Cienciassociais

284 visualizações

Publicada em

Fundamentos da Ciências Sociais

Publicada em: Educação
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
284
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Cienciassociais

  1. 1. INDIVIDUALISMOÉMILE DURKHEIMFato Social- Exterioridade (o fato social é exterior ao indivíduo).- Coercitividade.- Generalidade (o fato social é geral).* Os fatos sociais são regras jurídicas, morais e sistemas financeiros.Método: Tratar os fatos sociais como COISA a partir de três princípios de orientação racionalistapositivistas:1. A sociedade é regida por leis naturais.2. De que a sociedade pode ser estudada pelos métodos da ciência da natureza.3. De que as ciências da sociedade, assim como da natureza, devem limitar a análise defenômenos de forma neutra, objetiva e livre de julgamentos.- O método envolve três características:a) Ser independente diante de qualquer filosofia, visando apenas o princípio da causalidade.b) Garantir a objetividade eliminando as pré-noções e examiná-los como são.c) Devem ser explicadas por outro fato social, por comparatividade.CONSCIÊNCIA COLETIVAMAX WEBER- Sua corrente tenta compreender a sociedade sob a ótica do conflito.- A maior diferença entre essa corrente e a de Durkheim é a sociedade por meio social de Durkheime a sociedade por meio das ações do indivíduo de Weber.- Weber faz uma diferenciação entre Ciência x Política e Economia x Sociedade. Ele imagina umasociedade neutra, em que a ciência não se deve misturar com a política e analisa a sociedade, masabstém-se da opinião.
  2. 2. EVOLUCIONISMO CULTURAL- Ideologia científica que preconizava a evolução necessária e linear das sociedades humanas, àexemplo da civilização européia.- A vertente cultural do evolucionismo seria a aplicação da teoria geral da evolução ao fenômenocultural.Maine: interessado na evolução do Estado estudou o parentesco dos povos primitivos acreditandoque a família patriarcal era a forma original e universal da vida social.Hadson: ressaltou a evolução nas artes.James Frazen: postulava três etapas da evolução pelas quais todas as sociedades passariam – magia,religião e ciência.Morgan: distinguiu 3 grandes períodos da evolução: selvageria, barbárie e civilização.ELEMENTOS BÁSICOS DA ESCOLA EVOLUCIONISTA1. Sucessão linear (consistia em um sistema hipotético de progressão singular e universal.2. Observação do presente pelo passado.3. A busca da origem explicativa da humanidade.4. Método corporativo (que ordenavam os dados observados de acordo com os princípiosestabelecidos cronologicamente).ESCOLA HISTORICISTA- Procurava explicar o desenvolvimento cultural através do processo de difusão de elementosculturais de uma sociedade a outra (praticamente nada se inventava, tudo se trocava).- Dava ênfase no fenômeno da difusão e nos contatos entre os povos, e surge em reação àssimplificações do evolucionismo, oferecendo maior rigor científico às informações.FUNCIONALISMO- Rejeitam na teoria da cultura a explicação da origem da história, propagando a lógica do sistema.- Defendiam uma visão sincrônica da realidade social, ou seja, uma realidade disposta num espaço
  3. 3. determinado independente do tempo passado.- Relacionam a sociedade a um organismo, uma unidade complexa.RESUMO DO LIVRO“ANTROPOLOGIA PARA QUEM NÃO VAI SER ANTROPÓLOGO"I. O que é, como surgiu?1. O que é Antropologia?O estudo das Ciências Sociais é motivo de grandes questionamentos quanto a sua utilidade.Afinal, o desconhecido de tal matéria é praticamente geral, mesmo entre os estudantes.Além de que existe um grande pensamento equivocado em relação ao protótipo do antropólogo,onde ele é visto como alguém da selva, em busca de aventuras e de desvendar histórias.E muitas pessoas também os confundem com outros tipos de profissionais relacionadas com apesquisa histórica, como os arqueólogos, ou até com os paleontólogos, ao imaginar que eles estudamos fósseis ou algo relacionado.Outra complicação à cerca da Antropologia é quanto ao significado de seu nome, que diz ser oestudo do homem, mas atualmente este é um conceito inválido, mesmo porque não tem um sentidopróprio e abranda o geral.Entretanto, a Antropologia não tem um conceito claro, ela é um conjunto de estudos e pesquisasdas coisas que estão no nosso meio social, seja em relação à educação, à política, etc., envolvendo
