A B
´
ıblia
Q U A L
´
E A S U A M E N S A G E M ?
5 2009
WATCH TOWER BIBLE
AND TRACT SOCIETY OF
PENNSYLVANIA
ASSOCIA ¸C
˜
AO TORRE DE
VIGIA DE B
´
IBLIAS E
TRATADOS
Todos o...
ANTES de pegar uma B
´
ıblia e come ¸car a l
ˆ
e-la, ser
´
a
´
util saber algo a respeito da composi ¸c
˜
ao b
´
asica
des...
4
ELAS t
ˆ
em sido chamadas de as palavras
introdut
´
orias mais famosas j
´
a escri-
tas. “No princ
´
ıpio Deus criou os ...
Morte de Ad
˜
ao 3096 2500 AEC
5
BEM antes de criar os humanos, Deus
criou muitas criaturas espirituais in-
vis
´
ıveis — ...
2500 AEC Come ¸ca o Dil
´
uvio 2370
`
AMEDIDA que a humanidade se multi-
plicava, o pecado e a perversidade se
espalhavam ...
Nasce Abra
˜
ao 2018 1943 Pacto abra
ˆ
amico 1800 AEC
7
HAVIAM se passado uns 350 anos
desde o Dil
´
uvio dos dias de No
´...
1800 AEC Jos
´
e
´
e vendido como escravo 1750
8
JEOV
´
A sabia que seu querido Filho um dia
teria de sofrer e morrer. A p...
A prova ¸c
˜
ao de J
´
o antes de 1613 1600 AEC
9
SER
´
A que algum humano permanece-
ria fiel a Deus se fosse provado at
...
1600 AEC
ˆ
Exodo do Egito 1513
POR muitos anos, os filhos de Israel vi-
veram no Egito, prosperando e se mul-
tiplicando. ...
1473 Israel entra em Cana
˜
a liderado por Josu
´
e
1467 Conclu
´
ıda a conquista da maior parte de Cana
˜
a 1200 AEC
11
S...
1200 AEC Saul
´
e ungido rei 1117
12
DEPOIS dos dias de Sans
˜
ao, Samuel
serviu como profeta e juiz em Is-
rael. Os israe...
1070 Deus promete o Reino a Davi
Salom
˜
ao torna-se rei 1037 1027 Terminado o
templo em Jerusal
´
em
cerca de 1020
Conclu...
1000 AEC 997 Israel
´
e dividido em dois reinos
14
OMAIOR livro da B
´
ıblia, Salmos,
´
e
uma compila ¸c
˜
ao de can ¸c
˜
...
Conclu
´
ıda a compila ¸c
˜
ao de Prov
´
erbios cerca de 717 700 AEC
´
EJEOV
´
A um Governante s
´
abio? Uma
maneira decis...
700 AEC Jerusal
´
em
´
e destru
´
ıda; come ¸ca o ex
´
ılio em Babil
ˆ
onia 607
ASSIM como Jeov
´
a havia predito, a na-
¸...
539 Ciro conquista Babil
ˆ
onia
537 Judeus exilados voltam a Jerusal
´
em 455 AECMuros de Jerusal
´
em reconstru
´
ıdos;
c...
455 AEC
Depois de 443 AEC Malaquias conclui seu livro prof
´
etico
Come ¸cam as 69 semanas de anos
18
DANIEL, um jovem de ...
Nascimento de Jesus
cerca de 2 AEC
1 AEC 1 EC
nota:
N
˜
ao houve ano zero
29 EC
Jesus
´
e batizado
SER
´
A que Jeov
´
a aj...
29 EC Jesus come ¸ca a
pregar o Reino de Deus
Jesus escolhe seus 12 ap
´
ostolos; profere o Serm
˜
ao do Monte 31
20
QUAL ...
32 Jesus ressuscita L
´
azaro 1.° de nis
˜
a, 33 EC
21
DEUS capacitou Jesus para realizar coi-
sas que outros humanos n
˜
...
1.° de nis
˜
a, 33 EC (Nis
˜
a corresponde a parte
de mar ¸co e parte de abril.)
Jesus
´
e pregado na estaca 14 de nis
˜
a...
30 de nis
˜
a,
33 EC
AP
´
OS tr
ˆ
es anos e meio de prega ¸c
˜
ao e
ensino, Jesus sabia que seu tem-
po na Terra estava se...
30 de nis
˜
a,
33 EC
6 de siv
˜
a, 33 Pentecostes; derramamento
do esp
´
ırito santo (Siv
˜
a corresponde a
parte de maio ...
cerca de 47-48
Primeira viagem de
prega ¸c
˜
ao de Paulo
cerca de 49-52
Segunda viagem de
prega ¸c
˜
ao de Paulo
cerca de ...
60 EC
DEPOIS de sua convers
˜
ao, Paulo pas-
sou a declarar zelosamente as boas
novas do Reino de Deus. Agora, por
´
em,
e...
A biblia  qual é a sua mensagem
A biblia  qual é a sua mensagem
A biblia  qual é a sua mensagem
A biblia  qual é a sua mensagem
A biblia  qual é a sua mensagem
A biblia  qual é a sua mensagem
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

A biblia qual é a sua mensagem

179 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
179
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

A biblia qual é a sua mensagem

  1. 1. A B ´ ıblia Q U A L ´ E A S U A M E N S A G E M ?
  2. 2. 5 2009 WATCH TOWER BIBLE AND TRACT SOCIETY OF PENNSYLVANIA ASSOCIA ¸C ˜ AO TORRE DE VIGIA DE B ´ IBLIAS E TRATADOS Todos os direitos reservados Editoras WATCHTOWER BIBLE AND TRACT SOCIETY OF NEW YORK, INC. Brooklyn, New York, U.S.A. ASSOCIA ¸C ˜ AO TORRE DE VIGIA DE B ´ IBLIAS E TRATADOS Rodovia SP-141, km 43, Ces ´ ario Lange, SP, 18285-901, Brasil Edi ¸c ˜ ao de 2012 Esta publica ¸c ˜ ao n ˜ ao ´ e vendida. Ela faz parte de uma obra educativa b ´ ıblica, mundial, mantida por donativos. A menos que haja outra indica ¸c ˜ ao, os textos b ´ ıblicos citados s ˜ ao da Tradu ¸c ˜ ao do Novo Mundo das Escrituras Sagradas com Refer ˆ encias. The Bible—What Is Its Message? Portuguese (Brazilian Edition) (bm-T) ISBN 978-85-7392-112-0 Made in Brazil Impresso no Brasil 1 O Criador d ´ a ao homem um para ´ ıso [p ´ agina 4] 2 O Para ´ ıso perdido [p ´ agina 5] 3 A humanidade sobrevive ao Dil ´ uvio [p ´ agina 6] 4 Deus faz um pacto com Abra ˜ ao [p ´ agina 7] 5 Deus aben ¸coa Abra ˜ ao e sua fam ´ ılia [p ´ agina 8] 6 J ´ o mant ´ em a integridade [p ´ agina 9] 7 Deus liberta os filhos de Israel [p ´ agina 10] 8 O povo de Israel entra em Cana ˜ a [p ´ agina 11] 9 Os israelitas pedem um rei [p ´ agina 12] 10 Salom ˜ ao governa com sabedoria [p ´ agina 13] 11 Can ¸c ˜ oes inspiradas que consolam e ensinam [p ´ agina 14] 12 Sabedoria divina para a vida di ´ aria [p ´ agina 15] 13 Reis bons e reis maus [p ´ agina 16] 14 Deus fala por meio de seus profetas [p ´ agina 17] 15 Um profeta no ex ´ ılio vislumbra o futuro [p ´ agina 18] 16 Chega o Messias [p ´ agina 19] 17 Jesus ensina a respeito do Reino de Deus [p ´ agina 20] 18 Jesus realiza milagres [p ´ agina 21] 19 Jesus faz uma profecia de longo alcance [p ´ agina 22] 20 Jesus Cristo ´ e morto [p ´ agina 23] 21 Jesus est ´ a vivo! [p ´ agina 24] 22 Os ap ´ ostolos pregam destemidamente [p ´ agina 25] 23 As boas novas se espalham [p ´ agina 26] 24 Paulo escreve ` as congrega ¸c ˜ oes [p ´ agina 27] 25 Conselhos sobre f ´ e, conduta e amor [p ´ agina 29] 26 Para ´ ıso recuperado! [p ´ agina 30] A B ´ ıbliaQ U A L ´ E A S U A M E N S A G E M ? S U M ´ A R I O Se ¸c ˜ ao Se ¸c ˜ ao
  3. 3. ANTES de pegar uma B ´ ıblia e come ¸car a l ˆ e-la, ser ´ a ´ util saber algo a respeito da composi ¸c ˜ ao b ´ asica desse livro. Tamb ´ em conhecida como Escrituras Sagra- das, a B ´ ıblia ´ e na realidade uma cole ¸c ˜ ao de 66 livros, ou se ¸c ˜ oes, que come ¸ca em G ˆ enesis e termina em Revela- ¸c ˜ ao, ou Apocalipse. Quem ´ e o autor da B ´ ıblia? Essa ´ e uma pergunta intri- gante. Na realidade, as Escrituras foram produzidas por uns 40 homens durante um per ´ ıodo de cerca de 1.600 anos. Notavelmente, esses homens n ˜ ao reivindi- caram para si a autoria da B ´ ıblia. Um dos escritores re- gistrou: “Toda a Escritura ´ e inspirada por Deus.” (2 Ti- m ´ oteo 3:16) Outro escritor disse: “Foi o esp ´ ırito de Jeov ´ a que falou por meu interm ´ edio, e a sua palavra es- tava na minha l ´ ıngua.” (2 Samuel 23:2) Assim, os escri- tores afirmaram que o Autor da B ´ ıblia ´ e Jeov ´ a Deus, o Supremo Governante do Universo. Esses escritores re- velam que Deus quer que os humanos o conhe ¸cam. Para entender a B ´ ıblia, por ´ em, algo mais ´ e necess ´ a- rio. As Escrituras t ˆ em um tema geral: a vindica ¸c ˜ ao do direito de Deus governar a humanidade por meio de seu Reino celestial. Nas p ´ aginas seguintes, voc ˆ e ver ´ a como esse ´ e um tema recorrente de G ˆ enesis a Revela- ¸c ˜ ao. Com isso em mente, considere agora a mensagem contida no livro mais conhecido do mundo, a B ´ ıblia. Por que examinar a B ´ ıblia? Voc ˆ e conhece bem a B ´ ıblia? Essa obra sem igual ´ e, de longe, o livro de maior circula ¸c ˜ ao da Hist ´ oria. Pessoas de todas as culturas reconhecem que sua mensagem ´ e fonte de consolo e esperan ¸ca e que seus conselhos s ˜ ao pr ´ aticos para a vida di ´ aria. No entanto, muitos hoje sabem pouco a respeito da B ´ ıblia. Seja voc ˆ e religioso ou n ˜ ao, talvez queira saber mais sobre ela. Esta brochura foi preparada para dar-lhe uma vis ˜ ao geral da B ´ ıblia. ˛ Ela foi escrita durante um per ´ ıodo de 1.610 anos, de 1513 AEC a 98 EC.1 ˛ Os primeiros 39 livros — na maior parte escritos em hebraico e alguns trechos em aramaico — s ˜ ao conhecidos como Escrituras Hebraicas, ou “VelhoTestamento”. ˛ Os ´ ultimos 27 livros — escritos em grego — s ˜ ao conhecidos como Escrituras Gregas Crist ˜ as, ou “Novo Testamento”. ˛ A B ´ ıblia ´ e dividida em cap ´ ıtulos e vers ´ ıculos. Por exemplo, Mateus 6:9, 10 refere-se ao cap ´ ıtulo 6 do livro de Mateus, vers ´ ıculos 9 e 10. 1 H ´ a v ´ arias formas de se caracterizar datas. Nesta brochura, EC significa “Era Comum” e AEC “Antes da Era Comum”. Voc ˆ e poder ´ a ver isso ilustrado na linha do tempo que aparece no p ´ e das p ´ aginas. FATOS ´ UTEIS A RESPEITO DA B ´ IBLIA 3
  4. 4. 4 ELAS t ˆ em sido chamadas de as palavras introdut ´ orias mais famosas j ´ a escri- tas. “No princ ´ ıpio Deus criou os c ´ eus e a terra.” (G ˆ enesis 1:1) Com essa simples e majestosa senten ¸ca, a B ´ ıblia nos apresen- ta a Pessoa que ´ e a figura central nas Escri- turas Sagradas — o Deus todo-podero- so, Jeov ´ a. O primeiro vers ´ ıculo da B ´ ıblia revela que Deus ´ e o Criador do vasto Universo, incluindo o planeta em que vivemos. Os vers ´ ıculos seguintes expli- cam que, numa s ´ erie de longos per ´ ıodos, simbolicamente chamados de dias, Deus preparou nosso lar terrestre e trouxe ` a exist ˆ encia todas as maravilhas do nosso mundo natural. A mais importante cria ¸c ˜ ao terrestre de Deus foi o homem — uma criatura feita ` a imagem de Deus, capaz de refletir as qua- lidades do pr ´ oprio Jeov ´ a, como seu amor e sua sabedoria. Deus fez o homem do p ´ o do solo. Ele chamou-o de Ad ˜ ao e colo- cou-o num para ´ ıso — o jardim do ´ Eden. O pr ´ oprio Deus plantou esse jardim, en- chendo-o com belas ´ arvores frut ´ ıferas. Deus viu a necessidade de o homem ter uma companheira. Usando uma das cos- telas de Ad ˜ ao, Deus fez uma mulher e a apresentou ao homem como sua esposa, mais tarde chamada Eva. Exultante, Ad ˜ ao disse poeticamente: “Esta, por fim, ´ e osso dos meus ossos e carne da minha carne.” Deus explicou: “Por isso ´ e que o homem deixar ´ a seu pai e sua m ˜ ae, e tem de se ape- gar ` a sua esposa, e eles t ˆ em de tornar-se uma s ´ o carne.” — G ˆ enesis 2:22-24; 3:20. Deus deu a Ad ˜ ao e Eva dois manda- mentos. Primeiro, disse-lhes que cultivas- sem seu lar terrestre e cuidassem dele e, com o tempo, o enchessem com sua des- cend ˆ encia. Segundo, disse que, naquele vasto jardim, de uma ´ unica ´ arvore eles n ˜ ao poderiam comer do seu fruto, ou seja, a “ ´ arvore do conhecimento do que ´ e bom e do que ´ e mau”. (G ˆ enesis 2:17) Se desobedecessem, morreriam. Com esses mandamentos, Deus ofereceu ao homem e ` a mulher uma maneira de provar que o aceitavam como Governante. Sua obe- di ˆ encia tamb ´ em demonstraria seu amor e gratid ˜ ao. Eles tinham todos os motivos para aceitar Seu dom ´ ınio bondoso. N ˜ ao havia falhas nesses humanos perfeitos. A B ´ ıblia diz: “Deus viu tudo o que tinha feito, e eis que era muito bom.” — G ˆ enesis 1:31. — Baseado em G ˆ enesis, cap ´ ıtulos 1 e 2. ˛ Como a B ´ ıblia descreve a cria ¸c ˜ ao dos humanos e de seu lar terrestre? ˛ Que tipo de vida Deus tornou poss ´ ıvel para o ho- mem e a mulher? ˛ Que mandamentos Deus deu ao primeiro casal humano? 1 O Criador d ´ a ao homem um para ´ ıso Deus cria o Universo e a vida na Terra; cria tamb ´ em um homem e uma mulher perfeitos, coloca-os num belo jardim e d ´ a-lhes certos mandamentos que devem ser obedecidos ˘ G ˆ enesis ˆ Exodo Lev ´ ıtico N ´ umeros Deuteron ˆ omio Josu ´ e Ju ´ ızes Rute 1 Samuel 2 Samuel 1 Reis 2 Reis 1 Cr ˆ onicas 2 Cr ˆ onicas Esdras Neemias Ester J ´ o Salmos Prov ´ erbios Eclesiastes C ˆ antico de Salom ˜ ao Isa ´ ıas Jeremias Lamenta ¸c ˜ oes Ezequiel Daniel Oseias Joel Am ´ os Obadias Jonas Miqueias Naum Habacuque Sofonias Ageu Zacarias Malaquias Mateus Marcos Lucas Jo ˜ ao Atos Romanos 1 Cor ´ ıntios 2 Cor ´ ıntios G ´ alatas Ef ´ esios Filipenses Colossenses 1 Tessalonicenses 2 Tessalonicenses 1 Tim ´ oteo 2 Tim ´ oteo Tito Fil ˆ emon Hebreus Tiago 1 Pedro 2 Pedro 1 Jo ˜ ao 2 Jo ˜ ao 3 Jo ˜ ao Judas Revela ¸c ˜ ao As Escrituras Sagradas usam v ´ arios t ´ ıtulos para se referir a Deus, tais como Criador e Deus Todo-Poderoso. Alguns t ´ ıtulos enfatizam os atributos de Deus, como sua santidade, seu poder, sua justi ¸ca, sua sabedoria e seu amor. No entanto, Deus tamb ´ em deu a si mesmo um nome pessoal inigual ´ avel — Jeov ´ a. Na B ´ ıblia, conforme escrito em suas l ´ ınguas originais, esse nome divino aparece umas 7 mil vezes, a primeira em G ˆ enesis 2:4. O nome Jeov ´ a significa “Ele Causa que Venha a Ser”. Isso ´ e consolador para n ´ os, pois significa que Deus pode executar qualquer prop ´ osito que tenha em mente e cumprir qualquer promessa que fa ¸ca. O NOME DIVINO “No princ ´ ıpio . . .” Cria ¸c ˜ ao de Ad ˜ ao 4026 AEC
