SlideShare uma empresa Scribd logo

Seminário de Crimes Sociais - Discurso de abertura.

A diretora do Comitê de Responsabilidade Social (Cores) fez o seu discurso durante o Seminário sobre Crimes Sociais que ocorreu no dia 26/05. Eliane alerta o peso da corrupção sobre os princípios da democracia e do Estado. O evento ocorreu na sede da FIESP. Para outras informações acesse: http://www.fiesp.com.br/eventos/evento.aspx?evt=660

1 de 5
Baixar para ler offline
Seminário – Crimes Sociais
                Discurso Dra. Eliane Belfort


Cumprimento a todos e agradeço pela presença.

    Presença que demonstra o interesse da sociedade civil

pelo tema. Agradeço especialmente à nossa diretora, Rosa

Ramos, pela dedicação e competente coordenação deste

evento, ao professor doutor Celso Fiorillo, nosso parceiro

entusiasta de primeira hora, que não mediu esforços para

trazer a esse evento grandes nomes da academia e do mundo

jurídico, com expertises amplamente reconhecidas, como é

também o seu próprio nome, que engrandece esse debate.

    Agradeço também os nossos parceiros internos de todas

as horas, o ministro Sydney Sanches, presidente do Conjur,

Walter Lazzarini, presidente do Cosema, os diretores titulares

do Deinfra e do Decomtec, e a todos os palestrantes e

convidados para o debate, os nossos agradecimentos, em

nome da industria paulista e do presidente Paulo Skaf.




                                                             1
Este encontro, próximo às eleições, é muito oportuno, pois

os temas que serão debatidos, tenho a convicção, contribuirão

para um debate mais amplo sobre as chamadas reformas

políticas e para a proposta de investimento forte na educação

política do povo.

        Numa democracia, que é, em última instância, o nosso

horizonte de reflexão, o cidadão tem que se sentir responsável

pelo governo que elege. pesquisa cnt/census, de janeiro de

2010, dá conta que, aproximadamente 78% dos brasileiros não

confiam nunca, ou confiam poucas vezes no congresso

nacional. Daí a necessidade premente de educação política e

aprimoramento da nossa capacidade de fiscalização sobre os

fluxos financeiros que abastecem as campanhas eleitorais no

país.

        Dada a massificação necessária à comunicação numa

campanha, que tem de atingir milhões de eleitores, o dinheiro

disponível se torna uma variável fundamental na avaliação das

chances de vitória de um candidato. Quanto maior o eleitorado

                                                                 2
em disputa, maior o peso do orçamento da campanha. O que

tem trazido para a arena política hipocrisia e cinismo, pois a

corrupção torna-se quase a única maneira de sobrevivência

dos candidatos, mesmo os honestos.

    Sem     um    financiamento   unicamente    público   das

candidaturas, elas tendem a ser reféns dos grupos de interesse

que as apóiam.

    A sociedade tem esta percepção e o estudo da Fiesp, que

será apresentado pelo diretor titular do Decomtec, nos

comprova que o custo social imposto pela corrupção já é maior

do que a economia do gasto público, advinda do financiamento

privado. Grupos de interesse sempre cobram um forte ágio

pelo que pagaram.

    Atacar o problema de frente implica retomar o debate

sobre as definições entre o público e o privado e pensar numa

reforma da legislação que contemple o conjunto das forças

políticas e não apenas os agentes do estado. Essa ampliação




                                                             3
dos horizontes da análise ajuda a ver que a corrupção é um

risco para os fundamentos da democracia.

     Ao preferir os interesses privados aos interesses públicos,

mais do que transgredir a lei, atinge-se o núcleo do estado: sua

constituição.

     Uma reforma da legislação terá, necessariamente, que

levar em conta a ameaça representada pelos corruptos e o fato

de que a corrupção diz respeito à maneira como a sociedade,

como um todo, lida com a coisa pública.

