SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 50
Baixar para ler offline
Unidade I
HOMEM E SOCIEDADE
Profa. Claudete Nogueira
Objetivos
 Antropologia Social ciências da
sociedade, voltada à compreensão do
comportamento humano orientado pela
cultura.
 Homem e Sociedade e Antropologia
Compreensão das relações sociais
profundamente influenciadas pelo
conjunto complexo que forma a cultura.
A cultura
 Compreender a cultura leva a uma nova
postura que permite perceber nossa vida
em sociedade como uma fonte
inesgotável de estabelecimento de
regras e padrões, como suas constantes
m danças
mudanças.
 A isso chamamos diversidade.
Ser humano, cultura e sociedade
 Comportamento humano, diferente de
outras espécies que vivem
coletivamente, é orientado pela cultura
ao invés do instinto.
 O comportamento humano baseado na
cultura e na troca de conhecimento
(aprendizagem) é o que nos distingue
muito das demais espécies.
Ser humano, cultura e sociedade
 Precisamos de história, da experiência
das gerações passadas, da capacidade
de nos educar mutuamente.
 Definição de cultura "um conjunto
complexo que inclui os conhecimentos,
as crenças, a arte, a lei, a moral, os
costumes e todas as outras capacidades
e hábitos adquiridos pelo homem
enquanto membro de uma
sociedade".(Taylor,1871)
Ser humano, cultura e sociedade
 Os padrões de comportamento coletivo
são adquiridos.
 Tudo que compartilhamos ao viver em
sociedade, e que podemos observar que
se repete na maioria dos indivíduos de
nosso grupo, é resultado de um
processo de aprendizagem da cultura
que denominamos socialização.
Ser humano, cultura e sociedade
“O processo por meio do qual o indivíduo
aprende a ser um membro da sociedade,
designado pelo nome de socialização, não
tem fim e pode dividir-se em socialização
primária e socialização secundária. A
família é tradicionalmente a instit ição
família é tradicionalmente a instituição
responsável pela socialização primária e a
escola, o trabalho e as demais instituições
são responsáveis pela socialização
secundária.”(Peter e Brigitte Berger )
Ser humano, cultura e sociedade
Socialização
 forma de educação, mas vai para além
dela.
 A cultura tem uma influência tão profunda
em nossa forma de encarar o mundo, que
, q
pensamos durante a maior parte do
tempo, que tudo é muito “natural”.
Ser humano, cultura e sociedade
 Ao nascer um indivíduo da espécie homo
sapiens sapiens, somos dotados de
potencialidades inatas como linguagem,
inteligência, postura bípede entre outras
coisas.
 Nenhuma dessas características se
desenvolve “naturalmente”. Precisamos
dos estímulos do meio para que cada
uma delas seja utilizada, desenvolvida e
lapidada.
Ser humano, cultura e sociedade
 O ser humano é um “animal cultural” em
potencial.
 Precisamos do estímulo da vida em
sociedade que exige o desenvolvimento
de capacidades como inteligência,
comunicação e cooperação.
 Para exercitar essas capacidades,
precisamos de modelos, exemplos que
podem ser seguidos.
 A cultura é exatamente esse modelo.
A cultura é exatamente esse modelo.
Ser humano, cultura e sociedade
A influência do Meio para a vida
humana:socialização e o aprendizado das
atitudes sociais
Exemplos:
 “crianças selvagens” ou “meninos-
crianças selvagens ou meninos
lobo”.
 Auto flagelação dos muçulmanos
 a cultura e os processos de socialização
modelam nossa forma de perceber o
mundo e agir em cada situação
mundo e agir em cada situação.
Ser humano, cultura e sociedade
 A vida em sociedade exige o
desenvolvimento de capacidades como
inteligência, comunicação e cooperação.
 Para exercitar essas capacidades,
precisamos de modelos, exemplos que
podem ser seguidos.
 A cultura é exatamente esse modelo.
Relação indivíduo e sociedade
 O ser humano é produto do meio, ou
produto de sua própria natureza?
 Nosso comportamento é resultado da
combinação entre a influência de nossa
cultura, nossas capacidades inatas e a
história de vida pessoal.
Relação indivíduo e sociedade
 Da perspectiva antropológica: nossa
herança genética é importante, e deve
ser considerada como um fator que pode
facilitar ou impedir certos
comportamentos.
 Sem as condições sociais as
potencialidades não são desenvolvidas.
A influência da natureza sobre a
cultura
 Para os que defendem que a cultura é
um mero reflexo das condições naturais
de um povo (sua genética e seu
ecossistema), há as teses que
chamamos de “determinismo biológico”
o “determinismo geográfico”
ou “determinismo geográfico”.
A influência da natureza sobre a
cultura
 A antropologia se preocupa em
demonstrar a importância da cultura, e
minimizar coisas como nossas
características físicas, ou o clima e
geografia física do lugar onde nascemos.
Interatividade
O processo por meio do qual o indivíduo
aprende a ser um membro da sociedade é
designado:
a) Cultura;
b) Associação;
b) Associação;
c) Aprendizagem;
d) Socialização;
e) Assimilação.
O surgimento da cultura
A origem da Cultura: questões
Quem começou a inventar palavras para
dar nomes às coisas, ou saber quais
alimentos são comestíveis e como
devemos prepará-los? Quem inventou o
primeiro tipo de calçado, ou descobriu
como fabricar o vidro? Enfim, como surgiu
a cultura? Qual a importância em decifrar
esse fato pode ter para nossa compreensão
de ser humano?
O surgimento da cultura
 A Teoria da evolução
 No séc. XIX Charles Darwin (biólogo),
