Projeto Norte Competitivo6º Encontro de Logística e Transportes                                 São Paulo, 15 de Junho de ...
AgendaI – IntroduçãoII – Sumário dos Resultados da Primeira Fase do ProjetoIII – Resultados da Segunda Fase do Projeto Nor...
Objetivos do Projeto Norte Competitivo  Elaborar o PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO DA INFRA-ESTRUTURA DE TRANSPORTE E  LOGISTICA ...
Entrevistas e Fontes Associações Produtivas                                      Empresas                                 ...
AgendaI – IntroduçãoII – Sumário dos Resultados da Primeira Fase do ProjetoIII – Resultados da Segunda Fase do Projeto Nor...
Mapeamento da Infra-Estrutura – Pará                                                                                      ...
Perfil do Porto Público do Itaqui – MA                                                                   1Foto aérea de It...
Perfil do Aeroporto Internacional Governador Jorge                                                       7                ...
Perfil do Corredor dos Rios Acre e                                            Calado                                     ...
Cadeias Selecionadas                                      Principais Produtos Estratégicos                                ...
Pólos de Produção Atuais na Amazônia Legal – Soja em                                          Grãos2008, mil tonsProdução ...
Projeção da Produção na Amazônia Legal –                                        Consumo interno +                         ...
Principais Rotas Atuais de Escoamento                                                                                    L...
Principais Rotas Atuais do Norte Mato                                                               Origem ou Destino     ...
Gargalos Atuais do Corredor da Hidrovia do Madeira no                                          Sentido Norte – Cargas Cons...
AgendaI – IntroduçãoII – Sumário dos Resultados da Primeira Fase do ProjetoIII – Resultados da Segunda Fase do Projeto Nor...
Corredores Internacionais Potenciais                    Ligações hidroviárias                                        na Am...
Mapeamento do Extrativismo                                                                     Petróleo       Gás natural ...
Ferrovia            Hidrovia                                     Eixos de Integração Nacionais Atuais                     ...
Modal do Projeto            Ferrovia            Hidrovia                                                   Eixos de Integr...
Modal do Projeto          Ferrovia            Hidrovia                                                          Eixos de I...
Modal do Projeto            Ferrovia            Hidrovia                                           Novo Eixo de Integração...
Construção do Terminal de Múltiplo Uso (TM2) no                                    33                                     ...
Modal do Projeto                                            Sumário Financeiro do Novo Eixo de Integração                 ...
Modal do Projeto                                Ferrovia            Hidrovia                                             P...
Olivier Girard
Olivier Girard
Olivier Girard
Olivier Girard
Olivier Girard
Olivier Girard
Olivier Girard
Olivier Girard
Olivier Girard
Olivier Girard
Olivier Girard
Olivier Girard
Olivier Girard
Olivier Girard
Olivier Girard
Olivier Girard
Olivier Girard
Olivier Girard
Olivier Girard
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Olivier Girard

1.645 visualizações

Publicada em

