SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 4
Baixar para ler offline
UNIVERSIDADE  FEDERAL  DE  RORAIMA  
DEPARTAMENTO  DE  GEOCIÊNCIAS  
BACHARELADO  EM  GEOLOGIA  
RELATÓRIO  DE  ATIVIDADES  DE  CAMPO  DA  DISCIPLINA  DE  TOPOGRAFIA  -­‐  CIV  03  
A6vidade  01  -­‐  Medida  com  Trena  e  Escala  
Alunos  
Ezequias  Nogueira  Guimarães  
Matheus  Scalabrin  
Paulo  Roberto  Teixeira  
Thiago  Alves  Evangelista  
Boa  Vista,  RR  
2015  
RELATÓRIO  DE  ATIVIDADES  DE  CAMPO  DA  DISCIPLINA  DE  TOPOGRAFIA  
Resumo:  o  presente  trabalho  tem  como  objeRvo  relatar  a  aRvidade  01  da  disciplina  de  Topografia,  do  
curso   de   Bacharelado   em   Geologia   da   Universidade   Federal   de   Roraima.   A   aRvidade   consisRu   em  
realizar  a  medição  de  uma  sala  de  aula  e  representá-­‐la  em  uma  determinada  escala.  O  resultado  foi  a  
representação  em  escala  proposta  da  sala  de  aula.  
Palavras-­‐chave:  Escala.  Medidas  de  área.    
INTRODUÇÃO  
   A  medição  de  áreas  de  forma  direta  pode  ser  realizada  uRlizando  uma  trena.  Apesar  de  não    
apresentar  uma  excelente  precisão,  é  uma  ferramenta  confiável  quando  uRlizada  de  forma  correta  e  
para  medições  de  pequenas  distâncias.  É  importante  também,  ficar  alerta  às  possíveis  variações  na  
medição  devido  a  erros  relacionados  a  uRlização  do  equipamento  e  as  condições  do  ambiente.  
   Objetos  grandes  necessitam  ser  reduzidos,  pois  ficaria  inviável  ou  impossível  trabalhar  com  sua  
representação   gráfica   do   mesmo   tamanho,   enquanto   que   objetos   muito   pequenos   devem   ser  
ampliados  por  conta  da  dificuldade  de  serem  trabalhados  com  o  tamanho  original  (COELHO  JUNIOR,  
2014).   Para   representar   grandes   extensões   em   um   papel,   é   necessário   adaptá-­‐lo   para   o   tamanho  
adequado,  uRlizando  a  escala.  Segundo  Veiga  (2012)  escala  é  a  relação  entre  o  valor  de  uma  distância  
medida   no   desenho   e   sua   correspondente   no   terreno.   A   notação   uRlizada   para   calcular   escala   é   a  
seguinte:  
Escala  =  distância  medida  no  mapa  ÷  Distância  equivalente  no  terreno  
       Segundo  Coelho  Júnior  (2014),  as  escalas  podem  ser  representadas  de  duas  maneiras,  gráfica  e  
numérica.  A  escala  numérica  fornece  a  relação  entre  o  tamanho  real  de  um  objeto  e  o  correspondente  
tamanho  de  sua  representação  gráfica,  em  forma  de  razão.  Se  uma  feição  é  representada  no  desenho  
com  um  cengmetro  de  comprimento  e  sabe-­‐se  que  seu  comprimento  no  terreno  é  de  100  metros,  
então  a  escala  de  representação  uRlizada  é  de  1:10.000.  A  escala  gráfica  é  formada  por  uma  linha  ou  
barra  dividida  em  partes  iguais,  em  preto  e  branco,  sendo  que  cada  uma  delas  representa  a  relação  do  
tamanho  ocorrido  em  campo  e  sua  respecRva  representação  gráfica  a  parRr  da  escala  numérica.  Este  
Rpo  de  escala,  permite  facilmente,  compreender  as  dimensões  dos  objetos  no  mapa.    
   O  uso  da  escala  gráfica  tem  vantagem  sobre  o  uso  da  numérica,  pois  a  representação  poderá  
ser   reduzida   ou   ampliada   através   de   métodos   xerográficos   e   fotográficos,   sem   perder   sua   razão   de  
escala.  
MATERIAIS  E  MÉTODOS  
   Os   dados   foram   obRdas   a   parRr   das   medições   realizadas   no   Auditório   1   no   prédio   do   Ciclo  
Básico  1  na  Universidade  Federal  de  Roraima.  O  objeRvo  da  aRvidade  foi  converter  as  medidas  de  uma  
sala   de   aula   para   uma   escala   1:75.   Para   isso   foram   uRlizados   os   seguintes   materiais:   trena,   e  
escalímetro.  O  processo  de  obtenção  dos  dados  foi  de  medição  direta  das  laterais  da  sala  de  aula  e  
posterior  cálculo  de  conversão  para  a  escala  desejada  e  esboço  em  papel  A4.          
RESULTADOS  E  DISCUSSÃO  
   Os  resultados  da  medição  demonstraram  que  a  sala  de  aula  possui  as  seguintes  medidas:  8,4  x  
11,2  metros.  URlizando  a  escala  1:75,  realizou-­‐se  o  seguinte  cálculo.  
  O  resultado  foi  a  representação  da  sala  de  aula  em  uma  escala  1:75  (Figura  02).  
Figura  01:  representação  da  sala  de  aula  em  escala  1:75.  
Medida real (metros) Fator conversão Total Valor no escalímeto 1:75
8,4 ÷ 75 0,112 11,2
11,2 ÷ 75 0,129 14,9
CONCLUSÃO  
   Com   o   presente   trabalho   concluiu-­‐se   que   o   cálculo   de   escala   é   muito   importante   para  
representar   uma   área,   pois   dessa   forma   é   possível   observá-­‐la   de   uma   forma   geral,   além   disso,   a  
escolha   da   escala   vai   determinar   o   Rpo   de   trabalho   a   ser   realizado,   dependendo   do   nível   de  
detalhamento  que  se  precisa.    
REFERÊNCIAS  
COELHO  JÚNIOR,  José  Machado.  Topografia  geral.  Recife:  EDUFRPE,  2014  
VEIGA,   Luis   Augusto   Koenig.   Fundamentos   de   Topografia:   engenharia   cartográfica   e   agrimensura.  
Universidade  Federal  do  Paraná,  2012.    