afirmou que todas as espécies vivas
resultam de uma EVOLUÇÃO ao longo
do tempo:Para que isso ocorra é
necessário:
 Adaptação ao meio.
 Seleção natural
O aparecimento do Homo Sapiens
A teoria da evolução
 “O homem descende do macaco.”-
afirmação polêmica de Darwin na
segunda metade do séc. XIX
 Para os evolucionistas, todas as
Para os evolucionistas, todas as
espécies vivas foram surgindo das
transformações de outras já existentes,
dando origem a novas espécies,
enquanto outras se extinguiram.
O aparecimento do Homo Sapiens
Teoria da evolução
 Nossa espécie surgiu devido a
mudanças biológicas e ao surgimento da
cultura:
 aumento da caixa craniana
aumento da caixa craniana
 A postura ereta-
 o surgimento do polegar opositor -
“movimento de pinça”
O aparecimento do Homo Sapiens
A partir dessas três características básicas
que se desenvolvem inúmeras outras
características como:
 A capacidade da fala
 De fabricar instrumentos para a
De fabricar instrumentos para a
sobrevivência.
O aparecimento do Homo Sapiens
O ser humano teria surgido plenamente
dotado dessas características em conjunto:
 Características biológicas: forma,
funcionamento e estrutura do corpo.
 Características culturais: todo
Características culturais: todo
comportamento baseado nas regras de
comportamento em grupo que nos
permite transformar a natureza para a
sobrevivência (trabalho), e nos permite
atribuir significados e sentidos ao
mundo através dos símbolos
O aparecimento do Homo Sapiens
 A origem dos primeiros humanos
ocorreu no continente africano entre 200
e 100 mil anos atrás.
 As famílias humanas foram adquirindo
características físicas diferentes em
função tanto da necessidade de
adaptação a novos meios, como pela
combinação da carga genética de cada
grupo.
O aparecimento do Homo Sapiens
 Os primeiros tempos
 não havia escrita e os únicos vestígios
de comunicação encontrados são as
pinturas em cavernas (arte rupestre) e
pequenas estatuetas representando
figuras femininas.
 Eram organizados em bandos que
praticavam caça e coleta, por isso
dependiam de deslocamentos
constantes em busca de alimento
O aparecimento do Homo Sapiens
 A Revolução neolitica
 o ser humano desenvolveu técnicas
determinantes para a história de nossa
espécie:
 a agricultura;
 a domesticação de animais,
 Sedentarismo
 Surgem a cerâmica e a tecelagem
 Comércio e uso da moeda
 Divisão sexual do trabalho
Divisão sexual do trabalho
 Fundição de metais
 Surge a propriedade privada
 O neolítico termina com a invenção da
escrita
Humanidade
Interatividade
A agricultura e a domesticação de animais
significaram a garantia de alimentação dos
grupos humanos, independente do sucesso
na caça e coleta.Essas transformações
permitiram aos grupos humanos:
a) A divisão de tarefas;
b) O sedentarismo;
c) O desenvolvimento religioso;
d) O nomadismo,isto é, as mudanças
constantes;
constantes;
e) A descoberta do fogo.
A cultura do homem
A lógica das trocas
 Claude Lévi-Strauss, defende que a
proibição do incesto (relações sexuais
entre indivíduos com parentesco
próximo) foi a primeira “atitude cultural”
do ser humano,
 Permitiu uma mudança no
comportamento do animal humano: as
trocas.
A cultura do homem
A proibição do incesto indicou:
 a existência da noção de família e
parentesco.
 organização melhor da produção e
distribuição de alimentos e recursos.
distribuição de alimentos e recursos.
 a idéia de reciprocidade, ou seja,
devolver de alguma forma o que foi
recebido.
A cultura do homem
A importância das tradições culturais
“... entre as formigas (e outros animais
sociais) existe sociedade, mas não existe
cultura. Ou seja, existe uma totalidade
ordenada de indivíduos que atuam como
coletividade... Mas não há cultura porque
não existe uma tradição viva,
conscientemente elaborada que passe de
geração para geração, que permita
individualizar ou tornar singular e única
uma dada comunidade relativamente às
uma dada comunidade relativamente às
outras (constituídas de pessoas da mesma
espécie).” (DaMatta)
O senso comum e a ciência
antropológica explicam a cultura
 Chamado de “filosofia do povo”, ou
“escola da vida” nem sempre, o senso
comum nos proporciona soluções
eficientes no que se refere aos contatos
sociais.
É
 É de responsabilidade do senso comum
o conjunto de preconceitos e idéias
equivocadas sobre questões complexas
cuja polêmica exigiria reflexão, interação
e ponderação.
O senso comum e a ciência
antropológica explicam a cultura
Cultura no senso comum
 “ter cultura” significa ter estudado muito
e dominar uma grande variedade de
temas e áreas do conhecimento letrado.
 Normalmente as pessoas utilizam essa
Normalmente as pessoas utilizam essa
idéia para julgar pessoas ou povos.
 “Que povo sem cultura!”
O senso comum e a ciência
antropológica explicam a cultura
Conceito antropológico de Cultura:
 Franz Boas (1930) - “A cultura inclui
todas as manifestações dos hábitos
sociais de uma comunidade, as reações
do indivíduo na medida em que são
afetadas pelos costumes do grupo em
que vive, e os produtos das atividades
humanas na medida em que são
determinados por tais costumes”.
O senso comum e a ciência
antropológica explicam a cultura
Conceito antropológico de Cultura:
 B. Malinoswki (1931) - “ (...) A cultura
inclui os artefatos, bens, procedimentos
técnicos, idéias, hábitos e valores
herdados. Não se pode compreender
