Afonsim                                          Fontainhas          Mioma          54ª Edição, fevereiro de 2012Lages    ...
INDICE    Pág. 3 — Fórum Sinodal Juvenil;    Pág. 4, 5, 6 — V domingo do tempo comum;    Pág. 7, 8, 9 — VI domingo do temp...
Fórum Sinodal Juvenil: Bispo não concebe o Sínodo sem os jovensDecorreu com grande animação o Fórum Juvenil. A canção da f...
DOMINGO V do tempo comum                                    (5 de fevereiro de 2012)    LEITURA I Job 7, 1-4.6-7        «A...
Sarou os corações dilaceradose ligou as suas feridas.Fixou o número das estrelase deu a cada uma o seu nome.              ...
ALELUIA Mt 8, 17    Refrão: Aleluia. Repete-se    Cristo suportou as nossas enfermidades e    tomou sobre Si as nossas dor...
DOMINGO VI do tempo comum                               (12 de fevereiro de 2012)LEITURA I Lev 13, 1-2.44-46          «O l...
LEITURA II 1 Cor 10, 31 – 11, 1                   «Sede meus imitadores, como eu o sou de Cristo»    Leitura da Primeira E...
Advertindo-o severamente, despediu-o com esta ordem:«Não digas nada a ninguém, mas vai mostrar-te ao sacerdote e oferece p...
SALMO RESPONSORIAL Salmo 40 (41), 2-3.4-5.13-14 (R. 5)     Refrão: Salvai-me, Senhor, porque pequei contra Vós.     Ou: Sa...
ALELUIA Lc 4, 18Refrão: Aleluia. Repete-seO Senhor me enviou a anunciar a boa nova aos pobres, a proclamar aoscativos a li...
DOMINGO I da quaresma                                    (26 de fevereiro de 2012)     LEITURA I Gen 9, 8-15      A alianç...
Mostrai-me, Senhor, os vossos caminhos,ensinai-me as vossas veredas.Guiai-me na vossa verdade e ensinai-me,porque Vós sois...
EVANGELHO Mc 1, 12-15                    «Era tentado por Satanás e os Anjos serviam-n’O»     Evangelho de Nosso Senhor Je...
VIA SACRA: O CAMINHO DA MORTE À VIDAUm pouco de história A Via-sacra, ou Caminho da Cruz, é um caminho de oração muito imp...
Mensagem     Todos seremos transformados pela vitória de nosso Senhor Jesus Cristo.     (Cf. 1 Cor 15, 51-58)     A histór...
A Voz do Conselho EconómicoPublicamos nesta edição o relatório de contas, referente ao mês de dezembro de 2011            ...
Encontro de namorados cristãos     Quereis viver o Dia dos Namorados com mais espiritualidade? Que sentido cristãos dar ao...
CuriosidadesFevereiro: É o segundo mês do ano, pelo calendário gregoriano. Tem a duraçãode 28 dias, a não ser em anos biss...
