CONSULTORIA EMPRESARIAL - Cap. 7 ética na consultoria empresarial

4.616 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação
1 comentário
2 gostaram
Estatísticas
Notas
  • nunca encontrei uma fonte de pesquisa tão rica, obrigada,me ajudou muito no meu projeto interdisciplinar.
       Responder 
    Tem certeza que deseja  Sim  Não
    Insira sua mensagem aqui
Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
4.616
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
21
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
312
Comentários
1
Gostaram
2
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

CONSULTORIA EMPRESARIAL - Cap. 7 ética na consultoria empresarial

  1. 1. Consultoria EmpresarialConsultoria EmpresarialProf. Elvis Magno da Silva - 2013Prof. Elvis Magno da Silva - 2013DAFT, Richard L. Management. 4.ed. Orlando: Dryden Press. 1997. p.138-171Cap. 7 – ÉTICA NA CONSULTORIAEMPRESARIAL
  2. 2. Cap. 7 – ÉTICA NACONSULTORIA EMPRESARIALProblema de Gestão. DAFT, Richard L. Management. 4.ed. Orlando: Dryden Press. 1997. p.139.Em 1958, a Shell descobriu petróleo na planície costeira do sul da Nigéria, uma área habitadapelos Ogoni, uns 500.000 membros de um grupo étnico de agricultores e pescadores. Em1993, a Shell encerrou as operações na área, temendo pela segurança de seus trabalhadoresem face da atividade de crescente protesto. Foram muitas as queixas. Enquanto a Shell,segundo algumas estimativas extraídas US$ 30 bilhões de petróleo na região, os Ogonipermaneceram desesperadamente pobres. A percentagem das receitas destinadas aogoverno Nigeriano que era para ser designada para os Ogoni parece ter sido gasto nas terrastribais da maioria dominante ou desapareceram em negócios corruptos. De 5.000trabalhadores da Shell na Nigéria, apenas 85 eram Ogoni. Um passeio pela região revela umambiente devastado, e um vazamento perto de um assentamento ocorrido há quase 20 anos,ainda não foi limpo (1997). Chuvas torrenciais levam o óleo aos rios e enseadas, das quais osOgoni dependem para pescar. A Shell diz que desde 1985 a empresa gastou mais de US $ 2bilhões em projetos comunitários para o Ogoni, no entanto, os críticos questionam essa figura."Um par de blocos sala de aula de qualidade duvidosa e um ou dois poços é uma listabastante magra depois de 36 anos em uma área", disse um observador.Como a Shell contribuiu para o aumento das tensões que levaram ao encerramento das operaçõesNigéria? Se você fosse um consultor da Shell, como você responderia a esse problema?
  3. 3. Cap. 7 – ÉTICA NACONSULTORIA EMPRESARIAL Ética: É o código de princípios e valores morais que regem oscomportamentos de uma pessoa ou grupo de pessoas comrespeito ao que é certo ou errado.
  4. 4.  Ética: É o código de princípios e valores morais que regem oscomportamentos de uma pessoa ou grupo de pessoas comrespeito ao que é certo ou errado. Três domínios da ação humana:• Domínio de lei e códigos (norma jurídica);• Domínio da ética (padrão social); e• Domínio da livre escolha (padrão pessoal).Cap. 7 – ÉTICA NACONSULTORIA EMPRESARIAL
  5. 5.  Ética: É o código de princípios e valores morais que regem oscomportamentos de uma pessoa ou grupo de pessoas comrespeito ao que é certo ou errado. Três domínios da ação humana:• Domínio de lei e códigos (norma jurídica);• Domínio da ética (padrão social); e• Domínio da livre escolha (padrão pessoal).Quantidade de Controle ExplícitoBaixo AltoCap. 7 – ÉTICA NACONSULTORIA EMPRESARIAL
  6. 6.  Dilema Ético: Uma situação que surge quando todas as opçõesalternativas ou comportamentais foram consideradasindesejáveis por causa de consequências potencialmente​​negativas eticamente, tornando-a difícil de se distinguir o certodo errado.Cap. 7 – ÉTICA NACONSULTORIA EMPRESARIAL
  7. 7.  Dilema Ético: Uma situação que surge quando todas as opçõesalternativas ou comportamentais foram consideradasindesejáveis por causa de consequências potencialmente​​negativas eticamente, tornando-a difícil de se distinguir o certodo errado. Ex.: Como gerente de vendas de uma grande empresafarmacêutica, você foi convidado para promover um novomedicamento que custa R$ 2.500 por dose. Você já leu oinforme que a droga é de apenas 1% mais eficaz do que umadroga alternativa que custa menos do que um quarto (R$ 625).Você pode, em sã consciência promover agressivamente adroga por R$2.500 a dose?Cap. 7 – ÉTICA NACONSULTORIA EMPRESARIAL
