Metodologia de Implantação da Análise de                                                                       13/01/10

 ...
Metodologia de Implantação da Análise de                                                       13/01/10

                 ...
Metodologia de Implantação da Análise de                                                       13/01/10

                 ...
Metodologia de Implantação da Análise de                                                       13/01/10

                 ...
Metodologia de Implantação da Análise de                                                       13/01/10

                 ...
Metodologia de Implantação da Análise de                                                       13/01/10

                 ...
Metodologia de Implantação da Análise de                                                       13/01/10

                 ...
Metodologia de Implantação da Análise de                                                       13/01/10

                 ...
Metodologia de Implantação da Análise de                                                       13/01/10

                 ...
Metodologia de Implantação da Análise de                                                       13/01/10

                 ...
Metodologia de Implantação da Análise de                                                       13/01/10

                 ...
Metodologia de Implantação da Análise de                                                       13/01/10

                 ...
Metodologia de Implantação da Análise de                                                       13/01/10

                 ...
Metodologia de Implantação da Análise de                                                       13/01/10

                 ...
Metodologia de Implantação da Análise de                                                       13/01/10

                 ...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Fatto - Metodologia de Implantação da Análise de Pontos de Função

2.801 visualizações

Publicada em

Publicada em: Tecnologia
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
2.801
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
57
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
110
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Fatto - Metodologia de Implantação da Análise de Pontos de Função