Palestra sobre "Projeto Norte Competitivo", proferida por Oliver Girard, da Confederação Nacional da Indústria, durante o 6º Encontro de Logística

Publicada em: Notícias e política
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.645
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
117
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Olivier Girard

  1. 1. Projeto Norte Competitivo6º Encontro de Logística e Transportes São Paulo, 15 de Junho de 2011 Este documento é confidencial e não pode ser fornecido a uma outra parte sem autorização da Ação Pró-Amazônia e da Macrologística
  2. 2. AgendaI – IntroduçãoII – Sumário dos Resultados da Primeira Fase do ProjetoIII – Resultados da Segunda Fase do Projeto Norte CompetitivoIV – Próximos Passos 1
  3. 3. Objetivos do Projeto Norte Competitivo Elaborar o PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO DA INFRA-ESTRUTURA DE TRANSPORTE E LOGISTICA DE CARGAS da Amazônia Legal incluindo os Estados do Acre, Amapá, Amazonas, Maranhão, Mato Grosso, Pará, Rondônia, Roraima e Tocantins, que permita atingir os seguintes alvos estratégicos:  Integrar física e economicamente os Estados e Regiões:  Tornar os Sistemas de Logística formados pela infra-estrutura de transporte de cargas da Região abrangida pelo estudo mais competitivos;  Identificar e capacitar com os elementos de infra-estrutura os eixos integrados de transporte voltados ao mercado interno, exportação e importação, de forma a transformá-los em Eixos integrados de desenvolvimento, competitivos, fomentando a inserção das Regiões abrangidas pelo estudo na economia mundial;  Liderar o processo de reconstrução e melhoria da infra-estrutura brasileira, com a participação da iniciativa privada.Fonte: Análise Macrologística 2
  4. 4. Entrevistas e Fontes Associações Produtivas Empresas Autarquias - ABAL (Aluminio) - ABSA - IDARON - Agências reguladoras: ANA (Água), - ABC (Cobre) - Acre Aves - Imerys Rio Capim Caulim ANEEL, ANP, ANTAQ, ANTT - Abegas (Gás) - Alcoa - Laminados Triunfo - Companhia Docas de Santana - ABIEC (Carnes) - Albras - Madeiras Roraima - Companhia Docas do Pará - Abimilho - Aliança/ Hamburg SUD - Madeireira Ouro Branco - Conab - ABINEE (Eletroeletrônico) - ALL - Maersk - DER - ABIOVE (Óleos Vegetais) - Alubar - Minérios e Minerales - DNIT - Abiquim (Petroquímicos) - Alumar - Miragina S/A Ind. Com. - DNPM - ABIR (Refrigerantes) - Alunorte - Nokia - EMAP (Docas Maranhão) - Abraciclo (Motos) - Amcel - Para Pigmentos S.A. (PPSA) - Embrapa - ACISA (Ass.Com.Acre) - Anglo Ferrous - Petrobrás - Engenharia do Exército - AIMEX (Madeira) - Arroz Itikawa - Projeto Ferrovia - Infraero - ANDA (Adubos) - Bunge - Recofarma - Ministério da Agricultura - Aprosoja - CADAM - Samsung - Ministério dos Transportes - Bioagência (Cana-de-Açúcar) - Caramuru Alimentos S.A. - Sinobrás - Porto de Caracaraí (RR) - Bracelpa (Celulose) - CMA/CGM - Socorro Carvalho - Sebrae - CNA (Agricultura) - CNA - TAM - Secretaria Especial de Portos - CNI (Indústrias) - Cooperativa Grão Norte - Thalassini - Secretarias de Estado de - CNT (Transportes) - Coopertan - Transglobal - Agricultura - EAZPAR (Silvicultura) - Cosipar - Transpetro - Desenvolvimento - Fed.Agric. Estaduais - DAMCO - Transportes Bertolini - Finanças - Fed.Indúst.Estaduais - Expresso Araçatuba - Usina Cerradinho - Indústria - IBRAM (Mineração) - Fosfértil - USIPAR – Usina Sider.Pará - Infra-estrutura e obras - IMEA (Agricultura) - Hermasa - Vale - Meio-Ambiente - Instituto do Aço - Honda - Planejamento - Sind.Garimpeiros RR - SNPH (Docas Amazonas) - Sindalcool (Alcool) - SOPFH (Docas Rondônia) - Sindifer (Ferrogusa) - Suframa - Syndarma (Navegação) Ao longo de todo o projeto foram realizadas mais de - Universidades: UFPA, UFAM - Ministérios e Autarquias em 7 países 200 entrevistas pessoais sul americanosFonte: Análise Macrologística 3