     O estado de direito não sobrevive sem que todos os

atores   envolvidos   no    processo    de   corrupção    sejam

responsabilizados e sem a afirmação da superioridade do bem

público sobre o bem privado.

     Não quero aqui dizer que os crimes cometidos, por

funcionários públicos e cidadãos, não devam ser punidos

segundo a legislação vigente. Mas se quisermos levar em

conta a natureza verdadeiramente política da corrupção, será

preciso terminar, no nascedouro, as relações promíscuas entre

                                                               4
os   interesses   de   agentes     particulares   e     as   ações

governamentais.

     Sem uma definição clara das fronteiras entre o público e o

privado, e a extensão da punição a todos os agentes

corruptores, as diversas práticas ilegais que caracterizam a

corrupção   no    Brasil,serão   uma    ameaça        constante   à

manutenção do estado de direito.

Quando abandonamos o marco das leis fundamentais para

gerirmos a vida pública, com a lógica imediata das disputas

eleitorais, permitimos, como alertava Maquiavel, “que a

corrupção dos homens leve à destruição do corpo político.”

     Desejo a todos um excelente dia de trabalho e que

saiamos daqui prontos      para encararmos, em conjunto, os

grandes desafios que se colocam à nossa democracia.



Obrigada.




                                                                  5
Anúncio

Recomendados

Sustentabilidade
SustentabilidadeSustentabilidade
Sustentabilidade-
 
Gestão e Organização de Empresas parte 2
Gestão e Organização de Empresas parte 2Gestão e Organização de Empresas parte 2
Gestão e Organização de Empresas parte 2André Silva
 
Desenvolvimento Sustentavel
Desenvolvimento SustentavelDesenvolvimento Sustentavel
Desenvolvimento SustentavelRui Raul
 
Classificação das necessidades
Classificação das necessidadesClassificação das necessidades
Classificação das necessidadesEconomicSintese
 
Meio ambiente e desenvolvimento sustentável
Meio ambiente e desenvolvimento sustentávelMeio ambiente e desenvolvimento sustentável
Meio ambiente e desenvolvimento sustentávelRivaldo Cassimiro Júnior
 
Bens – noção e classificação
Bens – noção e classificaçãoBens – noção e classificação
Bens – noção e classificaçãoEconomicSintese
 
Preservação do Património natural
Preservação do Património naturalPreservação do Património natural
Preservação do Património naturalDiogo Alves
 

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Administração pública e privada
Administração pública e privadaAdministração pública e privada
Administração pública e privadaLowrrayny Franchesca
 
Portugal e os seu Orgãos de Soberania
Portugal e os seu Orgãos de SoberaniaPortugal e os seu Orgãos de Soberania
Portugal e os seu Orgãos de Soberaniarodrigonunes2014
 
Gestão ambiental e desenvolvimento sustentável
Gestão ambiental e desenvolvimento sustentávelGestão ambiental e desenvolvimento sustentável
Gestão ambiental e desenvolvimento sustentávelMayjö .
 
Diversidade Cultural
Diversidade CulturalDiversidade Cultural
Diversidade Culturalabarros
 
Exercicios internacional cap.02
Exercicios internacional cap.02Exercicios internacional cap.02
Exercicios internacional cap.02Diego Palmiere
 
Apresentação Ricci - Fórum Social Mundial
Apresentação Ricci - Fórum Social MundialApresentação Ricci - Fórum Social Mundial
Apresentação Ricci - Fórum Social MundialBruno César Dos Santos
 
Resumos Economia A 11º ano: Contabilidade nacional
Resumos Economia A 11º ano: Contabilidade nacionalResumos Economia A 11º ano: Contabilidade nacional
Resumos Economia A 11º ano: Contabilidade nacionalRaffaella Ergün
 
Módulo 2 - A Defesa Civil e os Desastres Naturais
Módulo 2 - A Defesa Civil e os Desastres NaturaisMódulo 2 - A Defesa Civil e os Desastres Naturais
Módulo 2 - A Defesa Civil e os Desastres NaturaisPortal Voluntários Online
 
