Educação: Que futuro
nos espera?

Mozart Neves Ramos
mozart@ias.org.br
PIB e anos de estudo
Anos de estudo no Brasil
Ano

2000

Anos de Estudo da
população com 15
anos ou mais de idade
5,0

2010

7,3
Impactos da Educação no Campo do Desenvolvimento
Social

1. Renda: Um ano a mais de escolaridade aumenta
em 15% a renda de...
Ainda um desafio:
atendimento, permanência,
aprendizagem e conclusão escolar......
Permanência escolar
1.1. Alunos: Adequação Idade-Anos de escolaridade – a não-universalização
da EB
Piauí
Ceará
Paraíba
Bahia
Maranhão
São Pau...
1.1. Alunos: Adequação Idade-Anos de escolaridade – a não-universalização
da EB
Santa Catarina
Paraná
São Paulo
Mato Gross...
1.1. Alunos: Adequação Idade-Anos de escolaridade – a não-universalização
da EB
São Paulo
Mato Grosso
Distrito Federal
Ror...
1.1. Alunos: Adequação Idade-Anos de escolaridade – a nãouniversalização da EB
São Paulo
Santa Catarina
Distrito Federal
R...
% de alunos com aprendizagem adequada
9º ano – Matemática
2005 - 2011
Como assegurar, enquanto direito
constitucional, uma Educação de
qualidade para nossas crianças e
jovens?
É preciso tornar atraente a
carreira do magistério para
a juventude brasileira!
1. Salário Inicial Atraente
2. Plano de Carreira
3. Condições de Trabalho
4. Formação Inicial e Continuada
Na comparação salarial com os colegas da América Latina, os
docentes brasileiros perdem – e estão muito longe dos países
d...
% Docentes sem formação adequada
por disciplina do Ensino Médio
Disciplina

L. Portuguesa
Matemática
Biologia
Física
Quími...
PNE (2011-2020): META 15
Garantir, em regime de colaboração entre a
União, os Estados, o Distrito Federal e os
Municípios,...
PNE (2011-2020): META 16
Formar 50% dos professores da educação
básica em nível de pós-graduação lato e
stricto sensu, gar...
PNE (2011-2020): META 17
Valorizar o magistério público da educação
básica a fim de aproximar o rendimento
médio do profis...
PNE (2011-2020): META 18
Assegurar, no prazo de dois anos, a existência
de planos de carreira para os profissionais do
mag...
Como tornar atrativa a carreira do
magistério?
“Quero ser professor”
Clusters de
Desenvolvimento
de Ensino e
Formação Docente
FOCO: INTEGRAÇÃO

Certificação de
Qualifica...
1ª Fase do Programa
Destinado aos Alunos e Professores dos
Cursos de Licenciaturas das Ciências Exatas
e da Natureza – Fís...
“Quero ser professor”
Clusters de
Desenvolvimento
de Ensino e
Formação Docente
FOCO: INTEGRAÇÃO

Trabalho cooperativo
envo...
“Quero ser professor” • Grupo formadores:
Certificação de
Qualificação
Docente PósGraduanda e
Avaliação Discente
do Aluno ...
“Quero ser professor”
Projeto Nenhum
Aluno para Trás e
Laboratório de
Inovação e de
Empreendedorismo
Pró-Ensino – Novas
Te...
Escola do Século 19
Professor do Século 20
Aluno do Século 21
Vídeo Século 21
Diante disso, faz sentido:
1. Ao estudante ir a escola para ouvir informações
que já estão na rede?
2. Faz sentido acompan...
Resultado...........
Desmotivação e desencanto
Seymour Papert (matemático e é considerado um
dos pais do campo da Inteligência Artificial), que
recentemente comemorou 84...
Integrar a Escola com os novos espaços de aprendizagem
e de criação: esse é o desafio!

Suplementar

Complementar

Integra...
Como será a sala de aula do Século 21?
Como será o pós 2015?
UNESCO
os seis objetivos de Educação para Todos até 2015
Objetivo 1. Ampliar e aperfeiçoar os cuidados e a educação
para a...
Estudos em neurociência apontam que grande
parte do desenvolvimento cerebral, bem como
a capacidade posterior de aprendiza...
Um novo desafio: como considerar as
habilidades não cognitivas/sócioemocionais na política educacional!
James Heckman:
Qual é o impacto de atributos não
cognitivos/sócio emocionais sobre o
rendimento escolar?