2012     = Lua cheia   = Lua nova    = Quarto crescente   = Quarto Minguante            Por favor guarde a nossa voz, pode...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Voz da Paróquia - Fevereiro 2012

333 visualizações

Publicada em

Publicada em: Espiritual
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
333
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
1
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Voz da Paróquia - Fevereiro 2012

  1. 1. Afonsim Fontainhas Mioma 54ª Edição, fevereiro de 2012Lages Meã
  2. 2. INDICE Pág. 3 — Fórum Sinodal Juvenil; Pág. 4, 5, 6 — V domingo do tempo comum; Pág. 7, 8, 9 — VI domingo do tempo comum; Pág. 9, 10, 11 — VII domingo do tempo comum; Pág. 12, 13, 14 — I domingo da quaresma; Pág. 15 — Via Sacra — o caminho da morte à vida; Pág. 16— Mensagem; Pág. 17 — A Voz do Conselho Económico; JES Pág. 18— Encontro de namorados cristãos, Convívio Fraterno em Fevereiro; Pág. 19 — Curiosidades; Passatempos; Agradecemos a todos quantos queiram participar com documentos e/ ou testemunhos, que os façam chegar ao J.E.S (Grupo de Jovens Do Espírito Santo de Mioma), da seguinte forma e, prazos, para a edição do mes seguinte: Em mão ou por correio, até dia 15; Para, jesmioma@hotmail.com, até ao dia20. Visite-nos em: http:// jesmio- ma.blogspot.com/2
  3. 3. Fórum Sinodal Juvenil: Bispo não concebe o Sínodo sem os jovensDecorreu com grande animação o Fórum Juvenil. A canção da felicidadedeu o tom à abertura dos trabalhos, que decorreram na Igreja do Semi-nário, em Viseu, no dia 28 de Janeiro de 2012, pelas 14H30, com a pre-sença de D. Ilídio e do Pe. Tó Jó, responsável pela Pastoral Juvenil.Os jovens presentes questionaram o Bispo, que foi respondendo às suas ques-tões, desafiando-os a serem evangelizadores pelo seu testemunho de alegria ede felicidade, que lhe vêm de se sentirem cristãos, seduzidos por Cristo.“Tornemo-nos palavra viva, amando como Jesus Cristo amou”, dizia-lhes D. Ilí-dio, que terminou com outra frase do evangelho: “nisto conhecerão que soismeus discípulos”.Tendo os jovens uma lin- guagem própria, só poderãoser evangelizados falando- lhes na sua linguagem, …numalinguagem que eles enten- dam. Por isso, os jovens cris-tãos deverão ser os evange- lizadoresdos jovens, dizia D. Ilídio aos partici-pantes neste Fórum Juvenil.Outra questão que foi posta a D. Ilídio tinha a vercom a dificuldade que alguns Padres têm de estarpróximos dos jovens. O Bispo respondeu- lhes comum desafio: “colocai-vos ao lado do vosso Padre,para lhe perguntarem o que querem e para lhe dize-rem o que vocês desejam dele. Numa sociedade dominada pela sedução da téc-nica, da ciência e do material, há que testemunhar a alegria e a felicidade que adimensão espiritual nos oferece.Neste Fórum Juvenil, estavam jovens oriundos de Currelos, Mioma, Pindelo dosMilagres, Ribeiradio, Couto de Baixo, S. Pedro do Sul, Viseu (3 paróquias), San-tiago de Cassurrães, Mangualde, Pinheiro de Lafões, e ainda de alguns Movi-mentos: Convívios Fraternos, Mensagem de Fátima, Juventude Vicentina.“Como estão os jovens?” – perguntava a animadora do Fórum. “Muito bem”,respondiam, cantando e “fazendo os possíveis por sermos bons amigos”.D. Ilídio “não concebe o Sínodo sem os jovens” e por isso se alegrou com a par-ticipação no Fórum Sinodal Juvenil e desafiou os participantes a atraírem muitosoutros para os seus encontros de reflexão sinodal. “Não podemos deixar-nosdominar pelo pessimismo”, lembrava D. Ilídio, e recordava as Jornadas Mundiais da Juventude, que são momentos de grande dinamismo juvenil, em torno dos valores que a Igreja propõe aos jovens, que facilmente se deixam seduzir por Cristo. Neste Fórum foram projetados os pequenos filmes de apresentação dos documentos conciliares que serão objeto de estudo, ao longo deste ano – Dei Ver- bum e Gau- dium et Spes. 3