  1. 1. Metodologia de Implantação da Análise de 13/01/10 Pontos de Funções Pág. 1 de 15 Consultoria e Sistemas Conteúdo 1) Introdução ................................................................................................................................................. 1 2) Planejamento e Mobilização ..................................................................................................................... 3 3) Formação da equipe e "baseline" de métricas.......................................................................................... 5 4) Inserção da APF nos Processos de Desenvolvimento................................................................................ 7 5) Definição e População da Base Histórica de Projetos ............................................................................... 9 6) Guia de Contagem de Pontos de Função ................................................................................................ 12 7) Núcleo de Competência em Métricas e Estimativas ............................................................................... 14 8) Repositório de Métricas de Projeto......................................................................................................... 15 1) Introdução Com uma experiência acumulada desde 1998 apoiando organizações na aplicação da Análise de Pontos de Função em seus negócios, percebemos que um grande obstáculo para o sucesso na implantação da APF é a falta de uma perspectiva estratégica. Quando isso acontece, dificilmente são obtidos os benefícios que justificam os investimentos na técnica, sua utilização acaba não sendo institucionalizada e recursos são desperdiçados. Nossa experiência mostra que capacitar isoladamente um profissional ou toda a equipe na Análise de Pontos de Função, dissociada de uma perspectiva estratégica, é uma ação insuficiente. Em ambos os casos falta infra-estrutura. Além do suporte gerencial - principal fator crítico de sucesso - dois outros são chave para o sucesso na implantação de métricas: um núcleo de competência em métricas e estimativas aliado a um repositório de métricas de projeto. O processo de implantação pode ser facilitado caso a organização esteja engajada em iniciativas como ISO, Six-Sigma, CMMI, PMI e Balanced Scorecard. Neste caso há objetivos convergentes e os projetos são complementares entre si. O fundamental é saber relacionar e demonstrar isto para os patrocinadores. A FATTO define a qualidade deste serviço em termos do sucesso na implantação da infra-estrutura de métricas que habilite a transformação de cultura onde a experiência e subjetividade individual seja gradualmente complementada por métricas que reflitam a experiência coletiva da organização no desenvolvimento, sustentação e/ou contratação de software. Caso sua organização não tenha os recursos e/ou interesses em formar um núcleo de competência em métricas, ainda assim ela pode alcançar os mesmos benefícios. Profissionais certificados da FATTO estão disponíveis para execução das funções técnicas desse núcleo de competência. Nossa estratégia compreende duas principais linhas de ação: A primeira visa dar início à utilização consistente da Análise de Pontos de Função inserida no contexto de sua organização, fornecendo indicadores preliminares, formando um núcleo de competência de métricas, identificando e apoiando na adequação dos processos à utilização de métricas funcionais. FATTO Consultoria e Sistemas “Nossa missão é fornecer aos nossos clientes, mecanismos que aumentem o valor percebido pelo mercado de seus serviços e produtos. Estes mecanismos podem ser criados a partir da aplicação da tecnologia da informação na forma de métodos, ferramentas e sistemas, desenvolvidos internamente ou disponíveis no mercado”
  2. 2. Metodologia de Implantação da Análise de 13/01/10 Pontos de Funções Pág. 2 de 15 Consultoria e Sistemas A segunda visa alavancar o valor das métricas funcionais no aumento da previsibilidade – melhores estimativas e orçamentos. Isto é atingido com a revisão da definição, população e categorização da base histórica de projetos. Para tanto, a sua organização já deve ter disponível uma amostragem entre trinta e cem projetos com informações apropriadas em cada projeto de esforço, custo e prazo. A FATTO se encarrega de todo o trabalho de medição e análise estatística. O diagrama seguinte ilustra nossa proposta de implantação da APF. FATTO Consultoria e Sistemas “Nossa missão é fornecer aos nossos clientes, mecanismos que aumentem o valor percebido pelo mercado de seus serviços e produtos. Estes mecanismos podem ser criados a partir da aplicação da tecnologia da informação na forma de métodos, ferramentas e sistemas, desenvolvidos internamente ou disponíveis no mercado”
