OS NÍVEIS DE ACÇÃO PARA A SUSTENTABILIDADE                             Ç                                21 de Outubro de 2...
CONCRETA 2011 – OS NÍVEIS DE ACÇÃO DA SUSTENTABILIDADE - Cidades de Baixo Carbono                   A sustentabilidade eco...
CONCRETA 2011 - OS NÍVEIS DE ACÇÃO DA SUSTENTABILIDADE - Cidades de Baixo Carbono                         MOBILIDADE      ...
CONCRETA 2011 - OS NÍVEIS DE ACÇÃO DA SUSTENTABILIDADE - Cidades de Baixo Carbono                                         ...
CONCRETA 2011 - OS NÍVEIS DE ACÇÃO DA SUSTENTABILIDADE - Cidades de Baixo Carbono         EMISSÕES DO USO DOS SISTEMAS URB...
CONCRETA 2011 - OS NÍVEIS DE ACÇÃO DA SUSTENTABILIDADE - Cidades de Baixo CarbonoO METABOLISMO URBANO DO CARBONO ‐ Podem o...
MEDIDAS DE PLANEAMENTO URBANO DE BAIXO CARBONO                                                                            ...
CONCRETA 2011 - OS NÍVEIS DE ACÇÃO DA SUSTENTABILIDADE - Cidades de Baixo Carbono                       ESTIMATIVA DAS EMI...
CONCRETA 2011 - OS NÍVEIS DE ACÇÃO DA SUSTENTABILIDADE - Cidades de Baixo Carbono                       ESTIMATIVA DAS EMI...
CONCRETA 2011 - OS NÍVEIS DE ACÇÃO DA SUSTENTABILIDADE - Cidades de Baixo Carbono                                  OBRIGADA!
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Conferência «Os níveis de acção e sustentabilidade» . Societat Orgànica de Barcelona . Joana Mourão

559 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
559
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
9
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Conferência «Os níveis de acção e sustentabilidade» . Societat Orgànica de Barcelona . Joana Mourão

  1. 1. OS NÍVEIS DE ACÇÃO PARA A SUSTENTABILIDADE Ç 21 de Outubro de 2011 Sustentabilidade e Território S t t bilid d T itó i Joana Mourão Cidades de Baixo Carbono CONCRETA 2011 – OS NÍVEIS DE ACÇÃO DA SUSTENTABILIDADE - Cidades de Baixo Carbono Consumo de  Recursos  combustíveis  Naturais fósseis Impactes  Impactes Emissões com Ambientais efeito de  estufa Alterações  Resíduos e climáticas Contaminação Conservação do Capital Natural + Restituição cíclica dos resíduos à condição de recursos 2/15
  2. 2. CONCRETA 2011 – OS NÍVEIS DE ACÇÃO DA SUSTENTABILIDADE - Cidades de Baixo Carbono A sustentabilidade ecológica urbana é multi‐escalar 3/15 CONCRETA 2011 - OS NÍVEIS DE ACÇÃO DA SUSTENTABILIDADE - Cidades de Baixo CarbonoO METABOLISMO ABERTO DOS SISTEMAS URBANOS – Produção linear de resíduos e emissões 4/15