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Relatório de levantamento topográfico planimétrico
Relatório de levantamento topográfico planimétricoRelatório de levantamento topográfico planimétrico
Relatório de levantamento topográfico planimétricoluancaio_aguas
 
Topografia exercícios propostos com solução
Topografia    exercícios  propostos com soluçãoTopografia    exercícios  propostos com solução
Topografia exercícios propostos com soluçãoMaíra Barros
 
Aula3 ajustamento unilins
Aula3 ajustamento unilinsAula3 ajustamento unilins
Aula3 ajustamento unilinshiath
 
Cara Kalibrasi Kamera Fotogrametri Dalam Pekerjaan Survei
Cara Kalibrasi Kamera Fotogrametri Dalam Pekerjaan SurveiCara Kalibrasi Kamera Fotogrametri Dalam Pekerjaan Survei
Cara Kalibrasi Kamera Fotogrametri Dalam Pekerjaan SurveiLuhur Moekti Prayogo
 
Planimetria e altimetria: o que são e qual a diferença?
Planimetria e altimetria: o que são e qual a diferença?Planimetria e altimetria: o que são e qual a diferença?
Planimetria e altimetria: o que são e qual a diferença?Adenilson Giovanini
 
Relatório de atividade prática de topografia sobre o uso do GPS
Relatório de atividade prática de topografia sobre o uso do GPSRelatório de atividade prática de topografia sobre o uso do GPS
Relatório de atividade prática de topografia sobre o uso do GPSEzequias Guimaraes
 
RELATÓRIO  DE  ATIVIDADES  DE  CAMPO  DA  DISCIPLINA  DE  TOPOGRAFIA: Estação...
RELATÓRIO  DE  ATIVIDADES  DE  CAMPO  DA  DISCIPLINA  DE  TOPOGRAFIA: Estação...RELATÓRIO  DE  ATIVIDADES  DE  CAMPO  DA  DISCIPLINA  DE  TOPOGRAFIA: Estação...
RELATÓRIO  DE  ATIVIDADES  DE  CAMPO  DA  DISCIPLINA  DE  TOPOGRAFIA: Estação...Ezequias Guimaraes
 