  3. 3. Metodologia de Implantação da Análise de 13/01/10 Pontos de Funções Pág. 3 de 15 Consultoria e Sistemas 2) Planejamento e Mobilização O suporte gerencial à utilização de métricas é um fator crítico de sucesso para sua implantação e o maior beneficiado por este tipo de iniciativa é justamente o corpo gerencial. Muitas vezes, os interesses são conflitantes entre os gerentes. O responsável pela fábrica de software tem interesse em fornecer uma estimativa apenas quando o produto estiver todo especificado, enquanto o gerente do PMO (Project Management Office) precisa fornecer orçamentos muito antes disso. Ou ainda, os responsáveis pela qualidade tem interesse em institucionalizar práticas e definir padrões, enquanto os gerentes de desenvolvimento tem interesse em responder às demandas dos clientes internos e externos no menor tempo possível. Portanto, sem que todo o grupo seja sensibilizado para os benefícios do trabalho investido, sem que a visão das dificuldades e restrições de cada um seja considerada, e definidas ações para superar essas restrições, os resultados de iniciativas de implantação de métricas ficam comprometidos. Para tratar dessas questões recomendamos a participação de todas essas pessoas em uma sessão de treinamento do curso APF: Fundamentos, Aplicações e Implantação e de um workshop de planejamento de métricas. Esta abordagem permitirá que a organização compreenda o valor para o negócio da medição funcional e explore as aplicações práticas do uso de pontos de função. A medição funcional aplica-se a muitos aspectos do processo de desenvolvimento de sistemas, incluindo estimativas de projeto, gerência de requisitos, gerência de mudança, gerência de desempenho, gerência de contratos, controle de custos e qualidade, prevenção de defeitos e iniciativas de melhoria de produtividade. O produto é um esboço de plano para implantar e utilizar métricas funcionais. O diagrama seguinte ilustra este trabalho, as atividades destacadas em amarelo são facilitadas pelo consultor da FATTO e tem um prazo estimado de dois dias consecutivos. FATTO Consultoria e Sistemas “Nossa missão é fornecer aos nossos clientes, mecanismos que aumentem o valor percebido pelo mercado de seus serviços e produtos. Estes mecanismos podem ser criados a partir da aplicação da tecnologia da informação na forma de métodos, ferramentas e sistemas, desenvolvidos internamente ou disponíveis no mercado”
  4. 4. Metodologia de Implantação da Análise de 13/01/10 Pontos de Funções Pág. 4 de 15 Consultoria e Sistemas O prazo para a execução das demais atividades é definido em função do contexto específico de sua organização. Sugerimos que até quatro projetos e três pontos de seu ciclo de vida sejam selecionados. O tamanho da equipe de métricas também é muito variável. Muitas vezes não há registros de esforço apropriados para os projetos selecionados e será necessário estimar ou derivar o esforço despendido com base em outros parâmetros como o prazo, custo ou mesmo entrevistas com aqueles que empreenderam estes projetos. Em outros casos, se houver uma base de dados de apoio à gerência de projetos disponível, uma simples consulta fornecerá os dados necessários. Estimamos que, no pior cenário, em até quatro dias sua equipe possa preparar estas informações. Se necessário nossos consultores poderão apoiar na realização desse levantamento de dados. FATTO Consultoria e Sistemas “Nossa missão é fornecer aos nossos clientes, mecanismos que aumentem o valor percebido pelo mercado de seus serviços e produtos. Estes mecanismos podem ser criados a partir da aplicação da tecnologia da informação na forma de métodos, ferramentas e sistemas, desenvolvidos internamente ou disponíveis no mercado”
  5. 5. Metodologia de Implantação da Análise de 13/01/10 Pontos de Funções Pág. 5 de 15 Consultoria e Sistemas 3) Formação da equipe e "baseline" de métricas Nosso trabalho em capacitar profissionais na técnica de Análise de Pontos de Função é amplamente reconhecido pelo mercado. O material didático utilizado e a metodologia do curso é fruto de mais de dez anos de evolução contínua em cursos abertos ao público e fechados para empresas de todo o país. Veja aqui mais informações sobre o curso Capacitação em Análise de Pontos de Função. Após esse curso e com base na documentação de requisitos previamente preparada, durante um período de dois ou mais dias, cada projeto selecionado tem o seu tamanho funcional medido e estimado pela turma que participou do treinamento, sob orientação do instrutor. É neste contexto que surgem as dúvidas quanto à aplicação da técnica na realidade em que seus profissionais estão inseridos. Estas dúvidas são o subsídio para que o grupo elabore um Guia de Contagem de Pontos de Função que permita posteriormente multiplicar a experiência e evitar o re-trabalho envolvido na análise de questões recorrentes. Tendo as informações de tamanho funcional (estimado e medido) conjuntamente com os dados já levantados de esforço, tem-se uma primeira referência da produtividade para os projetos e de quanto foi o crescimento funcional apurado entre as estimativas preliminares e a sua conclusão. Em aproximadamente um dia estes dados são analisados e é preparada uma apresentação com os resultados do trabalho. A amostragem utilizada ainda não é suficiente para aplicar os valores obtidos para o planejamento de projetos futuros, contudo, o trabalho fornece a fundação técnica necessária para tal. O diagrama seguinte ilustra essa fase. FATTO Consultoria e Sistemas “Nossa missão é fornecer aos nossos clientes, mecanismos que aumentem o valor percebido pelo mercado de seus serviços e produtos. Estes mecanismos podem ser criados a partir da aplicação da tecnologia da informação na forma de métodos, ferramentas e sistemas, desenvolvidos internamente ou disponíveis no mercado”