  5. 5. Morte de Ad ˜ ao 3096 2500 AEC 5 BEM antes de criar os humanos, Deus criou muitas criaturas espirituais in- vis ´ ıveis — os anjos. No ´ Eden, um anjo re- belde, que se tornou conhecido como Satan ´ as, o Diabo, ardilosamente tentou persuadir Eva a comer do fruto da ´ unica ´ arvore que Deus lhes havia proibido. Usando uma serpente como porta-voz, Satan ´ as deu a entender que Deus estava retendo da mulher e de seu marido algo desej ´ avel. O anjo disse a Eva que ela e Ad ˜ ao n ˜ ao morreriam se comessem do fru- to proibido. Desse modo, Satan ´ as acusou Deus de mentir a Seus filhos humanos. O Enganador apresentou a desobedi ˆ encia a Deus como um caminho atraente que levaria ao esclarecimento e ` a liberdade. Mas era tudo mentira — de fato, a primei- ra mentira proferida na Terra. A verdadei- ra quest ˜ ao envolvia a soberania, ou gover- no supremo, de Deus, ou seja, se Deus tinha o direito de governar e se fazia isso com justi ¸ca e nos melhores interesses de seus s ´ uditos. Eva acreditou na mentira de Satan ´ as. Ela passou a desejar o fruto, chegando at ´ e mesmo a com ˆ e-lo. Mais tarde, ela deu o fruto a seu esposo e ele tamb ´ em o comeu. Desse modo, eles se tornaram pecadores. Esse ato, aparentemente simples, foi na realidade uma express ˜ ao de rebeli ˜ ao. Por escolherem de maneira proposital deso- bedecer ao mandamento de Deus, Ad ˜ ao e Eva rejeitaram o governo do Criador que lhes tinha dado tudo, at ´ e mesmo uma vida perfeita. Deus exigiu que os rebeldes se explicas- sem. Ele predisse a vinda do prometido Descendente, ou Libertador, que destrui- ria Satan ´ as, simbolizado pela serpente. Deus adiou temporariamente a execu- ¸c ˜ ao da senten ¸ca de morte contra Ad ˜ ao e Eva, mostrando assim mi- seric ´ ordia por sua descend ˆ encia ainda n ˜ ao nascida. Esses filhos teriam uma base para esperan- ¸ca por causa Daquele que Deus enviaria para desfazer as tr ´ agi- cas consequ ˆ encias da rebeli ˜ ao no´ Eden. Exatamente como se cumpriria o prop ´ osito de Deus a respeito desse futu- ro Salvador — e quem seria esse Envia- do — foi revelado aos poucos, ` a medida que a B ´ ıblia foi sendo escrita. Deus expulsou Ad ˜ ao e Eva do Para ´ ıso. Agora, seriam necess ´ arios suor e trabalho pesado para tirar o sustento do solo fora do jardim do ´ Eden. Em seguida, Eva ficou gr ´ avida e deu ` a luz Caim, o primeiro filho de Ad ˜ ao e Eva. O casal teve outros filhos e filhas, incluindo Abel e Sete, antepassado de No ´ e. — Baseado em G ˆ enesis, cap ´ ıtulos 3 a 5; Revela ¸c ˜ ao (Apocalipse) 12:9. ˛ Qual foi a primeira mentira e quem a disse? ˛ Como Ad ˜ ao e Eva perderam o Para ´ ıso? ˛ Quando Deus exigiu dos rebeldes uma explica- ¸c ˜ ao de suas a ¸c ˜ oes, que base para esperan ¸ca ele pro- veu? 2 O Para ´ ıso perdido Um anjo rebelde induz o primeiro casal, Ad ˜ ao e Eva, a rejeitar o governo de Deus. Com isso, o pecado e a morte entram no mundo O descendente “te machucar ´ a a cabe ¸ca e tu lhe machucar ´ as o calcanhar”. — G ˆ enesis 3:15 G ˆ enesis ˘ ˆ Exodo Lev ´ ıtico N ´ umeros Deuteron ˆ omio Josu ´ e Ju ´ ızes Rute 1 Samuel 2 Samuel 1 Reis 2 Reis 1 Cr ˆ onicas 2 Cr ˆ onicas Esdras Neemias Ester J ´ o Salmos Prov ´ erbios Eclesiastes C ˆ antico de Salom ˜ ao Isa ´ ıas Jeremias Lamenta ¸c ˜ oes Ezequiel Daniel Zacarias Malaquias Mateus Marcos Lucas Jo ˜ ao Atos Romanos 1 Cor ´ ıntios 2 Cor ´ ıntios G ´ alatas Ef ´ esios Filipenses Colossenses 1 Tessalonicenses 2 Tessalonicenses 1 Tim ´ oteo 2 Tim ´ oteo Tito Fil ˆ emon Hebreus Tiago 1 Pedro 2 Pedro 1 Jo ˜ ao 2 Jo ˜ ao 3 Jo ˜ ao Judas Revela ¸c ˜ ao Deus criou Ad ˜ ao e Eva perfeitos, com a perspectiva de vida eterna no Para ´ ıso. Quando se rebelaram contra Deus, eles pecaram. Desse modo, Ad ˜ ao e Eva perderam a perfei ¸c ˜ ao e cortaram seu relacionamento com a Fonte da vida, Jeov ´ a. A partir da ´ ı, eles e todos os seus descendentes imperfeitos n ˜ ao tinham como evitar o pecado e, por fim, a morte. — Romanos 5:12. IMPERFEI ¸C ˜ AO E MORTE
  6. 6. 2500 AEC Come ¸ca o Dil ´ uvio 2370 ` AMEDIDA que a humanidade se multi- plicava, o pecado e a perversidade se espalhavam rapidamente sobre a Terra. Um solit ´ ario profeta, chamado Enoque, avisou que um dia Deus destruiria os ´ ım- pios. Ainda assim, o mal prevaleceu e at ´ e mesmo piorou. Alguns anjos se rebelaram contra Jeov ´ a por deixarem seus lugares de- signados no c ´ eu, assumirem forma huma- na na Terra e gananciosamente tomarem mulheres como esposas. Essas uni ˜ oes des- naturais produziram uma descend ˆ encia h ´ ıbrida — gigantes amea ¸cadores chama- dos nefilins, que aumentaram a viol ˆ encia e o derramamento de sangue no mundo. Deus ficou muito magoado ao ver sua cria ¸c ˜ ao terrestre sendo arruinada. Ap ´ os a morte de Enoque, um homem se destacou naquele mundo perverso. Seu nome era No ´ e. Ele e sua fam ´ ılia faziam o que era certo aos olhos de Deus. Quando Deus decidiu destruir as pessoas m ´ as da- quele mundo, quis proteger No ´ e e a cria- ¸c ˜ ao animal da Terra. Assim, Deus disse a ele que constru ´ ısse uma arca — uma enor- me embarca ¸c ˜ ao retangular. Nela, No ´ e e sua fam ´ ılia seriam salvos, com numerosas esp ´ ecies animais, de um dil ´ uvio global. No ´ e obedeceu a Deus. Durante as d ´ ecadas que passou construindo a arca, No ´ e foi tamb ´ em um “pregador da justi ¸ca”. (2 Pe- dro 2:5) Ele avisou as pessoas a respeito do Dil ´ uvio que se aproximava, mas elas o ignoraram. Chegou o tempo para No ´ e e sua fam ´ ılia entrarem na arca com os ani- mais. Deus fechou a porta. A chuva come- ¸cou. Caiu um temporal por 40 dias e 40 noi- tes, inundando a Terra inteira. Os perver- sos morreram. Meses depois, com o recuo das ´ aguas, a arca acabou parando numa montanha. Quando os passageiros da arca puderam sair em seguran ¸ca, j ´ a haviam passado um ano dentro dela. Como agra- decimento, No ´ e apresentou uma oferta a Jeov ´ a. Este, por sua vez, lhe assegurou que nunca mais traria um dil ´ uvio para elimi- nar toda a vida na superf ´ ıcie da Terra. Jeov ´ a proveu o arco- ´ ıris como garantia vi- s ´ ıvel, um lembrete dessa promessa conso- ladora. Depois do Dil ´ uvio, Deus tamb ´ em deu ` a humanidade alguns mandamentos novos. Deu-lhes permiss ˜ ao para comer a carne de animais, mas proibiu-os de comer sangue. Ele tamb ´ em ordenou aos descendentes de No ´ e que se espalhassem pela Terra, mas al- guns deles desobedeceram a essa ordem. As pessoas se uniram sob um l ´ ıder chama- do Ninrode e come ¸caram a construir uma grande torre na cidade de Babel, mais tar- de chamada Babil ˆ onia. Seu objetivo era desafiar a ordem de Deus de espalhar-se pela Terra. Mas Deus frustrou os planos desses rebeldes por confundir a l ´ ıngua que falavam e fazer com que falassem em v ´ a- rias l ´ ınguas. Incapazes de se comunicar, eles abandonaram o projeto e se dispersa- ram. — Baseado em G ˆ enesis, cap ´ ıtulos 6 a 11; Judas 14, 15. ˛ Como a perversidade se espalhou pela Terra? ˛ Como No ´ e provou ser um homem fiel? ˛ Que proibi ¸c ˜ ao Deus estabeleceu para a humani- dade depois do Dil ´ uvio? 3 A humanidade sobrevive ao Dil ´ uvio Deus destr ´ oi um mundo perverso, mas preserva a No ´ e e sua fam ´ ılia ˘ G ˆ enesis ˆ Exodo Lev ´ ıtico N ´ umeros Deuteron ˆ omio Josu ´ e Ju ´ ızes Rute 1 Samuel 2 Samuel 1 Reis 2 Reis 1 Cr ˆ onicas 2 Cr ˆ onicas Esdras Neemias Ester J ´ o Salmos Prov ´ erbios Eclesiastes C ˆ antico de Salom ˜ ao Isa ´ ıas Jeremias Lamenta ¸c ˜ oes Ezequiel Daniel Oseias Joel Am ´ os Obadias Jonas Miqueias Naum Habacuque Sofonias Ageu Zacarias Malaquias Mateus Marcos Lucas Jo ˜ ao Atos Romanos 1 Cor ´ ıntios 2 Cor ´ ıntios G ´ alatas Ef ´ esios Filipenses Colossenses 1 Tessalonicenses 2 Tessalonicenses 1 Tim ´ oteo A maior parte dos descendentes de Ad ˜ ao e Eva rejeitou o dom ´ ınio de Jeov ´ a. Mas houve exce ¸c ˜ oes, come ¸cando com o filho fiel desse casal, Abel. Mais tarde, tanto Enoque como No ´ e foram mencionados como pessoas que andavam com Deus, significando que seguiram um proceder que agradava a Jeov ´ a. (G ˆ enesis 5:22; 6:9) Muitos relatos b ´ ıblicos se centralizam em homens e mulheres que tamb ´ em escolheram a Deus como Governante. ANDAR COM DEUS
  7. 7. Nasce Abra ˜ ao 2018 1943 Pacto abra ˆ amico 1800 AEC 7 HAVIAM se passado uns 350 anos desde o Dil ´ uvio dos dias de No ´ e. O patriarca Abra ˜ ao vivia na pr ´ ospera ci- dade de Ur, onde hoje ´ e o Iraque. Abra ˜ ao era um homem de not ´ avel f ´ e. Mas agora sua f ´ e seria testada. Jeov ´ a ordenou a Abra ˜ ao que deixasse sua terra natal e se mudasse para um pa ´ ıs estrangeiro, que veio a ser Cana ˜ a. Abra ˜ ao obedeceu sem hesita ¸c ˜ ao. Levou sua fa- m ´ ılia, incluindo sua esposa, Sara, e seu sobrinho L ´ o. Ap ´ os uma longa viagem, passou a morar em tendas em Cana ˜ a. Num pacto que fez com Abra ˜ ao, Jeov ´ a prometeu-lhe que iria fazer dele uma grande na ¸c ˜ ao, que todas as fam ´ ılias da Terra seriam aben ¸coadas por meio dele e que sua descend ˆ encia possuiria a terra de Cana ˜ a. Abra ˜ ao e L ´ o prosperaram, acumulan- do enormes rebanhos de ovelhas e gado. Generosamente, Abra ˜ ao deixou que L ´ o escolhesse o territ ´ orio que desejasse. L ´ o escolheu o f ´ ertil distrito do rio Jor- d ˜ ao e estabeleceu-se perto da cidade de Sodoma. Mas os homens de Sodoma eram imorais — grandes pecadores con- tra Jeov ´ a. Jeov ´ a Deus mais tarde assegurou a Abra ˜ ao que sua descend ˆ encia se torna- ria t ˜ ao numerosa como as estrelas do c ´ eu. Abra ˜ ao depositou f ´ e nessa promes- sa. Contudo, a amada esposa de Abra ˜ ao, Sara, continuava est ´ eril. Ent ˜ ao, quando Abra ˜ ao tinha 99 anos de idade e Sara quase 90, Deus disse a Abra ˜ ao que eles teriam um filho. De acordo com essa promessa, Sara deu ` a luz Isaque. Abra ˜ ao teve outros filhos, mas seria por meio de Isaque que viria o Libertador prometido no ´ Eden. Enquanto isso, L ´ o e sua fam ´ ılia mora- vam em Sodoma, mas o justo L ´ o n ˜ ao se tornou como os habitantes dessa cidade imoral. Quando Jeov ´ a decidiu executar o julgamento sobre Sodoma, ele enviou anjos para avisar L ´ o da iminente destrui- ¸c ˜ ao. Os anjos instaram com L ´ o e sua fa- m ´ ılia para fugir de Sodoma e n ˜ ao olhar para tr ´ as. Deus ent ˜ ao fez chover fogo e enxofre em Sodoma e na vizinha cidade perversa de Gomorra, destruindo todos os seus habitantes. L ´ o e suas duas filhas escaparam. Mas a esposa de L ´ o olhou para tr ´ as, talvez com anelo pelas coisas que havia deixado. Essa desobedi ˆ encia custou-lhe a vida. — Baseado em G ˆ enesis 11:10–19:38. ˛ Por que Abra ˜ ao se mudou para Cana ˜ a? ˛ Que pacto Jeov ´ a fez com Abra ˜ ao? ˛ Por que Jeov ´ a destruiu Sodoma e Gomorra? 4 Deus faz um pacto com Abra ˜ ao Abra ˜ ao obedece fielmente a Jeov ´ a, que lhe promete aben ¸coar e multiplicar sua descend ˆ encia G ˆ enesis ˘ ˆ Exodo Lev ´ ıtico N ´ umeros Deuteron ˆ omio Josu ´ e Ju ´ ızes Rute 1 Samuel 2 Samuel 1 Reis 2 Reis 1 Cr ˆ onicas 2 Cr ˆ onicas Esdras Neemias Ester J ´ o Salmos Prov ´ erbios Eclesiastes C ˆ antico de Salom ˜ ao Isa ´ ıas Jeremias Lamenta ¸c ˜ oes Ezequiel Daniel Oseias Joel Am ´ os Obadias Jonas Miqueias Naum Habacuque Sofonias Ageu Zacarias Malaquias Mateus Marcos Lucas Jo ˜ ao Atos Romanos 1 Cor ´ ıntios 2 Cor ´ ıntios G ´ alatas Ef ´ esios Filipenses Colossenses 1 Tessalonicenses 2 Tessalonicenses 1 Tim ´ oteo 2 Tim ´ oteo Tito Fil ˆ emon Hebreus Tiago 1 Pedro 2 Pedro 1 Jo ˜ ao 2 Jo ˜ ao 3 Jo ˜ ao Judas Revela ¸c ˜ ao Nos tempos b ´ ıblicos, um pacto era um contrato ou acordo formal. Por meio de uma s ´ erie de pactos, que correspondiam a promessas solenes, Jeov ´ a aos poucos revelou como seu prop ´ osito a respeito do Libertador prometido no ´ Eden se cumpriria. O pacto feito com Abra ˜ ao indicava que o Prometido viria por meio da linhagem de Abra ˜ ao. Pactos posteriores forneceriam mais esclarecimentos sobre quem seria esse Prometido. UM DEUS DE PACTOS