  4. 4. desde os índios até a sociedade contemporânea.2. Como surgiu? Um pouco de históriaA Antropologia surgiu na Europa, aproximadamente no século XI, e foi motivo de váriascomparações com a Sociologia, já que iniciaram da mesma forma devido aos contextos sociaisintelectuais, econômicos, políticos e culturais, sendo a Sociologia uma ciência da sociedadeindustrial, sociedade esta que prevalecia na época.Já a Antropologia teve uma forte ligação com o surgimento do capitalismo, sendo este parte desua origem histórica refletido nas teorias dessa ciência. Além disso, sofreu influências dopositivismo, do evolucionismo, entre outras correntes.3. Evolucionismo Social e Positivismo, Meio e Raça.3.1 Evolucionismo SocialO meio europeu daquela época teve fortes influências das Ciências da Natureza, nas quais sedestacaram os intelectuais Pierre Lamarck e Charles Darwin, ambos com teorias que tratavam daevolução da sociedade que representaram um grande avanço.Para Lamarck, as sociedades evoluíam por conseqüência de mudanças e adaptações no meioambiente. Para Darwin, a evolução do indivíduo se dava por meio de uma seleção natural. Masambas tinham a mesma idéia de que o ser humano ia do mais “simples” para o mais “complexo”,enfim, que ele evoluía.E, por isso, vários outros pensadores da época resolveram adotar esse método, inclusive osantropólogos, que levaram vários de seus aspectos para a ciência da Antropologia.
  5. 5. A partir daí, antropólogo Henry Lewis Morgan criou uma concepção de que existiahumanidade selvagem, bárbara e civilizada, por critério de evolução. Já James Frazer afirmou umaevolução do pensamento, onde ele teria estágios que seriam magia, religião e ciência.Mas essa idéia evolucionismo só teve realmente critério na sociedade Européia, porque osmesmos se classificavam evolutivamente, considerando-se civilizados e tinham as colônias comoprimitivas.3.2 O PositivismoO Positivismo também surgiu a partir das Ciências da Natureza, mas era levado para um ladomais racional dos pensamentos ainda que com a ajuda dos meios naturais, nascendo a Sociologiapositivista através de Auguste Comte.Para ele, as explicações dos homens para os fenômenos teriam passado por três fases: ateleológica ou fictícia, a metafísica ou abstrata e a científica ou positivista, onde as explicações seriambaseadas em ações sobrenaturais, em especulações filosóficas e nos métodos científicos,respectivamente.E, por isso, com o tempo, os antropólogos e sociólogos, passaram a não ter mais interesse emestudar a sociedade de acordo com o meio natural e sim a ver o homem social como um ser racional.Mas é importante destacar que mesmo que a Antropologia e a Sociologia tenham mudado ométodo de suas pesquisas, existe ainda sim a presença do evolucionismo e do positivismo no nossomodo de pensar e ver a vida social.3.3 Meio e RaçaDurante algum tempo, a idéia do determinismo geográfico foi muito utilizada para explicar asdiferenças das regiões ou para explicar porque um lugar é mais desenvolvido do que o outro, dandocomo reposta que o tempo quente ou frio nos torna mais trabalhador ou mais preguiçoso,respectivamente, tendo o homem como um “produto do meio”.Mas a Antropologia mudou essa perspectiva ao afirmar que mesmo as sociedades que são
  6. 6. semelhantes geograficamente ou climaticamente possuem diferenças em relação à cultura, já que éuma questão de seletividade e não de causa e efeito.O determinismo biológico também foi bastante utilizado, ao comparar as raças com o nível dedesenvolvimento da sociedade, tanto que nos Estados Unidos, até pouco tempo, os negros eramconsiderados inferiores.Entretanto, é indispensável dizer que as mudanças sociais são freqüentes e umas são maisfáceis de serem vistas do que outras, seja internas no próprio meio ou com a influência de outrasculturas, através, atualmente, da globalização.Nesses casos, a Antropologia se baseia principalmente na História, nos levando a entenderque há uma grande diversidade cultural entre as sociedades, mas que são apenas diferenças e nãodesigualdades geográficas ou biológicas.4. EtnocentrismoO Etnocentrismo seria a nossa maneira de se portar em sociedade que traz vários conflitos edificuldades para a Antropologia, em termos metodológicos ou políticos.Seja quando nossa cultura social e individual, que obtemos desde pequenos, prevalece sobreoutras realidades ou quando temos idéias baseadas na raça e no meio, tornando as convicções deuma sociedade superior a de outra.E o desafio da Antropologia seria o de descobrir a relatividade da nossa cultura e das outrasculturas, tanto em relação aos nossos princípios, quanto ao que nos motiva a pensar politicamentesobre um determinado ponto de vista.II. E as visões foram mudando...
