Raio-X dos Investimentos ( Março 2011)

564 visualizações

Publicada em

Monitoramento mensal do investimento estrangeiro direto no Brasil (IED) e do investimento brasileiro direto no exterior (IBD).
Estudo realizado pela área de Análise Econômica do Departamento de Relações Internacionais e Comércio Exterior da FIESP.

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
564
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
16
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
4
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Raio-X dos Investimentos ( Março 2011)

  1. 1. março | 2011 Destaques dos Investimentos Brasileiros no Exterior Investimento Brasileiro Direto Líquido: pelo terceiro mês consecutivo os investimentos brasileiros líquidos no exterior apresentam-se negativo. No acumulado de janeiro a março de 2011, o número já é cerca de 260% menor que o mesmo período do ano passado. Setor Primário sustenta a saída bruta de investimento brasileiro: na comparação com o mesmo período de 2010 o número já é cerca de 175% maior. Dois foram os setores que puxaram este crescimento, Extração de minerais metálicos com US$ 51 milhões no acumulado e Extração de petróleo e gás natural com US$ 27 milhões, crescendo respectivamente 82,1% e 17,4% em relação ao mesmo período de 2010. Empresas brasileiras compram empresas na Turquia e na Itália: o grupo Metalfrio comprou 29% do capital remanescente da empresa turca Senocak, a empresa brasileira já detinha 71% do capital total da empresa. O grupo brasileiro JBS adquiriu na Itália 100% da empresa Rigamonti Salumificio. Destaques dos Investimentos Estrangeiros no Brasil IED já alcança US$ 17 bilhões no ano de 2011: o valor já é 217% maior que o acumulado no mesmo período do ano anterior. Empréstimos Intercompanhias foram os que mais corroboraram com para a elevação do IED em 2011, crescendo 397% em relação ao acumulado até março de 2010. Setor de Serviços é o maior receptor de IED em 2011: o setor já acumula cerca de US$ 10 bilhões em investimentos estrangeiros. Telecomunicações lidera o ranking de IED com US$ 5,9 bilhões acumulados até março, Obras de infraestrutura apresentam o maior crescimento em relação ao acumulado do mesmo período do ano de 2010, sendo 824% maior. O Setor Industrial apresenta elevação de 38% na recepção de IED em relação ao mesmo período de 2010, acumulando em 2011 cerca de US$ 2,6 bilhões de investimentos. Consórcio asiático anuncia compra de empresa brasileira: consócio asiático formado por empresas japonesas e sul-coreanas compra 15% da Companhia Brasileira de Metalurgia e Mineração (CBMM), o valor da venda está em cerca de US$ 1,8 bilhão. A companhia brasileira, pertencente ao grupo Moreira Salles controla cerca de 82% do mercado mundial de nióbio, que tem o Brasil como maior produtor mundial. Elaboração: DEREX / Área de Análise Econômica do Comércio Exterior – março de 2011