  8. 8. 1800 AEC Jos ´ e ´ e vendido como escravo 1750 8 JEOV ´ A sabia que seu querido Filho um dia teria de sofrer e morrer. A profecia regis- trada em G ˆ enesis 3:15 deu um ind ´ ıcio a res- peito desse fato. Poderia Deus fazer com que a humanidade entendesse claramente o grande custo que essa morte representa- ria para ele? A B ´ ıblia fornece uma v ´ ıvida ilustra ¸c ˜ ao. Deus pediu que Abra ˜ ao sacrifi- casse seu amado filho Isaque. Abra ˜ ao tinha grande f ´ e. Lembre-se, Deus havia prometido a ele que o predito Liber- tador, ou Descendente, descenderia de Isa- que. Confiando que Deus ressuscitaria Isa- que se fosse preciso, Abra ˜ ao estava prestes a obedientemente sacrificar seu pr ´ oprio fi- lho. Mas, na hora certa, um anjo de Deus impediu que Abra ˜ ao fizesse isso. Elogiando Abra ˜ ao por sua disposi ¸c ˜ ao de oferecer o que lhe era mais precioso, Deus repetiu Suas promessas a esse fiel patriarca. Mais tarde, Isaque teve dois filhos, Esa ´ u e Jac ´ o. Diferentemente de Esa ´ u, Jac ´ o aprecia- va as coisas espirituais e foi recompensado por isso. Deus mudou o nome de Jac ´ o para Israel, e os 12 filhos de Israel se tornaram os cabe ¸cas das tribos de Israel. Mas como essa fam ´ ılia se tornou uma grande na ¸c ˜ ao? Deu-se in ´ ıcio a uma s ´ erie de eventos quando a maioria desses filhos passou a ter ci ´ umes de seu irm ˜ ao Jos ´ e, que era mais novo do que eles. Eles venderam-no como escravo, e ele foi levado para o Egito. Mas Deus aben ¸coou esse jovem fiel e corajoso. Apesar de terr ´ ıvel sofrimento, por fim Jos ´ e foi escolhido por Fara ´ o, o governante do Egito, para um cargo de grande autoridade. Isso foi oportuno, pois uma severa fome fez com que Jac ´ o enviasse alguns de seus filhos ao Egito para comprar alimentos — e Jos ´ e ti- nha se tornado o respons ´ avel por todo o su- primento! Depois de uma dram ´ atica reu- ni ˜ ao com seus irm ˜ aos arrependidos, Jos ´ e perdoou-os e providenciou que sua fam ´ ılia inteira se mudasse para o Egito. Eles recebe- ram terras excelentes, onde podiam conti- nuar a crescer e prosperar. Jos ´ e compreen- deu que Deus havia direcionado os eventos dessa maneira para cumprir suas promes- sas. O idoso Jac ´ o viveu o resto de seus dias no Egito, cercado por sua crescente fam ´ ılia. No seu leito de morte, ele predisse que o pro- metido Descendente, ou Libertador, seria um poderoso Governante que nasceria na linhagem de seu filho Jud ´ a. Antes de sua pr ´ opria morte anos depois, Jos ´ e profetizou que um dia Deus tiraria a fam ´ ılia de Jac ´ o do Egito. — Baseado em G ˆ enesis, cap ´ ıtulos 20 a 50; Hebreus 11:17-22. ˛ O que Deus ordenou que Abra ˜ ao fizesse e, desse modo, o que Ele fez com que a humanidade enten- desse? ˛ Como Jos ´ e foi parar no Egito, e qual foi o resul- tado? ˛ O que Jac ´ o profetizou antes de morrer? 5 Deus aben ¸coa Abra ˜ ao e sua fam ´ ılia Os descendentes de Abra ˜ ao prosperam. Deus protege Jos ´ e no Egito ˘ G ˆ enesis ˆ Exodo Lev ´ ıtico N ´ umeros Deuteron ˆ omio Josu ´ e Ju ´ ızes Rute 1 Samuel 2 Samuel 1 Reis 2 Reis 1 Cr ˆ onicas 2 Cr ˆ onicas Esdras Neemias Ester J ´ o Salmos Prov ´ erbios Eclesiastes C ˆ antico de Salom ˜ ao Isa ´ ıas Jeremias Lamenta ¸c ˜ oes Ezequiel Daniel Oseias Joel Am ´ os Obadias Jonas Miqueias Naum Habacuque Sofonias Ageu Zacarias Malaquias Mateus Marcos Lucas Jo ˜ ao Atos Romanos 1 Cor ´ ıntios 2 Cor ´ ıntios G ´ alatas Ef ´ esios Filipenses Colossenses 1 Tessalonicenses 2 Tessalonicenses 1 Tim ´ oteo 2 Tim ´ oteo Tito Fil ˆ emon Hebreus Tiago 1 Pedro 2 Pedro 1 Jo ˜ ao 2 Jo ˜ ao 3 Jo ˜ ao Judas Revela ¸c ˜ ao
  9. 9. A prova ¸c ˜ ao de J ´ o antes de 1613 1600 AEC 9 SER ´ A que algum humano permanece- ria fiel a Deus se fosse provado at ´ e o limite e se a obedi ˆ encia n ˜ ao trouxesse aparentemente nenhum benef ´ ıcio mate- rial? Essa quest ˜ ao foi levantada — e resol- vida — no caso de um homem chama- do J ´ o. Quando os israelitas ainda estavam no Egito, J ´ o, um parente de Abra ˜ ao, vivia onde hoje ´ e a Ar ´ abia. Certa ocasi ˜ ao, os an- jos no c ´ eu estavam reunidos diante de Deus e o rebelde Satan ´ as estava entre eles. Nessa assembleia celestial, Jeov ´ a expres- sou sua confian ¸ca em seu leal servo J ´ o. De fato, Jeov ´ a disse que nenhum outro hu- mano era t ˜ ao ´ ıntegro como J ´ o. Mas Sata- n ´ as afirmou que J ´ o s ´ o servia a Deus por- que este o aben ¸coava e protegia. Afirmou ainda que, se lhe fosse tirado tudo o que possu ´ ıa, J ´ o amaldi ¸coaria a Deus. Deus permitiu que Satan ´ as tirasse pri- meiro os bens e os filhos de J ´ o e depois a sua sa ´ ude. Sem saber que era Satan ´ as quem estava por tr ´ as disso, J ´ o n ˜ ao com- preendia por que Deus permitia que lhe sobreviessem essas prova ¸c ˜ oes. Mesmo as- sim, ele nunca se voltou contra Deus. Tr ˆ es falsos amigos visitaram J ´ o. Numa s ´ erie de declara ¸c ˜ oes, que cobrem muitas p ´ aginas do livro de J ´ o, esses homens equi- vocadamente tentaram convencer J ´ o de que Deus o estava punindo por pecados secretos. Chegaram a afirmar que Deus n ˜ ao se agrada de seus servos nem con- fia neles. J ´ o rejeitou esse racioc ´ ınio erra- do. Confiante, declarou que permanece- ria ´ ıntegro at ´ e a morte! Mas J ´ o cometeu o erro de se preocupar demais com a sua pr ´ opria justifica ¸c ˜ ao. Um jovem chamado Eli ´ u, que havia ouvi- do todo o debate, passou a falar. Eli ´ u re- provou J ´ o por ter despercebido que a vin- dica ¸c ˜ ao da soberania de Jeov ´ a Deus ´ e muito mais importante do que a vindica- ¸c ˜ ao de qualquer humano. Al ´ em disso, repreendeu fortemente os falsos amigos de J ´ o. Em seguida, Jeov ´ a Deus falou a J ´ o, cor- rigindo o seu modo de pensar. Chaman- do aten ¸c ˜ ao para muitas maravilhas da cria ¸c ˜ ao, Jeov ´ a fez J ´ o entender a pequenez do homem em compara ¸c ˜ ao com a gran- deza de Deus. J ´ o aceitou humildemente a corre ¸c ˜ ao de Deus. Jeov ´ a, sendo ‘mui ter- no em afei ¸c ˜ ao e misericordioso’, restau- rou a sa ´ ude de J ´ o, deu-lhe em dobro a ri- queza que tinha antes e aben ¸coou-o com dez filhos. (Tiago 5:11) Por manter a inte- gridade a Jeov ´ a sob severas prova ¸c ˜ oes, J ´ o refutou a falsa acusa ¸c ˜ ao de Satan ´ as de que os humanos n ˜ ao permaneceriam fi ´ eis a Deus se fossem provados. — Baseado no livro de J ´ o. ˛ Que quest ˜ ao Satan ´ as levantou a respeito de J ´ o? ˛ O que resultou do fato de J ´ o ter mantido a inte- gridade a Jeov ´ a? 6 J ´ o mant ´ em a integridade Satan ´ as questiona a integridade de J ´ o perante Deus, mas J ´ o permanece fiel a Jeov ´ a G ˆ enesis ˆ Exodo Lev ´ ıtico N ´ umeros Deuteron ˆ omio Josu ´ e Ju ´ ızes Rute 1 Samuel 2 Samuel 1 Reis 2 Reis 1 Cr ˆ onicas 2 Cr ˆ onicas Esdras Neemias Ester J ´ o ˘ Salmos Prov ´ erbios Eclesiastes C ˆ antico de Salom ˜ ao Isa ´ ıas Jeremias Lamenta ¸c ˜ oes Ezequiel Daniel Oseias Joel Am ´ os Obadias Jonas Miqueias Naum Habacuque Sofonias Ageu Zacarias Malaquias Mateus Marcos Lucas Jo ˜ ao Atos Romanos 1 Cor ´ ıntios 2 Cor ´ ıntios G ´ alatas Ef ´ esios Filipenses Colossenses 1 Tessalonicenses 2 Tessalonicenses 1 Tim ´ oteo 2 Tim ´ oteo Tito Fil ˆ emon Hebreus Tiago 1 Pedro 2 Pedro 1 Jo ˜ ao 2 Jo ˜ ao 3 Jo ˜ ao Judas Revela ¸c ˜ ao Ao declarar que J ´ o, na ´ epoca o homem mais inculpe e temente a Deus na Terra, s ´ o servia a Jeov ´ a por raz ˜ oes ego ´ ıstas, Satan ´ as deu a entender que o mesmo se aplicaria a todas as criaturas inteligentes. Assim, Satan ´ as levantou a quest ˜ ao da integridade dos humanos a Jeov ´ a. Essa quest ˜ ao faz parte da quest ˜ ao principal que Satan ´ as levantou no ´ Eden, a saber, a justi ¸ca e a retid ˜ ao da soberania de Jeov ´ a. O livro de J ´ o mostra que as criaturas de Deus podem contribuir para a vindica ¸c ˜ ao da soberania de Jeov ´ a por se manterem ´ ıntegras a ele. AS QUEST ˜ OES VITAIS
  10. 10. 1600 AEC ˆ Exodo do Egito 1513 POR muitos anos, os filhos de Israel vi- veram no Egito, prosperando e se mul- tiplicando. No entanto, surgiu um novo Fara ´ o. Esse governante n ˜ ao conhecia Jos ´ e. Como tirano corrupto que temia o cres- cente n ´ umero dos israelitas, ele os trans- formou em escravos e ordenou que todos os meninos israelitas rec ´ em-nascidos fos- sem afogados no rio Nilo. Mas uma m ˜ ae corajosa protegeu seu beb ˆ e, escondendo-o numa cesta entre os juncos. A filha de Fa- ra ´ o descobriu o beb ˆ e, chamou-o de Mois ´ es e criou-o no meio da realeza eg ´ ıpcia. Quando tinha 40 anos, Mois ´ es se meteu em apuros ao defender um escravo israe- lita contra um capataz eg ´ ıpcio. Ele fu- giu para uma terra distante, onde viveu em ex ´ ılio. Quando Mois ´ es tinha 80 anos, Jeov ´ a enviou-o de volta ao Egito para com- parecer perante Fara ´ o e exigir a liberta ¸c ˜ ao do povo de Deus. Fara ´ o recusou firmemente. Em vista dis- so, Deus golpeou o Egito com dez pragas. Toda vez que Mois ´ es comparecia perante Fara ´ o para dar-lhe a oportunidade de evitar a pr ´ oxima praga, Fara ´ o se mostrava inso- lente, tratando a Mois ´ es e seu Deus, Jeov ´ a, com desprezo. Por fim, a d ´ ecima praga re- sultou na morte de todos os primog ˆ enitos do pa ´ ıs — exceto nas fam ´ ılias que obedece- ram a Jeov ´ a por marcar o batente das por- tas de suas casas com o sangue de um cordeiro sacrificado. O anjo de Deus encar- regado da destrui ¸c ˜ ao passou por alto essas casas. Os israelitas passaram a comemorar essa maravilhosa liberta ¸c ˜ ao por meio de uma celebra ¸c ˜ ao anual chamada P ´ ascoa. Tendo perdido seu pr ´ oprio primog ˆ enito, Fara ´ o ordenou que Mois ´ es e todos os israe- litas deixassem o Egito. Eles imediatamen- te organizaram o ˆ Exodo. Mas Fara ´ o mudou de ideia. Ele foi atr ´ as deles com muitos guerreiros e carros de guerra. Os israelitas pareciam estar encurralados na margem do mar Vermelho. Jeov ´ a partiu o mar Ver- melho, permitindo que os israelitas passas- sem atrav ´ es de um leito seco, entre paredes de ´ agua! Quando os eg ´ ıpcios avan ¸caram atr ´ as deles, Deus fez com que as ´ aguas de- sabassem, afogando Fara ´ o e seu ex ´ ercito. Mais tarde, quando os israelitas acampa- ram perto do monte Sinai, Jeov ´ a fez um pacto com eles. Usando Mois ´ es como me- diador, Deus deu a Israel leis que pro- viam orienta ¸c ˜ ao e prote ¸c ˜ ao em pratica- mente todos os aspectos da vida. Enquanto Israel aceitasse fielmente o governo divi- no, Jeov ´ a estaria com eles e faria dessa na- ¸c ˜ ao uma b ˆ en ¸c ˜ ao para outros povos. No entanto, a maioria dos israelitas mos- trou uma desapontadora falta de f ´ e em Deus. Portanto, Jeov ´ a fez aquela gera ¸c ˜ ao vagar no deserto por 40 anos. Ent ˜ ao, Moi- s ´ es encarregou o justo Josu ´ e para suced ˆ e- lo. Finalmente, Israel estava pronto para entrar na terra que Deus havia prometido a Abra ˜ ao. — Baseado em ˆ Exodo; Lev ´ ıtico; N ´ umeros; Deuteron ˆ o- mio; Salmo 136:10-15; Atos 7:17-36. ˛ Como Mois ´ es veio a ser usado por Deus para li- bertar Israel? ˛ Por que os israelitas celebravam a P ´ ascoa? ˛ Como Jeov ´ a libertou os israelitas da escravid ˜ ao no Egito? 7 Deus liberta os filhos de Israel Jeov ´ a golpeia o Egito com pragas e Mois ´ es conduz os filhos de Israel para fora do pa ´ ıs. Deus d ´ a a Lei a Israel por meio de Mois ´ es G ˆ enesis ˘ ˆ Exodo ˘ Lev ´ ıtico ˘ N ´ umeros ˘ Deuteron ˆ omio Josu ´ e Ju ´ ızes Rute 1 Samuel 2 Samuel 1 Reis 2 Reis 1 Cr ˆ onicas 2 Cr ˆ onicas Esdras Neemias Ester J ´ o Salmos Prov ´ erbios Eclesiastes C ˆ antico de Salom ˜ ao Isa ´ ıas Jeremias Lamenta ¸c ˜ oes Ezequiel Daniel Oseias Joel Am ´ os Obadias Jonas Miqueias Naum Habacuque Sofonias Ageu Zacarias Malaquias Mateus Marcos Lucas Jo ˜ ao Atos Romanos 1 Cor ´ ıntios 2 Cor ´ ıntios G ´ alatas Ef ´ esios Filipenses Colossenses 1 Tessalonicenses 2 Tessalonicenses 1 Tim ´ oteo Os Dez Mandamentos, registrados em ˆ Exodo 20:1-17, talvez sejam as mais conhecidas dentre as cerca de 600 leis que foram dadas por meio de Mois ´ es. No entanto, quando se perguntou a Jesus Cristo qual lei de Deus era a mais importante, ele indicou a seguinte: “Tens de amar a Jeov ´ a, teu Deus, de todo o teu cora ¸c ˜ ao, e de toda a tua alma, e de toda a tua mente, e de toda a tua for ¸ca.” — Marcos 12:28-30; Deuteron ˆ omio 6:5. O MAIOR MANDAMENTO DE TODOS
