Lenda das Amendoeiras em Flor

1.609 visualizações

Publicada em

1 comentário
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Gostei de ver! Temas como o Bullying e a comunicação interpessoal, tudo o que contribua para um melhor relacionamento/integração entre pessoas, com todas as suas diferenças e virtudes, deviam ser mais trabalhados e abordados de maneira criativa e simples como esta. Parabéns!
       Responder 
    Tem certeza que deseja  Sim  Não
    Insira sua mensagem aqui
  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.609
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
9
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
1
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Lenda das Amendoeiras em Flor

  1. 1. Branco do Norte ao Sul lenda das amendoeiras em flor versão 8.ºD
  2. 2. a história de uma prova de amizade inspirada numa lenda ancestral, em que os lugares trespassam as distâncias.
  3. 3. Gilda: farta de viajar pelo mundo, tenta encontrar no sul o branco do norte da sua infância…
  4. 4. Alberto Ibn-Almundim: descendente de árabes, é muito popular e respeitado. Vai liderar a cura da tristeza de Gilda...
  5. 5. Mariana: vítima de bullying, vai ser a primeira amiga da Gilda…
  6. 6. Jorge e Filipe: Os vilões da escola…
  7. 7. Sebastião: amigo de Alberto, caracteriza-se pelo bom senso…
  8. 8. Vicente: embora rebelde, caracteriza-o um forte sentido de justiça…
  9. 9. Beatriz: Vítima de um acidente, faz com que Gilda ponha em causa a gravidade da sua tristeza…
  10. 10. Director Horácio
  11. 11. O sudoeste europeu é, desde há milénios, um ponto de passagem de homens ansiosos pelo desconhecido…
  12. 12. Gilda nasceu na Suécia e desde pequena que viaja com os pais, nómadas contemporâneos que acabam de chegar ao Cabo de São Vicente. Está cansada de mudar de casa, de escola e amigos…
  13. 13. Tenho de começar tudo de novo… dizer quem sou, ouvir quem são… E as saudades da neve que não passam… Estou infeliz.
  14. 14. Entra, Gilda, e confraterniza com os novos colegas. Espero que faças muitos amigos.
  15. 15. Entretanto, Filipe mostra de imediato o papel que gosta de desempenhar na escola: o de mauzão. E esbarra com Gilda propositadamente.
  16. 16. Eu ajudo-te a apanhar a tua mochila, Gilda. Não era preciso, mas obrigada.
  17. 17. Já viste a tua atitude?! A miúda acaba de chegar! O que é que queres ó sonsinho?!
  18. 18. Tu não lhe fazes mal, ouviste?! Olha outro! Deixem-me em paz!
  19. 19. Calma rapazes! Podemos resolver isto sem murros.
  20. 20. Queres paz?! Então vais tê-la à tua maneira! Pede desculpa à rapariga!
  21. 21. Desculpas-me…? Sim, estás desculpado.
  22. 22. Agora vais sofrer !! Por favor não me aleijes … Mas Filipe não descansa… E procura Mariana, a sua vítima preferida.
  23. 23. No ambiente calmo de sala de aula, Gilda está fazer os trabalhos enquanto os colegas conversam. Mais uma língua para aprender… e esta é mesmo difícil!
  24. 24. Então Gilda? Porque não te juntas a nós? Estou aqui só a fazer os trabalhos…
  25. 25. Ó Alberto, já reparaste que esta rapariga está sempre triste? Já, já reparei. E já pensei que temos de fazer alguma coisa contra isso.
  26. 26. Desconfio que uma colega da nossa turma é vítima de bullying. Tens a certeza…? Espero bem que não nos descubram…
  27. 27. Porque não admites o que te fizeram? Hum… porque vai ser pior para mim… ?!?!
  28. 28. O que é feito da Beatriz? Acho que teve um acidente. Pois, e parece que foi grave.
  29. 29. Eu cá ouvi dizer que a Beatriz ficou gravemente ferida por ter caído de umas escadas.
  30. 30. VOLTASTE!!! ESTÁS BEM?
  31. 31. Então, como é que isso aconteceu Beatriz? Caí das escadas do meu prédio e parti a perna. Mas já estou melhor.
  32. 32. Estou muito feliz por estar aqui na escola com os meus melhores amigos. Estou radiante por ver que estás bem e feliz. Também estou feliz por ti, mas continuo muito triste.