  8. 8.  Dilema Ético: Uma situação que surge quando todas as opçõesalternativas ou comportamentais foram consideradasindesejáveis por causa de consequências potencialmente​​negativas eticamente, tornando-a difícil de se distinguir o certodo errado. Ex.: Como gerente de vendas de uma grande empresafarmacêutica, você foi convidado para promover um novomedicamento que custa R$ 2.500 por dose. Você já leu oinforme que a droga é de apenas 1% mais eficaz do que umadroga alternativa que custa menos do que um quarto (R$ 625).Você pode, em sã consciência promover agressivamente adroga por R$2.500 a dose? Se não o fizer, pode ser perdidoSe não o fizer, pode ser perdidovidas que poderiam ter sido salvas com esse aumento de 1vidas que poderiam ter sido salvas com esse aumento de 1por cento em eficácia?por cento em eficácia?Cap. 7 – ÉTICA NACONSULTORIA EMPRESARIAL
  9. 9. Critérios para Tomada de Decisão Éticas Abordagem utilitarista: o conceito ético de quecomportamentos morais produzem o bem maior para o maiornúmero de pessoas.Cap. 7 – ÉTICA NACONSULTORIA EMPRESARIAL
  10. 10. Critérios para Tomada de Decisão Éticas Abordagem utilitarista: o conceito ético de quecomportamentos morais produzem o bem maior para o maiornúmero de pessoas. Abordagem individualista: o conceito ético de que os atos sãomorais quando promovem melhorias do indivíduo em seusinteresses de longo prazo, evoluindo para o bem maior.Cap. 7 – ÉTICA NACONSULTORIA EMPRESARIAL
  11. 11. Critérios para Tomada de Decisão Éticas Abordagem utilitarista: o conceito ético de quecomportamentos morais produzem o bem maior para o maiornúmero de pessoas. Abordagem individualista: o conceito ético de que os atos sãomorais quando promovem melhorias do indivíduo em seusinteresses de longo prazo, evoluindo para o bem maior. Abordagem dos direitos morais: o conceito ético de que asdecisões morais são aquelas que melhor mantém os direitosdas pessoas.Cap. 7 – ÉTICA NACONSULTORIA EMPRESARIAL
  12. 12. Critérios para Tomada de Decisão Éticas Abordagem utilitarista: o conceito ético de quecomportamentos morais produzem o bem maior para o maiornúmero de pessoas. Abordagem individualista: o conceito ético de que os atos sãomorais quando promovem melhorias do indivíduo em seusinteresses de longo prazo, evoluindo para o bem maior. Abordagem dos direitos morais: o conceito ético de que asdecisões morais são aquelas que melhor mantém os direitosdas pessoas. Abordagem da Justiça: O conceito ético que as decisõesmorais devem ser baseadas em padrões de igualdade,imparcialidade, e equidade.Cap. 7 – ÉTICA NACONSULTORIA EMPRESARIAL
  13. 13. Critérios para Tomada de Decisão Éticas Abordagem dos direitos morais: Os direitos morais quepoderiam ser considerados durante a tomada de decisão são:1. O direito de livre consentimento (aceitar, concordar,descordar, reprovar,...);2. O direito à privacidade;3. O direito de liberdade de consciência;4. O direito à liberdade de expressão;5. O direito ao devido processo legal;6. O direito à vida e à segurança.Cap. 7 – ÉTICA NACONSULTORIA EMPRESARIAL
  14. 14. Critérios para Tomada de Decisão Éticas Abordagem da Justiça: Justiça Distributiva: o conceito de que o tratamento diferente depessoas não deve ser baseada em características arbitrárias.No caso de diferenças substantivas, as pessoas devem sertratadas de forma diferente em relação às diferenças entre eles.Cap. 7 – ÉTICA NACONSULTORIA EMPRESARIAL
  15. 15. Critérios para Tomada de Decisão Éticas Abordagem da Justiça: Justiça Distributiva: o conceito de que o tratamento diferente depessoas não deve ser baseada em características arbitrárias.No caso de diferenças substantivas, as pessoas devem sertratadas de forma diferente em relação às diferenças entre eles. Justiça Processual: o conceito de que as regras devem serclaramente definidas e de forma consistente e aplicadaimparcialmente.Cap. 7 – ÉTICA NACONSULTORIA EMPRESARIAL
