Acadêmicos: 
Francisca Evelen Suelen Silva de Aguiar 
Jaqueline Silva e Silva 
Priscila Silva dos Santos 
Tamyris Pinheiro...
● Em 1500 antes de Cristo, médicos egípcios 
descreveram casos de pessoas que urinavam 
muito e emagreciam até a morte. 
●...
• No ano da proclamação da República no Brasil, 1889, os 
alemães Oskar Minkowski e Joseph von Mering verificaram 
que a r...
• A diabetes é uma doença crônica 
que ocorre quando o pâncreas não 
produz insulina suficiente (tipo 1), 
ou quando o cor...
TIPO 1 
• Poliúria 
• Polifagia 
• Polidpsia 
• Anorexia 
• Fraqueza 
• Fadiga 
• Nervosismo 
• Mudanças de 
humor 
• Naús...
DIABETES 
TIPO 1 TIPO 2 
DESTRUIÇÃO DAS 
CÉLULAS PÂNCREATICAS 
QUE PRODUZEM 
INSULINAS, POR UMA 
REAÇÃO AUTO-IMUNE. 
MAU F...
Liberação de TNF, IL1B, IFNY. / Macrofagos e NK / Morte da cél. Numa disfunção 
Celula beta 
pacreatica 
Celula dendritica...
● O processo de destruição 
das células b pancreáticas, 
denominado insulite, ocorre 
pela agressão imunológica 
mediada p...
Receptor 
Fosforilação em tirosina 
No tipo 2, produz uma quantidade muito grande de um proteína 
chamada fator de necrose...
• Um simples exame de 
sangue pode revelar se você é 
portador do diabetes. 
A glicemia de jejum é um 
exame que mede o ní...
A importância da doença diabetes tipo 1 do ponto de 
vista social e econômico é inegável devido às altas taxas de 
morbida...
Publicado em 29/04/2013 
Parte 1: http://www.youtube.com/watch?v=ipcadVBpL4g 
Parte 3: http://www.youtube.com/watch?v=clF6...
"Não desista enquanto você ainda for capaz de fazer um 
esforço a mais. É nesse algo a mais que está a sua vitória." 
Robe...
Diabetes relacionada ao Sistema Imunológico
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Diabetes relacionada ao Sistema Imunológico

2.189 visualizações

Publicada em

Esse slide irá ajudar vocês a compreenderem melhor a relação da Diabetes com o Sistema Imunológico.

Publicada em: Ciências
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Diabetes relacionada ao Sistema Imunológico

  1. 1. Acadêmicos: Francisca Evelen Suelen Silva de Aguiar Jaqueline Silva e Silva Priscila Silva dos Santos Tamyris Pinheiro Gouveia Tássia Mayara Costa da Silva Thaynara Mira Barbosa
  2. 2. ● Em 1500 antes de Cristo, médicos egípcios descreveram casos de pessoas que urinavam muito e emagreciam até a morte. ● Aretaeus, médico que viveu na Grécia entre os anos 80 d.C. e 138 d.C., criou o termo diabetes mellitus para fazer referência ao gosto adocicado da urina desses pacientes. ● Foi apenas em 1776 que Matthew Dobson desenvolveu um método para determinar a concentração de glicose na urina, livrando os médicos do dissabor de prová-la.
  3. 3. • No ano da proclamação da República no Brasil, 1889, os alemães Oskar Minkowski e Joseph von Mering verificaram que a retirada do pâncreas de cachorros levava-os ao óbito por diabetes. Ficava demonstrado que a origem da doença estava ligada ao pâncreas. • Em 1910, Edward Sharpey-Schafer levantou a hipótese de que o diabetes seria causado pela deficiência de uma única substância química, produzida no pâncreas pelas células das ilhotas de Langerhans.
  4. 4. • A diabetes é uma doença crônica que ocorre quando o pâncreas não produz insulina suficiente (tipo 1), ou quando o corpo não pode usar efetivamente a insulina que ele produz (tipo 2). • A hiperglicemia, ou o aumento do açúcar no sangue, é um efeito comum da diabetes sem controle que, com o tempo, leva a sérios danos a vários sistemas do corpo, especialmente nervos e veias.
  5. 5. TIPO 1 • Poliúria • Polifagia • Polidpsia • Anorexia • Fraqueza • Fadiga • Nervosismo • Mudanças de humor • Naúsea e êmese. TIPO 2 • Infecções frequentes • Feridas que demoram pra cicatrizar • Alteração visual • Formigamento nos pés e furúnculos • Poliúria • Polifagia • Polidpsia
  6. 6. DIABETES TIPO 1 TIPO 2 DESTRUIÇÃO DAS CÉLULAS PÂNCREATICAS QUE PRODUZEM INSULINAS, POR UMA REAÇÃO AUTO-IMUNE. MAU FUNCIONAMENTO DA INSULINA, SEGUIDO DE UMA REDUÇÃO PROGRESSIVA DA SUA SECREÇÃO
  7. 7. Liberação de TNF, IL1B, IFNY. / Macrofagos e NK / Morte da cél. Numa disfunção Celula beta pacreatica Celula dendritica Cel. Dendritica apresenta o antígeno pra cel. T e faz o reconhecimento. Desenvolve resposta imune e ataca a cél. Beta IL12 Expansão patogênica dessas células, a cél T desencadeia resposta de morte na cél B pancreatica Regulatório de antígeno próprio Celula T Cél. Tolerogênica IL10 Induzir a proliferação de uma cél. T Cél. diabetogênica regulatória
  8. 8. ● O processo de destruição das células b pancreáticas, denominado insulite, ocorre pela agressão imunológica mediada por células linfocitárias, macrófagos e células "natural killer", sendo portanto um processo dependente da imunidade celular.
  9. 9. Receptor Fosforilação em tirosina No tipo 2, produz uma quantidade muito grande de um proteína chamada fator de necrose tumoral (TNFa) / Promover uma enorme sinalização de receptor de insulina / Vai ocorrer uma fosforilação de Serina / Vai perder completamente a atividade Sinaliza para os receptores GLUT4 Promove sua translocação para o meio externo
  10. 10. • Um simples exame de sangue pode revelar se você é portador do diabetes. A glicemia de jejum é um exame que mede o nível de açúcar no seu sangue. • Mas esse não é um resultado concreto, caso seja notado um aumento considerável da taxa glicêmica, deve-se realizar um exame mais profundo.
  11. 11. A importância da doença diabetes tipo 1 do ponto de vista social e econômico é inegável devido às altas taxas de morbidade, mortalidade e de incapacitação para o trabalho. Desta forma, fica evidente que tal doença merece especial cuidado no sentido de uma detecção precoce dos indivíduos susceptíveis para que haja possibilidade de intervenção profilática nos mesmos. O entendimento dos aspectos imunológicos constitui assim a base para a detecção e prevenção do diabetes tipo 1.
  12. 12. Publicado em 29/04/2013 Parte 1: http://www.youtube.com/watch?v=ipcadVBpL4g Parte 3: http://www.youtube.com/watch?v=clF6m2XJDv8 Aspectos imunológicos do diabetes melito tipo 1, C. A. Balda, A. Pacheco-Silva, Disciplina de Nefrologia da Universidade Federal de São Paulo - Escola Paulista de Medicina, São Paulo, SP
  13. 13. "Não desista enquanto você ainda for capaz de fazer um esforço a mais. É nesse algo a mais que está a sua vitória." Roberto Shinyashiki

×