  3. 3. CONCRETA 2011 - OS NÍVEIS DE ACÇÃO DA SUSTENTABILIDADE - Cidades de Baixo Carbono MOBILIDADE SANEAMENTO COMBUSTÍVEIS AG. ALIMENTAÇÃO ELECTRICIDADE POTÁVEL ENERGIAS REN. AG. PLUVIAIS EQUIPAMENTOS M. ORGÂNICA ENERGIA ÁGUA VIDRO, PAPEL, PLSTC. FERTILIZAÇÃO AÇO, CIMENTO, BIOMASS TIJOLO A SOLO MATERIAIS USOS DO TERRITÓRIO METABOLISMO URBANORES. SÓLIDOS R.ORGÂNICO DEMOLIÇÃO S P, N, K, CREUTILIZAÇÃO COMPOSTAGE GEE + M EFLUENTES CALOR METAIS P, N, K, C PESADOS RECICLAGEM TRABALHO O METABOLISMO ABERTO DOS SISTEMAS URBANOS – Produção linear de resíduos e emissões 5/15 CONCRETA 2011 - OS NÍVEIS DE ACÇÃO DA SUSTENTABILIDADE - Cidades de Baixo Carbono COMBUSTÍVEIS AG. ELECTRICIDADE POTÁVEL ENERGIAS REN. AG. PLUVIAIS M. ORGÂNICA ENERGIA ÁGUA VIDRO, PAPEL, PLSTC. FERTILIZAÇÃO AÇO, CIMENTO, BIOMASS TIJOLO A SOLO MATERIAIS USOS DO TERRITÓRIO METABOLISMO URBANO CO2RES. SÓLIDOS R.ORGÂNICO DEMOLIÇÃO S P, N, K, CREUTILIZAÇÃO COMPOSTAGE GEE + M EFLUENTES CALOR METAIS P, N, K, C PESADOS COMBUSTÍVEIS  RECICLAGEM FÓSSEIS TRABALHO O METABOLISMO ABERTO DOS SISTEMAS URBANOS – Produção linear de resíduos e emissões 6/15
  4. 4. CONCRETA 2011 - OS NÍVEIS DE ACÇÃO DA SUSTENTABILIDADE - Cidades de Baixo Carbono 7/15 O METABOLISMO URBANO DO CARBONO  ‐ De que depende? Pode ser planeado?CONCRETA 2011 - OS NÍVEIS DE ACÇÃO DA SUSTENTABILIDADE - Cidades de Baixo Carbono Edifícios Mobilidade Serviços Urbanos Serviços Urbanos O METABOLISMO URBANO DO CARBONO  ‐ Quanto emite? 
  5. 5. CONCRETA 2011 - OS NÍVEIS DE ACÇÃO DA SUSTENTABILIDADE - Cidades de Baixo Carbono EMISSÕES DO USO DOS SISTEMAS URBANOS  CONSUMO DE ENERGIA E RESÍDUOS EMISSÕES DO USO DOS SISTEMAS URBANOS – CONSUMO DE ENERGIA E RESÍDUOSEmissões urbanas Emissões urbanas Gg CO2e Gg CO2eper capita: 3,93 Gg CO2e 2007 %EMISSÕES TOTAIS ‐ CONSUMO 145,86USO DE EDIFÍCIOSUSO DE EDIFÍCIOS 54,211 54 211 39,50 39 50Pequena Combustão em edifícios  15,206 12,70Cons. Electricidade Doméstico 20,228 13,20Cons. Electricidade Não doméstico , 14,48 9,50 ,Iluminação de Edifícios Públicos 4,29 3,10USO DE TRANSPORTES 63,827 47,00Rodoviário 63,738 46,20Ferroviário 0,089 1,00 Edifícios Edifí iUSO DE SERVIÇOS URBANOS 27,827 13,50Águas residuais  11,565 3,40 MobilidadeAbastecimento de Água Ab i d Á 2,882 2 882 2,00 2 00RSU – Aterros 10,863 6,00 Serviços UrbanosIluminação de vias 2,517 1,60 O METABOLISMO URBANO DO CARBONO – Quanto emite (consumo de energia)? 9/15 CONCRETA 2011 - OS NÍVEIS DE ACÇÃO DA SUSTENTABILIDADE - Cidades de Baixo Carbono EMISSÕES DO USO DOS SISTEMAS URBANOS  PROCURA  DE ENERGIA E RESÍDUOS EMISSÕES DO USO DOS SISTEMAS URBANOS – PROCURA DE ENERGIA E RESÍDUOS FACTORES DE EMISSÃO DE REFERÊNCIA Valor Unidade EMISSÕES EDIFÍCIOS Consumo de electricidade doméstico 6 ‐ 23 kg CO2/m2/ano Consumo de energia não doméstico  119 kg CO2/m2/ano EMISSÕES MOBILIDADE Mobilidade de v. ligeiros 135  ‐ 310 g