6º ENCONTRO DE LOGÍSTICA E TRANSPORTES – FIESP HIDROVIA E O USO MÚLTIPLO DAS ÁGUAS AGENOR  JUNQUEIRA DIRETOR JUNHO DE 2011
Evolução da produção de Etanol
Evolução das Cargas Transportadas Hidrovia Tietê-Paraná (x mil tons)  Fonte: DH São Paulo TAXA MÉDIA ANUAL DE CRESCIMENTO ...
<ul><li>O projeto da hidrovia da Transpetro faz parte do programa logístico do sistema Petrobras para o Etanol </li></ul><...
A LOGÍSTICA INTEGRADA
Na Transpetro o projeto está sob a responsabilidade do Programa de Modernização e Expansão da Frota (PROMEF) <ul><li>PREMI...
Principais desafios encontrados foram: <ul><li>Montagem dos comboios precisa ser nas margens da Hidrovia; </li></ul><ul><l...
Principais estratégias <ul><li>Utilizar a estrutura e experiência do PROMEF para a construção das embarcações; </li></ul><...
PROMEF GASEIROS PANAMAX – 73.000 TPB SUEZMAX – 165.000 TPB <ul><li>Aquisição de 49 navios; </li></ul><ul><li>Lançamento do...
<ul><li>ATRIBUIÇÕES PRINCIPAIS </li></ul><ul><li>Implementar o projeto das barcaças e empurradores e gerenciar os empreend...
ESTALEIRO ATLÂNTICO SUL OUT/2008 e JAN/2009 EXEMPLO DE UM ESTALEIRO IMPLEMENTADO
ESTALEIRO ATLANTICO SUL 11 meses depois - em DEZ/2009
DADOS LICITAÇÃO NÚMERO DE EMPRESAS PARTICIPANTES 6 Total de propostas recebidas (CONSÓRCIOS) 3 13 Total de empresas partic...
Benefícios da Hidrovia na Comparação entre modais Por Unidades Equivalentes de Capacidade de Carga Fontes: AHRANA/ANTAQ/FE...
Localização previlegiada da Hidrovia Usinas existentes Usinas projetadas Usinas canceladas 5% 8% MG 58 MM m 3 23 MM m 3 PA...
O PROJETO TRANSPETRO O  projeto básico das embarcações fluviais , considerou as restrições impostas pelos elementos que co...
Melhorias operacionais por parte do governo (administrador da via) Melhorias realizadas na Hidrovia 3,0 6.000 248 8.700 2,...
ARAÇATUBA ANHEMBI PRESIDENTE EPITÁCIO APRECIDA DO TABOADO
CARACTERÍSTICAS DA OPERAÇÃO DISTÂNCIAS HIDROVIÁRIAS De Terminal a montante (Anhembi) TRECHO 1 450 Km TRECHO 2 740 Km TRECH...
DIFERENCIAIS DO PROJETO DA TRANSPETRO GANHOS CARACTERÍSTICA Capacidade de transporte do comboio de 7,6 MILHÕES de litros M...
DIFERENCIAIS DO PROJETO DA TRANSPETRO Menor geração de resíduos Menor impacto ambiental Instalação de Biodigestores para t...
PASSADIÇO ELEVATÓRIO <ul><li>Será instalado um sistema para elevação/abaixamento do passadiço a uma velocidade constante s...
CARGA E DESCARGA Os  sistemas de carga e bombeamento  serão constituídos da seguinte forma: <ul><li>Duas (02) redes de car...
PROPULSÃO, GOVERNO E GERAÇÃO DE ENERGIA O  sistema de propulsão e governo   consistirá de: <ul><li>Dois (02) motores Diese...
CARACTERÍSTICAS DO PROJETO Sistema Azimutal Convencional Sistema Azimutal Convés EXEMPLOS DE SISTEMAS AZIMUTAIS:
ARRANJO GERAL DA BARCAÇA Quatro tanques de carga para 450 metros cúbicos cada um. Cada barcaça transportar 02 segregações .
ARRANJO GERAL DO EMPURRADOR
MARCOS IMPORTANTES ENTREGA DO 20º COMBOIO 4º trim/2015 INÍCIO DA OPERAÇÃO 4º trim/2013 ENTREGA DO 1º COMBOIO 4º trim/2012 ...
Principais desafios e oportunidades <ul><li>LOGÍSTICA DE MATERIAIS </li></ul><ul><li>CAPACIDADE DE PROCESSAMENTO DE AÇO </...
AGENOR  JUNQUEIRA DIRETOR OBRIGADO PELA ATENÇÃO !!!
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