  11. 11. 1473 Israel entra em Cana ˜ a liderado por Josu ´ e 1467 Conclu ´ ıda a conquista da maior parte de Cana ˜ a 1200 AEC 11 S ´ ECULOS antes de Israel entrar em Ca- na ˜ a, Jeov ´ a prometeu essa terra aos descendentes de Abra ˜ ao. Agora, sob a li- deran ¸ca de Josu ´ e, os israelitas estavam prestes a tomar posse da Terra Prometida. Deus havia decidido que os cananeus mereciam a destrui ¸c ˜ ao. Eles haviam satu- rado o pa ´ ıs com pr ´ aticas sexuais extre- mamente degradantes e cruel derrama- mento de sangue. Por isso, as cidades cananeias conquistadas pelos israelitas deviam ser completamente destru ´ ıdas. Antes de o povo entrar no pa ´ ıs, no entanto, Josu ´ e enviou dois espias, que ficaram na cidade de Jeric ´ o com uma mulher chamada Raabe. Ela recebeu os espias em sua casa e protegeu-os, mesmo sabendo que eles eram israelitas. Raabe tinha f ´ e no Deus dos israelitas, tendo ou- vido falar sobre como Jeov ´ a, em v ´ arias ocasi ˜ oes, havia salvado o Seu povo. Ela fez os espias lhe prometerem que ela e sua fam ´ ılia seriam poupados. Mais tarde, quando os israelitas entra- ram em Cana ˜ a e atacaram Jeric ´ o, Jeov ´ a milagrosamente causou a queda das mu- ralhas da cidade. As tropas de Josu ´ e avan- ¸caram e destru ´ ıram a cidade, mas poupa- ram Raabe e sua fam ´ ılia. Ent ˜ ao, numa veloz campanha de seis anos, Josu ´ e con- quistou grandes por ¸c ˜ oes da Terra Prome- tida. Depois, a terra foi distribu ´ ıda entre as tribos de Israel. Perto do fim de sua longa carreira, Josu ´ e convocou o povo. Ele os relem- brou dos tratos de Jeov ´ a com seus an- tepassados e os encorajou a servir a Jeov ´ a. Depois que Josu ´ e e seus associados morreram, no entanto, os israelitas aban- donaram a Jeov ´ a para servir deuses fal- sos. Por cerca de 300 anos, a obedi ˆ encia deles ` as leis de Jeov ´ a era inconstante. Du- rante esse tempo, Jeov ´ a permitiu que os inimigos de Israel, tais como os filisteus, os oprimissem. Mas, quando os israelitas clamavam pela ajuda de Jeov ´ a, ele desig- nava ju ´ ızes — foram 12 ao todo — para salv ´ a-los. O per ´ ıodo dos ju ´ ızes, registrado no li- vro de Ju ´ ızes, come ¸cou com Otniel e ter- minou com Sans ˜ ao, o homem mais forte que j ´ a viveu. A verdade b ´ asica de- monstrada vez ap ´ os vez no emocio- nante registro no livro b ´ ıblico de Ju ´ ızes ´ e esta: a obedi ˆ encia a Jeov ´ a resulta em b ˆ en ¸c ˜ aos, a desobe- di ˆ encia resulta em calamidade. — Baseado em Josu ´ e; Ju ´ ızes; Lev ´ ıtico 18:24, 25. ˛ Por que Jeov ´ a poupou Raabe e sua fam ´ ılia? ˛ O que os israelitas fizeram de- pois da morte de Josu ´ e? ˛ Que verdade b ´ asica ´ e demons- trada no livro b ´ ıblico de Ju ´ ızes? 8 O povo de Israel entra em Cana ˜ a Josu ´ e lidera Israel na conquista de Cana ˜ a. Jeov ´ a habilita ju ´ ızes para libertar seu povo da opress ˜ ao G ˆ enesis ˆ Exodo Lev ´ ıtico N ´ umeros Deuteron ˆ omio Josu ´ e ˘ Ju ´ ızes ˘ Rute 1 Samuel 2 Samuel 1 Reis 2 Reis 1 Cr ˆ onicas 2 Cr ˆ onicas Esdras Neemias Ester J ´ o Salmos Prov ´ erbios Eclesiastes C ˆ antico de Salom ˜ ao Isa ´ ıas C A N A˜ A FEN´ ICIA F IL´ ISTIA Jeric ´ o Jerusal ´ em Entrada em Cana ˜ a Alcance inicial da conquista israelita
  12. 12. 1200 AEC Saul ´ e ungido rei 1117 12 DEPOIS dos dias de Sans ˜ ao, Samuel serviu como profeta e juiz em Is- rael. Os israelitas insistiam em lhe dizer que desejavam ser como outras na ¸c ˜ oes e ter um rei humano sobre eles. Embora esse pedido fosse uma afronta a Jeov ´ a, ele disse a Samuel que o atendesse. Deus se- lecionou um homem humilde chamado Saul para ser rei. Com o tempo, no entan- to, o Rei Saul tornou-se arrogante e de- sobediente. Jeov ´ a rejei- tou-o como rei e disse a Samuel para designar outro — um jovem cha- mado Davi. Contudo, le- varia anos at ´ e que Davi se tornasse rei. Provavelmente quan- do ainda era adolescente, Davi visitou seus irm ˜ aos que serviam no ex ´ ercito de Saul. O ex ´ ercito inteiro estava aterroriza- do com um guerreiro inimigo, um gigan- te chamado Golias, que insultava a eles e a seu Deus. Indignado, Davi aceitou o de- safio do gigante de lutar contra ele. Ar- mado com apenas uma funda e algumas pedras, o jovem foi ao encontro de seu oponente, de quase tr ˆ es metros de altura. Quando Golias zombou de Davi, este re- plicou que estava mais bem armado do que esse gigante, pois lutava em nome de Jeov ´ a Deus. Davi derrubou Golias com uma ´ unica pedra e, em seguida, cortou a cabe ¸ca dele com a pr ´ opria espada desse gigante. O ex ´ ercito filisteu fugiu aterrori- zado. Primeiro, Saul ficou impressionado com a coragem de Davi e o nomeou co- mandante de seu ex ´ ercito. Mas o sucesso de Davi provocou em Saul um ci ´ ume exagerado. Davi teve de fugir para salvar a vida e viver como fugitivo por anos. Apesar disso, Davi permaneceu leal ao rei que tentava mat ´ a-lo, raciocinando que o Rei Saul havia sido designado por Jeov ´ a Deus. Por fim, Saul morreu em batalha. Pouco tempo depois, Davi tornou-se rei, conforme Jeov ´ a havia prometido. Como rei, Davi desejava muito cons- truir um templo para Jeov ´ a. No entanto, Deus disse a Davi que um de seus descen- dentes faria isso. Esse descendente veio a ser seu filho Salom ˜ ao. N ˜ ao obstante, Deus recompensou Davi fazendo com ele um emocionante pacto: sua linha- gem produziria uma dinastia diferente de qualquer outra. Por fim, ela produziria o Libertador, ou Descendente, prometido no ´ Eden. Esse seria o Messias, que signifi- ca “Ungido”, designado por Deus. Jeov ´ a prometeu que o Messias seria o Gover- nante de um governo, ou Reino, que du- raria para sempre. Profundamente grato, Davi reuniu grande quantidade de materiais e metais preciosos para a constru ¸c ˜ ao do templo. Ele tamb ´ em comp ˆ os muitos salmos ins- pirados. Perto do fim de sua vida, Davi reconheceu: “Foi o esp ´ ırito de Jeov ´ a que falou por meu interm ´ edio, e a sua pala- vra estava na minha l ´ ıngua.” — 2 Samuel 23:2. — Baseado em 1 e 2 Samuel; 1 Cr ˆ onicas; Isa ´ ıas 9:7; Mateus 21:9; Lucas 1:32; Jo ˜ ao 7:42. ˛ Por que Jeov ´ a substituiu o Rei Saul por Davi? ˛ Que qualidades Davi demonstrou mesmo antes de se tornar rei? ˛ Quem ´ e o prometido Descendente, ou Liberta- dor, predito para vir da linhagem de Davi? 9 Os israelitas pedem um rei O primeiro rei de Israel, Saul, foi desobediente. Foi sucedido por Davi, com quem Deus fizera um pacto para um reino eterno “Eu hei de estabelecer firmemente o trono do seu reino por tempo indefinido.” — 2 Samuel 7:13 G ˆ enesis ˆ Exodo Lev ´ ıtico N ´ umeros Deuteron ˆ omio Josu ´ e Ju ´ ızes Rute ˘ 1 Samuel ˘ 2 Samuel 1 Reis 2 Reis ˘ 1 Cr ˆ onicas 2 Cr ˆ onicas Esdras Neemias Ester J ´ o Salmos Prov ´ erbios Eclesiastes C ˆ antico de Salom ˜ ao Isa ´ ıas Jeremias Ageu Zacarias Malaquias Mateus Marcos Lucas Jo ˜ ao Atos Romanos 1 Cor ´ ıntios 2 Cor ´ ıntios G ´ alatas Ef ´ esios Filipenses Colossenses 1 Tessalonicenses 2 Tessalonicenses 1 Tim ´ oteo 2 Tim ´ oteo Tito Fil ˆ emon Hebreus Tiago 1 Pedro 2 Pedro 1 Jo ˜ ao 2 Jo ˜ ao 3 Jo ˜ ao Judas Revela ¸c ˜ ao
  13. 13. 1070 Deus promete o Reino a Davi Salom ˜ ao torna-se rei 1037 1027 Terminado o templo em Jerusal ´ em cerca de 1020 Conclu ´ ıdo o C ˆ antico de Salom ˜ ao 1000 AEC COMO seria a vida se uma na ¸c ˜ ao in- teira e seu governante seguissem a Jeov ´ a como seu Soberano e obedecessem ` as Suas leis? A resposta foi demonstrada durante o reinado de 40 anos do Rei Sa- lom ˜ ao. Antes de morrer, Davi designou seu filho Salom ˜ ao como sucessor. Num sonho, Deus disse a Salom ˜ ao que fi- zesse um pedido. Salom ˜ ao pediu sabedo- ria e conhecimento para julgar o povo de modo justo e s ´ abio. Jeov ´ a se agra- dou disso e deu a Salom ˜ ao sabedoria e compreens ˜ ao. Al ´ em disso, prometeu-lhe riquezas, gl ´ oria e vida longa se ele per- manecesse obediente. Salom ˜ ao tornou-se famoso por seus julgamentos s ´ abios. Num caso, duas mu- lheres discutiam sobre um beb ˆ e, cada qual dizendo ser a m ˜ ae dele. Salom ˜ ao mandou cortar o beb ˆ e ao meio e dar a cada mulher uma metade. A primei- ra mulher concordou. Mas a verdadeira m ˜ ae contestou de imediato, dizendo que a crian ¸ca deveria ser dada ` a outra mu- lher. Salom ˜ ao viu ent ˜ ao claramente que a m ˜ ae verdadeira era a mulher compassi- va e deu o menino a ela. Todo o Israel logo ficou sabendo dessa decis ˜ ao judicial e o povo reconheceu que Salom ˜ ao tinha sabedoria divina. Uma das maiores realiza ¸c ˜ oes de Salo- m ˜ ao foi a constru ¸c ˜ ao do templo de Jeov ´ a — uma estrutura magn ´ ıfica em Jerusa- l ´ em que seria usada como centro de ado- ra ¸c ˜ ao em Israel. Na inaugura ¸c ˜ ao do tem- plo, Salom ˜ ao orou: “Os pr ´ oprios c ´ eus, sim, o c ´ eu dos c ´ eus, n ˜ ao te podem con- ter; quanto menos, ent ˜ ao, esta casa que constru ´ ı!” — 1 Reis 8:27. A reputa ¸c ˜ ao de Salom ˜ ao espalhou-se para outros pa ´ ıses, mesmo at ´ e a distante Sab ´ a, na Ar ´ abia. A rainha de Sab ´ a veio para ver o esplendor e a riqueza de Salo- m ˜ ao e para testar a profundeza de sua sa- bedoria. A rainha ficou t ˜ ao impressiona- da com a sabedoria de Salom ˜ ao e com a prosperidade de Israel que louvou a Jeov ´ a por ter colocado esse s ´ abio rei no trono. De fato, com a b ˆ en ¸c ˜ ao de Jeov ´ a, o governo de Salom ˜ ao foi o mais pr ´ ospero e pac ´ ıfico da hist ´ oria do Israel antigo. Infelizmente, com o tempo Salom ˜ ao deixou de agir em harmonia com a sa- bedoria de Jeov ´ a. Desobedecendo ` a or- dem de Deus, ele casou-se com cente- nas de mulheres, incluindo muitas que adoravam deuses estrangeiros. Essas es- posas, aos poucos, fizeram com que o cora ¸c ˜ ao de Salom ˜ ao se desviasse de Jeov ´ a para a adora ¸c ˜ ao de ´ ıdolos. Jeov ´ a disse a Salom ˜ ao que par- te do reino seria arran- cada dele. Somente uma parte permaneceria com a sua fam ´ ılia, disse Deus, por considera ¸c ˜ ao ao pai de Salom ˜ ao, Davi. Ape- sar do desvio de Salom ˜ ao, Jeov ´ a permaneceu leal ao pacto do Reino que fez com Davi. — Baseado em 1 Reis, cap ´ ıtulos 1 a 11; 2 Cr ˆ onicas, cap ´ ıtulos 1 a 9; Deuteron ˆ omio 17:17. ˛ O que Deus fez em resposta ao pedido de Salom ˜ ao? ˛ De que modo Salom ˜ ao de- monstrou sua sabedoria? ˛ Como Salom ˜ ao desviou-se dos caminhos de Jeov ´ a, e com que resultado? 10 Salom ˜ ao governa com sabedoria Jeov ´ a d ´ a ao Rei Salom ˜ ao um cora ¸c ˜ ao s ´ abio; durante seu reinado, os israelitas desfrutam de incompar ´ avel paz e prosperidade G ˆ enesis ˆ Exodo Lev ´ ıtico N ´ umeros Deuteron ˆ omio Josu ´ e Ju ´ ızes Rute 1 Samuel 2 Samuel 1 Reis ˘ 2 Reis 1 Cr ˆ onicas 2 Cr ˆ onicas ˘ Esdras Neemias Ester J ´ o Salmos Prov ´ erbios Eclesiastes C ˆ antico de Salom ˜ ao Isa ´ ıas Jeremias Lamenta ¸c ˜ oes Ezequiel Daniel Oseias Joel Am ´ os Obadias Jonas Miqueias Naum Habacuque Sofonias Ageu Zacarias
