chave deste inverno a preços (muito) acessíveis. ESTILO 68 STREET STYLE. As tendências que se formam nas ruas. 74 CAMPANHAS. Os rostos e as imagens que representam as marcas pelo mundo. S MÁ IORU moda inverno2015 Gigi Hadid com casaco e vestido em caxemira e carteira em pele, tudo Max Mara. Fotografia: Veronica Morales Angulo. CAPA CHLOÉ
  3. 3. ©CHATNOIR&XUPET-SHERYO-LAKWENAMACIVER 1506049_LGCH_PORT_VOGUE_AUGUST9_FW15_GOLD_220x285.indd 1 03/07/15 15:52
  4. 4. 6 VOGUE MODA INVERNO 2015 I V GUEON ponto de vista uando os primeiros desfiles de inverno arrancaram em Nova Iorque faziam prever uma mistura de ten- dênciasquenãopareciaternadaemcomumanãoser isto: os looks pareciam saídos dos livros de histórias recentes das principais metrópoles do mundo. Ao longo dos meses de fevereiro e março foi sendo cada vez mais percetível que o principal foco nas novas coleções são as cidades e as suas diferentes tribos. Novas atitudes nascidas nas subculturas urbanas, principalmente as anglo-saxónicaseasvindasdaAméricaLatina,foramabsorvidaspelas passerelles.Punks,góticas,chicas,rockabillies,novasromânticas,boé- mias, princesas e as mais rígidas mulheres da finança viram os seus códigos de roupa serem apropriados pelos designers. Os fatos mudam de tamanhos consoante a inspiração, os vestidos usam-se sozinhos ou por cima de camisas, os casacos são largos ou muito justos dependen- dodomaterial–tudoemnomedeumaliberdadedeexpressão.Asten- dências são misturadas entre si, dependendo de cada mulher e do que ela quer ser e parecer. Ana Campos Q DSQUARED2 CIDADES EMMOVIMENTO STELLAMCCARTNEY LANVIN BALMAIN CLHOÉ
  5. 5. elisabettafranchi.com www.elisabettafranchi.it-Distribuidor:www.justfashion.pt–geral@justfashion.pt–tel.:228346900-Loja:RuaPedroHomemdeMelo,264(Aviz)PortolAv.daLiberdade,38-GaleriaDireita(Lisboa)
  6. 6. 8 VOGUE MODA INVERNO 2015 I V GUEON radar Já o tinha anunciado em 2013, mas só agora Miuccia Prada conseguiu lançar a primeira fragrância Miu Miu. A marca escolheu a atriz e modelo inglesa Stacy Martin para ser o rosto desta nova aventura, reflexo dos valores da marca, em que o passado ganha sempre uma nova modernidade. O frasco tem inspirações vintage, dos matelassés, presentes em algumas das mais emblemáticas carteiras da marca. NOVO SENTIDO Pegadas A nova exposição do museu de Moda de Antuérpia Momu, celebra a história dos sapatos na Moda ao longo dos séculos XX e XXI. As formas, que parecem desafiar as leis da gravidade, marcarão presença na mostra Foot Print – The Tra cks of Shoes in Fa shion, a partir de dia 3 de setembro e até fevereiro de 2016. Marcos históricos Ricca rdo Tisci ma rca sempre a s sua s coleções na Givenchy com elementos do pa ssa do, principa lmente nos esta mpa dos e nos a cessórios. A nova clutch da Chanel reproduz os pratos das brasseries francesas. OS SAPATOS- -ÍCONE DA DUPLA DSQUARED2 REGRESSAM PARA MATAR SAUDADES. DSQUARED2 INVERNO2011
  7. 7. 9VOGUE MODA INVERNO 2015 REALIZAÇÃO:ANACAMPOS.FOTOGRAFIA:GETTYIMAGES;D.R. Um dos mais reconhecidos artistas do final do século XX, Andy Warhol, sempre celebrou a espontaneidade criativa. Agora, a Taschen em colaboração com a Fundação Andy Warhol compilou centenas de polaroides do artista (algumas nunca vistas) no livro Andy Warhol. Polaroids. PARA AGORA RECORDAR LIFESTYLE É MAIS UMA MARCA DE MODA A ARRISCAR OUTROS MERCADOS. A BURBERRY EXPANDIU A SUA FLAGSHIP STORE EM REGENT STREET, LONDRES, E ABRIU UM NOVO CAFÉ E UMA ÁREA DEDICADA AOS GIFTS. NO THOMAS’, EM HOMENAGEM AO SEU FUNDADOR, TANTO PODE COMER E TOMAR UM CAFÉ COMO COMPRAR ARTIGOS DE DECORAÇÃO PARA CASA, INSPIRADOS NAS COLEÇÕES DE DESFILE DA BURBERRY. Tribos de ModaAlber Elbaz reinterpretou os caps (bonés de pala), tão presentes nas ruas, para desenhar os novos bonés da Lanvin. Com as aplicações e os estampados da coleção de inverno devem ser usados com a pala de lado.
  8. 8. 10 VOGUE MODA INVERNO 2015 IN VOGUE p o rtobelo road SEGUNDA VIDAMisturar o velho e o novo sempre foi uma questão de estilo nas últimas décadas do século XX. Agora as passerelles, e as suas inspirações, são o espelho deste gosto eclético. ràsfeirasdaladraéumritual,nemsempreligadoànecessidade, mas sim à procura de algo diferente que não tem de ser caracte- rizado como vintage, mas simplesmente com a procura de um novo estilo. Durante as últimas três décadas do século passado, este foi um hábito de diversas tribos urbanas, que acabavam por procurar o novo no usado. Senosanos70,aprocurafoipeloartesanal,nos80foisimples- menteanecessidadedealgodiferenteque,usadodeumaoutramanei- ra ou conjugado com outras peças, criasse um look totalmente novo. Muitos dependiam de peças que podiam ter pertencido às avós e que, entretanto usados com laços, alfinetes ou cintos ganhavam uma nova vida. Assim, as feiras da ladra e de velharias tornaram-se verdadeiros locais de romaria. Nos desfiles para este inverno, vários foram os looks que pareciam retirados dessas épocas, onde o velho e o novo criaram uma nova maneira de fazer styling e de estar. n A.C. I SOBREPOSIÇÕES Bordados As camisolas e os casacos de malha têm bordados que nos recordam as nossas avós. DELPOZO GUCCI DELPOZO CHANEL STELLAMCCARTNEY Mercado Portobello Road, em Londres.
  9. 9. 11VOGUE MODA INVERNO 2015 Malhas Os ombros descaídos das mantas adaptam- -se às camisolas. NOVAS REGRASUma das mais surpreendentes regras de styling que surgiu esta temporada é a sobreposição de vestidos com calças compridas. Os vestidos podem ser direitos ou mesmo repletos de folhos.   AssociaçõesOs tons ocre e terracota são combinados entre si além de poderem ser misturados com azul ou preto. Colar em metal com plexiglass e cristais, Miu Miu. Carteira em pele, Valentino Garavani. OS GRANDES COLARES COM CRISTAIS E PLEXIGLASS REPLICAM AS CORES DOS DIFERENTES TECIDOS DA TENDÊNCIA. O PONTO EM COMUM SÃO SEMPRE OS CRISTAIS, QUE REPRODUZEM OS BRILHOS DAS JOIAS MAIS ANTIGAS. ANTONIOMARRAS GUCCI DEREKLAM LOEWE BOTTEGAVENETA BCBGMAXAZRIA A SILHUETA FLUIDA MISTURA MATERIAIS NOBRES.
  10. 10. 12 VOGUE MODA INVERNO 2015 IN VOGUE portobelo road MISTURAS BLUSACom laçada veste-se sozinha ou por baixo de vestidos e camisolas. Blusa em seda, Toru Burch. Vestido em caxemira, Max Mara. BOTTEGAVENETA MATTHEWWILLIAM WUNDERKIND MIUMIU ALBERTAFERRETTI DRIESVANNOTEN Mercado Portobello Road, em Londres.
  11. 11. 13VOGUE MODA INVERNO 2015 COBERTASAs novas formas de casacos, parecem simplesmente mantas vestidas sobre os ombros. Em lã ou acolchoadas, como se fossem cobertores, misturam estampados e podem cobrir qualquer coordenado. AS PURPURINAS DÃO BRILHO ÀS FORMAS ANTIGAS. RENDA Sapatos em pele com purpurinas, Miu Miu. Vestido em renda, Pankaj & Nidhi. CAMISOLAS JUSTAS FOTOGRAFIA:VERÓNICAMORALESANGULO;GETTYIMAGES;D.R. CÉLINE BURBERRYPRORSUM BLUGIRL ROCHAS ERDEM FENDI
  12. 12. 14 VOGUE MODA INVERNO 2015 FOTOGRAFIA:D.R. IN VOGUE punk OS FATOS-MACACO DE TRABALHO GANHAM UMA NOVA VIDA. Perfecto em pele, Saint Laurent. GODSAVE THE QUEENUm dos mais identificáveis estilos de rua, e que é também música e arte, continua a fascinar (e provocar) a Moda. revolução de costumes e as atitudes sociais caracteriza- ram os anos 70. Questionar as regras passou a ser um modo de vida e assim começaram a nascer diversas sub- culturas com códigos próprios de comportamento e de vestir. Em Londres e Nova Iorque, a música e as bandas de garagem mais alternativas deram o mote e foram o berço de uma rebelião, criando uma das mais identifica- das subculturas, e que se alastrou a todo o mundo, o punk. Com códigos próprios, tanto em termos ideológicos, como de for- mas de expressão (que incluem Moda, Arte, Dança, Cinema ou mesmo Literatura), as bandas dessa altura são os símbolos maiores desta cultura e ainda nos inspiram nos dias de hoje: Sex Pistols, The Clash ou Ramones são alguns desses exemplos, cujo estilo é imitado, noscasacosenascalçasgastas,pintadasourasgadas,ounascorrentes usadas como colares pulseiras ou cintos. Este inverno, o punk volta a ganhar evidência em vários desfiles. A conjugação da roupa, os acessórios-chave e a maquilhagem voltam a ganhar vida, tanto em versões casuais como em looks mais glamou- rosos, onde a pele e o vinil ganham novo estatuto de elegância. n A.C. A Punks nas ruas de Estocolmo, em 1977. VINIL Blusões Os perfectos são sempre em pele escura. PHILIPPPLEIN BERNARDCHANDRAN PHILLIPLIM CHALAYAN
  13. 13. 15VOGUE MODA INVERNO 2015 Malhas transparentesA rede passou a ser usada como segunda pele e conjuga-se com todos os outros tipos de materiais da tendência. CORPETES OPOSTOSA mistura de cores, materiais e estampados são sempre contrastantes, mesmo que misturados na mesma peça. O vermelho ou um estampado são ideais para glamourizar e dar cor a esta inspiração que usa o preto como base. OS FECHOS ÉCLAIR SÃO ESSENCIAIS. OS COLETES ACOLCHOADOS SÃO SEMPRE EM MATERIAIS BRILHANTES. Pulseira em pele com cristais, Swarovski. Camisola em mesh, Junya Watanabe. Leggings em mesh, Proenza Schouler. FOTOGRAFIA:VERONICAMORALESANGULO;GETTYIMAGES;D.R. APLICAÇÕESIRISVANHERPEN BARBARABUI SAINTLAURENT CÉLINE HAIDERACKERMANN SAINTLAURENT
  14. 14. 16 VOGUE MODA INVERNO 2015 IN VOGUE punk Estampados Bandas e símbolos de rua são obrigatórios em T-shirts e tops. AS PEÇAS RASGADAS OU CORTADAS GANHAM NOVAS IDENTIDADES COLETES XADREZ Punks, 1970. Em algodão, Diesel. Em algodão, Texas. ALEXANDERWANG CHALAYAN ANTHONYVACCARELLO ANNDEMEULEMEESTER PACORABANNE FOTOGRAFIA:VERONICAMORALESANGULO;GETTYIMAGES;D.R.
  15. 15. VOGUE PORTUGAL.indd 2 21/07/15 16:35
  16. 16. FOTOGRAFIA:VERONICAMORALESANGULO;GETTYIMAGES;D.R. IN VOGUE lat inos BOLEROS OS BORDADOS RECRIAM OS FLORAIS DOS TOUREIROS. TRADIÇÃOOs tons de vermelho dominam os acessórios e são a base de estampados em peças de roupa que se coordenam harmoniosamente. A única cor que surge em detalhes e escapa à regra é o branco. IRISVANHERPEN GIVENCHY ALBERTAFERRETTI GIVENCHY DIANEVONFÜRSTENBERG Cruz de Igreja de São Felipe, México. Vestido em seda, Saint Laurent. Sapatos em pele envernizada, MaxMara.
  17. 17. 19VOGUE MODA INVERNO 2015 Bandeira vermelha Os looks totais são em tecidos nobres, trabalhados como a renda e os brodados ou brilhantes como o shantung. Os costumes e as crenças dos povos da América do Sul fascinam o resto do mundo pela garra com que as vivem e defendem – a Moda não é exceção. féétalvezaprincipalcaracterísticadospovoslatinos,que defendem as suas tradições e credos, cultura e hábitos profundamente, o que os torna únicos no mundo. Mesmo vivendo em sociedades mais modernas e urba- nas, nunca esquecem as suas raízes, por isso adicionam elementosculturaisaoseudiaadia.Umdossinaismais visíveis em Moda é a ornamentação, nas passamana- riasaplicadasnaroupacomonosacessórios,eascoresaguerridas. Esta estação, a tendência chega sob o signo hispânico, onde o vermelho e o preto são essenciais, já que estão presentes em todos os momentos da vida destes povos, tanto na alegria como na tristeza. O pormenor dos detalhes impressos na roupa e nos acessórios, que chegam a recriar os ornamentos faciais das cholas bolivianas, é seguido à risca em materiais mais contemporâ- neos, para celebrar e marcar a diferença. n A.C. A BLUSAS QUESTÕES DEFÉ VislumbrarOs chiffons, as voiles e as rendas pretas são muitas vezes bordadas e coordenam-se com tecidos opacos. O PRETO E O VERMELHO JUNTOS NA MESMA PEÇA. ERDEM HERMÈS YOHJIYAMAMOTO EMILIOPUCCI DOLCE&GABBANA FRANCESCOSCOGNAMIGLIO
  18. 18. 20 VOGUE MODA INVERNO 2015 FOTOGRAFIA:D.R. PailletesAs diferentes aplicações revestem integralmente o look ou são usadas numa só peça. Estes coordenados não devem misturar demasiadas cores. SEXY MALHAS SPACE ODDITYNos anos 80, a palavra glam surgiu para adjetivar géneros artísticose nunca mais saiu do léxico da música e da Moda. os anos 70, vários foram os géneros que procura- ramumnovoglamour,dentrodassuasraízesmais ou menos revolucionárias, e que acabaram por acompanhar um sentimento de celebração que se viveu no início da década, em contraste com um lado mais boémio, despojado e artesanal. O Glam Rock e o Glam Punk acompanharam esta tendên- cia e foram personificados em palco por músicos como David Bowie, Roxy Music, no Reino Unido, e os New York Dolls e Iggy Pop, nos EstadosUnidos.Estenovoglamourtambémacompanhavaastendên- cias de roupa mais brilhantes, sensuais e femininas, que ganharam ainda mais destaque na era da disco. Este inverno, estes tecidos regressam assim como as silhuetas mais sinuosas,querealçamaslinhasdocorpo.Estesmateriaisforamagora usados para se adaptarem não só em ocasiões mais festivas, mas para ganharnovavidaàluzdodia.Olurex,asorganzaseossablésjuntam- -sealantejoulasepailleteserevestematéoslooksmaisformais.n A.C. N IN VOGUE g l am IRISVANHERPEN VERSACE BLUMARINE BALENCIAGA NINARICCI LOUISVUITTON Fato metalizado, 1975.
