SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 16
Baixar para ler offline
Oficina II – Testes com Usuários
                       Prof.a Thaïs Campas
Testes com Usuários só podem ser realizados
a partir dos requisitos corretos que
contemplem:
Contexto projetado/ planejado
Conteúdo projetado/ planejado
Funcionalidades Chave ou Key Features
Estes Requsitos devem partir das
Especificações corretas para o projeto/
produto:
Contexto projetado/ planejado
       O que, quando, onde, como e motivação

Conteúdo projetado/ planejado
       O que, quando, onde, como e motivação

Funcionalidades Chave ou Key Features
       O que, quando, onde, como e motivação
A Especificação
gera
o Requisito
Em projetos digitais temos que definir
grupos de usuários que validem nossas
especificações:
Especificação e Requisito:
   Reconstruir o contexto da transação durante o
   teste;
   Este contexto deve levar em consideração o
   cenário correto;
   As características técnicas ideiais para a
   transação também devem ser contempladas;
   É preciso definir Key Features para obter
   resultados realmente úteis.
   É preciso defenir o objetivo do teste em si:
   Análise do legado? Análise de um protótipo?
Novas diretrizes para um projeto antigo:

Legado (o que pode ser aferido)
   Levantamento de problemas;
   Melhor fluxo de tarefas;
   Redirecionamento de estratégias de negócios e marcas;
   Percepção do ciclo de vida do produto (necessidade de
   mudança);
   Alteração da percepção do público-alvo sobre o
   segmento onde o produto/serviços está inserido;
   Mensuração do conceito do produto/serviço junto ao
   público-alvo.
   Validação de contextos e cenários;
   Validação de Grupos de Usuários;
   Validação da estratégia global para o projeto/ produto.
Diretrizes para um novo projeto:

Protótipo (o que pode ser aferido)
   Impacto sobre a visão do antigo (se houver);
   Melhor fluxo de tarefas;
   Adequação a novas estratégias de negócios e novas
   marcas.
   Aceitação/ percepção/ assimilação da inovação;
   Adequação ao público-alvo;
   Aceitação do conceito do produto/serviço junto ao
   público-alvo.
   Validação de contextos e cenários;
   Validação de grupos de usuários;
   Validação da estratégia global para o projeto/ produto.
Validação de Regras de Negócio (legado e protótipo):

Regras de Negócio:

Os usuários entendem a finalidade e as regras de funcionamento
do produto ou serviço testado?

   A regra de negócio define o comportamento de uma interface.

   Regra de Negócio* é a descrição completa de um modelo
   operacional ou de um processo. A regra de negócio existe em nível
   macro estratégico e em nível de detalhes, ou seja, através de
   pequenos processos que formam um grande conjunto de operações.
   Algorítmos, Softwares e Sistemas refletem regras de negócios.
O usuário precisa primeiro entender a tarefa para
depois avalidar a experiência com o produto/serviço
testado.

Fundamental definir:

A experiência deverá ser em grupo ou individual?


    Experiências coletivas refletem a troca de idéias e opiniões
    entre a “comunidade” que deverá utilizar o produto/serviço.

    Experiências individuais refletem os impulsos e percepções
    individuais das personas.
Testes coletivos:

•Organização:

Devem ser monitorados ou liderados – normalmente acabam com
uma dinâmica de grupo.


   Testes Coletivos revelam a percepção de um grupo. O Card
   Sorting é um teste coletivo, onde há discussão sobre um modelo
   mental comum a ser seguido. Testes de usabilidade são individuais
   pois é importante perceber como o indivíduo é afetado pelo processo
   de interação.
Testes individuais:

•Organização:

Pode ser monitorados ou liderados – normalmente acabam como
uma entrevista e questionários opinativos que são preenchidos ou
aplicados para um indivíduo de cada vez.


   Testes Individuais revelam a percepção de uma persona, a
   cada vez, sobre o processo de interação. Não há influência de um
   grupo sobre a opinião de um único individuo no momento do teste.
Aplicação de questionários e entrevistas:


Devem ser feitos antes do teste propriamente dito:


   Questionários e entrevistas devem ocorrer separadamente antes OU depois
   do teste pois podem influenciar o processo de interação de maneira a
   mascarar alguns resultados. Não podemos dar informações cujo
   entendimento desejamos colocar à prova durante o teste. Quanto
   mais falamos e direcionamos os usuários, mais eles/elas serão
   guiados pelo nosso discurso.
Usuários “manipulam” testes:


Cuidado ao fazer perguntas e/ou abordar o usuário:

   “Você faria… ; gostaria… ; preferiria…”.

   O usuário avalia qual a resposta ideal.
Usuários “manipulam” testes:


Cuidado ao fazer perguntas e/ou abordar o usuário:

   “Qual você prefere: este ou aquele?”