  14. 14. 1000 AEC 997 Israel ´ e dividido em dois reinos 14 OMAIOR livro da B ´ ıblia, Salmos, ´ e uma compila ¸c ˜ ao de can ¸c ˜ oes sagra- das que levou cerca de mil anos para ser conclu ´ ıda. Esse livro cont ´ em algumas das mais profundas e comoventes expres- s ˜ oes de f ´ e j ´ a escritas. Exprime uma ampla variedade de emo ¸c ˜ oes humanas: da ale- gria, louvor e agradecimento ` a tristeza, pesar e arrependimento. Fica evidente que os salmistas tinham uma rela ¸c ˜ ao de confian ¸ca e de achego com Deus. Consi- dere alguns temas desenvolvidos nessas obras l ´ ıricas. Jeov ´ a ´ e o Soberano leg ´ ıtimo, mere- cedor de adora ¸c ˜ ao e louvor. “Tu, cujo nome ´ e Jeov ´ a, somente tu ´ es o Alt ´ ıssi- mo sobre toda a terra”, lemos no Sal- mo 83:18. V ´ arios salmos louvam a Jeov ´ a por suas obras criativas, tais como os c ´ eus estrelados, as maravilhas da vida na Terra e do corpo humano. (Salmos 8, 19, 139, 148) Outros glorificam a Jeov ´ a como o Deus que age para salvar e proteger os que lhe s ˜ ao leais. (Salmos 18, 97,138) Ainda outros o exaltam como o Deus de justi ¸ca, que d ´ a al ´ ıvio aos opri- midos e pune os perversos. — Salmos 11, 68, 146. Jeov ´ a ajuda e consola os que o amam. Talvez o salmo mais famoso seja o 23, em que Davi descreve Jeov ´ a como Pastor amoroso que guia, protege e cuida de suas ovelhas. O Salmo 65:2 lembra aos adoradores de Deus que Jeov ´ a ´ e o “Ouvinte de ora ¸c ˜ ao”. Muitos que co- meteram uma transgress ˜ ao grave encon- tram grande consolo nos Salmos 39 e 51, onde Davi exprime com sincerida- de seu arrependimento por erros graves e expressa sua f ´ e no perd ˜ ao de Jeov ´ a. O Salmo 55:22 traz uma exorta ¸c ˜ ao para confiar em Jeov ´ a e para lan ¸car sobre ele todos os nossos fardos pessoais. Jeov ´ a mudar ´ a o mundo por meio do Reino do Messias. V ´ arias passagens nos Salmos se aplicam claramente ao Mes- sias, o predito Rei. O Salmo 2 profetiza que esse Governante destruir ´ a as perver- sas na ¸c ˜ oes, que se op ˜ oem a ele. O Sal- mo 72 revela que esse Rei acabar ´ a com a fome, a injusti ¸ca e a opress ˜ ao. De acordo com o Salmo 46:9, por meio do Reino messi ˆ anico, Deus acabar ´ a com a guerra e at ´ e mesmo destruir ´ a todas as armas de guerra. No Salmo 37, lemos que os maus ser ˜ ao eliminados e os justos viver ˜ ao na Terra para sempre, com paz global e har- monia. — Baseado no livro dos Salmos. ˛ Como os Salmos apoiam a justi ¸ca do governo de Jeov ´ a? ˛ Que salmos mostram como Deus ajuda e consola os que o amam? ˛ De acordo com o livro de Salmos, como Jeov ´ a mudar ´ a o mundo? 11 Can ¸c ˜ oes inspiradas que consolam e ensinam Davi e outros compuseram can ¸c ˜ oes para uso na adora ¸c ˜ ao. O livro de Salmos preserva a letra de 150 delas G ˆ enesis ˆ Exodo Lev ´ ıtico N ´ umeros Deuteron ˆ omio Josu ´ e Ju ´ ızes Rute 1 Samuel 2 Samuel 1 Reis 2 Reis 1 Cr ˆ onicas 2 Cr ˆ onicas Esdras Neemias Ester J ´ o ˘ Salmos Prov ´ erbios Eclesiastes ˘ C ˆ antico de Salom ˜ ao Isa ´ ıas Jeremias Lamenta ¸c ˜ oes Ezequiel Daniel Oseias Joel Am ´ os Obadias Jonas Miqueias Naum Habacuque Sofonias Ageu Zacarias Malaquias Mateus Marcos Lucas Jo ˜ ao Atos Romanos 1 Cor ´ ıntios 2 Cor ´ ıntios G ´ alatas Ef ´ esios Filipenses Colossenses 1 Tessalonicenses 2 Tessalonicenses 1 Tim ´ oteo 2 Tim ´ oteo Tito Fil ˆ emon Hebreus Tiago 1 Pedro 2 Pedro 1 Jo ˜ ao 2 Jo ˜ ao 3 Jo ˜ ao Judas Revela ¸c ˜ ao No C ˆ antico de Salom ˜ ao, o rei revela que at ´ e mesmo uma riqueza fabulosa n ˜ ao era garantia de que ele sempre poderia conseguir o que desejasse em mat ´ eria de amor. Ele registra sua tentativa de conquistar o cora ¸c ˜ ao de uma bela mo ¸ca que j ´ a estava apaixonada por um jovem pastor. Esse c ˆ antico inspirado mostra que mesmo pessoas que sentem forte atra ¸c ˜ ao f ´ ısica entre si podem resistir ` a tenta ¸c ˜ ao de agir de modo indigno. O jovem casal demonstra admir ´ avel autocontrole, castidade e lealdade. O C ˆ ANTICO DOS C ˆ ANTICOS
  15. 15. Conclu ´ ıda a compila ¸c ˜ ao de Prov ´ erbios cerca de 717 700 AEC ´ EJEOV ´ A um Governante s ´ abio? Uma maneira decisiva de responder a essa pergunta ´ e por considerar os conselhos que ele d ´ a. S ˜ ao pr ´ aticos? Ser ´ a que aplic ´ a- los torna a vida melhor ou mais significa- tiva? O s ´ abio Rei Salom ˜ ao escreveu cente- nas de prov ´ erbios. Eles fazem men ¸c ˜ ao de praticamente todos os assuntos da vida. Veja alguns exemplos. Confiar em Deus. A confian ¸ca ´ e fun- damental para ter uma boa rela ¸c ˜ ao com Jeov ´ a. Salom ˜ ao escreveu: “Confia em Jeov ´ a de todo o teu cora ¸c ˜ ao e n ˜ ao te estri- bes na tua pr ´ opria compreens ˜ ao. Nota-o em todos os teus caminhos, e ele mesmo endireitar ´ a as tuas veredas.” (Prov ´ erbios 3:5, 6) Confiar em Deus por buscar a sua orienta ¸c ˜ ao e obedec ˆ e-Lo acrescenta pro- fundo significado ` a vida. Agindo assim, um ser humano pode alegrar o cora ¸c ˜ ao de Jeov ´ a e fornecer-Lhe uma resposta ` as ques- t ˜ oes levantadas por Seu advers ´ ario, Sata- n ´ as. — Prov ´ erbios 27:11. Sabedoria nos tratos com outros. Os conselhos de Deus para maridos, esposas e filhos s ˜ ao hoje mais oportunos do que nunca. “Alegra-te com a esposa da tua mocidade”, Deus aconselha ao marido, instruindo-o a permanecer fiel ` a esposa. (Prov ´ erbios 5:18-20) Mulheres casadas en- contram no livro de Prov ´ erbios uma bri- lhante descri ¸c ˜ ao da esposa capaz que con- quista a admira ¸c ˜ ao do marido e dos filhos. (Prov ´ erbios, cap ´ ıtulo 31) E os filhos s ˜ ao orientados a obedecer aos pais. (Prov ´ er- bios 6:20) O livro mostra tamb ´ em que ter amizades ´ e vital e que o isolamento gera ego ´ ısmo. (Prov ´ erbios 18:1) Os amigos po- dem nos influenciar para o bem ou para o mal, de modo que devemos escolh ˆ e-los sa- biamente. — Prov ´ erbios 13:20; 17:17. Ser s ´ abio consigo mesmo. O livro de Prov ´ erbios cont ´ em conselhos inestim ´ a- veis sobre evitar o abuso de ´ alcool, desen- volver emo ¸c ˜ oes sadias e combater as des- trutivas, e ser um trabalhador diligente. (Prov ´ erbios 6:6; 14:30; 20:1) Alerta que ´ e desastroso confiar em conceitos humanos contr ´ arios aos de Deus. (Prov ´ erbios 14:12) Exorta a proteger o ´ ıntimo, o cora ¸c ˜ ao, contra as influ ˆ encias corrompedoras, lem- brando-nos de que “[do cora ¸c ˜ ao] proce- dem as fontes da vida”. — Prov ´ erbios 4:23. Milh ˜ oes de pessoas em todo o mundo descobriram que aplicar esses conselhos contribui para uma vida melhor. Por isso, t ˆ em amplas raz ˜ oes para aceitar a Jeov ´ a como Governante. — Baseado no livro de Prov ´ erbios. ˛ O que podemos aprender estudando o livro de Prov ´ erbios? ˛ Que orienta ¸c ˜ oes Prov ´ erbios oferece sobre confiar em Deus e lidar sabiamente com outros e consigo mesmo? 12 Sabedoria divina para a vida di ´ aria O livro de Prov ´ erbios ´ e uma compila ¸c ˜ ao de conselhos inspirados, feita na maior parte por Salom ˜ ao, que d ˜ ao orienta ¸c ˜ oes para a vida di ´ aria G ˆ enesis ˆ Exodo Lev ´ ıtico N ´ umeros Deuteron ˆ omio Josu ´ e Ju ´ ızes Rute 1 Samuel 2 Samuel 1 Reis 2 Reis 1 Cr ˆ onicas 2 Cr ˆ onicas Esdras Neemias Ester J ´ o Salmos Prov ´ erbios ˘ Eclesiastes ˘ C ˆ antico de Salom ˜ ao Isa ´ ıas Jeremias Lamenta ¸c ˜ oes Ezequiel Daniel Oseias Joel Am ´ os Obadias Jonas Miqueias Naum Habacuque Sofonias Ageu Zacarias Malaquias Mateus Marcos Como encontrar verdadeira satisfa ¸c ˜ ao e sentido na vida? Salom ˜ ao tinha tudo para encontrar a resposta. Com imensa riqueza, sabedoria e autoridade, ele podia descobrir se essas coisas lhe dariam um genu ´ ıno senso de realiza ¸c ˜ ao. Ele buscou os prazeres das coisas materiais, casou-se com muitas belas mulheres e desfrutou do melhor em mat ´ eria de divers ˜ ao. Realizou grandes constru ¸c ˜ oes. Explorou a sabedoria de escritos eruditos. O que descobriu? “Tudo ´ e vaidade”, ou futilidade, disse ele. Mas ele chegou a esta profunda constata ¸c ˜ ao: “A conclus ˜ ao do assunto, tudo tendo sido ouvido, ´ e: Teme o verdadeiro Deus e guarda os seus mandamentos. Pois esta ´ e toda a obriga ¸c ˜ ao do homem.” — Eclesiastes 12:8, 13. ECLESIASTES
  16. 16. 700 AEC Jerusal ´ em ´ e destru ´ ıda; come ¸ca o ex ´ ılio em Babil ˆ onia 607 ASSIM como Jeov ´ a havia predito, a na- ¸c ˜ ao de Israel foi dividida depois que Salom ˜ ao abandonou a adora ¸c ˜ ao pura. Seu filho e sucessor, Robo ˜ ao, era um tirano. Como rea ¸c ˜ ao, dez das tribos de Israel se re- voltaram e criaram o reino de Israel, no norte. Duas tribos permaneceram leais ao rei do “trono de Davi” em Jerusal ´ em, for- mando o reino de Jud ´ a, no sul. Os dois reinos tiveram uma hist ´ oria tu- multuada, em grande parte por causa de reis sem f ´ e e desobedientes. Israel teve mais dificuldades do que Jud ´ a, pois seus reis promoveram a adora ¸c ˜ ao falsa desde o in ´ ıcio. Apesar das obras poderosas realiza- das por profetas como Elias e Eliseu — que at ´ e mesmo ressuscitaram pessoas — Israel sempre reca ´ ıa no mau proceder. Por fim, Deus permitiu que o reino do norte fosse destru ´ ıdo pela Ass ´ ıria. Jud ´ a durou uns cem anos mais do que Israel, mas tamb ´ em sofreu a puni ¸c ˜ ao divi- na. Poucos reis de Jud ´ a acataram os avisos dos profetas de Deus e tentaram levar a na- ¸c ˜ ao de volta para Jeov ´ a. O Rei Josias, por exemplo, decidiu livrar Jud ´ a da adora ¸c ˜ ao falsa e restaurou o templo de Jeov ´ a. Quan- do foi encontrada uma c ´ opia bem antiga da Lei de Deus dada por meio de Mois ´ es, Josias ficou profundamente comovido, le- vando-o a intensificar sua campanha de re- forma. Infelizmente, os sucessores de Josias n ˜ ao seguiram o bom exemplo desse rei. De modo que Jeov ´ a permitiu que a na ¸c ˜ ao de Babil ˆ onia conquistasse Jud ´ a e destru ´ ısse Je- rusal ´ em e seu templo. Os sobreviventes fo- ram exilados em Babil ˆ onia. Deus predisse que esse ex ´ ılio duraria 70 anos. Jud ´ a ficou desabitada todo esse tempo — at ´ e que, como prometido, a na ¸c ˜ ao teve permiss ˜ ao de voltar para sua pr ´ opria terra. No entanto, nenhum outro rei da di- nastia de Davi governaria at ´ e o reinado do prometido Libertador, o predito Messias. A hist ´ oria da maioria dos reis que ocu- param o “trono de Davi” em Jerusal ´ em prova que humanos imperfeitos n ˜ ao s ˜ ao qualificados para governar. Apenas o Mes- sias estaria perfeitamente qualificado para isso. Assim, Jeov ´ a disse ao ´ ultimo desses reis dav ´ ıdicos: “Retira a coroa. . . . Certa- mente n ˜ ao vir ´ a a ser de ningu ´ em, at ´ e que venha aquele que tem o direito legal, e a ele ´ e que terei de d ´ a-lo.” — Ezequiel 21:26, 27. — Baseado em 1 e 2 Reis; 2 Cr ˆ onicas, cap ´ ıtulos 10 a 36; Jeremias 25:8-11. ˛ Como foi que Israel veio a ficar dividido, e o que aconteceu com os dois reinos resultantes? ˛ O que aconteceu com a dinastia de Davi, e por qu ˆ e? ˛ O que a hist ´ oria de Jonas nos ensina sobre Jeov ´ a? (Veja o quadro.) 13 Reis bons e reis maus Israel est ´ a dividido. Com o tempo, muitos reis governam os israelitas e a maioria deles ´ e infiel. Jerusal ´ em ´ e destru ´ ıda pelos babil ˆ onios G ˆ enesis ˆ Exodo Lev ´ ıtico N ´ umeros Deuteron ˆ omio Josu ´ e Ju ´ ızes Rute 1 Samuel 2 Samuel ˘ 1 Reis ˘ 2 Reis 1 Cr ˆ onicas ˘ 2 Cr ˆ onicas Esdras Neemias Ester J ´ o Salmos Prov ´ erbios Eclesiastes C ˆ antico de Salom ˜ ao Isa ´ ıas Jeremias Lamenta ¸c ˜ oes Ezequiel Daniel Oseias Joel Am ´ os Obadias ˘ Jonas Miqueias Naum Habacuque Sofonias Ageu Zacarias Malaquias Durante o per ´ ıodo em que o reino estava dividido, Deus incumbiu Jonas de pregar uma mensagem de aviso ao povo da violenta e distante cidade de N ´ ınive. Em vez de ir para N ´ ınive, por ´ em, Jonas embarcou num navio que ia na dire ¸c ˜ ao contr ´ aria. Isso levou a um milagre — Deus fez com que um enorme peixe engolisse Jonas. Dentro do peixe, ele orou a Jeov ´ a, que ent ˜ ao fez com que o peixe o vomitasse em terra firme. Da ´ ı, Jonas cumpriu a sua designa ¸c ˜ ao. Depois que Deus lhe ensinou essa li ¸c ˜ ao de obedi ˆ encia, surgiu um segundo problema: Jonas pregou aos ninivitas, mas ficou muito aborrecido quando Deus, por causa do arrependimento deles, mostrou-lhes miseric ´ ordia por compassivamente suspender a puni ¸c ˜ ao. Leia esse fascinante livro e veja como Deus realizou um segundo milagre para ensinar Jonas a ser mais compassivo. JONAS