  19. 19. 21VOGUE MODA INVERNO 2015 REFLEXOSOs materiais mais brilhantes são usados em vestidos e calças fluidas que intensificam o movimento. Na hora de escolher os acessórios, e de coordenar peças entre si, atenção aos materiais mais contrastantes. CASACOS COM CORTE DIREITO EM PELE POLIDA. FRANJAS MAISONMARGIELA BALMAIN N.21 JWANDERSON ALTUZARRA CHRISTIANDIOR BALMAIN Bailarinas de disco em 1973.
  20. 20. 22 VOGUE MODA INVERNO 2015 IN VOGUE glam TirasAs sandálias de salto alto podem ser usadas com meias de vidro de lã. PlissadosPequenas pregas criam nuances que tornam os vestidos mais marcantes. ZIG ZAGAs assimetrias misturam grandes influências do Glam Rock com brilho e uma silhueta justa e sexy. Encontramo-las em vestidos que mesclam diferentes tecidos e que as evidenciam na estrutura. Os recortes que mostram a pele tornam as peças ainda mais sensuais. CORTES JUSTOS E ESTRUTURADOS EM CASACOS E TAILLEURS. Vestido em seda, Loewe. Sandálias em camurça, Isabel Marant. BLUMARINE CHRISTOPHERKANE GUCCI THIERRYMUGLER PHILIPPPLEIN CÉDRICCHARLIER VERSACE SAINTLAURENT CHRISTOPHERKANE
  21. 21. OS TECIDOS METALIZADOS ADAPTAM-SE A TODOS OS LOOKS. -MACACO OS TECIDOS TRANSPARENTES REVESTEM-SE COM PAILLETES. DECOTES FOTOGRAFIA:VERONICAMORALESANGULO;GETTYIMAGES;D.R. BLUGIRL LOUISVUITTON MARQUESALMEIDA ALTUZARRA LOEWE BLUMARINE FATO- EMILIOPUCCI BLUMARINE BLUMARINE
  22. 22. 24 VOGUE MODA INVERNO 2015 FOTOGRAFIA:D.R. FORMADE EXPRESSÃOAs peças tradicionais de diferentes povos passaram, desde os anos 70, a fazer parte do guarda-roupa de um estilo de vida. s revoluções culturais vividas durante a década de 70 foramopalcoperfeitoparaosgruposdejovensdenóma- das adoptarem peças como ponchos e kaftans ou as téc- nicas mais artesanais, como o patchwork. Este mix de estilos usados todos juntos conferia-lhes um look que lembravaospovosciganoseassuasreferênciasmulticul- turais. Nos anos 90 vários foram os ícones de Moda que voltaram a popularizar este estilo. Kate Moss e Sienna Miller, entre outras, mesclaram estes diversos elementos, que completavam um lifestyle boémio. Esta imagem aliada a um modo de vida mais liberal continua a ter fiéis seguidoras. Mais ou menos visível consoante a estação, também é evidente nas passerelles, como as deste inverno onde Burberry Prorsum, Dsquared2 , Valentino ou Alberta Ferretti deram destaque à camurça, às franjas e aos longos vestidos, aos estampados de flores, ao croché e ao patchwork. n A.C. A CAMURÇA OS CHAPÉUS E TURBANTES COMPLETAM O LOOK. IN VOGUE boémio Chapéu em feltro com aplicação de chiffon de seda, Saint Laurent. Marianne Faithfull em Portobello Road, Londres, 1970. Twiggy com vestido de veludo. HERMÈS BURBERRYPRORSUM BLUGIRL
  23. 23. 25VOGUE MODA INVERNO 2015 Veludo Usa-se em tons mais quentes e/ou estampados, em vestidos longos, inspirados no estilo vitoriano recriado na década de 70 . PATCHWORK O PELO, NATURAL OU SINTÉTICO, SURGE EM TONS QUENTES E EM CASACOS PELA CINTURA OU COMPRIDOS. GLOBE TROTTERSAs influências dos trajes artesanais são recriadas com grande pormenor, principalmente em casacos, e em aplicações como passamanarias, detalhes em pelo e desenhos geométricos. Casaco em pelo, H&M Studio. Marisa Berenson, em 1967. ISABELMARANT DSQUARED2 LANVIN ETRO CHLOÉ VALENTINO CHLOÉ
  24. 24. 26 VOGUE MODA INVERNO 2015 IN VOGUE boémio BOTAS E BOTINS COM PADRÕES ANIMAIS. AgasalhosOs casacos de malha ganham texturas rudimentares e desenhos tradicionais dos povos da neve. TRABALHO MANUALO macramé, técnica de tecer com nós, que visualmente se assemelha ao croché, remata muitas bainhas, curtas ou extralongas, em casacos ou em ponchos de pele, lã e camurça. COLETES Botins em pele gravada com aplicação de lantejoulas, Xuz. ALBERTAFERRETTI SACAI CHANEL CHLOÉ MAXMARA ALBERTAFERRETTI BCBGMAXAZRIA
  25. 25. 27VOGUE MODA INVERNO 2015 Ponchos Verdadeiras mantas de inverno em materiais muito quentes, como a pele ou a fazenda de lã, podem ser vestidos como sobretudos ou como vestidos. OS CASACOS DE CARNEIRA RENASCEM COM TEXTURAS VESTIDOS COMPRIDOS MAIS BRILHANTES. FOTOGRAFIA:GETTYIMAGES;CONDÉNASTARCHIVE;VERONICAMORALESANGULO;GETTYIMAGES;D.R. VALENTINO LANVIN GUCCI ERDEM ETRO BARBARABUI BURBERRYPRORSUM LANVIN
  26. 26. 28 VOGUE MODA INVERNO 2015 IN VOGUEbranca de neve MAGIA DE INVERNONuma estação em que o frio apela aos tons mais quentes e escuros, o branco usa-se em look total. s mantos de neve parecem vestir os looks mais urbanos desta temporada. Sinóni- mo de elegância inocente, este é um dos tons mais surpreendentes da estação, não só por se adaptar a todas as tendên- cias de uma forma versátil, mas por des- tronar cores mais óbvias, como o cinzen- to ou o azul-escuro. Assim, na maior parte dos desfiles houve pelo menos uma peça branca, quando não vários looks totais. Todos os materiais podem ser tingidos de branco, das ren- das que dão vida aos looks mais inocentes, às malhas de lã para os mais aconchegantes, sem esquecer o pelo ou a seda sempre sedutores e elegantes. É a prova de que o branco conquistou um novo estatuto nos nossos armários, capaz de atravessar estações e tendências. n A.C. O FATOS DE CALÇAS APLICAÇÕES STELLAMCCARTNEY BERNARDCHANDRAN Casaco em pelo Christian Dior, inverno 1976. ALBERTAFERRETTI N.21 COMMEDESGARÇONS
  27. 27. 29VOGUE MODA INVERNO 2015 Linha de confortoCasacos de malha com botões contrastantes. PELO O TULE E O CHIFFON DÃO VOLUME AOS FOLHOS. VALENTINO STELLAMCCARTNEYLOUISVUITTON GIAMBATTISTAVALLI BERNARDCHANDRAN STELLAMCCARTNEY ALBERTAFERRETTI Marilyn Monroe com casaco de pelo. Casaco em malha de caxemira, Balenciaga. MINÚCIAAs rendas usam-se em versões que relembram o bordado inglês, ou mais delicadas, com a seda como base deste trabalho quase artesanal. Os vestidos mais compridos são as peças de eleição para os materiais translúcidos.
  28. 28. 30 VOGUE MODA INVERNO 2015 IN VOGUE bran ca de neve Malhas As diferentes texturas surgem com pontos mais ou menos grossos e em diferentes comprimentos, misturando-se entre si. OS CASACOS SÃO CONJUGADOS COM PEÇAS DA MESMA COR. ClássicoOs tailleurs são usados com acessórios de outras cores. VESTIDOSA silhueta urbana e elegante, que acompanha o corpo, ou a mais volumosa que relembra as linhas concetuais dos anos 90 surgem ambas em tons de branco. Esta escolha cromática, por ser mais luminosa, enfatiza as formas. FENDI KENZO CHANEL SPORTMAX NINARICCI BLUMARINE NINARICCI FENDI DRIESVANNOTEN VALENTINO EMILIOPUCCI FOTOGRAFIA:VERONICAMORALESANGULO;GETTYIMAGES;D.R.
  29. 29. 32 VOGUE MODA INVERNO 2015 FOTOGRAFIA:D.R. IN VOGUE gótico OS VESTIDOS COMPRIDOS SÃO OS REIS DA INSPIRAÇÃO. FACES OCULTASO mistério do estilo gótico está de volta com todos os clichés e alarga o seu espetro aos não crentes. O lado mais negro da Moda ganha um novo romantismo. sraízesnolutodaeravitorianainspiraramosteci- dos antigos e pesados da roupa e dos acessórios dos looks góticos ao longo das últimas décadas: veludos, rendas, tules e peles acessorizadas com corpetes, luvas e joias em metal, contrastam com a pele muito branca e o cabelo negro. Por vezes confundidocomopunkeoheavymetal,ogrande boom gótico surgiu nos anos 70 e 80, talvez em protesto contra a colo- ridoebrilhantediscoqueaindaecoavanasgrandescapitaismundiais. Este estilo de vida é facilmente reconhecido em muitos designers que, embora o sigam, nem sempre passam essa mensagem nos seus desfiles. Um dos exemplos é Alexander McQueen, que foi muitas vezes relacionado com este movimento; outros são os designers que estãosempreassociadosaestaideologia,comoAnnDemeulemeester, Gareth Pugh ou Rick Owens, que têm muitos góticos entre os seus mais fiéis clientes. Este inverno, todos os elementos desta subcultura estão de volta, com uma sensualidade e formas de styling que lhe dão uma certa modernidade. n A.C. A TEXTURA NATURALA pele preta é usada quase como uma segunda pele, tanto na roupa como nos acessórios mais justos. Exceção feita a alguns vestidos mais largos que relembram os antigos saiotes neste material. COROAS VERONIQUEBRANQUINHO BOTTEGAVENETA EMANUELUNGARO BCBGMAXAZRIA DRIESVANNOTEN BERNARDCHANDRAN Coroa em metal com cristais, Too Much. Vestido em chiffon de seda, Chloé.
  30. 30. 33VOGUE MODA INVERNO 2015 Golas subidasOs vestidos e as blusas com colarinho ou golas altas alongam o pescoço. Por vezes, este efeito é aumentado por aplicações em pele ou seda. PELO SÍMBOLOS As cruzes e os véus são parte integrante desta cultura, bem como as caveiras e os insetos, aplicados ou esculpidos em bijutarias. Pendente em metal com cristais, Chrome Hearts. OS GRANDES VOLUMES SURGEM COM APLICAÇÕES. ASSIMETRIAS STELLAMCCARTNEY CHALAYAN VALENTINO COMMEDESGARÇONS ANNDEMEULEMEESTER 3.1PHILLIPLIM YOHJIYAMAMOTO ARMAÇÕES E
  31. 31. 34 VOGUE MODA INVERNO 2015 IN VOGUE gótico VISLUMBRARAs rendas são essenciais nesta tendência em todo o tipo de peças, sejam elas para o dia ou para a noite. Em blusas, vestidos, saias ou calças, contrastam com a cor da pele e revelam os seus delicados desenhos. AS SAIAS COMPRIDAS NÃO MOSTRAM OS SAPATOS. Anatomias Cortes inesperados e smocks criam novos volumes. ALBERTAFERRETTI EMILIOPUCCI ALEXANDERMCQUEEN RODARTE HAIDERACKERMANN JUNYAWATANABERICKOWENS Luvas em pele com renda aplicada, Alpo. Botins em camurça e renda, Dolce & Gabbana. FOTOGRAFIA:VERONICAMORALESANGULO;GETTYIMAGES;D.R.