   O usuário avalia qual a resposta esperada.
Roteiro Básico de Testes:

Definir:

Objetivo do teste (o que queremos saber);
Coletivo ou individual? Quero testar personas ou grupos?
Grupo a ser testado;
Tarefas a serem testadas/executadas;
Tempo de execução;
Questionários;
Fechamento de cenários e contextos corretos.
Arquitetura da Informação:
Final – aula 09/08/2009

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Testes remotos de usabilidade
Testes remotos de usabilidadeTestes remotos de usabilidade
Testes remotos de usabilidadeLuiz Agner
 
Prototipação de software
Prototipação de softwarePrototipação de software
Prototipação de softwareleopp
 
5. Análise de dados em testes de usabilidade
5. Análise de dados em testes de usabilidade5. Análise de dados em testes de usabilidade
5. Análise de dados em testes de usabilidadeLuiz Agner
 
6. Testes de usabilidade apresentando as conclusoes
6. Testes de usabilidade   apresentando as conclusoes6. Testes de usabilidade   apresentando as conclusoes
6. Testes de usabilidade apresentando as conclusoesLuiz Agner
 
Design Thinking - Prototipação
Design Thinking  - PrototipaçãoDesign Thinking  - Prototipação
Design Thinking - PrototipaçãoUFPA
 
Cap. 13 variações no método básico
Cap. 13   variações no método básicoCap. 13   variações no método básico
Cap. 13 variações no método básicoLuiz Agner
 
Aula 3 desenvolvimento de projetos
Aula 3 desenvolvimento de projetosAula 3 desenvolvimento de projetos
Aula 3 desenvolvimento de projetosThiago Cetroni
 
Princípios Fundamentais da Análise de Requisitos
Princípios Fundamentais da Análise de RequisitosPrincípios Fundamentais da Análise de Requisitos
Princípios Fundamentais da Análise de Requisitoselliando dias
 
Teste de usabilidade - Ferramentas online para testes
Teste de usabilidade - Ferramentas online para testesTeste de usabilidade - Ferramentas online para testes
Teste de usabilidade - Ferramentas online para testesLuiz Agner
 
Teste de usabilidade think aloud
Teste de usabilidade think aloudTeste de usabilidade think aloud
Teste de usabilidade think aloudLucas Sabadini
 
Pesquisa com usuários aplicada em projetos lean de startups concepção de um f...
Pesquisa com usuários aplicada em projetos lean de startups concepção de um f...Pesquisa com usuários aplicada em projetos lean de startups concepção de um f...
Pesquisa com usuários aplicada em projetos lean de startups concepção de um f...Catarinas Design de Interação
 
Aula 2 - Design de Produto 2
Aula 2 - Design de Produto 2Aula 2 - Design de Produto 2
Aula 2 - Design de Produto 2Tiago Cruz
 
Especificação de Requisitos de Software
Especificação de Requisitos de SoftwareEspecificação de Requisitos de Software
Especificação de Requisitos de SoftwareRalph Rassweiler
 

Mais procurados (20)

Testes remotos de usabilidade
Testes remotos de usabilidadeTestes remotos de usabilidade
Testes remotos de usabilidade
 
Prototipação
PrototipaçãoPrototipação
Prototipação
 
Modelagem de Sistemas de Informação 07
Modelagem de Sistemas de Informação 07Modelagem de Sistemas de Informação 07
Modelagem de Sistemas de Informação 07
 
Prototipação de software
Prototipação de softwarePrototipação de software
Prototipação de software
 
5. Análise de dados em testes de usabilidade
5. Análise de dados em testes de usabilidade5. Análise de dados em testes de usabilidade
5. Análise de dados em testes de usabilidade
 
6. Testes de usabilidade apresentando as conclusoes
6. Testes de usabilidade   apresentando as conclusoes6. Testes de usabilidade   apresentando as conclusoes
6. Testes de usabilidade apresentando as conclusoes
 
Design Thinking - Prototipação
Design Thinking  - PrototipaçãoDesign Thinking  - Prototipação
Design Thinking - Prototipação
 
Cap. 13 variações no método básico
Cap. 13   variações no método básicoCap. 13   variações no método básico
Cap. 13 variações no método básico
 
Aula 3 desenvolvimento de projetos
Aula 3 desenvolvimento de projetosAula 3 desenvolvimento de projetos
Aula 3 desenvolvimento de projetos
 
Teste de usabilidade
Teste de usabilidadeTeste de usabilidade
Teste de usabilidade
 
engenharia-de-requisitos
engenharia-de-requisitosengenharia-de-requisitos
engenharia-de-requisitos
 
Prototipação
PrototipaçãoPrototipação
Prototipação
 
Aula4 levantamento requisitos
Aula4 levantamento requisitosAula4 levantamento requisitos
Aula4 levantamento requisitos
 
Princípios Fundamentais da Análise de Requisitos
Princípios Fundamentais da Análise de RequisitosPrincípios Fundamentais da Análise de Requisitos
Princípios Fundamentais da Análise de Requisitos
 
Design de interação aula 2
Design de interação aula 2Design de interação aula 2
Design de interação aula 2
 
Teste de usabilidade - Ferramentas online para testes
Teste de usabilidade - Ferramentas online para testesTeste de usabilidade - Ferramentas online para testes
Teste de usabilidade - Ferramentas online para testes
 
Teste de usabilidade think aloud
Teste de usabilidade think aloudTeste de usabilidade think aloud
Teste de usabilidade think aloud
 
Pesquisa com usuários aplicada em projetos lean de startups concepção de um f...
Pesquisa com usuários aplicada em projetos lean de startups concepção de um f...Pesquisa com usuários aplicada em projetos lean de startups concepção de um f...
Pesquisa com usuários aplicada em projetos lean de startups concepção de um f...
 