  6. 6. Metodologia de Implantação da Análise de 13/01/10 Pontos de Funções Pág. 6 de 15 Consultoria e Sistemas FATTO Consultoria e Sistemas “Nossa missão é fornecer aos nossos clientes, mecanismos que aumentem o valor percebido pelo mercado de seus serviços e produtos. Estes mecanismos podem ser criados a partir da aplicação da tecnologia da informação na forma de métodos, ferramentas e sistemas, desenvolvidos internamente ou disponíveis no mercado”
  7. 7. Metodologia de Implantação da Análise de 13/01/10 Pontos de Funções Pág. 7 de 15 Consultoria e Sistemas 4) Inserção da APF nos Processos de Desenvolvimento Este é um trabalho conjunto entre o consultor da FATTO e os profissionais da organização que atuam em qualidade e/ou gerência de projetos e que tenham participado da etapa Formação da equipe e "Baseline" de métricas, para escolher os processos de gestão, desenvolvimento e sustentação de sistemas que serão objeto de adequação. O critério para a escolha é o aumento do desempenho global. Além do processo de medição e análise, vários outros como o planejamento de projeto, o acompanhamento e controle de projeto, a gerência de requisitos e a gestão de contratos normalmente estão compreendidos nessa escolha. Os melhores resultados são obtidos quando os processos analisados são os processos em uso na organização – “vivos”. Muitas vezes os processos, apesar de definidos e documentados, não estão em sincronia com a prática real na organização. A natureza da adequação é planejar a modificação dos processos para usar o novo instrumental trazido pela Análise de Pontos de Função. O desempenho global é definido nos termos dos objetivos estabelecidos no trabalho de Planejamento e Mobilização. A equipe avalia os componentes dos processos escolhidos, objetivando preparar uma proposta que aponte onde deve haver modificação e o que deve ser modificado. Ao final do trabalho, ela apresenta um conjunto de recomendações para o restante da equipe participante do treinamento para colher as suas considerações. Por fim após a revisão, elas são apresentadas ao corpo gerencial. Este trabalho dura aproximadamente quatro dias. Para as organizações com processos formalmente definidos, cabe destacar que o objetivo não é atualizar a sua documentação de processos, mas sim definir os itens de ação para a adequação. O diagrama seguinte ilustra essa proposta. FATTO Consultoria e Sistemas “Nossa missão é fornecer aos nossos clientes, mecanismos que aumentem o valor percebido pelo mercado de seus serviços e produtos. Estes mecanismos podem ser criados a partir da aplicação da tecnologia da informação na forma de métodos, ferramentas e sistemas, desenvolvidos internamente ou disponíveis no mercado”
  8. 8. Metodologia de Implantação da Análise de 13/01/10 Pontos de Funções Pág. 8 de 15 Consultoria e Sistemas FATTO Consultoria e Sistemas “Nossa missão é fornecer aos nossos clientes, mecanismos que aumentem o valor percebido pelo mercado de seus serviços e produtos. Estes mecanismos podem ser criados a partir da aplicação da tecnologia da informação na forma de métodos, ferramentas e sistemas, desenvolvidos internamente ou disponíveis no mercado”
  9. 9. Metodologia de Implantação da Análise de 13/01/10 Pontos de Funções Pág. 9 de 15 Consultoria e Sistemas 5) Definição e População da Base Histórica de Projetos Uma pergunta muito freqüente direcionada à comunidade de métricas é quanto à produtividade (Ponto de Função/Homem Dia) ou taxa de entrega (Homem Hora/Ponto de Função) esperada em determinadas plataformas computacionais e linguagens de programação. Isso é natural, dada a importância do esforço estimado no planejamento de projetos. O esforço, além de ser insumo para estimativa de prazo, costuma ser o principal componente de custo em projetos de software e é também fundamental para o processo orçamentário. Em tese, é simples. Basta multiplicar a estimativa de tamanho funcional, obtida utilizando qualquer das técnicas aprendidas no curso Capacitação em Análise de Pontos de Função, pela taxa de entrega. No entanto, qual taxa de entrega deve ser utilizada? Nenhum número substituirá aqueles extraídos dos dados de sua própria organização. Ao medir/estimar um projeto utilizando a técnica de Análise de Pontos de Função uma série de aspectos não são considerados. Estes aspectos compõem o chamado "tamanho técnico" da aplicação. Atualmente não existe