  32. 32. 35VOGUE MODA INVERNO 2015 FOTOGRAFIA:D.R. EssencialAs clutchs em pele com fechos metálicos são usadas ao mesmo tempo que grandes sacos ou carteiras. CobertaAs capas são adaptáveis a todos os coordenados, sejam em lã, renda ou pele. VELUDO A SILHUETA VITORIANA MOSTRA SEMPRE A SAIA MARCJACOBS CHRISTOPHERKANE ALEXANDERWANG Capa em pele, Miu Miu. POR BAIXO DO CASACO. CALVINKLEIN ANTONIOMARRAS
  33. 33. 36 VOGUE MODA INVERNO 2015 IN VOGUEwal stre t SHOWME THE MONEYNa estação em que a rua entrou nas passerelles, a classe trabalhadora também ganha guarda-roupa personalizado. A Moda, tal como Wall Street, nunca dorme. uando, nos anos 70, Giorgio Armani tornou as silhuetas dos fatos apropriadas às mulheres, o mundo empresarial femini- no estremeceu de alívio. Pouco tempo depois, e já com o aval da Vogue, Melanie Griffith elevava-os ao estatuto de most wanted: com o filme de 1988, Working Girl, os fatos passaram a ser sinónimo de perseverança e sucesso e o suit tornou-se mais power do que nunca. É claro que, hoje em dia, o escritório deixou de simbolizar fato+casaco, mas uma rapariga continua a gostar de se sentir poderosa e, para o outono/inverno 2015/16, os designers fazem-nos a vontade. Christian Dior, Barbara Bui e outros nomes habitualmente avessos à aus- tera alfaiataria, como a descontraída Stella McCartney ou a romântica Nina Ricci, ofereceram-nos versões atualizadas da não menos atual workingclass(falamosdefatos-macacos,calçasacimadotornozelo eirresistíveissobretudos).Apoiadosnasinspiraçõesmilitares,aos fatos acresceram botões metálicos ou formatos trespassados e outras referências ainda mais sérias e masculinas. Nós sempre quisemos o armário deles, anyway. n P.D. Q CHLOÉ Catherine Zeta-Jones, circa 1995. FATO- -MACACO YOHJIYAMAMOTO CÉDRICCHARLIER JILSANDER STELLA MCCARTNEY BOTTEGAVENETA FATOS COMPLETOSOs cortes masculinos estão de volta, em propostas mais ajustadas ao corpo ou mais largas. Estas peças são sempre construídas em materiais clássicos de lã, por isso o tweed, o espinhado, o olho de perdiz ou o riscado são obrigatórios.
  34. 34. 37VOGUE MODA INVERNO 2015 Calças curtas Sempre vincadas, devem ser conjugadas com saltos altos, de modo a alongarem a perna. OS DECOTES REDONDOS AMPLIAM O PESCOÇO. CintosO acessório mais feminino desta tendência usa-se por cima dos casacos. Atenção: largura máxima de um centímetro! COLETES CHLOÉ AQUILANORIMONDI CHRISTOPHERKANE MUGLER LANVIN BARBARABUI LOUISVUITTON CHRISTIANDIOR BALENCIAGA Calças em lã, Stella McCartney. Calças em lã, Balenciaga. NOITES LONGASOs smokings, em veludo ou lã com lapelas de seda, reaparecem nas versões escuras mais clássicas ou em tons vivos, como o azul ou o cereja. O visual perfeito para passar a noite fora de casa.
  35. 35. 38 VOGUE MODA INVERNO 2015 IN VOGUE w al stret MilitarOs códigos dos uniformes militares, como os botões dourados e as calças com tiras de lado, complementam a sobriedade. BLUSÃO Pautas As lãs riscadas tornam a silhueta mais esguia, mesmo com uma base de cores vivas. CASACOSSobretudos ou peacoats são usados por cima de fatos ou calças como se de blazers se tratassem. Os tons neutros são escolhas perfeitas para não ofuscar os tecidos tradicionais dos fatos. AS GOLAS ALTAS SUBSTITUEM AS CAMISAS. NINARICCI BOTTEGAVENETA COSTUMENACIONAL CHLOÉ MICHAELKORS LANVIN LOUISVUITTON MUGLER DEREKLAM 3.1PHILLIPLIMNINARICCI REALIZAÇÃO:ANACAMPOS.FOTOGRAFIA:VERONICAMORALESANGULO;GETTYIMAGES;D.R.
  36. 36. 40 VOGUE MODA INVERNO 2015 IN VOGUEsot pop Mix and unmatchAs cores misturam-se de uma forma quase infantil e divertida. COR-DE-ROSA O CHIFFON SOBREPÕE-SE EM CAMADAS. Botins em pelo com salto em acrílico, Fendi. Casaco em lã e neopreno prensado com alfinete em plexiglass, Prada. DELPOZO VIONNET TOD’S FRANCESCO-SCOGNAMIGLIO MARQUESALMEIDA N-21
  37. 37. 41VOGUE MODA INVERNO 2015 CANDY CRUSHEstá na altura de trazer a criança que há dentro de si a experimentar o seu closet de adulta. omas, fadas, cor-de-rosa, princesas da Disney. Se ne- nhuma destas palavras lhe provocar um efeito “emoji com olhos em forma de coração” pode virar já a pági- na. Se não resiste a um bocadinho de açúcar, a Moda criou a sobremesa perfeita para transformar o outo- no/inverno numa montanha de claras em castelo. Enjoada das referências à la Maria Antonieta? Espere pelo twist. É que as coleções género Lolita deste outono/inverno têm tanto de doce quanto de travessura. Por trás das tonalidades macaron, espera-o uma mulher sexy. Muito sexy. A candy shop da temporada fria abriu portas (e fora de horas) a formas edgy, transparências, combinações de materiais audazes e uma silhueta ultrafeminina suportada por acessórios para maiores de 18. Com o efeito leitoso dos lápis de cera da escola (azuis, rosas e amarelos), Prada, Carven e Tod’s resgataram a sua- vidade que também marcou os anos 60 e 70, e assentaram-na no topo do seu latte do presente. n P.D. G I’M BLUEO azul é uma das cores fortes. As diferentes tonalidades vão desde o azul mais suave ao mais vivo, e nunca são misturados entre si. Estas nuances são conseguidas através do jogo de transparências dos materiais sobre a pele. Carteira em pele, Fendi. DELPOZO LOUISVUITTON PHILOSOPHYDILORENZOSERAFINI PRADA
  38. 38. 42 VOGUE MODA INVERNO 2015 IN VOGUE sot pop CASACOS PELÚCIAEstá na altura de voltar a conectar o conforto com o estilo e os pelos vão ser o seu maior aliado. O pelo longo ou curto reveste casacos e vestidos em versões curtas e em looks totais. Em rosa ou bege mas também em azul e amarelo. O COMPRIMENTO DAS CAMISOLAS DEPENDE DO RESTO DO LOOK. Camisola em caxemira, Balenciaga. TRUSSARDI VIONNET ALTUZARRA CALVINKLEIN CEDRICCHARLIER MAXMARA TOD’S JWANDERSON PRADA MAXMARA
  39. 39. 43VOGUE MODA INVERNO 2015 MinissaiasAs peças mais sensuais da tendência são para vestir com camisas e camisolas. PRINCESASOs vestidos de seda da estação lembram os das meninas que sonham ser as mais belas princesas da Disney, complementados por laços e alfinetes com strass para um brilho extra e sexy. Saia, em lã, TBA.Saia em seda, Simone Rocha. Marisa Sannia, em 1966. ACESSÓRIOS COLORIDOS PRADA DELPOZO MARNI CARVEN REALIZAÇÃO:ANACAMPOS.FOTOGRAFIA:VERONICAMORALESANGULO;GETTYIMAGES;D.R.
  40. 40. 44 VOGUE MODA INVERNO 2015 FOTOGRAFIA:VERÓNICAMORALESÂNGULO;GETTYIMAGES;D.R. IN VOGUE novos românticos EsvoaçantesFolhos aplicados na parte da frente, nas golas e nos punhos das camisas. BLITZ KIDSOs new romantics é uma das tribos pop nascidas em Londres que sempre se pautou pela excentricidade. Da noite para a televisão, e agora nas passerelles. andas como os Visage, Duran Duran, Spandau Ballet e os Culture Club de Boy George abriram o caminho para uma nova subcultura nascida nos clubes londrinos, em inícios dos anos 80. Os sintetizadores faziam-se ouvir nas salas dos clubes Billy e The Blitz por um novo e excêntrico público, uma audiência de roupa e visuais extravagantes onde a maquilhagem e os cabelos tinham novas cores e volumes. Os mixes musicais pareciam refletir o que se passava nas ruas. Os looks eram enfatizados em termos de volu- me, com ombros extralargos ou folhos nas camisas e nos punhos, que se usavam com casacos militares e calças largas coloridas. Muitas destas peças eram compradas em lojas de segunda mão ou de designers mais concetuais. As imagens de Boy George da altura marcaram tendência, quer pela sua irreverente maquilhagem quer pelos acessórios que aplicava nos casacos ou pelas fitas coloridas com que entrançava o cabelo. Toda esta rebeldia glamourosa regressa agora, nos brilhos e em acessórios que, conforme o styling escolhido, são perfeitos para salientar a nova personalidade posi- tiva deste inverno. n A.C. B CHAPÉUS LANVIN ALTUZARRA PHILOSOPHYDILORENZO Toyah Wilcox, 1980.
  41. 41. 45VOGUE MODA INVERNO 2015 Revelar Os decotes dos casacos e vestidos são abertos de modo a mostrar as camisas e as suas aplicações. OS BROCADOS E OS ESTAMPADOS SÃO COORDENADOS ENTRE SI. ESTRUTURAS FEMININASOs casacos, mais largos ou mais justos, são elaborados de modo a realçar as formas do corpo. A cintura deve ser sempre marcada de forma a vincar a silhueta. FRAQUE EMILIOPUCCI CHANEL ALBERTAFERRETTI ANTONIOMARRAS JUNYAWATANABE MISSONI ALBERTAFERRETTI MARQUESALMEIDA Capa em lã estampada, Valentino.
  42. 42. 46 VOGUE MODA INVERNO 2015 IN VOGUE novos românticos OS COLETES TÊM APLICAÇÕES QUE RELEMBRAM CASACOS MILITARES. A olho nuA seda, a renda e o chiffon são os tecidos de eleição para as blusas e camisas que se querem transparentes. CORTES CLÁSSICOSOs casacos mais compridos devem ter a cintura marcada, por isso os redingotes são os eleitos, em cores marcantes e vivas como o vermelho. LANVIN ROBERTOCAVALLI JWANDERSON ROBERTOCAVALLI ISABELMARANT HAIDERACKERMANN DSQUARED2 SAIAS COM ABERTURAS Camisa em seda, Dolce & Gabbana. Camisa em renda, Just Cavalli. CASACO MILITAR
  43. 43. 48 VOGUE MODA INVERNO 2015 FOTOGRAFIA:VERONICAMORALESANGULO;GETTYIMAGES;D.R.  RevivalOs ténis com estampados em xadrez são um complemento perfeito para as saias e calças. BAD GIRLSO rei do rock ‘n’roll está vivo na imaginação dos designers, e ganhou camadas punk e glam. o inverno da personalidade e do styling, há duas boas razões para (re)ver Cry Baby, o musical teen queJohnWatersassinounadécadade90.Aprimei- ra é lembrar-nos de um Johnny Depp imberbe, ele- ganteeirónico(desdeAlicenoPaísdasMaravilhas, de Tim Burton que não o vemos); a segunda é o facto de, em menos de 90 minutos, nos conseguir explicar quase tudo sobre o rockabilly adaptado aos tempos modernos. Mais de 20 anos mais tarde, é acrescentar-lhe os estampadosaxadrezados,oslaçoseodenimdaestação(jápara não falar das tatuagens) para fazer nascer algo novo. A Moda é perita nisso mesmo e transformou o look, vestido pela primei- ra vez nos anos 50, à boleia da cultura dos gangues e da música de Elvis Presley e de Johnny Cash. As referências femininas, como as franjas curtas, os rabos de cavalo, o batom vermelho, os óculos escuros cat-eyes, e os len- ços (na cabeça ou atados justos à volta do pescoço), são mis- turadascomoladomasculinodatendência,quesaltaàvistanos fatos,nosblusõesdecabedalenosblazers.Atéasmeiasbrancas espreitam entre sapatos rasos e calças de fato curtas. n R.M.C. NCALÇAS CURTAS OS BLAZERS JUSTOS SÃO ESSENCIAIS. Em ganga, Guess by Marciano. JOHNGALLIANO Rockabillies no festival Hemsby Rock n’ Roll Weekender, 2011. Leeds, 1976. IN VOGUE rockabily Ténis em pele, Comme des Garçons.
  44. 44. 49VOGUE MODA INVERNO 2015 MISTURA INVULGAROs estampados de xadrez e riscas conjugam-se sem medos. Os volumes são muito importantes, por isso as proporções entre as saias, os casacos e as camisas têm de ser diferentes. OS FATOS SÃO FEITOS DE CALÇAS JUSTAS E BAINHAS CURTAS. LAÇOSPAUL&JOEGUCCIPHILOSOPHYDILORENZO VERONIQUEBRANQUINHO PAUL&JOE BLUGIRL SAINTLAURENT DKNY ROBERTOCAVALLI XADREZCalças em lã, Mango.
  45. 45. 50 VOGUE MODA INVERNO 2015 IN VOGUE minimalismo MENOS ÉMAISNo livro de histórias desta estação, o essencial é visível aos olhos. Em linhas simples, mas não simplistas, a Moda apaixona-se por uma certa sobriedade. less is more do minimalismo nunca foi tão evidente como agora. Fartos da festa da Moda, os designers comprometeram-se com um detox que voltou a captar a nossa atenção para o verdadeiro foco da criação. Os japoneses Rei Kawakubo e Yohji Yamamoto, arqui- tetoscomoMiesvanderRoheeadesignerdeModaalemãJilSander constam nas referências artísticas bê-á-bá da doutrina minimal, quecomeçouadarnasvistasnosanos60.Confuso?Numasóima- gemdeestilo,paraasmemóriascurtaseparaosquefaltaramàsaulasdeHistória de Arte: Kate Moss na década de 90. A ideia era criar uma linguagem universal da arte, que sintetizasse a necessi- dade de buscar a essência construtiva, abolindo toda a estética e a informação desnecessárias. E pelas mesmas razões, agora, chega-nos um novo sopro de ar fresconaspropostasparaesteoutono/inverno.Silhuetasfluidaseodepuramento de linhas revelam o corpo de forma desalinhada, com coletes, calças curtas e malhas no centro da ação. Christian Dior e Valentino focaram-se na essência da Moda, mas foi em Marni que assistimos à tradução máxima da tendência, numa guerreira moderna que, de pele quase limpa e cabelo puxado para trás, desfilou coberta de firmes camadas de roupa: luxo e personalidade. n P.D. OOS GILETS EM MALHA MULTIPLICAM-SE EM NOVAS FORMAS. PACORABANNE BCBGMAXAZRIA DEREKLAM Edifício BMW em Munique.
  46. 46. 51VOGUE MODA INVERNO 2015 CONCEPT DESIGNA experimentação de formas e sobreposições de materiais, embora respeitem a silhueta longilínea, tornam o look mais elaborado. CASACOS DE CORTE DIREITO MALHAS EDUN JILSANDER CARVEN BCBGMAXAZRIA DKNY CÉLINE HERMÈS STELLAMCCARTNEY Casaco em lã, Max Mara.