Aula 2 - Design de Produto 2
Aula 2 - Design de Produto 2Aula 2 - Design de Produto 2
Aula 2 - Design de Produto 2
 
Especificação de Requisitos de Software
Especificação de Requisitos de SoftwareEspecificação de Requisitos de Software
Especificação de Requisitos de Software
 

Destaque

Artigo implantacao ead corporatio
Artigo   implantacao ead corporatioArtigo   implantacao ead corporatio
Artigo implantacao ead corporatioJose Rudy
 
Proceso productivo xd2
Proceso productivo xd2Proceso productivo xd2
Proceso productivo xd27654271
 
Gerenciamento e desenvolvimento ágil de software
Gerenciamento e desenvolvimento ágil de softwareGerenciamento e desenvolvimento ágil de software
Gerenciamento e desenvolvimento ágil de softwareImpacta Eventos
 
Ordenador
OrdenadorOrdenador
Ordenadorevatic
 
Los paradigmas constitucionales y los derechos indigenas Jorge Alberto Gonzal...
Los paradigmas constitucionales y los derechos indigenas Jorge Alberto Gonzal...Los paradigmas constitucionales y los derechos indigenas Jorge Alberto Gonzal...
Los paradigmas constitucionales y los derechos indigenas Jorge Alberto Gonzal...Mulay Smara
 
Veiculos estranhos
Veiculos estranhosVeiculos estranhos
Veiculos estranhosSamuel Lima
 

Destaque (9)

Artigo implantacao ead corporatio
Artigo   implantacao ead corporatioArtigo   implantacao ead corporatio
Artigo implantacao ead corporatio
 
Proceso productivo xd2
Proceso productivo xd2Proceso productivo xd2
Proceso productivo xd2
 
Gerenciamento e desenvolvimento ágil de software
Gerenciamento e desenvolvimento ágil de softwareGerenciamento e desenvolvimento ágil de software
Gerenciamento e desenvolvimento ágil de software
 
Ordenador
OrdenadorOrdenador
Ordenador
 
Publicidade
PublicidadePublicidade
Publicidade
 
Diálisis
DiálisisDiálisis
Diálisis
 
Economia SolidáRia
Economia SolidáRiaEconomia SolidáRia
Economia SolidáRia
 
Los paradigmas constitucionales y los derechos indigenas Jorge Alberto Gonzal...
Los paradigmas constitucionales y los derechos indigenas Jorge Alberto Gonzal...Los paradigmas constitucionales y los derechos indigenas Jorge Alberto Gonzal...
Los paradigmas constitucionales y los derechos indigenas Jorge Alberto Gonzal...
 
Veiculos estranhos
Veiculos estranhosVeiculos estranhos
Veiculos estranhos
 

Semelhante a Testes Usuários Projetos Produtos

Palestra - Testes de Usabilidade
Palestra - Testes de UsabilidadePalestra - Testes de Usabilidade
Palestra - Testes de UsabilidadeLuiz Agner
 
Empreendedorismo UFMG - Design Sprint
Empreendedorismo UFMG - Design SprintEmpreendedorismo UFMG - Design Sprint
Empreendedorismo UFMG - Design SprintAna Paula Batista
 
O processo de design de interação
O processo de design de interaçãoO processo de design de interação
O processo de design de interaçãoRobson Santos
 
Métodos de pesquisa e análise em Design
Métodos de pesquisa e análise em DesignMétodos de pesquisa e análise em Design
Métodos de pesquisa e análise em DesignPaulo Fanton
 
Levantamento Ágil de Requisitos
Levantamento Ágil de RequisitosLevantamento Ágil de Requisitos
Levantamento Ágil de RequisitosPaulo Furtado
 
Mini curso de testes ágeis
Mini curso de testes ágeisMini curso de testes ágeis
Mini curso de testes ágeisQualister
 
Investigacao diagnostico
Investigacao diagnosticoInvestigacao diagnostico
Investigacao diagnosticokittylili
 
ALM - Testes Exploratórios
ALM - Testes ExploratóriosALM - Testes Exploratórios
ALM - Testes ExploratóriosAlan Carlos
 
Uma abordagem geral da Análise de Negócios
Uma abordagem geral da Análise de NegóciosUma abordagem geral da Análise de Negócios
Uma abordagem geral da Análise de NegóciosJosé Vieira
 
Transformational Design Thinking - Aula 5
Transformational Design Thinking - Aula 5Transformational Design Thinking - Aula 5
Transformational Design Thinking - Aula 5Lu Terceiro
 
Especificação requisitos
Especificação requisitosEspecificação requisitos
Especificação requisitosLuis Fernandes
 
Testes de usabilidade com uma pitada de lean ux
Testes de usabilidade com uma pitada de lean uxTestes de usabilidade com uma pitada de lean ux
Testes de usabilidade com uma pitada de lean uxQualister
 
Análise de aderência de práticas ágeis na cultura de startups de software: o ...
Análise de aderência de práticas ágeis na cultura de startups de software: o ...Análise de aderência de práticas ágeis na cultura de startups de software: o ...
Análise de aderência de práticas ágeis na cultura de startups de software: o ...Marvin Ferreira
 
