Ministério do Desenvolvimento Agrário 
Taller de Trabajo “Desafios de la Cooperación Sur-Sur para fortalecimiento de la ag...
Ministério do Desenvolvimento Agrário 
Criar oportunidades para que as populações rurais alcancem plena cidadania 
Ser ref...
Ministério do Desenvolvimento Agrário 
Estrutura do MDA 
Gabinete do Ministro 
Secretaria Executiva 
Diretoria de Polític...
Ministério do Desenvolvimento Agrário 
Secretaria de Agricultura Familiar 
Assistência Técnica e Extensão Rural – Pronate...
OUTRAS POLÍTICAS, PROGRAMAS E AÇÕES PARA REDUÇÃO DAS DESIGUALDADES SOCIAIS E REGIONAIS 
Brasil Sem Miséria – BSM (MDS) 
...
Mais de 4,2 milhões de estabelecimentos (quase um milhão de assentados da reforma agrária e beneficiários do crédito fundi...
Ministério do Desenvolvimento Agrário 
População Brasileira
Ministério do Desenvolvimento Agrário 
População Rural e Geração
IMPORTÂNCIA DA AGRICULTURA FAMILIAR PARA O DESENVOLVIMENTO Brasil Rural com Gente, Sustentável e Solidário 
Segurança Ali...
PLANO SAFRA DA AGRICULTURA FAMILIAR 2013/2014 
R$ 39 BILHÕES EM RECURSOS 
Crédito Pronaf: R$ 21 bilhões (U$ 17,5 bi) 
AT...
ASSISTÊNCIA TÉCNICA E EXTENSÃO RURAL - ATER 
830 milhões (U$ 375 milhões, era U$ 260 mi na safra anterior) 
Criação ANAT...
Anos 1950s – Nascimento dos Serviços de ATER 
Paraestatal – Associação de Crédito e Assistência Rural (ACAR) 
Motivação/...
Anos 1970s – Estado Forte / 2º PND 
Embrapa (1973) – Centros Nacionais de Pesquisa 
Embrater (1975) + Emater em cada est...
Final Anos 1980s e Início anos 1990s 
Enfraquecimento dos Serviços Públicos de ATER 
Fim da Embrater (1990) e do Sibrater...
A partir de 2003 (Governo Lula) 
Afirmação do Conceito (Identidade) da Agricultura Familiar 
Ampliação do Pronaf / Plano...
Sistema Brasileiro Descentralizado de ATER – Sibrater (2005) 
Dater na SAF/MDA 
Comitê Nacional de ATER (órgão colegiado...
Principais Avanços Institucionais (nos últimos anos) 
Lei da Agricultura Familiar nº 11.326 (2006) 
1ª CNDRSS – Conferên...
Principais Avanços Institucionais (nos últimos anos) - continuação 
2ª CNDRSS (14 a 17/10/2013) – com 1.200 delegados (50...
SERVIÇOS DE ASSISTÊNCIA TÉCNICA E EXTENSÃO RURAL (ATER) E TRANSFERÊNCIA DE TECNOLOGIA PARA A AGRICULTURA FAMILIAR NO BRASI...
As Chamadas Públicas de Ater buscam a Sustentabilidade dos sistemas de produção 
Cadeias Produtivas (leite, café, diversi...
Principais Entidades de Ater e Transferência de Tecnologia 
Asbraer (15.700 técnicos em 2010) - Programas Estaduais 
Coo...
Anater – Agência Nacional de Assistência Técnica e Extensão Rural 
Serviço Social Autônomo 
Embrapa Serviços de ATER 
D...
ALGUMAS BOAS PRÁTICAS (Sistêmicas) (Demandas e Protagonismo da Sociedade Políticas Práticas) 
Manejo e conservação de sol...
Ministério do Desenvolvimento Agrário 
www.mda.gov.br 
Ministro do Desenvolvimento Agrário: Gilberto José Spier Vargas Sec...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Buenas Prácticas: Políticas Públicas de Transferencia de Tecnología en la Agricultura Familiar.

486 visualizações

Publicada em

Presentación de Reni Antonio Denardi
, MDA en el marco del Primer Taller de Trabajo: Desafíos de la Cooperación Sur-Sur para fortalecimiento de la agricultura familiar algodonera, realizado los días 22, 23 y 24 de Octubre de 2013 en Lima, Perú.