CO2/km Mobilidade de v. ligeiros híbridos 100  ‐ 103,5 g CO2/km Mobilidade de v. passageiros 80 ‐ 120 g CO2/passg. km Mobilidade ferroviária de passageiros bl f á 15  ‐ 15 26 g CO2/passg. km Mobilidade rodoviária de mercadorias 206 g CO2/t. km Mobilidade ferroviária de mercadorias  45 g CO2/t. km EMISSÕES SERVIÇOS URBANOS Õ Abastecimento de água  0  ‐ 290 g CO2/m3 Águas residuais 150  g CO2/m3 Biogás a partir de lamas residuais ‐ 38 g CO2/kg LR Resíduos Sólidos Urbanos  1 kg CO2/kg RSU Floresta mediterrânica – Sequestro médio ‐ 10 t CO2/ha/ano O METABOLISMO URBANO DO CARBONO – Porque emite (procura de energia)? 10/15
  6. 6. CONCRETA 2011 - OS NÍVEIS DE ACÇÃO DA SUSTENTABILIDADE - Cidades de Baixo CarbonoO METABOLISMO URBANO DO CARBONO ‐ Podem os sistemas urbanos ser planeados para emitir menos? 11/15 CONCRETA 2011 - OS NÍVEIS DE ACÇÃO DA SUSTENTABILIDADE - Cidades de Baixo Carbono Planeamento Estratégico de modelos de desenvolvimento urbano  de baixo carbono Diagnóstico de emissões Objectivos de redução % Objectivos de redução % Medidas de planeamento urbano Avaliação sectorial e intersectorial de efeitos Cidades de Baixo Carbono O METABOLISMO URBANO DO CARBONO ‐ Podem os sistemas urbanos emitir menos? 12/15
  7. 7. MEDIDAS DE PLANEAMENTO URBANO DE BAIXO CARBONO SECTOROBJECTIVO ESTRATÉGICO MEDIDA TIPO  EMISSÕES AFECTADODensificar os centros urbanos  INVESTIMENTO NA REABILITAÇÃO DOS CENTROS, Aumentar a eficiência  PROMOVENDO O CONFORTO AMBIENTAL PASSIVO NOS  EDIFICAÇÃOenergética  EDIFÍCIOS Ídos edifíciosReduzir dependência fóssil  da mobilidade O COMBATE À DISPERSÃO URBANAEstimular a eficiência das actividades  A REACTIVAÇÃO DA ESCALA DE PROXIMIDADE MOBILIDADEeconómicasMelhorar a rede de  INVESTIMENTO NO TRANSPORTE COLECTIVO OU DE BAIXA  INVESTIMENTO NO TRANSPORTE COLECTIVO OU DE BAIXAinfra‐estruturas  EMISSÃO  REVALORIZAÇÃO DOS ESPAÇOS ABERTOS COM FUNÇÕES  REVALORIZAÇÃO DOS ESPAÇOS ABERTOS COM FUNÇÕESProteger recursos e  SERVIÇOS valores naturais  ECOLÓGICAS DE SANEAMENTO, TRATAMENTO DE RESÍDUOS E  URBANOS SEQUESTRO DE EMISSÕES MEDIDAS DE PLANEAMENTO URBANO DE BAIXO CARBONO SECTOROBJECTIVO ESTRATÉGICO MEDIDA DE ORDENAMENTO PROPOSTA EMISSÕES AFECTADODensificar os centros urbanos  Definição de áreas de reabilitação energéticaAumentar a eficiência  Definição de mínimos de amenização climática urbana EDIFICAÇÃOenergética dos edifícios Definição de mínimos de conforto ambiental passivoReduzir dependência fóssil  da mobilidade Concentração e hierarquização urbanaEstimular a eficiência  Crescimento do solo industrial  com optimização das das actividades  acessibilidades e intermodalidade existentes MOBILIDADEeconómicasMelhorar a rede de  Definição de rede com espaços exclusivos para a  fi i ã d d l iinfra‐estruturas  mobilidade suave articulada com transporte colectivo Protecção da agricultura tradicional e florestaProteger recursos e  SERVIÇOS valores naturais  Definição de áreas de cultivo e tratamento de resíduos URBANOS Definição  de bacias para fito‐depuração e rega 