Innovation sprint using design thinking
Innovation sprint using design thinkingInnovation sprint using design thinking
Innovation sprint using design thinkingHeller de Paula
 

Semelhante a Testes Usuários Projetos Produtos (20)

Palestra - Testes de Usabilidade
Palestra - Testes de UsabilidadePalestra - Testes de Usabilidade
Palestra - Testes de Usabilidade
 
Empreendedorismo UFMG - Design Sprint
Empreendedorismo UFMG - Design SprintEmpreendedorismo UFMG - Design Sprint
Empreendedorismo UFMG - Design Sprint
 
O processo de design de interação
O processo de design de interaçãoO processo de design de interação
O processo de design de interação
 
Workshop de Requisitos
Workshop de RequisitosWorkshop de Requisitos
Workshop de Requisitos
 
Métodos de pesquisa e análise em Design
Métodos de pesquisa e análise em DesignMétodos de pesquisa e análise em Design
Métodos de pesquisa e análise em Design
 
Levantamento Ágil de Requisitos
Levantamento Ágil de RequisitosLevantamento Ágil de Requisitos
Levantamento Ágil de Requisitos
 
Pesquisa Qualitativa
Pesquisa QualitativaPesquisa Qualitativa
Pesquisa Qualitativa
 
Mini curso de testes ágeis
Mini curso de testes ágeisMini curso de testes ágeis
Mini curso de testes ágeis
 
Investigacao diagnostico
Investigacao diagnosticoInvestigacao diagnostico
Investigacao diagnostico
 
Aula lumus
Aula lumusAula lumus
Aula lumus
 
ALM - Testes Exploratórios
ALM - Testes ExploratóriosALM - Testes Exploratórios
ALM - Testes Exploratórios
 
Uma abordagem geral da Análise de Negócios
Uma abordagem geral da Análise de NegóciosUma abordagem geral da Análise de Negócios
Uma abordagem geral da Análise de Negócios
 
Transformational Design Thinking - Aula 5
Transformational Design Thinking - Aula 5Transformational Design Thinking - Aula 5
Transformational Design Thinking - Aula 5
 
UX Culture
UX Culture UX Culture
UX Culture
 
Pnt03
Pnt03Pnt03
Pnt03
 
Especificação requisitos
Especificação requisitosEspecificação requisitos
Especificação requisitos
 
Testes de usabilidade com uma pitada de lean ux
Testes de usabilidade com uma pitada de lean uxTestes de usabilidade com uma pitada de lean ux
Testes de usabilidade com uma pitada de lean ux
 
Análise de aderência de práticas ágeis na cultura de startups de software: o ...
Análise de aderência de práticas ágeis na cultura de startups de software: o ...Análise de aderência de práticas ágeis na cultura de startups de software: o ...
Análise de aderência de práticas ágeis na cultura de startups de software: o ...
 
Prototipacao e Entregas
Prototipacao e EntregasPrototipacao e Entregas
Prototipacao e Entregas
 
Innovation sprint using design thinking
Innovation sprint using design thinkingInnovation sprint using design thinking
Innovation sprint using design thinking
 

Mais de Impacta Eventos

A Falência do Modelo Atual do EAD
A Falência do Modelo Atual do EADA Falência do Modelo Atual do EAD
A Falência do Modelo Atual do EADImpacta Eventos
 
Sistemas de Informação Fator de Vantagem Competitiva para as Organizações
Sistemas de Informação Fator de Vantagem Competitiva para as OrganizaçõesSistemas de Informação Fator de Vantagem Competitiva para as Organizações
Sistemas de Informação Fator de Vantagem Competitiva para as OrganizaçõesImpacta Eventos
 
Geração “Y” e “Z” A Falência do Administrador Nasce um Novo Modelo de Gestão
Geração “Y” e “Z” A Falência do Administrador Nasce um Novo Modelo de GestãoGeração “Y” e “Z” A Falência do Administrador Nasce um Novo Modelo de Gestão
Geração “Y” e “Z” A Falência do Administrador Nasce um Novo Modelo de GestãoImpacta Eventos
 
Certificação LPI: qual sua importância no mercado de trabalho?
Certificação LPI: qual sua importância no mercado de trabalho?Certificação LPI: qual sua importância no mercado de trabalho?
Certificação LPI: qual sua importância no mercado de trabalho?Impacta Eventos
 
A produção editorial e os profissionais de criação.
A produção editorial e os profissionais de criação.A produção editorial e os profissionais de criação.
A produção editorial e os profissionais de criação.Impacta Eventos
 
Inteligencia Corporativa - Alex Fontes
Inteligencia Corporativa - Alex FontesInteligencia Corporativa - Alex Fontes
Inteligencia Corporativa - Alex FontesImpacta Eventos
 
Empregabilidade no mundo SAP - Adriana Manetti
Empregabilidade no mundo SAP - Adriana ManettiEmpregabilidade no mundo SAP - Adriana Manetti
Empregabilidade no mundo SAP - Adriana ManettiImpacta Eventos
 
Tirando Sua Ideia do Papel - Lições aprendidas com a Startup MeuCarrinho - An...
Tirando Sua Ideia do Papel - Lições aprendidas com a Startup MeuCarrinho - An...Tirando Sua Ideia do Papel - Lições aprendidas com a Startup MeuCarrinho - An...
Tirando Sua Ideia do Papel - Lições aprendidas com a Startup MeuCarrinho - An...Impacta Eventos
 
