Estudo dos sinais de uma função

12.644 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
12.644
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
665
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
38
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Estudo dos sinais de uma função

  1. 1. Vamos supor que você se encontre em situação de ter de resolver uma inequação do tipo: Em que f(x) e g(x) sejam duas funções dadas, com domínio e imagem no campo Real. De antemão podemos avaliar que o quociente entre dois valores reais só será negativo se os sinais desses números forem opostos, ou seja, O quociente então será negativo em todos os intervalos em que as funções exibirem sinais opostos. Se pudermos conhecer os sinais de cada uma delas ao longo do seu domínio, estaremos aptos a encontrar a solução da nossa inequação. Estudando os sinais de uma função contínua o gráfico ao lado mostra uma função que corta o eixo horizontal em x=2. Para valores de x<2 o gráfico se situa abaixo do eixo horizontal e para valores de x>2, o gráfico está acima do eixo horizontal. Em outras palavras: para x<2 → y<0 para x=2 → y=0 para x>2 → y>0 Este é o estudo dos sinais de uma função simples. Vamos examinar uma outra função conhecida: ESTUDO DOS SINAIS DE UMA FUNÇÃO
  2. 2. Ao lado temos o gráfico de uma parábola que exprime a função do segundo grau Esta parábola tem a concavidade voltada para cima e corta o eixo horizontal nos pontos x=0 e x=6. Podemos ver que entre as suas raízes o gráfico da função assume valores negativos e externamente às raízes os valores são positivos. Uma função do terceiro grau nos mostrará coisa semelhante. Aqui, porém, a função tem duas concavidades e o seu sinal se comporta de maneira diferente em cada uma delas. Uma parábola com a concavidade voltada para baixo também terá comportamento oposto ao da parábola que tem a concavidade voltada para cima. Se conhecermos a função com certa intimidade isso pode ser avaliado rapidamente, porém, em caso de dúvida isso deve ser avaliado com segurança. Para isso vamos buscar base conceitual mais sólida. Observe que se uma função é contínua, para ela transitar de um valor positivo para um valor negativo, ou vice-versa, será necessário cruzar o eixo horizontal, isto, é deve assumir um valor igual a zero em algum ponto nesse intervalo. Isso equivale a dizer: De uma maneira mais matemática: Se f(x) é contínua e [a, b] é um intervalo de seu domínio tal que f(a).f(b)<0 então Se f(x) é contínua e a e b são duas raízes consecutivas então Uma função contínua não muda de sinal entre dois zeros (raízes) consecutivos.
  3. 3. Essa conclusão é importante, como veremos a seguir. Vai nos facilitar a avaliação dos sinais de uma função. Retomemos, como modelo, o gráfico da função do terceiro grau: Cujas raízes ou zeros são -2, 4 e 6. Olhando para a expressão não podemos ter certeza do seu comportamento quanto aos sinais. Mas já temos a certeza de que entre duas raízes consecutivas o sinal não muda. Uma técnica para o estudo dos sinais consiste em marcar os zeros da função numa reta numérica e que, por semelhança visual, é chamada muitas vezes de “Técnica do Varal”. Para conhecer o sinal em qualquer trecho do varal podemos atribuir à função um valor pertencente a intervalo que queremos avaliar. Marcamos no “varal”
  4. 4. Concluindo teremos Ou, mais apropriadamente, numa reta numérica, O que já havíamos verificado visualmente no gráfico O estudo completo dos sinais indica que
  5. 5. Retomando do início, agora podemos resolver uma inequação do tipo: Inequações produto ou quociente. Vejamos: Temos aí um quociente entre duas funções e desejamos saber para quais valores de x esse quociente resulta negativo. 1- Já sabemos que isso ocorrerá nos intervalos em que as funções tenham sinais opostos. 2- Já sabemos como analisar os sinais das funções no seu domínio Encontrando as raízes: Construímos um “varal” (reta numérica) para cada uma delas, que podemos organizar como um quadro de sinais: Quadro de sinais 2 3 4 numerador ++++++++ 0 ----------- 0 ++++++++ + ++++++++ denominador ------------ - ----------- - ----------- 0 ++++++++ sinal do quociente ----------- 0 ++++++++ 0 ----------- ++++++++ O quadro completa o estudo dos sinais e podemos responder RESOLVENDO UMA INEQUAÇÃO

×