Resumos introdução à gestão
Resumos introdução à gestãoResumos introdução à gestão
Resumos introdução à gestãoDaniel Vieira
 
As alterações-climáticas
As alterações-climáticasAs alterações-climáticas
As alterações-climáticasAlcina Barbosa
 

Mais procurados (20)

Rendimentos à escala
Rendimentos à escalaRendimentos à escala
Rendimentos à escala
 
As cidades sustentáveis
As cidades sustentáveisAs cidades sustentáveis
As cidades sustentáveis
 
Administração pública e privada
Administração pública e privadaAdministração pública e privada
Administração pública e privada
 
Desenvolvimento Sustentável
Desenvolvimento SustentávelDesenvolvimento Sustentável
Desenvolvimento Sustentável
 
Arquivo mt bom
Arquivo  mt bomArquivo  mt bom
Arquivo mt bom
 
Portugal e os seu Orgãos de Soberania
Portugal e os seu Orgãos de SoberaniaPortugal e os seu Orgãos de Soberania
Portugal e os seu Orgãos de Soberania
 
Gestão ambiental e desenvolvimento sustentável
Gestão ambiental e desenvolvimento sustentávelGestão ambiental e desenvolvimento sustentável
Gestão ambiental e desenvolvimento sustentável
 
Testes (Word).docx
Testes (Word).docxTestes (Word).docx
Testes (Word).docx
 
Sustentabilidade
SustentabilidadeSustentabilidade
Sustentabilidade
 
Diversidade Cultural
Diversidade CulturalDiversidade Cultural
Diversidade Cultural
 
Exercicios internacional cap.02
Exercicios internacional cap.02Exercicios internacional cap.02
Exercicios internacional cap.02
 
Economia circular
Economia circular Economia circular
Economia circular
 
Apresentação Ricci - Fórum Social Mundial
Apresentação Ricci - Fórum Social MundialApresentação Ricci - Fórum Social Mundial
Apresentação Ricci - Fórum Social Mundial
 
Resumos Economia A 11º ano: Contabilidade nacional
Resumos Economia A 11º ano: Contabilidade nacionalResumos Economia A 11º ano: Contabilidade nacional
Resumos Economia A 11º ano: Contabilidade nacional
 
Módulo 2 - A Defesa Civil e os Desastres Naturais
Módulo 2 - A Defesa Civil e os Desastres NaturaisMódulo 2 - A Defesa Civil e os Desastres Naturais
Módulo 2 - A Defesa Civil e os Desastres Naturais
 
Resumos introdução à gestão
Resumos introdução à gestãoResumos introdução à gestão
Resumos introdução à gestão
 
Efeito estufa
Efeito estufaEfeito estufa
Efeito estufa
 
éTica ambiental
éTica ambientaléTica ambiental
éTica ambiental
 
GESTÃO AMBIENTAL
GESTÃO AMBIENTALGESTÃO AMBIENTAL
GESTÃO AMBIENTAL
 
As alterações-climáticas
As alterações-climáticasAs alterações-climáticas
As alterações-climáticas
 

Destaque

O Impacto do EAD no treinamento da sua equipe de projetos
O Impacto do EAD no treinamento da sua equipe de projetosO Impacto do EAD no treinamento da sua equipe de projetos
O Impacto do EAD no treinamento da sua equipe de projetosRafaela Espíndola
 
Discurso de posse do prefeito Fabricio Torquato
Discurso de posse do prefeito Fabricio Torquato Discurso de posse do prefeito Fabricio Torquato
Discurso de posse do prefeito Fabricio Torquato Tarso Costa
 
Discurso de abertura reunião com prefeito e secretarios
Discurso de abertura reunião com prefeito e secretariosDiscurso de abertura reunião com prefeito e secretarios
Discurso de abertura reunião com prefeito e secretariosederbraga
 
