Caderno de boas práticas dos especialistas em educação

432 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
432
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
10
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Caderno de boas práticas dos especialistas em educação

  1. 1. Boas PráticasBoas Práticas dosdos EspecialistasEspecialistas em Educaçãoem Educação Básica de MinasBásica de Minas GeraisGerais FEVEREIRO - 2014
  2. 2. • " Nada lhe posso dar que já não exista em você mesmo. Não" Nada lhe posso dar que já não exista em você mesmo. Não posso abrir-lhe outro mundo de imagens, além daquele que há emposso abrir-lhe outro mundo de imagens, além daquele que há em sua própria alma. Nada lhe posso dar a não ser a oportunidade, osua própria alma. Nada lhe posso dar a não ser a oportunidade, o impulso, a chave.impulso, a chave. • Eu o ajudarei a tornar visível o seu próprio mundo, e isso éEu o ajudarei a tornar visível o seu próprio mundo, e isso é tudo."tudo." • Hermann HesseHermann Hesse
  3. 3. ConhecimentoConhecimento (o que fazer, porque fazer)(o que fazer, porque fazer) VontadeVontade (Desejo de fazer(Desejo de fazer CapacidadeCapacidade (como fazer)(como fazer)
  4. 4. ▪ O caderno de boas práticas tem enfoque pedagógico apontado e implementado por Especialistas em Educação Básica cujas escolas alcançaram bons resultados nas avaliações externas dos alunos. ▪ O Caderno não pretende ser uma "receita pronta e engessada", mas sim um instrumento para guiar o especialista na construção de uma escola organizada, ativa, democrática, participativa, voltada para a inclusão educacional e social e, sobretudo, focada na aprendizagem e formação do aluno. Ele complementa e enriquece o Guia do Especialista em Educação Básica, sendo um anexo do mesmo. IntroduçãoIntrodução
  5. 5. 5 O sucesso do aluno tem que se constituir num sucesso real e concreto. É preciso que a escola volte à sua especificidade: promover a aprendizagem dos alunos: ▪ Resgatar as boas práticas e inovar ▪ Definir metas ▪ Cobrar resultados Escolas de excelência Equipe comprometida
  6. 6. Como as pessoas se comprometem? Elas se comprometem com aquilo que consideram importante para elas!
  7. 7. Pontos principais a seremPontos principais a serem observados no Caderno de Boasobservados no Caderno de Boas PráticasPráticas Conhecimentos, competências habilidades ▪Domínio do cargo para o bom desempenho da função conhecimento e das atribuições específicas Orientação e acompanhamento do desenvolvimento dos alunos ▪ Participação ativa do Especialista como coordenador pedagógico nas escolas, incentivando a leitura e escrita, conhecendo e acompanhando o desempenho dos alunos
  8. 8. Sugestão para utilização deste CadernoSugestão para utilização deste Caderno Fazer um diagnóstico simples de como está seu trabalho em sua escola em relação aos eixos principais; Levantar os pontos fortes e os pontos a serem melhorados; Dentro de cada um dos eixos, selecionar as boas práticas que poderão contribuir para a melhoria dos pontos a serem melhorados Acompanhar a implementação do Plano de Trabalho.
  9. 9. Como consultar o CadernoComo consultar o Caderno Conhecimentos , competências e habilidades ▪Dominar o conteúdo necessário para o bom desempenho da função - Ações concretas Conhecer em detalhes o material pedagógico institucional da SEE (Cadernos da SEE/ CEALE, Guias do Professor Alfabetizador, do Especialista e do Diretor, CBC dentre outros) bem como outros materiais pedagógicos reconhecidos na área da Educação. Conhecer a legislação educacional sobre a organização e funcionamento da escola, direitos e deveres dos alunos e professores, organização curricular e outras . Conhecer as diretrizes e metas orientar , acompanhar e implementar todos os programas e projetos da SEE (PIP,PAV,PROETI, e outros.) desenvolvidos na escola. Informar-se sobre os serviços de educação especial e apoio à inclusão e outros serviços da SRE e SEE, para orientar as dúvidas da escola.
  10. 10. Orientação e acompanhamento doOrientação e acompanhamento do desenvolvimento dos alunosdesenvolvimento dos alunos ▪ Conhecer e acompanhar o desempenho dos alunos ▪Focar as ações pedagógicas na aprendizagem dos alunos, principalmente na leitura e na escrita, utilizando a Avaliação Diagnóstica para identificar as capacidades linguísticas e matemáticas consolidadas e não consolidadas ,possibilitando a intervenção pedagógica adequada. ▪Garantir e orientar para que os alunos com dificuldade de aprendizagem recebam suporte adicional focado nas capacidades não consolidadas envolvendo, para tanto a professora eventual, a professora para o ensino do uso da biblioteca, o professor em ajustamento funcional, alunos que têm facilidade (da mesma turma no horário da aula ou de turmas mais avançadas no contra/turno) além do próprio especialista. ▪Acompanhar as atividades do professor e dos alunos, em visitas às salas de aula, verificando os cadernos de atividades e orientando o professor quanto a elaboração do plano/roteiro de aula.