verdadeiramente a organização social
senão como uma parte da cultura”.
O senso comum e a ciência
antropológica explicam a cultura
Conceito antropológico de Cultura
Clifford Geertz (1966) - “Se compreende
melhor a cultura não como complexos de
esquemas concretos de conduta –
costumes, usos, tradições, conjuntos de
hábitos – mas sim como planos, receitas,
fórmulas, regras, instruções (o que os
engenheiros de computação chamam de
‘programas’) e que governam a conduta”.
O senso comum e a ciência
antropológica explicam a cultura
Conceito antropológico de Cultura
 Anthony Giddens (1989) - “Cultura se
refere aos valores que compartilham os
membros de um grupo, às normas que
estabelecem e os bens materiais que
produzem. Os valores são ideais
abstratos, enquanto que as normas são
princípios definidos ou regras que as
pessoas devem cumprir”.
O senso comum e a ciência
antropológica explicam a cultura
Conceito antropológico de Cultura
 O que há em comum é a tentativa de
abarcar todas as realizações humanas,
representadas em dois níveis
complementares que são as realizações
materiais e as imateriais.
 Para a antropologia, cultura é um
conceito que define nossa imensa
capacidade de criar diferentes soluções
para a vida humana.
 Ao criar essas soluções, cada sociedade
contribui para gerar a diversidade
cultural.
Interatividade
Quanto a definição de cultura é incorreto
afirmar:
a) Todos os povos possuem capacidade de
criar cultura;
b) Cada sociedade contribui para criar a
b) Cada sociedade contribui para criar a
diversidade cultural;
c) As culturas ocidentais são mais
avançadas que as de outros povos;
d) Cultura Material e Imaterial fazem parte
da vida humana;
e) A cultura também se refere a valores
compartilhados pelo grupo.
A comunicação humana é simbólica
O símbolo, o ato de simbolizar e a cultura:
 A cultura depende dos símbolos, a
comunicação humana é baseada na
simbolização.
 A maior parte de nossa comunicação
A maior parte de nossa comunicação
diária tem como finalidade narrar,
descrever, lembrar, conceituar, coisas
que não estão presentes. Ao fazer isso,
retiramos todas as coisas de seus
contextos originais, que não pode ser
reproduzido em toda a sua riqueza e
complexidade, e escolhemos alguns de
seus aspectos a serem ressaltados.
A comunicação humana é simbólica
O símbolo, o ato de simbolizar e a cultura:
 Simbolizamos as experiências vividas, e
através dessa comunicação simbólica
podemos atribuir qualidades ao mundo.
 “Essa flor é alegre”, “esse cheiro me
Essa flor é alegre , esse cheiro me
lembra a infância”, “as cores dessa
bandeira simbolizam a paz e a riqueza”,
“o crucifixo identifica os cristãos”, são
formas de simbolizar experiências e
sensações.
A comunicação humana é simbólica
O símbolo, o ato de simbolizar e a cultura:
 Os símbolos são frutos: da persistência
humana de olhar para o mundo e ver
significados, tornar rotineiras as
soluções racionalmente pensadas, de
significados coletivamente construídos.
A comunicação humana é simbólica
A comunicação humana
Há muitas formas de comunicar e que
dependem do uso dos símbolos:
 Verbal -utilização de palavras da nossa
língua, que traduz em sons e organiza
língua, que traduz em sons e organiza
através da sintaxe as regras de
omunicação.
 Não-verbal- há todo o universo de
símbolos que não dependem das
palavras como sons sem palavras,
palavras como sons sem palavras,
gestos e cores
A comunicação humana é simbólica
Em uma mesma cultura, existe a tendência
a utilizar o mesmo “repertório simbólico”, e
esse repertório pode mudar em outras
culturas.Exemplos:
 Estar doente, ou “doente de paixão”,
“doente de vontade de comer algo”.
 Ser “uma derrota amarga”, “amargo para
o paladar”, “amargo de doer”.
A comunicação humana é simbólica
 A simbolização acompanha o ser
humano.
 Em suas realizações materiais o ser
humano pensa simbolicamente. Não nos
abrigamos de qualquer forma, não nos
alimentamos de qualquer forma, não
fabricamos as coisas com qualquer
forma.
A comunicação humana é simbólica
 O símbolo é a mais antiga forma de
expressar a cultura de um povo.
 A simbolização permite ao homem
transmitir os seus conhecimentos
adquiridos e acumulados no decorrer do
tempo.
 Os símbolos conservam os valores
básicos para que a cultura de uma
sociedade seja perene.
A comunicação humana é simbólica
 A comunicação seja pela linguagem
escrita, falada, filmada, ou pelas artes, o
conteúdo do que é comunicado é sempre
algo que precisa ser interpretado.
Interpretar é dar sentido, entender,
j lgar
julgar.
 Essa comunicação é composta de
conteúdos que se tornaram convenção
social.
 Ser membros da mesma cultura é uma
garantia de que todos estejam
interpretando de forma muito semelhante
os conteúdos comunicados.
A comunicação humana é simbólica
 “ O homem é um animal amarrado a teias
de significado que ele mesmo teceu,
sendo a cultura estas teias. Os
indivíduos sentem, percebem,
raciocinam, julgam e agem sob a direção
destes símbolos A e periência h mana
destes símbolos. A experiência humana
é assim uma sensação significativa,
interpretada e aprendida”.
(Clifford Geertz)
Interatividade
O uso da comunicação não verbal é uma
rica fonte de simbolização.Assinale a
alternativa que não exemplifica a utilização
desse símbolo:
a) As expressões faciais;
b) Histórias infantis;
c) Posturas corporais;
d) A estética;
e) Ornamentações.
ATÉ PRÓXIMA!

