BOLETIM SEMESTRAL DE ATIVIDADES | 2013
Quer saber mais? www.enraize.com.br
ED. 02

SEMEANDO VIDA
Em parceria com a Companh...
CARTOGRAFIA SOCIAL
COM SOFTWARE LIVRE
Em dezembro, nossos Colaboradores Camila
Mello e Rafael Franco realizaram a Oficina
...
OFICINA [INTERNA] DIGITAL
Nossa primeira capacitação/formação interna aconteceu na
SEDE-SP, com a presença de 11 Colaborad...
TERRITÓRIOS DE APRENDIZAGEM

Em setembro, estivemos presentes no
encontro de educadores “Territórios da
Aprendizagem,” na ...
ESCOLA ÂNCORA
Em agosto, fomos conhecer o Projeto Âncora,
sediado na cidade de Cotia-SP. O projeto é idealizado por educad...
PARQUE LINEAR NASCENTES
DO RIBEIRÃO JAGUARÉ
Em fevereiro de 2014, o Projeto Parque Linear
Nascentes do Ribeirão Jaguaré, e...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Boletim Semestral Ed02

0 visualizações

Publicada em

Boletim das ações ENRAÍZE referente ao segundo semestre de 2013.

Publicada em: Mídias sociais
0 comentários
2 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
0
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
0
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
1
Comentários
0
Gostaram
2
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Boletim Semestral Ed02