nenhuma métrica padronizada para medi-los e eles são fundamentais para que pontos de função possam ser usados consistentemente para estimativas. A figura seguinte essa ilustra a dinâmica: Por exemplo, imagine dois projetos, ambos fornecendo a mesma funcionalidade, um codificado em Java sem o uso de um framework e outro também em Java, porém com um framework extremamente poderoso. O primeiro certamente consumirá um esforço muito superior ao primeiro apesar de ambos terem o mesmo número de pontos de função. Se ao estimar um, usássemos a taxa de entrega do outro para estimar o esforço, teríamos péssimas estimativas. Uma forma de considerar o "tamanho técnico" é pela criação de perfis que compreendam características comuns desconsideradas pela APF e que impactem a produtividade em termos de pontos de função. A principal intenção desse trabalho é a definição do menor número de perfis, ou categorias, que compreendam o maior número de aspectos com impacto na produtividade e estabelecer critérios que permitam o enquadramento de um novo projeto e fornecer a produtividade de cada categoria. Ele consiste de uma fase de medição e coleta de dados e outra de análise. FATTO Consultoria e Sistemas “Nossa missão é fornecer aos nossos clientes, mecanismos que aumentem o valor percebido pelo mercado de seus serviços e produtos. Estes mecanismos podem ser criados a partir da aplicação da tecnologia da informação na forma de métodos, ferramentas e sistemas, desenvolvidos internamente ou disponíveis no mercado”
  10. 10. Metodologia de Implantação da Análise de 13/01/10 Pontos de Funções Pág. 10 de 15 Consultoria e Sistemas Na fase de medição, nossa equipe mede diversos projetos. Os dados de esforço, prazo e custo destes projetos são coletados e classificados em termos de seus aspectos não funcionais previamente definidos. Na fase de análise, nossos consultores buscam identificar relações de correlação, causa e efeito nos dados tabulados na fase anterior. Com base nestas relações, definimos as categorias, para em seguida estabelecer os respectivos indicadores de produtividade. Esse trabalho é repetido até que seja montada a melhor configuração. O critério de avaliação é a comparação entre os dados reais dos projetos tabulados e os dados projetados utilizando os números gerados para a categoria em que cada projeto se enquadra. O diagrama abaixo ilustra esse trabalho: FATTO Consultoria e Sistemas “Nossa missão é fornecer aos nossos clientes, mecanismos que aumentem o valor percebido pelo mercado de seus serviços e produtos. Estes mecanismos podem ser criados a partir da aplicação da tecnologia da informação na forma de métodos, ferramentas e sistemas, desenvolvidos internamente ou disponíveis no mercado”
  11. 11. Metodologia de Implantação da Análise de 13/01/10 Pontos de Funções Pág. 11 de 15 Consultoria e Sistemas FATTO Consultoria e Sistemas “Nossa missão é fornecer aos nossos clientes, mecanismos que aumentem o valor percebido pelo mercado de seus serviços e produtos. Estes mecanismos podem ser criados a partir da aplicação da tecnologia da informação na forma de métodos, ferramentas e sistemas, desenvolvidos internamente ou disponíveis no mercado”
  12. 12. Metodologia de Implantação da Análise de 13/01/10 Pontos de Funções Pág. 12 de 15 Consultoria e Sistemas 6) Guia de Contagem de Pontos de Função O Guia de Contagem é um documento de uso interno a uma organização que orienta as medições feitas em pontos de função em projetos de software. Sua característica é de ter um enfoque bem específico das situações que a organização vivencia nas suas contagens de pontos de função. Ele contém um conjunto de lições aprendidas em questões relativas às medições em PF. É um repositório de conhecimento das práticas de contagem, fruto de discussão e análise dos profissionais da organização. Embora exista o Manual de Práticas de Contagem do IFPUG que contém todas as definições e regras para o processo de contagem de pontos de função, as orientações contidas nele são apresentadas de maneira bem geral. Isto é benéfico no sentido de fazer com que a APF seja aplicada em uma variedade ampla de situações. Por outro lado, dificulta para alguns a aplicação destes conceitos em situações específicas, especialmente quando elas apresentam características distintas dos exemplos do manual do IFPUG. Portanto o Guia de Contagem vem cumprir este papel de trazer os conceitos gerais do manual do IFPUG para situações específicas de uma organização. Também para as situações onde as regras do IFPUG não estão suficientemente claras ou objetivas (existem ainda pontos da APF que são alvo de trabalho do comitê de práticas de contagem do IFPUG), o Guia de Contagem irá tratar a situação de forma objetiva e clara. E por fim, há situações onde uma organização pode decidir tratar de forma diferente do IFPUG uma medição, neste caso isto deve estar explícito para todos os envolvidos, e o Guia é o local apropriado para tanto. Portanto o Guia de Contagem proporciona os