Mais conteúdo relacionado

Semelhante a Antropologia Social: Introdução à Cultura e Sociedade Humana

Antropologiajurdica anotaesdeaula-130226213353-phpapp02
Antropologiajurdica anotaesdeaula-130226213353-phpapp02Antropologiajurdica anotaesdeaula-130226213353-phpapp02
Antropologiajurdica anotaesdeaula-130226213353-phpapp02Claudia araujo
 
O Ser Humano e sua Dimensão Cultural.ppt
O Ser Humano e sua Dimensão Cultural.pptO Ser Humano e sua Dimensão Cultural.ppt
O Ser Humano e sua Dimensão Cultural.pptMARCELACARNEIROGOMES
 
O Ser Humano e sua Dimensão Cultural.ppt
O Ser Humano e sua Dimensão Cultural.pptO Ser Humano e sua Dimensão Cultural.ppt
O Ser Humano e sua Dimensão Cultural.pptFábio Caires Correia
 
O Ser Humano e sua Dimensão Cultural.pptx
O Ser Humano e sua Dimensão Cultural.pptxO Ser Humano e sua Dimensão Cultural.pptx
O Ser Humano e sua Dimensão Cultural.pptxBrincandocomAlicia
 
O ser humano é Natural ou Cultural?
O ser humano é Natural ou Cultural?O ser humano é Natural ou Cultural?
O ser humano é Natural ou Cultural?Bruno Carrasco
 
CONCEITO_ANTROPOLOGICO_DE_CULTURA.ppt
CONCEITO_ANTROPOLOGICO_DE_CULTURA.pptCONCEITO_ANTROPOLOGICO_DE_CULTURA.ppt
CONCEITO_ANTROPOLOGICO_DE_CULTURA.pptRubensMartins36
 
Aula 19 - Identidade Cultural - padronização e diversidade
Aula 19 - Identidade Cultural - padronização e diversidadeAula 19 - Identidade Cultural - padronização e diversidade
Aula 19 - Identidade Cultural - padronização e diversidadeClaudio Henrique Ramos Sales
 
Aula 19 - Identidade Cultural - Padronização e diversidade
Aula 19 - Identidade Cultural - Padronização e diversidadeAula 19 - Identidade Cultural - Padronização e diversidade
Aula 19 - Identidade Cultural - Padronização e diversidadeClaudio Henrique Ramos Sales
 
Como o ser humano se tornou ser humano
Como o ser humano se tornou ser humanoComo o ser humano se tornou ser humano
Como o ser humano se tornou ser humanoAndressa Joao Bidoia
 
A P O N T A M E N T O S P A R A O E S T U D O D A TÉ C N I C A E D A
A P O N T A M E N T O S  P A R A  O  E S T U D O  D A  TÉ C N I C A  E  D AA P O N T A M E N T O S  P A R A  O  E S T U D O  D A  TÉ C N I C A  E  D A
A P O N T A M E N T O S P A R A O E S T U D O D A TÉ C N I C A E D ALuiz Carlos Wessler
 
Sociologia civ i
Sociologia civ   iSociologia civ   i
Sociologia civ iDiedNuenf
 
Antropologia jurídica.
Antropologia jurídica. Antropologia jurídica.
Antropologia jurídica. Direito2012sl08
 
ATIVIDADE - CONCEITO DE CULTURA COM JOGO DA CRUZADINHA
ATIVIDADE - CONCEITO DE CULTURA COM JOGO DA CRUZADINHAATIVIDADE - CONCEITO DE CULTURA COM JOGO DA CRUZADINHA
ATIVIDADE - CONCEITO DE CULTURA COM JOGO DA CRUZADINHAProf. Noe Assunção
 
Homem e sociedade unip
Homem e sociedade unipHomem e sociedade unip
Homem e sociedade unipArte de Lorena
 
Sociologia unidade V
Sociologia unidade VSociologia unidade V
Sociologia unidade Vjoao paulo
 
1 conceito de cultura - laraia cultura-um_conceito_antropologico
1   conceito de cultura - laraia cultura-um_conceito_antropologico1   conceito de cultura - laraia cultura-um_conceito_antropologico
1 conceito de cultura - laraia cultura-um_conceito_antropologicocrissgrancio
 