  5. 5. AgendaI – IntroduçãoII – Sumário dos Resultados da Primeira Fase do ProjetoIII – Resultados da Segunda Fase do Projeto Norte CompetitivoIV – Próximos Passos 4
  6. 6. Mapeamento da Infra-Estrutura – Pará Capital Cidades Principais Hidrovia Rodovia2008 Rodovia não Pavimentada Mapeamento da Infra-Estrutura no Pará Ferrovia Estado de Conservação:: ● Bom ● Regular Baixo ● Ruim Amazonas Belém ● Péssimo Ferrovia ● BR-316 Ferrovia Rio Jari Marajó do Norte Rio (MRN) Amazonas Rio Nordeste Santarém Paraense Xingú Rio Rio Tocantins Na primeira fase, fez-se um Paragominas Tapajós ● BR- 010 mapeamento completo da ● BR -230 ●BR–222 460 km 540 km condição da infra-estrutura dos Itaituba 300 km EF Carajás nove estados da Amazônia Legal Marabá ● BR-230 BR-230 440 km Parauapebas Sudoeste PA-150 Paraense ●BR–163 Sudeste 600km Paraense PA-158 Fonte: DNIT, CNT, Infraero, Análise Macrologística 5
  7. 7. Perfil do Porto Público do Itaqui – MA 1Foto aérea de Itaqui Características Gerais ► Porto do tipo CAPESIZE com berços de calado variando entre 9,5 a 19 metros ► Administrado pela EMAP (Empresa Maranhense de Adm. Portuária) ► Localizado no município de São Luiz ► O Porto possui 1 cais de 1.616m atualmente composto de 6 berços ► Acessos ferroviários pela CFN (Companhia Ferroviária do Nordeste) e pela EFC (Carajás) ► informações dá área de armazenagem do porto e berços mais detalhadas no próximo slide. Nr. Berços Nr Armazéns/ Área / Capacidade de Tanques/Pátios Armazenagem Granéis Sólidos 2 1 armazém 3.000 m2 4 pátios 42.000 m2 12 silos verticais 19,2 mil tons 1 silo horizontal 8 mil tons Granéis Líquidos 2 líquidos 50 tanques 210.000 m3 1 gás 2 esferas 8.680 m3 Carga Geral/ 1 7500 m2 Contêineres Multiuso 1 Fez-se um levantamento de todos os portos e terminais públicos e privativos de cada estado—Para cada um, fez-se uma caracterização geral das condições dos berços e armazenagem e levantou-se o histórico deFonte: Antaq, EMAP, análise Macrologística movimentação por tipo de produto 6
  8. 8. Perfil do Aeroporto Internacional Governador Jorge 7 Teixeira de Oliveira (SBPV) em Porto Velho – ROFoto de satélite do aeroporto Características gerais ► Aeroporto que atende aeronaves até o tipo Boeing 767 ► Administrado pela INFRAERO ► Localizado a 7 km do centro de Porto Velho ► Estacionamento de aeronaves: 16 vagas ► Área total do aeroporto de 13,0 milhões m² ► Comprimento da pista: 2.400 m ► Companhias aéreas de passageiros e carga de porão operantes: TAM, GOL, TRIP, OceanAir ► TECA em homologação para movimentação de cargas internacionais ► Não há perspectiva de aumento de cargas ► Principais de cargas: Peças de reposição, outros TECA Nr. Armazenagem Terminais Importação Em Homologação Exportação Doméstico 0 0 Este mesmo levantamento foi feito para os 21 principais aeroportos caracterizando-se a situação atual dos mesmos e levantando o histórico de movimentação e as principais rotas aéreas disponíveisFonte: Análise Macrologística, INFRAERO, INFRAERO Cargo, ANAC, Ministério dos Transportes, PNLT, PAC, PELT, Google Earth, Cias. Aéreas 7