  33. 33. “ Amigo é o erro corrigido, Não o erro perseguido, explorado. È a verdade partilhada, praticada. Amigo é a solidão derrotada!” Este poema é do Alexandre O´Neill. É dos meus preferidos. Gosto mais de poesia se for o Seastião a recitar.
  34. 34. Gosto de ler porque os livros têm páginas brancas e eu sinto saudades do Branco…
  35. 35. Que se se passa contigo Gilda? Não queres partilhar comigo o motivo de tanta tristeza? Confesso que, para além de me sentir muito só, morro de saudades da neve da minha terra.
  36. 36. Trago novidades que te devem interessar! Tudo o que estiver relacionado com a Gilda interessa-me muito….
  37. 37. Gilda, prometo que o motivo da tua tristeza será em breve o motivo da tua alegria! ???
  38. 38. Eu sou aquele que vai acender o teu sorriso como nunca ninguém o fez antes. Nem imaginas como eu gostava que isso fosse verdade…ou quanto eu gosto de ti…
  39. 39. Entretanto…
  40. 40. Agora vou partir a cabine telefónica!! Isso, isso! Tira as moedas todas! A saga destruidora de Jorge e Filipe não termina…
  41. 41. Vamos partir este vidro? Sim, pode ser que consigamos entrar e roubar alguma coisa!
  42. 42. Lá está este outra vez a meter-se aonde não é chamado! E lá estão vocês outra vez a pedir uma liçãozinha…
  43. 43. Eu sabia que estavam a tramar alguma ….
  44. 44. Desta vez não ficarão impunes e não serão outros a pagar pelos vossos disparates…
  45. 45. Vá! Entrem! Têm muito que explicar ao director! Estamos lixados…
  46. 46. Quero isso bem limpo! Olha-me esta pensa que manda… Olha-me esta! Pensa que manda!
  47. 47. Porquê tanta tristeza? Queres ser minha amiga? O meu motivo de tristeza é saudades de casa. Sim claro que quero! Fixe!...
  48. 48. Pareces tão triste… Estou a pensar, não estou triste.
  49. 49. Passa-me a bola!
  50. 50. Vá! Temos de ser rápidos, ainda somos apanhados outra vez…
  51. 51. Mas o que é que se passa ali? Tenho de ir buscar ajuda…
  52. 52. Vicente! Ainda bem que te encontro. Anda comigo! Mas o que se passa? Vamos!
  53. 53. Ainda bem que chega alguém para me ajudar… Estão lixados…
  54. 54. Desamarra a tua colega já!… Finalmente…
  55. 55. Outra vez apanhados em flagrante… Vocês são uns irresponsáveis e os vossos pais vão saber de todos acontecimentos.
  56. 56. E não pensem que isto fica por aqui!!!
  57. 57. … de maneira que, desta vez, são os próprios pais a dar uma lição aos rapazes. Filipe, por exemplo, passa um fim-de-semana a ajudar um primo a calcetar uma rua. Fui tão parvo, não o voltarei a fazer.
  58. 58. Enquanto Jorge trata do jardim da casa dos pais. Mas será que é desta que Jorge e Filipe aprendem a lição? .
  59. 59. Entretanto, nos recantos silenciosos da escola, estuda-se o combate contra a tristeza de Gilda, prepara-se uma batalha branca que devolva à menina desencontrada a alegria perdida e espalhada por tantos lugares diferentes.
  60. 60. Vou devolver-lhe o branco. A diferença é que, em vez de ser frio, será quente.
  61. 61. entretanto, quando Gilda está a pensar numa solução para a sua tristeza, ela aparece na figura de Mariana! Gilda! Anda, vem comigo, quero mostrar-te uma coisa. Anda!
  62. 62. Depois das asneiras todas que fizeram, Jorge e Filipe redimem-se ajudando Alberto a devolver a alegria a Gilda.
  63. 63. Alegria… Amor! Paz… Um sorriso…
  64. 64. Mas… O que é isto?! Então, Gostas?
  65. 65. É a neve do sul especialmente para ti!
  66. 66. Tu és um verdadeiro príncipe.
  67. 67. e este não é o fim da história: é o começo de um amor exemplar…
  68. 68. Alunos: Ana Gonçalves Billy Guessouri Irina Lopes João Reis Leandro Rêgo Miguel Gonçalves Rafaela Guerreiro Ruben Ramos Escola E.B 2,3 de S.Vicente. Trabalho realizado pela turma 8ºD no âmbito da disciplina Oficina de Artes, Expressões e Ofícios , sob orientação das professoras Luísa Teixeira e Sandra Martins, no ano lectivo de 2009/2010. Colaboradores: Professor Miguel Garcia Assistente operacional Teresa Dias

×