3 cultura-111110095859-phpapp01
3 cultura-111110095859-phpapp013 cultura-111110095859-phpapp01
3 cultura-111110095859-phpapp01Joelson Nascimento
 

Semelhante a Antropologia Social: Introdução à Cultura e Sociedade Humana (20)

Antropologiajurdica anotaesdeaula-130226213353-phpapp02
Antropologiajurdica anotaesdeaula-130226213353-phpapp02Antropologiajurdica anotaesdeaula-130226213353-phpapp02
Antropologiajurdica anotaesdeaula-130226213353-phpapp02
 
Cultura e sociedade
Cultura e sociedadeCultura e sociedade
Cultura e sociedade
 
O Ser Humano e sua Dimensão Cultural.ppt
O Ser Humano e sua Dimensão Cultural.pptO Ser Humano e sua Dimensão Cultural.ppt
O Ser Humano e sua Dimensão Cultural.ppt
 
O Ser Humano e sua Dimensão Cultural.ppt
O Ser Humano e sua Dimensão Cultural.pptO Ser Humano e sua Dimensão Cultural.ppt
O Ser Humano e sua Dimensão Cultural.ppt
 
O Ser Humano e sua Dimensão Cultural.pptx
O Ser Humano e sua Dimensão Cultural.pptxO Ser Humano e sua Dimensão Cultural.pptx
O Ser Humano e sua Dimensão Cultural.pptx
 
O ser humano é Natural ou Cultural?
O ser humano é Natural ou Cultural?O ser humano é Natural ou Cultural?
O ser humano é Natural ou Cultural?
 
CONCEITO_ANTROPOLOGICO_DE_CULTURA.ppt
CONCEITO_ANTROPOLOGICO_DE_CULTURA.pptCONCEITO_ANTROPOLOGICO_DE_CULTURA.ppt
CONCEITO_ANTROPOLOGICO_DE_CULTURA.ppt
 
Aula 19 - Identidade Cultural - padronização e diversidade
Aula 19 - Identidade Cultural - padronização e diversidadeAula 19 - Identidade Cultural - padronização e diversidade
Aula 19 - Identidade Cultural - padronização e diversidade
 
Aula 19 - Identidade Cultural - Padronização e diversidade
Aula 19 - Identidade Cultural - Padronização e diversidadeAula 19 - Identidade Cultural - Padronização e diversidade
Aula 19 - Identidade Cultural - Padronização e diversidade
 
Como o ser humano se tornou ser humano
Como o ser humano se tornou ser humanoComo o ser humano se tornou ser humano
Como o ser humano se tornou ser humano
 
A P O N T A M E N T O S P A R A O E S T U D O D A TÉ C N I C A E D A
A P O N T A M E N T O S  P A R A  O  E S T U D O  D A  TÉ C N I C A  E  D AA P O N T A M E N T O S  P A R A  O  E S T U D O  D A  TÉ C N I C A  E  D A
A P O N T A M E N T O S P A R A O E S T U D O D A TÉ C N I C A E D A
 
Cultura um conceito antropológico
Cultura  um conceito antropológicoCultura  um conceito antropológico
Cultura um conceito antropológico
 
Sociologia civ i
Sociologia civ   iSociologia civ   i
Sociologia civ i
 
Antropologia jurídica.
Antropologia jurídica. Antropologia jurídica.
Antropologia jurídica.
 
ATIVIDADE - CONCEITO DE CULTURA COM JOGO DA CRUZADINHA
ATIVIDADE - CONCEITO DE CULTURA COM JOGO DA CRUZADINHAATIVIDADE - CONCEITO DE CULTURA COM JOGO DA CRUZADINHA
ATIVIDADE - CONCEITO DE CULTURA COM JOGO DA CRUZADINHA
 
Homem e sociedade unip
Homem e sociedade unipHomem e sociedade unip
Homem e sociedade unip
 
Sociologia unidade V
Sociologia unidade VSociologia unidade V
Sociologia unidade V
 
1 conceito de cultura - laraia cultura-um_conceito_antropologico
1   conceito de cultura - laraia cultura-um_conceito_antropologico1   conceito de cultura - laraia cultura-um_conceito_antropologico
1 conceito de cultura - laraia cultura-um_conceito_antropologico
 
3 cultura-111110095859-phpapp01
3 cultura-111110095859-phpapp013 cultura-111110095859-phpapp01
3 cultura-111110095859-phpapp01
 