  11. 11. ▪ Garantir que todas as turmas trabalhem a leitura de gêneros textuais variados pelo menos 1h por dia, em horário determinado em cada turma (todas as turmas trabalham a leitura, todos os dias). ▪ Criar projetos como “Passaporte da Leitura”: cada aluno tem um “passaporte”. Ao ler uma das 25 histórias diferentes ,carimba o passaporte. O objetivo é que, no final do ano, todas as histórias tenham sido lidas por todos os alunos. Ao ler cada história ,o aluno ,no dia seguinte apresenta na sala de aula a história para os outros colegas ▪ Elaborar e implementar, em conjunto com a equipe de professores, plano de intervenção pedagógica, de forma sistemática, baseado nos resultados das avaliações externas e definir o responsável para cada ação.
  12. 12. ▪ Elaborar e implementar, em conjunto com a equipe de professores, plano de intervenção pedagógica, de forma sistemática, baseado nos resultados das avaliações externas e definir o responsável para cada ação. ▪ Preparar e aplicar avaliações diagnósticas bimestrais, padronizadas por ano de escolaridade, baseadas nos eixos e capacidades. Analisar os resultados das turmas, discutindo individualmente com os professores, replanejando e implementando as ações pedagógicas. • Elaborar gráficos e mapear as dificuldades dos alunos e capacidades não consolidadas para realizar as intervenções pedagógicas
  13. 13. Anexo 1: Sugestão de estrutura para Elaboração doAnexo 1: Sugestão de estrutura para Elaboração do Plano de TrabalhoPlano de Trabalho Plano de Trabalho de Acompanhamento para Melhoria dos Resultados EixoEixo fundamentalfundamental BoasBoas PráticasPráticas AçãoAção ResponsávelResponsável InícioInício (Previsto)(Previsto) TerminoTermino (Previsão)(Previsão) TerminoTermino (Realizado)(Realizado) Resul-Resul- tadotado EixoEixo fundamentafundamenta l a serl a ser trabalhadotrabalhado Uma das ações exemplifica -das no Caderno de Boas Práticas ou outra ação sugerida pela escola ou pelo Guia do Especialista em Educação Básica Data de início da implemen- tação da ação Seleção de boas práticas que melhor podem contribuir para melhoria da escola Nome da pessoa ou pessoas que irá(ão) implementar esta ação Data prevista para finalizaç ão da ação Data real em que a ação foi finalizada.
  14. 14. 15 TextText O Caderno de Boas Práticas dos Especialistas em Educação Básica Objetivo: auxiliar os Especialistas com exemplos de práticas de gestão pedagógica de sucesso – ele complementa o Guia do Especialista em Educação Básica No encontro de hoje utilizaremos o caderno para auxiliar nas discussões e no plano de ação!
  15. 15. Estes eixos serão discutidos hoje com a seguinte dinâmica: ▪ Leitura individual de cada eixo (10 min) ▪ Discussão em grupos (10 min) ▪ Preenchimento em grupo das ações concretas prioritárias (5 min) ▪ Exposição de exemplos de ações concretas listadas pelos participantes (10 min) Estrutura da dinâmica Plano de Ação
  16. 16. Estes eixos serão discutidos hoje com a seguinte dinâmica: GRUPO 1 Eixo 1 - Conhecimentos, competências e habilidades Eixo 4Eixo 4 - Engajamento dos Pais e da Comunidade Eixo 5 - Engajamento com a SRE e com Escolas da região GRUPO 2 Eixo 2 - Orientação e acompanhamento do desenvolvimento dos alunos DIVISAO DA TURMA EM 03 GRUPOS GRUPO 3 Eixo 3 - Formação Continuada e relacionamento com professores e Diretor
  17. 17. Coloque seis (6) açoes concretas em ordem crescente de prioridade e justifique porque você as consideram Prioritárias. AÇOES JUSTIFICATIVA Caderno de Boas Práticas do Especialista em Educação Básica Lista de Ações Concretas Prioritárias: Eixo 1: Conhecimentos, competências e habilidades: Escola: _______________________________________________________________________ Supervisor(a) Pedagógico(a):____________________________________________________ Data:_______________________
  18. 18. 20 Análise do Caderno de Boas Práticas do Especialista em Educação Básica
  19. 19. 10 min Leitura individual de cada eixo
  20. 20. 2 10 min Discutam agora, em grupos, os principais desafios para cada eixo Discussão em grupos
  21. 21. 5 min ▪ Preencha, agora, as ações concretas prioritárias que você pretende implementar na sua escola. ▪ Você pode se basear no caderno de boas práticas, idéias dos colegas e suas.
  22. 22. 4 10 min Apresentação de exemplos de ações concretas prioritárias
  23. 23. “Ao semeador nem sempre é dado ver o resultado da colheita. Todo trabalho que vale a pena é feito com base na fé” Albert Sabin

×