O slideshow foi denunciado.
Seu SlideShare está sendo baixado. ×

Hidrografia

Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Carregando em…3
×

Confira estes a seguir

1 de 33 Anúncio

Mais Conteúdo rRelacionado

Diapositivos para si (20)

Quem viu também gostou (15)

Anúncio

Semelhante a Hidrografia (20)

Anúncio

Mais recentes (20)

Hidrografia

  1. 1. HIDROGRAFIA
  2. 2. • Sem água não existe vida.
  3. 3. • Ciclo Da água • É o caminho que as águas percorrem pelos seus diferentes estados físicos: sólido,líquido e gasoso. A energia fornecida pelo sol é essencial para o ciclo. • EVAPORAÇÃO OU VAPORIZAÇÃO: processo pelo qual a água transita do estado líquido para gasoso, passando, como um gás, a ser invisível aos olhos humanos. • CONDENSAÇÃO: a água em estado gasoso volta ao estado líquido. • O processo da passagem da água do seu estado sólido para o líquido é FUSÃO e ao contrário disso é SOLIDIFICAÇÃO.
  4. 4. • A água ainda pode passar do sólido(gelo) para gasoso e vice-versa, sem transitar pelo estado líquido, fenômeno denominado de SUBLIMAÇÃO. • As águas das chuvas tem três destinos: 1. Infiltra no solo- para alimentar o nível hidrostático ou lençol freático e os aquíferos subterráneos profundos. 2. Escoa sobre a superfície-é captada pelos corpos d’água. 3. Evapora- logo ao tocar o solo, em alguns casos a evaporação pode ocorrer antes mesmo da água atingir o solo.
  5. 5. Ciclo da água
  6. 6. Oceanos e Mares • Ocupam 71% da superfície daTerra. • Desempenha um papel importantíssimo na regulação da vida de nosso planeta. • Possibilitam a renovação do oxigênio da atmosfera, através da fotossíntese das algas e plânctons e consequentemente a regulação climática mundial. SAIBA MAIS: Tempo médio que uma gotaa permanece no ciclo contínuo da água antes de evaporar: 1. NUVEM: 9 dias 2. RIO: 2 horas 3. OCEANO: milhares de anos
  7. 7. RECURSOS MINERAIS DOS OCEANOS • Concentração de CLORETO DE SÓDIO(NaCl), sal de cozinha na água dos oceanos é superior em comparação a água dos rios. • Se explica a concentração de salinidade nos oceanos pela seguinte vertente: 1. O sais da superfície rochosa é levado pelos rios para o oceano; 2. As atividades vulcânicas submersas através da sua erupção adcionou este elemento químico em alta concentração. • O índice de salinidade dos oceanos são variáveis e dependem de alguns fatores: • como a proximidade com a desembocadura de grandes rios e com as regiões polares e de geleiras – nestas situações obtem taxas menores
  8. 8. • Enquanto nas regiões com intensa evaporação, como no caso de MARES FECHADOS, ocorre o aumento da SALINIDADE. • ONDAS • Movimentação das águas oceânicas impulsionadas pelos ventos e esporadicamente porvmovimentos na crosta terrestre – caso em que geram osTSUNAMIS. • As ondas tem CRISTAS E CAVAS . Seus movimentos são circulares, quando as águas se encontram em profundidade, e tornam-se elípticos ao chegarem próximas à costa. • MARULHO:Quando a intensidade do vento é Pequena, as águas passam a ser agitadas de maneira menos intensa, o que forma uma leve oscilação, com Cristas arredondadas com intervalos maiores entre elas
  9. 9. Marés • A força gravitacional do Sol e da Lua atuam na formação das marés. • As órbitas celestes são elípticas, existe um momento na trajetória em que eles estarão mais próximos da Terra: Periélio no caso do Sol e o Perigeu no caso da Lua. • Revolução ou translação lunar – movimentação natural da Lua ao redor daTerra, num ciclo de 29 dias e meio ou seja um mês lunar ou período sinódico da Lua. • A Lua reflete parte da luz que recebe do Sol E neste trajeto, a cada 7 dias aproximadamente se apresenta em fases diferentes. • Quando alinhada ao Sol encontra-se na fase de conjunção ou novilúnio – Lua Nova. • Sete dias depois estará na primeira quadratura, ou Quarto crescente