  4. 4. DOMINGO V do tempo comum (5 de fevereiro de 2012) LEITURA I Job 7, 1-4.6-7 «Agito-me angustiado até ao crepúsculo» Leitura do Livro de Job Job tomou a palavra, dizendo: «Não vive o homem sobre a terra como um soldado? Não são os seus dias como os de um mercenário? Como o escravo que suspira pela sombra e o trabalhador que espera pelo seu salá- rio, assim eu recebi em herança meses de desilusão e couberam-me em sorte noites de amargura. Se me deito, digo: ‘Quando é que me levanto?’. Se me levanto: ‘Quando chegará a noite?’; e agito-me angustiado até ao crepúsculo. Os meus dias passam mais velozes que uma lançadeira de tear e desvanecem-se sem esperança. – Recordai-Vos que a minha vida não passa de um sopro e que os meus olhos nunca mais verão a felicidade». Palavra do Senhor. SALMO RESPONSORIAL Salmo 66 (67), 2-3.5.6 e 8 (R. 2a) Refrão: Louvai o Senhor, que salva os corações atribulados. Ou: Aleluia. Louvai o Senhor, porque é bom cantar, é agradável e justo celebrar o seu louvor. O Senhor edificou Jerusalém, congregou os dispersos de Israel.4
  5. 5. Sarou os corações dilaceradose ligou as suas feridas.Fixou o número das estrelase deu a cada uma o seu nome. Grande é o nosso Deus e todo-poderoso, é sem limites a sua sabedoria. O Senhor conforta os humildes e abate os ímpios até ao chão.LEITURA II 1 Cor 9, 16-19.22-23 «Ai de mim se não evangelizar!»Leitura da Primeira Epístola do apóstolo São Paulo aos CoríntiosIrmãos:Anunciar o Evangelho não é para mim um título de glória, é uma obrigação que mefoi imposta.Ai de mim se não anunciar o Evangelho!Se o fizesse por minha iniciativa, teria direito a recompensa.Mas, como não o faço por minha iniciativa, desempenho apenas um cargo que meestá confiado.Em que consiste, então, a minha recompensa?Em anunciar gratuitamente o Evangelho, sem fazer valer os direitos que o Evange-lho me confere.Livre como sou em relação a todos, de todos me fiz escravo, para ganhar o maiornúmero possível.Com os fracos tornei-me fraco, a fim de ganhar os fracos.Fiz-me tudo para todos, a fim de ganhar alguns a todo o custo.E tudo faço por causa do Evangelho, para me tornar participante dos seus bens.Palavra do Senhor. 5
  6. 6. ALELUIA Mt 8, 17 Refrão: Aleluia. Repete-se Cristo suportou as nossas enfermidades e tomou sobre Si as nossas dores. Refrão EVANGELHO Mc 1, 29-39 «Curou muitas pessoas, atormentadas por várias doenças» Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo segundo São Marcos Naquele tempo, Jesus saiu da sinagoga e foi, com Tiago e João, a casa de Simão e André. A sogra de Simão estava de cama com febre, e logo Lhe falaram dela. Jesus aproximou-Se, tomou-a pela mão e levantou-a. A febre deixou-a e ela começou a servi-los. Ao cair da tarde, já depois do sol-posto, trouxeram-Lhe todos os doentes e posses- sos, e a cidade inteira ficou reunida diante da porta. Jesus curou muitas pessoas, que eram atormentadas por várias doenças, e expulsou muitos demónios. Mas não deixava que os demónios falassem, porque sabiam quem Ele era. De manhã, muito cedo, levantou-Se e saiu. Retirou-Se para um sítio ermo e aí começou a orar. Simão e os companheiros foram à procura d’Ele e, quando O encontraram, disse- ram-Lhe: «Todos Te procuram». Ele respondeu-lhes: «Vamos a outros lugares, às povoações vizinhas, a fim de pregar aí também, porque foi para isso que Eu vim». E foi por toda a Galileia, pregando nas sinagogas e expulsando os demónios. Palavra da salvação.6