6º ENCONTRO DE LOGÍSTICA E TRANSPORTES – FIESP HIDROVIA E O USO MÚLTIPLO DAS ÁGUAS

2.003 visualizações

Publicada em

O projeto da hidrovia da Transpetro faz parte do programa logístico do sistema Petrobras para o Etanol
A Logum será a empresa responsável por ofertar as soluções logísticas multimodais completas, envolvendo desde a hidrovia e o alcoolduto até a colocação do produto em portos

Publicada em: Tecnologia, Negócios
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
2.003
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
138
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

6º ENCONTRO DE LOGÍSTICA E TRANSPORTES – FIESP HIDROVIA E O USO MÚLTIPLO DAS ÁGUAS

  1. 1. 6º ENCONTRO DE LOGÍSTICA E TRANSPORTES – FIESP HIDROVIA E O USO MÚLTIPLO DAS ÁGUAS AGENOR JUNQUEIRA DIRETOR JUNHO DE 2011
  2. 2. Evolução da produção de Etanol
  3. 3. Evolução das Cargas Transportadas Hidrovia Tietê-Paraná (x mil tons) Fonte: DH São Paulo TAXA MÉDIA ANUAL DE CRESCIMENTO NOS ÚLTIMOS DEZ ANOS (2000-2009)=11,3% A capacidade atual da hidrovia é estimada em torno de 17 a 20 milhões tons/ano
  4. 4. <ul><li>O projeto da hidrovia da Transpetro faz parte do programa logístico do sistema Petrobras para o Etanol </li></ul><ul><li>A Logum será a empresa responsável por ofertar as soluções logísticas multimodais completas, envolvendo desde a hidrovia e o alcoolduto até a colocação do produto em portos </li></ul>
  5. 5. A LOGÍSTICA INTEGRADA
  6. 6. Na Transpetro o projeto está sob a responsabilidade do Programa de Modernização e Expansão da Frota (PROMEF) <ul><li>PREMISSAS DO PROMEF HIDROVIA </li></ul><ul><li>PRODUÇÃO EM TERRITÓRIO NACIONAL </li></ul><ul><li>CONTEÚDO NACIONAL DE 70 % </li></ul><ul><li>APLICAÇÃO DA CURVA DE APRENDIZADO </li></ul>
  7. 7. Principais desafios encontrados foram: <ul><li>Montagem dos comboios precisa ser nas margens da Hidrovia; </li></ul><ul><li>Necessidade de investimentos em estaleiros; </li></ul><ul><li>Tempo de construção de um comboio; </li></ul><ul><li>Formação de mão-de-obra. </li></ul>
  8. 8. Principais estratégias <ul><li>Utilizar a estrutura e experiência do PROMEF para a construção das embarcações; </li></ul><ul><li>Atender a demanda já confirmada de 20 comboios; </li></ul><ul><li>Adotar curvas de aprendizado para reduzir os custos e prazos de construção, além de garantir a sustentabilidade econômica do negócio do estaleiro. </li></ul>
  9. 9. PROMEF GASEIROS PANAMAX – 73.000 TPB SUEZMAX – 165.000 TPB <ul><li>Aquisição de 49 navios; </li></ul><ul><li>Lançamento do primeiro Suezmax em maio de 2010; </li></ul><ul><li>Criação da gerência de embarcações da hidrovia em julho de 2009. </li></ul>A evolução do PROMEF pode ser observada pelas seguintes etapas: AFRAMAX – 108.000 TPB
  10. 10. <ul><li>ATRIBUIÇÕES PRINCIPAIS </li></ul><ul><li>Implementar o projeto das barcaças e empurradores e gerenciar os empreendimentos junto aos estaleiros. </li></ul><ul><li>Desenvolver a sintonia entre o programa das Barcaças e Empurradores e a gestão do Programa Corredor de Escoamento de Etanol da Petrobras. </li></ul><ul><li>Obter os financiamentos dos recursos necessários junto ao FMM. </li></ul>PROGRAMA DE MODERNIZAÇÃO E EXPANSÃO DA FROTA Gerência de Embarcações para Hidrovia da Transpetro Criada em 2009