  9. 9. Perfil do Corredor dos Rios Acre e  Calado  Cota 6 Purús Navegável Navegabilidade prejudicada Não navegável comercialmenteCondições de navegabilidade Localização e características gerais km Referência Boca do Purús AM (confluência com o Rio Solimões) 1.420 2,1+ m 90% do tempo Cachoeira AM ► Rio com administração hidroviária feita pela AHIMOC – Administração 710 0,8 m a 1,3 m 90% do tempo das Hidrovias da Amazônia Ocidental ► Extensão Navegável: 2.750 Km entre a foz no rio Solimões até a Rio Branco AC (Rio Acre) cidade de Brasiléia (AC) ► Profundidade Mínima: 0,8 metros 210 0,8 m a 1,3 m 90% do tempo ► Navegação restrita no mês de setembro sobretudo no rio Acre ► Excessiva sinuosidade e obstrução por pontos de pedra e barrancos Brasiléia AC ► Principais Cargas: Derivados de petróleo, Madeiras, Castanha Levantou-se as condições de uso das 14 rodovias federais, 7 ferrovias e 6 dutovias bem como avaliou-se a navegabilidade dos 18 principais rios que cortam a Amazônia Legal, fornecendo um diagnóstico preciso da situação atual da infra-estruturaFonte: Antaq, Ministério dos Transportes, PNLT, AHIMOC, análise Macrologística 8
  10. 10. Cadeias Selecionadas Principais Produtos Estratégicos Produtos da balança Produtos mais Produtos mais Balança Cana-de-açúcar com maior volume Pecuária Bovina relevantes na Mandioca relevantes em comercial da movimentados na Cobre balança comercial da Duas rodas termos de fluxos Amazônia Legal Ind.Elétrica e Eletr. Refrigerante Amazônia Legal Amazônia Legal na Amazônia LegalAlgodãoAlimentos industrializadosAlumínioAutopeçasAvicultura AlumínioCaulim Cana-de-açúcarCimento Alumínio CaulimCobre Caulim Cobre AlumínioDuas Rodas (Motos/peças) Cobre Duas Rodas CaulimFerro e aço Ferro e aço Ferro e aço Ferro e açoFertilizantes Fertilizantes Fertilizantes FertilizantesFruticultura Ind. Elétrica e Eletrônica Ind. Elétro-eletrônica MadeiraInd.elétrica e eletrôn. Madeira Madeira ManganêsMadeira Manganês Mandioca MilhoManganês Milho Manganês Petróleo e derivadosMáquinas e Ferramentas Pecuária Bovina Milho SojaMilho Petróleo e derivados Pecuária BovinaOuro Soja Petróleo e derivadosPecuária Bovina RefrigerantesPetróleo e derivados SojaPlásticosQuímicosSais e minerais Filtro do volume Filtro do valor Filtro da produçãoSoda cáustica movimentadoSoja transacionadoTrigo Além do mapeamento da infra-estrutura, selecionou-se 16 cadeias produtivas compondo mais de 50 produtos que tiveram a sua matriz-origem destino detalhada—Estas cadeias representam mais de 95% de tudo o que foi produzido e/ou exportado pela Amazônia Legal em 2008Fonte: MDIC/AliceWeb, IBGE, DNPM, Análise Macrologística. 9
  11. 11. Pólos de Produção Atuais na Amazônia Legal – Soja em Grãos2008, mil tonsProdução de soja em grãos por município Principais municípios produtores Sorriso, MT 1.794 Nova Mutum, MT 1.082 Sapezal, MT 1.062 Campo Novo do Parecis, MT 991 Diamantino, MT 871 Outros Municípios 12.432 Total 18.232 Para cada cadeia produtiva, mapeou-se os pólos de produção atuais e futuros e estudou-se o perfil de consumo de cada produto de cada cadeia produtiva na Amazônia Legal, no restante do Brasil bem como o de exportações e importações Fonte: IBGE, análise Macrologística 10
  12. 12. Projeção da Produção na Amazônia Legal – Consumo interno + estoques1 Soja em Grãos ExportaçãoMM tons Histórico Projeção TACC TACC 09-20 03-08 ...34,5 27,8 28,9 24,6 25,7 26,6 23,5 14,0 19,5 19,1 22,4 12,4 12,9 16,3 17,1 17,0 11,0 11,5 11,9 10,0 10,5 14,2 8,6 5,2 8,5 10,2 8,6 8,5 20,5 13,0 13,6 14,2 14,7 15,4 16,0 10,9 11,9 10,6 12,4 5,7 6,1 8,4 2003 2004 2005 2006 2007 2008 2009E 2010E 2011E 2012E 2013E 2014E 2015E 2020E Esta projeção foi detalhada por estado, por meso-região e por município para cada um dos mais de 50 produtos de cada uma das 16 cadeias produtivas até 2030 1) Consumo interno inclui as variações de estoque anuaisFonte: Ministério da Agricultura, IBGE, IMEA, análise Macrologística 11