U-Start - quando grandes ideias encontram grandes investidores - Luiz Rinke
U-Start - quando grandes ideias encontram grandes investidores - Luiz RinkeU-Start - quando grandes ideias encontram grandes investidores - Luiz Rinke
U-Start - quando grandes ideias encontram grandes investidores - Luiz RinkeImpacta Eventos
 
Por que programar para mobile cópia
Por que programar para mobile cópiaPor que programar para mobile cópia
Por que programar para mobile cópiaImpacta Eventos
 
Impacta Empreenda 360 - Programa Start-Up Brasil
Impacta Empreenda 360 - Programa Start-Up BrasilImpacta Empreenda 360 - Programa Start-Up Brasil
Impacta Empreenda 360 - Programa Start-Up BrasilImpacta Eventos
 
Oportunidades de Carreiras no E-Commerce
Oportunidades de Carreiras no E-CommerceOportunidades de Carreiras no E-Commerce
Oportunidades de Carreiras no E-CommerceImpacta Eventos
 
As estratégias de Marketing para E-Commerce - Hellison Lemos (Mercado Livre)
As estratégias de Marketing para E-Commerce - Hellison Lemos (Mercado Livre)As estratégias de Marketing para E-Commerce - Hellison Lemos (Mercado Livre)
As estratégias de Marketing para E-Commerce - Hellison Lemos (Mercado Livre)Impacta Eventos
 
Explorando o Mundo Apple, Desenvolvendo Aplicativos para IOS - Felipe Martins...
Explorando o Mundo Apple, Desenvolvendo Aplicativos para IOS - Felipe Martins...Explorando o Mundo Apple, Desenvolvendo Aplicativos para IOS - Felipe Martins...
Explorando o Mundo Apple, Desenvolvendo Aplicativos para IOS - Felipe Martins...Impacta Eventos
 
O Arquiteto da Informação no Brasil e no Exterior, Desafios & Perspectivas - ...
O Arquiteto da Informação no Brasil e no Exterior, Desafios & Perspectivas - ...O Arquiteto da Informação no Brasil e no Exterior, Desafios & Perspectivas - ...
O Arquiteto da Informação no Brasil e no Exterior, Desafios & Perspectivas - ...Impacta Eventos
 
E-Commerce e Mídias Sociais Combinam? Diego Monteiro (Scup)
E-Commerce e Mídias Sociais Combinam? Diego Monteiro (Scup)E-Commerce e Mídias Sociais Combinam? Diego Monteiro (Scup)
E-Commerce e Mídias Sociais Combinam? Diego Monteiro (Scup)Impacta Eventos
 
Panorama do E-Commerce no Brasil - Alexandre Miranda
Panorama do E-Commerce no Brasil - Alexandre MirandaPanorama do E-Commerce no Brasil - Alexandre Miranda
Panorama do E-Commerce no Brasil - Alexandre MirandaImpacta Eventos
 

Mais de Impacta Eventos (20)

A Falência do Modelo Atual do EAD
A Falência do Modelo Atual do EADA Falência do Modelo Atual do EAD
A Falência do Modelo Atual do EAD
 
Sistemas de Informação Fator de Vantagem Competitiva para as Organizações
Sistemas de Informação Fator de Vantagem Competitiva para as OrganizaçõesSistemas de Informação Fator de Vantagem Competitiva para as Organizações
Sistemas de Informação Fator de Vantagem Competitiva para as Organizações
 
Geração “Y” e “Z” A Falência do Administrador Nasce um Novo Modelo de Gestão
Geração “Y” e “Z” A Falência do Administrador Nasce um Novo Modelo de GestãoGeração “Y” e “Z” A Falência do Administrador Nasce um Novo Modelo de Gestão
Geração “Y” e “Z” A Falência do Administrador Nasce um Novo Modelo de Gestão
 
Certificação LPI: qual sua importância no mercado de trabalho?
Certificação LPI: qual sua importância no mercado de trabalho?Certificação LPI: qual sua importância no mercado de trabalho?
Certificação LPI: qual sua importância no mercado de trabalho?
 
A produção editorial e os profissionais de criação.
A produção editorial e os profissionais de criação.A produção editorial e os profissionais de criação.
A produção editorial e os profissionais de criação.
 
Inteligencia Corporativa - Alex Fontes
Inteligencia Corporativa - Alex FontesInteligencia Corporativa - Alex Fontes
Inteligencia Corporativa - Alex Fontes
 
Empregabilidade no mundo SAP - Adriana Manetti
Empregabilidade no mundo SAP - Adriana ManettiEmpregabilidade no mundo SAP - Adriana Manetti
Empregabilidade no mundo SAP - Adriana Manetti
 
Tirando Sua Ideia do Papel - Lições aprendidas com a Startup MeuCarrinho - An...
Tirando Sua Ideia do Papel - Lições aprendidas com a Startup MeuCarrinho - An...Tirando Sua Ideia do Papel - Lições aprendidas com a Startup MeuCarrinho - An...
Tirando Sua Ideia do Papel - Lições aprendidas com a Startup MeuCarrinho - An...
 