  7. 7. DOMINGO VI do tempo comum (12 de fevereiro de 2012)LEITURA I Lev 13, 1-2.44-46 «O leproso deverá morar à parte, fora do acampamento»Leitura do Livro do LevíticoO Senhor falou a Moisés e a Aarão, dizendo:«Quando um homem tiver na sua pele algum tumor, impigem ou mancha esbran-quiçada, que possa transformar-se em chaga de lepra, devem levá-lo ao sacerdoteAarão ou a algum dos sacerdotes, seus filhos.O leproso com a doença declarada usará vestuário andrajoso e o cabelo em desali-nho, cobrirá o rosto até ao bigode e gritará: ‘Impuro, impuro!’.Todo o tempo que lhe durar a lepra, deve considerar-se impuro e, sendo impuro,deverá morar à parte, fora do acampamento».Palavra do Senhor.SALMO RESPONSORIAL Salmo 31 (32), 1-2.5.7.11 (R.7)Refrão: Sois o meu refúgio, Senhor; dai-me a alegriada vossa salvação.Feliz daquele a quem foi perdoada a culpae absolvido o pecado.Feliz o homem a quem o Senhor não acusa de iniquidadee em cujo espírito não há engano.Confessei-vos o meu pecadoe não escondi a minha culpa.Disse: Vou confessar ao Senhor a minha falta,e logo me perdoastes a culpa do pecado.Vós sois o meu refúgio, defendei-me dos perigos,fazei que à minha volta só haja hinos de vitória.Alegrai-vos, justos, e regozijai-vos no Senhor,exultai, vós todos os que sois retos de coração. 7
  8. 8. LEITURA II 1 Cor 10, 31 – 11, 1 «Sede meus imitadores, como eu o sou de Cristo» Leitura da Primeira Epístola do apóstolo São Paulo aos Coríntios Irmãos: Quer comais, quer bebais, ou façais qualquer outra coisa, fazei tudo para glória de Deus. Portai-vos de modo que não deis escândalo nem aos judeus, nem aos gregos, nem à Igreja de Deus. Fazei como eu, que em tudo procuro agradar a toda a gente, não buscando o pró- prio interesse, mas o de todos, para que possam salvar-se. Sede meus imitadores, como eu o sou de Cristo. Palavra do Senhor. ALELUIA Lc 7, 16 Refrão: Aleluia. Repete-se Apareceu entre nós um grande profeta: Deus visitou o seu povo. Refrão EVANGELHO Mc 1, 40-45 «A lepra deixou-o e ele ficou limpo» Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo segundo São Marcos Naquele tempo, veio ter com Jesus um leproso. Prostrou-se de joelhos e suplicou-Lhe: «Se quiseres, podes curar-me». Jesus, compadecido, estendeu a mão, tocou- lhe e disse: «Quero: fica limpo». No mesmo instante o deixou a lepra e ele ficou limpo.8
  9. 9. Advertindo-o severamente, despediu-o com esta ordem:«Não digas nada a ninguém, mas vai mostrar-te ao sacerdote e oferece pela tuacura o que Moisés ordenou, para lhes servir de testemunho».Ele, porém, logo que partiu, começou a apregoar e a divulgar o que acontecera, eassim, Jesus já não podia entrar abertamente em nenhuma cidade.Ficava fora, em lugares desertos, e vinham ter com Ele de toda a parte.Palavra da salvação. DOMINGO VII do tempo comum (19 de fevereiro de 2012)LEITURA I Is 43, 18-19.21-22.24b-25 «Apagarei as tuas transgressões, em atenção a Mim»Leitura do Livro de IsaíasEis o que diz o Senhor: «Não vos lembreis mais dos acontecimentos passados,não presteis atenção às coisas antigas.Eu vou realizar uma coisa nova, que já começa a aparecer; não o vedes?Vou abrir um caminho no deserto, fazer brotar rios na terra árida.O povo que formei para Mim proclamará os meus louvores.Mas tu não Me chamaste, Jacob, nãote preocupaste comigo, Israel.Pelo contrário, obrigaste-Me a supor-tar os teus pecados, cansaste-Mecom as tuas iniquidades. Sou Eu,sou Eu que, em atenção a Mim,tenho de apagar as tuas transgres-sões e não mais recordar as tuasfaltas».Palavra do Senhor. 9