  7. 7. 1. O trabalho de campo: o antropólogo “dança com lobos”.Surge uma Antropologia moderna através de pesquisas e coletas de dados, ou seja, a partir deuma etnografia, que mudou a visão do antropólogo em relação às sociedades estudadas.E essa seria uma das características da Antropologia, onde podemos citar como exemplo o filme“Dança com Lobos”, em que o personagem principal adquire aos poucos a cultura Sioux a partir deuma convivência efetiva com locais.Um dos grandes representantes que usou a etnografia foi Malinowski, que acrescentou váriastécnicas a ela e métodos que a desenvolveram. A partir daí surgiu uma Antropologia visual e umregistro livre do discurso, que ainda forneceu métodos para o evolucionismo social e oetnocentrismo.Mas, em contrapartida, o autor Franz Boas superou esse conceito do evolucionismo e doetnocentrismo ao dizer que existia um “relativismo cultural”, ou seja, que as sociedades deveriam sercompreendidas relativamente.E foram esses autores, Malinowski e Boas, que modernizaram a Antropologia considerando otrabalho de campo o maior método dessa ciência.2. Enquanto isso, na França.Para os franceses, as diferenças entre a Sociologia e a Antropologia praticamente não existem,devido a terem recebido influências de pesquisas empíricas e por terem uma concepção maisintelectual, sem a necessidade das pesquisas de campo.Por isso, Émile Durkheim quis mostrar que a Sociologia possuía características individuais. Nãotinha nada haver com a concepção biológica dos seres humanos ou com a subjetividade efetiva dapsicologia, e sim que a sociedade está no interior de nós a partir de um processo que vai desdequando nascemos até a vida adulta.Durkheim afirmava que a anterioridade e a exterioridade do indivíduo são refletidas por meio da
  8. 8. educação, seja escolar ou familiar.Ele também dizia que até o nosso modo de sentir e pensar é absorvido da sociedade e aprendidonela, dando origem ao que ele chamou de Fato Social, da Sociologia, com uma idéia de que écoercível ao indivíduo.Em concordância, a Antropologia diz que nossos pensamentos são oriundos de uma vida social,onde nos relacionamos com os outros.Marcel Mauss, posteriormente, concluiu um conceito de Fato Social Total, mais evolutivo edesenvolvido do que o fato social de Durkheim porque envolve vários elementos da sociedade emuma única vez, como no Natal, onde todos os nossos atos sociais se realizam para uma finalidadeúnica e geral, que seria o dar e receber de presentes.III. O olhar antropológico1. Tão diferentes, tão iguais: somos todos “tribais”.Uma coisa que nos motiva é a curiosidade em entender todos os elementos e conceitos de outrassociedades para descobrir como realmente é a cultura que seguimos e respeitamos, a partir decomparação entre as diferenças.Um exemplo disso é sobre as atividades tribais que tem relações com o nosso consumo nasociedade, já que ambas tentam tomar o símbolo pela coisa simbolizada, levando à conclusão de quesomos todos tribais.Outro exemplo diz questão ao totemismo, onde nas sociedades tribais há uma ligação entre anatureza e a cultura e nas atuais essa mesma relação se dá no mesmo sentido envolvendo apublicidade, onde nós transformamos objetos não-humanos em coisas culturais e não a natureza.Além desses casos, podemos perceber que temos ainda muitas características indígenas,como o ato de visitar parentes.Isso só confirma o que nós já concluímos, que a Antropologia é uma ciência muito extensa
  9. 9. abrangendo diversos assuntos, desde os exóticos ao familiar.2. A experiência da pesquisa: o “estar lá”.Uma das várias características da Antropologia e a de que ela tem relação com a quantidademovida pelo interesse do antropólogo em se aprofundar no assunto, para obter o que se deseja.E para isso é preciso “estar lá”, ou seja, participar da vida social e da cultura do lugar, voltando aocaso da etnografia.Esse trabalho consiste em observar diretamente o que acontece na sociedade, e para isso épreciso que tenha uma estreita relação humana, com respeito por parte das pessoas envolvidas.O escritor Anthony Seeger, a partir de uma convivência com os Suyá, pôde definir algunsaspectos que seriam importantes para o trabalho de pesquisa: participar do cotidiano e “olhar”.Por fim, pode-se entender que a Antropologia se baseia em uma totalidade e não em métodos,onde o “olhar” e o “estar lá” têm forte influência.Claro que ela é bem mais abrangente do que tudo que se falou, mas temos que saber que nóssomos cidadãos e que estamos numa sociedade em processo cultural, e é aí que entra a diversidadeda Antropologia.

×