O slideshow foi denunciado.

História de uma gaivota e do gato que a ensinou a voar

7.047 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação, Tecnologia
  • Seja o primeiro a comentar

História de uma gaivota e do gato que a ensinou a voar

  1. 1. Luís Sepúlveda
  2. 2. Autor(a): Luís Sepúlveda Editora: Porto Editora Local de edição: Lisboa Ano de edição: 2010 Ano de publicação: [s.d.]
  3. 3. Luís Sepúlveda nasceu em Ovalle, no Chile, em 1949. Da sua vasta obra, destacam-se os romances O Velho que Lia Romances de Amor, História de uma Gaivota e do Gato que a Ensinou a Voar e A Sombra do que Fomos. Mas Mundo do Fim do Mundo, Nome de Toureiro, Patagónia Express, Encontros de Amor num País em Guerra ou Diário de um Killer Sentimental, conquistaram também, em todo o mundo, a admiração de milhões de leitores.
  4. 4. Kengah, a gaivota; Zorbas, o gato; Collonelo, o conselheiro; Secretário, o seu ajudante; Sabe-tudo, gato muito inteligente ; Barvalento, um gato marinheiro.
  5. 5. • Esta é a história de Zorbas, um gato grande, preto e gordo, que vivia numa casa perto do porto de Hamburgo. • Uma formosa gaivota, ao tentar apanhar o seu alimento no mar, foi apanhada por uma maré negra, ficando com grande dificuldade em conseguir voar. • Zorbas estava na varanda a apanhar sol quando ela cai à sua frente. O gato fica sem saber o que fazer. Porém, a gaivota, antes de morrer põe um ovo e pede a Zorbas que o proteja, tome conta da pequena gaivota que vai nascer e que a ensine a voar.
  6. 6. O gato aceita os pedidos sem se aperceber da responsabilidade que era. Quando a gaivota nasce chama a Zorbas mamã. Neste momento, o gato, procura os seus amigos para o ajudarem, nesta tarefa difícil, a cuidar de Ditosa. Os seus amigos são: Collonelo, Sabe-Tudo e o Barvalento. A pequena gaivota integra-se bem no grupo, de tal modo que começa também a pensar que é um gato, dificultando a tarefa a Zorbas e aos amigos.
  7. 7. Zorbas tinha cumprido todos os desejos de Kengah menos um, ensinar a gaivota a voar… Tentaram, tentaram e tentaram, muitas vezes falharam, até que um dia Zorbas pede ajuda a um humano que escreve poemas, esse humano leva-lhes ao alto da torre de S. Miguel, este deixa Ditosa e esta voa, Ditosa fica felicíssima e Zorbas sente-se orgulhoso por ter cumprido as promessas.
  8. 8. “É bom que saibas que contigo aprendemos muita coisa que nos enche de orgulho: aprendemos a apreciar, a respeitar e a gostar de um ser diferente.” “ Tenho uma mamã muito valente! - grasnou a gaivotinha.” “Zorbas permaneceu ali a contemplá-la, até que não soube se foram as gotas de chuva ou as lágrimas que lhe embaciaram os olhos amarelos de gato grande, preto e gordo, de gato bom, de gato nobre, de gato de porto.”

×