  17. 17. 539 Ciro conquista Babil ˆ onia 537 Judeus exilados voltam a Jerusal ´ em 455 AECMuros de Jerusal ´ em reconstru ´ ıdos; come ¸cam as 69 semanas de anos 17 DURANTE o per ´ ıodo dos reis de Is- rael e de Jud ´ a, entrou em cena um grupo especial de homens — os profetas. Eram homens de extraordin ´ aria f ´ e e cora- gem que transmitiram os pronunciamen- tos de Deus. Considere quatro temas im- portantes apresentados por esses profetas de Deus. 1. A destrui ¸c ˜ ao de Jerusal ´ em. Com muita anteced ˆ encia, os profetas de Deus — Isa ´ ıas e Jeremias em especial — come ¸ca- ram a alertar que Jerusal ´ em seria destru ´ ı- da e abandonada. Em termos v ´ ıvidos, re- velaram por que a cidade havia incorrido na ira de Deus. A sua afirma ¸c ˜ ao de repre- sentar a Jeov ´ a foi desmentida por pr ´ ati- cas religiosas falsas, corrup ¸c ˜ ao e viol ˆ encia. — 2 Reis 21:10-15; Isa ´ ıas 3:1-8, 16-26; Jere- mias 2:1–3:13. 2. A restaura ¸c ˜ ao da adora ¸c ˜ ao pura. Depois de 70 anos no ex ´ ılio, o povo de Deus seria libertado de Babil ˆ onia. Eles vol- tariam para a sua desabitada terra de ori- gem e reconstruiriam o templo de Jeov ´ a em Jerusal ´ em. (Jeremias 46:27; Am ´ os 9:13-15) Com uns 200 anos de anteced ˆ en- cia, Isa ´ ıas predisse o nome do conquista- dor — Ciro — que derrotaria Babil ˆ onia e permitiria que o povo de Deus restaurasse a adora ¸c ˜ ao pura. Isa ´ ıas at ´ e mesmo deta- lhou a incomum estrat ´ egia de batalha de Ciro. — Isa ´ ıas 44:24–45:3. 3. A chegada do Messias e as expe- ri ˆ encias que viveria. O Messias nasce- ria na cidade de Bel ´ em. (Miqueias 5:2) Ele seria humilde, e entraria em Jeru- sal ´ em montado num jumento. (Zacarias 9:9) Embora fosse gentil e bondoso, seria impopular e muitos o rejeitariam. (Isa ´ ıas 42:1-3; 53:1, 3) Sofreria uma morte cruel. Seria esse o fim definitivo de sua vida? N ˜ ao, pois o seu sacrif ´ ıcio visava possibili- tar para muitos o perd ˜ ao de seus pecados. (Isa ´ ıas 53:4, 5, 9-12) Apenas a sua ressur- rei ¸c ˜ ao poderia realizar isso. 4. O reinado do Messias sobre a Ter- ra. Humanos imperfeitos s ˜ ao realmente incapazes de governar a si mesmos de modo pac ´ ıfico, mas o Rei messi ˆ anico seria chamado de Pr ´ ıncipe da Paz. (Isa ´ ıas 9:6, 7; Jeremias 10:23) Sob o seu governo, todos os humanos estariam em paz entre si e at ´ e mesmo com a cria ¸c ˜ ao animal. (Isa ´ ıas 11:3-7) As doen ¸cas deixariam de existir. (Isa ´ ıas 33:24) At ´ e mesmo a morte seria ‘tragada para sempre’. (Isa ´ ıas 25:8) Duran- te o reinado do Messias, pessoas falecidas seriam ressuscitadas para viver na Terra. — Daniel 12:13. — Baseado nos livros de Isa ´ ıas, Je- remias, Daniel, Am ´ os, Miqueias e Zacarias. ˛ Que tipo de mensagens trans- mitiram os profetas de Deus? ˛ Como os profetas predisseram a destrui ¸c ˜ ao de Jerusal ´ em e sua res- taura ¸c ˜ ao? ˛ O que os profetas de Jeov ´ a disse- ram a respeito do Messias e das coisas pelas quais ele passaria? ˛ Como os profetas descreveram o governo do Messias sobre a Terra? 14 Deus fala por meio de seus profetas Jeov ´ a designa profetas para transmitir mensagens sobre julgamento, adora ¸c ˜ ao pura e a esperan ¸ca messi ˆ anica G ˆ enesis ˆ Exodo Lev ´ ıtico N ´ umeros Deuteron ˆ omio Josu ´ e Ju ´ ızes Rute 1 Samuel 2 Samuel 1 Reis 2 Reis 1 Cr ˆ onicas 2 Cr ˆ onicas Esdras Neemias Ester J ´ o Salmos Prov ´ erbios Eclesiastes C ˆ antico de Salom ˜ ao Isa ´ ıas ˘ Jeremias ˘ Lamenta ¸c ˜ oes ˘ Ezequiel ˘ Daniel ˘ Oseias ˘ Joel ˘ Am ´ os ˘ Obadias ˘ Jonas ˘ Miqueias ˘ Naum ˘ Habacuque ˘ Sofonias ˘ Ageu ˘ Zacarias ˘ Malaquias ˘ Mateus Marcos Lucas Jo ˜ ao Atos Romanos 1 Cor ´ ıntios 2 Cor ´ ıntios G ´ alatas Ef ´ esios Filipenses Colossenses 1 Tessalonicenses 2 Tessalonicenses 1 Tim ´ oteo 2 Tim ´ oteo Tito Fil ˆ emon Hebreus Tiago 1 Pedro 2 Pedro 1 Jo ˜ ao 2 Jo ˜ ao 3 Jo ˜ ao Judas Revela ¸c ˜ ao
  18. 18. 455 AEC Depois de 443 AEC Malaquias conclui seu livro prof ´ etico Come ¸cam as 69 semanas de anos 18 DANIEL, um jovem de not ´ avel inte- gridade, foi levado ao ex ´ ılio em Ba- bil ˆ onia antes da destrui ¸c ˜ ao de Jerusal ´ em. Ele e mais alguns judeus — exilados do subjugado reino de Jud ´ a — receberam de seus captores certa medida de liberdade. Durante a sua longa vida em Babil ˆ onia, Daniel foi muito aben ¸coado por Deus, chegando at ´ e mesmo a escapar da morte numa cova de le ˜ oes e a receber vis ˜ oes que lhe permitiram vislumbrar o futuro bem distante. As profecias mais impor- tantes de Daniel focalizaram o Messias e Seu reinado. Daniel ´ e informado sobre quando viria o Messias. Daniel foi informado sobre quando o povo de Deus pode- ria esperar a chegada do “Messias, o L ´ ı- der”: 69 semanas de anos ap ´ os a emis- s ˜ ao da ordem de restaurar e reconstruir as muralhas de Jerusal ´ em. Uma semana normal tem sete dias; uma semana de anos tem sete anos. Essa ordem foi dada muito tempo depois dos dias de Da- niel, ou seja, em 455 AEC. A partir dessa data, as 69 “semanas” se estenderam por 483 anos, at ´ e o ano de 29 EC. Na pr ´ oxi- ma se ¸c ˜ ao desta publica ¸c ˜ ao veremos o que aconteceu naquele ano. Daniel predisse tamb ´ em que o Messias seria “decepado”, ou executado, para a expia ¸c ˜ ao de peca- dos. — Daniel 9:24-26. O Messias se tornaria Rei no c ´ eu. Numa rara vis ˜ ao do pr ´ oprio c ´ eu, Daniel viu o Messias, descrito como “algu ´ em se- melhante a um filho de homem”, apro- ximar-se do trono do pr ´ oprio Jeov ´ a. Este lhe concedeu ‘dom ´ ınio, dignidade e um reino’. Esse Reino seria eterno. Daniel soube de outro detalhe emocionante so- bre o Reino messi ˆ anico — o Rei com- partilharia seu governo com outros, um grupo identificado como “santos do Su- premo”. — Daniel 7:13, 14, 27. O Reino destruir ´ a os governos deste mundo. Deus capacitou Daniel a inter- pretar um sonho que intrigou Nabuco- donosor, rei de Babil ˆ onia. Nesse sonho, o rei viu uma enorme est ´ atua, que tinha cabe ¸ca de ouro, peito e bra ¸cos de prata, ventre e coxas de cobre, pernas de ferro e p ´ es de ferro misturado com argila. Uma pedra cortada de uma montanha atingiu os fr ´ ageis p ´ es e reduziu a est ´ atua a p ´ o. Da- niel explicou que as partes da est ´ atua representavam uma longa sucess ˜ ao de pot ˆ encias mundiais, come ¸cando com Ba- bil ˆ onia como a cabe ¸ca de ouro. Daniel predisse que, na ´ epoca da ´ ultima pot ˆ en- cia governante deste mundo perverso, o Reino de Deus agiria. Esmagaria todos os governos deste mundo. Da ´ ı governaria para sempre. — Daniel, cap ´ ıtulo 2. J ´ a bem idoso, Daniel viu a queda de Babil ˆ onia. O Rei Ciro subjugou a cida- de, exatamente como os profetas haviam predito. N ˜ ao muito tempo depois, bem na ´ epoca marcada, os judeus foram liber- tados do ex ´ ılio ap ´ os os preditos 70 anos de desola ¸c ˜ ao de sua terra de origem. Orientados por fi ´ eis governadores, sacer- dotes e profetas, os judeus com o tempo reconstru ´ ıram Jerusal ´ em e restauraram o templo de Jeov ´ a. Mas o que aconteceria no fim dos 483 anos? — Baseado no livro de Daniel. ˛ Que informa ¸c ˜ oes Daniel recebeu a respeito do Messias e do Reino de Deus? ˛ Como o Reino de Deus afetaria os governos deste mundo? 15 Um profeta no ex ´ ılio vislumbra o futuro Daniel profetiza a respeito do Reino de Deus e da vinda do Messias. Babil ˆ onia cai G ˆ enesis ˆ Exodo Lev ´ ıtico N ´ umeros Deuteron ˆ omio Josu ´ e Ju ´ ızes Rute 1 Samuel 2 Samuel 1 Reis 2 Reis 1 Cr ˆ onicas 2 Cr ˆ onicas ˘ Esdras ˘ Neemias Ester J ´ o Salmos Prov ´ erbios Eclesiastes C ˆ antico de Salom ˜ ao Isa ´ ıas Jeremias Lamenta ¸c ˜ oes Ezequiel ˘ Daniel Oseias Joel Am ´ os Obadias Jonas Miqueias Naum Habacuque Sofonias Ageu Zacarias Malaquias Mateus Marcos Lucas Jo ˜ ao Atos Romanos 1 Cor ´ ıntios 2 Cor ´ ıntios G ´ alatas Ef ´ esios Filipenses Colossenses 1 Tessalonicenses 2 Tessalonicenses 1 Tim ´ oteo 2 Tim ´ oteo Tito Fil ˆ emon Hebreus Tiago 1 Pedro 2 Pedro 1 Jo ˜ ao 2 Jo ˜ ao 3 Jo ˜ ao Judas Revela ¸c ˜ ao
  19. 19. Nascimento de Jesus cerca de 2 AEC 1 AEC 1 EC nota: N ˜ ao houve ano zero 29 EC Jesus ´ e batizado SER ´ A que Jeov ´ a ajudaria o povo a identi- ficar o prometido Messias? Sim. Con- sidere o que Deus fez. A escrita das Escri- turas Hebraicas j ´ a havia terminado uns quatro s ´ eculos antes. Numa cidade cha- mada Nazar ´ e, na regi ˜ ao norte da Gali- leia, uma jovem de nome Maria rece- beu uma visita muito surpreendente. Um anjo chamado Gabriel apareceu-lhe e dis- se que Deus usaria Sua for ¸ca ativa, Seu es- p ´ ırito santo, para fazer com que ela tives- se um filho, embora fosse virgem. Esse filho se tornaria o havia muito prometido Rei, que governaria para sempre. A crian- ¸ca seria Filho de Deus, cuja vida Deus transferiria do c ´ eu para o ventre de Maria. Maria humildemente aceitou essa es- pantosa designa ¸c ˜ ao. Seu noivo, um car- pinteiro chamado Jos ´ e, casou-se com ela depois que Deus enviou um anjo para ex- plicar-lhe a causa da gravidez de Ma- ria. Mas que dizer da profecia que dizia que o Messias nasceria em Bel ´ em? (Mi- queias 5:2) Essa pequena cidade ficava uns 140 quil ˆ ometros distante! Um governante romano decretou a rea- liza ¸c ˜ ao de um censo. Exigiu-se que as pes- soas se registrassem na sua cidade natal. Pelo visto, Jos ´ e e Maria tinham ra ´ ızes em Bel ´ em, de modo que Jos ´ e foi para l ´ a com a sua esposa gr ´ avida. (Lucas 2:3) Maria deu ` a luz num humilde est ´ abulo e deitou o beb ˆ e numa manjedoura. Da ´ ı, Deus en- viou uma multid ˜ ao de anjos para comu- nicar a um grupo de pastores na encosta de uma colina que o rec ´ em-nascido era o prometido Messias, ou Cristo. Mais tarde, outros tamb ´ em testifica- riam que Jesus era o prometido Messias. O profeta Isa ´ ıas havia predito que surgi- ria um homem para preparar o cami- nho para o trabalho vital do Messias. (Isa ´ ıas 40:3) Esse precursor foi Jo ˜ ao Batis- ta. Quando viu Jesus, ele exclamou: “Eis o Cordeiro de Deus, que tira o pecado do mundo!” Alguns dos disc ´ ıpulos de Jo ˜ ao logo seguiram a Jesus. Um deles dis- se: “Achamos o Messias.” — Jo ˜ ao 1:29, 36, 41. Houve ainda mais testemunho. Quan- do Jo ˜ ao batizou Jesus, o pr ´ oprio Jeov ´ a fa- lou do c ´ eu. Por meio do esp ´ ırito santo, ele designou Jesus como o Messias e dis- se: “Este ´ e meu Filho, o amado, a quem tenho aprovado.” (Mateus 3:16, 17) O h ´ a muito prometido Messias havia chegado! Quando foi que isso aconteceu? No ano de 29 EC, exatamente no fim dos 483 anos preditos por Daniel. Sim, isso ´ e parte da esmagadora evid ˆ encia de que Jesus ´ e o Messias, ou Cristo. Mas, que mensagem ele proclamaria durante a sua estada na Terra? — Baseado em Mateus, cap ´ ıtulos 1 a 3; Marcos, cap ´ ı- tulo 1; Lucas, cap ´ ıtulo 2; Jo ˜ ao, cap ´ ıtulo 1. ˛ Como Jeov ´ a usou anjos para identificar Jesus como o Messias? ˛ Como Deus usou Jo ˜ ao Batista para apontar Jesus como o Messias? ˛ Como o pr ´ oprio Jeov ´ a identificou seu Filho como o Messias? 16 Chega o Messias Jeov ´ a identifica Jesus de Nazar ´ e como o h ´ a muito prometido Messias G ˆ enesis ˆ Exodo Lev ´ ıtico N ´ umeros Deuteron ˆ omio Josu ´ e Ju ´ ızes Rute 1 Samuel 2 Samuel 1 Reis 2 Reis 1 Cr ˆ onicas 2 Cr ˆ onicas Esdras Neemias Ester J ´ o Salmos Prov ´ erbios Eclesiastes C ˆ antico de Salom ˜ ao Isa ´ ıas Jeremias Lamenta ¸c ˜ oes Ezequiel Daniel Oseias Joel Am ´ os Obadias Jonas Miqueias Naum Habacuque Sofonias Ageu Zacarias Malaquias Mateus ˘ Marcos ˘ Lucas ˘ Jo ˜ ao ˘ Atos Romanos 1 Cor ´ ıntios 2 Cor ´ ıntios G ´ alatas Ef ´ esios Filipenses Colossenses 1 Tessalonicenses Jeov ´ a ´ e o Pai de Jesus — mas n ˜ ao da mesma maneira que os homens s ˜ ao pais. Jesus n ˜ ao foi concebido por uma mulher — ele foi criado por Deus. De fato, foi a primeira pessoa que Jeov ´ a criou. (Colossenses 1:15-17) Visto que deu vida a Jesus por cri ´ a-lo, Jeov ´ a pode ser chamado de Pai de Jesus. Depois de cri ´ a-lo, Jeov ´ a usou esse Filho espiritual como “mestre de obras” para trazer ` a exist ˆ encia todas as outras coisas, incluindo o Universo. — Prov ´ erbios 8:30. FILHO DE DEUS EM QUE SENTIDO?