  8. 8. CONCRETA 2011 - OS NÍVEIS DE ACÇÃO DA SUSTENTABILIDADE - Cidades de Baixo Carbono ESTIMATIVA DAS EMISSÕES DO USO DOS SISTEMAS URBANOSPopulação: 37101 Gg CO2e ‐5 %Emissões urbanas per capita: 3,93Emissões urbanas per capita: 3 93 2007 2020 EvoluçãoUSO DE EDIFÍCIOS 54,21 54,61 + 0,74 %Reabilitação  energética do edificado ocupadoIncentivos ao conforto ambiental passivoIncentivos ao conforto ambiental passivoAmenização do clima urbano nos espaços abertosEdificação e Reabilitação em zonas acessíveis seleccionadas O METABOLISMO URBANO DO CARBONO ‐ Podem os sistemas urbanos emitir menos? 15/15 CONCRETA 2011 - OS NÍVEIS DE ACÇÃO DA SUSTENTABILIDADE - Cidades de Baixo Carbono ESTIMATIVA DAS EMISSÕES DO USO DOS SISTEMAS URBANOSPopulação: 37101 Gg CO2e ‐5 %Emissões urbanas per capita: 3,93 p p , 2007 2020 Evolução çUSO DE TRANSPORTES 63,82 60,18 ‐ 5,7 %Contracção e hierarquização urbana Edificação e Reabilitação em zonas acessíveis seleccionadasEdificação e Reabilitação em zonas acessíveis seleccionadasEspaços exclusivos para rede de mobilidade de baixa emissãoSolo industrial com acessibilidade ferroviária <rR O METABOLISMO URBANO DO CARBONO ‐ Podem os sistemas urbanos emitir menos? 16/15
  9. 9. CONCRETA 2011 - OS NÍVEIS DE ACÇÃO DA SUSTENTABILIDADE - Cidades de Baixo Carbono ESTIMATIVA DAS EMISSÕES DO USO DOS SISTEMAS URBANOSPopulação: 37101 Gg CO2e ‐5 %Emissões urbanas per capita: 3,93 2007 2020 EvoluçãoUSO DE SERVIÇOS URBANOS 27,83 30,16 + 8,4 %Protecção e valorização dos espaços abertose da agricultura tradicional e florestaAumento da compostagem para hortas urbanas e áreas para resíduosCobertura das necessidades de saneamento comC b t d id d d tbacias e canais de fito‐depuração O METABOLISMO URBANO DO CARBONO ‐ Podem os sistemas urbanos emitir menos? 17/15 CONCRETA 2011 - OS NÍVEIS DE ACÇÃO DA SUSTENTABILIDADE - Cidades de Baixo Carbono REDUÇÃO DAS EMISSÕES DO USO DOS SISTEMAS URBANOS REDUÇÃO DAS EMISSÕES DO USO DOS SISTEMAS URBANOS Gg CO2e 2007 2020 % EMISSÕES TOTAIS 145,86 144,95 ‐ 0,6% USO DE  EDIFÍCIOS 54,21 54 21 54,61 54 61 + 0,74 + 0 74 USO DE  TRANSPORTES 63,82 60,18 ‐ 5,7 USO DE SERVIÇOS  URBANOS 27,83 30,16 + 8,4 O METABOLISMO URBANO DO CARBONO ‐ Podem os sistemas urbanos emitir menos? 18/15
  10. 10. CONCRETA 2011 - OS NÍVEIS DE ACÇÃO DA SUSTENTABILIDADE - Cidades de Baixo Carbono OBRIGADA!

×