  47. 47. 52 VOGUE MODA INVERNO 2015 FOTOGRAFIA:D.R. IN VOGUE minimalismo NOVAS ESTRUTURASA sobreposição de peças com pouca estrutura relembra os primeiros desfiles de Yohji Yamamoto e Comme des Garçons e revive os anos áureos do minimalismo. COLETES AcessóriosO design depurado e de formas geométricas está em pulseiras, colares, brincos e principalmente em anéis XXL. Pulseira em metal, Carven. OS VESTIDOS DEVEM SER MINI OU MAXI. YOHJIYAMAMOTO DEREKLAM MARNI CÉLINE PRABALGURUNG VICTORIABECKHAM DKNY
  48. 48. 53VOGUE MODA INVERNO 2015 REALIZAÇÃO:ANACAMPOS.FOTOGRAFIA:VERONICAMORALESANGULO;GETTYIMAGES;D.R. CAMISOLAS Conjugações As camisolas mais compridas confundem-se com vestidos e usam-se sobre calças ou saias. Fatos da estaçãoCasacos, camisolas, túnicas e tops devem ser usados nos mesmos tecidos das calças. CALÇAS DIREITAS E LARGAS ABAIXO DO JOELHO. Calças em lã, Valentino. DKNY VICTORIABECKHAM CEDRICCHARLIER JILSANDER NINARICCI BERNARDCHANDRAN HERMÈS KENZO AS CAMISAS MAIS COMPRIDAS PODEM SER USADAS COMO VESTIDOS OU TÚNICAS.
  49. 49. 54 VOGUE MODA INVERNO 2015 IN VOGUEmod’s Golas altas As camisolas em malha lisas são em tons vivos ou neutros. Quando há desenhos, estes são feitos pelos pontos da malha e não estampados. MODOS DEVIDAEntrou em cena o novo Mod, todo ele arte, música e estilo. Chegou para vestir o nosso lado mais girly, mas sem nos obrigar a abdicar do cool. uando achávamos que os anos 60 já não conseguiam acrescentarnadaaonossoguarda-roupa,eisqueosdesig- ners decidiram tirar o Mod do baú. Com origens na sub- cultura arty da Inglaterra do fim dos anos 50, começou pelos homens, mas rapidamente conquistou as mulheres com um estilo vindo do jazz (Mod é a versão curta de Modernists, uma referência ao progressismo daquele género de música), as minissaias e as cores primárias tão sixties,oeyelinerpretoexageradoalémdaspálpebras,aenergiadosroc- kers(aquemdepoissejuntaramemsinergiadeestilo)easVespascomo meio de transporte preferido. Os adeptos do Mod eram tão dedicados quehaviaquemserecusasseaparticiparemfestasdesexo,drogaserock ‘n’roll onde não houvesse um ferro de engomar para depois. Em pleno século XXI, o movimento perdeu em significado cultural, masganhouempinta.Subiu-nosabainhadassaias,fez-nosolharpara os fatos masculinos com olhos de cor e textura e reconciliou-nos com os motivos mais gráficos e psicadélicos da estação. Se os avós do Mod falassem, diriam que estamos mais modernos do que nunca. n R.M.C. Q FITAS DE CABELO OS FATOS ESTAMPADOS COORDENAM-SE COM CAMISOLAS LISAS. Milva em Itália, 1970. Camisola em malha de lã, Stella McCartney. Camisola em malha de caxemira, Agnona. DELPOZO TOD’S CARVEN FENDI APLICAÇÕES GIAMBATTISTAVALLI
  50. 50. 55VOGUE MODA INVERNO 2015 AS GOLAS DOS VESTIDOS PODEM LEMBRAR AS DOS POLOS VETORESOs estampados gráficos tornam a silhueta mais longilínea, em vestidos, tailleurs ou casacos e em look total. Quando misturados, devem ter sempre uma cor em comum. PAUL&JOE CHLOÉ CALVINKLEIN JUSTCAVALLI BOTTEGAVENETA VALENTINO TORYBURCH LACOSTE LOUISVUITTON AQUILANORIMONDI JILLSTUART EMILIOPUCCI LAÇADAS E VESTIDOS REALIZAÇÃO:ANACAMPOS.FOTOGRAFIA:VERONICAMORALESANGULO;GETTYIMAGES;D.R.
  51. 51. 56 VOGUE MODA INVERNO 2015 IN VOGUE mod’s VESTIDOS WALLPAPERNesta estação, são muitos os padrões que relembram os papéis de parede dos anos 60 com todas as suas tonalidades e motivos orgânicos. Estes estampados brincam com diferentes tons da mesma cor. OS CASACOS SÃO SEMPRE ACIMA DO JOELHO. Carteira em pele estampada, Prada CAROLINAHERRERA CHRISTIANDIOR CHRISTIANDIOR SALVATOREFERRAGAMO LOEWE CHRISTIANDIOR DELPOZO MUGLER LANVIN CÉLINE CALVINKLEIN ERDEM GIAMBATTISTAVALLI BLUGIRL
  52. 52. 58 VOGUE MODA INVERNO 2015 1. Óculos em plexiglass, ¤ 19,99, Mango 2. Casaco em seda, ¤ 59,95, Zara. 3. Vestido em seda estampada, ¤ 120, Guess. 4. Casaco em algodão estampado, ¤ 179, Sisley. 5. Saia em camurça bordada a seda, ¤ 39,95, Zara. 6. Pumps em pele, ¤ 145, Bimba & Lola. 7. Colar em metal e plexiglass, ¤ 29,95, Sisley. 8. Saia em seda, Globe. 9. Blusa em seda estampada, ¤ 49,99, Mango. 10. Carteira em pele, ¤ 173, Tosca Blu. VINTAGE WORLDÉpocas e culturas cruzam-se no revivalismo das peças em segunda mão. HO PINP GS classe económica 1 2 3 4 7 6 5 9 8 10 MARCBYMARCJACOBS BOTTEGAVENETTA MIUMIU BURBERRYPRORSUM
  53. 53. 59VOGUE MODA INVERNO 2015 PUNK ROCKNuma atitude irreverente e revolucionária, o estilo punk associa-se a uma linguagem visual depurada dando voz ao mote “faça você mesmo”. 1. Top em algodão, ¤ 25, Cheap Monday. 2. Vestido em algodão e pele, ¤ 120, Guess. 3. Body em polipele e renda, ¤ 69,90, Intimissimi. 4. Botins em pele, ¤ 49,95, Zara. 5. Clutch em camurça e metal, ¤ 343, Furla. 6. Sandálias em pele e metal, ¤ 395, Pedro García. 7. Brincos em prata de lei com cristais, ¤ 69, Aristocrazy. 8. Saia seda revestida a lantejoulas, ¤ 22,90, Tezenis. 1 2 3 4 5 6 7 8 SAINTLAURENT ALEXANDERWANG BALENCIAGADIESEL REALIZAÇÃO:ANACARACOL.FOTOGRAFIA:VERONICAMORALESANGULO;D.R.
  54. 54. REALIZAÇÃO:ANACARACOL.FOTOGRAFIA:VERONICAMORALESANGULO;D.R. 60 VOGUE MODA INVERNO 2015 SHOPPING classe económica GLAMOURElegância e bom senso. Silhuetas femininas com cinturas marcadas, brilhos, metais, lantejoulas, pelos e purpurinas - vale tudo para um look sensual. 1. Top em seda estampada revestida a lantejoulas, Twin Set. 2. Casaco em pelo, ¤ 650, Hoss Intropia. 3. Pulseira em plexiglass, ¤ 20, Cheap Monday. 4. Calças em seda com lurex, ¤ 245, Hoss Intropia. 5. Clutch em pele metalizada, ¤ 178, Tosca Blu. 6. Pulseira em metal com cristais, ¤ 19,95, United Colors of Benetton. 7. T-shirt em algodão revestido a lantejoulas, ¤ 19,90, Tezenis. 8. Vestido em seda revestido a lantejoulas, ¤ 99,95, Sisley. 9. Sandálias em seda com cristais, Pedro García. DOLCE&GABBANA MARQUES’ALMEIDA RALPHLAUREN LAURABIAGIOTTI LOEWE 1 2 3 4 5 6 7 9 8
  55. 55. 61VOGUE MODA INVERNO 2015 Os anos 70 revisitados com padrões florais, camurças, patchworks e as franjas numa atitude boémia. 1. Óculos em acetato, Dolce & Gabbana. 2. Botins em pele bordada, ¤ 199, DKode. 3. Calças em seda, H&M Studio. 4. Vestido em seda, ¤ 99,95, Massimo Dutti. 5. Carteira em pele, ¤ 188, Tosca Blu. 6. Colar em metal e plexiglass, ¤ 69, Uterqüe. 7. Casaco em camurça, ¤ 129,99, Mango. 8. Camisola em malha de seda, Twin Set. 9. Botins em camurça, ¤ 59,95, Zara. LIBERDADE 1 2 3 4 5 6 7 8 9 BURBERRYPRORSUM LUISABECCARIA ALBERTAFERRETTI CHLOÉ CHLOÉ
  56. 56. 62 VOGUE MODA INVERNO 2015 SHOPPING classe económica ANTÁRTIDAO conforto das malhas, dos cortes fluídos e dos pelos felpudos e macios são indispensáveis, e em branco, neste inverno. 1. Mochila em pele, ¤ 135, Cos. 2. Cachecol em lã, ¤ 39,95, Sisley. 3. Óculos em acetato, ¤ 211, Miu Miu. 4. Calças em seda, ¤ 49,99, Mango. 5. T-shirt em algodão e croché, ¤ 49,95, Sisley. 6. Gorro em malha de algodão, ¤ 25, Pepe Jeans. 7. Ténis em pele, ¤ 35,95, Zara. 8. Casaco em lã, ¤ 241, Liu Jo. 9. Vestido em seda, Hoss Intropia. 1 2 3 4 5 6 7 8 9 STELLAMCCARTNEY STELLAMCCARTNEY PAUL&JOE FENDI REALIZAÇÃO:ANACARACOL.FOTOGRAFIA:VERONICAMORALESANGULO;D.R.
  57. 57. 63VOGUE MODA INVERNO 2015 1. Colar em metal com cristais, ¤ 29,95, United Colors of Benetton. 2. T-shirt em veludo, ¤ 55, Cheap Monday. 3. Casaco em lã, ¤ 395, Purificación García. 4. Botins em pele, ¤ 454, Luís Onofre. 5. Anel em prata de lei, ¤ 29, Aristocrazy. 6. Vestido em renda, ¤ 367, Pinko. 7. Blusa em renda, Twin Set. 8. Botins em pele, ¤ 125, Uterqüe. 9. Blusa em seda, ¤ 100, Guess. DARK SIDETons negros, rendas e transparências com elementos vitorianos recriam o estilo da subculturagótica das décadas 70 e 80. 1 2 3 4 5 6 7 8 9 VALENTINO OSCARDELARENTA VIVIENNETAMGUCCI
  58. 58. 64 VOGUE MODA INVERNO 2015 SHOPPING classe económica 1. Laço em veludo, ¤ 22,90, Lion of Porches. 2. Colete em algodão, ¤ 49,95, Zara. 3. Trench coat, ¤ 129, Massimo Dutti. 4. Chapéu em feltro, ¤ 49, Uterqüe. 5. Carteira em pele, ¤ 24,99, Parfois. 6. Sapatos em pele, ¤ 189, Liu Jo. 7. Relógio em aço, ¤ 252, Calvin Klein. 8. Blazer em lã, ¤ 69,99, Mango. 9. Calças em lã, ¤ 35,99, Mango. BOLSA DE VALORESNeste inverno, as passerelles vestiram-se com fatos de diferentes cortes e materiais mantendo imperativa a tendência masculina. 1 2 3 4 5 6 7 8 9 GUCCI CHANEL GIORGIOARMANIBLUGIRL
  59. 59. 65VOGUE MODA INVERNO 2015 ALGODÃO DOCECores pastel unem-se a amarelos ácidos para recriar o universo das princesas da Disney. 1. Casaco em pelo, ¤ 611, Manoush. 2. Camisola em pele e pelo, Purificación García. 3. Colar em metal com cristais, ¤ 29,90, Salsa. 4. Calças em ganga, ¤ 39,99, Mango. 5. Vestido em seda com cristais, ¤ 545, Manoush. 6. Vestido em seda com penas, ¤ 240, Hoss Intropia. 7. Sabrinas em PVC, ¤ 75, Melissa. 8. Casaco em lã, ¤ 119, Sisley. 9. Óculos em acetato, ¤ 130, Dolce & Gabbana. 10. Carteira em PVC e pele, ¤ 207, Furla. DOLCE&GABBANA MARYKATRANTZOU PRADAMICHAELVANDERHAM 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 REALIZAÇÃO:ANACARACOL.FOTOGRAFIA:VERONICAMORALESANGULO;D.R.
  60. 60. 66 VOGUE MODA INVERNO 2015 SHOPPING classe económica 1. Chapéu em feltro, ¤ 159, Patrizia Pepe. 2. Vestido em lã, ¤ 150, Globe. 3. Luvas em lã, ¤ 24,95, United Colors of Benetton. 4. Casaco em lã, ¤ 265, Globe. 5. Vestido em lã, ¤ 215, Purificación García. 6. Saia em camurça, ¤ 39,95, Zara. 7. Brincos em metal e plexiglass, Parfois. 8. Botins em PVC, ¤ 35, Bimba & Lola. 9. Casaco em lã, ¤ 189, Sisley. 10. Carteira em pele, ¤ 230, Tosca Blu. ANOS 60A forte influência da década 60 manifesta-se nas cores fortes, nos estampados gráficos e nos cortes evasé. 1 2 3 5 6 7 8 9 10 GUCCI GIORGIOARMANI CHRISTIANDIOR MARNI GUCCI REALIZAÇÃO:ANACARACOL.FOTOGRAFIA:VERONICAMORALESANGULO;D.R. 4
  61. 61. Little Black Dress, por Coco Chanel Outubro, 1926, Vogue americana A Vogue foi lançada em 1892 na cidade de Nova Iorque e rapidamente se transformou na revista de Moda mais influente do mundo. Em 1926, Coco Chanel publicou uma fotografia de um pequeno vestido preto na Vogue americana. O vestido, de comprimento médio, design intemporal e linhas retas, transformou-se numa espécie de uniforme para todas as mulheres de bom gosto. Se sai na Vogue, sai para a rua. ANTES DE SAIR À RUA, SAI NA VOGUE vogue.pt
  62. 62. BoémiaOs estampados e as aplicações étnicas são inspiradas nas silhuetas hippie chic da década de 70. CÓDIGO DAESTRADANa passerelle criam-se tendências, na rua damos-lhes vida com uma dose de styling e personalidade própria. A BOLSA DE CINTURA COMPLEMENTA A CARTEIRA. E TILOS stret sty e PULSEIRAS O casaco e a carteira Chanel são complementos perfeitos. Anna Dello Russo Laura Jackson com clutch Chanel. Casacos etnicos cheios de aplicações. Celine Aagaard Elina Halimi com pulseiras Hermès.