  20. 20. 29 EC Jesus come ¸ca a pregar o Reino de Deus Jesus escolhe seus 12 ap ´ ostolos; profere o Serm ˜ ao do Monte 31 20 QUAL era a miss ˜ ao de Jesus na Terra? Ele mesmo responde: “Tenho de de- clarar as boas novas do reino de Deus . . . , porque fui enviado para isso.” (Lucas 4:43) Considere quatro coisas que Jesus ensinou a respeito desse Reino, que era o tema central de sua prega ¸c ˜ ao. 1. Jesus foi designado Rei. Jesus disse sem rodeios que era o predito Messias. (Jo ˜ ao 4:25, 26) Ele mostrou tamb ´ em que era o Rei que o profeta Daniel havia observa- do em vis ˜ ao. Jesus disse aos seus ap ´ ostolos que um dia ele se sentaria num “glorioso trono” e que eles da mesma forma se sen- tariam em tronos. (Mateus 19:28) Ele se referiu a esse grupo de governantes como seu “pequeno rebanho”, e disse tamb ´ em que tinha “outras ovelhas”, que n ˜ ao faziam parte desse grupo. — Lucas 12:32; Jo ˜ ao 10:16. 2. O Reino de Deus promoveria a verdadeira justi ¸ca. Jesus indicou que o Reino acabaria com a maior das injusti- ¸cas por santificar, ou tornar santo, o nome de Jeov ´ a Deus e livr ´ a-lo de todo o vitup ´ erio que Satan ´ as tem lan ¸cado sobre ele desde a rebeli ˜ ao no ´ Eden. (Mateus 6:9, 10) Al ´ em disso, Jesus diariamente demonstrava imparcialidade por ensinar homens e mulheres, ricos e pobres, sem distin ¸c ˜ ao. Embora sua miss ˜ ao fosse ensi- nar em especial os israelitas, ele tamb ´ em ajudou samaritanos e gentios, ou n ˜ ao ju- deus. Ao contr ´ ario dos l ´ ıderes religiosos de seus dias, ele n ˜ ao demonstrou ne- nhum tra ¸co de preconceito ou favori- tismo. 3. O Reino de Deus n ˜ ao faria parte deste mundo. Jesus viveu num per ´ ıodo muito conturbado. Sua terra natal estava sob o dom ´ ınio de uma pot ˆ encia estrangei- ra. Mas ele resistiu ` a tentativa de certas pessoas de envolv ˆ e-lo nos assuntos pol ´ ıti- cos de seus dias. (Jo ˜ ao 6:14, 15) Ele disse a um pol ´ ıtico: “Meu reino n ˜ ao faz parte des- te mundo.” (Jo ˜ ao 18:36) A seus seguido- res, ele disse: “N ˜ ao fazeis parte do mun- do.” (Jo ˜ ao 15:19) Ele n ˜ ao permitiria que usassem armas de guerra, nem mesmo para defend ˆ e-lo. — Mateus 26:51, 52. 4. O governo de Cristo seria baseado no amor. Jesus prometeu revigorar as pessoas, aliviar os seus fardos. (Mateus 11:28-30) Ele cumpriu a sua palavra. Deu conselhos amorosos e pr ´ aticos sobre li- dar com a ansiedade, melhorar relacio- namentos, combater o materialismo e encontrar a felicidade. (Mateus, cap ´ ıtu- los 5-7) Por ser amoroso, pessoas de todas as classes sociais o achavam acess ´ ıvel. At ´ e mesmo os mais oprimidos aflu ´ ıam a ele na certeza de que seriam tratados com bondade e dignidade. Que maravilhoso Governante Jesus ser ´ a! Jesus ensinou a respeito do Reino de Deus de ainda outra maneira muito po- derosa — realizando muitos milagres. Por que fez isso? Vejamos. — Baseado nos livros de Mateus, Marcos, Lucas e Jo ˜ ao. ˛ De que modo Jesus ensinou que ele era o Rei mes- si ˆ anico? ˛ De que maneiras Jesus mostrou que governaria com justi ¸ca? ˛ Como Jesus deixou claro que o seu Reino n ˜ ao fa- ria parte deste mundo? ˛ Como Jesus mostrou que seu governo seria basea- do no amor? 17 Jesus ensina a respeito do Reino de Deus Jesus ensina muitas coisas a seus disc ´ ıpulos, mas focaliza um s ´ o tema — o Reino de Deus “Ele viajava . . . de aldeia em aldeia, pregando e declarando as boas novas do reino de Deus.” — Lucas 8:1 G ˆ enesis ˆ Exodo Lev ´ ıtico N ´ umeros Deuteron ˆ omio Josu ´ e Ju ´ ızes Rute 1 Samuel 2 Samuel 1 Reis 2 Reis 1 Cr ˆ onicas 2 Cr ˆ onicas Esdras Neemias Ester J ´ o Salmos Miqueias Naum Habacuque Sofonias Ageu Zacarias Malaquias ˘ Mateus ˘ Marcos ˘ Lucas ˘ Jo ˜ ao Atos Romanos 1 Cor ´ ıntios 2 Cor ´ ıntios G ´ alatas Ef ´ esios Filipenses Colossenses 1 Tessalonicenses 2 Tessalonicenses 1 Tim ´ oteo 2 Tim ´ oteo Tito Fil ˆ emon Hebreus Tiago 1 Pedro 2 Pedro 1 Jo ˜ ao 2 Jo ˜ ao 3 Jo ˜ ao Judas Revela ¸c ˜ ao
  21. 21. 32 Jesus ressuscita L ´ azaro 1.° de nis ˜ a, 33 EC 21 DEUS capacitou Jesus para realizar coi- sas que outros humanos n ˜ ao pode- riam realizar. Jesus fez muitos milagres — muitas vezes diante de um grande n ´ u- mero de testemunhas oculares. Esses mi- lagres demonstraram que Jesus tem poder sobre inimigos e obst ´ aculos que huma- nos imperfeitos jamais puderam comba- ter com ˆ exito. Veja alguns exemplos. Fome. O primeiro milagre de Jesus foi transformar ´ agua em vinho excelente. Em outras duas ocasi ˜ oes, ele alimentou mi- lhares de famintos com apenas alguns p ˜ aes e alguns peixes. Nos dois casos, at ´ e sobrou comida. Doen ¸cas. Jesus curou portadores de ‘toda sorte de mol ´ estias e enfermidades’. (Mateus 4:23) Curou cegos, surdos, lepro- sos, epil ´ epticos, aleijados e inv ´ alidos em geral. N ˜ ao havia doen ¸ca ou mal que ele n ˜ ao pudesse curar. Perigosas condi ¸c ˜ oes clim ´ aticas. Cer- ta vez, quando Jesus e seus disc ´ ıpulos na- vegavam no mar da Galileia, irrompeu uma violenta tempestade. Os disc ´ ıpulos ficaram apavorados. Jesus simplesmente olhou para a tempestade e disse: “Sil ˆ en- cio! Cala-te!” Imediatamente, instalou-se uma grande calmaria. (Marcos 4:37-39) Noutra ocasi ˜ ao, ele caminhou sobre a ´ agua durante uma tempestade assustado- ra. — Mateus 14:24-33. Esp ´ ıritos maus. Os esp ´ ıritos maus s ˜ ao bem mais fortes que os humanos. Muitas pessoas n ˜ ao conseguem livrar-se das gar- ras desses malignos inimigos de Deus. Contudo, vez ap ´ os vez, quando Jesus or- denou que tais esp ´ ıritos sa ´ ıssem, ele aca- bou com o dom ´ ınio desses esp ´ ıritos sobre as suas v ´ ıtimas. Ele n ˜ ao temia esses esp ´ ı- ritos. Ao contr ´ ario, os esp ´ ıritos conhe- ciam a sua autoridade e o temiam. Morte. Apropriada- mente chamada de “ ´ ulti- mo inimigo”, a morte ´ e um inimigo que nenhum humano pode derrotar. (1 Cor ´ ıntios 15:26) Mas Jesus ressuscitou pessoas. Ele restaurou a vida do jo- vem filho de uma vi ´ uva e a de uma menina cujos pais choravam a sua mor- te. Como exemplo mais not ´ avel, Jesus ressuscitou seu querido amigo L ´ azaro ` a vista de uma multid ˜ ao de enlutados, embora este j ´ a es- tivesse morto por quase quatro dias! At ´ e mesmo os inimigos mais ferrenhos de Je- sus reconheceram esse milagre. — Jo ˜ ao 11:38-48; 12:9-11. Por que Jesus realizou esses milagres? Afinal, a morte por fim n ˜ ao reivindicou a vida de todos esses a quem ele havia aju- dado? Sim, mas os milagres de Jesus tive- ram um efeito duradouro. Eles provaram que todas as emocionantes profecias so- bre o Rei messi ˆ anico tinham fundamento. N ˜ ao h ´ a motivo para duvidar que o Rei de- signado por Deus possa acabar com a fome, as doen ¸cas, as perigosas condi ¸c ˜ oes clim ´ aticas, os esp ´ ıritos maus ou a pr ´ opria morte. Ele j ´ a demonstrou que Deus lhe concedeu todo esse poder. — Baseado nos livros de Mateus, Marcos, Lucas e Jo ˜ ao. ˛ Como Jesus demonstrou seu poder com rela ¸c ˜ ao ` a fome? ` as doen ¸cas? ` as perigosas condi ¸c ˜ oes clim ´ ati- cas? aos esp ´ ıritos maus? ` a morte? ˛ O que os milagres de Jesus indicam a respeito de seu futuro governo sobre a Terra? 18 Jesus realiza milagres Por meio de seus milagres, Jesus demonstrou como usar ´ a seu poder qual Rei G ˆ enesis ˆ Exodo Lev ´ ıtico N ´ umeros Deuteron ˆ omio Josu ´ e Ju ´ ızes Rute Jonas Miqueias Naum Habacuque Sofonias Ageu Zacarias Malaquias Mateus ˘ Marcos ˘ Lucas ˘ Jo ˜ ao ˘ Atos Romanos 1 Cor ´ ıntios 2 Cor ´ ıntios G ´ alatas Ef ´ esios Filipenses Colossenses 1 Tessalonicenses 2 Tessalonicenses 1 Tim ´ oteo 2 Tim ´ oteo Tito Fil ˆ emon Hebreus Tiago 1 Pedro 2 Pedro 1 Jo ˜ ao 2 Jo ˜ ao 3 Jo ˜ ao Judas Revela ¸c ˜ ao
  22. 22. 1.° de nis ˜ a, 33 EC (Nis ˜ a corresponde a parte de mar ¸co e parte de abril.) Jesus ´ e pregado na estaca 14 de nis ˜ a 16 de nis ˜ a Jesus ´ e ressuscitado 22 NO MONTE DAS OLIVEIRAS, com uma excelente vis ˜ ao de Jerusal ´ em e de seu templo, quatro ap ´ ostolos de Jesus lhe perguntaram, em particular, a respeito de algumas de suas declara ¸c ˜ oes. Jesus acaba- ra de dizer que o templo em Jerusal ´ em se- ria destru ´ ıdo. E, numa ocasi ˜ ao anterior, ele lhes falara sobre a “termina ¸c ˜ ao do sis- tema de coisas”. (Mateus 13:40, 49) Agora os ap ´ ostolos perguntaram: “Qual ser ´ a o si- nal da tua presen ¸ca e da termina ¸c ˜ ao do sistema de coisas?” — Mateus 24:3. Na sua resposta, Jesus disse o que acon- teceria antes da destrui ¸c ˜ ao de Jerusal ´ em. Mas suas palavras tinham um alcance muito maior. A sua profecia teria mais tar- de um cumprimento em escala mundial. Jesus profetizou a respeito de uma com- bina ¸c ˜ ao de acontecimentos e condi ¸c ˜ oes mundiais que comporiam um sinal. Esse sinal indicaria aos habitantes da Terra que a “presen ¸ca” de Jesus como Rei no c ´ eu ha- via come ¸cado. Em outras palavras, o sinal indicaria que Jeov ´ a Deus havia constitu ´ ı- do Jesus como Rei do havia muito prome- tido Reino messi ˆ anico. O sinal significaria que o Reino estaria prestes a eliminar a perversidade e trazer verdadeira paz para a humanidade. Assim, as coisas que Jesus predisse marcariam os ´ ultimos dias do ve- lho “sistema de coisas” — os sistemas reli- giosos, pol ´ ıticos e sociais que agora exis- tem — e o come ¸co de um novo sistema mundial. Explicando o que ocorreria na Terra du- rante a sua presen ¸ca como Rei no c ´ eu, Jesus disse que haveria guerras interna- cionais, escassez de alimentos, grandes terremotos e epidemias. A viola ¸c ˜ ao das leis aumentaria. Os genu ´ ınos disc ´ ıpulos de Jesus pregariam as boas novas do Reino de Deus em toda a Terra. Tudo isso culmi- naria numa “grande tribula ¸c ˜ ao” sem pre- cedentes. — Mateus 24:21. Como os seguidores de Jesus sabe- riam que essa tribula ¸c ˜ ao estaria pr ´ oxima? ‘Aprendei da figueira’, disse Jesus. (Mateus 24:32) O aparecimento de folhas nos ra- mos da figueira ´ e um sinal vis ´ ıvel da proximidade do ver ˜ ao. Assim tamb ´ em, a ocorr ˆ encia — dentro de um determinado per ´ ıodo — de todas as coisas que Jesus pre- disse seria um sinal inconfund ´ ıvel de que o fim estaria pr ´ oximo. Somente o Pai sa- bia o dia e a hora exatos do come ¸co da grande tribula ¸c ˜ ao. Por conseguinte, Jesus exortou seus disc ´ ıpulos: “Mantende-vos despertos, pois n ˜ ao sabeis quando ´ e o tempo designado.” — Marcos 13:33. — Baseado em Mateus, cap ´ ıtulos 24 e 25; Marcos, cap ´ ıtulo 13; Lucas, cap ´ ıtulo 21. ˛ Os ap ´ ostolos de Jesus queriam mais informa ¸c ˜ oes a respeito de qu ˆ e? ˛ Qual ´ e o significado do sinal que Jesus deu, e quais seriam os componentes desse sinal? ˛ Que conselho Jesus deu aos seus disc ´ ıpulos? 19 Jesus faz uma profecia de longo alcance Jesus delineia aspectos que marcar ˜ ao a sua presen ¸ca como Rei entronizado e a termina ¸c ˜ ao deste sistema mundial G ˆ enesis ˆ Exodo Lev ´ ıtico N ´ umeros Deuteron ˆ omio Josu ´ e Ju ´ ızes Rute 1 Samuel 2 Samuel 1 Reis 2 Reis 1 Cr ˆ onicas 2 Cr ˆ onicas Esdras Neemias Ester J ´ o Salmos Prov ´ erbios Eclesiastes C ˆ antico de Salom ˜ ao Isa ´ ıas Jeremias Lamenta ¸c ˜ oes Ezequiel Daniel Oseias Joel Am ´ os Obadias Jonas Miqueias Naum Habacuque Sofonias Ageu Zacarias Malaquias ˘ Mateus ˘ Marcos ˘ Lucas Jo ˜ ao Jesus predisse um sinal que indicaria quando estaria pr ´ oximo o tempo para destruir o atual sistema mundial corrupto. Desde a Primeira Guerra Mundial, a humanidade tem testemunhado o que Jesus profetizou. Acontecimentos religiosos, pol ´ ıticos e sociais pelo mundo afora est ˜ ao r ´ apida e inevitavelmente levando ao fim deste sistema mundial. Jesus ensinou a seus seguidores que, para sobreviver, eles teriam de ‘se manter despertos’ e agir de modo decisivo para se colocarem do lado de Deus na quest ˜ ao da soberania.1 — Lucas 21:36; Mateus 24:3-14. 1 Para mais informa ¸c ˜ oes sobre a profecia de Jesus, veja as p ´ a- ginas 86-95 do livro O Que a B ´ ıblia Realmente Ensina?, publicado pelas Testemunhas de Jeov ´ a. O SINAL DA PRESEN ¸CA DE CRISTO
  23. 23. 30 de nis ˜ a, 33 EC AP ´ OS tr ˆ es anos e meio de prega ¸c ˜ ao e ensino, Jesus sabia que seu tem- po na Terra estava se esgotando. Os l ´ ıderes religiosos judaicos conspiravam para mat ´ a-lo, mas temiam uma revolta do povo, que o considerava um profeta. Enquanto isso, Satan ´ as induziu um dos 12 ap ´ ostolos de Jesus — Judas Iscario- tes — a se tornar traidor. Os l ´ ıderes reli- giosos ofereceram-lhe 30 moedas de pra- ta para trair Jesus. Na sua ´ ultima noite, Jesus reuniu-se com os ap ´ ostolos para celebrar a P ´ ascoa. Depois de dispensar Judas, ele instituiu uma nova celebra ¸c ˜ ao: a Refei ¸c ˜ ao Notur- na do Senhor. Ele tomou um p ˜ ao, fez uma ora ¸c ˜ ao e o distribuiu aos 11 ap ´ osto- los remanescentes. “Isto significa meu corpo que h ´ a de ser dado em vosso bene- f ´ ıcio”, disse ele. “Persisti em fazer isso em mem ´ oria de mim.” Ele fez o mesmo com um copo de vinho, dizendo: “Este copo significa o novo pacto em virtude do meu sangue.” — Lucas 22:19, 20. Jesus tinha muito a dizer aos seus ap ´ os- tolos naquela noite. Ele lhes deu um novo mandamento — que deviam mos- trar amor altru ´ ısta uns aos outros. Ele dis- se: “Por meio disso saber ˜ ao todos que sois meus disc ´ ıpulos, se tiverdes amor entre v ´ os.” (Jo ˜ ao 13:34, 35) Ele instou-os a n ˜ ao deixar seus cora ¸c ˜ oes ficarem agita- dos pelos tr ´ agicos eventos que logo ocor- reriam. Jesus orou fervorosamente em fa- vor deles. Eles cantaram louvores juntos e sa ´ ıram. No jardim de Gets ˆ emani, Jesus se ajoe- lhou e, orando, abriu seu cora ¸c ˜ ao. Logo, uma multid ˜ ao armada composta de sol- dados, sacerdotes e outros chegou para prend ˆ e-lo. Judas aproximou-se e indicou- lhes quem era Jesus por dar-lhe um beijo. Quando os soldados amarraram Jesus, os ap ´ ostolos fugiram. Perante a suprema corte judaica, Jesus se identificou como Filho de Deus. A cor- te considerou-o culpado de blasf ˆ emia e sujeito ` a pena de morte. Da ´ ı, Jesus foi levado ao governador romano P ˆ oncio Pilatos, que, embora o considerasse to- talmente inocente, entregou Jesus ` a mul- tid ˜ ao que clamava por sua morte. Jesus foi levado ao G ´ olgota, onde os soldados romanos o pregaram numa es- taca. A intensa luz do dia milagrosamen- te virou escurid ˜ ao. Naquela tarde, Jesus morreu e ocorreu um grande terremoto. Seu corpo foi colocado num t ´ umulo es- cavado na rocha. No dia seguinte, os sa- cerdotes lacraram o t ´ umulo e postaram um guarda ` a sua entrada. Jesus permane- ceria naquele t ´ umulo? N ˜ ao. O maior de todos os milagres estava para ocorrer. — Baseado em Mateus, cap ´ ıtulos 26 e 27; Marcos, cap ´ ıtulos 14 e 15; Lucas, cap ´ ıtulos 22 e 23; Jo ˜ ao, cap ´ ıtulos 12 a 19. ˛ Que nova celebra ¸c ˜ ao Jesus instituiu? ˛ Que circunst ˆ ancias levaram ` a morte de Jesus? 20 Jesus Cristo ´ e morto Jesus institui uma nova celebra ¸c ˜ ao; ´ e tra ´ ıdo e pregado numa estaca G ˆ enesis ˆ Exodo Lev ´ ıtico N ´ umeros Deuteron ˆ omio Josu ´ e Ju ´ ızes Rute 1 Samuel 2 Samuel 1 Reis 2 Reis 1 Cr ˆ onicas 2 Cr ˆ onicas Esdras Neemias Ester J ´ o Salmos Prov ´ erbios Eclesiastes C ˆ antico de Salom ˜ ao Isa ´ ıas Jeremias Lamenta ¸c ˜ oes Ezequiel Daniel Oseias Joel Am ´ os Obadias Jonas Miqueias Naum Habacuque Sofonias Ageu Zacarias Malaquias Mateus ˘ Marcos ˘ Lucas ˘ Jo ˜ ao ˘ Atos Romanos 1 Cor ´ ıntios 2 Cor ´ ıntios G ´ alatas Ef ´ esios A morte de Jesus desempenhou um papel-chave na realiza ¸c ˜ ao do prop ´ osito de Jeov ´ a. Visto que Jesus foi concebido por meio do esp ´ ırito santo de Deus, ele nasceu perfeito, n ˜ ao estando sujeito ` a morte herdada. Contudo, ele deu sua vida para que a humanidade pudesse ter a oportunidade de viver para sempre e desfrutar o tipo de vida que o desobediente Ad ˜ ao perdeu para seus descendentes.1 — Mateus 20:28; Lucas 1:34, 35; Jo ˜ ao 3:16, 36; 2 Pedro 3:13. 1 Para uma considera ¸c ˜ ao sobre o valor sacrificial da morte de Jesus, veja as p ´ aginas 47-56 do livro O Que a B ´ ıblia Realmente Ensina?. O PAPEL VITAL DE JESUS
