Bailinho	  do	  Ramo	  Grande	  O	   Bailinho	   do	   Ramo	   Grande	   foi	   formado	   por	   Evandro	   Machado	   em...
cantigas	   são	   por	   vezes	   escritas	   pelo	   Bráulio,	   aliviando	   algum	   trabalho	   ao	   Ricardo	   e	  ...
                                                                                      	                                   ...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Bailinho do Ramo Grande

200 visualizações

Publicada em

Conheça melhor o Bailinho do Ramo Grande

Publicada em: Diversão e humor
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
200
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Bailinho do Ramo Grande

  1. 1. Bailinho  do  Ramo  Grande  O   Bailinho   do   Ramo   Grande   foi   formado   por   Evandro   Machado   em   2006   sendo   o  primeiro  bailinho  intitulado  “A  Princesa  e  o  Dragão”.    Evandro  Machado  e  Bráulio  Brito  são  os  responsáveis  do  grupo  desde  então.  A   ideia   inicial   foi   a   de   tentar   criar   um   grupo   que   trabalhasse   em   espírito   de   criação  colectiva  e  de  polivalência  entre  músicos  e  atores,  com  o  objetivo  de  explorar  ao  máximo  as  potencialidades  individuais  de  cada  elemento  em  benefício  do  grupo.  A  escolha  musical  parte  de  quase  todos  os  elementos  do  bailinho  onde  todos  podem  dar  ideias  e  sugestões,  havendo  posteriormente  uma  filtragem  e  arranjo  do  Evandro  sobre  os  temas  escolhidos.  Ao   contrário   da   maioria   dos   grupos   de   carnaval   o   assunto   do   nosso   bailinho   resulta   de  uma   criação   colectiva,   elaborado   essencialmente   por   Bráulio   Brito,   Evandro   Machado,  Ricardo   Martins   e   Valter   Peres,   que   são,   também,   os   atores   principais   que   dão   vida   às  personagens  escolhidas.  Esta  etapa  de  criação  passa  por  diversas  fases  em  que  cada  um  dos  elementos  tem  mais  ou  menos   intervenção   em   cada   uma   das   fases   do   processo.   Normalmente   o   impulso   inicial,  onde  são  registadas  ainda  de  forma  muito  solta  as  ideias  “base”  para  o  arranque  do  tema,  é  do  Evandro  e  do  Bráulio.  Frequentemente  os  dois  discutem  esses  assuntos  em  encontros  pontuais   à   mesa   de   café,   sendo   depois   gradualmente   desenvolvidas   numa   2ª   fase,   onde   se  juntam  também  o  Ricardo  e  o  Valter  em  reuniões  previamente  marcadas  e  com  o  intuito  de  dar  ligação  (criar  a  história),  às  ideias  postas  na  mesa  e  de  acrescentar  novas  ideias  que    possam  ter.    Posteriormente  é  o  Ricardo  que  rima  toda  a  história  desenvolvida.  O  título  do  tema   não   é   uma   preocupação,   aparecendo   normalmente   mais   tarde   durante   os   ensaios.  Segue-­‐se   depois   uma   3ª   fase   em   que,   com   a   história   já   praticamente   montada   e   rimada,   se  passa   ao   ensaio   propriamente   dito.   Embora   não   esteja   definido   um   encenador   ou  “ensaiador”   para   o   assunto   aproveitamos,   e   bem,   a   experiência   do   Valter   ao   nível   da  marcação  e  da  encenação  (não  esquecer  a  sua  mestria  na  arte  de  tocar  ferrinhos).    O   assunto   encontra-­‐se   em   constante   fase   de   mutação   até   ao   fim   do   carnaval   sendo  moldado,  alterado,  corrigido,  cortado  ou  acrescentado  sempre  que  se  julgue  necessário.  As  decisões   são   sempre   colectivas.   Esta   é   a   regra.   Existem   obviamente   excepções   já   que  qualquer  um  dos  elementos  tem  liberdade  de  intervenção  em  qualquer  uma  das  fases  do  processo.   Exemplo   disso   são   a   frequência   com   que   algumas   rimas   do   texto   e   letras   das   1  