  10. 10. • Outros sete dias, e a Lua estará na fase de OPOSIÇÃO OU PLENILÚVIO, Lua Cheia • A próxima fase é denominada de QUARTO MINGUANTE, quando a Lua se encontra na segunda quadratura. Após essas quatro fases,o ciclo se repete a partir da Lua Nova. • Durante as fases de CHEIA E NOVA , ocorrem as marés de águas vivas, assim denominadas pelos aumentos dos níveis de águas. • Já durante as QUADRATURAS, ocorrem as marés de águas mortas,ou SIZÍGIA, com os níveis mais baixos. • As marés são muito importantes em áreas portuárias, pois a movimentação dos navios depende desses movimentos. • Para as pessoas que não necessitam das marés para realizar suas atividades profissionais , elas passam despercebidas. As marés são fundamentais,para as pessoas que atuam em navios de transporte e de carga ou passageiros, para os pescadores, e até para turismo.
  11. 11. Correntes marinhas • São movimentos significativos das massas oceânicas de longos curso. • Apesar da semelhança com um rio, não se pode dizer que o sejam, pois existem muitas diferenças como consequência e causa dacmovimentação das águas. • CAUSA- estão associadas a uma combinação de diversos fatores como a rotação da Terra, diferenças de pressão atmosférica que geram os ventos,temperatura e salinidade das águas oceânicas. • As correntes podem ser quentes e frias. As quentes tem origem nas proximidades com o Equador e tendem ser muito rápidas e profundas. As friasoriginam nas proximidades das regiões polares, são lentas e superficiais e se deslocam em direção ao Equador. • A velocidade pode chegar a 2m/s. • Influência no clima dos lugares por onde passam.
  12. 12. Corrente marítima fria e quente
  13. 13. • Consequências de algumas correntes: • Corrente fria de Humboldt ou do Peru – o ar atmosférico é mais seco que o restante do oceano, assim quando o ar úmido for empurrado sobre esta área será absorvido pelo ar seco, a repercussão pode ser sentido pela formação do deserto do Atacama. • Corrente do Labrador – transportam águas frias e contribuem para as baixas temperaturas na costa leste da América do Norte. • Corrente do Golfo – desloca águas quentes em direção da Europa, que impedem o congelamento das águas dos portos durante o inverno. • Corrente kuroShivo – produz invernos muitos rigorosos, sobretudo nas ilhas ao Norte do arquipélago Japonês. • As correntes marinhas têm uma forte influência sobre as atividades econômicas relacionadas a pesca como o Peru e o Japão. • As correntes marinhas se encarregam de transportar os resíduos sólidos de longas distâncias. Ex sacolas plásticas, garrafas, frascos de shampoo ...
  14. 14. • Corrente Termohalina – mecanismo de controle do clima existentes na Terra, essa corrente faz circular a água das regiões frias da Terra em direção a região equatorial e das regiões quentes para as regiões frias. Essa corrente é responsável pelo fenômeno de MONÇÕES no Sul e Sudeste asiático. • OS MARES • São as águas mais rasas dos oceanos, aquelas que normalmente banham as massas continentais. Os mares são classificados: 1. Abertos- têm ampla ligação com os oceanos. Ex mar do Caribe. 2. Fechados ou isolados – encontram-se completamente separados dos oceanos, mantêm um certo nível de água enquanto são abastecidos por rios. Ex: o Mar da Galiléia, Mar Morto abastecidos pelo Jordão. 3. Mediterrâneo,Interior ou Continental- ligam-se por meio de um canal ou estreito. EX: MAR MEDITERRÂNEO –comunica-se com o Atlântico pelo estreito de Gibraltar, com o Mar negro pelo estreito de Dardanelos e com o MarVermelho pela ligação artificial do Canal de Suez.
  15. 15. O RELEVO SUBMARINO
  16. 16. Assim como na crosta continental, a oceânica também apresenta diversas formas de relevo. O relevo submarino se divide em quatro partes: • Plataforma continental – que vai até uma profundidade de 200 metros; • Talude continental – é a área de transição entre a plataforma continental e a região pelágica, se caracterizando por um acentuado declive; • Região pelágica – é o assoalho submarino, onde se encontram as formas de relevo. Sua profundidade é de até 5.000 metros; • Região abissal – são áreas com mais de 5.000 metros de profundidade. É a região mais desconhecida dos oceanos devido a sua total escuridão, frio e pressão.