  16. 16. Critérios para Tomada de Decisão Éticas Abordagem da Justiça: Justiça Distributiva: o conceito de que o tratamento diferente depessoas não deve ser baseada em características arbitrárias.No caso de diferenças substantivas, as pessoas devem sertratadas de forma diferente em relação às diferenças entre eles. Justiça Processual: o conceito de que as regras devem serclaramente definidas e de forma consistente e aplicadaimparcialmente. Justiça Compensatória: as pessoas devem ser ressarcidas docusto de seus ferimentos pela parte responsável e também queos indivíduos não devem ser responsabilizados por questõessobre as quais eles não têm controle.Cap. 7 – ÉTICA NACONSULTORIA EMPRESARIAL
  17. 17. Fatores que Afetam as Escolhas Éticas Quando os gestores são acusados de mentir, enganar ou​​roubar, a culpa geralmente é colocada sobre o indivíduo ousobre a empresa. A maioria das pessoas acredita que osindivíduos fazem escolhas éticas por causa da sua integridadeindividual, o que é verdade, mas não é toda a história.Cap. 7 – ÉTICA NACONSULTORIA EMPRESARIAL
  18. 18. Fatores que Afetam as Escolhas Éticas Quando os gestores são acusados de mentir, enganar ou​​roubar, a culpa geralmente é colocada sobre o indivíduo ousobre a empresa. A maioria das pessoas acredita que osindivíduos fazem escolhas éticas por causa da sua integridadeindividual, o que é verdade, mas não é toda a história. Práticas empresariais éticas ou não éticas geralmente refletemos valores, atitudes, crenças e padrões de comportamento dacultura organizacional, assim, a ética é tanto uma questãoorganizacional como pessoal.Cap. 7 – ÉTICA NACONSULTORIA EMPRESARIAL
  19. 19. Fatores que Afetam as Escolhas Éticas Quando os gestores são acusados de mentir, enganar ou​​roubar, a culpa geralmente é colocado sobre o indivíduo ousobre a situação da empresa. A maioria das pessoas acreditaque os indivíduos fazem escolhas éticas por causa da suaintegridade individual, o que é verdade, mas não é toda ahistória. Práticas empresariais éticas ou não éticas geralmente refletemos valores, atitudes, crenças e padrões de comportamento dacultura organizacional, assim, a ética é tanto uma questãoorganizacional como pessoal.Cap. 7 – ÉTICA NACONSULTORIA EMPRESARIAL
  20. 20. Fatores que Afetam as Escolhas Éticas O Gestor: Os gerentes trazem uma personalidade específica ecaracterísticas comportamentais para seu trabalho.Necessidades pessoais, a influência familiar e religiosa, formaum sistema de valor do gestor. Características específicas dapersonalidade, tais como a força do ego, a autoconfiança, e umforte senso de independência pode influenciar aos gestores atomar decisões éticas ou não. Um traço pessoal importante é o estágio de desenvolvimentomoral. Uma versão simplificada de um modelo dedesenvolvimento moral pessoal está demonstrado no Quadro:Cap. 7 – ÉTICA NACONSULTORIA EMPRESARIAL
  21. 21. Fatores que Afetam as Escolhas Éticas O Gestor:Estágios do Desenvolvimento Moral Nível 3: Pós ConvencionalNível 2: ConvencionalSegue suas própriasescolhas; princípios dejustiça e direito. Conscientede que as pessoas têmvalores diferentes e buscasoluções criativas paradilemas éticos. Equilibrapreocupação individual compreocupação para o bemcomum.Nível 1: Pré ConvencionalFaz jus às expectativas dosoutros. Cumpre deveres eobrigações do sistemasocial. Defende leis.Segue as regras para evitar apunição. Atos em interessepróprio. Obediência paraseu próprio bem.Estilo deLiderançaAutoritário/Coercitivo Orientadores/IncentivadoresOrientação para EquipeTransformação / LiderançaSubserviente (servil)Comportamentodo EmpregadoCumpridor de Tarefas Colaborador em Trabalho emGrupoFuncionários Capacitados /Participação PlenaCap. 7 – ÉTICA NACONSULTORIA EMPRESARIAL