  13. 13. Principais Rotas Atuais de Escoamento Longo Curso Hidrovia do Norte Mato-grossense – Soja em Ferrovia Rodovia Grãos2008,% total = 11.592 Mil tons Rodovia não Pavim. Origem ou Destino Rotterdam Pontos de Transbordo Rotterdam Análise das distâncias das principais rotas até o destino em km I II III IV V VI Itacoatiara Rotterdam Rotterdam Rotterdam Rotterdam Rotterdam Rotterdam III Santarém (via Itacoat.) (via PR) (via Santarém) (via Santos) (via Santos) (via Vitória) I Porto Dutovia - - - - - - Velho Ferrovia - - - - 1.280 1.424 Lucas do Rio Verde Rodovia 1.577 2.107 1.577 2.008 547 1.289 Alto Araguaia Araguari Hidrovia 1.100 - 1.456 - - - VI Vitória Via Aérea - - - V - - - IV Santos Marítimo 9.110 10.282 8.547 10.056 10.056 9.212 Paranaguá II Total 11.787 12.389 11.580 12.064 11.883 11.925 Nr.Transbordos 2 1 1 1 2 2 % da carga1 11% 1% 7% 7% 2% 2% Também foi realizada a matriz origem-destino indicando qual o percentual aproximado de carga se movimentando por cada rota principal para cada produto 1) A diferença é exportada em pequenos volumes para outras regiões e a maior parte é consumido nas esmagadoras do próprio estado (39%)Fonte: www.distances.com, Antaq, ABCR, Comexnet, Análise Macrologística 12
  14. 14. Principais Rotas Atuais do Norte Mato Origem ou Destino Pontos de Transbordo Grossense – Cargas Consolidadas Rodovia Ferrovia Hidrovia Longo Curso2008, mil tons Participação das rotas atuais na movimentação da mesoregião Rota Modal Destino1 Volume % carga2 Itacoatiara G Santarém Rodo-Longo A Santos 4.077 15,6% curso Rodofluvial- B Itacoatiara 1.787 6,8% Longo curso C Rodoviário Rondonópolis 1.398 6,2% Porto Velho Rodo-Longo Lucas do Rio D Paranaguá 1.337 5,1% B curso Verde E Rodoviário Maringá 1.043 4,0% C Rondonópolis Rodo-Ferro- F Longo curso Santos 1.034 4,0% Araguari Rodofluvial- A F I Vitória G Santarém 811 3,1% Longo curso E H Rodoviário Itapeva 746 2,9% H Maringá Itapeva Santos Rodo-Ferro- D I Vitória 683 2,6% Longo curso Paranaguá Outros Vários Vários 1.957 7,5% Fluxos Local3 11.066 42,3% Total 26.173 100% Com base em todas estas informações, pôde-se criar um mapa de todas as vias utilizadas para o escoamento do consolidado de toda a produção das 16 cadeias em cada uma das 33 meso-regiões 1) As rotas consideram as cargas nos dois sentidos (ida e volta) 2) Valor estimado com base em informações colhidas em entrevistas, utilização de premissas e análises específicas 3) Inclui toda a carga que é movimentada dentro ou para destinos a menos de 300 km da mesoregião em questão 13Fonte: Análise Macrologística
  15. 15. Gargalos Atuais do Corredor da Hidrovia do Madeira no Sentido Norte – Cargas Consolidadas2008 – 2º Trimestre Produção da Mesoregião > 6 milhões tons/ Trim. < 6 milhões Baixo < 4 milhões Amazonas < 2 milhões < 1 milhão Santarém Itacoatiara Capacidade de Movimentação Acesso Rodoviário ao Porto Centroeste Rio < 55 milhões ton/Trim. de Porto Velho Amazonense < 4 milhões ton/Trim (restrito a num. balsas) Balsa (40 mil DWT) Panamax (50 mil DWT) Capesize (120 mil DWT) Porto Velho Rio Branco Ferro < 35 milhões ton/Trim. Madeira- Norte Mato- Vale do Matupá Guaporé Grossense Acre Ji-Paraná < 6 milhões ton/Trim. Leste Rondoniense < 1,6 milhões Lucas do Rio Acesso Rodoviário a BR-364 Verde < 1,4 milhões Tráfego acima da capacidade nos trechos e < 1,2 milhão respectivos acessos: Diamantino < 0,8 milhão Centro-Sul Sudoeste Mato- Lucas do Rio Verde - Diamantino Mato- Mineroduto Grossense Diamantino - Tangará da Serra Grossense Tangará da Serra – Campos de Júlio Cuiabá Gargalos de Modais Campos de Júlio – Porto Velho Via Principal Descrição dos Gargalos Quando confrontou-se a demanda de movimentação de todas estas cargas com a infra-estrutura atual, conseguiu-se apontar os principais gargalos de infra-estrutura existentes atualmente e se nada for feito os gargalos que se multiplicarão no futuro Fonte: Análise Macrologística 14