  63. 63. 69VOGUE MODA INVERNO 2015 Nova góticaO gótico do século XXI conserva o cabelo descolorado e os batons escuros, misturando-os com peças contemporâneas, como os óculos de sol espelhados. VINTAGE A FITA NEGRA É USADAS COMO LAÇADA. FINA PARA AS MAIS ROQUEIRAS, LARGA PARA AS LADY LIKE. O VINIL SUBSTITUI A PELE EM BOTAS E BOTINS. Josephine Panel com óculos Rick Owens. Chiara Ferragni com botas Dior. Anya Ziourova com look integral Dior. Ulyana Sergeenko Ekagterina Smirnova com vestido Ulyana Sergeenko. Sofia com blusão sobre blazer.
  64. 64. 70 VOGUE MODA INVERNO 2015 ESTILO stret stye VESTIDOS E SAIAS PLISSADAS PARA UM LOOK INTEMPORAL. Sinal vermelhoO vermelho ou o dourado são apostas ganhas para um look total sólido e sofisticado. Visuais urbanosA sobreposição de vestidos e tops marca a diferença esta estação. GALOS MASCULINO Exterior do desfile Versace Atelier. Gilda Ambrosio com vestido Loewe. Irina com carteira Ulyana Sergeenki. Giovanna Battaglia Hannah Elliott com vestido vintage. Lucy Anderson com fato Kooples e carteira Louis Vuitton. Athitaya Putthapirom com camisa Maison Margiela.
  65. 65. 71VOGUE MODA INVERNO 2015 AS CARTEIRAS DESTE INVERNO DEVEM CONTRASTAR COM O LOOK ESCOLHIDO, NAS CORES, NAS TEXTURAS OU NO FORMATO. OS VESTIDOS ESTAMPADOS RECORDAM OS ANOS 70. ARNÊS PendentesOs colares são essenciais esta estação, especialmente as gargantilhas. Quanto mais longos, maiores os pendentes. Clutch em pelo, Zara. Clutch boradada, Sarah. Zina Charkoplia com carteira Fendi. Carola Bernard com casaco Joseph e calças Sly 010. Tatiana Makrinova com camisa COS. Colar, Chanel. Marjan Jonkman com vestido Prada.
  66. 66. FOTOGRAFIA:D.R. ESTILO stret stye AS CAMISAS PODEM SER USADAS POR BAIXO Punk chiqueAs tendências anárquicas do punk revelam- -se com uma nova elegância e através de aplicações e acessórios. MOCHILA O LOOK MILITAR RECORRE AOS CASACOS DOS OFICIAIS DA MARINHA, ASSERTOADOS E EM TONS DE AZUL-ESCURO. PODE CONJUGÁ- -LOS COM AS TÍPICAS CAMISOLAS DE RISCAS. DE VESTIDOS E DE FATOS- -MACACO. Casaco em lã com sweat shirt em algodão. Celine Aagaard Turbante com crista em pelo. Mochila em pele, MCM. Fato-macaco em lã e camisa em algodão. Olga Karput
  67. 67. 73VOGUE MODA INVERNO 2015 FOTOGRAFIA:D.R. OS OPOSTOS ATRAEM-SE: A SILHUETA RETA DAS CALÇAS DIREITAS OU PATA DE ELEFANTE CONTRASTA COM AS FORMAS OVAIS DAS CAPAS. AS CARTEIRAS PEQUENAS TAMBÉM SE USAM A TIRACOLO. PELE NATURAL MinimalAs propostas mais fluídas são valorizadas com sobreposições de camisolas, coletes ou casacos que fogem às regras tradicionais. OS PADRÕES EM LOOK TOTAL. Capa em lã sobre camisola de gola alta. Calças pata de elefante. Elina Halini com fato Giambattista Valli. Visalia Gusarova com carteira Carven. Sophie Hill com vestido Ports 1961. Cherrie Mun e Evangelie Yan com vestidos Rick Owens. Susie Lau com vestido e carteira, Louis Vuitton. Casaco em camurça com pelo. Elena Perminova
  68. 68. 74 VOGUE MODA INVERNO 2015 ESTILO campanhas DISCURSO DIRETO CASA DE PARTIDAA irreverência chique da Pepe Jeans regressa ao icónico bairro que a viu nascer. West London é o cenário da nova campanha. m Always London a marca londrina revive o pas- sado com o acordar numa manhã pós-festa em que o uptown e o downtown de Nothing Hill se misturam. Um grupo de amigos relaxa ao som da música,enquantorecordaasaventurasdanoiteanteriorefaz planos para o resto do dia. Num ambiente descontraído em que a ganga é rainha, o boémio sofisticado e o estilo rock star dos anos 70 são capturados pela lente do fotógrafo Glen Luchford.AmodeloJourdanDunneMatthewHitt,frontman da banda Drowners (e namorado de Dakota Johnson), são os protagonistas desta campanha, que recebe o carimbo da agência criativa Spring Studios. O OLHAR DE UM FOTÓGRAFO NAS RUAS E UMA REALIDADE SUBJETIVA. AS ESTRANHAS POSES DE UMA MULHER PENSATIVA, INDEPENDENTE E FORTE. ROSTOS E CORPOS DIFERENTES, NA IDADE E NA COR. SÃO DETALHES QUE TORNAM A MODA MAIS REAL NESTE OUTONO/INVERNO. JOURDAN DUNN Como é o teu dia perfeito de descanso em casa? De pijama com o meu filho, a ver filmes da Disney e da Marvel, a jogar Super Mario e a terminar com um bom caril feito por mim. Descreve-nos os teus jeans perfeitos? Têm que ter um efeito lift no rabo e fazê-lo mais bonito e firme. E como tenho pernas altas e esguias, tem que ter o tamanho certo. Que música tens ouvido ultimamente? Estou a adorar o novo álbum de Kendrick Lamar. Também ando a ouvir J. Cole e Sia. MATTHEW HITT Descreve-nos os teus jeans perfeitos? São aqueles que servem, o que soa um pouco ridículo, mas é difícil encontrar uns que sejam skinny e longos o suficiente. O bairro de West London alguma vez inspirou as tuas canções? Sem dúvida! Sempre que aqui venho faço questão de não usar earphones. Já escrevi imensas letras só de ouvir pessoas a discutir na rua. Agora que vives em Nova Iorque, o que é que te deixa com mais saudades de Londres? Os pubs, porque são um espaço onde encontramos um mix de pessoas únicas. E o humor britânico, sobretudo o dos londrinos.
  69. 69. 75VOGUE MODA INVERNO 2015 FOTOGRAFIA:D.R. INDOMÁVELNuma viagem até ao faroeste americano, a Bimba & Lola apresenta-nos a sua proposta para a estação fria. Reinterpretando o imaginário dos cowboys e dos índios, a marca espanhola desenhou silhuetas de corte simples em camurça e cabedal. Um universo cheio de força e simbolismo evidencia uma mulher que revela o seu lado mais feminino fundindo-se com os elementos. Os estampados continuam a definir a marca, desta vez com cowboys, cavalos, estrelas, águias, luvas e tendas de índio. Buffalo Bill, herói da cultura popular norte- -americana, dá o nome à coleção e campanha, fotografada pelo duo ucraniano Synchrodogs. A dupla continua a ser o par perfeito da Bimba & Lola, captando mais uma vez a rebeldia e a ironia que tanto a caracterizam. Isthisthe reallife? Em SERIES 3 da Louis Vuitton (à direita), Nicholas Ghesquière quis representar a diversidade feminina pelas lentes de Jürgen Teller e Bruce Weber. Para a Miu Miu, Steven Meisel fotografou raparigas sofisticadas nas ruas de Nova Iorque. Já na Marni, a mulher surge em destaque, concentrada nos seus pensamentos e despreocupada com a roupa desalinhada. ma it bag e uma it girl no bairro mais cool de Miami marcam a campanha de outono/inverno da Longhamp. Le Pliage Héritage Mini brilha ao ombro de Alexa Chung enquanto as paredes grafitadas de Wynwood District são o cenário eleito para dar força à nova coleção, inspirada pelo movimento vanguardista Memphis e pela estética deste lugar mítico. A musa britânica Alexa Chung volta a ser escolhida para retratar a mulher urbana da Longchamp. Alexa Chung foi a anfitriã do jantar da Longchamp em Nova Iorque. FATOR IT
  70. 70. estacar o design nacional importa numa altura em que nos tentamos aproximar do que é nosso. A ideia é realçar o que se faz de bom num País que cada vez mais valoriza os seus produtos e as suasraízes.Osdesfilesportuguesesdividiram-se em fins de semana entre Lisboa e Porto, entre a ModaLisboa e o Portugal Fashion. A conclusão reflete uma indústria nacional em plena evolução: há propos- tas que seguem tendências globais, mesmo que por vezes a mensagem se perca na dificuldade de apresentação de alguns criadores. Ainda assim, o balanço é positivo, tanto nas pers- pectivas de design mais mainstream, como no campo do design de autor, onde por vezes a linguagem é muito própria sem nunca deixar de ser relevante. n A.C. D ESTILO designers portugueses 76 VOGUE MODA INVERNO 2015 EXEMPLOS ASEGUIRAs propostas nacionais seguem as tendências internacionais e conjugam-se com as diferentes inspirações da nova temporada. VALENTIMQUARESMA
  71. 71. 77VOGUE MODA INVERNO 2015 ANIVERSÁRIO Luís Buchinho comemora 25 da sua marca em nome próprio com a coleção Comics, que salienta o ADN do designer em sobreposições e misturas de materiais e formas. ASSIMETRIAS Dourado Não foram muitos os designers a apostar nesta cor, à exceção de Nuno Balazar e Aleksandar Protic, que não esqueceram o dourado nos seus desfiles. PRETO A cor da estação fria por excelência continua a ser predominante em todas as propostas, das mais sexy e estruturadas às mais concetuais e fluidas. AS VÁRIAS TONALIDADES DE BRANCO VESTEM-SE EM LOOKS TOTAIS. ALEXANDRAMOURA HUGOCOSTA SAYMYNAME KATTYXIOMARA NUNOBALTAZAR ALEKSANDARPROTIC FILIPEFAÍSCA DIOGOMIRANDA ALEKSANDARPROTIC CARLOSGIL JOÃOMELOCOSTA DANIELABARROS MIGUELVIEIRA LUÍSBUCHINHO
  72. 72. 78 VOGUE MODA INVERNO 2015 ESTILO designers portugueses BRILHOS PRECIOSOS As aplicações e os materiais brilhantes podem ser usados em todas as horas do dia, mesmo nas mais descontraídas. As malhas adaptam-se a todas as inspirações. 2 em 1Os fatos de macaco ganham uma nova sensualidade através dos cortes nos decotes. Chapéus Dino Alves e Nuno Baltazar destacaram-se no universo dos acessórios, apostando nos essenciais chapéus de abas largas. OS COLETES SÃO OS NOVOS CASACOS. REALIZAÇÃO:ANACAMPOS.FOTOGRAFIA:MODALISBOA;PORTUGALFASHION. SUSANABETTENCOURT LUÍSCARVALHO JOÃOMELOCOSTA LIDIJAKOLOVRAT TERESAMARTINS PEDROPEDRO RICARDOPRETO DINOALVES LUÍSCARVALHO LUÍSBUCHINHO EDUARDOAMORIM NUNOBALTAZAR ANABELABALDAQUE
  73. 73. JOGO DE CONTRASTES A conjugação do preto e do branco é um dos pontes fortes da estação. Surge em estampados e em misturas de peças lisas nas duas cores. SAPATOS Os materiais com brilho próprio, como o vinil ou a pele, usam-se também em look total. Texturas felpudasPelo ou pelúcia, para vestir em look total ou aplicados em diversos tipos de peças, dos casacos às saias ou mesmo às camisolas de lã. REALIZAÇÃO:ANACAMPOS.FOTOGRAFIA:MODALISBOA;PORTUGALFASHION. CARLOSGIL ALEKSANDARPROTIC CARLOSGIL ALEXANDRA MOURA FILIPEFAÍSCA LUÍSBUCHINHO JOÃOMELOCOSTA LUÍSBUCHINHOFÁTIMALOPES GOLDMUDDKODESÍLVIAREBATTOFLYLONDON LUÍSONOFRENOBRAND DIOGOMIRANDA LUÍSBUCHINHO ANABELABALDAQUE
  74. 74. 80 VOGUE MODA INVERNO 2015 ESTILO designers Mocassins Gomino em pele com aplicações em metal lacado e pele envernizada, Tod’s. NECK DRESS O que é um neck dress? O melhor é falar com Ana Baleia, a responsável por estes inovadores acessórios de Moda (que já se venderam no MOMA) ou visitar a página da marca em Facebook.com/neckdress. Se estas páginas fossem perfis de rede social, eram estes os nossos likes. Portugal tem talento e, dúvidas houvesse, estas marcas comprovam-no com a sua fornada de propostas para 2015. NOVAS APOSTAS PEDRO NETO Venceu o concurso Bloom com uma coleção inspirada na obra Self-Burial do fotógrafo Keith Arnatt. O aspeto polido e dramático dá ao designer, natural de Santo Tirso, o “gosto” da Vogue. Facebook.com /pedroneto TERESA ABRUNHOSA O seu conceito direcionado para o feminino e sensual e os estudos dedicados às Belas- -Artes tornaram-se visíveis na coleção da temporada fria apresentada no Espaço Bloom do Porto. A nossa peça preferida? O casaco que mistura pelo e lã. www.teresa-abrunhosa.com DANIELA BARROS Desde que se formou, em 2008, que somos fãs da sua roupa. Agora, damos luz verde aos acessórios, em particular às mochilas e às bolsas de cintura. Facebook.com/DANIELA BARROSSITE DOS SANTOS Joalharia tradicional trabalhada de forma grotesca: é assim que podemos definir a Dos Santos, que nos encantou com este anel em ouro e diamantes inspirado nas oliveiras (e que encontra em www.by-pt.com). CARPA A marca de acessórios portugueses rege-se pela qualidade dos materiais aliada a um design clássico contemporâneo. Apaixonámo-nos por esta mala para portáteis que está à venda em www.by-pt.com. GREEN BOOTS Mas não são verdes. São botas sustentáveis, com herança dos anos 50 e 100% portuguesas (embora andem nos pés do mundo). www.greenboots.pt BANDA Aloísio Rodrigues e Tiago Loureiro formam uma banda que nada tem a ver com música, mas com Moda. Participaram na plataforma Sangue Novo da ModaLisboa e chamaram a atenção da Vogue. banda.maincontact @gmail.com