  1. 1. BOLETIM SEMESTRAL DE ATIVIDADES | 2013 Quer saber mais? www.enraize.com.br ED. 02 SEMEANDO VIDA Em parceria com a Companhia Artística Semeando Encanto, desenvolvemos a implantação de uma Horta Comunitária, no município de Araçoiaba da Serra-SP, durante os três últimos meses de 2013. O Projeto Semeando Vida tem a finalidade de reunir as famílias para produção de alimentos saudáveis nos princípios da agroecologia e, possivelmente, gerar renda com a venda dos excedentes. A horta comunitária foi implantada na praça do Bairro Alcides Vieira, pelos moradores locais e também do bairro vizinho, Maria Paula Esposito. Na horta, mais de 40 tipos de plantas serão cultivadas e manejadas pela comunidade. Fomentado pela Prefeitura Municipal de Araçoiaba da Serra, através das Secretarias da Agricultura e Assistência Social, o projeto incentiva a população em dar uso aos espaços públicos da cidade, acreditando que com tais iniciativas, tanto o bairro quanto a comunidade, terão maior qualidade de vida. Aconteceu em Brasília entre os dias 10 e 13 de dezembro, e reuniu cerca de 9 mil pessoas de todo o mundo para discutir os principais desafios e soluções em relação a afirmação dos Direitos Humanos nos últimos anos. O evento teve representantes de 74 países e contou com mais de 500 atividades. A Colaboradora/Gestora Camila Mello, participou do evento em diferentes oficinas, debates e palestras. Trouxe diversos contatos e materiais de apoio para os trabalhos futuros da ENRAÍZE em temáticas que envolvam Direitos Humanos. + fmdh.sdh.gov.br 1
  2. 2. CARTOGRAFIA SOCIAL COM SOFTWARE LIVRE Em dezembro, nossos Colaboradores Camila Mello e Rafael Franco realizaram a Oficina Cartografia Social com Software Livre, na 12º Oficina de Inclusão Digital e Participação Social, na cidade de Brasília-DF. A oficina teve cerca de 25 participantes, entre pesquisadores, militantes do movimento do software livre, educadores, agentes de telecentros comunitários e professores. “As cartografias sociais delineiam um subcampo da cartografia, e este se particulariza pela ênfase na participação de não-especialistas nos processos de elaboração de mapas", diz Henri Acselrad da UFRJ. A ideia da oficina é coletar dados oficiais e informais para visualizá-los tanto geograficamente quanto historicamente em mapas, utilizando software livre. E, a partir disso, refletir sobre novas possibilidades de formulação do espaço público. Acreditamos que iniciativas como esta, nos fortalecem e ampliam nossas possibilidades de atuação. + oficinainclusaodigital.org.br Siga a gente! twitter.com/enraizes 2º ENCONTRO ORDINÁRIO Realizada na nossa SEDE-SP, em novembro, com 12 presentes entre Gestores, Conselheiros e Colaboradores. Uma demanda da Equipe Gestora, junto aos Colaboradores, era definir qual o melhor formato para a comunicação interna e externa da empresa. A partir do levantamento de possíveis soluções para a comunicação, o grupo identificou necessária a primeira capacitação interna voltada ao uso de tecnologias e ferramentas digitais para a nossa organização. SEDE-LIMEIRA A nova SEDE já está atuando! A proposta é de trazer à cidade discussões e a prática da construção de projetos de forma participativa, e, ao mesmo tempo, promover oficinas e formas de organizações em coletivos e demais grupos, para encontrarem estratégias de se manterem de forma colaborativa. 2
  3. 3. OFICINA [INTERNA] DIGITAL Nossa primeira capacitação/formação interna aconteceu na SEDE-SP, com a presença de 11 Colaboradores + Rafael Franco, como facilitador. O objetivo era aprender a utilizarmos de ferramentas eletrônicas simples de trabalho que contêm recursos sociais embutidos. Foi possível também identificar atividades de organização, mediação e comunicação dos Colaboradores que ainda de modo informal e adaptá-las ao ambiente virtual com o uso de dispositivos eletrônicos como computadores pessoais, smartphones e/ou tablets. Foi bastante proveitosa e pós a oficina, finalizamos nosso Plano de Comunicação ENRAÍZE. IV CNIJMA Entre os dias 24 e 28 de novembro, aconteceu a IV Conferência Nacional Infanto Juvenil pelo Meio Ambiente, na cidade de Luziânia-GO. A nossa Colaboradora/Gestora Camila Mello esteve presente como acompanhante da delegação de SP, devido ao seu histórico de atuação junto ao movimento de juventude e meio ambiente. A Conferência reuniu cerca de 700 jovens de todo o país, com o tema: “Vamos Cuidar do Brasil com as Escolas Sustentáveis”. Nós, da ENRAÍZE, acreditamos que as Conferências são parte de um processo dinâmico de diálogos e encontros voltado ao fortalecimento da cidadania ambiental nas escolas e comunidades a partir de uma educação crítica, participativa, democrática e transformadora, por tanto, fortalecemos este processo. + conferenciainfanto.mec.gov.br OFICINA DE TINTA NATURAL Em novembro, realizamos a nossa primeira atividade na SEDE-LIMEIRA, Oficina de Tinta Natural. Os participantes, em sua maioria jovens, aprenderam a produzi-la e a executar algumas técnicas de aplicação de maneira prática com a feitura de desenhos nas paredes da SEDE. O intuito é promover tecnologias sociais que sejam acessíveis e de baixo custo. 3