Natureza e cultura
Natureza e culturaNatureza e cultura
Natureza e cultura
 

Antropologia Social: Introdução à Cultura e Sociedade Humana

  • 1. Unidade I HOMEM E SOCIEDADE Profa. Claudete Nogueira
  • 2. Objetivos  Antropologia Social ciências da sociedade, voltada à compreensão do comportamento humano orientado pela cultura.  Homem e Sociedade e Antropologia Compreensão das relações sociais profundamente influenciadas pelo conjunto complexo que forma a cultura.
  • 3. A cultura  Compreender a cultura leva a uma nova postura que permite perceber nossa vida em sociedade como uma fonte inesgotável de estabelecimento de regras e padrões, como suas constantes m danças mudanças.  A isso chamamos diversidade.
  • 4. Ser humano, cultura e sociedade  Comportamento humano, diferente de outras espécies que vivem coletivamente, é orientado pela cultura ao invés do instinto.  O comportamento humano baseado na cultura e na troca de conhecimento (aprendizagem) é o que nos distingue muito das demais espécies.
  • 5. Ser humano, cultura e sociedade  Precisamos de história, da experiência das gerações passadas, da capacidade de nos educar mutuamente.  Definição de cultura "um conjunto complexo que inclui os conhecimentos, as crenças, a arte, a lei, a moral, os costumes e todas as outras capacidades e hábitos adquiridos pelo homem enquanto membro de uma sociedade".(Taylor,1871)
  • 6. Ser humano, cultura e sociedade  Os padrões de comportamento coletivo são adquiridos.  Tudo que compartilhamos ao viver em sociedade, e que podemos observar que se repete na maioria dos indivíduos de nosso grupo, é resultado de um processo de aprendizagem da cultura que denominamos socialização.
  • 7. Ser humano, cultura e sociedade “O processo por meio do qual o indivíduo aprende a ser um membro da sociedade, designado pelo nome de socialização, não tem fim e pode dividir-se em socialização primária e socialização secundária. A família é tradicionalmente a instit ição família é tradicionalmente a instituição responsável pela socialização primária e a escola, o trabalho e as demais instituições são responsáveis pela socialização secundária.”(Peter e Brigitte Berger )
  • 8. Ser humano, cultura e sociedade Socialização  forma de educação, mas vai para além dela.  A cultura tem uma influência tão profunda em nossa forma de encarar o mundo, que , q pensamos durante a maior parte do tempo, que tudo é muito “natural”.
  • 9. Ser humano, cultura e sociedade  Ao nascer um indivíduo da espécie homo sapiens sapiens, somos dotados de potencialidades inatas como linguagem, inteligência, postura bípede entre outras coisas.  Nenhuma dessas características se desenvolve “naturalmente”. Precisamos dos estímulos do meio para que cada uma delas seja utilizada, desenvolvida e lapidada.
  • 10. Ser humano, cultura e sociedade  O ser humano é um “animal cultural” em potencial.  Precisamos do estímulo da vida em sociedade que exige o desenvolvimento de capacidades como inteligência, comunicação e cooperação.  Para exercitar essas capacidades, precisamos de modelos, exemplos que podem ser seguidos.  A cultura é exatamente esse modelo. A cultura é exatamente esse modelo.
  • 11. Ser humano, cultura e sociedade A influência do Meio para a vida humana:socialização e o aprendizado das atitudes sociais Exemplos:  “crianças selvagens” ou “meninos- crianças selvagens ou meninos lobo”.  Auto flagelação dos muçulmanos  a cultura e os processos de socialização modelam nossa forma de perceber o mundo e agir em cada situação mundo e agir em cada situação.
  • 12. Ser humano, cultura e sociedade  A vida em sociedade exige o desenvolvimento de capacidades como inteligência, comunicação e cooperação.  Para exercitar essas capacidades, precisamos de modelos, exemplos que podem ser seguidos.  A cultura é exatamente esse modelo.
  • 13. Relação indivíduo e sociedade  O ser humano é produto do meio, ou produto de sua própria natureza?  Nosso comportamento é resultado da combinação entre a influência de nossa cultura, nossas capacidades inatas e a história de vida pessoal.
  • 14. Relação indivíduo e sociedade  Da perspectiva antropológica: nossa herança genética é importante, e deve ser considerada como um fator que pode facilitar ou impedir certos comportamentos.  Sem as condições sociais as potencialidades não são desenvolvidas.
  • 15. A influência da natureza sobre a cultura  Para os que defendem que a cultura é um mero reflexo das condições naturais de um povo (sua genética e seu ecossistema), há as teses que chamamos de “determinismo biológico” o “determinismo geográfico” ou “determinismo geográfico”.
  • 16. A influência da natureza sobre a cultura  A antropologia se preocupa em demonstrar a importância da cultura, e minimizar coisas como nossas características físicas, ou o clima e geografia física do lugar onde nascemos.
  • 17. Interatividade O processo por meio do qual o indivíduo aprende a ser um membro da sociedade é designado: a) Cultura; b) Associação; b) Associação; c) Aprendizagem; d) Socialização; e) Assimilação.
  • 18. O surgimento da cultura A origem da Cultura: questões Quem começou a inventar palavras para dar nomes às coisas, ou saber quais alimentos são comestíveis e como devemos prepará-los? Quem inventou o primeiro tipo de calçado, ou descobriu como fabricar o vidro? Enfim, como surgiu a cultura? Qual a importância em decifrar esse fato pode ter para nossa compreensão de ser humano?