  75. 75. 81VOGUE MODA INVERNO 2015 TEXTO:PATRÍCIADOMINGUES.FOTOGRAFIA:MODALISBOA;PORTUGALFASHION;D.R. SYO Sylvie Castro criou a Syo, uma marca de joalharia voltada para o património, para a cultura e as tradições portuguesas. Sylvie aposta todas as suas luxuosas fichas na arte milenar da filigrana. www.syoluxury.com IMELDA’SECRET Imelda Marcos era adicta de sapatos, mas quando lançou a sua marca deixou de ser segredo. Movida pelo fator de feminilidade e mix de materiais exóticos, o seu calçado bate certo com as tendências desta estação. imeldasecret.com BAGUERA A clutch Vectory já é rapidamente reconhecida, mas a Baguera, a marca de Branca Cuvier, tem mais peças cool para oferecer. www.baguera.eu EDUARDO AMORIM Estagiou com Nuno Baltazar e faz parte da plataforma Bloom do Portugal Fashion. Conquistou-nos com o seu estilo entre o clássico e o desportivo e as suas mochilas são um dos most wanted. Facebook.com/ EduardoAmorimAtelier CRISTINA REAL Depois de estagiar com Alexandra Moura, Cristina Real lançou-se por conta própria na plataforma Sangue Novo da ModaLisboa, em março de 2014. O cuidado com os apontamentos e os acessórios recebem o nosso aval. Facebook.com/ cr.cristinareal PAULINO SPECTACLES Portugal está voltado para a indústria dos óculos de sol e a Paulino Spectacles mostra que tem visão. Uma empresa com herança familiar, os óculos são cuidadosamente produzidos de forma manual, conjugando conforto, durabilidade e design atual. www.paulinospectacles.com HUGO COSTA Em setembro de 2010 ganhou espaço no Portugal Fashion e, desde então, não conseguimos tirar os olhos das suas criações. Esta estação é aposta ganha nas coleções de mulher. www.hugocosta.pt HIBU Nasceu em 2012 pela mente de Marta Gonçalves, Gonçalo Páscoa e Nuno Sousa. Guiada por motivos urbanos, a marca apresenta roupa e acessórios com uma estética desconstruída, minimal e antigénero. www.hibu-studio.com Foram as malhas, o estilo minimal e uma estética sofisticada que marcaram a diferença da Klar (de Alexandre Marrafeiro, Andreia Oliveira e Tiago Carneiro) no espaço para jovens designers do evento portista de Moda. www.k-l-a-r.com KLAR
  76. 76. Quando, no final dos anos 90, o Portugal Fashion decidiu juntar Moda e indústria à mesma mesa, poucos acreditaram que um certame tão jovem (e ainda sem a melhor das reputações) conseguisse abrir-lhes o apetite. Numa primeira e ingénua edição, que acabaria por ficar para a História, o Portugal Fashion Jovens à Moda do Porto chegou com um enorme bang. Ou melhor, com uma constelação de supermodelos que incluiu Claudia Schiffer, Elle Macpherson, Helena Christensen ou Carla Bruni, as atenções da CNN e da revista iHola! concentradas na recém-inaugurada sede da Associação Nacional de Jovens Empresários (ANJE). A ideia era apenas assinalaros10anosdaassociaçãoeagitarumpoucoascoisas.“Queríamos celebrar o nosso aniversário e organizámos uma festa na nossa escadaria, não pensávamos ir muito além disso”, lembra Manuel Serrão, na altura vice-presidente da associação. “Vinte anos depois, o Portugal Fashion dei- xou de ser social para se transformar num evento profissional”, analisa. Mas não foi fácil chegar aqui. Logo na segunda edição, um incêndio impe- diu a concretização do evento, que se havia mudado para o Coliseu do Porto, sala emblemática para a cidade e para todos os envolvidos. “Foi difí- cil, mas a solidariedade que ali se gerou, entre organização e modelos, tor- nou-o um dos momentos mais simbólicos… deixou-nos determinados”, conta Manuel. Um mês mais tarde, reconstruíam a mesma edição do zero, agora no Palácio de Cristal. Luís Buchinho, que este ano também assinala os seus 25 anos de carreira, partilha as mesmas memórias de entusiasmo e inovação. “A primeira edi- ção estava envolta numa grande excitação por causa da vinda de todas aquelas top models, especulava-se a quem calharia quem, como as iríamos vestir, etc.”, conta o criador. “Lembro-me de ficar supercontente por con- segui apresentar a coleção para o verão de 1996 [nos primeiros tempos, havia apenas uma edição por ano em vez das atuais duas] e que o media- tismododesfileteveumimpactoimediatonasvendas,queeraprecisamen- te o que eu queria que acontecesse.” As suas propostas acompanharam a evolução do Portugal Fashion ao longo das duas décadas seguintes, tanto namarcaemnomepróprio,comonassuascriaçõesparaaJotex.“Foimuito importante para mim poder fazer isso”, admite. “Deu-me uma ginástica incrível porque há enormes diferenças entre uma coleção de autor e uma coleção para uma marca”, remata. Foram muitas as parcerias entre criado- res e marcas que se forjaram a partir dali. ara fazer algo novo e inesperado, a energia dos criativos uniu-se à capacidade de um grupo de jovens empresários e começou-se a escrever uma história diferente do design de Moda em Portugal. “Estabelecemos o conceito e as bases do que quería- mosfazer,tínhamosdenosdistinguir”,afirmaManuel Serrão, que até hoje se mantém como consultor do evento. Para o conseguir, decidiram tornar o certame maisabrangenteeinclusivo.Nofundo,“quisemostrans- formarmentalidades”,resumeSerrão.Assim,dividiu-seoPortugalFashion em dois dias, um dedicado aos criadores e aos jovens designers nacionais, outro dominado pelas marcas e pelas propostas dos costureiros, como José Carlos ou Augustus. “Alguns destes nomes eram considerados pirosos na altura, mas os grandes criadores inserem-se em diferentes realidades e tra- balham diferentes perspetivas, fomos dos poucos a percebê-lo”, justifica. “A Moda e a indústria estavam de costas voltadas, tivemos de os pôr a con- versar outra vez, aproximar os criadores dos mercados e mostrar que não havia mal nenhum nisso”, remata Serrão. João Rafael Koehler, actual 82 VOGUE MODA INVERNO 2015 A MELHOR JUVENTUDEVinte anos de Portugal Fashion depois, Moda e indústria perceberam que juntas são ainda mais fortes. O namoro pode ter começado por conveniência, mas agora a relação é para sempre. POR ROSÁRIO MELLO E CASTRO. P
  77. 77. 83VOGUE MODA INVERNO 2015 6. Katty Xiomara, inverno 2002. 7. Amabela Baldaque, verão 2012. 8. Augustus, inverno 2004, numa edição que viajou até à Figueira da Foz. 9. Elle Macpherson na primeira edição do Portugal Fashion, 10. Karen Mulder desfilou para Nuno Gama em 1997. 1. Storytailors, verão 2010. 2. Lion of Porches, verão 2005. 3. Diogo Miranda, inverno 2013. 4. Alves/Gonçalves, verão 2011. 5. Felipe Oliveira Baptista, inverno 2007. 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10
  78. 78. 84 VOGUE MODA INVERNO 2015 1. Miguel Vieira, inverno 2009, em Vila Nova de Gaia. 2. Felipe Oliveira Baptista, inverno 2006, em Paris. 3. Anabela Baldaque, inverno 2001. 4. Elle Macpherson desfila para José Carlos na edição de estreia, em 1995. 5. Esther Cañadas para Maria Gambina, verão 2000. 6. Linda Evangelista para Nuno Gama, em 1998. 7. Luís Buchinho, inverno 2006. 8. João Melo Costa, verão 2013, em Madrid. 9. Helena Christensen para Luís Buchinho em 1995. 1 2 3 4 5 6 8 9 7
  79. 79. 85VOGUE MODA INVERNO 2015 presidente da ANJE, concorda que o Portugal Fashion nasceu de uma falha de mercado e acha que os últimos anos são prova disso mesmo. “O País tinha à época uma indústria têxtil capaz, que fazia bem, mas que estava afastadadodesign.Fazeraponteentreosdoiseracrucial,nãosóparaobem da progressão dos designers, como para a competitividade de uma ativi- dade económica tão importante como a Moda. Hoje, é incontornável con- statar que o Portugal Fashion teve um papel determinante no crescimento da indústria têxtil e de vestuário.” Do Porto para o mundo, a ideia sempre foi descentralizar. O cartame viajou da Invicta para vários pontos do País, da Figueira da Foz a Lisboa, e a partir de 1999 o evento viajou até São Paulo. Seguiram-se cidades como Paris, Nova Iorque, Berlim, Viena, Barcelona e muitas mais. Uma aposta que se reflecte no sucesso internacional de vários dos nossos designers, como Felipe Oliveira Baptista, que apresentou a sua coleção própria no âmbito do Portugal Fashion e que, entretanto, chegou à direção criativa da Lacoste; ou como Luís Buchinho, um dos primeiros a levar a Moda nacional além-fron- teiras (apresenta em Paris desde 2009). “É um dos pontos mais fortes do PortugalFashion,ofactodenosabrirportasaonívelcomercialedeimagem. Obrigou-nos a dar um grande pulo numa altura em que ainda existiam tan- tas marcas a querer vingar no mercado”, avalia Buchinho. Passados vinte anos, a descentralização continua nas diferentes salas que fazem parte do Portugal Fashion, instalando Moda em edifícios espalhados pela cidade e muitas vezes desconhecidos. “Queremos reforçar a ligação do evento à cidade onde está”, diz Koehler. “É uma forma de democratizar o acesso à Moda porque nos permite chegar a novos públicos e, assim, aproximar os portugueses das criações de autor e da compra das etiquetas nacionais. Além das cidades, envolvem-se também os designers, que participam nos processos de escolha dos locais e nas opções feitas pela plataforma.” Para a próxima edição, o presidente da ANJE adianta que estão a ser preparadas surpresas com impacto, que mostram o valor da história do Portugal Fashion, mas também “o potencial do projeto para o futuro”. FranciscoMariaBalsemãoliderouaANJEentre2009e2013,oplenodacrise económicaeumperíodocrucialparaosdestinosdoPortugalFashion.Nessa altura, o desafio que se impunha era “contornar as dificuldades e fortalecer o nosso posicionamento na Moda portuguesa”. Consolidaram-se estraté- gias, reforçou-se o calendário, arriscaram-se novos espaços “e isso ajudou na conquista de novos públicos, nacionais e estrangeiros, houve uma evolução extraordinária do retorno e do impacto, tanto mediático como comercial e económico”. Um desses passos em frente foi a primeira edição do Bloom, há cinco anos, que quis dar aos jovens designers do Portugal Fashion uma plataforma própria. Nada melhor do que desafiar Miguel Flor, que venceu o concurso Sangue Novo da ModaLisboa, para dirigir criativa- mente a nova plataforma. Isto além de dar aulas de design na Faculdade de Arquitectura de Lisboa. “Veio trazer uma lufada de ar fresco ao evento, em todos os sentidos, e a mim dá-me imensa energia”, diz-nos Miguel ao tele- fonedosAçores,ondepreparatrabalhosparaofestivalWalk&Talk.“Noiní- cio, não eram propriamente desfiles que queríamos fazer, mas antes apre- sentações-performance, algo que distinguisse os jovens talentos dos outros desfiles. Era um espaço onde se podia arriscar. Dessa ideia foi-se evoluindo para outras ao longo das edições, mas talvez seja algo a que possamos voltar.” Foi essa leveza e essa energia que conquistaram. “O efeito-surpresa eofactodeseremjovensadarosprimeirospassoscaptouaatençãoeointer- esse do público”, avalia o designer. “Sou filho do Sangue Novo, que apoio sempre, e admirador da ModaLisboa, mas houve ali uma altura em que as coisas estiveram um pouco adormecidas. E o Bloom veio mudar isso.” Ao mesmo tempo, Miguel empenhou-se em criar relações próximas com as escolas, estimulando as relações de parte a parte e ajudando vários novos criadores “a passar do primeiro andar para o segundo”. É o caso de nomes como Estelita Mendonça, Daniela Barros ou Susana Bettencourt. “Sabemos quãodifíciléestabelecerumacarreiraasolo,fazervingarumamarcaprópria e isso não tem de ser sempre o resultado final. Fico orgulhoso quando vejo osnovoscriadoresairtrabalharparagabinetesdedesigninternacionais,por exemplo”,admite.ÉporissoqueJoãoRafaelKoehlerfalanofactodeaModa “ser um negócio e as novas gerações têm de ser acompanhadas nessa pers- pectiva”, sublinha. “Por isso, pretendemos apoiá-los no desenvolvimento de planos de negócio, assim como na preparação e execução de estratégias de internacionalização e comercialização.” Feitas as contas, o objetivo é transformar a forma como olhamos para o comprar português. O futuro depende muito da capacidade económica de cada designer, eMiguelFlornãoincentivaapenasoengenhoindividual.Seháumagrande qualidade que podemos apontar ao Portugal Fashion é a da boa gestão das capacidadesdequemfaz.“NãopodemoscircunscreveroBloomaisso.Em Portugal ainda não existe uma cultura de design, existem poucos meios etemosdeteressaconsciência”,diz.OconcursoBloom,jálançado,ea loja Bloom são símbolo disso mesmo. Esta última leva os designers para trás do balcãoepõe-nosaconversarcomosclientes,oportunidadeúnicadeperce- berem o que Portugal quer do design de Moda. “Ao mesmo tempo, éimportantesermosglobais,imaginarmosdesfilesquepossamterimpacto lá fora, que possam ser absorvidos pela indústria.” Tal como o Portugal Fashion provou nas últimas duas décadas, a ambição jovem sempre se deu bem com o talento. n É UM DOS PONTOS MAIS FORTES DO PORTUGAL FASHION, O FACTO DE NOS ABRIR PORTAS NUMA ALTURA EM QUE AINDA EXISTEM TANTAS MARCAS A QUERER VINGAR NO MERCADO LUÍS BUCHINHO