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
486
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
7
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
6
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Buenas Prácticas: Políticas Públicas de Transferencia de Tecnología en la Agricultura Familiar.

  1. 1. Ministério do Desenvolvimento Agrário Taller de Trabajo “Desafios de la Cooperación Sur-Sur para fortalecimiento de la agricultura familiar algodonera” Panel: Evolución, tendencias y perspectivas de la Transferencia de Tecnologia y la Extensión Rural Buenas Prácticas en Políticas Públicas em el Área de Transferencia de Tecnologia hacia la agricultura familiar Lima, Perú, 23 octubre 2013
  2. 2. Ministério do Desenvolvimento Agrário Criar oportunidades para que as populações rurais alcancem plena cidadania Ser referência internacional em soluções de inclusão social
  3. 3. Ministério do Desenvolvimento Agrário Estrutura do MDA Gabinete do Ministro Secretaria Executiva Diretoria de Políticas para as Mulheres Rurais e Quilombolas; Núcleo de Estudos Agrários e Desenvolvimento Rural - NEAD; Ouvidoria Agrária Nacional; Subsecretaria de Planejamento, Orçamento e Administração Delegacias Federais do Desenvolvimento Agrário – DFDA Secretaria da Agricultura Familiar – SAF Secretaria de Reordenamento Agrário – SRA Secretaria de Desenvolvimento Territorial – SDT Secretaria Extraordinária de Regularização Fundiária na Amazônia Legal Conselho Nacional de Desenvolvimento Rural e Agricultura Familiar – CONDRAF Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária – INCRA Superintendências Regionais
  4. 4. Ministério do Desenvolvimento Agrário Secretaria de Agricultura Familiar Assistência Técnica e Extensão Rural – Pronater Crédito Rural - Mais Alimentos – Pronaf Seguro da Agricultura Familiar – SEAF/Proagro Mais Garantia de Preços da Agricultura Familiar – PGPAF Programa de Aquisição de Alimentos – PAA Agregação de Valor / Agroindústria Familiar Produção e Uso do Biodiesel / Selo Combustível Social Agroecologia e Produção Orgânica - Planapo Diversificação Produtiva nas Áreas de Tabaco Secretaria de Reordenamento Agrário Programa Nacional de Crédito Fundiário – PNCF Regularização Fundiária Secretaria de Desenvolvimento Territorial Desenvolvimento Sustentável dos Territórios Rurais – Pronat Infraestrutura e Serviços nos Territórios Rurais – Proinf Cooperativismo e Negócios da Agricultura Familiar Principais Programas e Ações do MDA Outros programas e ações: PNDTR – Programa Nacional de Documentação da Trabalhadora Rural Fenafra – Feira da Agricultura Familiar PAC 2 – Máquinas e Equipamentos para Estradas Vicinais Pronatec Campo INCRA Reforma Agrária – PNRF Cadastro Rural
  5. 5. OUTRAS POLÍTICAS, PROGRAMAS E AÇÕES PARA REDUÇÃO DAS DESIGUALDADES SOCIAIS E REGIONAIS Brasil Sem Miséria – BSM (MDS) Luz para Todos (MME) Minha Casa, Minha Vida / PNHR - Habitação Rural Bolsa Família e Estratégia Fome Zero (MDS) Aumento Real do Salário Mínimo / Previdência Social LOAS – Assistência Social Ações Afirmativas (Geração, Gênero, Raça, Etnia) PNAE – Alimentação Escolar, Lei nº 11.947 (MEC) Territórios da Cidadania PAC 2 – Ações para Municípios com menos de 50 mil habitantes
  6. 6. Mais de 4,2 milhões de estabelecimentos (quase um milhão de assentados da reforma agrária e beneficiários do crédito fundiário) Diversidade econômica, social e ambiental (6 biomas) Gênero, Geração e Etnias Heterogeneidade Estrutural Pluriatividade / Multifuncionalidade Afirmação da Identidade Alguns Desafios UNIVERSO DA AGRICULTURA FAMILIAR BRASILEIRA