  • 19. O surgimento da cultura  A Teoria da evolução  No séc. XIX Charles Darwin (biólogo), afirmou que todas as espécies vivas resultam de uma EVOLUÇÃO ao longo do tempo:Para que isso ocorra é necessário:  Adaptação ao meio.  Seleção natural
  • 20. O aparecimento do Homo Sapiens A teoria da evolução  “O homem descende do macaco.”- afirmação polêmica de Darwin na segunda metade do séc. XIX  Para os evolucionistas, todas as Para os evolucionistas, todas as espécies vivas foram surgindo das transformações de outras já existentes, dando origem a novas espécies, enquanto outras se extinguiram.
  • 21. O aparecimento do Homo Sapiens Teoria da evolução  Nossa espécie surgiu devido a mudanças biológicas e ao surgimento da cultura:  aumento da caixa craniana aumento da caixa craniana  A postura ereta-  o surgimento do polegar opositor - “movimento de pinça”
  • 22. O aparecimento do Homo Sapiens A partir dessas três características básicas que se desenvolvem inúmeras outras características como:  A capacidade da fala  De fabricar instrumentos para a De fabricar instrumentos para a sobrevivência.
  • 23. O aparecimento do Homo Sapiens O ser humano teria surgido plenamente dotado dessas características em conjunto:  Características biológicas: forma, funcionamento e estrutura do corpo.  Características culturais: todo Características culturais: todo comportamento baseado nas regras de comportamento em grupo que nos permite transformar a natureza para a sobrevivência (trabalho), e nos permite atribuir significados e sentidos ao mundo através dos símbolos
  • 24. O aparecimento do Homo Sapiens  A origem dos primeiros humanos ocorreu no continente africano entre 200 e 100 mil anos atrás.  As famílias humanas foram adquirindo características físicas diferentes em função tanto da necessidade de adaptação a novos meios, como pela combinação da carga genética de cada grupo.
  • 25. O aparecimento do Homo Sapiens  Os primeiros tempos  não havia escrita e os únicos vestígios de comunicação encontrados são as pinturas em cavernas (arte rupestre) e pequenas estatuetas representando figuras femininas.  Eram organizados em bandos que praticavam caça e coleta, por isso dependiam de deslocamentos constantes em busca de alimento
  • 26. O aparecimento do Homo Sapiens  A Revolução neolitica  o ser humano desenvolveu técnicas determinantes para a história de nossa espécie:  a agricultura;  a domesticação de animais,  Sedentarismo  Surgem a cerâmica e a tecelagem  Comércio e uso da moeda  Divisão sexual do trabalho Divisão sexual do trabalho  Fundição de metais  Surge a propriedade privada  O neolítico termina com a invenção da escrita
  • 28. Interatividade A agricultura e a domesticação de animais significaram a garantia de alimentação dos grupos humanos, independente do sucesso na caça e coleta.Essas transformações permitiram aos grupos humanos: a) A divisão de tarefas; b) O sedentarismo; c) O desenvolvimento religioso; d) O nomadismo,isto é, as mudanças constantes; constantes; e) A descoberta do fogo.
  • 29. A cultura do homem A lógica das trocas  Claude Lévi-Strauss, defende que a proibição do incesto (relações sexuais entre indivíduos com parentesco próximo) foi a primeira “atitude cultural” do ser humano,  Permitiu uma mudança no comportamento do animal humano: as trocas.
  • 30. A cultura do homem A proibição do incesto indicou:  a existência da noção de família e parentesco.  organização melhor da produção e distribuição de alimentos e recursos. distribuição de alimentos e recursos.  a idéia de reciprocidade, ou seja, devolver de alguma forma o que foi recebido.
  • 31. A cultura do homem A importância das tradições culturais “... entre as formigas (e outros animais sociais) existe sociedade, mas não existe cultura. Ou seja, existe uma totalidade ordenada de indivíduos que atuam como coletividade... Mas não há cultura porque não existe uma tradição viva, conscientemente elaborada que passe de geração para geração, que permita individualizar ou tornar singular e única uma dada comunidade relativamente às uma dada comunidade relativamente às outras (constituídas de pessoas da mesma espécie).” (DaMatta)
  • 32. O senso comum e a ciência antropológica explicam a cultura  Chamado de “filosofia do povo”, ou “escola da vida” nem sempre, o senso comum nos proporciona soluções eficientes no que se refere aos contatos sociais. É  É de responsabilidade do senso comum o conjunto de preconceitos e idéias equivocadas sobre questões complexas cuja polêmica exigiria reflexão, interação e ponderação.
  • 33. O senso comum e a ciência antropológica explicam a cultura Cultura no senso comum  “ter cultura” significa ter estudado muito e dominar uma grande variedade de temas e áreas do conhecimento letrado.  Normalmente as pessoas utilizam essa Normalmente as pessoas utilizam essa idéia para julgar pessoas ou povos.  “Que povo sem cultura!”
  • 34. O senso comum e a ciência antropológica explicam a cultura Conceito antropológico de Cultura:  Franz Boas (1930) - “A cultura inclui todas as manifestações dos hábitos sociais de uma comunidade, as reações do indivíduo na medida em que são afetadas pelos costumes do grupo em que vive, e os produtos das atividades humanas na medida em que são determinados por tais costumes”.
  • 35. O senso comum e a ciência antropológica explicam a cultura Conceito antropológico de Cultura:  B. Malinoswki (1931) - “ (...) A cultura inclui os artefatos, bens, procedimentos técnicos, idéias, hábitos e valores herdados. Não se pode compreender verdadeiramente a organização social senão como uma parte da cultura”.