Tomada de posse ae
Tomada de posse aeTomada de posse ae
Tomada de posse aeAE EASR
 
Modelo cerimônia de posse
Modelo cerimônia de posseModelo cerimônia de posse
Modelo cerimônia de posseSilas Rocha
 

Destaque (7)

Discursos de abertura e encerramento do MAKE Award 2009
Discursos de abertura e encerramento do MAKE Award 2009Discursos de abertura e encerramento do MAKE Award 2009
Discursos de abertura e encerramento do MAKE Award 2009
 
Discurso campaña política
Discurso campaña políticaDiscurso campaña política
Discurso campaña política
 
O Impacto do EAD no treinamento da sua equipe de projetos
O Impacto do EAD no treinamento da sua equipe de projetosO Impacto do EAD no treinamento da sua equipe de projetos
O Impacto do EAD no treinamento da sua equipe de projetos
 
Discurso de posse do prefeito Fabricio Torquato
Discurso de posse do prefeito Fabricio Torquato Discurso de posse do prefeito Fabricio Torquato
Discurso de posse do prefeito Fabricio Torquato
 
Discurso de abertura reunião com prefeito e secretarios
Discurso de abertura reunião com prefeito e secretariosDiscurso de abertura reunião com prefeito e secretarios
Discurso de abertura reunião com prefeito e secretarios
 
Tomada de posse ae
Tomada de posse aeTomada de posse ae
Tomada de posse ae
 
Modelo cerimônia de posse
Modelo cerimônia de posseModelo cerimônia de posse
Modelo cerimônia de posse
 

Semelhante a Seminário de Crimes Sociais - Discurso de abertura.

Programa De Governo Alckmin Presidente 2006
Programa De Governo Alckmin Presidente 2006Programa De Governo Alckmin Presidente 2006
Programa De Governo Alckmin Presidente 2006Guilherme Moreira
 
Reforma Política
Reforma PolíticaReforma Política
Reforma PolíticaPT Paraná
 
Brasil Nao Tem Jeito Campanha
Brasil Nao Tem Jeito CampanhaBrasil Nao Tem Jeito Campanha
Brasil Nao Tem Jeito Campanhataniamaciel
 
04.03 modernas tendencias do dto penal busato-recj-04.03-07
04.03 modernas tendencias do dto penal busato-recj-04.03-0704.03 modernas tendencias do dto penal busato-recj-04.03-07
04.03 modernas tendencias do dto penal busato-recj-04.03-07Marinice Cavalcanti Jeronymo
 
Nota pública da Associação | Advogadas e Advogados Públicos para a Democracia...
Nota pública da Associação | Advogadas e Advogados Públicos para a Democracia...Nota pública da Associação | Advogadas e Advogados Públicos para a Democracia...
Nota pública da Associação | Advogadas e Advogados Públicos para a Democracia...Palácio do Planalto
 
Slide de defesa de TCC: Do mensalão ao orçamento secreto: a compra de votos n...
Slide de defesa de TCC: Do mensalão ao orçamento secreto: a compra de votos n...Slide de defesa de TCC: Do mensalão ao orçamento secreto: a compra de votos n...
Slide de defesa de TCC: Do mensalão ao orçamento secreto: a compra de votos n...FernandoCardoso75
 
Memoria descritiva Gov-Digital
Memoria descritiva Gov-DigitalMemoria descritiva Gov-Digital
Memoria descritiva Gov-Digitalgovdigital
 
Judiciário e opinião pública
Judiciário e opinião públicaJudiciário e opinião pública
Judiciário e opinião públicaPaulo Neto
 
A primavera brasileira
A primavera brasileiraA primavera brasileira
A primavera brasileiraCIRINEU COSTA
 
Exerc2 aula3
Exerc2 aula3Exerc2 aula3
Exerc2 aula3Will Tkd
 
Reflexões sobre a política
Reflexões sobre a políticaReflexões sobre a política
Reflexões sobre a políticaCIRINEU COSTA
 