  7. 7. Ministério do Desenvolvimento Agrário População Brasileira
  8. 8. Ministério do Desenvolvimento Agrário População Rural e Geração
  9. 9. IMPORTÂNCIA DA AGRICULTURA FAMILIAR PARA O DESENVOLVIMENTO Brasil Rural com Gente, Sustentável e Solidário Segurança Alimentar Sustentabilidade Econômica, Social e Ambiental Preservação dos Recursos Naturais Preservação do Patrimônio Cultural
  10. 10. PLANO SAFRA DA AGRICULTURA FAMILIAR 2013/2014 R$ 39 BILHÕES EM RECURSOS Crédito Pronaf: R$ 21 bilhões (U$ 17,5 bi) ATER: R$ 830 milhões (U$ 9,5 bi) SEAF: R$ 400 milhões (U$ 375 mi) PGPAF: R$ 33 milhões (U$ 15 mi) PAA: R$ 1,2 bilhão (U$ 545 mi) PNAE: R$ 1,1 bilhão (U$ 500 mi) PGPM: R$ 200 milhões (U$ 90 mi) Outras Ações: R$ 13,3 bilhões (U$ 6 bi)
  11. 11. ASSISTÊNCIA TÉCNICA E EXTENSÃO RURAL - ATER 830 milhões (U$ 375 milhões, era U$ 260 mi na safra anterior) Criação ANATER - Agência Nacional de Assistência Técnica e Extensão Rural (Projeto de Lei nº 5.740/13 em tramitação no Congresso Nacional) PLANO SAFRA DA AGRICULTURA FAMILIAR 2013/2014
  12. 12. Anos 1950s – Nascimento dos Serviços de ATER Paraestatal – Associação de Crédito e Assistência Rural (ACAR) Motivação/Orientação: Guerra Fria / Difusionismo BREVE HISTÓRICO DOS SERVIÇOS DE ASSISTÊNCIA TÉCNICA E EXTENSÃO RURAL (ATER) E TRANSFERÊNCIA DE TECNOLOGIA NO BRASIL
  13. 13. Anos 1970s – Estado Forte / 2º PND Embrapa (1973) – Centros Nacionais de Pesquisa Embrater (1975) + Emater em cada estado Sibrater – Sistema Brasileiro de ATER Motivação/Orientação: Revolução Verde / Modernização Conservadora
  14. 14. Final Anos 1980s e Início anos 1990s Enfraquecimento dos Serviços Públicos de ATER Fim da Embrater (1990) e do Sibrater Orientação: Neoliberalismo / Estado Mínimo (Emergência dos Movimentos Sociais do Campo) Final Século XX e Início Século XXI Grandes Mobilizações Sociais do Campo: Grito da Terra (Contag), MST/Via Campesina, Fetraf/CUT, MPA, MAB etc. Agricultura Familiar e Pronaf
  15. 15. A partir de 2003 (Governo Lula) Afirmação do Conceito (Identidade) da Agricultura Familiar Ampliação do Pronaf / Planos Safra da Agricultura Familiar Novos Programas e Ações para a Agricultura Familiar (SEAF, Seguro Safra, PGPAF, PAA, PNAE, PNPB – Biodiesel Selo Combustível Social Renascimento da ATER Pública Início do processo de construção da Pnater (2003) e do Pronater, com Ações de Fomento à ATER, por meio de convênios e contratos (até 2010); Formação de Agentes de ATER; Gestão de um novo/embrionário Sibrater
  16. 16. Sistema Brasileiro Descentralizado de ATER – Sibrater (2005) Dater na SAF/MDA Comitê Nacional de ATER (órgão colegiado do Condraf) Câmaras de ATER nos CEDRS Redes Temáticas de ATER
  17. 17. Principais Avanços Institucionais (nos últimos anos) Lei da Agricultura Familiar nº 11.326 (2006) 1ª CNDRSS – Conferência Nacional de Desenvolvimento Rural Sustentável e Solidário (Olinda/PE, junho 2008) Lei da ATER nº 12.188 (10/01/2010) – Institui a Pnater e o Pronater 1ª Conferência Nacional de ATER (23 a 26/04/2012) – com 699 delegados e um total de 40 mil participantes nas etapas preparatórias (160 conferências territoriais, 27 conferências estaduais e 7 conferências temáticas)