Topografia - Apostila pratica [1]
Topografia - Apostila pratica [1]Topografia - Apostila pratica [1]
Topografia - Apostila pratica [1]Carlos Elson Cunha
 
Mapeamento de Geossistemas - Prática no QGis
Mapeamento de Geossistemas - Prática no QGisMapeamento de Geossistemas - Prática no QGis
Mapeamento de Geossistemas - Prática no QGisVitor Vieira Vasconcelos
 
Exercicios-topografia-corrigidos
 Exercicios-topografia-corrigidos Exercicios-topografia-corrigidos
Exercicios-topografia-corrigidosLaécio Bezerra
 
Tutorial QGIS sobre Análise Fisiográfica
Tutorial QGIS sobre Análise FisiográficaTutorial QGIS sobre Análise Fisiográfica
Tutorial QGIS sobre Análise Fisiográficanlourei
 
Calculo de rumos e azimutes2
Calculo de rumos e azimutes2Calculo de rumos e azimutes2
Calculo de rumos e azimutes2botelho_19
 
Apostila Desenho Técnico,Cartografia e Topografia
Apostila Desenho Técnico,Cartografia e TopografiaApostila Desenho Técnico,Cartografia e Topografia
Apostila Desenho Técnico,Cartografia e TopografiaProfessor Renato Mascarenhas
 
11ª e 12ª Aula - Equipamentos Topograficos.pdf
11ª e 12ª Aula - Equipamentos Topograficos.pdf11ª e 12ª Aula - Equipamentos Topograficos.pdf
11ª e 12ª Aula - Equipamentos Topograficos.pdfCésar Antônio da Silva
 
Compilação de exercicios topografia altimetria
Compilação de exercicios topografia altimetriaCompilação de exercicios topografia altimetria
Compilação de exercicios topografia altimetriaCleide Soares
 
Topografia unidade 2 planimetria
Topografia unidade 2 planimetriaTopografia unidade 2 planimetria
Topografia unidade 2 planimetriavanilsonsertao01
 

Mais procurados (20)

Relatório de levantamento topográfico planimétrico
Relatório de levantamento topográfico planimétricoRelatório de levantamento topográfico planimétrico
Relatório de levantamento topográfico planimétrico
 
Topografia exercícios propostos com solução
Topografia    exercícios  propostos com soluçãoTopografia    exercícios  propostos com solução
Topografia exercícios propostos com solução
 
Aula3 ajustamento unilins
Aula3 ajustamento unilinsAula3 ajustamento unilins
Aula3 ajustamento unilins
 
Levantamento Topografico Palnimetrico
Levantamento Topografico PalnimetricoLevantamento Topografico Palnimetrico
Levantamento Topografico Palnimetrico
 
Aula4 planimetria
Aula4 planimetriaAula4 planimetria
Aula4 planimetria
 
Cara Kalibrasi Kamera Fotogrametri Dalam Pekerjaan Survei
Cara Kalibrasi Kamera Fotogrametri Dalam Pekerjaan SurveiCara Kalibrasi Kamera Fotogrametri Dalam Pekerjaan Survei
Cara Kalibrasi Kamera Fotogrametri Dalam Pekerjaan Survei
 
Planimetria e altimetria: o que são e qual a diferença?
Planimetria e altimetria: o que são e qual a diferença?Planimetria e altimetria: o que são e qual a diferença?
Planimetria e altimetria: o que são e qual a diferença?
 
Relatório de atividade prática de topografia sobre o uso do GPS
Relatório de atividade prática de topografia sobre o uso do GPSRelatório de atividade prática de topografia sobre o uso do GPS
Relatório de atividade prática de topografia sobre o uso do GPS
 
RELATÓRIO  DE  ATIVIDADES  DE  CAMPO  DA  DISCIPLINA  DE  TOPOGRAFIA: Estação...
RELATÓRIO  DE  ATIVIDADES  DE  CAMPO  DA  DISCIPLINA  DE  TOPOGRAFIA: Estação...RELATÓRIO  DE  ATIVIDADES  DE  CAMPO  DA  DISCIPLINA  DE  TOPOGRAFIA: Estação...
RELATÓRIO  DE  ATIVIDADES  DE  CAMPO  DA  DISCIPLINA  DE  TOPOGRAFIA: Estação...
 