  10. 10. SALMO RESPONSORIAL Salmo 40 (41), 2-3.4-5.13-14 (R. 5) Refrão: Salvai-me, Senhor, porque pequei contra Vós. Ou: Salvai, Senhor, a minha alma, pois contra Vós eu pequei. Feliz daquele que pensa no pobre: no dia da desgraça o Senhor o salvará. O Senhor lhe concederá proteção e vida, fá-lo-á ditoso na terra e não o abandonará ao ódio dos seus inimigos. No leito do sofrimento o Senhor o assistirá e na doença o aliviará. Eu digo: Senhor, tende piedade de mim, curai-me, pois pequei contra Vós. Vós me conservareis são e salvo e em vossa presença me estabelecereis para sempre. Bendito seja o Senhor, Deus de Israel, desde agora e para sempre. Amen. LEITURA II 2 Cor 1, 18-22 «Jesus não foi sim e não, mas sempre foi sim» Leitura da Segunda Epístola do apóstolo São Paulo aos Coríntios Irmãos: Deus é testemunha fiel de que a nossa linguagem convosco não é sim e não. Porque o Filho de Deus, Jesus Cristo, que nós pregámos entre vós – eu, Silvano e Timóteo – não foi sim e não, mas foi sempre um sim. Todas as promessas de Deus são um sim em seu Filho. É por Ele que nós dizemos ‘Amen’ a Deus para sua glória. Quem nos confirma em Cristo – a nós e a vós – é Deus. Foi Ele que nos concedeu a unção, nos marcou com o seu sinal e imprimiu em nos- sos corações o penhor do Espírito. Palavra do Senhor.10
  11. 11. ALELUIA Lc 4, 18Refrão: Aleluia. Repete-seO Senhor me enviou a anunciar a boa nova aos pobres, a proclamar aoscativos a liberdade. RefrãoEVANGELHO Mc 2, 1-12 «O Filho do homem tem na terra o poder de perdoar os pecados»Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo segundo São MarcosQuando Jesus entrou de novo em Cafarnaum e se soube que Ele estava em casa,juntaram-se tantas pessoas que já não cabiam sequer em frente da porta;e Jesus começou a pregar-lhes a palavra.Trouxeram-Lhe um paralítico, transportado por quatro homens;e, como não podiam levá-lo até junto d’Ele, devido à multidão, descobriram o tetopor cima do lugar onde Ele Se encontrava e, feita assim uma abertura, desceram aenxerga em que jazia o paralítico.Ao ver a fé daquela gente, Jesus disse ao paralítico:«Filho, os teus pecados estão perdoados».Estavam ali sentados alguns escribas, que assim discorriam em seus corações:«Porque fala Ele deste modo? Está a blasfemar. Não é só Deus que pode perdoaros pecados?». Jesus, percebendo o que eles estavam a pensar, perguntou-lhes:«Porque pensais assim nos vossos corações? Que é mais fácil? Dizer ao paralítico:‘Os teus pecados estão perdoados’, ou dizer: ‘Levanta-te, toma a tua enxerga eanda’? Pois bem. Para saberdes que o Filho do homem tem na terra o poder deperdoar os pecados, ‘Eu te ordeno – disse Ele ao paralítico – levanta-te, toma a tuaenxerga e vai para casa’».O homem levantou-se, tomou a enxerga e saiu diante de toda a gente, de modoque todos ficaram maravilhados e glorificavam a Deus, dizendo:«Nunca vimos coisa assim».Palavra da salvação. 11
  12. 12. DOMINGO I da quaresma (26 de fevereiro de 2012) LEITURA I Gen 9, 8-15 A aliança de Deus com Noé, salvo das águas do dilúvio Leitura do Livro do Génesis Deus disse a Noé e a seus filhos: «Estabelecerei a minha aliança convosco, com a vossa descen- dência e com todos os seres vivos que vos acompanham: as aves, os animais domésticos, os animais selvagens que estão convosco, todos quantos saíram da arca e agora vivem na terra. Estabelecerei convosco a minha aliança: de hoje em diante nenhuma criatura será exterminada pelas águas do dilúvio, e nunca mais um dilúvio devastará a terra». Deus disse ainda: «Este é o sinal da aliança que estabeleço convosco e com todos os animais que vivem entre vós, por todas as gerações futuras: farei aparecer o meu arco sobre as nuvens, que será um sinal da aliança entre Mim e a terra. Sempre que Eu cobrir a terra de nuvens e aparecer nas nuvens o arco, recordarei a minha aliança convosco e com todos os seres vivos, e nunca mais as águas formarão um dilúvio para destruir todas as criaturas». Palavra do Senhor. SALMORESPONSORIAL Salmo 24 (25), 4bc-5ab. 6-7bc. 8-9 (R. cf. 10) Refrão: Todos os vossos caminhos, Senhor, são amor e verdade, para os que são fiéis à vossa aliança.12