  18. 18. Principais Avanços Institucionais (nos últimos anos) - continuação 2ª CNDRSS (14 a 17/10/2013) – com 1.200 delegados (50% mulheres e 20% jovens), 200 convidados e 100 observadores; participação de 42 mil pessoas em 453 conferências preparatórias territoriais, intermunicipais, temáticas e setoriais. Planapo – Brasil Agroecológico (17/10/2013)R$ 8,8 bilhões (U$ 4 bi), 3 anos, em 125 iniciativas Anater – Agência Nacional de ATER (Projeto de Lei em aprovação no Parlamento Brasileiro)
  19. 19. SERVIÇOS DE ASSISTÊNCIA TÉCNICA E EXTENSÃO RURAL (ATER) E TRANSFERÊNCIA DE TECNOLOGIA PARA A AGRICULTURA FAMILIAR NO BRASIL ATUAL Chamadas Públicas de ATER a partir de 2010 (Lei nº 12.188) O MDA dialoga com o Comitê de ATER do Condraf, define territórios ou municípios, beneficiários, temas, instrumentos metodológicos, preços dos serviços, prazo de execução etc. e divulga as Chamadas Públicas. Podem candidatar-se as Entidades Credenciadas, que são em torno de 700, sendo 52 públicas (Emater…) e privadas (Cooperativas, ONGs…). Critérios de seleção: proposta técnica e qualificação da equipe. Contrato de prestação de serviços.
  20. 20. As Chamadas Públicas de Ater buscam a Sustentabilidade dos sistemas de produção Cadeias Produtivas (leite, café, diversificação em áreas de tabaco, produção orgânica, sementes crioulas, pesca artesanal, aquicultura etc.) Mulheres, jovens, indígenas, quilombolas, povos e comunidades tradicionais, beneficiários do crédito fundiário, assentados da reforma agrária Cooperativas (Mais Gestão)
  21. 21. Principais Entidades de Ater e Transferência de Tecnologia Asbraer (15.700 técnicos em 2010) - Programas Estaduais Cooperativas (5.000 técnicos, OCB 2012) ONGs (Editais de Empresas Públicas e Privadas, Agências de Cooperação) Extensão Universitária (Editais do CNPQ/Ministérios) Inovação e Extensão Tecnológica (Editais CNPQ/Ministérios) Sistema S – Sebrae, Senar, Sescoop …
  22. 22. Anater – Agência Nacional de Assistência Técnica e Extensão Rural Serviço Social Autônomo Embrapa Serviços de ATER Deverá ter 3 linhas básicas de atuação: Credenciar de entidades públicas e privadas de ATER Contratar serviços de ATER para agricultores, principalmente Agricultores Familiares. Qualificar e avaliar os serviços de ATER
  23. 23. ALGUMAS BOAS PRÁTICAS (Sistêmicas) (Demandas e Protagonismo da Sociedade Políticas Práticas) Manejo e conservação de solos e água em microbacias Manejo Integrado de Pragas (MIP) e Doenças Convivência com a Seca (Região do Semiárido) Inclusão Social e Produtiva (Plano Brasil Sem Miséria – Busca Ativa) Comercialização (Mercados Institucionais: PAA, PNAE) Produção Orgânica e de Base Agroecológica (Planapo) Agricultura de Baixo Carbono (Plano ABC – MAPA e MDA)
  24. 24. Ministério do Desenvolvimento Agrário www.mda.gov.br Ministro do Desenvolvimento Agrário: Gilberto José Spier Vargas Secretário Executivo: Laudemir André Muller Ouvidor Agrário: Gercino José da Silva Filho Presidente do INCRA: Carlos Guedes de Guedes Diretora de Políticas para Mulheres Rurais e Quilombolas: Karla Emmanuela Hora Diretor do NEAD: Roberto Nascimento Secretário da Agricultura Familiar: Valter Bianchini Secretário de Desenvolvimento Territorial: Andrea Lorena Butto Zarzar Secretário de Reordenamento Agrário: Adhemar Lopes de Almeida OBRIGADO! Reni Antonio Denardi Delegado Federal do Desenvolvimento Agário no Paraná (DFDA-PR) Rua Dr. Faivre, 1220, 10º andar – CEP 80060-140 – Curitiba-PR Telefones: (41) 3360-6562 / 6565 / 6566 reni.denardi@mda.gov.br / dfda-pr@mda.gov.br

×