  2. 2. Raio-X dos Investimentos Março de 2011 Investimento Brasileiro Direto Líquido (US$ Milhões) jan-mar/10 jan-mar/11 Variação Investimentos Brasileiros Diretos - Total 6.099 -9.866 -261,8% ▼ Participação no capital 6.628 3.365 -49,2% ▼ Empréstimos Intercompanhias -530 -13.230 *** Evolução do Investimento Brasileiro Direto Líquido (US$ Bilhões) 6,0 4,7 4,0 2,4 2,0 2,0 0,5 0,7 0,1 0,0 -0,4 -0,5 -2,0 -1,1 -1,5 -2,5 -2,1 -4,0 -6,0 -6,3 -8,0 mar/10 mar/11 abr/10 mai/10 jun/10 jul/10 ago/10 set/10 out/10 nov/10 dez/10 jan/11 fev/11 Saída Bruta de Investimento Brasileiro Direto por Setor (US$ Milhões) Setores jan-mar/10 Part. jan-mar/11 Part. Variação Total Primários 51,0 100% 140,0 100% 174,5% ▲ Atividades de apoio à extração mineral 0,0 0,0% 62,0 44,3% - Extração de minerais metálicos 28,0 54,9% 51,0 36,4% 82,1% ▲ Extração de petróleo e gás natural 23,0 45,1% 27,0 19,3% 17,4% ▲ Agricultura, pecuária e serviços relacionados 0,0 0,0% 0,0 0,0% - Total Indústria 3.847,0 100% 1.854,0 100% -51,8% ▼ Produtos alimentícios 2.955,0 76,8% 711,0 38,3% -75,9% ▼ Coque, derivados de petróleo e biocombustíveis 85,0 2,2% 574,0 31,0% 575,3% ▲ Celulose, papel e produtos do papel 0,0 0,0% 320,0 17,3% - Máquinas, aparelhos e materiais elétricos 0,0 0,0% 104,0 5,6% - Veículos automotores, reboques e carrocerias 22,0 0,6% 61,0 3,3% 177,3% ▲ Outros da indústria 785,0 20,4% 84,0 4,5% -89,3% ▼ Total Serviços 4.178,0 100% 1.748,0 100% -58,2% ▼ Telecomunicações 23,0 0,6% 400,0 22,9% *** Serviços financeiros - holdings não-financeiras 1.371,0 32,8% 387,0 22,1% -71,8% ▼ Serviços financeiros e atividades auxiliares 2.521,0 60,3% 358,0 20,5% -85,8% ▼ Comércio, exceto veículos 58,0 1,4% 274,0 15,7% 372,4% ▲ Atividades imobiliárias 2,0 0,0% 117,0 6,7% *** Outros serviços 203,0 4,9% 212,0 12,1% 4,4% ▲***Variação maior que 1000%Fonte: Banco Central do Brasil e ISI Emerging Marketing 01Elaboração: DEREX / Área de Análise Econômica do Comércio Exterior
  3. 3. Raio-X dos Investimentos Raio-X do Investimento Março de 2011 Janeiro a Março de 2010 Janeiro a Março de 2011 Ilhas Cayman Ilhas Virgens Ilhas Cayman Estados Unidos US$ 1,6 Bi US$ 1,3 Bi Britânicas US$ 2,6 Bi 19% 35% US$ 0,5 Bi 32% 14% Reino Unido Luxemburgo US$ 0,5 Bi US$ 1,2 Bi 12% 15% Países Baixos Países Estados US$ 0,3 BiDemais países Bermudas Baixos Demais países Unidos 9% US$ 1,3 Bi US$ 0,7 Bi US$ 0,7 Bi US$ 0,8 Bi US$ 0,3 Bi 17% 8% 9% 20% 8% Fusões e Aquisições Efetivadas (F.&.A.) - Empresas Brasileiras no Exterior (US$ mi) jan-mar jan-mar Part. Part. Var. 2010 2011 F&A Total 371 100% 1.208 100,0% 225,8% Completadas 3 1% 0 0,0% -100,0% Negociação em andamento 368 0,99 1.208 100,0% 228,1% Transações de Empresas Brasileiras no Exterior em Março de 2011 Fusões (F); Aquisições (A); Joint Venture (J) Vendedor Comprador Detalhes da Transação País Empresa Setor Empresa Tipo Part. US$ Mi StatusTúrquia Senocak Holdings AS Refrigeração Metalfrio Solutions S/A (A) 29,0% 22,3 Anunciada Itália Rigamonti Salumificio Frigorífico JBS S/A (A) 100,0% N/A CompletaFonte: Banco Central do Brasil e ISI Emerging Marketing 02Elaboração: DEREX / Área de Análise Econômica do Comércio Exterior