U-Start - quando grandes ideias encontram grandes investidores - Luiz Rinke
U-Start - quando grandes ideias encontram grandes investidores - Luiz RinkeU-Start - quando grandes ideias encontram grandes investidores - Luiz Rinke
U-Start - quando grandes ideias encontram grandes investidores - Luiz Rinke
 
Por que programar para mobile cópia
Por que programar para mobile cópiaPor que programar para mobile cópia
Por que programar para mobile cópia
 
Lean no bullshit
Lean no bullshitLean no bullshit
Lean no bullshit
 
Viva o Mobile!
Viva o Mobile! Viva o Mobile!
Viva o Mobile!
 
Impacta Empreenda 360 - Programa Start-Up Brasil
Impacta Empreenda 360 - Programa Start-Up BrasilImpacta Empreenda 360 - Programa Start-Up Brasil
Impacta Empreenda 360 - Programa Start-Up Brasil
 
Seguranca impacta
Seguranca impactaSeguranca impacta
Seguranca impacta
 
Oportunidades de Carreiras no E-Commerce
Oportunidades de Carreiras no E-CommerceOportunidades de Carreiras no E-Commerce
Oportunidades de Carreiras no E-Commerce
 
As estratégias de Marketing para E-Commerce - Hellison Lemos (Mercado Livre)
As estratégias de Marketing para E-Commerce - Hellison Lemos (Mercado Livre)As estratégias de Marketing para E-Commerce - Hellison Lemos (Mercado Livre)
As estratégias de Marketing para E-Commerce - Hellison Lemos (Mercado Livre)
 
Explorando o Mundo Apple, Desenvolvendo Aplicativos para IOS - Felipe Martins...
Explorando o Mundo Apple, Desenvolvendo Aplicativos para IOS - Felipe Martins...Explorando o Mundo Apple, Desenvolvendo Aplicativos para IOS - Felipe Martins...
Explorando o Mundo Apple, Desenvolvendo Aplicativos para IOS - Felipe Martins...
 
O Arquiteto da Informação no Brasil e no Exterior, Desafios & Perspectivas - ...
O Arquiteto da Informação no Brasil e no Exterior, Desafios & Perspectivas - ...O Arquiteto da Informação no Brasil e no Exterior, Desafios & Perspectivas - ...
O Arquiteto da Informação no Brasil e no Exterior, Desafios & Perspectivas - ...
 
E-Commerce e Mídias Sociais Combinam? Diego Monteiro (Scup)
E-Commerce e Mídias Sociais Combinam? Diego Monteiro (Scup)E-Commerce e Mídias Sociais Combinam? Diego Monteiro (Scup)
E-Commerce e Mídias Sociais Combinam? Diego Monteiro (Scup)
 
Panorama do E-Commerce no Brasil - Alexandre Miranda
Panorama do E-Commerce no Brasil - Alexandre MirandaPanorama do E-Commerce no Brasil - Alexandre Miranda
Panorama do E-Commerce no Brasil - Alexandre Miranda
 

Último

AVALIAÇÃO INTEGRADA 1ª SÉRIE - EM - 1º BIMESTRE ITINERÁRIO CIÊNCIAS DAS NATUREZA
AVALIAÇÃO INTEGRADA 1ª SÉRIE - EM - 1º BIMESTRE ITINERÁRIO CIÊNCIAS DAS NATUREZAAVALIAÇÃO INTEGRADA 1ª SÉRIE - EM - 1º BIMESTRE ITINERÁRIO CIÊNCIAS DAS NATUREZA
AVALIAÇÃO INTEGRADA 1ª SÉRIE - EM - 1º BIMESTRE ITINERÁRIO CIÊNCIAS DAS NATUREZAEdioFnaf
 
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptxSlides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
TREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.ppt
TREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.pptTREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.ppt
TREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.pptAlineSilvaPotuk
 
Geometria 5to Educacion Primaria EDU Ccesa007.pdf
Geometria  5to Educacion Primaria EDU  Ccesa007.pdfGeometria  5to Educacion Primaria EDU  Ccesa007.pdf
Geometria 5to Educacion Primaria EDU Ccesa007.pdfDemetrio Ccesa Rayme
 
POETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptx
POETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptxPOETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptx
POETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptxJMTCS
 
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptx
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptxAULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptx
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptxGislaineDuresCruz
 
O guia definitivo para conquistar a aprovação em concurso público.pdf
O guia definitivo para conquistar a aprovação em concurso público.pdfO guia definitivo para conquistar a aprovação em concurso público.pdf
O guia definitivo para conquistar a aprovação em concurso público.pdfErasmo Portavoz
 
Gametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
Gametogênese, formação dos gametas masculino e femininoGametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
Gametogênese, formação dos gametas masculino e femininoCelianeOliveira8
 
Revolução Industrial - Revolução Industrial .pptx
Revolução Industrial - Revolução Industrial .pptxRevolução Industrial - Revolução Industrial .pptx
Revolução Industrial - Revolução Industrial .pptxHlioMachado1
 
Orientações para a análise do poema Orfeu Rebelde.pptx
Orientações para a análise do poema Orfeu Rebelde.pptxOrientações para a análise do poema Orfeu Rebelde.pptx
Orientações para a análise do poema Orfeu Rebelde.pptxJMTCS
 