Produção textual exercícios
Produção textual exercíciosProdução textual exercícios
Produção textual exercíciosTio Pablo Virtual
 
Discurso priscila krause 01.02.12
Discurso priscila krause 01.02.12Discurso priscila krause 01.02.12
Discurso priscila krause 01.02.12Jamildo Melo
 
Produção textual - dissertação - exercícios
Produção textual - dissertação - exercíciosProdução textual - dissertação - exercícios
Produção textual - dissertação - exercíciosTio Pablo Virtual
 
Entrevista Anderson Alarcon
Entrevista Anderson AlarconEntrevista Anderson Alarcon
Entrevista Anderson AlarconABRADEP
 
Plano diretor/Artigo Correio 11/11/16
Plano diretor/Artigo Correio 11/11/16Plano diretor/Artigo Correio 11/11/16
Plano diretor/Artigo Correio 11/11/16Laura Magalhães
 

Semelhante a Seminário de Crimes Sociais - Discurso de abertura. (20)

Programa De Governo Alckmin Presidente 2006
Programa De Governo Alckmin Presidente 2006Programa De Governo Alckmin Presidente 2006
Programa De Governo Alckmin Presidente 2006
 
Reforma Política
Reforma PolíticaReforma Política
Reforma Política
 
Brasil Nao Tem Jeito Campanha
Brasil Nao Tem Jeito CampanhaBrasil Nao Tem Jeito Campanha
Brasil Nao Tem Jeito Campanha
 
04.03 modernas tendencias do dto penal busato-recj-04.03-07
04.03 modernas tendencias do dto penal busato-recj-04.03-0704.03 modernas tendencias do dto penal busato-recj-04.03-07
04.03 modernas tendencias do dto penal busato-recj-04.03-07
 
Nota pública da Associação | Advogadas e Advogados Públicos para a Democracia...
Nota pública da Associação | Advogadas e Advogados Públicos para a Democracia...Nota pública da Associação | Advogadas e Advogados Públicos para a Democracia...
Nota pública da Associação | Advogadas e Advogados Públicos para a Democracia...
 
Diz Jornal - Edição 201
Diz Jornal - Edição 201Diz Jornal - Edição 201
Diz Jornal - Edição 201
 
Diz Jornal - Edição 232
Diz Jornal - Edição 232Diz Jornal - Edição 232
Diz Jornal - Edição 232
 
Slide de defesa de TCC: Do mensalão ao orçamento secreto: a compra de votos n...
Slide de defesa de TCC: Do mensalão ao orçamento secreto: a compra de votos n...Slide de defesa de TCC: Do mensalão ao orçamento secreto: a compra de votos n...
Slide de defesa de TCC: Do mensalão ao orçamento secreto: a compra de votos n...
 
Memoria descritiva Gov-Digital
Memoria descritiva Gov-DigitalMemoria descritiva Gov-Digital
Memoria descritiva Gov-Digital
 
Judiciário e opinião pública
Judiciário e opinião públicaJudiciário e opinião pública
Judiciário e opinião pública
 
A primavera brasileira
A primavera brasileiraA primavera brasileira
A primavera brasileira
 
Exerc2 aula3
Exerc2 aula3Exerc2 aula3
Exerc2 aula3
 
Reflexões sobre a política
Reflexões sobre a políticaReflexões sobre a política
Reflexões sobre a política
 
Produção textual exercícios
Produção textual exercíciosProdução textual exercícios
Produção textual exercícios
 
Discurso priscila krause 01.02.12
Discurso priscila krause 01.02.12Discurso priscila krause 01.02.12
Discurso priscila krause 01.02.12
 
Produção textual - dissertação - exercícios
Produção textual - dissertação - exercíciosProdução textual - dissertação - exercícios
Produção textual - dissertação - exercícios
 
Corrupção na política e no cotidiano
Corrupção na política e no cotidianoCorrupção na política e no cotidiano
Corrupção na política e no cotidiano
 