  80. 80. São divididas entre as mais rígidas, com linhas dos anos 40 e 50, e os sacos dos anos 70. As cores contrastam ou enfatizam os tons da roupa. CARTEIRAS EN ÊNCI SD AT acessórios LOUISVUITTON
  81. 81. 87VOGUE MODA INVERNO 2015 CLUTCHS RIGIDAS SACOS ESCOLHA CERTAEste inverno é repleto de detalhes e inspirações vintage, no design dos acessórios ou na mistura criativa de materiais. Em pele, Marni. Em camurça com pailletes bordadas, Emilio Pucci. Em pele estampada, Furla. Em pele, Louis Vuitton. Serpenti, em pele, Bulgari. Em pele, Loewe. Em pele, Liu Jo. Em pele, Céline. Frida, em camurça e pele, Manjerica. VERSACE BURBERRYPRORSUM MIUMIU
  82. 82. TENDÊNCIAS acessórios VINTAGE SANDÁLIAS PUMPS 1. Em camurça e pele, Emilio Pucci. 2. Em pele metalizada, Luis Onofre. 3. Em camurça com aplicações de pelo e pele, DSquared2. 1 2 3 Em camurça, Liu Jo. Em pele, Jimmy Choo. Em camurça, CH Carolina Herrera. 1. Em pele com salto em acrílico, Nicholas Kirkwood. 2. Em pelo e pele, Miu Miu. 3. Em pele entrançada com aplicação de pérolas e cristais, Céline. 1 2 3 MOSCHINO MARNI BOTTEGAVENETA
  83. 83. Rematam sempre a inspiração escolhida: dos clássicos pumps aos Mary Jane com aspeto vintage; das sandálias sexy aos rasos com linhas e materiais que relembram chinelos. SAPATOS GUCCI
  84. 84. TENDÊNCIAS acessórios Alfinetes de princesa, brincos vintage, grandes anéis, gargantilhas e colares justos ao pescoço ou pulseiras largas, a bijuteria marca presença em todas as tendências, mesmo as mais minimais. BIJOUX PRADA
  85. 85. 91VOGUE MODA INVERNO 2015 BRINCOS COLARES PULSEIRAS Em metal com cristais, DSquared2. Hold, em metal, Tous. Em metal, com cristais e seda, Lanvin. Em metal, Vionnet. Em metal com pérolas, Louis Vuitton. Em metal com plexiglass, Bimba & Lola. Em metal e canutilhos, Bimba & Lola. Em metal com cristais, Givenchy. Em metal com cristais, Bottega Veneta. Em metal, Chanel. 1. Distinct em metal com cristais, Swarovski. 2. Em plexiglass com cristais e pérolas, Chanel. 3. Em metal Saint Laurent. 4. Em metal com quartzo, Lanvin. 1 2 3 4 MARNI EMILIOPUCCI GUCCI DSQUARED2 ANÉIS
  86. 86. REALIZAÇÃO:ANACAMPOS.FOTOGRAFIA:GETTYIMAGES;VERONICAMORALESANGULO;D.R. TENDÊNCIAS acessórios BOTAS MAXI BOTINS BOTAS ALTAS BOTAS RASAS Em pele e pele envernizada, Alexander McQueen. Em camurça, Burberry Prorsum. Corset em camurça, Aquazzura. 1. Em camurça e pele, Saint Laurent. 2. Em pele, Bimba & Lola. 3. Em camurça, Emilio Pucci. 4. Em pele e rede, Louis Vuitton. 1 2 3 4 1. Em pele de cobra, Chloé. 2. Em camurça, pele de avestruz e pele de cobra, Lanvin. 3. Em pele, Hugo. 1 2 3 1. Em pele e lã, Boss. 2. Em camurça com pelo, Chanel. 3. Em pele, Lacoste. 1 2 3 EMILIOPUCCI ROBERTOCAVALLI 3.1PHILLIPLIM BOTTEGAVENETA
  87. 87. 93VOGUE MODA INVERNO 2015 Do tornozelo à coxa, todas as alturas são possíveis esta estação, usadas a qualquer hora do dia, das mais exuberantes às mais discretas. BOTAS & BOTINS CHRISTIANDIOR
  88. 88. 94 VOGUE MODA INVERNO 2015 Depois de quatro cidades, dois continentes, 65 desfiles e centenas de beijos no ar, temos notícias exclusivas de bastidores sobre as tendências obrigatórias para usar este outono/inverno. Por Sophia Panych. LOOKSQUE ADORAMOS TOD’S TENDÊNCIAS beeza
  89. 89. 95VOGUE MODA INVERNO 2015 FOTOGRAFIA:D.R. LÁBIOS COR DE VINHO Os maquilhadores franceses chamam-lhe bordeaux, os britânicos dizem clarete, mas basta uma palavra para descrever o efeito daquele vermelho intenso e carnudo: lisonjeador. (“É uma cor que fica bem com todos os tons de pele”, diz a maquilhadora Francelle Daly.) Ah e mais outra: versátil. Clássico e feminino, combinando máscara de pestanas e um eyeliner de traço felino em Dolce & Gabbana; tinha um feeling Winona-Ryder-nos- anos-90 em 3.1 Phillip Lim, onde as modelos usaram apenas um toque de blush; e uma mancha esborratada caracterizada como “decadente e imperfeita” pela maquilhadora Pat McGrath em Bottega Veneta. WUNDERKINDEMPORIOARMANI Com uma fórmula ligeira mas com a cor intensa de um batom, o novo Pure Color Envy Liquid Lip Potion, ¤29, de Estée Lauder deixa os lábios “esculpidos”. DOLCE&GABBANA
  90. 90. 96 VOGUE MODA INVERNO 2015 TENDÊNCIAS beeza Camadas de máscaraOs maquilhadores empilharam tantas camadas de máscara nas pestanas que, em alguns desfiles, começámos a perder-lhes a conta – e as pestanas das modelos ficaram pesadas. Em Giambattista Valli, a maquilhadora Val Garland usou um pincel de corretor para pintar cada pestana da raiz até à ponta. “Quisemos dar um aspeto jovem e cool às raparigas, como se ainda tivessem a maquilhagem da noite anterior, mas já um bocadinho borrada”, explicou. Em Fendi, o maquilhador Peter Philips utilizou um pincel em forma de leque para dispor várias camadas de modo a que as pestanas ficassem grossas ou mesmo empapadas. O look requer uma fórmula leve (como o M.A.C. Mineralize Multi-Effect Mascara) e fácil de aplicar em camadas, o que significa que o uso de tudo o que diga volumizador” está fora de questão. JOIAS FACIAISA maquilhagem mais fascinante – se bem que polarizadora – foi a de Givenchy, onde foram coladas joias que pareciam piercings ao rosto das modelos. “Brincámos com a ideia de um grupo de raparigas duronas”, disse McGrath, que aplicou cada pérola, esmeralda e rubi e um material que parecia azeviche, a pedra preta utilizada na joalharia de luto do século XIX – um piscar de olhos ao tema vitoriano. Unhas quase pretas Vistas da primeira fila, grande parte das unhas pareciam pretas. Mas nos bastidores, podíamos ver que eram, na verdade, azul meia-noite, sangue-de-boi, beringela ou índigo – cores tão próximas do preto que pareciam subversivas, mas menos góticas. Para levar a ilusão ainda mais longe, algumas modelos da Dior usaram um verniz quase preto diferente em cada mão. FENDIROBERTOCAVALLIGIAMBATTISTAVALLI GIVENCHY Verniz Mediterranée, no tom Terrana, ¤ 23,50, Chanel. Verniz no tom Licorice, ¤ 9,99, Essie. Verniz Nauti Girl, no tom Ahoy Boy, ¤ 2,49, Essence.
  91. 91. 97VOGUE MODA INVERNO 2015 Finalistas Lábios rosa-pastel e rabos de cavalo laterais foram reinventados para o look juvenil de Prada. “Aplicámos o batom com os dedos para o tornar mais translúcido e criar este novo tipo de elegância”, disse McGrath, que criou misturas personalizadas de pêssego pálido e cores rosadas para o desfile. Para impedir que o look se tornasse demasiado rígido ou sério, o cabeleireiro Guido puxou os rabos de cavalo para um dos lados e usou joias Prada como acessórios de cabelo “para lhes dar forma e volume sem repuxar”, disse. “É uma abordagem jovem a um penteado de Alta-Costura.” Estilo francês“É o estilo parisiense quintessencial”, disse a maquilhadora Lucia Pieroni em Sonia Rykiel. Ela aplicou uma mancha de eyeliner preto, um pouco de máscara e um remoinho de blush cor-de-rosa com um pincel plano. Usado em conjunto com um risco ao lado profundo, é exatamente o look que queremos ter todos os dias, durante todo o dia. PRADA SONIARYKIEL PRADA CHRISTIANDIOR SOMBRA DE OLHOS INTENSAOs aplicadores em forma de esponja que vêm com as sombras de olhos servem mesmo para qualquer coisa. Em Dior, Philips molhou o utensílio em água para transformar sombras vulgares em pinturas de maquilhagem supersaturadas. “A esponja molhada ajuda o pigmento a penetrar na pele”, disse. “É impossível obter a mesma intensidade com um pincel.” TRUQUES DO OFÍCIO Sombra 5 Couleurs Designer, no tom Navy Design, ¤ 59,40, Dior.
  92. 92. 98 VOGUE MODA INVERNO 2015 TENDÊNCIAS beeza Eyeliner pretoO jogador de honra da estação foi o eyeliner, sem hesitações. Os maquilhadores utilizaram-no de todas as maneiras tradicionais, para criar asas graciosas ou looks rock and roll esborratados, mas também desenharam fora das linhas, traçando triângulos de arestas bem definidas em Anthony Vaccarello. Alguns maquilhadores utilizaram o eyeliner como se fosse tinta, desenhando tatuagens temporárias – corações minúsculos, estrelas e meias-luas – em redor dos olhos das modelos, por cima das sobrancelhas e até nas mãos, em Giamba. “O look das raparigas deve ser jovem e rebelde, por isso porque não lhes fazer uma ou duas tatuagens?”, disse Garland. O eyeliner viajou dos olhos para o corpo. GIAMBA VIVIENNEWESTWOODJACQUEMUS ANTHONYVACCARELLO JUNYAWATANABE
  93. 93. 99VOGUE MODA INVERNO 2015 OLHOS GRANDES Talvez sejam fãs de Margaret Keane. Talvez andem a ler muita banda desenhada manga. Mas os maquilhadores foram aos extremos para dar às modelos olhos grandes como pratos nesta estação. Em Rochas, Pieroni criou a ilusão ótica emoldurando o olho com linhas ao longo da arcada supraciliar e nas pestanas inferiores. E em DKNY, o maquilhador Yadim desenhou um olho à volta do olho com eyeliner preto líquido. Fitas pretas & carrapitos francesesO acessório de cabelo mais bonito foi também o mais simples – uma fita de cetim preta que se pode comprar em qualquer retrosaria. No entanto, o efeito era tudo menos banal: usada à volta dos carrapitos franceses despenteados de muitas das modelos que jantavam na passerelle transformada em brasserie de Chanel, foi a combinação perfeita do chique parisiense com um penteado descontraído. CHANEL CHANEL ROCHAS THIERRYMUGLER DKNY TSUMORICHISATO MARKJACOBS Intenso e sensualNão são só os lábios cor de pele, rosa e vermelho alaranjado que vão estar em alta este inverno. Também as bocas em tons escuros vão ter direito ao seu momento de fama. Em efeito mate ou luminoso dão profundidade e sensualidade aos lábios e a quem os usa. LUISABECCARIAJULIENDAVID MARCHESA Batom Color Riche, no tom Berry Blush, ¤ 15,99, L’Oréal Paris. FOTOGRAFIA:VERONICAMORALESANGULO;GETTYIMAGES;CONDÉNASTARCHIVE;D.R.
  94. 94. ONTHE ROADA pele reveste o estilo motard deste inverno, seja em look total ou conjugada com todos os outros materiais quentes da estação. FOTOGRAFIA DE JOSH OLINS. REALIZAÇÃO DE CLARE RICHARDSON.
  95. 95. Vestido em pele, MUGLER em Matchesfashion.com. Botas em pele LOUIS VUITTON. Na página ao lado, blusão em pele, RALPH LAUREN COLLECTION. Camisola em jacquard de algodão e lã mohair, ROBERTO CAVALLI.
  96. 96. Blusão em pele, DIESEL BLACK GOLD. Camisola em neopreno, VERSACE. Saia em pele, TOPSHOP. Collants em mousse, PROENZA SCHOULER.
  97. 97. Camisola em malha de algodão, saia em pele, tudo BOSS. Cinto em pele, LOST ART BY JORDAN BETTEN.
  98. 98. Camisola em lã, BOTTEGA VENETA. Calças em pele, RALPH LAUREN COLLECTION. Cinto em pele, LOST ART BY JORDAN BETTEN. Sapatos em camurça, JIMMY CHOO.
  99. 99. Vestido em pele, CALVIN KLEIN COLLECTION. Botas em pele LOUIS VUITTON.
  100. 100. Vestido em pele, JITROIS. Colarinho em malha de algodão, JIL SANDER.
  101. 101. Casaco em pelo de ovelha, saia em pele, cinto em metal e botas em pele, tudo LOUIS VUITTON.
  102. 102. Casaco em pele, camisola em lã, tudo BOTTEGA VENETA. Calças em pele, EDUN em Mytheresa.com. Cinto em pele, LOST ART BY JORDAN BETTEN.
  103. 103. Vestido em pele, SAINT LAURENT BY HEDI SLIMANE. Sapatos em camurça, JIMMY CHOO. Collants em mousse, PROENZA SCHOULER.