Topografia - Apostila pratica [1]
Topografia - Apostila pratica [1]Topografia - Apostila pratica [1]
Topografia - Apostila pratica [1]
 
Mapeamento de Geossistemas - Prática no QGis
Mapeamento de Geossistemas - Prática no QGisMapeamento de Geossistemas - Prática no QGis
Mapeamento de Geossistemas - Prática no QGis
 
Exercicios-topografia-corrigidos
 Exercicios-topografia-corrigidos Exercicios-topografia-corrigidos
Exercicios-topografia-corrigidos
 
Tutorial QGIS sobre Análise Fisiográfica
Tutorial QGIS sobre Análise FisiográficaTutorial QGIS sobre Análise Fisiográfica
Tutorial QGIS sobre Análise Fisiográfica
 
Calculo de rumos e azimutes2
Calculo de rumos e azimutes2Calculo de rumos e azimutes2
Calculo de rumos e azimutes2
 
Levantamento topográfico?
Levantamento topográfico?Levantamento topográfico?
Levantamento topográfico?
 
Aula3 planimetria
Aula3 planimetriaAula3 planimetria
Aula3 planimetria
 
Apostila Desenho Técnico,Cartografia e Topografia
Apostila Desenho Técnico,Cartografia e TopografiaApostila Desenho Técnico,Cartografia e Topografia
Apostila Desenho Técnico,Cartografia e Topografia
 
11ª e 12ª Aula - Equipamentos Topograficos.pdf
11ª e 12ª Aula - Equipamentos Topograficos.pdf11ª e 12ª Aula - Equipamentos Topograficos.pdf
11ª e 12ª Aula - Equipamentos Topograficos.pdf
 
Compilação de exercicios topografia altimetria
Compilação de exercicios topografia altimetriaCompilação de exercicios topografia altimetria
Compilação de exercicios topografia altimetria
 
Topografia unidade 2 planimetria
Topografia unidade 2 planimetriaTopografia unidade 2 planimetria
Topografia unidade 2 planimetria
 

Semelhante a Representação de sala de aula em escala 1:75

Escalas cartográficas
Escalas cartográficasEscalas cartográficas
Escalas cartográficasThais Veloso
 
Exercícios escala cbasica
Exercícios escala cbasicaExercícios escala cbasica
Exercícios escala cbasicadanilabgis
 
AULA 3 - SLIDES - Escalas.pptx
AULA 3 - SLIDES - Escalas.pptxAULA 3 - SLIDES - Escalas.pptx
AULA 3 - SLIDES - Escalas.pptxKarollyna Maciel
 
Escala cartografica ok.pdf
Escala cartografica ok.pdfEscala cartografica ok.pdf
Escala cartografica ok.pdfOsneiCecchin
 
10º b profissional
10º b profissional10º b profissional
10º b profissionalLuisCosta54
 
Primeira prova consulta_elementos_cartografia
Primeira prova consulta_elementos_cartografiaPrimeira prova consulta_elementos_cartografia
Primeira prova consulta_elementos_cartografiaRobison Negri
 
Apresentacao tcc grasciele_centenaro
Apresentacao tcc grasciele_centenaroApresentacao tcc grasciele_centenaro
Apresentacao tcc grasciele_centenarocassianeaguiar
 
Lev altimetrico trab. campo 01 - r03 (1)
Lev altimetrico   trab. campo 01 - r03 (1)Lev altimetrico   trab. campo 01 - r03 (1)
Lev altimetrico trab. campo 01 - r03 (1)Matheus Sant'Ana Vieira
 
Estatística, Gráficos em escalas logarítmicas
Estatística, Gráficos em escalas logarítmicasEstatística, Gráficos em escalas logarítmicas
Estatística, Gráficos em escalas logarítmicasnelsonpoer
 
Ampliação e redução de figuras geométricas, proporcionalidade uso do papel q...
Ampliação e redução de figuras geométricas, proporcionalidade  uso do papel q...Ampliação e redução de figuras geométricas, proporcionalidade  uso do papel q...
Ampliação e redução de figuras geométricas, proporcionalidade uso do papel q...João Batista Barbosa Filho
 
ESCALA CARTOGRÁFICA.pptx
ESCALA CARTOGRÁFICA.pptxESCALA CARTOGRÁFICA.pptx
ESCALA CARTOGRÁFICA.pptxMarcoTlioAbreu1
 

Semelhante a Representação de sala de aula em escala 1:75 (20)