seguintes benefícios: • Aumenta a consistência entre contagens feitas por diferentes profissionais: uma vez que as situações mais comuns nas medições da organização estarão exemplificadas no Guia, menor a chance de profissionais diferentes usarem interpretações distintas nas medições. • Centraliza a experiência da contagem envolvendo diferentes tecnologias e domínios de problema (ex.: sistemas em mainframe, múltiplas camadas, workflow, business inteligence, batch, etc.): mesmo para profissionais experientes no uso da APF, quando estes se deparam com situações não usuais, é comum o surgimento de dúvidas. Com o Guia centralizando este conhecimento, um profissional experiente na APF, mas acostumado a medir somente sistemas de determinado tipo (por exemplo, mainframe-cobol), será capaz de medir facilmente sistemas de natureza distinta (exemplo: business inteligence). • Evita o re-trabalho com a análise de questões recorrentes: uma vez que determinada situação tenha gerado dúvida na medição, esta é analisada e decide-se qual a melhor forma de abordá-la. Esta dúvida e a abordagem adotada são documentadas no Guia para que todos envolvidos em medições não precisem gastar tempo analisando situações parecidas e nem correndo o risco de decidirem por uma abordagem diferente da adotada previamente. As medições passam a ocorrer de forma mais rápida. • Facilita o aculturamento de novos profissionais responsáveis por contar pontos de função: o Guia acelera o aprendizado de novos profissionais da organização que venham a se envolver com as medições, pois já traz a resposta da maioria das dúvidas que um iniciante terá ao aplicar a técnica. • Maior convergência entre contagens e melhor comunicação entre cliente e fornecedor: num contrato de desenvolvimento e manutenção de software remunerado por PF, o Guia ajuda a evitar muitas situações de divergência nas medições de ambas as partes, ajudando assim a melhorar a relação entre cliente e fornecedor. O Guia de Contagem é um assunto abordado nos cursos: APF: Fundamentos, Aplicações e Implantação FATTO Consultoria e Sistemas “Nossa missão é fornecer aos nossos clientes, mecanismos que aumentem o valor percebido pelo mercado de seus serviços e produtos. Estes mecanismos podem ser criados a partir da aplicação da tecnologia da informação na forma de métodos, ferramentas e sistemas, desenvolvidos internamente ou disponíveis no mercado”
  13. 13. Metodologia de Implantação da Análise de 13/01/10 Pontos de Funções Pág. 13 de 15 Consultoria e Sistemas APF Avançado: Metodologia e Práticas de Medição E também é um dos produtos gerados pelo serviço Oficina de Contagem. FATTO Consultoria e Sistemas “Nossa missão é fornecer aos nossos clientes, mecanismos que aumentem o valor percebido pelo mercado de seus serviços e produtos. Estes mecanismos podem ser criados a partir da aplicação da tecnologia da informação na forma de métodos, ferramentas e sistemas, desenvolvidos internamente ou disponíveis no mercado”
  14. 14. Metodologia de Implantação da Análise de 13/01/10 Pontos de Funções Pág. 14 de 15 Consultoria e Sistemas 7) Núcleo de Competência em Métricas e Estimativas Suporte centralizado, pessoal qualificado e competente, são insumos fundamentais para que a sua organização obtenha melhores estimativas de esforço, prazo e custo a partir da aplicação da Análise de Pontos de Função ou de qualquer outra técnica de estimativa paramétrica. A definição de padrões, de ferramentas de suporte, de processos de coleta e documentação e a análise dos dados dos projetos são centralizados no Núcleo de Competência em Métricas e Estimativas, também chamado de escritório de orçamentos. Isso habilita a elaboração, manutenção e evolução de uma base de conhecimento de estimativas corporativa. Os integrantes desse núcleo utilizam-se desses recursos para estimar projetos dos quais não fazem parte e, portanto, estão menos sujeitos às pressões políticas normalmente exercidas sobre a equipe do projeto. O Núcleo suporta a disseminação de experiências relativas ao seu trabalho com a publicação contínua de resultados, casos, relatórios ou transferência do conhecimento obtido junto a outras organizações. Com isso, há uma melhora na comunicação necessária a estimativas consistentes e um estímulo à aceitação das mudanças introduzidas; o pessoal se sente informado e envolvido. Além das atividades de rotina descritas, as principais atividades desse núcleo na implantação da Análise de Pontos de Função para fins de estimativa e/ou orçamentários são: • Formar a equipe de métricas; • Elaborar o plano de treinamento; • Análise de custo x benefício; • Providenciar ferramentas de apoio; • Apresentar o plano e obter aprovação da gerência para sua execução. O profissional à frente desse núcleo coordena o planejamento e organização das tarefas de medição. Responde também pelo planejamento e garantia de qualidade das contagens de pontos de função. Sua equipe, que conta com profissionais certificados especialistas em pontos de função (CFPS), é responsável pela execução das contagens conforme o seu propósito e a política estabelecida quanto ao nível de detalhamento da contagem. Conforme a sua política ou disponibilidade de recursos, a FATTO pode formar seus profissionais para compor esse núcleo ou oferecer o outsourcing total. FATTO Consultoria e Sistemas “Nossa missão é fornecer aos nossos clientes, mecanismos que aumentem o valor percebido pelo mercado de seus serviços e produtos. Estes mecanismos podem ser criados a partir da aplicação da tecnologia da informação na forma de métodos, ferramentas e sistemas, desenvolvidos internamente ou disponíveis no mercado”