  13. 13. Mostrai-me, Senhor, os vossos caminhos,ensinai-me as vossas veredas.Guiai-me na vossa verdade e ensinai-me,porque Vós sois Deus, meu Salvador.Lembrai-Vos, Senhor, das vossas misericórdiase das vossas graças, que são eternas.Lembrai-Vos de mim segundo a vossa clemência,por causa da vossa bondade, Senhor.O Senhor é bom e reto,ensina o caminho aos pecadores.Orienta os humildes na justiçae dá-lhes a conhecer a sua aliança.LEITURA II 1 Pedro 3, 18-22 «O Batismo que agora vos salva»Leitura da Primeira Epístola de São PedroCaríssimos:Cristo morreu uma só vez pelos pecados – o Justo pelos injustos – para vos condu-zir a Deus. Morreu segundo a carne, mas voltou à vida pelo Espírito.Foi por este Espírito que Ele foi pregar aos espíritos que estavam na prisão da mor-te e tinham sido outrora rebeldes, quando, nos dias de Noé, Deus esperava compaciência, enquanto se construía a arca, na qual poucas pessoas, oito apenas, sesalvaram através da água.Esta água é figura do Batismo que agora vos salva, que não é uma purificação daimundície corporal, mas o compromisso para com Deus de uma boa consciência;ele vos salva pela ressurreição de Jesus Cristo, que subiu ao Céu e está à direitade Deus, tendo sob o seu domínio os Anjos, as Dominações e as Potestades.Palavra do Senhor.ACLAMAÇÃO ANTES DO EVANGELHO Mt 4, 4bRefrão:Nem só de pão vive o homem, mas de toda a palavra que sai da boca deDeus. Refrão 13
  14. 14. EVANGELHO Mc 1, 12-15 «Era tentado por Satanás e os Anjos serviam-n’O» Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo segundo São Marcos Naquele tempo, o Espírito Santo impeliu Jesus para o deserto. Jesus esteve no deserto quarenta dias e era tentado por Satanás. Vivia com os animais selvagens, e os Anjos serviam-n’O. Depois de João ter sido preso, Jesus partiu para a Galileia e começou a pregar o Evan- gelho, dizendo: «Cumpriu-se o tempo e está próximo o reino de Deus. Arrependei-vos e acreditai no Evangelho». Palavra da salvação. NOTA: Na edição da Voz da Paróquia do mês anterior, foram publicadas as leituras do I, II e III domingo do tempo comum do Ano A, deve- riam ser publicadas as leituras do Ano B, elo que pedimos desculpa. O Grupo de Jovens do Espírito Santo da paróquia de Mioma, convida toda a comunidade a participar na Via Sacra que irá realizar todos os domin- gos da Quaresma/2012. Assim distribuídas: De Mioma à Tremoa— dia 26 de fevereiro —14.30 horas De Tremoa às Lages — dia 4 de março —14.30 horas De Lages à Meã — dia 11 de março — 14.30 horas De Meã a Afonsim — dia 18 de março — 14.30 horas De Afonsim às Fontainhas — dia 25 de março — 14.30 horas De Fontainhas a Mioma — dia 1 de abril — 14.30 horas14
  15. 15. VIA SACRA: O CAMINHO DA MORTE À VIDAUm pouco de história A Via-sacra, ou Caminho da Cruz, é um caminho de oração muito impor-tante, pois tem como objetivo principal levar as pessoas a meditarem naquilo que é mais funda-mental no cristianismo: o mistério pascal de Jesus Cristo, a sua morte e ressurreição. os últimospassos de Jesus na terra são representados por uma série de imagens da sua Paixão, morte esepultura, denominados estações.Esta devoção nasceu, possivelmente, em Jerusalém. Segundo uma lenda, transmitida oralmentepelos primeiros cristãos, Maria percorreu várias vezes o caminho que Jesus seguiu desde a casade Pilatos até ao lugar do Santo Sepulcro. A Maria começaram a juntar-se alguns dos primeiroscristãos, durante o primeiro século do cristianismo.A devoção foi certamente adotada pelos peregrinos, que ao visitarem