  16. 16. AgendaI – IntroduçãoII – Sumário dos Resultados da Primeira Fase do ProjetoIII – Resultados da Segunda Fase do Projeto Norte CompetitivoIV – Próximos Passos 15
  17. 17. Corredores Internacionais Potenciais Ligações hidroviárias na Amazônia Legal Ligações rodoviáriasMapeamento dos corredores potenciais internacionais na Países limítrofes com potencial deAmazônia Legal integração direta 3 1. Guiana Francesa 8 2. Guiana 3. Venezuela 2 4. Equador 1 5. Peru 6. Chile 4 7. Bolívia 8. Canal do Panamá 5 7 6 Na segunda fase, analisou-se o potencial de utilização dos corredores internacionais de sete países além dos impactos do projeto de ampliação do Canal do PanamáFonte: DNIT, análise Macrologística 16
  18. 18. Mapeamento do Extrativismo Petróleo Gás natural Mineral e Florestal – Equador Ouro Cobre Prata Madeira2008, mil tons Localização do extrativismo no Equador Principais produtos minerais e florestais Colômbia Esmeraldas Petróleo 26.200 Nueva Gás natural (Milhões/m³) 680 Loja Quito Pozzolan 580 Coca Manta Latacunga Pumice (Pedra-pomes) 100 Aço 85 Guayaquil Cuenca Ouro 0,0008 Puerto Bolivar Peru Prata 0,000112 Madeira em toras1 990 100 km Peru As informações coletadas abrangeram a localização e tamanho da produção agrícola, extrativista e industrialde cada um dos 7 países bem como a condição da infra-estrutura de transportes com especial destaque para a caracterização do setor portuário e o seu potencial para ser utilizado pelas cadeias produtivas brasileiras1) Os dados foram convertidos em milhões de toneladas (660 kg/m3 ) para facilitar os estudos logísticos apesar do mercado utilizar a unidade m3Fonte: BP World Statistical Review, CC Cuenca, Faostat, Análise Macrologística 17
  19. 19. Ferrovia Hidrovia Eixos de Integração Nacionais Atuais Rodovia Porto L.Curso Dutovia Eclusa Terminal HidroviárioPrincipais Eixos de Integração Atuais Eixos de Integração 1. BR 364 2. Hidrovia do Madeira Boa Vista 3. EF Carajás Pedra Branca do Amapari 4. BR158/PA150 Caracaraí 5. Manaus-Belém-Brasilia Macapá Santana 6. Maranhense BR226/BR135 7. ALL Malha Norte Vila do Conde Santarém 8. Ferronorte Espadart Ponta da Itacoatiara Madeira e Tucuruí Manaus Itaqui 3 São Luiz Marabá Açailândia 6 Norte- Sul Parauapebas Estreito Corredor Canaã dos Carajas Humaitá 2 BR-364 Balsas Porto Velho 4 Rio Branco 5 Ji-Paraná Palmas 1 Sorriso Vilhena Lucas do Ribeirão Rio Verde Cascalheira BR-364 8 Cuiabá São Paulo / Resende Rondonópolis Araguari/Vitória Alto 7 Araguaia São Paulo / Santos Santos/Paranaguá Ao todo, foram analisados 42 eixos de integração de interesse da Amazônia Legal sendo que 8 eixos eram melhorias em Eixos de Integração Atuais... 18
  20. 20. Modal do Projeto Ferrovia Hidrovia Eixos de Integração Nacionais Rodo Hidro Rodovia Porto L.Curso Dutovia Eclusa Potenciais Ferro Porto Terminal Hidroviário Eixos de Integração 9. Hidrovia do Purus 10. BR 319 11. BR 080 12. Hidrovia Teles Pires/Tapajós 13. Hidrovia Juruena/Tapajós 14. BR 163 via Santarém Espadarte 15. BR 163 via Miritituba Vila do Conde Santarém 16. BR 230 19 20 Itacoatiara Tucuruí 18 Ponta da 17. Hidrovia Araguaia/Das Mortes Madeira Itaqui Manaus 18. Norte-Sul via Vila do Conde 15 11Miritituba 16 19. Norte-Sul via Espadarte Marabá 20. Norte-Sul via Itaqui Açailândia 14 Parauapebas 