  22. 22. Fatores que Afetam as Escolhas Éticas A Organização: Os valores adotados dentro da organizaçãosão importantes, especialmente quando sabemos que a maioriadas pessoas estão no nível dois do estágios dedesenvolvimento moral, o que significa que eles acreditam queseu dever é o de cumprir as obrigações e expectativas dosoutros. A cultura corporativa pode exercer uma poderosa influênciasobre o comportamento nas organizações. Veja um Exemplo aseguir:Cap. 7 – ÉTICA NACONSULTORIA EMPRESARIAL
  23. 23. Fatores que Afetam as Escolhas Éticas A Organização Exemplo a influência da cultura organizacional na ética daempresa:Uma investigação de roubos e subornos no negócio dopetróleo descobriu que a causa foi a aceitação histórica deroubos e propinas. Os funcionários foram socializados nessesvalores e os adotou como apropriados.Na maioria das empresas, os funcionários acreditamque, se não concordar com os valores éticos expressos, seusempregos estarão em risco ou eles não vão estar dentro.Cap. 7 – ÉTICA NACONSULTORIA EMPRESARIAL
  24. 24. Cap. 9 – Ética OrganizacionalO que é responsabilidade social? Em certo sentido, o conceito de responsabilidade socialcorporativa, como a ética, é fácil de entender: significa distinguiro certo do errado e fazer o certo. Significa ser um bom cidadão corporativo. A definição formal de responsabilidade social é:“A obrigação da administração de fazer escolhas e tomarações que contribuam para o bem-estar e os interesses dasociedade tão bem como os da organização”.
  25. 25. Cap. 9 – Ética OrganizacionalO que é responsabilidade social? Tão simples como esta definição parece, a responsabilidadesocial pode ser um conceito difícil de entender, porque pessoasdiferentes têm diferentes crenças a respeito de que ações sãomelhores para o bem estar da sociedade. Para piorar a situação, a responsabilidade social abrange umasérie de questões, muitas das quais são ambíguas com relaçãoa certo ou errado.
  26. 26. Cap. 9 – Ética OrganizacionalResponsabilidade Social Corporativa Total
  27. 27. Cap. 9 – Ética OrganizacionalAções das empresas para as demandas sociais Essas ações podem ser: obstrutiva, defensiva, aceitável, e pró-ativa. [Existem empresas que podem ter ações apenas ilustrativas]. Resposta Obstrutiva: uma resposta às demandas sociais emque a organização nega responsabilidade, afirma que aevidência de má conduta é enganosa ou distorcida, e astentativas são de interromper a investigação. Resposta Defensiva: Uma resposta às demandas sociais emque a organização admite a alguns erros de comissão (o erro porcomissão, é quando se produz o desenvolvimento de uma tarefaincorreta ) ou omissão, mas não age obstrutivamente.
  28. 28. Cap. 9 – Ética OrganizacionalAções das empresas para as demandas sociais Resposta aceitável: A resposta às demandas sociais em que aorganização aceita (muitas vezes sob pressão) aresponsabilidade social de suas ações para cumprir com ointeresse público.
  29. 29. Cap. 9 – Ética OrganizacionalAções das empresas para as demandas sociais Resposta aceitável: A resposta às demandas sociais em que aorganização aceita (muitas vezes sob pressão) aresponsabilidade social de suas ações para cumprir com ointeresse público. Resposta pró-ativa: uma resposta as demandas sociais emque a organização busca para saber o que é do interesse deseus constituintes/envolvidos (stakeholders) e responder sempressão deles.
  30. 30. Cap. 9 – Ética OrganizacionalAções das empresas para as demandas sociaisBaixo Grau de Responsabilidade Social Alto
  31. 31. Questões para Discussão:1) Dr. Martin Luther King, Jr., disse: "Enquanto houver pobreza nomundo, eu nunca poderei ser rico [...] Enquanto houver doençasdesenfreadas, eu nunca poderei ser saudável [... ] Eu nuncapoderei ser o que deveria ser até que você seja o que deveriaser”. Discuta esta citação com respeito ao material deste capítulo.Será que isso seria verdade para as empresas também?2) Como sua empresa de consultoria pode ser pró-ativa no que dizrespeito a Responsabilidade Social?3) Comente como é formada a ética nas práticas sociais.4) Diferencie justiça compensatória, processual e distributiva.5) Baseado no texto apresentado no inicio do capítulo sobre a Shell,responda: Se você fosse um consultor da Shell, como vocêresponderia/resolveria esse problema?Cap. 7 – ÉTICA NACONSULTORIA EMPRESARIAL

×