  • 36. O senso comum e a ciência antropológica explicam a cultura Conceito antropológico de Cultura Clifford Geertz (1966) - “Se compreende melhor a cultura não como complexos de esquemas concretos de conduta – costumes, usos, tradições, conjuntos de hábitos – mas sim como planos, receitas, fórmulas, regras, instruções (o que os engenheiros de computação chamam de ‘programas’) e que governam a conduta”.
  • 37. O senso comum e a ciência antropológica explicam a cultura Conceito antropológico de Cultura  Anthony Giddens (1989) - “Cultura se refere aos valores que compartilham os membros de um grupo, às normas que estabelecem e os bens materiais que produzem. Os valores são ideais abstratos, enquanto que as normas são princípios definidos ou regras que as pessoas devem cumprir”.
  • 38. O senso comum e a ciência antropológica explicam a cultura Conceito antropológico de Cultura  O que há em comum é a tentativa de abarcar todas as realizações humanas, representadas em dois níveis complementares que são as realizações materiais e as imateriais.  Para a antropologia, cultura é um conceito que define nossa imensa capacidade de criar diferentes soluções para a vida humana.  Ao criar essas soluções, cada sociedade contribui para gerar a diversidade cultural.
  • 39. Interatividade Quanto a definição de cultura é incorreto afirmar: a) Todos os povos possuem capacidade de criar cultura; b) Cada sociedade contribui para criar a b) Cada sociedade contribui para criar a diversidade cultural; c) As culturas ocidentais são mais avançadas que as de outros povos; d) Cultura Material e Imaterial fazem parte da vida humana; e) A cultura também se refere a valores compartilhados pelo grupo.
  • 40. A comunicação humana é simbólica O símbolo, o ato de simbolizar e a cultura:  A cultura depende dos símbolos, a comunicação humana é baseada na simbolização.  A maior parte de nossa comunicação A maior parte de nossa comunicação diária tem como finalidade narrar, descrever, lembrar, conceituar, coisas que não estão presentes. Ao fazer isso, retiramos todas as coisas de seus contextos originais, que não pode ser reproduzido em toda a sua riqueza e complexidade, e escolhemos alguns de seus aspectos a serem ressaltados.
  • 41. A comunicação humana é simbólica O símbolo, o ato de simbolizar e a cultura:  Simbolizamos as experiências vividas, e através dessa comunicação simbólica podemos atribuir qualidades ao mundo.  “Essa flor é alegre”, “esse cheiro me Essa flor é alegre , esse cheiro me lembra a infância”, “as cores dessa bandeira simbolizam a paz e a riqueza”, “o crucifixo identifica os cristãos”, são formas de simbolizar experiências e sensações.
  • 42. A comunicação humana é simbólica O símbolo, o ato de simbolizar e a cultura:  Os símbolos são frutos: da persistência humana de olhar para o mundo e ver significados, tornar rotineiras as soluções racionalmente pensadas, de significados coletivamente construídos.
  • 43. A comunicação humana é simbólica A comunicação humana Há muitas formas de comunicar e que dependem do uso dos símbolos:  Verbal -utilização de palavras da nossa língua, que traduz em sons e organiza língua, que traduz em sons e organiza através da sintaxe as regras de omunicação.  Não-verbal- há todo o universo de símbolos que não dependem das palavras como sons sem palavras, palavras como sons sem palavras, gestos e cores
  • 44. A comunicação humana é simbólica Em uma mesma cultura, existe a tendência a utilizar o mesmo “repertório simbólico”, e esse repertório pode mudar em outras culturas.Exemplos:  Estar doente, ou “doente de paixão”, “doente de vontade de comer algo”.  Ser “uma derrota amarga”, “amargo para o paladar”, “amargo de doer”.
  • 45. A comunicação humana é simbólica  A simbolização acompanha o ser humano.  Em suas realizações materiais o ser humano pensa simbolicamente. Não nos abrigamos de qualquer forma, não nos alimentamos de qualquer forma, não fabricamos as coisas com qualquer forma.
  • 46. A comunicação humana é simbólica  O símbolo é a mais antiga forma de expressar a cultura de um povo.  A simbolização permite ao homem transmitir os seus conhecimentos adquiridos e acumulados no decorrer do tempo.  Os símbolos conservam os valores básicos para que a cultura de uma sociedade seja perene.
  • 47. A comunicação humana é simbólica  A comunicação seja pela linguagem escrita, falada, filmada, ou pelas artes, o conteúdo do que é comunicado é sempre algo que precisa ser interpretado. Interpretar é dar sentido, entender, j lgar julgar.  Essa comunicação é composta de conteúdos que se tornaram convenção social.  Ser membros da mesma cultura é uma garantia de que todos estejam interpretando de forma muito semelhante os conteúdos comunicados.
  • 48. A comunicação humana é simbólica  “ O homem é um animal amarrado a teias de significado que ele mesmo teceu, sendo a cultura estas teias. Os indivíduos sentem, percebem, raciocinam, julgam e agem sob a direção destes símbolos A e periência h mana destes símbolos. A experiência humana é assim uma sensação significativa, interpretada e aprendida”. (Clifford Geertz)
  • 49. Interatividade O uso da comunicação não verbal é uma rica fonte de simbolização.Assinale a alternativa que não exemplifica a utilização desse símbolo: a) As expressões faciais; b) Histórias infantis; c) Posturas corporais; d) A estética; e) Ornamentações.