  2. 2. cantigas   são   por   vezes   escritas   pelo   Bráulio,   aliviando   algum   trabalho   ao   Ricardo   e  ajudando   no   enriquecimento   e   celeridade   do   processo   até   ao   resultado   final.   Em   anos  anteriores  o  Valter  e  o  Evandro  já  chegaram  mesmo  a  escrever  cantigas.    Para  o  Carnaval  de  2013,  e  ao  contrário  de  anos  anteriores,  a  preparação  fez-­‐se  mais  cedo.  O   Evandro   e   o   Bráulio   reuniram-­‐se   logo   na   sexta-­‐feira   posterior   ao   carnaval   de   2012,  ainda   com   a   “febre”   de   não   terem   feito   bailinho   naquele   ano,   registando   ideias   e  discutindo  possíveis  temas.    Depois   em   Dezembro   reuniram   com   o   Ricardo   e   o   Valter   para   discussão   e   inclusão   de  novas  ideias  por  parte  de  todos.  Foi   elaborado   Pelo   Evandro   um   esboço   da   história   do   assunto   sendo   posteriormente  rimado   pelo   Ricardo   com   alguns   apontamentos   do   Bráulio.   Pela   primeira   vez   os   ensaios  começaram  com  a  estrutura  do  assunto  praticamente  pronta.    A  parte  musical  teve  o  arranjo  do  Evandro  mas  os  temas  escolhidos  foram  das  propostas  do  Bráulio  e  do  Ricardo.  O  produto  final  do  nosso  bailinho  nunca  foi,  não  é  nem  nunca  vai  ser  o  resultado  de   um  trabalho  individual  de  quem  quer  que  seja,  em  qualquer  que  seja  a  área:  música,  assunto,  letras  de  cantigas  etc.,  pois  temos  a  plena  consciência  de  que  a  criatividade  e  originalidade  que   lhe   queremos   incutir   só   resultarão   desta   forma,   pelo   menos   é   assim   que   no   nosso  bailinho  tem  resultado.  Embora   possamos   “fugir”,   em   alguns   aspectos,   à   estrutura   de   um   bailinho   tradicional  entendemos   que   a   sua   essência   está   salvaguardada   sendo   o   nosso   principal   objectivo   o  mesmo  dos  outros  grupos....  “Divertirmo-­‐nos  e  fazer  com  que  se  divirtam”.  Bom  Carnaval!      Bailinhos  Realizados  |  2006  “A  Princesa  e  o  Dragão”    |    2007  “Os  Fugitivos”  |  2008  “CSI  Terceira”    |                                                    |  2010  “Os  Piratas”  |  2011  “Um  Cinema”  |  2012  “Os  Gémeos”  |                 2  
  3. 3.            Elementos  do  Grupo   2010  |  “Os  Piratas”   2006  |  “A  Princesa  e  o  Dragão”   Violão     Flávio  Sousa  Violão     Flávio  Sousa             José  Meneses   José  Meneses         Pedro  Oliveira       Pedro  J.  Machado         Pedro  J.  Machado       Ricardo  Mourão                               Ricardo  Mourão  Bandolim   Tiago  Sousa   Banjo     Tiago  Sousa  Acordeão   Evandro  Machado   Clarinete   Telmo  Aguiar         Nuno  Fagundes   Sax-­alto   João  Aguiar  Clarinete   Telmo  Aguiar     Sax-­tenor   Luís  Sousa  Sax-­alto   Luís  Sousa   Trompete   Bráulio  Brito  Trompete   Bráulio  Brito   Trombone   Evandro  Machado  Trombone   Paulo  Aguiar   Tuba     Paulo  Aguiar  Percussão   Pedro  M.  Machado   Percussão   Mário  Maiato       Sérgio  Pereira   Atores     Ricardo  Martins  Atores     Ricardo  Martins         Walter  Peres       Walter  Peres       2011  |  “Um  Cinema”   Violão     Flávio  Sousa   2007  |  “Os  Fugitivos”                 José  Meneses  Violão     Evandro  Machado           Pedro  Oliveira   Flávio  Sousa           Pedro  J.  Machado   José  Meneses           Ricardo  Mourão       Pedro  J.  Machado   Banjo                               Tiago  Sousa  Banjo     Tiago  Sousa   Clarinete   Telmo  Aguiar  Acordeão   Nuno  Fagundes   Sax-­alto   João  Aguiar  Clarinete   Telmo  Aguiar     Sax-­tenor   Luís  Sousa  Sax-­alto   Luís  Sousa   Trompete   Bráulio  Brito  Trompete   Bráulio  Brito   Trombone   Evandro  Machado  Trombone   Paulo  Aguiar   Tuba     Paulo  Aguiar  Percussão   João  Aguiar   Percussão   Mário  Maiato       Mário  Maiato   Ator     Walter  Peres  Atores     Ricardo  Martins       Walter  Peres         2012  |  “Os  Gémeos”   Violão     Flávio  Sousa   2008  |  “CSI  Terceira”         Jorge  Areias  Violão     Flávio  Sousa                                       José  Meneses                           José  Meneses                                       Pedro  Oliveira       Pedro  J.  Machado         Pedro  J.  Machado       Ricardo  Mourão         Ricardo  Mourão  Banjo     Tiago  Sousa   Banjo     Tiago  Sousa  Cavaquinho   João  Aguiar   Clarinete   Telmo  Aguiar    Acordeão   Tiago  Lima       Sax-­alto   João  Aguiar  Clarinete   Telmo  Aguiar     Sax-­tenor   Luís  Sousa  Sax-­tenor   Luís  Sousa   Trompete   Bráulio  Brito  Trompete   Bráulio  Brito       Renato  Cardoso  Trombone   Evandro  Machado   Trombone   Evandro  Machado  Tuba     Paulo  Aguiar   Tuba     Paulo  Aguiar  Percussão   Mário  Maiato   Percussão   Mário  Maiato  Atores     Ricardo  Martins   Atores     Ricardo  Martins       Walter  Peres       Walter  Peres     3  

×