  11. 11. ESTALEIRO ATLÂNTICO SUL OUT/2008 e JAN/2009 EXEMPLO DE UM ESTALEIRO IMPLEMENTADO
  12. 12. ESTALEIRO ATLANTICO SUL 11 meses depois - em DEZ/2009
  13. 13. DADOS LICITAÇÃO NÚMERO DE EMPRESAS PARTICIPANTES 6 Total de propostas recebidas (CONSÓRCIOS) 3 13 Total de empresas participantes nas propostas 10 29 Total de empresas participantes 5 9 Inclusões 5 20 Lançamento do edital Internacionais Nacionais
  14. 14. Benefícios da Hidrovia na Comparação entre modais Por Unidades Equivalentes de Capacidade de Carga Fontes: AHRANA/ANTAQ/FENAVEGA/TRANSPETRO 3,5 km (26 km em movimento) 1,7 km 150 m Comprimento total Consumo Combust í veis (m 3 /ano) 165.000 - 770 Viagem/ano 172 Carretas Bi - trem Graneleiras 2,9 Comboios Hopper (86 vagões) 1 Comboio Duplo Tietê (4 chatas e empurrador) 6.000 t Capacidade de Carga RODO FERRO HIDRO MODAIS 69.200 - 7.100 Emissão CO 2 17.700 101.000 - 3,5 km (26 km em movimento) 1,7 km 150 m Comprimento total 96 litros 10 litros 5 litros Consumo Combustível 180 Carretas Bi - trem Graneleiras 3,0 Comboios Hopper (86 vagões) 1 Comboio Duplo Tietê (4 chatas e empurrador) 7.600 m 3 Capacidade de Carga RODO FERRO HIDRO MODAIS 219 gramas 104 gramas 74 gramas Emissões CO
  15. 15. Localização previlegiada da Hidrovia Usinas existentes Usinas projetadas Usinas canceladas 5% 8% MG 58 MM m 3 23 MM m 3 PARTICIPAÇÃO NA PRODUÇÃO NACIONAL 4% 5% MT 5% 8% PR 8% 4% GO 8% 3% MS 43% 62% SP 2015 2008
  16. 16. O PROJETO TRANSPETRO O projeto básico das embarcações fluviais , considerou as restrições impostas pelos elementos que compõem o sistema hidroviário, tais como: Canalização das vias, represamento e transposição de desnível (como as eclusas). Obras para Estabilidade e Proteção de Margens e passagens sob pontes.
  17. 17. Melhorias operacionais por parte do governo (administrador da via) Melhorias realizadas na Hidrovia 3,0 6.000 248 8.700 2,90 6 2006 132 5.800 2,90 4 2005 116 5.400 2.70 4 2003 100 5.000 2,50 4 2000 base 2.500 2,50 2 1991 Crescimento (%) Capacidade de carga (ton) Calado (m) N o de barcaças por comboio Ano
  18. 18. ARAÇATUBA ANHEMBI PRESIDENTE EPITÁCIO APRECIDA DO TABOADO
  19. 19. CARACTERÍSTICAS DA OPERAÇÃO DISTÂNCIAS HIDROVIÁRIAS De Terminal a montante (Anhembi) TRECHO 1 450 Km TRECHO 2 740 Km TRECHO 3 800 Km GERAÇÃO DE EMPREGOS DIRETOS INDIRETOS CONSTRUÇÃO ESTALEIRO 500 (na média) 700 (no pico) 2.000 (na média) OPERAÇÃO DO ESTALEIRO 300 (na média) 1.200 (na média) OPERAÇÃO DA FROTA 400 (na média) 1.600 (na média)
  20. 20. DIFERENCIAIS DO PROJETO DA TRANSPETRO GANHOS CARACTERÍSTICA Capacidade de transporte do comboio de 7,6 MILHÕES de litros Menos emissões Menor custo logístico Novo sistema de propulsão que permitirá uma maior capacidade de manobra e maior governo da embarcação Maior capacidade de carga Menor custo logístico Maior segurança operac. Novo sistema de descarga que minimiza resíduos nas operações de troca de produto Menor geração de resíduos Maior giro da comboio Menor custo logístico