Quais são essas ...
Teoria dos Big Five (anos 30)
1. Abertura a novas experiências,
criatividade, curiosidade intelectual...
2. Auto disciplin...
EXPERIÊNCIA DO MARSHMELLOW
(Anos 60)

WALTER MISCHEL
Educação que futuro nos espera - Prof. Dr. Mozart Neves
Educação que futuro nos espera - Prof. Dr. Mozart Neves
Educação que futuro nos espera - Prof. Dr. Mozart Neves
Educação que futuro nos espera - Prof. Dr. Mozart Neves
Educação que futuro nos espera - Prof. Dr. Mozart Neves
Educação que futuro nos espera - Prof. Dr. Mozart Neves
Educação que futuro nos espera - Prof. Dr. Mozart Neves
Educação que futuro nos espera - Prof. Dr. Mozart Neves
Educação que futuro nos espera - Prof. Dr. Mozart Neves
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Educação que futuro nos espera - Prof. Dr. Mozart Neves

426 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
426
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
0
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
8
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Educação que futuro nos espera - Prof. Dr. Mozart Neves

  1. 1. Educação: Que futuro nos espera? Mozart Neves Ramos mozart@ias.org.br
  2. 2. PIB e anos de estudo
  3. 3. Anos de estudo no Brasil Ano 2000 Anos de Estudo da população com 15 anos ou mais de idade 5,0 2010 7,3
  4. 4. Impactos da Educação no Campo do Desenvolvimento Social 1. Renda: Um ano a mais de escolaridade aumenta em 15% a renda de um brasileiro; mas, se ele tem o curso de graduação completo, esse impacto é de 47%! 2. Longevidade: Estudos da Unicef revelam que crianças com mães de baixa escolaridade têm três vezes mais possibilidade de morrer antes de completar 5 anos do que crianças com mães que têm alta escolaridade.
  5. 5. Ainda um desafio: atendimento, permanência, aprendizagem e conclusão escolar......
  6. 6. Permanência escolar
  7. 7. 1.1. Alunos: Adequação Idade-Anos de escolaridade – a não-universalização da EB Piauí Ceará Paraíba Bahia Maranhão São Paulo R. G. do Norte Minas Gerais Santa Catarina Espírito Santo Sergipe Pernambuco Paraná Brasil Rio de Janeiro M. G. do Sul Tocantins Distrito Federal Mato Grosso Acre Pará Goiás R. G. do Sul Alagoas Roraima Amapá Amazonas Rondônia 99,0 98,4 98,0 97,9 97,9 97,7 97,6 97,0 96,9 96,6 96,6 96,5 95,9 95,4 95,3 95,1 93,2 93,0 92,2 91,3 91,2 90,4 89,0 88,8 87,9 86,6 85,5 84,4 0,0 10,0 20,0 30,0 40,0 50,0 60,0 70,0 80,0 90,0 100,0 Taxa de frequência à escola da população de 6 anos de idade – Brasil 2011
  8. 8. 1.1. Alunos: Adequação Idade-Anos de escolaridade – a não-universalização da EB Santa Catarina Paraná São Paulo Mato Grosso M. G. do Sul R. G. do Sul Goiás Tocantins Ceará Roraima Rondônia Distrito Federal Espírito Santo Minas Gerais Brasil Amapá Alagoas Pernambuco Paraíba Acre R. G. do Norte Sergipe Maranhão Rio de Janeiro Bahia Amazonas Pará Piauí 92,2 86,8 86,8 86,5 85,1 83,8 81,8 81,7 81,5 80,6 80,0 77,6 77,5 77,4 76,2 75,0 73,5 72,0 70,6 70,6 67,6 67,0 66,3 65,9 63,2 58,7 58,5 57,5 0,0 10,0 20,0 30,0 40,0 50,0 60,0 70,0 80,0 90,0 100,0 Proporção da população de 12 anos de idade com ao menos os anos iniciais do ensino fundamental concluído – Brasil 2011
  9. 9. 1.1. Alunos: Adequação Idade-Anos de escolaridade – a não-universalização da EB São Paulo Mato Grosso Distrito Federal Roraima Paraná Goiás Santa Catarina Minas Gerais Espírito Santo Amapá R. G. do Sul Brasil M. G. do Sul Tocantins Ceará Rondônia Rio de Janeiro R. G. do Norte Maranhão Pernambuco Acre Amazonas Piauí Bahia Paraíba Pará Sergipe Alagoas 80,6 79,4 76,3 71,7 71,1 70,3 70,2 69,5 69,5 68,5 64,8 62,7 62,2 61,3 60,8 60,4 56,5 53,8 52,4 52,0 50,0 46,8 46,3 46,3 45,0 44,8 44,8 42,9 0,0 10,0 20,0 30,0 40,0 50,0 60,0 70,0 80,0 90,0 100,0 Proporção da população de 16 anos de idade com ao menos o ensino fundamental concluído – Brasil 2011