Jerusalém, passaram apercorrer piedosamente a Via Dolorosa, que vai da casa de Pilatos ao Calvário e ao Santo Sepul-cro. Percorrer este caminho converteu-se num hábito que qualquer peregrino devia cumprir, apartir do séc. IV. Devido à ocupação da Terra Santa pelos muçulmanos e às grandes distânciasque era necessário percorrer, este costume passou, no século XIII da cidade Santa para ascomunidades cristãs dispersas pelo mundo.Os frades franciscanos foram, como guardiães dos Lugares Santos, os grandes divulgadoresdesta devoção. Foi adquirindo diversas formas, segundo os lugares.A Via-sacra estendeu-se a toda a Igreja latina, sobretudo no século XV. No entanto, o númerode estações era ainda variável. Só no século XVIII, o Papa Bento XIV fixou definitivamente emcatorze as estações da Via-sacra e, ao mesmo tempo, convidou todos os sacerdotes a enrique-cer as suas igrejas com as suas representações:1. Jesus é condenado à morte.2. Jesus carrega com a cruz.3. Jesus cai pela primeira vez.4. Jesus encontra sua Mãe.5. Simão de Cirene ajuda Jesus a carregar a cruz.6. A Verónica limpa o rosto de Jesus.7. Jesus cai pela segunda vez.8. As mulheres de Jerusalém choram por Jesus.9. Jesus cai pela terceira vez.10. Jesus é despojado de suas vestes.11. Jesus é pregado na cruz.12. Jesus morre na cruz.13. O corpo de Jesus é retirado da cruz.14. O corpo de Jesus é colocado no sepulcro.Apareceram, entretanto, algumas via-sacras com uma décima quinta estação: a que valoriza aressurreição de Jesus, complemento imprescindível da sua morte. Seguindo, de preferência acaminhar, as sucessivas estações da Via –sacra, tomamos mais consciência da nossa condiçãocristã: seguir a Cristo. E fazemos de certo modo, uma peregrinação espiritual à Terra Santa.Entre cada estação, medita-se, reza-se e canta-se, para assim, ser maior a união com Cristo.Nas 14 estações atrás indicadas, há algumas que não estão relatadas nos Evangelhos, mas quetêm a origem em lendas que passaram a fazer parte da nossa tradição; É o caso das quedas deJesus, e dos encontros com a Verónica e com Maria. Por isso recentemente, algumas dessasestações têm sido preenchidas por acontecimentos narrados nos Evangelhos.A Via-sacra pode ser rezada durante todo o ano litúrgico, mas adquire um significado especialdurante a Quaresma, principalmente na Sexta-feira Santa. Em Roma, é o Papa que, nesse dia ànoite, dirige as estações, desde o coliseu de Roma. Foi aí que morreram muitos dos primeirosmártires da história do Cristianismo.Pode ser feita no interior de uma igreja, onde se encontram as cruzes a assinalar as estações,ou então no exterior, em forma de procissão e com uma cruz à frente. 15
  16. 16. Mensagem Todos seremos transformados pela vitória de nosso Senhor Jesus Cristo. (Cf. 1 Cor 15, 51-58) A história da Polónia tem sido marcada por uma série de derrotas e vitórias. Pode- mos mencionar as muitas vezes em que a Polónia foi invadida, as divisões de terri- tório, a opressão por poderes estrangeiros e sistemas hostis. A constante luta para superar toda a escravidão e o desejo de liberdade são características da história polaca que têm levado a significativas mudanças na vida nacional. E ainda onde há vitória há também perdedores que não compartilham da alegria e do triunfo dos vitoriosos. Essa particular história nacional polaca levou o grupo ecuménico que escreveu o material deste ano a refletir mais profundamente sobre o que significa “vencer” e “perder”, especialmente considerando o modo como a linguagem de “vitória” é tão frequentemente entendida em termos de triunfalismo. Mas Cristo apresen- ta-nos um cami- nho bem diferente! É curioso que em 2012 o campeonato europeu de fute- bol acontecerá