Psicologia de desenolvimento a velhice

454 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação, Turismo, Tecnologia
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
454
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
4
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Psicologia de desenolvimento a velhice

  1. 1. PSICOLOGIA DO DESENVOLVIMENTO <br />FASE DAVELHICE<br />Deolinda Borges Aluna Número : 900042 Turma: 1 <br />
  2. 2. SENSO COMUM<br />Segundo o senso comum a fase da velhice está repleta de défices e incapacidades, associadas a redução de capacidades físicas, cognitivas e emocionais.<br />
  3. 3. Acontece que, o conhecimento de adulterar e subvalorizar esta fase de desenvolvimento é irracional e inconsistente.<br />
  4. 4. VELHICE<br />Algumas competências, é certo que passam por um processo de deterioração, mas grande parte dessas capacidades não se alteram e até tendem a evoluir de uma forma inversa.<br />
  5. 5. A NÍVEL INTELECTUAL<br />É comum esta fase ser associada a um enfraquecimento intelectual, contudo as causas podem derivar de vários factores:<br />
  6. 6. <ul><li>DE PRESSÃO;
  7. 7. INACTIVIDADE;
  8. 8. EFEITOS SECUNDÁRIOS DE MEDICAÇÃO;
  9. 9. ISOLAMENTO SOCIAL;
  10. 10. POBREZA;
  11. 11. INISISTÊNCIA DE MOTIVAÇÃO E CUIDADOS INDIVIDUAIS.</li></li></ul><li>PROCESSO COGNITIVO <br />A velhice é acompanhada de uma decadência de aceleramento no processo cognitivo, contudo em simultâneo aparecem efeitos compensatórios que dão estabilidade ao mesmo, não perturbando acentuadamente o dia-a-dia.<br />
  12. 12. DECLÍNIO COGNITIVO<br /><ul><li>Dá-se ao nível da organização da memória a curto prazo usada nos acontecimentos novos.</li></ul>Contudo,<br /><ul><li>Os danos causados são mínimos ou nulos, no que diz respeito à memória sensorial e a longo prazo.</li></li></ul><li><ul><li>Em diversas situações é perceptível que os idosos alcançam óptimos resultados na realização de testes de memória, desde que se adeqúem a eles, e lhe sejam transmitidas instruções nítidas par a execução e organização da comunicação e do material.</li></li></ul><li>A sociedade não pode, nem deve aceitar de uma forma passiva a ideia de que as pessoas idosas, perdem as faculdades mentais, e que são meros seres vegetativos a vivenciar a sua decadência. Porque é um dado adquirido, que apesar de haver alterações das capacidades ao longo do tempo , certo é também, que outras se mantém e até evoluem “sendo reversíveis”.<br />CONCLUSÃO<br />Bibliografia: Tavares,J.Pereira,S.A.Gomes,A..A.Monteiro, S.Gomes, Manual de Psicologia I Desenvolvimento e Aprendizagem – Colecção Nova Cidine – Porto Editora<br />

×