  10. 10. 1.1. Alunos: Adequação Idade-Anos de escolaridade – a nãouniversalização da EB São Paulo Santa Catarina Distrito Federal Roraima Mato Grosso Ceará Goiás Paraná Espírito Santo R. G. do Norte Brasil Rio de Janeiro Amapá Rondônia R. G. do Sul Minas Gerais M. G. do Sul Acre Tocantins Pernambuco Sergipe Bahia Paraíba Maranhão Amazonas Piauí Pará Alagoas 66,0 64,7 63,3 57,4 57,0 56,3 54,7 53,8 53,4 53,1 48,7 46,5 46,3 45,2 45,2 45,1 42,2 41,1 39,1 38,7 38,0 35,5 33,9 33,7 31,6 31,5 29,2 26,7 0,0 10,0 20,0 30,0 40,0 50,0 60,0 70,0 80,0 90,0 100,0 Proporção da população de 19 anos de idade com ao menos o ensino médio concluído – Brasil 2011
  11. 11. % de alunos com aprendizagem adequada 9º ano – Matemática 2005 - 2011
  12. 12. Como assegurar, enquanto direito constitucional, uma Educação de qualidade para nossas crianças e jovens?
  13. 13. É preciso tornar atraente a carreira do magistério para a juventude brasileira!
  14. 14. 1. Salário Inicial Atraente 2. Plano de Carreira 3. Condições de Trabalho 4. Formação Inicial e Continuada
  15. 15. Na comparação salarial com os colegas da América Latina, os docentes brasileiros perdem – e estão muito longe dos países desenvolvidos. Fontes: La Inversión Educativa en América Latina y el Caribe e Education at a Glance 2007. Dados de 2005. Obs: o dólar PPP (poder de paridade de compra) é um fator de conversão que considera o poder de compra da moeda no país e não o câmbio. Foto Dercílio. Ilustração Victor Malta
  16. 16. % Docentes sem formação adequada por disciplina do Ensino Médio Disciplina L. Portuguesa Matemática Biologia Física Química L. Estrangeira E. Física E. Artística História Geografia % Docentes 18% 41% 28% 61% 44% 18% 23% 59% 29% 31%
  17. 17. PNE (2011-2020): META 15 Garantir, em regime de colaboração entre a União, os Estados, o Distrito Federal e os Municípios, que todos os professores da educação básica possuam formação específica de nível superior, obtida em curso de licenciatura na área de conhecimento em que atuam.
  18. 18. PNE (2011-2020): META 16 Formar 50% dos professores da educação básica em nível de pós-graduação lato e stricto sensu, garantir a todos formação continuada em sua área de atuação.
  19. 19. PNE (2011-2020): META 17 Valorizar o magistério público da educação básica a fim de aproximar o rendimento médio do profissional do magistério com mais de onze anos de escolaridade do rendimento médio dos demais profissionais com escolaridade equivalente.
  20. 20. PNE (2011-2020): META 18 Assegurar, no prazo de dois anos, a existência de planos de carreira para os profissionais do magistério em todos os sistemas de ensino.
  21. 21. Como tornar atrativa a carreira do magistério?
  22. 22. “Quero ser professor” Clusters de Desenvolvimento de Ensino e Formação Docente FOCO: INTEGRAÇÃO Certificação de Qualificação Docente Pós-Graduanda e Avaliação Discente do Aluno de Ensino Médio FOCO: ESCOLA Projeto Nenhum Aluno para Trás e Laboratório de Inovação e de Empreendedorismo PróEnsino – Novas Tecnologias FOCO: UNIVERSIDADE
  23. 23. 1ª Fase do Programa Destinado aos Alunos e Professores dos Cursos de Licenciaturas das Ciências Exatas e da Natureza – Física, Matemática, Química e Biologia das IES e das Escolas de Ensino Médio.
  24. 24. “Quero ser professor” Clusters de Desenvolvimento de Ensino e Formação Docente FOCO: INTEGRAÇÃO Trabalho cooperativo envolvendo professor e aluno de PIBID da IES + professor e alunos de EM numa disciplina específica • Programas de bolsas para alunos e professores das IES e das escolas de EM; • Monitoria de EM; • Laboratórios + Inglês + formação no exterior;
