Patologia aula 2

1.730 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.730
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
23
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
77
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Patologia aula 2

  1. 1. Lesão Celular
  2. 2. Lesão Celular  A lesão celular pode ser por causas diversas, desde uma violência física externa, ou causas endógenas internas. Lesão Celular Reversível  Lesão Celular Irreversível 
  3. 3.  1 - Privação de Oxigênio :  A hipóxia é um exemplo mais comum de morte celular, prejudicando a respiração oxidativa.  Exemplos de hipóxia pode ser:  Insuficiência cardiorrespiratória.  Perda da capacidade no transporte de oxigênio como na anemia ou por intoxicação por monóxido de carbono.  As células podem se adaptar de acordo com a oferta de oxigênio, se a artéria femoral por exemplo diminuir o Oxigênio enviado aos músculos das pernas, ele pode sofrer atrofia.
  4. 4.  2 - Agentes Químicos e Drogas : Glicose e sal ( em altas concentrações hipertônicas, oxigênio em altas concentrações, poluentes etc.)  3 - Agentes Infecciosos : Vírus, parasitas. 4 - Reações Imunológicas: - Reação Anafilática  5 - Anormalidades Genéticas: Malformação congênita.  6 - Desequilíbrios nutricionais: Excesso de lipídios ( aterosclerose )
  5. 5. LESÃO E NECROSE CELULARES:    Praticamente todas as formas de lesão orgânica se iniciam com alterações moleculares ou estruturais nas células. Resposta celular a estímulos, depende das doses de uma determinada toxina química e de períodos de isquemia (ausência de fluxo sangüíneo) que podem acomete-la, portanto, altas doses da mesma toxina ou períodos longos de isquemia podem acarretar morte celular instantânea ou lesão irreversível. As conseqüências de Lesão Celular dependem do tipo / estado e adaptabilidade da célula lesada.
  6. 6.  Alguns estresses fisiológicos um pouco mais excessivos podem acarretar adaptações fisiológicas ou morfológicas.  Por exemplo, o músculo dos fisioculturistas que praticam halterofilismo que resultam em adaptações fisiológicas, (aumento massa muscular).  A célula muscular aumentada atinge um novo equilíbrio, permitindo que sobreviva a um nível mais alto de atividade, isto chamase ( hipertrofia ).
  7. 7.  Diferentemente, na ATROFIA ocorre uma redução no tamanho e função das células.  Quando os limites das células são ultrapassados na sua capacidade, ocorre a lesão celular.  A lesão celular pode até um certo ponto, pode ocorrer lesão morte celular. ser reversível caso persista irreversível e
  8. 8. A morte celular, afeta todos os tipos de células, podendo representar isquemia (ausência de fluxo sanguíneo ), Infecção e reações imunes.  NECROSE OU NECROSE DE COAGULAÇÃO:  É o tipo mais comum de morte celular após estímulo exógeno.  APOPTOSE:  Ocorre quando a célula morre mediante ativação de um programa de suicídio controlado internamente. 
  9. 9. LESÃO ISQUÊMICA E HIPÓXICA Na hipóxia a produção glicolítica de energia é mantida,  Já na isquemia o transporte de substratos para a glicólise é interrompido.  A isquemia tende então a lesar os tecidos mais rapidamente que a hipóxia, uma vez que além do transporte de substratos, o fluxo sanguíneo remove os metabólitos resultantes da reação glicolítica. 
  10. 10. LESÃO ISQUÊMICA É a lesão por privação de oxigênio, que envolvem a oclusão completa de artérias finais de um órgão. ( ex. artéria coronariana )  A lesão pode ser passível de reparo, se as células afetadas recuperarem o oxigênio e substratos bloqueados anteriormente, metabólitos forem de novo oferecidos por restauração do fluxo sanguíneo, isto é chamado de lesão reversível.  Na persistência da isquemia, a usina oxidativa mitocondrial e via glicolítica tornam-se irreparáveis, devido a depleção de ATP, isto irá garantir uma isquemia irreversível. 
  11. 11. TUMEFAÇÃO CELULAR PELA ISQUEMIA Com a diminuição do oxigênio, a respiração aeróbica é prejudicada, com a queda do oxigênio intracelular, cai a fosforilação oxidativa e diminui a produção de ATP.  A bomba de sódio depende de energia gerada, a falha no sistema resulta em aumento da atividade de ATPase, levando ao acúmulo de Na+ intracelular e K +para fora, com isto aumenta a água intracelular por aumento do soluto e tumefação. 
  12. 12. LESÃO CELULAR IRREVERSÍVEL Se a isquemia persistir, sobrevém uma lesão irreversível e esta associada a tumefação intensa das mitocôndrias, lesão da membrana plasmática.  Após a morte, os componentes celulares são progressivamente degradados.  A célula morta pode ser substituída por grandes massas compostas de fosfolipídios.  Essas massa são fagocitadas por outras células ou degradadas em ácidos graxos. 
  13. 13.  Dois fenômenos caracterizam a passagem da lesão celular de reversível para irreversível:  Incapacidade de reverter a disfunção mitocondrial que causa depleção de ATP.  Pertubações membrana. profundas na função da

×