  4. 4. Raio-X dos Investimentos Março de 2011 Investimento Estrangeiro Direto Líquido (US$ Milhões) jan-mar/10 jan-mar/11 Variação Investimentos Estrangeiros Diretos - Total 5.512 17.473 217,0% ▲ Participação no capital 4.533 12.611 178,2% ▲ Empréstimos Intercompanhia 978 4.862 397,2% ▲ Evolução do Investimento Estrangeiro Direto Líquido (US$ Bilhões) 18,0 16,0 15,4 14,0 12,0 10,0 7,7 8,0 6,8 6,8 6,0 5,4 3,5 3,7 4,0 2,6 2,4 3,0 2,0 2,2 2,0 0,7 0,0 mar/10 abr/10 jun/10 set/10 out/10 jan/11 fev/11 mar/11 mai/10 jul/10 ago/10 nov/10 dez/10 Entrada Bruta de Investimento Estrangeiro Direto por Setor (US$ Milhões) Setores jan-mar/10 Part. jan-mar/11 Part. Variação Total Primários 1.285,9 100% 1.424,0 100% 10,7% ▲ Extração de petróleo e gás natural 367,4 28,6% 497,0 34,9% 35,3% ▲ Extração de minerais metálicos 754,1 58,6% 464,0 32,6% -38,5% ▼ Atividades de apoio à extração de minerais 71,4 5,6% 275,0 19,3% 285,1% ▲ Agricultura, pecuária e serviços relacionados 33,5 2,6% 142,0 10,0% 323,9% ▲ Produção florestal 58,3 4,5% 33,0 2,3% -43,4% ▼ Outros primários 1,2 0,1% 13,0 0,9% 983,3% ▲ Total Indústria 1.852,6 100% 2.557,0 100% 38,0% ▲ Produtos alimentícios 103,1 5,6% 772,0 30,2% 648,6% ▲ Metalurgia 173,1 9,3% 522,0 20,4% 201,6% ▲ Produtos de borracha e de material plástico 18,0 1,0% 301,0 11,8% *** Veículos automotores, reboques e carrocerias 57,5 3,1% 167,0 6,5% 190,6% ▲ Edição e edição integrada à impressão 0,4 0,0% 150,0 5,9% *** Outros da indústria 1.500,4 81,0% 645,0 25,2% -57,0% ▼ Total Serviços 2.724,7 100% 10.358,0 100% 280,1% ▲ Telecomunicações 182,6 6,7% 5.875,0 56,7% *** Comércio, exceto veículos 394,2 14,5% 861,0 8,3% 118,4% ▲ Serviços financeiros e atividades auxiliares 691,2 25,4% 741,0 7,2% 7,2% ▲ Atividades imobiliárias 212,1 7,8% 655,0 6,3% 208,8% ▲ Obras de infra-estrutura 61,0 2,2% 564,0 5,4% 824,4% ▲ Outros serviços 1.183,7 43,4% 1.662,0 16,0% 40,4% ▲***Variação maior que 1000%Fonte: Banco Central do Brasil e ISI Emerging Marketing 03Elaboração: DEREX / Área de Análise Econômica do Comércio Exterior
  5. 5. Raio-X dos Investimentos Raio-X do Investimento Março de 2011 Janeiro a Março de 2010 Janeiro a Março de 2011 Estados Unidos Bermudas US$ 0,7 Bi Países Países Baixos Espanha US$ 1,3 Bi 12% Baixos US$ 6,5 Bi US$ 2,0 Bi 22% US$ 0,7 Bi 45% 14% 12% França Estados US$ 0,4 Bi Unidos 7% US$ 1,9 Bi 13% Reino Unido Demais países China Demais países Canadá US$ 0,5 Bi US$ 0,4 Bi US$ 3 Bi US$ 0,4 Bi 4% US$ 2 Bi 41% 6% 21% 3% Fusões e Aquisições Efetivadas (F.&.A.) - Empresas Estrangeiras no Brasil (US$ mi) jan-mar jan-mar Part. Part. Var. 2010 2011 F&A Total 8.386 100% 4.400 100,0% -47,5% Completadas 404 5% 92 2,1% -77,2% Negociação em andamento 7.982 95% 4.308 97,9% -46,0% Transações de Empresas Estrangeiras no Brasil em Março de 2011 Fusões (F); Aquisições (A); Joint Venture (J) Comprador Vendedor Detalhes da Transação País Empresa Setor Empresa Tipo Part. US$ Mi StatusAlemanha Gerresheimer AG Embalagens Vedat Brasil (A) 100,0% - CompletoCoréia do Peças e Acessórios MS Autotech Co Ltd MYOUNG SHIN (J) 95,1% 2,2 Anunciada Sul Automotivos Grã- Cia Nacional de Açucar BP PLC Energia (A) 83,0% 680 AnunciadaBretanha e Alcool (CNAA) Índia United Phosphorus Ltd Agroquímicos Sipcam Isagro (A) 50,0% - Completo Japão/ Cia Brasileira deCoréia do Consórcio Asiático Mineração Metalurgia e Mineracao (A) 15,0% 1,8 Anunciada Sul (CBMM) EUA HJ Heinz Co Alimentos Coniexpress S/A (A) 80,0% - CompletoFonte: Banco Central do Brasil e ISI Emerging Marketing 04Elaboração: DEREX / Área de Análise Econômica do Comércio Exterior

×