  25. 25. “Quero ser professor” • Grupo formadores: Certificação de Qualificação Docente PósGraduanda e Avaliação Discente do Aluno de Ensino Médio FOCO: ESCOLA Professores das IES + Professores da Rede; • Certificação associada ao desempenho em sala + progressão no Plano de Carreira; • Alunos para as licenciaturas; • Correção de deficiências ainda no EM (Rumo às Licenciaturas) + Plano de vida;
  26. 26. “Quero ser professor” Projeto Nenhum Aluno para Trás e Laboratório de Inovação e de Empreendedorismo Pró-Ensino – Novas Tecnologias FOCO: UNIVERSIDADE • Alunos das Licenciaturas: Apoio social + metas de redução de reprovação e evasão: foco em disciplinas estratégicas • Laboratório: novas tecnologias + Khan Academy + 3D Education + Games + jogos de tabuleiro...
  27. 27. Escola do Século 19 Professor do Século 20 Aluno do Século 21
  28. 28. Vídeo Século 21
  29. 29. Diante disso, faz sentido: 1. Ao estudante ir a escola para ouvir informações que já estão na rede? 2. Faz sentido acompanhar um raciocínio (o do professor) para resolver um problema muitas vezes fora do contexto? (Um dia vocês irão entender a razão de estarem estudando este conteúdo). 3. Há significado em vir à aula para constatar dados numa tabela (interpretada pelo professor)? 4. Qual o interesse em ouvir narrativas pessoais que poderiam ser lidas em casa?
  30. 30. Resultado........... Desmotivação e desencanto
  31. 31. Seymour Papert (matemático e é considerado um dos pais do campo da Inteligência Artificial), que recentemente comemorou 84 anos, disse há não muito tempo atrás: “No dia de hoje não basta que os alunos aprendam bem o que a escola lhes ensina e consigam aplicar esse aprendizado no mundo do trabalho. Hoje se espera que os alunos consigam fazer coisas na vida que nunca lhes foram ensinadas, seja na escola, seja fora dela.”
  32. 32. Integrar a Escola com os novos espaços de aprendizagem e de criação: esse é o desafio! Suplementar Complementar Integrado
  33. 33. Como será a sala de aula do Século 21?
  34. 34. Como será o pós 2015?
  35. 35. UNESCO os seis objetivos de Educação para Todos até 2015 Objetivo 1. Ampliar e aperfeiçoar os cuidados e a educação para a primeira infância... Objetivo 2. Assegurar que, até 2015, todas as crianças,..., tenham acesso ao ensino primário gratuito, obrigatório e de boa qualidade. Objetivo 3. Assegurar que sejam atendidas as necessidades de aprendizado de todos os jovens e adultos ... Objetivo 4. Alcançar, até 2015, uma melhoria de 50% nos níveis de alfabetização de adultos... Objetivo 5. Eliminar, até 2005, as disparidades de gênero no ensino primário e secundário,... Objetivo 6. Melhorar todos os aspectos da qualidade da educação e assegurar a excelência de todos
  36. 36. Estudos em neurociência apontam que grande parte do desenvolvimento cerebral, bem como a capacidade posterior de aprendizado, dá-se do pré-natal aos primeiros anos de vida, período em que ocorre o desenvolvimento mais acentuado da estrutura cerebral, sendo um período sensível para o desenvolvimento de habilidades envolvidas em processos de aprendizagens.
  37. 37. Um novo desafio: como considerar as habilidades não cognitivas/sócioemocionais na política educacional!
  38. 38. James Heckman: Qual é o impacto de atributos não cognitivos/sócio emocionais sobre o rendimento escolar? Quais são essas habilidades que impactam tanto no destino de crianças e jovens?
  39. 39. Teoria dos Big Five (anos 30) 1. Abertura a novas experiências, criatividade, curiosidade intelectual... 2. Auto disciplina, organização, responsabilidade, esforçado... 3. Amabilidade, tendência a ter compaixão, ser tolerante, cooperativo... 4. Extroversão, afetividade e sociabilidade... 5. Neuroticismo, estabilidade emocional, reações emocionais ao desagradável,...não controle da impulsividade... GORDON ALLPORT LEWIS GOLDENBERG (OCEAN – anos 80)
  40. 40. EXPERIÊNCIA DO MARSHMELLOW (Anos 60) WALTER MISCHEL

×