21. Norte-Sul Ramal Balsas 9 10 25 22. Ext.Oeste Norte-Sul via V.Conde BR-163 MA-006 Canaã dos Carajas 23. Ext.Oeste Norte-Sul via Espadarte Boca do Acre Humaitá Balsas 12 21 24. Ext.Oeste Norte-Sul via Itaqui Porto Velho Couto Magalhães Cachoeira 25. Hidrovia Tocantins até Estreito Juruena Rasteira Rio Branco 26. Hidrovia Tocantins até Peixe 13 17 27. BR 242 + Hidrovia Tocantins Ji-Paraná P.Gaúchos 22 S. Felix Palmas 28. Ferrovias FICO e FILO 23 do Araguaia 26 29. Ferrovia da Integração 27 24 Sorriso Peixe FILO Vilhena 28 FICO FICO Ilhéus Lucas do Ribeirão Rio Verde Cascalheira Barreiras BR-364 Água Boa Cuiabá Barra do Garças São Paulo / Resende Rondonópolis Alto 29 Araguaia Goiandira Santos Itaguaí ...21 eram novos potenciais Eixos de Integração Nacionais...Fonte: Análise Macrologística 19
  21. 21. Modal do Projeto Ferrovia Hidrovia Eixos de Integração Internacionais Rodo Hidro Rodovia Porto L.Curso Dutovia Eclusa Potenciais Ferro Porto Terminal Hidroviário Eixos de Integração Puerto Cabello Caracas 30. Hidrovia Paraguai/Paraná 40 31. Rodoviário Mato Grosso – Arica Georgetown 32. Rodoviário Rondônia – Arica Santa Elena Cayenne 33. Interoceanica Sul até Matarani de Uairén 41 Oiapoque Lethem 34. Interoceanica Centro RO – Callao Boa Vista 39 42 Calçoene 35. Interoceanica Centro Manaus–Callao Caracaraí Macapá Pto. 36. Interoceanica Norte Manaus-Paita Providencia Manta 38 37. Equatoriano Manaus – Guayaquil Pto. Guayaquil Morona Manaus 38. Rodo-Hidroviário Manta – Manaus Iquitos 37Yurimaguas 39. Aeroviário Manta – Manaus Tabatinga 40. Venezuelano Manaus–PuertoCabello Paita 35 Cruzeiro do 36 Sul Porto Velho 41. Guiana Manaus – Georgetown Pucallpa 42. Guiana Francesa 34 Branco Rio Guajará-Mirim Assis Brasil Callao 33 Cuiabá Lima 32 Cáceres Morrinhos Matarani La Paz San Ignacio Arica 31 Corumbá 30 Rosário Nueva Palmira ...e 13 eram novos potencais eixos de integração internacionais com países limítrofesFonte: Análise Macrologística 20
  22. 22. Modal do Projeto Ferrovia Hidrovia Novo Eixo de Integração da Rodo Hidro Rodovia Porto L.Curso Dutovia Eclusa Hidrovia do Juruena/Tapajós Ferro Porto Terminal Hidroviário Principais Projetos 13 29. Dragagem do Canal de Quiriri 29 Rio Tapajós Vila do Conde 58. Transposição das Corredeiras de São Luiz do Tapajós (PA) com eclusa 30 31 32 59. Dragagem e derrocamento de Buburé a Jacareacanga (PA) no Médio Tapajós 60. Dragagem e derrocamento de Jacareacanga (PA) à confluência no Alto Tapajós 58 61. Sinalização e Balizamento do Rio 61 Tapajós 59 Rios Juruena/Arinos 60 66. Dragagem e derrocagem nos Rios 66 Juruena e Arinos 67. Eclusa da Cachoeira de Meia Carga 67 68. Sinalização e Balizamento nos Rios Juruena Juruena e Arinos 70 68 69. Construção do porto fluvial e terminal 69 de grãos em Porto dos Gaúchos (MT) 71 P.Gaúchos 70. Construção do porto fluvial e terminal de grãos em Juruena (MT) 72 71. Pavimentação da MT 319 e MT 170 Sorriso Vilhena entre Vilhena (RO) e Juruena (MT) Lucas do Rio 72. Construção da BR 242 entre Sorriso e Verde Porto dos Gaúchos (MT) Porto de Vila do Conde Cuiabá 31. Construção do Pier 401 e 402, e ampliação do 302 32. Construção do Tergran 33. Construção do Terminal de Multiplo uso 2 Para cada um dos 42 Eixos de Integração, mapeou-se todos os projetos de transporte necessários para a sua melhoria e/ou viabilização...Fonte: DNIT, PNLT, PAC, análise Macrologística 21