  4. 4. TERRITÓRIOS DE APRENDIZAGEM Em setembro, estivemos presentes no encontro de educadores “Territórios da Aprendizagem,” na escola Stagium em Diadema-SP, com Alejandra Dubovik e Alejandra Cippitelli – educadoras e fundadoras da Escola FABULINUS, em Tigre, Buenos Aires. Apresentaram-nos o trabalho desenvolvido através dos Territórios como campo de pesquisa e exploração de espaços comunicativos, estéticos e habitáveis para a educação infantil. A Escola FABULINUS fundamenta-se nas práticas pedagógicas das escolas de educação infantil de Reggio Emilia, Itália. A proposta do encontro foi de proporcio- nar aos educadores brasileiros uma troca de experiências e abertura para o diálogo sobre educação. Exemplos de espaços de aprendizagem foram apresentados: território dos planos inclinados, território de luz e sombra, território dos espelhos, território das pedras, território da palavra e território da água. Em tais territórios, são disponibilizados às crianças objetos dos mais diversos tipos, no qual estimulam a sentir e perceber texturas, cores, temperaturas, pesos e gostos diferentes. Assim, a criança desenvolve sua percepção, aguça sua criatividade e torna-se mais curiosa para aprender. ROLÊ CARTOGRAFFITI Participamos do Rolê Cartograffiti - iniciativa do Coletivo Imargem e da galera do Ônibus Hacker, em setembro. O evento teve como objetivo promover a visitação de pontos cartografados durante o projeto Cartograffiti. “Começamos por aqui por ser próximo da rodoviária, e é necessário porque queremos discutir a mobilidade”, explica Mauro. Próximo dali, entre as estações Santana e Tietê, 50 grafiteiros pintaram as pilastras que sustentam a linha azul do metrô. O Museu Aberto de Arte Urbana (MAAU) reúne artistas de renome no grafite. Após atravessar a balsa sobre a Represa Billings, o roteiro termina na Ilha do Bororé, quando SP se torna rural. Tudo isso junto com pessoas que vivem e pensam a cidade com um desejo comum: ocupar cidades brasileiras com ações políticas. O Projeto Cartograffiti é realizado por meio do edital Arte na Cidade pela Secr. Municipal de Cultura, idealizado pelo artista Mauro Neri. Consiste em uma série de intervenções em 21 locais estratégicos, em um recorte específico do mapa da cidade de SP. + projetocartograffiti.blogspot.com.br 4
  5. 5. ESCOLA ÂNCORA Em agosto, fomos conhecer o Projeto Âncora, sediado na cidade de Cotia-SP. O projeto é idealizado por educadores “libertários”, dentre eles José Pacheco, e atualmente ganhou status de escola a partir da experiência educativa, chamada de “Comunidades de Aprendizagem”. Uma iniciativa que tem como práxis comunitária um modelo educacional gerador de desenvolvimento sustentável para além de seus muros, envolvendo ativamente a comunidade na consolidação de uma sociedade participativa. Desta experiência saímos com grandes ideias e motivados a construir possíveis parcerias e trabalhos junto a iniciativas e metodologias proposta pelo projeto. + projetoancora.org.br Realizamos a Oficina de Mapeamento Participativo para os educadores do Projeto Morro Azul, na cidade Limeira-SP, em agosto. A iniciativa faz parte do processo de formação de estudantes da extensão universitária da Faculdade de Tecnologia da UNICAMP. O Morro Azul é um projeto de Diagnóstico Socioambiental Participativo/DSP, a partir da cartografia do bairro Morro Azul. Os estudantes promoveram oficinas na comunidade e levantaram discussões variadas trazendo para a população uma visão ampla sobre seu território, abordando diversos públicos, da juventude à 3º idade. O projeto ainda consiste em levantar características existentes e desejadas para o futuro do bairro e transformá-las em ações práticas. Com o intuito de legitimar este trabalho como Política Pública, será elaborado um “CD” musical, inteiramente composto pela comunidade, como linguagem e registros da mesma. 5
  6. 6. PARQUE LINEAR NASCENTES DO RIBEIRÃO JAGUARÉ Em fevereiro de 2014, o Projeto Parque Linear Nascentes do Ribeirão Jaguaré, em parceria com a ONG IPESA, chegará ao fim. Serão 12 meses de trabalho no total, onde a Colaboradora/Gestora Guaíra Maia é voluntária. Estamos na etapa final onde os jovens, hoje agentes ambientais multiplicadores, estão apresentando para a comunidade do Distrito de Raposo Tavares-SP, local de abrangência do projeto, o Diagnóstico produzido durante o ano, juntamente com uma exposição de fotos, por eles elaborada. No final de outubro, os jovens foram convidados a participar do Programa A Liga, da Band, no qual abordou a Marginal Tiête e as histórias que nascem do tráfego intenso. Os jovens mostraram o monitoramento da água do rio que efetuam mensalmente, juntamente com o Gustavo Veronesi, nosso Colaborador e também educador do projeto. 6

×