Escalas cartográficas
Escalas cartográficasEscalas cartográficas
Escalas cartográficas
 
Exercícios escala cbasica
Exercícios escala cbasicaExercícios escala cbasica
Exercícios escala cbasica
 
Atic8 luciareis
Atic8 luciareisAtic8 luciareis
Atic8 luciareis
 
Escala
EscalaEscala
Escala
 
1geo04
1geo041geo04
1geo04
 
AULA 3 - SLIDES - Escalas.pptx
AULA 3 - SLIDES - Escalas.pptxAULA 3 - SLIDES - Escalas.pptx
AULA 3 - SLIDES - Escalas.pptx
 
AULA 3 - Escalas.pptx
AULA 3 - Escalas.pptxAULA 3 - Escalas.pptx
AULA 3 - Escalas.pptx
 
Aula - Topografia
Aula - TopografiaAula - Topografia
Aula - Topografia
 
Topografia aula03
Topografia aula03Topografia aula03
Topografia aula03
 
escalas
escalasescalas
escalas
 
Escala cartografica ok.pdf
Escala cartografica ok.pdfEscala cartografica ok.pdf
Escala cartografica ok.pdf
 
10º b profissional
10º b profissional10º b profissional
10º b profissional
 
Primeira prova consulta_elementos_cartografia
Primeira prova consulta_elementos_cartografiaPrimeira prova consulta_elementos_cartografia
Primeira prova consulta_elementos_cartografia
 
Apresentacao tcc grasciele_centenaro
Apresentacao tcc grasciele_centenaroApresentacao tcc grasciele_centenaro
Apresentacao tcc grasciele_centenaro
 
Escalas projetos
Escalas projetosEscalas projetos
Escalas projetos
 
Lev altimetrico trab. campo 01 - r03 (1)
Lev altimetrico   trab. campo 01 - r03 (1)Lev altimetrico   trab. campo 01 - r03 (1)
Lev altimetrico trab. campo 01 - r03 (1)
 
Estatística, Gráficos em escalas logarítmicas
Estatística, Gráficos em escalas logarítmicasEstatística, Gráficos em escalas logarítmicas
Estatística, Gráficos em escalas logarítmicas
 
Escala
EscalaEscala
Escala
 
Ampliação e redução de figuras geométricas, proporcionalidade uso do papel q...
Ampliação e redução de figuras geométricas, proporcionalidade  uso do papel q...Ampliação e redução de figuras geométricas, proporcionalidade  uso do papel q...
Ampliação e redução de figuras geométricas, proporcionalidade uso do papel q...
 
ESCALA CARTOGRÁFICA.pptx
ESCALA CARTOGRÁFICA.pptxESCALA CARTOGRÁFICA.pptx
ESCALA CARTOGRÁFICA.pptx
 

Mais de Ezequias Guimaraes

VULNERABILIDADE NATURAL À CONTAMINAÇÃO DOS AQUÍFEROS DA SUB-BACIA DO RIO SIRI...
VULNERABILIDADE NATURAL À CONTAMINAÇÃO DOS AQUÍFEROS DA SUB-BACIA DO RIO SIRI...VULNERABILIDADE NATURAL À CONTAMINAÇÃO DOS AQUÍFEROS DA SUB-BACIA DO RIO SIRI...
VULNERABILIDADE NATURAL À CONTAMINAÇÃO DOS AQUÍFEROS DA SUB-BACIA DO RIO SIRI...Ezequias Guimaraes
 
MAPEAMENTO DE AQUÍFEROS NA CIDADE DE MANAUS
MAPEAMENTO DE AQUÍFEROS NA CIDADE DE MANAUSMAPEAMENTO DE AQUÍFEROS NA CIDADE DE MANAUS
MAPEAMENTO DE AQUÍFEROS NA CIDADE DE MANAUSEzequias Guimaraes
 
Geologia de Roraima - Bacia do Tacutu
Geologia de Roraima - Bacia do TacutuGeologia de Roraima - Bacia do Tacutu
Geologia de Roraima - Bacia do TacutuEzequias Guimaraes
 
A Eletricidade e suas Aplicações - Termoelétricas
A Eletricidade e suas Aplicações - TermoelétricasA Eletricidade e suas Aplicações - Termoelétricas
A Eletricidade e suas Aplicações - TermoelétricasEzequias Guimaraes
 