  23. 23. Construção do Terminal de Múltiplo Uso (TM2) no 33 Porto de Vila do Conde (PA) Mapa Esquemático do Projeto Descrição do Projeto Nome Construção de terminal composto por 3 píers para movimentação de siderúrgicos e granéis sólidos, TMU1 terminal de barcaças, ponte de TGL acesso e infraestrutura retroportuária Modal Portuário Responsável Companhia Docas do Pará TMU2 Resultado Esperado Ampliação da infraestrutura portuária Valor Investimento R$ 662 milhões Fonte Financiamento Federal: PAC Modelo de Financiamento Público Estudo de Viabilidade Sim EIA-RIMA Sim Projeto Básico Sim Edital Não Início Previsto 2011 Conclusão Prevista 2013 Status (Ago-10) Planejado: será necessária abertura de crédito na LOA/2010, através de Projeto de Lei... e para cada projeto listado, mapeou-se os valores envolvidos, a fonte de financiamento e o status das obrasFonte: Cia Docas do Pará, Análise Macrologística 22
  24. 24. Modal do Projeto Sumário Financeiro do Novo Eixo de Integração Rodo Hidro da Hidrovia do Tocantins até Peixe Ferro PortoStatus Agosto 2010, R$ Milhões Investimento Investimento 26 Projeto Descrição dos Projetos Modal Total Residual1 29 Dragagem do Canal de Quiriri Hidroviário 180,00 180,00 77 Construção da eclusa de Tucuruí (PA) Hidroviário 815,00 40,75 78 Dragagem e derrocagem do rio Tocantins entre Marabá e Hidroviário 74,00 74,00 Tucuruí (PA) 79 Derrocagem próximo à Marabá (PA) Hidroviário 577,00 577,00 98 Dragagem e derrocagem de Marabá (PA) a Imperatriz (MA Hidroviário 49,00 49,00 99 Sinalização e Balizamento entre Estreito (MA) e Marabá Hidroviário 2,67 2,67 101 Construção da Eclusa de Estreito (TO) Hidroviário 600,00 600,00 102 Construção da Eclusa de Lajeado (TO) Hidroviário 726,00 726,00 103 Melhoria da Navegabilidade/Sinalização e Adequação entre Hidroviário 214,32 214,32 Estreito e Peixe (TO) 104 Construção de porto fluvial e Terminal de grãos em Peixe(TO) Hidroviário 55,00 55,00 31 Construção do Pier 401 e 402, e ampliação do 302 Porto 103,00 103,00 32 Construção do Tergran no porto de Vila do Conde (PA) Porto 450,00 450,00 33 Construção do Terminal de Multiplo uso 2 em Vila do Conde Porto 662,00 662,00 96 Terminal de Graneis Líquidos 2 em Vila do Conde Porto 8,00 8,00 TOTAL 4.507,99 3.733,74 A relação de todos os projetos necessários foi então somada para averiguar o valor do investimento necessário para que o eixo de integração fosse implementado 1) Valor estimado de investimento ainda pendente de ser realizado para a finalização da obra em agosto de 2010Fonte: PAC, CDP, PNLT, análise Macrologística 23
  25. 25. Modal do Projeto Ferrovia Hidrovia Projetos Consolidados – Eixos de Rodo Hidro Rodovia Porto L.Curso Dutovia Eclusa Integração Nacionais Ferro Porto Terminal Hidroviário 91 29 30 Espadarte Vila do Conde 18 12 13 31 32 Santarém 86 90 33 96 27 28 19 20 21 22 14 15 Itacoatiara 34 Ponta da Tucuruí Madeira Itaqui 23 24 25 26 Manaus 77 42 56 41 76 75 78 Miritituba 16 43 73 Marabá 79 74 52 98 Açailândia 58 97 99 37 61 Parauapebas 80 55 59 100 101 38 BR-163 MA-006 17 11 62 Canaã dos Carajas 60 89 92 Boca do Acre Humaitá Balsas 51 66 57 88 10 87 93 63 Couto Magalhães Porto Velho 8 64 Cachoeira 50 53 67 39 7 Juruena Rasteira 35 Rio Branco 54 68 65 40 6 71 102 9 5 81 68 94 103 Ji-Paraná 4 P.Gaúchos 71 S. Felix Palmas 72 do Araguaia 104 110 Sorriso 106 Peixe FILO 105 Vilhena 109 49 82 89 FICO FICO Ilhéus 95 107 3 Lucas do 108 Ribeirão Rio Verde Cascalheira 48 Barreiras BR-364 Água Boa 85 47 Cuiabá 2 Barra do 84 83 46 Garças São Paulo / Resende 112 Rondonópolis 1 36 45 Alto 44 Araguaia 111 Goiandira Santos Itaguaí Ao todo foram mapeados 151 projetos pertinentes para o desenvolvimento da infra-estrutura de transportes na Amazônia Legal sendo que 112 destes projetos são para eixos de integração nacionais...Fonte: Análise Macrologística 24

×