  17. 17. • Além do petróleo e do gás natural, já foram encontrados outros minerais como ouro, diamantes, calcário e diversos outros minerais metálicos. • A preocupação é explorar sem agredir, havendo uma aposta na tecnologia para resolver este problema. • Outra questão em estudo é sobre a soberania territorial das regiões marinhas.Até a década de 1970, cada país estabelecia seus limites territoriais. • O governo militar brasileiro estabeleceu a zona de 200 milhas marítimas ou 370,4 km de extensão. • Em 1973 a ONU passou a mediar este tema a partir da CONVENÇÃO DAS NAÇÕES UNIDAS SOBRE OS DIREITOS DO MAR, em 1982 foi assinada, e entrou em vigor em 16.11.1994, o estabelecimento do limite de 12 milhas náuticas ou 22 km como mar territorial para cada país.
  18. 18. • No Brasil, a convenção aprovada pelo Congresso Nacional em 1987 e promulgada por decreto em 1995, agregou as seguintes alterações: criou a noção de ZONA ECONÔMICA EXCLUSIVA (ZEE) – que corresponde a 188 milhas adjacentes ao Mar territorial. • Cada país mesmo que não tenha jurisdição absoluta sobre esta área, pode explorar de maneira exclusiva. • A convenção reconhece o direito de navegação marítima e área concedida a todos os países sobre as ZEEs, a redução da extensão do MarTerritorial, de 200 par 12 milhas marítimas e a adoção do conceito de navegação ou passagem inocente. • A Convenção determinou que os Estados que não utilizassem todos os recursos naturais deverão torná-los acessíveis a outros países por meio de acordos.
  19. 19. • Na atualidade três bilhões de pessoas vivem numa faixa de até 200 km de um oceano, isto representa 50% do total de seres humanos este número deverá dobrar até 2025. • Poluição 1. O lixo produzido nas regiões costeiras ou em locais distantes é transportado pelas águas das chuvas e dos rios. 2. A indústria química produz uma diversidade muito grande de produtos, como fertilizantes e agrotóxicos, produtos de higiene pessoal, limpeza doméstica e industrial , cujos resíduos produzidos pelos descartes são fatalmente transportados para os OCEANOS, e assim provocando a contaminação.
  20. 20. Giros nos Oceanos
  21. 21. Branqueamento de Corais • Este fenômeno tem sido relacionado ao aquecimento global. • Quando os pólipos, responsáveis pela construção dos recifes de coral, morrem pela destruição das algas unicelulares que vivem em seu interior, resta apenas o esqueleto do coral, que rapidamente fica branco.
  22. 22. Impacto ambiental causado pelo petróleo • Acidentes durante operações de exploração e transportes de óleo vêm provocando graves impactos no ambiente marinho. • um exemplo disso foi o ocorrido no Golfo do México com uma plataforma operada pela BP( BRITISH PETROLEUM) em 20 de abril de 2010 . O maior vazamento da história dos EUA. • 5.000.000 de litros de óleo cru jogados no Mar durante 87 dias. • 11 trabalhadores mortos. • Um número incontável de animais e aves contaminados e mortos. • Danos financeiros para os pescadores, o turismo, rede de hotéis e imobiliárias, onde viram os turistas fugirem das praias da Flórida sujas pelo óleo.
  23. 23. Pesca predatória • A pesca indiscriminada e predatória, para abastecer o mercado, é responsável pela ameaça e extinção de grande variedade de espécies aquáticas. • A pesca em águas rasas deve ser regulamentada e controlada por leis ambientais. • Nos países pobres as leis são mais flexíveis ou não existe meios eficientes de controle, com total desrespeito ao período de procriação das espécies e ás quantidades extraídas . • A FAO uma agência da ONU especializada em alimentação estima que a produção pesqueira marinha anual sela de 90 milhões de toneladas. • A exploração radical tem colocado 75% das populações de peixes ameaçados .
  24. 24. Problemas dos mares fechados • Outro grave problema vem ocorrendo nos mares, especificamente naqueles de tipo fechado, que não tem contato com os oceanos. • Esses mares são abastecidos por rios, e o uso indiscriminado da água doce dos rios ou de alguns mares, vem fazendo com que alguns deles estejam ameaçados de total extinção. • Exemplo o Mar de Aral – localizado entre o cazaquistão e o uzbequistão. • Durante a década de 1960, a União soviética decidiu produzir algodão irrigado com as águas dos rios Amu Daria e Syr Daria que abastecem o Mar do Aral. • A redução da vazão e a manutenção dos níveis de evaporação produziram a redução do volume de água, bem como o aumento da salinidade e extinção da fauna e da flora.