  21. 21. DIFERENCIAIS DO PROJETO DA TRANSPETRO Menor geração de resíduos Menor impacto ambiental Instalação de Biodigestores para tratar o esgoto sanitário a bordo Maior flexibilidade operac. Menor custo logístico Capacidade autônoma de operação da barcaça GANHOS CARACTERÍSTICA Capacidade de descarga do comboio em 4 horas Maior giro do comboio Menor custo logístico Capacidade de cada barcaça operar com 2 produtos diferentes simultaneamente Maior flexibilidade operac. Menor custo logístico
  22. 22. PASSADIÇO ELEVATÓRIO <ul><li>Será instalado um sistema para elevação/abaixamento do passadiço a uma velocidade constante sob qualquer condição de navegação; </li></ul><ul><li>Contará com um sistema auxiliar de operação, caso falhar o sistema principal de acionamento; </li></ul><ul><li>O sistema manual e auxiliar serão acionados a partir da cabine de comando (passadiço). </li></ul>
  23. 23. CARGA E DESCARGA Os sistemas de carga e bombeamento serão constituídos da seguinte forma: <ul><li>Duas (02) redes de carga independentes </li></ul><ul><li>Quatro (04) drop lines </li></ul><ul><li>Uma (01) rede auxiliar de dreno </li></ul><ul><li>Quatro (04) bombas de carga centrífugas, submersas (tipo deepwell) com capacidade de 150 m 3 /h cada uma e pressão no manifold de 100 mca ; </li></ul><ul><li>Uma (01) bomba de débito positivo para drenagem dos tanques e das redes de carga. </li></ul>
  24. 24. PROPULSÃO, GOVERNO E GERAÇÃO DE ENERGIA O sistema de propulsão e governo consistirá de: <ul><li>Dois (02) motores Diesel para propulsão principal (MCP’s) com potência aproximada de 490 kW (≈650 HP) a 1.800 rpm, cada um acionando um sistema de propulsão azimutal tipo “ Rudder Propeller ”; </li></ul><ul><li>A potência contínua de serviço (PCS) de cada motor principal será 90% da potência máxima contínua (PMC); </li></ul><ul><li>O sistema deverá permitir aos propulsores girarem 360 o , de forma independente dando a capacidade de manobra ao comboio para a condição totalmente carregado com os MCP’s desenvolvendo a potência contínua de serviço; </li></ul>
  25. 25. CARACTERÍSTICAS DO PROJETO Sistema Azimutal Convencional Sistema Azimutal Convés EXEMPLOS DE SISTEMAS AZIMUTAIS:
  26. 26. ARRANJO GERAL DA BARCAÇA Quatro tanques de carga para 450 metros cúbicos cada um. Cada barcaça transportar 02 segregações .
  27. 27. ARRANJO GERAL DO EMPURRADOR
  28. 28. MARCOS IMPORTANTES ENTREGA DO 20º COMBOIO 4º trim/2015 INÍCIO DA OPERAÇÃO 4º trim/2013 ENTREGA DO 1º COMBOIO 4º trim/2012 PREVISÃO DE INÍCIO DAS OBRAS JUNHO/2011 CONCLUSÃO DA LICITAÇÃO E ANÚNCIO DO VENCEDOR 30/AGOSTO/2010 MÊS/ANO MARCO 10/MARÇO/2010 LANÇAMENTO DO EDITAL 30/JUNHO/2010 ABERTURA DOS ENVELOPES TÉCNICOS 10/AGOSTO/2010 ABERTURA DAS PROPOSTAS COMERCIAIS
  29. 29. Principais desafios e oportunidades <ul><li>LOGÍSTICA DE MATERIAIS </li></ul><ul><li>CAPACIDADE DE PROCESSAMENTO DE AÇO </li></ul><ul><li>PRAZO DE ENTREGA DOS COMPONENTES </li></ul><ul><li>FORMAÇÃO DE FLUVIÁRIOS. </li></ul>
  30. 30. AGENOR JUNQUEIRA DIRETOR OBRIGADO PELA ATENÇÃO !!!

×