TV Series to improve your English
TV Series to improve your EnglishTV Series to improve your English
TV Series to improve your EnglishEzequias Guimaraes
 
Movie and Book - The Color Purple
Movie and Book - The Color PurpleMovie and Book - The Color Purple
Movie and Book - The Color PurpleEzequias Guimaraes
 
Proyecto para extracción de crudo
Proyecto para extracción de crudoProyecto para extracción de crudo
Proyecto para extracción de crudoEzequias Guimaraes
 
PLAN DE NEGOCIO - PLATAFORMA PETROLERA
PLAN DE NEGOCIO - PLATAFORMA PETROLERAPLAN DE NEGOCIO - PLATAFORMA PETROLERA
PLAN DE NEGOCIO - PLATAFORMA PETROLERAEzequias Guimaraes
 
PROYECTO DE UNA PLATAFORMA PETROLERA
PROYECTO DE UNA PLATAFORMA PETROLERA PROYECTO DE UNA PLATAFORMA PETROLERA
PROYECTO DE UNA PLATAFORMA PETROLERA Ezequias Guimaraes
 
PLAN MUNICIPAL DE DESARROLLO CELAYA 2012-2037
PLAN MUNICIPAL DE DESARROLLO CELAYA 2012-2037PLAN MUNICIPAL DE DESARROLLO CELAYA 2012-2037
PLAN MUNICIPAL DE DESARROLLO CELAYA 2012-2037Ezequias Guimaraes
 
METODO DE REDES - IMPACTO FINAL
METODO DE REDES - IMPACTO FINALMETODO DE REDES - IMPACTO FINAL
METODO DE REDES - IMPACTO FINALEzequias Guimaraes
 
CONTAMINANTES DEL SUELO - METALES PESADOS
CONTAMINANTES DEL SUELO - METALES PESADOSCONTAMINANTES DEL SUELO - METALES PESADOS
CONTAMINANTES DEL SUELO - METALES PESADOSEzequias Guimaraes
 
Fundamentos de aguas residuales - ABSORCIÓN
Fundamentos de aguas residuales - ABSORCIÓNFundamentos de aguas residuales - ABSORCIÓN
Fundamentos de aguas residuales - ABSORCIÓNEzequias Guimaraes
 

Mais de Ezequias Guimaraes (20)

VULNERABILIDADE NATURAL À CONTAMINAÇÃO DOS AQUÍFEROS DA SUB-BACIA DO RIO SIRI...
VULNERABILIDADE NATURAL À CONTAMINAÇÃO DOS AQUÍFEROS DA SUB-BACIA DO RIO SIRI...VULNERABILIDADE NATURAL À CONTAMINAÇÃO DOS AQUÍFEROS DA SUB-BACIA DO RIO SIRI...
VULNERABILIDADE NATURAL À CONTAMINAÇÃO DOS AQUÍFEROS DA SUB-BACIA DO RIO SIRI...
 
MAPEAMENTO DE AQUÍFEROS NA CIDADE DE MANAUS
MAPEAMENTO DE AQUÍFEROS NA CIDADE DE MANAUSMAPEAMENTO DE AQUÍFEROS NA CIDADE DE MANAUS
MAPEAMENTO DE AQUÍFEROS NA CIDADE DE MANAUS
 
Geologia de Roraima
Geologia de RoraimaGeologia de Roraima
Geologia de Roraima
 
Geologia de Roraima - Bacia do Tacutu
Geologia de Roraima - Bacia do TacutuGeologia de Roraima - Bacia do Tacutu
Geologia de Roraima - Bacia do Tacutu
 
Interface homem-maquina
Interface  homem-maquinaInterface  homem-maquina
Interface homem-maquina
 
A Eletricidade e suas Aplicações - Termoelétricas
A Eletricidade e suas Aplicações - TermoelétricasA Eletricidade e suas Aplicações - Termoelétricas
A Eletricidade e suas Aplicações - Termoelétricas
 
TV Series to improve your English
TV Series to improve your EnglishTV Series to improve your English
TV Series to improve your English
 
Movie and Book - The Color Purple
Movie and Book - The Color PurpleMovie and Book - The Color Purple
Movie and Book - The Color Purple
 
Political system of the USA
Political system of the USAPolitical system of the USA
Political system of the USA
 