  25. 25. Rios São responsáveis por muitas transformações geomorfológicas que ocorrem na superfície terrestre. Utilizado para retirada de alimentos, uso da água pelos humanos e animais, para atividades agrícolas e industriais. • Ao longo de grandes rios que se desenvolveram as primeiras civilizações da História: • A egípcia no Rio Nilo; • a mesopotâmica nos RiosTigres e Eufrates; • a chinesa nos riosYang-Tsé-Kiang e Huang-ho; • a hindu nos rios Indo e Ganges.
  26. 26. Regime de abastecimento e tipos de rios Regime – forma pela qual um rio é abastecido. Relaciona-se com a origem das águas e o localização do rio • Pode-se afirmar que os rios estão diretamente relacionado com o ciclo da água. • Neste ciclo, o regime poderá ser: 1. Pluvial – proveniente das águas das chuvas. 2. Nival – do derretimento das neves. 3. Mistos – a associação no nival e o pluvial. No Brasil os rios possuem regimes pluviais, com exceção do Rio Amazonas que tem seu regime misto, onde além das chuvas aumenta seu nível com o derretimento do gela da Cordilheira dos Andes. A água que infiltra no solo abastece o nível hidrostático ou lençol freático. Os rios podem ser: Perenes- que não secam mesmo durante os períodos de estiagem. Temporários- que desaparecem depois de um período de seca.
  27. 27. Nascentes e tipos de foz Todos os rios têm mais de uma nascente. Todos os rios desaguam em outros rios, em lagos, mares ou oceanos Onde o rio desagua é chamado de FOZ • A FOZ poderá ser na forma de: • Delta – quando este se bifurca em vários braços, comum aos rios de planície, como o Rio Nilo, que ao se aproximar no Mar mediterrâneo abre um leque ao lançar suas águas. • Estuário- quando atinge seu objetivo final por meio de um único canal.A foz estuário é comum a rios de planalto que apresentam grande vazão , como a foz do IGUAÇU, quando lança suas águas no Rio Paraná. • Mista – possui característica de delta e de estuário. Ex: RioAmazonas
  28. 28. Curso e direção dos rios Curso é o caminho percorrido por um rio entre a nascente e sua foz. • O curso é dividido em três partes: Alto, médio e baixo. • O alto curso – é aquele que se encontra próximo ás cabeceiras ou nascente. • O baixo curso – localizado próximo á foz. • O médio curso - e a área intermediária. • As margens de um rio são determinadas ao se ficar de costas para as nascentes e servem para identificar na paisagem a localização precisa de determinados elementos, como os afluentes do rio principal, ou mesmo cidades que ocupam suas margens. • Ex: o Rio Iguaçu é um dos afluentes da margem esquerda do Rio Paraná.
  29. 29. Cânions • Todos os rios têm um leito que vai sendo escavado pela ação das águas. • O aprofundamento do leito dependerá da velocidade das águas e também da resistência do material rochoso. • Os cânions que se destacam são: 1. Grand cânyon – do Rio Colorado nos EUA. 2. Cânion do Itaimbezinho – no Rio Grande do sul. 3. Guartelá – no Paraná. GrandCânyon - EUA
  30. 30. Bacias Hidrográficas • São áreas drenadas por um rios e todos os seus afluentes. Região dinâmica onde ocorrem diversos processos naturais (evaporação, precipitação, desgaste, transporte e deposição de sedimentos) e aqueles desencadeados pela ação antrópica (desmatamentos que geram o assoreamento dos corpos d’água ,e crescimento urbano) que produz poluição de origem doméstica. • Drenagem é o ato de escoar as águas de terrenos encharcados, por meio de tubos, túneis, canais, valas e fossos sendo possível recorrer a motores como apoio ao escoamento • As bacias hidrográficas são delimitadas pelos divisores de águas. • As bacias hidrográficas classificam –se em: a) Endorreica b) Exorreica c) Arreica d) Criptorreica
  31. 31. • Tipos de drenagem: • O curso do rio define seu tipo de drenagem: • Endorreica:O rio corre para dentro do continente. • Exorréica:O rio corre para fora do continente, em direção ao mar ou Oceano. • Arréica: O rio não possui uma direção certa, simplesmente desaparece por evaporação ou por infiltração. (Existem rios que desaparecem no meio do deserto) • Criptorréica:Caracterizada por rios subterrâneos, como em áreas calcárias (grutas).

×