“ REFLEXÕES SOBRE ALFABETIZAÇÃO” “ A representação da linguagem e o processo de alfabetização” Emília Ferreiro – Cortez Ed...
“ Nenhuma prática pedagógica é neutra. Todas estão apoiadas em certo modo de conceber o processo de aprendizagem e o objet...
Se se considera a escrita como um CÓDIGO de transcrição gráfica das unidades sonoras CONSEQÜÊNCIAS PARA PRÁTICA PEDAGÓGICA...
UM CÓDIGO ESTABELECE UMA RELAÇÃO BIUNÍVOCA ENTRE DOIS ELEMENTOS Alfabeto = Conjunto de elementos que pode ser usado em out...
“ Quando se confunde escrever com desenhar letras, entende-se a cópia e a repetição dos modelos apresentados como um proce...
“ Se não há  dificuldades para  discriminar entre duas formas visuais próximas, nem entre duas formas auditivas próximas, ...
“ Se pensarmos que o ensino da língua escrita tem por objetivo o aprendizado de um CÓDIGO DE TRANSCRIÇÃO gráfica das unida...
Se a escrita é considerada  como  REPRESENTAÇÃO DA LINGUAGEM CONSEQÜÊNCIAS PARA PRÁTICA PEDAGÓGICA Sua aprendizagem implic...
Escrita considerada  como  REPRESENTAÇÃO DA LINGUAGEM CONSEQÜÊNCIAS PARA PRÁTICA PEDAGÓGICA Aprendizagem se converte  na a...
“ Quando se entende a  aprendizagem da escrita como a apropriação de um novo objeto de conhecimento, (...) “dissociá-la do...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Apresentacao representacao da_linguagem_emilia_ferreiro_2 (1)

5.223 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
5.223
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
6
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
106
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Apresentacao representacao da_linguagem_emilia_ferreiro_2 (1)

  1. 1. “ REFLEXÕES SOBRE ALFABETIZAÇÃO” “ A representação da linguagem e o processo de alfabetização” Emília Ferreiro – Cortez Editora
  2. 2. “ Nenhuma prática pedagógica é neutra. Todas estão apoiadas em certo modo de conceber o processo de aprendizagem e o objeto dessa aprendizagem. (...) Conforme se coloque a relação entre o sujeito e o objeto de conhecimento, e conforme se caracterize a ambos, certas práticas aparecerão como ‘normais’ ou como ‘aberrantes’ ”. (p. 31)
  3. 3. Se se considera a escrita como um CÓDIGO de transcrição gráfica das unidades sonoras CONSEQÜÊNCIAS PARA PRÁTICA PEDAGÓGICA Sua aprendizagem é concebida como aquisição de uma técnica de transcrição de sons. Coloca-se em 1º plano a discriminação perceptiva (visual e auditiva)
  4. 4. UM CÓDIGO ESTABELECE UMA RELAÇÃO BIUNÍVOCA ENTRE DOIS ELEMENTOS Alfabeto = Conjunto de elementos que pode ser usado em outro sistema para inventar códigos.
  5. 5. “ Quando se confunde escrever com desenhar letras, entende-se a cópia e a repetição dos modelos apresentados como um processo de aprendizagem que leva a bons resultados” (p. 32) CONSEQÜÊNCIAS PARA PRÁTICA PEDAGÓGICA
  6. 6. “ Se não há dificuldades para discriminar entre duas formas visuais próximas, nem entre duas formas auditivas próximas, nem também para desenhá-las, não deveria existir dificuldade para aprender a ler, já que se trata de uma simples transcrição do sonoro para um código visual”. (o fracasso escolar acaba sendo creditado a problemas do aluno) CONSEQÜÊNCIAS PARA PRÁTICA PEDAGÓGICA
  7. 7. “ Se pensarmos que o ensino da língua escrita tem por objetivo o aprendizado de um CÓDIGO DE TRANSCRIÇÃO gráfica das unidades sonoras, é possível dissociar o ensino da leitura do ensino da escrita”. (p. 36) CONSEQÜÊNCIAS PARA PRÁTICA PEDAGÓGICA
  8. 8. Se a escrita é considerada como REPRESENTAÇÃO DA LINGUAGEM CONSEQÜÊNCIAS PARA PRÁTICA PEDAGÓGICA Sua aprendizagem implica na COMPREENSÃO do modo de construção de um sistema de representação da escrita
  9. 9. Escrita considerada como REPRESENTAÇÃO DA LINGUAGEM CONSEQÜÊNCIAS PARA PRÁTICA PEDAGÓGICA Aprendizagem se converte na apropriação de um novo objeto de conhecimento, ou seja: uma APRENDIZAGEM CONCEITUAL.
  10. 10. “ Quando se entende a aprendizagem da escrita como a apropriação de um novo objeto de conhecimento, (...) “dissociá-la do ensino da leitura carece totalmente de sentido, pois sabemos que, para a criança, trata-se de compreender a estrutura do sistema de escrita, e que, para conseguir compreendê-lo, realiza tanto atividades de interpretação como de produção ”. (p. 36) CONSEQÜÊNCIAS PARA PRÁTICA PEDAGÓGICA

×