  24. 24. 30 de nis ˜ a, 33 EC 6 de siv ˜ a, 33 Pentecostes; derramamento do esp ´ ırito santo (Siv ˜ a corresponde a parte de maio e parte de junho.) 36 Corn ´ elio torna-se crist ˜ ao NO TERCEIRO dia ap ´ os a morte de Jesus, algumas mulheres que eram suas disc ´ ıpulas descobriram que a pedra que bloqueava a entrada do t ´ umulo havia sido removida. Al ´ em disso, o t ´ umulo esta- va vazio! Apareceram dois anjos. “V ´ os estais pro- curando Jesus, o nazareno”, disse um de- les. “Ele foi levantado.” (Marcos 16:6) Sem demora, as mulheres correram para con- tar isso aos ap ´ ostolos. No caminho, elas encontraram Jesus. “N ˜ ao temais!”, disse ele. “Ide, relatai isso a meus irm ˜ aos, a fim de que v ˜ ao para a Galileia; e ali me ver ˜ ao.” — Mateus 28:10. Mais tarde naquele dia, dois disc ´ ıpulos caminhavam de Jerusal ´ em para a aldeia de Ema ´ us. Um desconhecido juntou-se a eles e perguntou-lhes sobre o que estavam conversando. Ele era na verdade o res- suscitado Jesus, que apareceu numa for- ma que eles de in ´ ıcio n ˜ ao reconheceram. Com semblantes tristes, eles responderam que falavam a respeito de Jesus. O desco- nhecido come ¸cou a explicar coisas refe- rentes ao Messias em todas as Escrituras. De fato, Jesus tinha cumprido as profe- cias messi ˆ anicas nos m ´ ınimos detalhes.1 Quando os disc ´ ıpulos perceberam que o 1 Para exemplos de profecias messi ˆ anicas que se cumpriram em Jesus, veja as p ´ aginas 17-19 desta publica ¸c ˜ ao, e as p ´ aginas 199-201 do livro O Que a B ´ ıblia Realmente Ensina?. desconhecido era Jesus — que havia sido ressuscitado como esp ´ ırito —, ele desapa- receu. Os dois disc ´ ıpulos logo retornaram a Je- rusal ´ em. Ali eles encontraram os ap ´ osto- los reunidos a portas trancadas. Enquanto os dois relatavam sua experi ˆ encia, Jesus apareceu. Seus at ˆ onitos seguidores mal podiam acreditar nisso! “Por que ´ e que se levantam d ´ uvidas nos vossos cora ¸c ˜ oes?”, Jesus perguntou. “Est ´ a escrito que o Cristo havia de sofrer e de ser levantado den- tre os mortos no terceiro dia.” — Lucas 24:38, 46. Por 40 dias ap ´ os sua ressurrei ¸c ˜ ao, Jesus apareceu a seus disc ´ ıpulos em diferentes ocasi ˜ oes. Em uma delas, apareceu a mais de 500 deles! Provavelmente foi nessa oca- si ˜ ao que ele lhes deu esta important ´ ıssima miss ˜ ao: “Ide . . . fazei disc ´ ıpulos de pessoas de todas as na ¸c ˜ oes, . . . ensinando-as a ob- servar todas as coisas que vos ordenei. E eis que estou convosco todos os dias, at ´ e ` a termina ¸c ˜ ao do sistema de coisas.” — Ma- teus 28:19, 20. Em sua ´ ultima reuni ˜ ao com os 11 ap ´ os- tolos fi ´ eis, Jesus prometeu: “Ao chegar so- bre v ´ os o esp ´ ırito santo, recebereis poder e sereis testemunhas de mim . . . at ´ e ` a parte mais distante da terra.” (Atos 1:8) Ent ˜ ao, Jesus foi levantado e uma nuvem enco- briu-o ` a medida que subia ao c ´ eu. — Baseado em Mateus, cap ´ ıtulo 28; Marcos, cap ´ ıtu- lo 16; Lucas, cap ´ ıtulo 24; Jo ˜ ao, cap ´ ıtulos 20 e 21; 1 Cor ´ ıntios 15:5, 6. ˛ Como os disc ´ ıpulos de Jesus souberam que Deus o havia ressuscitado? ˛ O que Jesus explicou aos dois disc ´ ıpulos na estra- da para Ema ´ us? ˛ Que instru ¸c ˜ oes Jesus deu aos seus disc ´ ıpulos an- tes de subir ao c ´ eu? 21 Jesus est ´ a vivo! Jesus aparece a seus seguidores para instru ´ ı-los e encoraj ´ a-los G ˆ enesis ˆ Exodo Lev ´ ıtico N ´ umeros Deuteron ˆ omio Josu ´ e Ju ´ ızes Rute 1 Samuel 2 Samuel 1 Reis 2 Reis 1 Cr ˆ onicas 2 Cr ˆ onicas Esdras Neemias Ester J ´ o Salmos Prov ´ erbios Eclesiastes C ˆ antico de Salom ˜ ao Isa ´ ıas Jeremias Lamenta ¸c ˜ oes Ezequiel Daniel Oseias Joel Am ´ os Obadias Jonas Miqueias Naum Habacuque Sofonias Ageu Zacarias Malaquias ˘ Mateus ˘ Marcos ˘ Lucas ˘ Jo ˜ ao Atos Romanos 1 Cor ´ ıntios 2 Cor ´ ıntios G ´ alatas Ef ´ esios Filipenses Colossenses 1 Tessalonicenses 2 Tessalonicenses 1 Tim ´ oteo O esp ´ ırito santo de Deus ´ e a for ¸ca mais poderosa do Universo. Jeov ´ a Deus usou seu esp ´ ırito, ou for ¸ca ativa, para criar os c ´ eus e a Terra e para guiar a escrita da B ´ ıblia. Esse esp ´ ırito era a for ¸ca por tr ´ as de todos os milagres a respeito dos quais lemos at ´ e agora, incluindo o maior de todos — a ressurrei ¸c ˜ ao de Jesus Cristo para a vida como poderoso esp ´ ırito. — G ˆ enesis 1:2; 2 Samuel 23:2; Atos 10:38; 1 Pedro 3:18. O ESP ´ IRITO SANTO
  25. 25. cerca de 47-48 Primeira viagem de prega ¸c ˜ ao de Paulo cerca de 49-52 Segunda viagem de prega ¸c ˜ ao de Paulo cerca de 52-56 Terceira viagem de prega ¸c ˜ ao de Paulo 60 EC 25 DEZ dias depois de Jesus subir ao c ´ eu, cerca de 120 de seus disc ´ ıpulos reuni- ram-se numa casa em Jerusal ´ em na ´ epoca da festividade judaica de Pentecostes, em 33 EC. De repente, um barulho seme- lhante ao de um vento impetuoso en- cheu a casa. Os disc ´ ıpulos milagrosamente come ¸caram a falar em l ´ ınguas que n ˜ ao conheciam. O que poderia explicar esses estranhos eventos? Deus tinha dado seu es- p ´ ırito santo aos disc ´ ıpulos. Fora da casa havia uma multid ˜ ao, pois visitantes de muitos pa ´ ıses estavam ali para a festividade. Eles ficaram impressionados ao ouvir suas pr ´ oprias l ´ ınguas serem fala- das fluentemente pelos disc ´ ıpulos de Jesus. Explicando o que tinha acontecido, Pe- dro referiu-se ` a profecia de Joel de que Deus ‘derramaria’ seu esp ´ ırito, conceden- do dons milagrosos ` aqueles que o recebes- sem. (Joel 2:28, 29) Essa poderosa evid ˆ en- cia de opera ¸c ˜ ao do esp ´ ırito santo tornava claro que uma importante mudan ¸ca havia ocorrido: o favor de Deus tinha mudado de Israel para a rec ´ em-formada congrega- ¸c ˜ ao crist ˜ a. Agora, quem desejasse servir a Deus de modo aceit ´ avel tinha de tornar-se seguidor de Cristo. Entretanto, a oposi ¸c ˜ ao aumentou e os inimigos prenderam os disc ´ ıpulos. Mas, durante a noite, o anjo de Jeov ´ a abriu as portas da pris ˜ ao e disse aos disc ´ ıpulos que continuassem a pregar. Ao amanhecer, eles fizeram exatamente isso. Entraram no templo e come ¸caram a ensinar as boas no- vas a respeito de Jesus. Seus opositores reli- giosos ficaram furiosos e ordenaram-lhes que parassem de pregar. Corajosamente, os ap ´ ostolos responderam: “Temos de obede- cer a Deus como governante antes que aos homens.” — Atos 5:28, 29. A persegui ¸c ˜ ao se intensificou. Certos ju- deus acusaram o disc ´ ıpulo Est ˆ ev ˜ ao de blas- f ˆ emia e o apedrejaram at ´ e a morte. Um jo- vem — Saulo de Tarso — presenciou e aprovou esse assassinato. Ent ˜ ao, ele foi a Damasco para prender qualquer pessoa que fosse seguidora de Cristo. Quando Saulo seguia pela estrada, uma luz do c ´ eu brilhou em volta dele e uma voz disse: “Saulo, Saulo, por que me persegues?” Cego por causa da luz, Saulo perguntou: “Quem ´ es?” A voz respondeu: “Eu sou Je- sus.” — Atos 9:3-5. Tr ˆ es dias depois, Jesus enviou um disc ´ ı- pulo chamado Ananias para restaurar a vi- s ˜ ao de Saulo. Saulo foi batizado e come ¸cou a pregar corajosamente a respeito de Jesus. Ele ficou conhecido como ap ´ ostolo Paulo e tornou-se um membro zeloso da congre- ga ¸c ˜ ao crist ˜ a. Os disc ´ ıpulos de Jesus declaravam as boas novas do Reino de Deus apenas aos judeus e samaritanos. Agora um anjo apa- receu a Corn ´ elio, um militar romano te- mente a Deus, dizendo-lhe que mandasse chamar o ap ´ ostolo Pedro. Junto com ou- tros, Pedro pregou a Corn ´ elio e sua fam ´ ı- lia. Enquanto Pedro falava, o esp ´ ırito san- to desceu sobre esses crentes gentios, e o ap ´ ostolo orientou-os a se batizarem em nome de Jesus. O caminho para a vida eterna estava agora aberto a pessoas de to- das as na ¸c ˜ oes. A congrega ¸c ˜ ao estava pronta para divulgar as boas novas por toda a parte. — Baseado em Atos 1:1–11:21. ˛ O que aconteceu durante a festividade de Pente- costes? ˛ Como os inimigos reagiram ` a prega ¸c ˜ ao dos disc ´ ı- pulos de Jesus? ˛ Como o caminho ` a vida eterna foi aberto para pessoas de todas as na ¸c ˜ oes? 22 Os ap ´ ostolos pregam destemidamente A congrega ¸c ˜ ao crist ˜ a cresce rapidamente apesar da persegui ¸c ˜ ao G ˆ enesis ˆ Exodo Lev ´ ıtico N ´ umeros Deuteron ˆ omio Josu ´ e Ju ´ ızes Rute 1 Samuel 2 Samuel 1 Reis 2 Reis 1 Cr ˆ onicas 2 Cr ˆ onicas Esdras Neemias Ester J ´ o Salmos Prov ´ erbios Eclesiastes C ˆ antico de Salom ˜ ao Isa ´ ıas Jeremias Lamenta ¸c ˜ oes Ezequiel Daniel Oseias Joel Am ´ os Obadias Jonas Miqueias Naum Habacuque Sofonias Ageu Zacarias Malaquias Mateus Marcos Lucas Jo ˜ ao Atos ˘ Romanos 1 Cor ´ ıntios 2 Cor ´ ıntios G ´ alatas Ef ´ esios Filipenses Colossenses 1 Tessalonicenses 2 Tessalonicenses 1 Tim ´ oteo 2 Tim ´ oteo Tito Fil ˆ emon Hebreus Tiago 1 Pedro 2 Pedro 1 Jo ˜ ao 2 Jo ˜ ao 3 Jo ˜ ao Judas Revela ¸c ˜ ao
  26. 26. 60 EC DEPOIS de sua convers ˜ ao, Paulo pas- sou a declarar zelosamente as boas novas do Reino de Deus. Agora, por ´ em, esse ex-opositor muitas vezes enfrentava dura oposi ¸c ˜ ao. Esse incans ´ avel ap ´ ostolo fez v ´ arias viagens de prega ¸c ˜ ao. Percorria longas dist ˆ ancias para divulgar as boas no- vas sobre o Reino que cumprir ´ a o prop ´ osi- to original de Deus para a humanidade. Em Listra, durante sua primeira viagem, Paulo curou um homem aleijado de nas- cen ¸ca. As multid ˜ oes passaram a clamar que Paulo e seu companheiro de viagem, Barnab ´ e, eram deuses. Esses dois homens mal puderam evitar que o povo lhes ofere- cesse sacrif ´ ıcios. Influenciadas pelos ini- migos de Paulo, no entanto, essas mesmas multid ˜ oes mais tarde o apedrejaram e o deram como morto. Mas Paulo sobreviveu ao ataque e, com o tempo, voltou ` aquela cidade para fortalecer os disc ´ ıpulos com palavras encorajadoras. Alguns crist ˜ aos judeus argumentavam que os crentes n ˜ ao judeus tinham de se- guir certas partes da Lei de Mois ´ es. Paulo levou a quest ˜ ao aos ap ´ ostolos e anci ˜ aos em Jerusal ´ em. Ap ´ os um exame das Escri- turas e orientados pelo esp ´ ırito santo de Deus, esses homens escreveram ` as congre- ga ¸c ˜ oes, exortando-as a se absterem da ido- latria, de comer sangue e carne n ˜ ao san- grada, e da fornica ¸c ˜ ao. Tais mandamentos eram “coisas necess ´ arias”, mas, sua obser- v ˆ ancia n ˜ ao exigia seguir a Lei mosaica. — Atos 15:28, 29. Em sua segunda viagem de prega ¸c ˜ ao, Paulo visitou Bereia, que se localizava onde hoje ´ e a Gr ´ ecia. Os judeus que mora- vam ali receberam a palavra com zelo, examinando as Escrituras todos os dias para conferir o ensino de Paulo. Nova- mente a oposi ¸c ˜ ao o for ¸cou a ir para outro lugar, dessa vez para Atenas. Perante um grupo de atenienses instru ´ ıdos, Paulo pro- feriu um poderoso discurso que ´ e um mo- delo de tato, discernimento e eloqu ˆ encia. Depois da terceira viagem de prega ¸c ˜ ao, Paulo foi a Jerusal ´ em. Ao visitar o templo local, alguns judeus causaram um tumul- to com a inten ¸c ˜ ao de mat ´ a-lo. Soldados romanos intervieram e interrogaram Pau- lo. Como cidad ˜ ao romano, mais tarde ele fez sua defesa perante o governador roma- no F ´ elix. Os judeus n ˜ ao podiam provar as acusa ¸c ˜ oes lan ¸cadas contra Paulo. Para im- pedir que Festo, outro governador roma- no, o entregasse aos judeus, Paulo dis- se: “Apelo para C ´ esar!” Festo respondeu: “Para C ´ esar ir ´ as.” — Atos 25:11, 12. Em seguida, Paulo foi levado de navio ` a It ´ alia para ser julgado. Naufragando nes- sa viagem, teve de passar o inverno na ilha de Malta. Quando finalmente chegou a Roma, ficou por dois anos numa casa alugada. Mesmo sob a vigil ˆ ancia de solda- dos, o sempre zeloso ap ´ ostolo continuou a pregar sobre o Reino de Deus a todos os que o visitavam. — Baseado em Atos 11:22–28:31. ˛ O que aconteceu depois que Paulo curou um ho- mem aleijado em Listra? ˛ Como foi resolvida a quest ˜ ao sobre seguir a Lei mosaica? ˛ Como se explica a presen ¸ca de Paulo em Roma, e o que ele fez enquanto esteve ali? 23 As boas novas se espalham Paulo faz viagens de prega ¸c ˜ ao por terra e mar G ˆ enesis ˆ Exodo Lev ´ ıtico N ´ umeros Deuteron ˆ omio Josu ´ e Ju ´ ızes Rute 1 Samuel 2 Samuel 1 Reis 2 Reis 1 Cr ˆ onicas 2 Cr ˆ onicas Esdras Neemias Ester J ´ o Salmos Prov ´ erbios Eclesiastes C ˆ antico de Salom ˜ ao Isa ´ ıas Jeremias Lamenta ¸c ˜ oes Ezequiel Daniel Oseias Joel Am ´ os Obadias Jonas Miqueias Naum Habacuque Sofonias Ageu Zacarias Malaquias Mateus Marcos Lucas Jo ˜ ao ˘ Atos Romanos 1 Cor ´ ıntios 2 Cor ´ ıntios G ´ alatas Ef ´ esios Filipenses Colossenses 1 Tessalonicenses 2 Tessalonicenses 1 Tim ´ oteo 2 Tim ´ oteo

×