TV Series Outlander
TV Series OutlanderTV Series Outlander
TV Series Outlander
 
Proyecto para extracción de crudo
Proyecto para extracción de crudoProyecto para extracción de crudo
Proyecto para extracción de crudo
 
BOOK - THE FOUR AGREEMENTS
BOOK - THE FOUR AGREEMENTS BOOK - THE FOUR AGREEMENTS
BOOK - THE FOUR AGREEMENTS
 
PLAN DE NEGOCIO - PLATAFORMA PETROLERA
PLAN DE NEGOCIO - PLATAFORMA PETROLERAPLAN DE NEGOCIO - PLATAFORMA PETROLERA
PLAN DE NEGOCIO - PLATAFORMA PETROLERA
 
PROYECTO DE UNA PLATAFORMA PETROLERA
PROYECTO DE UNA PLATAFORMA PETROLERA PROYECTO DE UNA PLATAFORMA PETROLERA
PROYECTO DE UNA PLATAFORMA PETROLERA
 
PLAN MUNICIPAL DE DESARROLLO CELAYA 2012-2037
PLAN MUNICIPAL DE DESARROLLO CELAYA 2012-2037PLAN MUNICIPAL DE DESARROLLO CELAYA 2012-2037
PLAN MUNICIPAL DE DESARROLLO CELAYA 2012-2037
 
METODO DE REDES - IMPACTO FINAL
METODO DE REDES - IMPACTO FINALMETODO DE REDES - IMPACTO FINAL
METODO DE REDES - IMPACTO FINAL
 
CONTAMINANTES DEL SUELO - METALES PESADOS
CONTAMINANTES DEL SUELO - METALES PESADOSCONTAMINANTES DEL SUELO - METALES PESADOS
CONTAMINANTES DEL SUELO - METALES PESADOS
 
LICENCIA DE FUNCIONAMIENTO
LICENCIA DE FUNCIONAMIENTOLICENCIA DE FUNCIONAMIENTO
LICENCIA DE FUNCIONAMIENTO
 
Vertederos Trapezoidales
Vertederos TrapezoidalesVertederos Trapezoidales
Vertederos Trapezoidales
 
Fundamentos de aguas residuales - ABSORCIÓN
Fundamentos de aguas residuales - ABSORCIÓNFundamentos de aguas residuales - ABSORCIÓN
Fundamentos de aguas residuales - ABSORCIÓN
 