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptxBaladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptxacaciocarmo1
 
Free-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptx
Free-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptxFree-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptx
Free-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptxkarinasantiago54
 
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...LuizHenriquedeAlmeid6
 
Dança Contemporânea na arte da dança primeira parte
Dança Contemporânea na arte da dança primeira parteDança Contemporânea na arte da dança primeira parte
Dança Contemporânea na arte da dança primeira partecoletivoddois
 
Empreendedorismo: O que é ser empreendedor?
Empreendedorismo: O que é ser empreendedor?Empreendedorismo: O que é ser empreendedor?
Empreendedorismo: O que é ser empreendedor?MrciaRocha48
 
Junto ao poço estava eu Quando um homem judeu Viu a sede que havia em mim
Junto ao poço estava eu Quando um homem judeu Viu a sede que havia em mimJunto ao poço estava eu Quando um homem judeu Viu a sede que havia em mim
Junto ao poço estava eu Quando um homem judeu Viu a sede que havia em mimWashingtonSampaio5
 
6°ano Uso de pontuação e acentuação.pptx
6°ano Uso de pontuação e acentuação.pptx6°ano Uso de pontuação e acentuação.pptx
6°ano Uso de pontuação e acentuação.pptxErivaldoLima15
 
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptx
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptxSlide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptx
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptxconcelhovdragons
 
atividades diversas 1° ano alfabetização
atividades diversas 1° ano alfabetizaçãoatividades diversas 1° ano alfabetização
atividades diversas 1° ano alfabetizaçãodanielagracia9
 
Linguagem verbal , não verbal e mista.pdf
Linguagem verbal , não verbal e mista.pdfLinguagem verbal , não verbal e mista.pdf
Linguagem verbal , não verbal e mista.pdfLaseVasconcelos1
 

Último (20)

AVALIAÇÃO INTEGRADA 1ª SÉRIE - EM - 1º BIMESTRE ITINERÁRIO CIÊNCIAS DAS NATUREZA
AVALIAÇÃO INTEGRADA 1ª SÉRIE - EM - 1º BIMESTRE ITINERÁRIO CIÊNCIAS DAS NATUREZAAVALIAÇÃO INTEGRADA 1ª SÉRIE - EM - 1º BIMESTRE ITINERÁRIO CIÊNCIAS DAS NATUREZA
AVALIAÇÃO INTEGRADA 1ª SÉRIE - EM - 1º BIMESTRE ITINERÁRIO CIÊNCIAS DAS NATUREZA
 
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptxSlides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
 
TREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.ppt
TREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.pptTREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.ppt
TREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.ppt
 
Geometria 5to Educacion Primaria EDU Ccesa007.pdf
Geometria  5to Educacion Primaria EDU  Ccesa007.pdfGeometria  5to Educacion Primaria EDU  Ccesa007.pdf
Geometria 5to Educacion Primaria EDU Ccesa007.pdf
 
POETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptx
POETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptxPOETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptx
POETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptx
 
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptx
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptxAULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptx
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptx
 
O guia definitivo para conquistar a aprovação em concurso público.pdf
O guia definitivo para conquistar a aprovação em concurso público.pdfO guia definitivo para conquistar a aprovação em concurso público.pdf
O guia definitivo para conquistar a aprovação em concurso público.pdf
 
Gametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
Gametogênese, formação dos gametas masculino e femininoGametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
Gametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
 
Revolução Industrial - Revolução Industrial .pptx
Revolução Industrial - Revolução Industrial .pptxRevolução Industrial - Revolução Industrial .pptx
Revolução Industrial - Revolução Industrial .pptx
 
Orientações para a análise do poema Orfeu Rebelde.pptx
Orientações para a análise do poema Orfeu Rebelde.pptxOrientações para a análise do poema Orfeu Rebelde.pptx
Orientações para a análise do poema Orfeu Rebelde.pptx
 
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptxBaladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
 
Free-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptx
Free-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptxFree-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptx
Free-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptx
 
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...
 
Dança Contemporânea na arte da dança primeira parte
Dança Contemporânea na arte da dança primeira parteDança Contemporânea na arte da dança primeira parte
Dança Contemporânea na arte da dança primeira parte
 
Empreendedorismo: O que é ser empreendedor?
Empreendedorismo: O que é ser empreendedor?Empreendedorismo: O que é ser empreendedor?
Empreendedorismo: O que é ser empreendedor?
 