Contributo
ContributoContributo
Contributo
 
Entrevista Anderson Alarcon
Entrevista Anderson AlarconEntrevista Anderson Alarcon
Entrevista Anderson Alarcon
 
Plano diretor/Artigo Correio 11/11/16
Plano diretor/Artigo Correio 11/11/16Plano diretor/Artigo Correio 11/11/16
Plano diretor/Artigo Correio 11/11/16
 

Mais de Fiesp Federação das Indústrias do Estado de SP

Mais de Fiesp Federação das Indústrias do Estado de SP (20)

Informativo DEREX - novembro/2016
Informativo DEREX - novembro/2016Informativo DEREX - novembro/2016
Informativo DEREX - novembro/2016
 
Informativo derex - outubro/2016
Informativo derex - outubro/2016Informativo derex - outubro/2016
Informativo derex - outubro/2016
 
Informativo do Derex – Setembro de 2016
Informativo do Derex – Setembro de 2016Informativo do Derex – Setembro de 2016
Informativo do Derex – Setembro de 2016
 
Apresentação emprego agosto 2016
Apresentação emprego agosto 2016 Apresentação emprego agosto 2016
Apresentação emprego agosto 2016
 
Naira Sato
Naira SatoNaira Sato
Naira Sato
 
Marcela Scavone
Marcela ScavoneMarcela Scavone
Marcela Scavone
 
Ladislau Martin
Ladislau MartinLadislau Martin
Ladislau Martin
 
Agustin Vargas
Agustin Vargas Agustin Vargas
Agustin Vargas
 
Apresentação Emprego - Julho 2016
Apresentação Emprego - Julho 2016Apresentação Emprego - Julho 2016
Apresentação Emprego - Julho 2016
 
Informativo derex - julho/2016
Informativo derex - julho/2016Informativo derex - julho/2016
Informativo derex - julho/2016
 
Apresentação conjuntura junho/2016
Apresentação conjuntura junho/2016Apresentação conjuntura junho/2016
Apresentação conjuntura junho/2016
 
Pesquisa Sensor - Julho/2016
Pesquisa Sensor - Julho/2016Pesquisa Sensor - Julho/2016
Pesquisa Sensor - Julho/2016
 
Apresentação Emprego - Junho 2016
Apresentação Emprego - Junho 2016Apresentação Emprego - Junho 2016
Apresentação Emprego - Junho 2016
 
Informativo do derex - Junho de 2016
Informativo do derex - Junho de 2016Informativo do derex - Junho de 2016
Informativo do derex - Junho de 2016
 
Sensor - junho/2016
Sensor -  junho/2016Sensor -  junho/2016
Sensor - junho/2016
 
Apresentação conjuntura - Maio/2016
Apresentação conjuntura - Maio/2016Apresentação conjuntura - Maio/2016
Apresentação conjuntura - Maio/2016
 
Informativo derex - Maio/2016
Informativo derex - Maio/2016Informativo derex - Maio/2016
Informativo derex - Maio/2016
 
Apresentação Emprego/Maio 2016
Apresentação Emprego/Maio 2016Apresentação Emprego/Maio 2016
Apresentação Emprego/Maio 2016
 
Apresentação conjuntura abril/2016
Apresentação conjuntura abril/2016Apresentação conjuntura abril/2016
Apresentação conjuntura abril/2016
 
Sensor - maio/2016
Sensor - maio/2016Sensor - maio/2016
Sensor - maio/2016
 

Seminário de Crimes Sociais - Discurso de abertura.