Representação de sala de aula em escala 1:75

  • 1. UNIVERSIDADE  FEDERAL  DE  RORAIMA   DEPARTAMENTO  DE  GEOCIÊNCIAS   BACHARELADO  EM  GEOLOGIA   RELATÓRIO  DE  ATIVIDADES  DE  CAMPO  DA  DISCIPLINA  DE  TOPOGRAFIA  -­‐  CIV  03   A6vidade  01  -­‐  Medida  com  Trena  e  Escala   Alunos   Ezequias  Nogueira  Guimarães   Matheus  Scalabrin   Paulo  Roberto  Teixeira   Thiago  Alves  Evangelista   Boa  Vista,  RR   2015  
  • 2. RELATÓRIO  DE  ATIVIDADES  DE  CAMPO  DA  DISCIPLINA  DE  TOPOGRAFIA   Resumo:  o  presente  trabalho  tem  como  objeRvo  relatar  a  aRvidade  01  da  disciplina  de  Topografia,  do   curso   de   Bacharelado   em   Geologia   da   Universidade   Federal   de   Roraima.   A   aRvidade   consisRu   em   realizar  a  medição  de  uma  sala  de  aula  e  representá-­‐la  em  uma  determinada  escala.  O  resultado  foi  a   representação  em  escala  proposta  da  sala  de  aula.   Palavras-­‐chave:  Escala.  Medidas  de  área.     INTRODUÇÃO     A  medição  de  áreas  de  forma  direta  pode  ser  realizada  uRlizando  uma  trena.  Apesar  de  não     apresentar  uma  excelente  precisão,  é  uma  ferramenta  confiável  quando  uRlizada  de  forma  correta  e   para  medições  de  pequenas  distâncias.  É  importante  também,  ficar  alerta  às  possíveis  variações  na   medição  devido  a  erros  relacionados  a  uRlização  do  equipamento  e  as  condições  do  ambiente.     Objetos  grandes  necessitam  ser  reduzidos,  pois  ficaria  inviável  ou  impossível  trabalhar  com  sua   representação   gráfica   do   mesmo   tamanho,   enquanto   que   objetos   muito   pequenos   devem   ser   ampliados  por  conta  da  dificuldade  de  serem  trabalhados  com  o  tamanho  original  (COELHO  JUNIOR,   2014).   Para   representar   grandes   extensões   em   um   papel,   é   necessário   adaptá-­‐lo   para   o   tamanho   adequado,  uRlizando  a  escala.  Segundo  Veiga  (2012)  escala  é  a  relação  entre  o  valor  de  uma  distância   medida   no   desenho   e   sua   correspondente   no   terreno.   A   notação   uRlizada   para   calcular   escala   é   a   seguinte:   Escala  =  distância  medida  no  mapa  ÷  Distância  equivalente  no  terreno         Segundo  Coelho  Júnior  (2014),  as  escalas  podem  ser  representadas  de  duas  maneiras,  gráfica  e   numérica.  A  escala  numérica  fornece  a  relação  entre  o  tamanho  real  de  um  objeto  e  o  correspondente   tamanho  de  sua  representação  gráfica,  em  forma  de  razão.  Se  uma  feição  é  representada  no  desenho   com  um  cengmetro  de  comprimento  e  sabe-­‐se  que  seu  comprimento  no  terreno  é  de  100  metros,   então  a  escala  de  representação  uRlizada  é  de  1:10.000.  A  escala  gráfica  é  formada  por  uma  linha  ou   barra  dividida  em  partes  iguais,  em  preto  e  branco,  sendo  que  cada  uma  delas  representa  a  relação  do   tamanho  ocorrido  em  campo  e  sua  respecRva  representação  gráfica  a  parRr  da  escala  numérica.  Este   Rpo  de  escala,  permite  facilmente,  compreender  as  dimensões  dos  objetos  no  mapa.       O  uso  da  escala  gráfica  tem  vantagem  sobre  o  uso  da  numérica,  pois  a  representação  poderá   ser   reduzida   ou   ampliada   através   de   métodos   xerográficos   e   fotográficos,   sem   perder   sua   razão   de   escala.   MATERIAIS  E  MÉTODOS     Os   dados   foram   obRdas   a   parRr   das   medições   realizadas   no   Auditório   1   no   prédio   do   Ciclo   Básico  1  na  Universidade  Federal  de  Roraima.  O  objeRvo  da  aRvidade  foi  converter  as  medidas  de  uma   sala   de   aula   para   uma   escala   1:75.   Para   isso   foram   uRlizados   os   seguintes   materiais:   trena,   e   escalímetro.  O  processo  de  obtenção  dos  dados  foi  de  medição  direta  das  laterais  da  sala  de  aula  e   posterior  cálculo  de  conversão  para  a  escala  desejada  e  esboço  em  papel  A4.           RESULTADOS  E  DISCUSSÃO     Os  resultados  da  medição  demonstraram  que  a  sala  de  aula  possui  as  seguintes  medidas:  8,4  x   11,2  metros.  URlizando  a  escala  1:75,  realizou-­‐se  o  seguinte  cálculo.  
  • 3.   O  resultado  foi  a  representação  da  sala  de  aula  em  uma  escala  1:75  (Figura  02).   Figura  01:  representação  da  sala  de  aula  em  escala  1:75.   Medida real (metros) Fator conversão Total Valor no escalímeto 1:75 8,4 ÷ 75 0,112 11,2 11,2 ÷ 75 0,129 14,9
  • 4. CONCLUSÃO     Com   o   presente   trabalho   concluiu-­‐se   que   o   cálculo   de   escala   é   muito   importante   para   representar   uma   área,   pois   dessa   forma   é   possível   observá-­‐la   de   uma   forma   geral,   além   disso,   a   escolha   da   escala   vai   determinar   o   Rpo   de   trabalho   a   ser   realizado,   dependendo   do   nível   de   detalhamento  que  se  precisa.     REFERÊNCIAS   COELHO  JÚNIOR,  José  Machado.  Topografia  geral.  Recife:  EDUFRPE,  2014   VEIGA,   Luis   Augusto   Koenig.   Fundamentos   de   Topografia:   engenharia   cartográfica   e   agrimensura.   Universidade  Federal  do  Paraná,  2012.