Junto ao poço estava eu Quando um homem judeu Viu a sede que havia em mim
Junto ao poço estava eu Quando um homem judeu Viu a sede que havia em mimJunto ao poço estava eu Quando um homem judeu Viu a sede que havia em mim
Junto ao poço estava eu Quando um homem judeu Viu a sede que havia em mim
 
6°ano Uso de pontuação e acentuação.pptx
6°ano Uso de pontuação e acentuação.pptx6°ano Uso de pontuação e acentuação.pptx
6°ano Uso de pontuação e acentuação.pptx
 
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptx
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptxSlide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptx
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptx
 
atividades diversas 1° ano alfabetização
atividades diversas 1° ano alfabetizaçãoatividades diversas 1° ano alfabetização
atividades diversas 1° ano alfabetização
 
Linguagem verbal , não verbal e mista.pdf
Linguagem verbal , não verbal e mista.pdfLinguagem verbal , não verbal e mista.pdf
Linguagem verbal , não verbal e mista.pdf
 

Testes Usuários Projetos Produtos

  • 1. Oficina II – Testes com Usuários Prof.a Thaïs Campas
  • 2. Testes com Usuários só podem ser realizados a partir dos requisitos corretos que contemplem: Contexto projetado/ planejado Conteúdo projetado/ planejado Funcionalidades Chave ou Key Features
  • 3. Estes Requsitos devem partir das Especificações corretas para o projeto/ produto: Contexto projetado/ planejado O que, quando, onde, como e motivação Conteúdo projetado/ planejado O que, quando, onde, como e motivação Funcionalidades Chave ou Key Features O que, quando, onde, como e motivação
  • 5. Em projetos digitais temos que definir grupos de usuários que validem nossas especificações: Especificação e Requisito: Reconstruir o contexto da transação durante o teste; Este contexto deve levar em consideração o cenário correto; As características técnicas ideiais para a transação também devem ser contempladas; É preciso definir Key Features para obter resultados realmente úteis. É preciso defenir o objetivo do teste em si: Análise do legado? Análise de um protótipo?
  • 6. Novas diretrizes para um projeto antigo: Legado (o que pode ser aferido) Levantamento de problemas; Melhor fluxo de tarefas; Redirecionamento de estratégias de negócios e marcas; Percepção do ciclo de vida do produto (necessidade de mudança); Alteração da percepção do público-alvo sobre o segmento onde o produto/serviços está inserido; Mensuração do conceito do produto/serviço junto ao público-alvo. Validação de contextos e cenários; Validação de Grupos de Usuários; Validação da estratégia global para o projeto/ produto.
  • 7. Diretrizes para um novo projeto: Protótipo (o que pode ser aferido) Impacto sobre a visão do antigo (se houver); Melhor fluxo de tarefas; Adequação a novas estratégias de negócios e novas marcas. Aceitação/ percepção/ assimilação da inovação; Adequação ao público-alvo; Aceitação do conceito do produto/serviço junto ao público-alvo. Validação de contextos e cenários; Validação de grupos de usuários; Validação da estratégia global para o projeto/ produto.
  • 8. Validação de Regras de Negócio (legado e protótipo): Regras de Negócio: Os usuários entendem a finalidade e as regras de funcionamento do produto ou serviço testado? A regra de negócio define o comportamento de uma interface. Regra de Negócio* é a descrição completa de um modelo operacional ou de um processo. A regra de negócio existe em nível macro estratégico e em nível de detalhes, ou seja, através de pequenos processos que formam um grande conjunto de operações. Algorítmos, Softwares e Sistemas refletem regras de negócios.
  • 9. O usuário precisa primeiro entender a tarefa para depois avalidar a experiência com o produto/serviço testado. Fundamental definir: A experiência deverá ser em grupo ou individual? Experiências coletivas refletem a troca de idéias e opiniões entre a “comunidade” que deverá utilizar o produto/serviço. Experiências individuais refletem os impulsos e percepções individuais das personas.
  • 10. Testes coletivos: •Organização: Devem ser monitorados ou liderados – normalmente acabam com uma dinâmica de grupo. Testes Coletivos revelam a percepção de um grupo. O Card Sorting é um teste coletivo, onde há discussão sobre um modelo mental comum a ser seguido. Testes de usabilidade são individuais pois é importante perceber como o indivíduo é afetado pelo processo de interação.
  • 11. Testes individuais: •Organização: Pode ser monitorados ou liderados – normalmente acabam como uma entrevista e questionários opinativos que são preenchidos ou aplicados para um indivíduo de cada vez. Testes Individuais revelam a percepção de uma persona, a cada vez, sobre o processo de interação. Não há influência de um grupo sobre a opinião de um único individuo no momento do teste.
  • 12. Aplicação de questionários e entrevistas: Devem ser feitos antes do teste propriamente dito: Questionários e entrevistas devem ocorrer separadamente antes OU depois do teste pois podem influenciar o processo de interação de maneira a mascarar alguns resultados. Não podemos dar informações cujo entendimento desejamos colocar à prova durante o teste. Quanto mais falamos e direcionamos os usuários, mais eles/elas serão guiados pelo nosso discurso.
  • 13. Usuários “manipulam” testes: Cuidado ao fazer perguntas e/ou abordar o usuário: “Você faria… ; gostaria… ; preferiria…”. O usuário avalia qual a resposta ideal.
  • 14. Usuários “manipulam” testes: Cuidado ao fazer perguntas e/ou abordar o usuário: “Qual você prefere: este ou aquele?” O usuário avalia qual a resposta esperada.
  • 15. Roteiro Básico de Testes: Definir: Objetivo do teste (o que queremos saber); Coletivo ou individual? Quero testar personas ou grupos? Grupo a ser testado; Tarefas a serem testadas/executadas; Tempo de execução; Questionários; Fechamento de cenários e contextos corretos.
  • 16. Arquitetura da Informação: Final – aula 09/08/2009