  • 1. Seminário – Crimes Sociais Discurso Dra. Eliane Belfort Cumprimento a todos e agradeço pela presença. Presença que demonstra o interesse da sociedade civil pelo tema. Agradeço especialmente à nossa diretora, Rosa Ramos, pela dedicação e competente coordenação deste evento, ao professor doutor Celso Fiorillo, nosso parceiro entusiasta de primeira hora, que não mediu esforços para trazer a esse evento grandes nomes da academia e do mundo jurídico, com expertises amplamente reconhecidas, como é também o seu próprio nome, que engrandece esse debate. Agradeço também os nossos parceiros internos de todas as horas, o ministro Sydney Sanches, presidente do Conjur, Walter Lazzarini, presidente do Cosema, os diretores titulares do Deinfra e do Decomtec, e a todos os palestrantes e convidados para o debate, os nossos agradecimentos, em nome da industria paulista e do presidente Paulo Skaf. 1
  • 2. Este encontro, próximo às eleições, é muito oportuno, pois os temas que serão debatidos, tenho a convicção, contribuirão para um debate mais amplo sobre as chamadas reformas políticas e para a proposta de investimento forte na educação política do povo. Numa democracia, que é, em última instância, o nosso horizonte de reflexão, o cidadão tem que se sentir responsável pelo governo que elege. pesquisa cnt/census, de janeiro de 2010, dá conta que, aproximadamente 78% dos brasileiros não confiam nunca, ou confiam poucas vezes no congresso nacional. Daí a necessidade premente de educação política e aprimoramento da nossa capacidade de fiscalização sobre os fluxos financeiros que abastecem as campanhas eleitorais no país. Dada a massificação necessária à comunicação numa campanha, que tem de atingir milhões de eleitores, o dinheiro disponível se torna uma variável fundamental na avaliação das chances de vitória de um candidato. Quanto maior o eleitorado 2
  • 3. em disputa, maior o peso do orçamento da campanha. O que tem trazido para a arena política hipocrisia e cinismo, pois a corrupção torna-se quase a única maneira de sobrevivência dos candidatos, mesmo os honestos. Sem um financiamento unicamente público das candidaturas, elas tendem a ser reféns dos grupos de interesse que as apóiam. A sociedade tem esta percepção e o estudo da Fiesp, que será apresentado pelo diretor titular do Decomtec, nos comprova que o custo social imposto pela corrupção já é maior do que a economia do gasto público, advinda do financiamento privado. Grupos de interesse sempre cobram um forte ágio pelo que pagaram. Atacar o problema de frente implica retomar o debate sobre as definições entre o público e o privado e pensar numa reforma da legislação que contemple o conjunto das forças políticas e não apenas os agentes do estado. Essa ampliação 3
  • 4. dos horizontes da análise ajuda a ver que a corrupção é um risco para os fundamentos da democracia. Ao preferir os interesses privados aos interesses públicos, mais do que transgredir a lei, atinge-se o núcleo do estado: sua constituição. Uma reforma da legislação terá, necessariamente, que levar em conta a ameaça representada pelos corruptos e o fato de que a corrupção diz respeito à maneira como a sociedade, como um todo, lida com a coisa pública. O estado de direito não sobrevive sem que todos os atores envolvidos no processo de corrupção sejam responsabilizados e sem a afirmação da superioridade do bem público sobre o bem privado. Não quero aqui dizer que os crimes cometidos, por funcionários públicos e cidadãos, não devam ser punidos segundo a legislação vigente. Mas se quisermos levar em conta a natureza verdadeiramente política da corrupção, será preciso terminar, no nascedouro, as relações promíscuas entre 4
  • 5. os interesses de agentes particulares e as ações governamentais. Sem uma definição clara das fronteiras entre o público e o privado, e a extensão da punição a todos os agentes corruptores, as diversas práticas ilegais que caracterizam a corrupção no Brasil,serão uma ameaça constante à manutenção do estado de direito. Quando abandonamos o marco das leis fundamentais para gerirmos a vida pública, com a lógica imediata das disputas eleitorais, permitimos, como alertava Maquiavel, “que a corrupção dos homens leve à destruição do corpo político.” Desejo a todos um excelente dia de trabalho e que saiamos daqui prontos para encararmos, em conjunto, os grandes desafios que se colocam à nossa democracia. Obrigada. 5