  15. 15. Metodologia de Implantação da Análise de 13/01/10 Pontos de Funções Pág. 15 de 15 Consultoria e Sistemas 8) Repositório de Métricas de Projeto O uso da APF passa a ter maior valor para a organização na medida em que ela pode estabelecer relações entre o produto de sua aplicação - o tamanho funcional - e outras grandezas com maior interesse para os objetivos de negócio como esforço, custo ou prazo de um projeto de software. Mesmo nos casos onde a quantidade de pontos de função em si seja o principal interesse, como quando ela é a unidade de medição em contratos, ainda assim, conhecer esses relacionamentos é importante. Afinal muito antes do momento em que se faz a primeira medição de um contrato, é necessário que se faça o orçamento do objeto contratado. Estimar o esforço para a conclusão de um projeto de software (Project Work Effort) é fornecer um prognóstico provável da quantidade de homens-hora para o empreendimento. Dependendo dos propósitos da organização é aceitável um maior ou menor grau de confiança. A estimativa de esforço a partir do tamanho em pontos de função é feita considerando a relação entre os dois e expressa numericamente pela taxa de entrega (Project Delivery Rate): Esforço(Hh) = Tamanho(PF) x Taxa de Entrega(Hh/PF) Existem números disponíveis compreendendo diversas plataformas, linguagens e tipos de aplicação, são calculados com base na contribuição de organizações de diversos países e ramos de atividade. Uma referência deste tipo é o International Software Benchmarking Standards Group (ISBSG). Se o propósito é ter uma ordem de grandeza de determinado projeto, essa informação pode ser suficiente. Mas se a intenção é a elaboração de um plano orçamentário ou o planejamento de um projeto, aumenta o grau de comprometimento daquele que utiliza informações de referência cujo nível de precisão oferecido não corresponde ao exigido. O melhor número é aquele que reflete a experiência da própria organização, que expressa a relação verificada entre a quantidade de pontos de função e o esforço de projetos inseridos no contexto o mais próximo daquele que se deseja estimar. Mesmo outras técnicas de estimativa paramétrica, como o COnstructive COst MOdel (COCOMOII), tem seu uso recomendado quando a precisão da estimativa requerida já é um fator crítico, após ter os seus parâmetros calibrados às condições locais. Essa calibragem tem como insumos os dados reais obtidos de no mínimo entre cinco e dez projetos. A falta de calibragem nesses casos é um dos principais problemas verificados na utilização desse tipo de modelo. Para que sua organização possa estabelecer essa e outras relações é que existe o Repositório de Métricas de Projeto, ou base histórica. A sua definição deve estar associada aos objetivos estratégicos definidos para sua organização. As métricas são coletadas com a intenção de responder se esses objetivos estão sendo alcançados, com o propósito de dar visibilidade do estado de um projeto e transformar a experiência individual em coletiva. A FATTO pode ajudá-los desde a definição desse repositório, dos processos de coleta, consolidação, análise e disseminação, utilizando técnicas como o Goal/Question/Metric, até a sua população com a medição dos projetos empreendidos por sua organização. Em nosso curso de Capacitação em Análise de Pontos de Função, o participante tem condições de inserir o ponto de função como mais uma grandeza na gerência de projetos. Ele aprenderá quais são as relações básicas existentes entre a quantidade de pontos de função e outras grandezas, como esforço, prazo e custo. Podemos fechar uma turma para sua organização ou então você pode se inscrever ou a alguém de sua equipe em alguma de nossas turmas abertas ao público. Veja o nosso Calendário de Cursos Abertos ao Público. Para saber mais sobre como a FATTO pode ajudá-lo a implantar e utilizar efetivamente um Repositório de Métricas de Projeto consulte o nosso serviço de Implantação de Análise de Pontos de Função. Ou entre em contato conosco. FATTO Consultoria e Sistemas “Nossa missão é fornecer aos nossos clientes, mecanismos que aumentem o valor percebido pelo mercado de seus serviços e produtos. Estes mecanismos podem ser criados a partir da aplicação da tecnologia da informação na forma de métodos, ferramentas e sistemas, desenvolvidos internamente ou disponíveis no mercado”

×