na Polónia e na Ucrâ- nia. Isso nunca foi possível em anos passados. Também já lá aconteceu, em Poznan, um Encontro Europeu de Taizé, em 2009. Para muitos, estes acontecimentos são um sinal de outra “vitória nacional”, quando centenas de milhões de fãs ansiosamente aguardam notícias de equipas vencedoras, a jogar nessa região da Europa. Pensar nesse exemplo pode levar-nos a considerar o apelo dos que não são vencedores – não apenas no desporto, mas nas suas vidas e comunidades: quem dedicará um pensamento aos perdedores, àqueles que constantemente sofrem der- rotas porque lhes é negada a vitória por causa de várias condições e circunstâncias? A rivalidade é uma característica permanente, não apenas no desporto, mas tam- bém na política, nos negócios, na cultura e mesmo na vida da Igreja. Quando os discípulos de Jesus entraram em disputa sobre “quem era o maior” (Mc 9,34), ficou claro que esse impulso era forte. Mas a reação de Jesus foi muito sim- ples: “quem quiser ser o primeiro seja o último de todos e servo de todos” (Mc 9,35). Essas palavras falam de vitória através do serviço, da ajuda mútua, promo- vendo a autoestima daqueles que são os “últimos”, os esquecidos, os excluídos. Para todos os cristãos, a melhor expressão de tal serviço humilde é Jesus Cristo, sua vitória através da morte e sua ressurreição.16
  17. 17. A Voz do Conselho EconómicoPublicamos nesta edição o relatório de contas, referente ao mês de dezembro de 2011 Receita Despesas Dia/Evento Evento MontanteOfertórios Dominicais 174,01 € Venc. Pároco 600,00 €Missas plurintencionais 310,00 € Evang. Voz Paróquia 36,00 €Adoração do menino 156,02 € Manutenção da Igreja 128,50 €Dois funerais 80,00 € Sacristão 50,00€Um batizado 25,00€TOTAL 920,88 € 702,00 € Saldo (receita - despesa) 218,88 €Contributos a entregar na Diocese:• Missas Plurintencionais : 155,00 €Total a entregar : 155,00 €SALDO REAL = (menos) 224,47 €Todas as quartas 3as-feiras de cada mês, às 21h, na igreja dos Terceiros, junto aoparque da Cidade de Viseu. 17
  18. 18. Encontro de namorados cristãos Quereis viver o Dia dos Namorados com mais espiritualidade? Que sentido cristãos dar ao vosso namoro? - São questões às quais podemos encontrar juntos com a ajuda de um casal do Secretaria- do Diocesano da Pastoral da Família. Inscreve-te em: www.mergulha.org/index.php/vocacoes/257-encontro-de-namorados-cristaos.html Convívio Fraterno em Fevereiro Está a ser preparado um novo Convívio Fraterno na nossa Diocese de Viseu. Vai acontecer nos dias 17 e 20 de Fevereiro de 2012 (sexta a segunda), que corresponder ao fim-de-semana antes do carnaval. Será bom podermos contar com jovens das diversas zonas pastorais da nossa diocese. Para inscrição dos jovens e oração pelos que vão parti- cipar www.mergulha.org ou cfviseu.secretariado@gmail.com http://pt-br.facebook.com/pages/Convivios-Fraternos- Viseu/16376770367227418
  19. 19. CuriosidadesFevereiro: É o segundo mês do ano, pelo calendário gregoriano. Tem a duraçãode 28 dias, a não ser em anos bissextos, em que é adicionado um dia a este mês.Já existiram três dias 30 de Fevereiro na história. O nome fevereiro vem do latimfebruarius, inspirado em Februus, deus da morte e da purificação na mitologiaetrusca. Originariamente, fevereiro possuía 29 dias e 30 como ano bissexto, maspor exigência do Imperador César Augusto, de Roma, um de seus dias passou parao mês de agosto, para que o mesmo ficasse com 31 dias, semelhante a julho, mêsbatizado assim em homenagem ao Imperador Júlio César. 19
  20. 20. 2012 = Lua cheia = Lua nova = Quarto crescente = Quarto Minguante Por favor guarde a nossa voz, pode ser-lhe útil no futuro. Com a colaboração do JES jesmioma@hotmail.com20

×