  104. 104. Top em pele, vestido em seda e veludo, tudo ALEXANDER WANG. Collants em mousse, PROENZA SCHOULER. Modelo: Steffy Argelich. Cabelos: Duffy. Maquilhagem: Sally Branka. Manicure: Michina Koide. Designer de cenário: Kadu Lennox. Produção: Leonie Wilson para North Six. Digital: Hempstead May.
  105. 105. 114 VOGUE MODA INVERNO 2015 FOTOGRAFIA:VERONICAMORALES ANGULO;GETYIMAGES;D.R. TENDÊNCIAS alta-costura DIVERTILÂNDIASe há lugar para fantasias, é algures nas passerelles da Alta-Costura deste inverno. Onde o impossível aparece de repente sob a forma de um vestido de cauda, a tecnologia de um salto alto destrona qualquer carro de corrida e o sonho comanda, efetivamente, a vida (mesmo que seja só através da Moda). Por Patrícia Domingues. VIKTOR&ROLF
  106. 106. 115VOGUE MODA INVERNO 2015 ATELIER VERSACE“Quisemos mostrar um lado mais suave”, disse Donatella Versace ao Style.com em bastidores, e começou da cabeça aos pés. Com uma fina coroa de flores em torno dos cabelos ondulados, Lara Stone pisou a passerelle (decorada com mais de 20 mil orquídeas) incorporando o espírito da estação: hippie chique. Depois de Etro e Chloé terem corrido os festivais de verão, Donatella levou o look Coachella a outro nível para o inverno. Ao da couture e ao sexy de Versace, claro, que inclui muitas franjas, recortes, mangas estilo renascimento, motivos florais, tons pastel, chiffon e outros tecidos desintegrados (apesar de alguns dos vestidos terem demorado 600 horas a fazer). Naquilo que pode ser descrito como um encontro feliz entre Stevie Nicks e A Guerra dos Tronos, a marca manteve o preto ocasional, os seus famosos corpetes e uma atitude poderosa de quem não deixa nada por vestir. VIKTOR & ROLFOs designers holandeses fizeram o impossível, criar roupa através de quadros, e assim trouxeram para a runway a velha questão sobre se Moda é ou não Arte (e não vale a pena dizer que se der para vestir é Moda porque aqui a dupla – Viktor Horsting e Rolf Snoeren – fez as duas coisas em Wearable Art). A apresentação começou com uma tela branca. Depois seguiram-se saias, casacos e vestidos semelhantes, mas cada vez mais complexos e materializados, trazidos da época de ouro da pintura holandesa. “Somos artistas de Moda. Mas o que é que isso significa? O que queremos fazer?”, questionou Snoeren ao WWD. O que querem fazer parece ter sido respondido quando o look final chegou à passerelle (um still life holandês): o que bem lhes apetece.
  107. 107. 116 VOGUE MODA INVERNO 2015 TENDÊNCIAS alta-costura CHANELRita Ora, Kristen Stewart, Vanessa Paradis e Julianne Moore. Não, o desfile não foi sobre nenhuma destas superestrelas, mas é impossível começar a descrever a apresentação de Chanel ignorando a front row (se serve de desculpa, estavam todas vestidas com roupa e jóias da marca). Mas calma, que o espetáculo ainda agora começou. O tema do desfile foi Circle Privé e o kaiser traduziu-o num megalómano casino, com roleta e black jack incluídos. Mas de nada serve um cenário e uma audiência fantásticos se aquilo que realmente interessa – a roupa – não estiver à altura. Será que Lagerfeld fez jackpot? “Só jogo nas minhas coleções”, disse o criador ao Style.com. “Mas nunca fico satisfeito com o que faço.” Não pensamos da mesma forma: nesta coleção, Lagerfeld saciou-nos com uma experiência por prints 3D, silhuetas à anos 80 e looks para cocktails. A sua obsessão pela modernidade, e pela novidade, não se deixou levar pelo insólito e todas as propostas cabem no guarda-roupa da mulher moderna (ai, aquele fato de Kendall Jenner...) CHRISTIAN DIOR“A Alta-Costura não se pode esquecer de permanecer viva, adaptada às necessidades de todas as mulheres”, escreveu Christian Dior em 1953. Desde o seu primeiro desfile, em 1947, que a Maison francesa se dedica ao vestuário feminino com a mesma dose de mestria e elegância – um status que Raf Simons tem vindo a preencher, e a refrescar, na medida certa. “Tenho ido buscar inspiração ao passado. É um desafio pensar: como posso transformar aquelas peças históricas em algo que faça sentido hoje?”, indagou o atual diretor artístico da Dior. A resposta chega agora, num jogo entre referências passadas, técnicas futuras, um set de conto de fadas e Bosch. Sim, em vez de mergulhar nos arquivos da marca, Simons pegou na obra do pintor holandês O Jardim das Delícias Terrenas e deu vida aos contrastes pincelados. Duro e suave, escuro e claro, angelical e sexual, as suas peças percorreram a passerelle transportando-nos do paraíso ao inferno. Destaque para as capas em linha A e as mangas em pelo, o fruto proibido mas tão, tão apetecido.
  108. 108. 117VOGUE MODA INVERNO 2015 SCHIAPARELLIA estrear-se depois de anos nos bastidores dos ateliês de grandes marcas (Valentino, Givenchy e Christian Lacroix), Bertrand Guyon fez o seu trabalho de casa. Com uma coleção intitulada Le Theatre d’Elsa, Guyon chegou em abril e veio seguir as pisadas deixadas por Marco Zanini, injetando-as com uma dose extra de feminilidade – e algumas coincidências com Elsa. “Sou francês, e por isso é tão importante para mim regressar a uma Casa parisiense, mas sendo Schiaparelli, é uma fundada por uma italiana nascida em Roma. Vivi em Roma, e é uma cidade que roubou o meu coração. Juntas, as duas cidades ajudaram-me a compreender a jornada de Elsa Schiaparelli e o lado cosmopolita da sua personalidade”, confessou o designer a Dan Thawley da Vogue americana. Assim, pegou na excentricidade da vida e no estilo da marca e providenciou uma narração visual de 30 looks que conjugaram referências, Bébé Bérard, Marcel Vertès, tartan, brocados e vestidos de chiffon conjugados com biker jackets. Resumo: contrabalançou simplicidade, extravagância e humor de forma humilde (ou seja, tentando reproduzir o que faria Schiaparelli se ainda fosse viva).
  109. 109. 118 VOGUE MODA INVERNO 2015 FOTOGRAFIA:D.R. TENDÊNCIAS alta-costura FENDIMesmo que Karl Lagerfeld seja avesso a aniversários, não há como não referi- -lo: o kaiser está há 50 anos na Fendi e a coleção de Alta-Costura – uma nova adição ao calendário – prova porque já não imaginamos a nossa vida sem Karl. Tudo começou em fevereiro, quando o designer anunciou que queria apresentar uma linha high fashion dedicada ao pelo, e nem os apelos da PETA o demoveram de criar haute fourrure (temos de concordar que, pelo menos, o nome é cute). Foram 36 looks que incluíram casacos, capas e lenços, vestidos de penas e que, basicamente, comprovam a mestria da casa romana. Os pelos foram astutamente manipulados como tecidos, transformados em figuras geométricas, interligados com pele prateada ou plástico transparente, outros decorados com cristais e alguns detalhes impressionantes. Ainda não há confirmações sobre a continuação da presença da Fendi nas próximas edições Couture, mas se quiser um bocadinho mais de Karl entretanto (nunca é demais), o livro Fendi by Karl Lagerfeld está prestes a chegar às bancas.
  110. 110. FOTOGRAFIA:D.R. GIAMBATTISTA VALLIA Alta-Costura corre nas veias de Giambattista Valli, que não restem dúvidas, mas também lá mora alguma excentricidade. Traduzindo, tivemos Rihanna em fevereiro nos Grammys (e a sua tonelada de tule) e agora temos Talitha Pol e Syd Barrett, ícones dos 60 e inspirações atuais das propostas Couture do designer italiano. Valli sabe fazer um vestido e nesta coleção fê-los para todos os gostos. Minis com tule, maxis com flores aplicadas, assimétricos e drapeados. Recorrendo à sua arma de eleição, a criatividade, acrescentou volume onde menos se esperava. Brincou com peplums, fez voar caudas e quebrou o romantismo com inusitadas rachas. Houve modelos linha A, silhuetas de princesa e, porque as mulheres têm direito a tudo no seu closet, houve também túnicas longas combinadas com calças. MAISON MARGIELAFocar-se no essencial. Simplificar. Deslumbrar. John Galliano, apontado diretor criativo da Maison Margiela em outubro do ano passado, limpou para depois criar. Restaurou a democracia (com só uma linha de cadeiras houve lugares de primeira fila para todos), pegou na tradição e experimentou: velho com novo, texturas e ideias, perfeição e casualidade, um casaco feito de sacos de batatas, um vestido transformado em casaco. Na sua linguagem moderna de glamour, Galliano falou Margiela e trabalhou com alguns dos clássicos da marca que sempre baseou os seus princípios estéticos na transformação e também na beleza da oposição. Feio/bonito, masculino/feminino, Galliano/Margiela.
  111. 111. 120 VOGUE MODA INVERNO 2015 FOTOGRAFIA:D.R. TENDÊNCIAS alta-costura JEAN PAUL GAULTIERSejam bem-vindos à Bretanha, no Oeste Francês, terra de aldeias de traço medieval, portos pesqueiros, heróis das lendas celtas e de Jean Paul Gaultier. Depois de ter deixado o pronto-a-vestir para se dedicar apenas aos territórios da Alta-Costura, o designer leva-nos às suas origens criativas, que incluem França, o teatro e, claro, as típicas riscas azuis e brancas. Mas não só: um trench coat feito de penas, um longo vestido em veludo amarelo, tops de marinheiro cobertos de lantejoulas, saias maxi e mini bidimensionais. O acompanhamento foi servido de forma ideal, com crepes e sidra caseira a circular pelas bancadas, mas foi a rebeldia incurável de Gaultier o prato principal que encheu a barriga dos amantes de Moda.
  112. 112. 121VOGUE MODA INVERNO 2015 FOTOGRAFIA:D.R. ARMANI PRIVÉArmani, rosa-choque e punk. Parece inusitado até a primeira modelo da coleção de Couture (bem) intitulada Shocking pisar a passerelle. “Imaginei uma mulher jovem, que adora vestir-se sem seguir as regras da Moda e cria a sua própria elegância, liberdade e estilo individual”, disse o criador à Vogue italiana. Por uma vez, Giorgio Armani não pôs os seus clientes em primeiro lugar (mesmo que os tenha posto na primeira fila) e deu largas à sua imaginação. Formando um exército de raparigas semelhantes (o mesmo corte de cabelo, a mesma maquilhagem), os esboços do designer ganharam vida em looks de noite que combinaram um desconcertante rosa-choque (e também azul, roxo e verde) com lantejoulas multicor, cascatas de cristais Swarovski, lurex, veludo negro e vestidos em seda, degradés, penas e franjas que mais pareciam obedecer às batidas do glam rock. A rebeldia ficou na intenção: banir os clássicos da Alta- -Costura, como a organza ou o tule, e renovar um conceito. O resultado acabará nas passadeiras vermelhas (inevitável, meu caro Armani).
  113. 113. SONHODEUMANOITE EM PORTOFINO“A Moda não vive apenas de etiquetas”, disse Domenico Dolce e, em seguida, transformou um conto de fadas numa realidade de quatro dias, junto com Stefano Gabbana. A Vogue conta o que viu, ouviu e vestiu durante a apresentação de inverno de Alta-Costura da Dolce & Gabbana. Por Paula Mateus.
  114. 114. 124 VOGUE MODA INVERNO 2015 Em Sonho de uma Noite de Verão, do século XVI, William Shakespeare escreveu: “Há quem diga que todas as noites são de sonhos. Mas há tam- bém quem garanta que nem todas, só as de verão. No fundo, isto não tem muita importância. O que interessa mesmo não é a noite em si, são os sonhos.Sonhosqueohomemsonhasempre,emtodososlugares,emtodas as épocas do ano, dormindo ou acordado.” A peça de Shakespeare serviu, e bem, de inspiração à coleção de mulher Alta-Moda de Dolce & Gabbana, mas o mood serve para toda a minha estadia. Depois de um voo de Lisboa até Milão, viajei duas horas de carro até Portofino.Acabeipordormitarequandoacordeiparecia,defacto,queesta- va numa terra de sonhos, num universo idílico que, vim a saber, demorou àmarcaitalianaumanoaconcretizar.Portofino,viladepescaeantigorefú- gio de príncipes e estrelas de cinema, conserva uma beleza natural, mas a dupla deu-lhe um toque especial. Primeiro, uma pop-up store no largo da vila que era impossível não reparar. Depois, e à medida que anoitece, as pitorescas casas ganham outra vida com um rebordo de luzes que faz lem- brar a época natalícia. essa mesma noite, fomos para a apresentação da Alta Joalharia na villa de Stefano Gabbana. No con- vite,odresscodeadvertiaparaousodesapatosrasos –eaindabemqueocumpri,poisatéchegarmosàpro- priedade esperou-nos uma longa caminhada a pé (com alguns refrescos pelo caminho). Lá, um grupo de cerca de 200 dos melhores clientes da marca, e 50 pes- soas da imprensa, foi recebido pelos designers com o aconchego de um lar. Inspirada na história da princesa Delfina,quevivianumcastelojuntoaomardePortofinoecujospretenden- tes lhe traziam joias de toda a parte do planeta, a coleção de Alta Gioielleria temmuitodefábula(edefabulásticatambém).Apaixonei-meporunsbrin- cos que tinham bailarinas no interior e pelas peças com representações de animais. No centro da casa, um trono cravejado de pedras e ouro estava à nossa disposição para podermos, também nós, ser Delfina. Diversos “pajens” traziam-nos as joias à vez, assim como um espelho gigante ao nível dos contos de fadas. Espelho meu, espelho meu, haverá coleção mais extraordinária do que esta? A resposta encontrei-a nos dias seguintes, com a apresentação de Alta- -Moda, o termo italiano para Alta-Costura, e Alta Sartoria, a coleção mas- culina. Sogno di una Notte a Portofino marcou as propostas para mulher e um novo capítulo na história da Dolce & Gabbana, que, pela primeira vez, Peças da coleção de Alta Gioielleria Dolce & Gabbana apresentada, pela primeira vez, em Portofino em julho de 2015. N

×